Equipe da Air France Magazine visitou a cidade para conhecer o memorial que leva o nome do escritor austríaco e construções influenciadas pelo estilo europeu.

Caminhar pelas ruas do Centro Histórico de Petrópolis tem lá seu charme europeu. E não é à toa. Muitos casarões e prédios históricos revelam essa influência na arquitetura. Talvez essa semelhança foi um dos atrativos, incluindo a hospitalidade tupiniquim, que de alguma forma conquistaram Stefan Zweig a se refugiar na Cidade Imperial. E essa relação do escritor austríaco com o município serrano foi o que atraiu jornalistas franceses a Petrópolis nesta semana. A equipe da conceituada revista de bordo Air France Magazine passou dois dias conhecendo a cidade que cativou Zweig, sua história com a terra de Pedro, destacando também a arquitetura do município.

“Vamos falar de Stefan Zweig, que aqui viveu, mas queremos também complementar nossa matéria mostrando mais sobre Petrópolis, dando ênfase a essa beleza e influência europeia na arquitetura da cidade. Conhecemos e registramos algumas construções que têm essa influência presente até hoje”, contou a jornalista Anne Maurel, acompanhada do fotógrafo Alexandre Guirkinger.

Antes de conhecer o conjunto arquitetônico de Petrópolis, a equipe visitou a Casa Stefan Zweig, um memorial dedicado a vida e obra do austríaco e aos exilados, que tem em Zweig um dos principais nomes. Na Biblioteca Municipal Central Gabriela Mistral, a dupla se surpreendeu com o acervo sobre Zweig, que foi considerado umbest-seller de sua geração. São fotografias, livros pessoais, obras do próprio Zweig - 80 volumes doados pessoalmente pelo escritor - e até mesmo os atestados de óbito de Zweig a da esposa Lotte, todos originais que integram o acervo histórico da biblioteca.

Depois de conhecer mais sobre o autor austríaco e sua ligação com Petrópolis, foi a vez da equipe se render aos encantos da charmosa arquitetura petropolitana. Construções como o Palácio de Cristal, o Museu Casa Santos Dumont, Palácio Amarelo, Casa da Educação Barão de Mauá, Museu Casa do Colono, Museu Imperial, Casa de Cláudio de Souza foram o cenário perfeito para os registros da equipe, que se encantou com cada detalhe.

“É tudo muito belo, rico em detalhes não apenas na parte externa das construções, mas no interior. É isso que queremos mostrar também para enriquecer nossa matéria”, disse Anne Maurel.

A matéria especial sobre Stefan Zweig e sua relação com Petrópolis está prevista para ser publicada em junho na revista de bordo da empresa área francesa.

Solenidade aconteceu na noite de segunda-feira (20.03) na Cervejaria Bohemia.

O compromisso de estreitar e fortalecer a parceria entre o poder público e a iniciativa privada para fomento do Turismo em Petrópolis foi reafirmado na noite de segunda-feira (20.03) pelo vice-prefeito Baninho na posse da nova diretoria do Petrópolis Convention Visitors & Bureau (PCVB) que será capitaneada nos próximos dois anos por Samir El Ghaoui. A cerimônia, que aconteceu na Cervejaria Bohemia, contou com a presença do presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Leonardo Randolfo, e Marcelo Valente, que vai assumir a presidência da empresa de Turismo que será criada no município.

“Reconhecendo a importância do Turismo para Petrópolis, o prefeito Bernardo Rossi decidiu fazer a separação da pasta justamente para valorizar ambas as áreas, a Cultura e o Turismo, tão importante para nossa cidade, e fomentar esse segmento que há anos caminha sozinho. Temos certeza de que essa iniciativa irá trazer mais agilidade e mais recursos para o setor, que por muitos governos ficou abandonado. Reafirmamos o compromisso de caminharmos juntos com o empresariado, com o trade turístico e o Convention que entende do assunto e quer desenvolver ainda mais esse potencial que nossa cidade tem”, disse o vice-prefeito Baninho representando o prefeito Bernardo Rossi no evento.

Para o futuro presidente da pasta, Marcelo Valente, é necessária e muito importante essa união entre o trade turístico e governo municipal para o desenvolvimento do segmento.

“O momento agora é de mudanças. E mudanças para uma Petrópolis melhor, mostrando toda a sua vocação turística com a cidade cheia, atrativos funcionando, comércio se movimentando, girando a economia da cidade. E reforçamos aqui, para a nova diretoria, que estamos de portas abertas e vamos fortalecer essa parceria para ações conjuntas e potencializar a vocação da nossa cidade, que pode e vai se desenvolver ainda mais no Turismo”, afirmou Valente.

