Oficina aberta ao público vai acontecer na segunda-feira (21.08), de 16 às 18h, no Centro de Cultura Raul de Leoni 

Com objetivo de esclarecer dúvidas sobre o edital de licitação na modalidade concurso para seleção de projetos artístico-culturais, o Instituto Municipal de Cultura e Esportes vai realizar uma oficina aberta ao público. A capacitação com foco somente nas questões burocráticas do processo, como a documentação exigida para concorrer, será na segunda-feira (21.08), de 16 às 18h no Teatro Afonso Arinos, no Centro de Cultura Raul de Leoni. A inscrição para participar da seleção de projetos que serão financiados pelo Fundo Municipal de Cultura – total de R$ 520 mil - está aberta até 11 de setembro.

“Isso foi uma demanda do próprio Conselho Municipal de Cultural, que aprovou o edital e será a responsável, por meio da Comissão de Projetos, de analisar e selecionar os aprovados. Nessa capacitação vamos sanar as dúvidas de aspectos burocráticos e conceituais do edital de licitação na modalidade concurso, para capacitar os agentes para vencerem o processo burocrático. Isso é uma maneira de conseguirmos democratizar o recurso e o acesso ao processo”, explica o diretor-presidente do IMCE, Leonardo Randolfo, destacando que os projetos concorrentes não serão avaliados na ocasião.

“Em hipótese alguma serão analisados ou avaliados os projetos concorrentes. Isso cabe apenas à Comissão somente quando encerrar as inscrições do processo. Queremos somente tornar clara a questão burocrática do processo, de maneira que todos os interessados que estejam em atendimento ao concurso possam participar dessa seleção tão importante para a classe cultural”, frisa Randolfo.

O concurso vai contemplar até quatro projetos de cada um dos 13 segmentos do Conselho Municipal de Cultura para serem executados nos meses de outubro, novembro e dezembro deste ano. São eles: artesanato, artes plásticas/visuais; audiovisual; bandas marciais; canto coral; culturas afrobrasileira, indígena e popular; cultura germânica; cultura urbana; dança; escolas de samba e blocos carnavalescos; literatura; música e teatro.

Podem participar apenas pessoa jurídica, incluindo Micro Empreendedor Individual (MEI), que poderá concorrer com até dois projetos, lembrando que para cada um deverá ser feita uma inscrição. Todos os projetos financiados pelo Fundo Municipal de Cultura devem obrigatoriamente estar inseridos no Plano Municipal de Cultura. As inscrições devem ser feitas de segunda a sexta-feira, de 10h às 17h, na Superintendência de Cultura do IMCE, que fica na Praça Visconde de Mauá nº 305, Centro.  Mais informações podem ser obtidas no edital publicado no site da Prefeitura.

Concerto gratuito é terceira apresentação do Circuito Imperial de Coros, às 17h

Um dos palcos do Circuito Imperial de Coros, o Parque Municipal, em Itaipava, recebe neste sábado (19.08), às 17h, seu primeiro concerto com o Coral Pro Tempore. O grupo, um projeto do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, desenvolve um trabalho com o público da melhor idade por meio de umas das principais tradições da Cidade Imperial, o canto coral. Depois de abrir a temporada de apresentações, no Palácio de Cristal, o Pro Tempore promete encantar, também, o público do terceiro distrito com um repertório para todos os gostos.

Sob a regência do maestro Paulo Afonso, os 32 integrantes do Pro Tempore vão apresentar composições que passeiam por diversas épocas e estilos musicais. Canções da Música Popular Brasileira, como clássicos de Tom Jobim – Falando de Amor e Eu sei que vou te amar – integram o repertório, que também tem spirituals, músicas folclóricas e regionais com composições de Almir Sater e muito mais.

O coro foi criado há 16 anos como um projeto para oferecer ao público da terceira idade uma atividade cultural reconhecida e bastante difundida no município, que é o canto coral. Tendo a frente desde sua criação o maestro Paulo Afonso, o grupo aprimora o trabalho com ensaios semanais, durante dois dias. Mais do que apenas encontros para aperfeiçoar o trabalho, os ensaios se tornam uma rotina positiva na vida dos cantores, que tem no coro um novo sentido para a vida.

“Esse é o grande objetivo do coro, o de mexer com a auto-estima e vaidade desse público, criando novas possibilidades agradáveis para que a qualidade de vida deles seja ainda maior. Já que não tem mais as obrigações profissionais, eles têm uma vida social mais livre e por isso se dedicam mais ao coro. É um compromisso agradável que eles têm, escolhido por eles. O Circuito vem ainda para consolidar esse projeto, sendo a oportunidade que eles têm de apresentar ao público o resultado do trabalho que desenvolvem semanalmente. E ainda de trocar experiência e experimentar outras sensações com os outros coros da cidade”, comenta o maestro.

O Pro Tempore estará abrilhantando o fim de tarde deste sábado em um dos principais espaços públicos dos distritos, o Parque Municipal, com o canto coral às 17h. A entrada é gratuita. 

Serviço

Circuito Imperial de Coros com o Coral Pro Tempore
Onde: Parque Municipal, em Itaipava
Quando: sábado (19.08), às 17h
Quanto: Gratuito

Depois de celebrar a cultura japonesa, com o Bunka-sai, Petrópolis se entrega à influência italiana – presente em seus mais de 115 mil descendentes de imigrantes – com a Serra Serata, A Festa Italiana de Petrópolis. De 26 de setembro a 1° de outubro, o Palácio de Cristal vai se transformar em uma verdadeira piazza italiana valorizando a cultura, costumes e, claro, a gastronomia reconhecida como uma das mais apreciadas no mundo todo. Nesta quinta-feira (17.08),  a diretoria da Casa D'Italia Anita Garibaldi foi recebida na prefeitura para ajustar os detalhes do evento, que chega a sua oitava edição.

A Serra Serata se originou da Festa Italiana que foi realizada por quatro anos em Cascatinha, distrito onde muitos imigrantes se estabeleceram para trabalhar na Companhia Petropolitana de Tecidos. Para Pasquale Cutrupi, além do apelo turístico que a festa ganhou, o evento tem grande importância pela participação de imigrantes italianos no desenvolvimento de Petrópolis.

“Temos que entender a justificativa para esse evento na cidade que tem 115 mil descentes de italianos entre a 2ª, 3ª e 4ª geração. É o nome do povo que tem influência em Petrópolis. Concordo que a Serra Serata é mais charmosa no Palácio de Cristal, que já é um grande atrativo para os turistas e isso é muito importante para a festa. No ano passado foram 45 mil pessoas na festa. Meu desejo é que a cidade fique no contento da festa. E suas palavras simples e claras, prefeito, demonstram a importância da festa para a cidade. Estamos à disposição para dar apoio e ajudar no que for preciso”, disse Pasquale.

O encontro contou com a participação dos representantes do Instituto Municipal de Cultura e Esportes e TurisPetro, que organizam mais essa festa em parceria.

Ator faz uma homenagem poética à mãe, que será apresentada no dia 9, às 20h

Venda de ingressos começa na quinta-feira (17.08)

Com poesias escritas pela própria mãe, embaladas pelas canções que ela gostava, o ator Matheus Nachtergaele faz a sua homenagem a quem lhe deu à vida em forma de espetáculo que chega à Petrópolis em setembro. O recital Processo de Conscerto do Desejo será apresentado no dia 9, às 20h. Os ingressos já podem ser adquiridos a partir de quinta-feira (17.08) na bilheteria do espaço.

Acompanhado pelos músicos Luã Belik, ao violão, e Henrique Rohrmann, no violino, Matheus traz à luz os versos de Maria Cecília Nachtergaele, que se matou aos 22 anos, quando o ator tinha apenas três meses. O repertório musical afetivo - com as músicas de que Maria gostava - dá o tom do espetáculo que circulou pelos mais importantes festivais de cultura do Brasil. Foram mais de 70 apresentações do espetáculo, que chegou aos palcos em novembro de 2015 e conferiu a Matheus Nachtergaele a indicação como Melhor Ator nos prêmios Cesgranrio e Shell em 2016.

No que considera um “recital à moda grega, é um lamento, mas é iluminado”, explica o ator, diretor e filho da poeta, Matheus revela aos espectadores quem foi Maria Cecília. Ele lembra que demorou muitos anos para decidir o que fazer com o caderno de poesias da mãe que recebeu de presente do pai aos 16 anos.