Para a diretoria que assume o biênio 2017/2019, o PCVB tem o papel de fortalecer Petrópolis, enquanto um dos principais destinos indutores do Turismo no país.

“Sem investimentos no Turismo não há hóspedes nos hotéis, clientes em restaurantes, muito menos comércio e serviços aquecidos. Por esta razão, o PC&VB está à disposição do município para colaborar com a busca das informações reais e necessárias sobre o perfil do Turista e visitante de Petrópolis. Para planejarmos ações precisamos ter conhecimento do básico, como tempo de permanência na cidade, ticket médio gasto e origem, por exemplo. Hoje não há um trabalho nas principais entradas da cidade para as buscas dessas informações. Estamos dispostos a colaborar com esta tarefa de abordagem”, disse o presidente do PCVB, Samir El Ghaoui.

 

Apresentação acontece nesta quinta-feira (23.03), no Theatro D. Pedro, pelo Sesi Cultural.
Celebração do aniversário da cidade atraiu mais de 10 mil pessoas à Praça da Liberdade, na Maratona Cultural.

Celebrando 41 anos de carreira, a cantora Fafá de Belém sobe a serra nesta quinta-feira (23.03) para apresentar, no Theatro D. Pedro, o espetáculo “Guitarradas do Pará”, no qual relembra os grandes sucessos e canções do novo trabalho “Do tamanho certo para o meu sorriso”. O show, que chega pela Sesi Cultural, está com ingresso esgotado. A atração encerra as comemorações dos 174 anos de Petrópolis, que atraiu público de mais de 10 mil pessoas à Maratona Cultural, na Praça da Liberdade. Somando as atividades esportivas, toda a programação de aniversário envolveu público de mais de 15 mil pessoas.

“Estamos muito felizes do sucesso que foi a Maratona Cultural que abriu as comemorações do aniversário de Petrópolis e reuniu a população petropolitana apreciando todo tipo de arte no coração da nossa cidade. Foram dois dias intensos de muita atividade para todos os gostos e públicos, e realmente conquistou as famílias que participaram em peso dessa festa. E agora, para fechar com chave de ouro, esse show incrível da Fafá de Belém, uma parceria do Sesi Cultural, que sempre traz uma programação muito bacana para o nosso município”, comenta o presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Leonardo Randolfo.

Durante dois dias, a cidade se encheu de arte com mais de 40 atividades gratuitas representadas nos mais variados segmentos de cultura. Foram apresentações de dança, teatro, música, bandas marciais, coral; diversas ações do segmento de cultura urbana e também afro, indígena e popular; programação de artes plásticas, audiovisual, literatura e artesanato que tomaram conta da Praça da Liberdade e Centro de Cultura Raul de Leoni.

“Foi um evento incrível com as joias de Petrópolis, que são nossos artistas locais. É a valorização da classe artística local, um anseio antigo do segmento e uma determinação do nosso prefeito Bernardo Rossi de prestigiar as pratas da casa”, frisa Leonardo Randolfo.

 

Evento premiou os destaques da Cultura em 2016 em noite de glória no sábado (18.03), no Theatro D. Pedro.

A cerimônia de entrega do Prêmio Maestro Guerra-Peixe de Cultura 2017 foi marcada por festa e emoção na noite de sábado (18.03), quando foram conhecidos os destaques da Cultura em 2016. Para surpresa da plateia, a noite ainda teve direito à declamação de poema pelo ator Carlos Vereza, que subiu ao palco do Theatro D. Pedro - onde estreia nacionalmente seu monólogo em abril - para entregar o prêmio na categoria Teatro. O prefeito Bernardo Rossi entregou um dos prêmios da noite de festa que foi aberta pelo presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Leonardo Randolfo.

“Esse é um prêmio de extrema importância para nossa cidade e para a classe artística, pois valoriza esses talentos locais e mostra como Petrópolis é rica em cultura. Prova disso foi a Maratona Cultural, que foi um sucesso com uma programação feita com os nossos artistas locais. Todos estão de parabéns”, destacou o prefeito Bernardo Rossi, que entregou o prêmio de Notório Reconhecimento concedido ao artista plástico Luiz Áquila.

Para a entrega, o prefeito convidou o presidente da FCTP e o ator Arthur Varella para subir ao palco. “Esse prêmio tão especial tem que ter o “grand finale” com artistas. Então convido aqui grandes nomes da nossa Cultura para a entrega desse prêmio que encerra o evento com chave de ouro”, disse o prefeito.