“Era uma espécie de vespeiro emocional e esperei até sentir que não era mais tão perigoso, que as picadas haviam se cicatrizado. O teatro é lugar da cerimônia, é o meu lugar. Fiz o meu festejo fúnebre e a minha celebração como num ritual japonês colorido”, explica.

Moldando o afeto, a dor, a beleza e tantos sentimentos, Processo de Conscerto do Desejo faz com que a presença de Maria Cecília seja transformadora e tocante.

“Não sou nada místico, mas é um pequeno milagre porque ela vive todas as noites ao meu modo. É uma experiência que transformou o meu pesar e me mostrou a beleza de ser quem sou, apesar de não ter conhecido essa grande mãe. Faço esse espetáculo com uma imensa alegria”, conta Matheus Nachtergaele, que estará em Petrópolis com o espetáculo no dia 9 de setembro.

Serviço

Espetáculo Processo de Conscerto do Desejo com Matheus Nachtergaele

Onde: Theatro D. Pedro, na Praça dos Expedicionários s/n, Centro
Quando: dia 9 de setembro (sábado), às 20h
Quanto: R$ 30 (meia) e R$ 60 (inteira)
Classificação: 16 anos
Informações: 2235-3833

Atração integra o VIII Circuito Musica Brasilis que chega pela primeira vez a Petrópolis, no sábado (19.08)

O Theatro D. Pedro será palco de uma homenagem que vai reverenciar a primeira compositora de relevância no país, Chiquinha Gonzaga. Marcando os 170 anos de seu nascimento - viveu entre 1847 e 1935 – o espetáculo cênico-musical Abram alas para Chiquinha Gonzaga será apresentado no sábado (19.08), às 17h. A atração faz parte do VIII Circuito Musica Brasilis, que chega pela primeira vez a Petrópolis. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do espaço.

Idealizado e dirigido pela cravista e pesquisadora Rosana Lanzelotte, o Circuito Musica Brasilis apresenta espetáculos em que a música clássica é contextualizada por roteiros teatrais. Em Petrópolis, o público terá a oportunidade de apreciar obras de Chiquinha Gonzaga, mas também de José Maurício Garcia Nunes – homenageado pelos 250 anos de nascimento - e Heitor Villa-Lobos – 130 anos de nascimento.

As composições serão interpretadas pelos músicos José Staneck (harmônica), Ricardo Santoro (cello) e Marina Spoladore (piano). A atriz Helena Varvaki reviverá Chiquinha Gonzaga, que rompeu as barreiras de gênero; empunhou a batuta de maestrina; criou a primeira sociedade de arrecadação de direitos autorais no país – a SBAT – em 1917; escreveu operetas e vasta obra para piano. Varvaki vai interpretar a compositora do clássico de Carnaval Abre Alas, por meio do texto de Filomena Chiaradia, baseado na biografia da compositora de autoria de Edinha Diniz.

Sobre o Circuito Musica Brasilis          

Criado em 2009, o projeto inova ao apresentar espetáculos em que obras clássicas brasileiras são contextualizadas por imagens e roteiros narrados. A turnê nacional, de 20 apresentações, acontece em 11 cidades de seis estados, incluindo Petrópolis. Nesta oitava edição, o circuito traz o tema Cortejos e Colagens.

As Colagens remetem à obra do compositor francês Darius Milhaud (1892 - 1974), que chegou ao Brasil há exatos 100 anos, em 1917. Sua obra, Le Boeuf sur le toit, é uma colagem de peças de compositores brasileiros. Os cortejos remetem aos 250 anos de nascimento de José Maurício Nunes Garcia (1767 - 1830), cuja obra O Triunfo da América será apresentada pela primeira vez em tempos modernos no Brasil. O Abre-alas de Chiquinha Gonzaga (1847-1935) - 170 anos de nascimento - alude ao cortejo carnavalesco, enquanto os 200 anos de falecimento do Conde da Barca (1754-1817) é tema de cortejo fúnebre.