Na abertura da cerimônia, o presidente Leonardo Randolfo destacou a importância da premiação para valorização da classe artística. “No dia do aniversário do nosso ilustre maestro Guerra-Peixe celebramos a Cultura ao nomear os destaques do ano anterior, fortalecendo a Cultura da nossa cidade. Esse é um prêmio que revela os trabalhos, produções e talentos locais e valoriza essa arte genuinamente petropolitana”, frisou Randolfo. 

Um dos momentos mais marcantes foi a entrega na categoria Teatro, que teve como convidado o ator Carlos Vereza. Os vencedores foram do grupo Teatro Circense Andança, pelo espetáculo “Da Outra Margem do Rio”.

Depois de brincar com o público, Vereza aproveitou o palco que vai receber sua estreia nacional para recitar o poema “A Flor e a Náusea”, de Carlos Drummond de Andrade. 

“Eu me sinto muito feliz de estar na terra de Frei Luiz e D. Pedro, local que tenho uma relação desde os meus 12 anos de idade, para participar desse prêmio tão especial e importante para a cena cultural petropolitana”, comentou.

Durante a cerimônia, também foram apresentados pelo coordenador e diretor artístico, Marco Aurêh, os novos membros da Comissão Julgadora que já está avaliando as obras e trabalhos de 2017. São eles: Arthur Varella, Andressa Canejo, Marcelo Fernandes e Paulo Campinho, representantes do poder público; e André Sampaio, Renata Garcia, Regina Bortoloni, Nathália Karl e Rodolfo Medeiros, representando a sociedade civil, com a maioria, de acordo com o regulamento do prêmio. A cerimônia ainda prestou homenagens aos artistas e agentes culturais falecidos em 2016 no quadro “Janela para a Saudade”.

Conheça os vencedores:

MÚSICA POPULAR
- Banda Hover, pelo álbum “NeverTrusttheWeather” 

MÚSICA ERUDITA
- Canarinhos de Petrópolis, Meninas dos Canarinhos de Petrópolis e Orquestra Filarmônica de Petrópolis, pelo concerto do oratório “A Paixão segundo São João”, de Bach

TEATRO
- Teatro Circense Andança, pelo espetáculo “Da Outra Margem do Rio”.

DANÇA
- Ballet Heloisa Schanuel, pelo espetáculo “Sonho de uma noite de verão”

ARTES VISUAIS
- Camilo Moreira - Exposição “Criando e Perpetuando Objetos”

LITERATURA
- Dom Gregório Paixão - “A Catedral de Petrópolis”

AUDIOVISUAL
- Diana Iliescu, pelo filme “Ordenha”

COMUNICAÇÃO
- Jeane Avellar – site “Petrópolis para Crianças”

PRODUÇÃO CULTURAL
- Estúdio Aldeia - Programação cultural anual

CATEGORIA ESPECIAL
- Comissão Municipal da Verdade, pela Semana da Memória, Verdade e Justiça

CATEGORIA “NOTÓRIO RECONHECIMENTO”
- Luiz Áquila – Pintor, desenhista, gravador, professor
- Maestro Gilberto Bittencourt

JANELA PARA A SAUDADE - AGENTES CULTURAIS FALECIDOS EM 2016

- Frei Antônio Moser
- Moisés Pregal
- Gian Calvi
- Marcos Balthar
- Sidônio Fernandes
- Regina Adão
- Diogo Bento
- Luís Fernando
- Marcelo Rocha
- Flora Guerra-Peixe Müller
- Maria Isabel Chermont
- BetyWatkins

 

Theatro D. Pedro será palco da cerimônia de entrega, que acontece neste sábado (18.03), às 20h 

Os destaques da cena cultural petropolitana em 2016 serão conhecidos em noite de festa, neste sábado (18.03), na entrega do Prêmio Maestro Guerra-Peixe de Cultura. Marcada para 20h, a cerimônia aberta ao público volta a ser realizada em um dos principais palcos da Cidade Imperial, o Theatro D. Pedro.  São 42 indicados nas 10 categorias, além do Notório Reconhecimento, que exaltam a diversidade e riqueza cultural no cenário local.

“Petrópolis respira cultura. O prêmio é a valorização dos artistas locais, que são patrimônio de Petrópolis. E mostra como a cidade é celeiro de tantos talentos”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

“Esse é um dia especial na trajetória desses artistas e agentes culturais, pois é o momento em que vêem que de fato seu trabalho foi reconhecido e valorizado. E também para a Cultura da cidade, que engrandece e se fortalece com tantas manifestações e produções legitimamente petropolitanas”, frisa Leonardo Randolfo, presidente da Fundação de Cultura e Turismo, que organiza a premiação.

Petrópolis é berço de nomes reconhecidamente importantes na cena cultural nacional, como César Guerra-Peixe, que inspira o prêmio, criado em 2010, com o intuito de valorizar e destacar o melhor da cultura local em todas suas manifestações e vertentes. O objetivo é reconhecer e incentivar, cada vez mais, as produções culturais da Cidade Imperial.

“Valorização, incentivo e reconhecimento são os pilares do prêmio, que surgiu para fortalecer a classe artística petropolitana. Temos trabalhos e produções incríveis, mas é preciso que se dê valor a essas iniciativas e o prêmio destaca muito bem isso. Só as indicações já são um grande reconhecimento. E na entrega, quando se conhece os vencedores, é a noite de glória. É o “Oscar” da cultura petropolitana”, enfatiza o músico Marco Aurêh, coordenador e diretor artístico do prêmio.

Obras avaliadas em 2016 serão contempladas

Na noite deste sábado (18.03) serão premiados os trabalhos analisados durante todo o ano de 2016. São 10 categorias, além do Notório Reconhecimento, que nessa edição vai contemplar dois nomes representativos da cultura petropolitana: o artista plástico Luiz Áquila e o maestro Gilberto Bittencourt. Foram avaliadas obras da Música Popular; Música Erudita; Artes Visuais; Literatura; Comunicação; Audiovisual; Teatro; Dança; Produção Cultural; Categoria Especial.

Conheça os indicados:

MÚSICA POPULAR

  • Ana Sampaio, pelo espetáculo “80 anos de Maysa”;
  • Gus Monsanto, pelo álbum “Karma Café”
  • Banda Hover, pelo álbum “Never Trust the Weather” 
  • Daniel Miranda e Paulo Sá, pela apresentação no Palácio Itaboraí

MÚSICA ERUDITA

  • Anna Leone, pelo concerto “Violão solo”
  • Canarinhos de Petrópolis, Meninas dos Canarinhos de Petrópolis e Orquestra Filarmônica de Petrópolis, pelo concerto “Réquiem de Fauré”
  • Gustavo Quaresma, pelo destaque no oratório “A Paixão segundo São João”, de Bach
  • Canarinhos de Petrópolis, Meninas dos Canarinhos de Petrópolis e Orquestra Filarmônica de Petrópolis, pelo concerto do oratório “A Paixão segundo São João”, de Bach

TEATRO

  • Cia. de Teatro Bobos da Corte, pelo espetáculo “A Estrela do Circo”
  • Cia. Teatral Pano em Cena, pelo espetáculo “Beijo no Asfalto”
  • Grupo Teatral Povo do Cafundó, pelo espetáculo “Ciranda dos Pássaros”
  • Teatro Circense Andança, pelo espetáculo “Da Outra Margem do Rio”.

DANÇA

  • Ballet Heloisa Schanuel, pelo espetáculo “Sonho de uma noite de verão”
  • Cia. de Dança Hip Boi, pelo espetáculo “Índios do Brasil”
  • Cia. Ritmo das Ruas, pelo espetáculo “Na Rua Também tem Arte”
  • Geovane Silva, pelo espetáculo “Tempo”

ARTES VISUAIS

  • Camilo Moreira - Exposição “Criando e Perpetuando Objetos”
  • Cláudio Partes - Exposição “Arqueologia Contemporânea”
  • Lua Machado - Exposição “As faces da Lua” 
  • Lúcia Lage - Exposição “Náufragos”

LITERATURA

  • Carmem Teresa Elias - “Perdidos Atávicos”
  • Catarina Maul - “Contando e Cantando os Sonhos de Dumont”
  • Dom Gregório Paixão - “A Catedral de Petrópolis”
  • Miguel Barreto - “A Indústria do Mero Aborrecimento”

AUDIOVISUAL

  • Diana Iliescu, pelo filme “Ordenha”
  • Gregori Bastos, pela produção no videoclipe “Horário de Verão”
  • Mateus Tavares, pelo “Medologia”, canal no Youtube
  • Soma Skate Arte, pelo filme “Interiorano”

COMUNICAÇÃO

  • Agenda Cultural – Diário de Petrópolis
  • Jeane Avellar – site “Petrópolis para Crianças”
  • Marianne Wilbert - Site “Acontece em Petrópolis”
  • Rodrigo AK Henter - Blog “Keep it Real”

PRODUÇÃO CULTURAL

  • Ensino Médio Integrado em Produção de Áudio e Vídeo - 7° Mostra Audiovisual
  • Estúdio Aldeia - Programação cultural anual
  • Fórum Itaboraí - Quartas Culturais
  • Nação Hip Hop – 2° Festival de Cultura Urbana