Serviço

VIII Circuito Musica Brasilis com espetáculo Abram alas para Chiquinha Gonzaga

Onde: Theatro D. Pedro, na Praça dos Expedicionários s/n, Centro
Quando: sábado (19.08), às 17h
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Classificação: Livre
Informações: (24) 2235-3833

Festival da Cultura do Japão encerrou neste domingo (13.08) divulgando as tradições e costumes nipônicos

A arte de trabalhos manuais e minuciosos; o respeito às tradições e costumes; a influência na cultura pop; as artes marciais, além das delícias da culinária típica japonesa. Foi o que o público pode apreciar no Palácio de Cristal nos quatro dias do Bunka-sai, o Festival da Cultura do Japão que encerrou neste domingo (13.08). Em mais uma edição de sucesso do evento, moradores e visitantes conhecerem mais sobre a cultura do país que teve sua primeira delegação diplomática em Petrópolis em 1897.         

E o Festival da Cultura do Japão agradou os visitantes, que se encantaram com o evento. Foi o caso dos turistas cariocas, o ator Linderbeg Ferreira, de 28 anos, e Renata Oliveira, de 31 anos. Pela primeira vez no evento, eles aprovaram a iniciativa de valorizar a cultura do Japão.

“Viemos para conhecer o Palácio de Cristal e quando passamos vimos a decoração da festa japonesa e nos surpreendemos. Valeu muito à pena ter subido a serra para conhecer a cidade e o evento”, disse o ator. “Fiquei surpresa com a festa, que é muito bonita. Ainda aproveitei para fazer a oficina de desenho (Mangá), pois adoro desenhar. Achei incrível. Acho muito bacana esses eventos”, completou Renata.

As moradoras da cidade, a médica Sandra Silva, de 50 anos, que estava acompanhada das filhas, as gêmeas Nicole e Nathaly, de 20 anos, destacaram a importância de consolidar o evento. “É uma festa que merece ter esse olhar especial e ser aprimorada, porque é um evento muito bacana e importante para o calendário da cidade”, afirmou a médica.

Concorda com ela a comerciante Denise Corrêa, que pela quarta vez trabalhou no evento com uma barraca de comida típica japonesa.

“As vendas foram muito boas. Todos os eventos e festas desse porte, como o Bunka-sai, são muito importantes para todo o comércio, que ganha oportunidade de melhorar os lucros. São bons para a economia, movimentando a cidade. Quanto mais lazer aliado à cultura na cidade é sempre bom. Pois essas festas dão a oportunidade de abraçarmos os turistas que querem conhecer Petrópolis e com os festivais tem mais um atrativo. Já vemos pessoas que vem de fora da cidade para o Bunka-sai, uma festa que tem grande potencial para crescer”, destaca a empresária que atua em eventos há 25 anos, 19 deles com barraca na Bauernfest.


Festival da Cultura do Japão acaba neste domingo (13.08), no Palácio de Cristal, das 10 às 20h

 

           

            O pedacinho do Japão montado do Palácio de Cristal ainda reserva muitas atrações no último dia do Bunka-sai 2017, que encerra neste domingo (13.08). São muitas atividades gratuitas para o público conferir e aproveitar no Festival da Cultura do Japão, que estará aberto de 10 às 20h.Na programação tem artes marciais, oficinas, shows musicais e apresentações do Bon-Odori, a dança folclórica e do Rio Nikkei Taiko, os famosos tambores japoneses. O público ainda pode apreciar os trabalhos de artesanato e se deliciar com a culinária típica.


As artes marciais dão início à programação do dia às 10h com apresentação de Aikidô seguida do Karatê, às 11h. Quem quer aprender a fazer as histórias em quadrinhos japoneses pode participar da oficina de Mangá que acontece em dois horários: às 11h e às 17h. Também tem oficina de Origami, a arte da dobradura de papel, marcada para 14h. Já às 14h e 16h o público pode aprender a fazer as pipas japonesas.

 

            A música ganha espaço na programação às 14h com o Concerto de Violinos do Centro de Artes Suzuki. Às 15h tem apresentação do grupo Rio Nikkei Taiko com a performance que cativa os olhares do público com os tambores japoneses. Inspirada no game japonês Anime Hero, a banda temática Negrayscow vai contagiar a galera às 18h. Mas antes o público confere mais uma apresentação do Bon-Odori, às 16h, e um desfile de Cosplay às 17h.