CATEGORIA ESPECIAL

  • Comissão Municipal da Verdade, pela Semana da Memória, Verdade e Justiça
  • Editora Vozes, pelo lançamento da Coleção “Vozes de Bolso”
  • Inter TV de Petrópolis, pelo Espaço Cultural Inter TV
  • Linda Feitoza, pelo Clube de Leitura Leia Mulheres

CATEGORIA “NOTÓRIO RECONHECIMENTO”

  • Luiz Áquila – Pintor, desenhista, gravador, professor
  • Maestro Gilberto Bittencourt

JANELA PARA A SAUDADE - AGENTES CULTURAIS FALECIDOS EM 2016

  • Frei Antônio Moser
  • Moisés Pregal
  • Gian Calvi
  • Marcos Balthar
  • Sidônio Fernandes
  • Regina Adão
  • Diogo Bento
  • Luis Fernando
  • Marcelo Rocha
  • Flora Guerra-Peixe Müller
  • Maria Chermont
  • Bety Watkins

Mais de 40 atrações animaram o público em dois dias intensos de arte no coração de Petrópolis

Comemoração dos 174 anos da cidade ainda tem show de Fafá de Belém pelo Sesi Cultural

O coração de Petrópolis, a Praça da Liberdade, se encheu de arte genuinamente petropolitana para celebrar seus 174 anos. Teve pop rock, chorinho, blues, teatro e dança encerrando, na quinta-feira (16.03), a primeira Maratona Cultural. Foram dois dias intensos de programação para celebrar o aniversário da cidade, que ainda terá show de Fafá de Belém pelo Sesi Cultural no dia 23.

"Não poderíamos estar mais felizes com essa comemoração incrível mostrando uma das riquezas de Petrópolis, que é sua Cultura”, afirma Leonardo Rodolfo, presidente da Fundação de Cultura e Turismo, organizadora do evento. Para o prefeito Bernardo Rossi, o evento com mais de 40 atrações atingiu seu objetivo. “A população que compareceu em peso aos eventos aprova a iniciativa que prestigia e valoriza os artistas locais", comemora.

No palco do Rink Marowill, o teatro infantil "O espantalho e o lavrador" reuniu a criançada e cativou os olhares de quem estava no local. A dança tomou conta da Praça da Liberdade. Com trabalho inspirado no folclore brasileiro, o Hip Boi encantou a plateia com coreografias que recriam a cultura de Parintins. Antes, o grupo cativou a atenção do público com coreografias de outros estilos, como forró e hip hop, produzidos na companhia de dança. A atração foi aprovada pelos petropolitanos.

"Viemos aqui para conferir a programação que está bem variada. Aproveitamos a folga para nos divertir e está bem legal", disse Alex Sandro, acompanhado pela esposa Gabriela, e pelos filhos de 9 e 13 anos.

E a música foi a grande estrela do encerramento da programação. Os amantes do blues se renderam ao som do guitarrista Dudu King, no palco lateral. Em seguida, a brasilidade do Taruíra conquistou o público e embalou quem se animou para ensaiar alguns passos.

"Gostamos de todos os eventos que tem esses estilos de música, pois nos divertimos ouvindo e aproveitamos para treinar", disse a estudante Thaís Ferreira, que estava acompanhada do técnico em radiologia Júlio Lamela, do professor de dança de salão Hilbert Ferreira, e da professora Gisana Balter.

A festa foi encerrada com um dos grandes nomes da cena petropolitana, a banda Tokaia, se apresentando após mais de 15 anos sem participar de um evento do município. O pop rock do quarteto contagiou a galera do início ao fim com sucessos nacionais e internacionais em releituras com a cara do quinteto, incluindo o “parabéns” especial pelos 174 anos de Petrópolis.

“Ficamos muito felizes em participar dessa festa após tanto tempo e para comemorar os 174 anos da nossa Petrópolis”, agradeceu o grupo.

“Quem pensa que é feliz em outra terra é porque ainda não viveu aqui. Essa parte da letra do nosso hino expressa todo sentimento quando falamos de Petrópolis. Isso serve para nós, que nascemos aqui, e para os petropolitanos de coração, os que escolheram nossa cidade para viver. E o sentimento de todos é único: de amor à Cidade Imperial”, enfatizou o prefeito Bernardo Rossi na solenidade de aniversário de Petrópolis. Homenagens a Koeler e D. Pedro II, personagens fundamentais na fundação e história de Petrópolis, foram realizadas em praças do centro, culminando com corte de bolo e participação de mais de 500 pessoas na Praça D. Pedro.

“O povo e o governo municipal devem dar aos mãos pelo desenvolvimento da cidade. Todos os cidadãos são responsáveis pela construção da cidade”, conclamou Dom Gregório Paixão, bispo de Petrópolis, que celebrou missa de ação de graças na Catedral de São Pedro de Alcântara, abrindo a série de eventos do dia. Acompanhado pela primeira-dama Sabrina e pelos filhos Bernardinho e Beatriz, o prefeito assistiu à missa junto com autoridades civis e militares. Dom Gregório ressaltou a importância da união de toda sociedade civil e governo municipal em prol da construção de uma nova cidade “mais igualitária e calcada na paz”.  

Na homenagem ao engenheiro e major Julio Frederico Koeler, responsável pelo projeto urbanístico da cidade, junto ao monumento erguido em sua memória na Praça Princesa Isabel, o prefeito Bernardo Rossi falou sobre o orgulho e a honra de poder ser o chefe do Executivo de uma das cidades mais bonitas do Brasil e exaltou que a “marca Petrópolis” abre portas em todo país.

O representante do Instituto Histórico de Petrópolis (IPH), professor Joaquim Eloy, relembrou o histórico de Koeler, sua importância ímpar na constituição do município e falou que “em todas as edições das homenagens pelo aniversário de Petrópolis, nunca havia visto um secretariado tão compacto e coeso. Quero ser digno com o legado de Koeler e de todos que construíram a história de Petrópolis”.

Uma coroa de flores foi depositada no monumento à Koeler e duas placas comemorativas foram entregues à presidente do Instituto Histórico de Petrópolis (IPH), Fátima Argon, e ao representante da família imperial, Dom Manoel de Orleans e Bragança. As placas homenageiam o IHP pelo trabalho de preservação da memória da cidade e a família imperial pela concretização do sonho de fundação e povoação da Cidade Imperial.

Participaram do evento o vice-prefeito Baninho; o presidente da Câmara, Paulo Igor; o bispo Dom Gregório Paixão;  o deputado estadual Marcus Vinícius e o vereador Jamil Sabrá, além de todos os secretários municipais e autoridades civis e militares.

Homenagem a Dom Pedro II e bolo de aniversário para população

Na Praça Dom Pedro II, com a participação efetiva da banda do 32º Batalhão de Infantaria de Petrópolis, Bernardo Rossi renovou o compromisso com a cidade. “Estamos hoje no coração de nossa cidade, em frente ao monumento ao Imperado Pedro II, e aqui, diante de todos, declaramos nosso amor à cidade e a meta de planejar o futuro das próximas gerações”, afirmou.  Mais de 500 pessoas acompanharam a cerimônia que foi encerrada com todos cantando “Parabéns a Você” e o bolo de aniversário – de 3,20 metros -  sendo servido aos presentes.

O prefeito Bernardo Rossi também fez a deposição de uma coroa de flores na estátua em homenagem ao Imperador que governou o Brasil por 49 anos. Bernardo Rossi falou sobre as melhorias que seu governo está propiciando a Petrópolis e novamente destacou as belezas e a história da cidade. “Vamos trabalhar muito para dignificar a história desta cidade que amo. Petrópolis sempre será diferenciada, por sua história, seu povo e sua importância no cenário nacional. Viva Petrópolis”.

O monumento de Dom Pedro II foi erguido pelo escultor francês Jean Magrou e inaugurada em 1911, com a participação do então presidente Marechal Hermes da Fonseca. “Durante todo o período do mandato de Dom Pedro II, por 40 verões ele se instalou em Petrópolis por períodos de três a cinco meses. Petrópolis se tornava a capital do país e aqui muito se fez, a história nos brinda com tanta riqueza. Mesmo durante seu exilio, o Imperador sempre questionava a todos com quem falava e perguntava: como está Petrópolis?”, afirmou a presidente do IHP, Maria de Fátima Argon.

A programação de aniversário da cidade, aberta na quarta-feira e que reservou mais de 40 atrações culturais e esportivas continua até o dia 23 com entrega do Prêmio Maestro Guerra Peixe e os shows de Leo Galdemann e Fafá Belém. A programação pode ser conferida no site http://petropolis.rj.gov.br/fct

 

Atividades para a saúde do corpo e da alma atraíram público nesta quinta-feira na Maratona Cultural.

A animação começou cedo nesta quinta-feira (16.03), na Praça da Liberdade, no segundo dia da Maratona Cultural de Petrópolis. O cuidado com a saúde e bem-estar foi o que motivou praticantes e curiosos à aula de Tai Chi Chuan, às 9h. Em seguida, a mulherada se rendeu ao aulão de ritmos que contagiou a galera. No coreto da praça, a criançada manifestou sua arte nas atividades do segmento de artes plásticas.