A festa foi organizada em conjunto entre o IMCE e a TurisPetro, que destacou o evento como mais um fomentador do Turismo no município. O Bunka-sai também tem apoio da Associação Nikkei de Petrópolis e Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro.

 

            “

Programação do Cine Pagu, no Centro de Cultura Raul de Leoni, começa neste sábado (12.08) com mais uma sessão em agosto e duas em setembro

 

 

            Com temática abordando as questões da mulher, gênero e identidade, começa neste sábado (12.08) no Cine Humberto Mauro, no Centro de Cultura Raul de Leoni, o Cine Pagu. Realizado pelo Coletivo de Mulheres Clã, o projeto vai oferecer quatro exibições seguidas de debates com convidadas pertinentes aos assuntos abordados nos documentários para explanar sobre os temas. A programação começa neste sábado e segue nos dias 26 de agosto, 9 e 30 de setembro, sempre aos sábados, às 15h. A entrada é gratuita.

 

Neste sábado, às 15h, tem exibição do documentárioLibertem Angela Davis seguida do debate com a educadora Adriana Souza e a pedagoga Adriana Rangel - ambas representantes do movimento negro em Petrópolis. A classificação é 12 anos.

 

Com direção de Shola Lynch, a produção de 2014, conta sobre a vida de Angela Davis, uma professora de filosofia nascida no Alabama, e conhecida por seu profundo engajamento em defesa dos direitos humanos. Depois de defender três prisioneiros negros nos anos 1970, ela é acusada de organizar uma tentativa de fuga e sequestro que levou à morte de um juiz e quatro detentos. Nesta época ela se tornou a mulher mais procurada dos Estados Unidos. Mas ainda hoje é considerada um símbolo da luta pelo direito das mulheres e dos negros.

 

No dia 26 de agosto é a vez do público conhecer mais sobreMercedes Sosa: A Voz da América Latina. O documentário de 2013 tem direção de Rodrigo H. Vila. A classificação é livre. Depois da sessão, a plateia confere o debate com a participação da professora de História, Lígia Bronzi e Rafane Paixão, historiadora e membro da Comissão da Verdade de Petrópolis.

 

Com aparições de Chico Buarque, Milton Nascimento, David Byrne, Pablo Milanés, León Gieco, Rene' Perez e Charly Garcia Fito Páez, o documentário fala sobre a cantora argentina Mercedes Sosa, artista de extrema importância na história política e cultural da América Latina. A inconfundível voz de Mercedes, "La Negra", guia o público por sua trajetória e depoimentos de personalidades ressaltam sua relevância em toda América do Sul.

 

Ficção em setembro

 

            No dia 9 de setembro tem sessão com o filme Tudo sobre minha mãe, uma produção de Pedro Almodóvar de 1999. Estrelado por Cecilia Roth, Penélope Cruz, Marisa Paredes, Antonia San Juan e Candela Peña, o drama conta a história de uma mãe solteira em Madri, que vê seu único filho morrer no seu 17° aniversário quando corre para pegar um autógrafo de uma atriz. Ela vai a Barcelona à procura do pai de seu filho, uma travesti chamada Lola, que não sabe que tem um filho. Primeiro ela encontra sua amiga, Agrado, também travesti. Por meio dela ela conhece Rosa, uma jovem freira que está de partida para El Salvador. Quase que por acaso, torna-se assistente de Huma Rojo, a atriz que seu filho admirava. A classificação é 14 anos.

 

            A última sessão será no dia 30 com o filme A Fonte das Mulheres, de 2011. A direção é de Radu Mihaileanu e elenco com Hiam Abbass, Leila Bekhti, Hafsia Herzi e Zinedine Soualem. Com classificação de 14 anos, o filme retrata, em jeito de comédia, as desigualdades entre os sexos e a longa e dura batalha das mulheres que, quebrando regras e tradições, tentam criar espaço à mudança.