E não faltou atração para todos os públicos e idades. A criançada e também adultos de toda a família lotaram a praça pela manhã para o espetáculo "Circolando". Os palhaços encantaram os pequenos e divertiram papais, mamães e vovós. Depois de muita gargalhada, uma variedade de brincadeiras e atividades divertiu os pimpolhos na oficina promovida pelo espetáculo.

"Já tinha ouvido falar nesse espetáculo, mas ainda não tinha conseguido levar as crianças. Agora foi uma boa oportunidade de levá-las, pois elas queriam muito. Foi muito bacana essa programação aqui na Praça", disse a estudante Renata Cristina da Silva, que levou as filhas de 11 e 5, além da amiguinha da mais nova, de 4 anos.

E o erudito atraiu admiradores com as apresentações da Orquestra Social Pela Música do Brasil e Coral das Meninas dos Canarinhos de Petrópolis. O casal Dora e Arthúr Cavadas foram conferir o neto de 11 anos, um dos integrantes da Orquestra, e levaram também a irmã do jovem, de 7 anos.

"Nós acompanhamos todas as apresentações porque gostamos muito desse estilo. Vamos nessas apresentações e em outras do coral que ele também participa. Achamos incrível essa programação, porque valoriza a cultura aqui da cidade", disse o casal.

"É gratificante ver o coração da cidade repleto de arte, mostrando toda a diversidade petropolitana atraindo as famílias para uma programação completa. Será um aniversário inesquecível para Petrópolis e para a classe artística local", frisou Leonardo Randolfo, presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, organizadora do evento.

 

“Podemos medir o amor? / Perguntam com ansiedade / Acho possível se o for / Com a trena da eternidade”. A trova é do presidente da União Brasileira dos Trovadores, Roberto Francisco, que palestrou, nesta quinta-feira (16.03), aniversário de Petrópolis, no Centro de Cultura Raul de Leoni. O encontro, que aconteceu às 12h, faz parte da extensa programação cultural que acontece em comemoração aos 174 da cidade, que visa valorizar o artista local e evidencia a arte e a cultura tão presentes no município.

Marcada pelo bom humor, durante a palestra Roberto contou a história da trova e dos seus quase 50 anos à frente da UBT. Ele lembrou dos 37 concursos sobre o tema que já aconteceu no município e encantou o público com trovas literárias e humorísticas. O verso que abre esse texto, por exemplo, foi vencedor de um concurso do Nordeste e feito para o neto de Roberto quando foi questionado sobre a dúvida de quem amava mais, ele ou a namorada. “Na época eram jovens apaixonados e hoje estão casados e felizes”, explicou ele, que acumula mais de 30 mil trovas desde que descobriu a paixão pelo tema em 1966. 

Contação de história traz Petrópolis como tema do dia

Quem se divertiu com a contação história que aconteceu a partir das 11h30 no Centro de Cultura, foram os pequenos Bernardo Santos e Ligia Garcia. Eles ficaram encantados com a narração da Alaíde Guedes que, com muito bom humor, relatou a vinda da família imperial para Petrópolis.

Contadora há 20 anos, Alaíde acredita que a forma descontraída com que trata cada tema faz com que as crianças absorvam melhor o que está sendo apresentado naquele momento. Ela destaca, ainda, que é importante que as crianças e, principalmente os adolescentes, tenham o incentivo à leitura continuado, para que virem adultos leitores.

“Quando eles chegam em séries mais avançadas, o acumulo de matérias acaba fazendo com que fiquem desmotivados para ler outras coisas, além do conteúdo proposta nas disciplinas. É aí que está o erro. O incentivo tem que ser constante, para que os jovens entendem o prazer da leitura”, destaca Alaíde.

Palestra sobre cultura nas comunidades carentes causa debate entre os participantes

A palestra que abriu a programação literária, às 10h, proferida por Catarina Santos, destacou a “A contribuição da cultura nas comunidades carentes”, e causou debate entre os participantes. O tema propôs uma reflexão sobre como a sociedade se mobiliza no engajamento social voltado aos menos favorecidos.

Com o viés voltado aos direitos humanos, a palestrante defende que, antes de qualquer coisa, as pessoas precisam ter seus direitos básicos respeitados. “Se uma pessoa sente dor no estômago por fome, como ela poderá pensar em outra coisa?”, questiona. O público destacou a atuação social nesse cenário e como as iniciativas voltadas as ações de incentivo à cultura são importantes para que nossos talentos sejam descobertos e desenvolvidos.

À tarde, a programação continua no Centro de Cultura Raul de Leoni e na Praça Visconde de Mauá, em frente à Câmara dos Vereadores.

14h – Roda de Poesia

15h30 – Palestra “Do texto autoral à ilustração” com Rodrigo CB

17h – Roda de leitura

18h – Bate-papo sobre a “História do Cineme em Petrópolis”, com Aline Castella

20h – Exibição “Cineclubes de rua” – Projeção de filmes em curta-metragem de diversos estilos cinematográficos

A feira de Cerveja Artesanal, que começou às 11h, prossegue por todo dia, com encerramento às 22h.

As celebrações dos 174 anos de Petrópolis começaram oficialmente na noite de quarta-feira (15.03) com a abertura da primeira Maratona Cultural, na Praça da Liberdade. O local ficou repleto com mais de quatro horas de apresentações de vários estilos e artistas culminando com a bateria e passistas da escola de samba Portela, a última atração da noite.

“Celebramos o aniversário da cidade privilegiando o petropolitano e o artista local. São mais de 40 eventos na Maratona que vai ser a primeira de muitas edições. Nossos artistas são um dos muitos patrimônios que a Cidade Imperial tem e deve valorizar sempre”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

Leonardo Randolfo, presidente da Fundação de Cultura e Turismo, organizadora do evento, frisa que a Maratona Cultural é resultado do diálogo entre os segmentos do Conselho Municipal de Cultura e o poder público, que faz questão de priorizar nossos artistas locais em dois dias repletos de atividades. “Com certeza é um aniversário especial para Petrópolis em uma comemoração feita pelos seus artistas”.

O primeiro dia de atrações reuniu plateia para todos os gostos e público, principalmente as famílias que aprovaram a iniciativa da Maratona Cultural. Foi o caso da família Azevedo, que foi em peso curtir as atrações.

“Gostamos muito, pois tem bastante coisa para fazer e para agradar todo mundo. Tem dança e teatro, que gosto muito, várias bandas da cidade, o “aulão” de ritmos que me interessa”, disse a estudante Clara, de 15 anos, que estava acompanhada da avó de 85 anos. O irmão, de 12 anos, concorda e aguardava ansioso sua escola de coração. “A programação está bem legal, com atividades de pintura amanhã, e principalmente porque tem a minha Portela”, comemorou Daniel. A mãe, a recepcionista Margarida, de 55 anos, parabenizou a iniciativa, que reuniu atividades para toda a família. “Realmente foi uma excelente ideia essa programação com artistas aqui de Petrópolis”, disse a petropolitana.

A abertura do evento contou ainda com a presença de autoridades, como o deputado estadual Marcus Vinícius e o comandante do 26º Batalhão de Polícia Militar, Eduardo Vaz Castelano.

Música, literatura e dança marcam o primeiro dia da festa

Figura conhecida na cena petropolitana, Gargamel Trio levantou a galera com classic rock abrindo a programação musical no palco principal. Ele embalou o público com versões de músicas internacionais e algumas homenagens a um dos grandes nomes do blues brasileiro, Celso Blues Boy. O show contou, ainda, com a participação especial da jovem Valentina, participante do programa   “The VoiceKids”, que encantou o público com seu carisma e mostrou a potente voz que conquistou os jurados da atração global.

No palco lateral, o som instrumental de João Felippe Quarteto atraiu o público, que logo após foi surpreendido pelo Flash Mob apresentado pelo segmento de dança. O grupo ainda cativou a plateia com diversas coreografias de várias academias e estúdios da cidade. A cultura urbana também marcou presença com batalha de rima e mostrou sua arte no RinkMarowill.

A noite foi encerrada em grande estilo com a grande campeã do Carnaval carioca desse ano, a Portela. A Escola de Samba trouxe para a Serra toda a animação que contagiou a Sapucaí com o enredo “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar”, entre outros sucessos da Escola de Samba, que tem o maior número de títulos - 22 vezes campeã.

Antes da programação musical, na Praça da Liberdade, teve atividade do segmento de Literatura no Centro de Cultura Raul de Leoni. A criançada conferiu na Sala Cine Humberto Mauro a contação de histórias com a Vovó Carolina, interpretada pela atriz Mery de Souza.  A Sala Sylvia Orthoff foi palco para a Roda de Poesia e durante toda a tarde o público pode conferir lançamentos e obras de autores nacionais e petropolitanos na Feira de Livro que foi montada no Espaço Alternativo.

 

Pagina 1 de 66

selo acesso informacao.fw