 

Em uma aldeia do Norte de África, onde existe uma pequena comunidade fechada onde as tradições têm ainda um enorme peso no modo de vida e onde as mulheres pouco poder têm para alterar a sua condição. Entre outras tarefas, são elas quem tem de ir buscar água ao cimo de uma montanha, por um caminho longo e difícil. É então que Leila (LeïlaBekhti), uma jovem recém-casada, percebendo a injustiça e o sacrifício inútil, convence as outras mulheres a obrigar os homens a canalizar a água até à aldeia. Para isso elas apenas têm uma arma ao seu alcance: greve de sexo.

Apresentação gratuita acontece às 16h no CEU da Posse

 

            O Circuito Imperial de Coros estará neste sábado (12.08) no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) da Posse levando a música do Coral dos Anjos em uma apresentação que promete encantar o público. A atração, que é aberta ao público e gratuita, será às 16h.

 

            Sob a regência do maestro Danilo Henriques, o coro é composto por 25 alunos – entre cantores e instrumentistas. Com cinco anos de existência, o grupo nasceu de um desejo dos próprios alunos nas aulas de musicalização que aconteciam na escola onde estudavam. Por meio da música, o objetivo do coro é a promoção social, fortalecendo a auto-estima de cada integrante, desenvolvendo em cada um a musicalidade. E é com um repertório voltado para a Música Popular Brasileira que os cantores desenvolvem esse trabalho.

 

            Já no primeiro ano de existência, o Coral dos Anjos teve seu trabalho reconhecido dentro e fora de Petrópolis. Entre os destaques nas apresentações estão o Projeto Brasil Musical;Projeto A Cor da Cultura;Desfile Cívico;Dia Internacional da Síndrome de Down; Baile da Feliz Idade;Natal do Inpas; Natal de Luz; entre outros.

 

            Desde 2013 o coro realiza um projeto, idealizado pelo próprio grupo, com o show Coral dos Anjos e Amigos. A proposta com ele é intensificar a inclusão dos integrantes, que já dividiram palco com nomes conhecidos da cena petropolitana. Neste sábado, às 16h, o Coral dos Anjos promete elevar a alma do público com sua apresentação no Circuito Imperial de Coros no CEU da Posse.    

Programação gratuita do Festival da Cultura do Japão segue até domingo (13.08)

 

            Após a abertura oficial do Bunka-sai, nesta quinta-feira (10.08), o público vai conferir diversas atrações nesta sexta (11.08) a partir das 11h. O Festival da Cultura do Japão abre suas portas às 10h e segue ao longo do dia com oficinas, a tradicional dança folclórica Bon-Odori, cosplay, música com o Coral dos Canarinhos de Petrópolis e o projeto Conexão Vitrola. Além da programação cultural, tem o artesanato inspirado na festa e os quitutes da gastronomia japonesa.

 

            Em dois horários – às 11h e 14h – os visitantes poderão aprender a fazer os conhecidos arranjos florais, arte japonesa conhecida como Ikebana. Neles, além da beleza, procura-se retratar o equilíbrio existente no universo, unindo o céu, o homem e a terra dentro de um mesmo arranjo.

 

            Às 15h a arte de dobrar papel criando figuras, objetos e seres será ensinada ao público na Oficina de Origami. Já quem curte as famosas histórias em quadrinhos japoneses, o Mangá - que tem a leitura de trás para frente – poderá aprender a desenhar na oficina marcada para 17h.

 

            Tradição da programação do Bunka-sai, a dança folclórica chamada de Bon-Odori vai encantar e contagiar o público a partir de 16h. Ela é conhecida pela participação popular e de integração com a plateia. Às 18h tem apresentação de cosplay, público caracterizado de personagens japoneses. O Coral dos Canarinhos de Petrópolis se apresenta às 19h com repertório incluindo canções japonesas e depois, às 20h, tem o projeto Conexão Vitrola. Os DJs Rafael Justen e Ernani Ghueren promovem uma verdadeira viagem musical por meio dos toca-discos, vinis e laptops que vai passar pelo Oriente.

 

            O Bunka-sai vai até domingo (13.08) e abre todos os dias às 10h. Nesta sexta e sábado o evento segue até 22h e no último dia até 20h.

Pagina 1 de 86

DO

LDO 2018

LDO 2018

iptu

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

selo acesso informacao.fw