Equipes estiveram nesta quinta-feira (16.03) no Independência para concluir retirada de lama de alguns locais.
No dia seguinte ao temporal, foram retirados 30 caminhões de terra do Siméria, Taquara e Vista Alegre.

O trabalho de limpeza da cidade depois da chuva de terça-feira (14.03) continuou no dia do aniversário do município. Nesta quinta (16.03), equipes da Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) voltaram ao Independência e fizeram a retirada de lama, raspagem e limpeza da localidade conhecida como Cantão da Caixa d’Água. O serviço de limpeza da cidade aconteceu na madrugada de quarta-feira (15.03), incluindo lavagem das ruas Coronel. Veiga, Washington Luiz e Imperador, no Centro.

A limpeza no Independênciaabre espaço para a Secretaria de Obras, que vai fazer a desobstrução da rede de águas pluviais. O Independência recebeu o serviço em seis oportunidades – dias 19 e 24 de janeiro, 10, 17 e 22 de fevereiro e 10 de março –, em pontos diferentes. Isso ajudou a reduzir os danos no bairro. Por exemplo, na Rua José Chaves, no Cantão, uma creche teve apenas perdas de materiais pedagógicos, alimentos e brinquedos.

Também no bairro, equipes foram deslocadas para fazer a retirada de lama no Lar Santa Catarina, que abriga crianças e jovens com deficiência, e o Lar Manzini, que acolhe idosos. Próximo ao condomínio Bela Vista, houve retirada de terra em 10 viagens de caminhão.

“Colocamos nossas equipes para trabalhar mesmo no feriado municipal para garantir a limpeza da cidade o mais rápido possível. Estamos empregando todos os nossos esforços voltar logo à normalidade nos locais atingidos”, disse o presidente da Comdep, Wagner Silva.

Na quarta (15.03), as equipes da Comdep fizeram a retirada terra em 30 viagens de caminhões de Siméria, Taquara e Vista Alegre. Cerca de 90 pessoas foram mobilizadas para fazer limpeza da cidade, que incluíram ainda a raspagem da lama e lavagem de Centro Histórico, Cel. Veiga, Washington Luiz, Paulo Hervê, Galdino Pimentel e Independência.

Nesta sexta (17.03), serão deslocadas equipes para o Morro do Agnelo, no Duques, para concluir a remoção de barreiras no local. Na quarta e nesta quinta, a terra molhada impediu o acesso da retroescavadeira e dos caminhões a toda extensão da queda de barreira. A expectativa é que a terra fique mais seca e permita o trabalho.

Ele despejou restos de obras e confirmou que já vinha cometendo a irregularidade há bastante tempo.
Além da multa de R$ 800, ele foi intimado a fazer a retirada do lixo, realizada imediatamente.

A Coordenadoria de Fiscalização aplicou mais uma multa a um homem que estava fazendo descarte irregular de entulho no Canto do Cemitério, no Valparaíso, nesta terça-feira (14.03). O homem confirmou que vinha despejando restos de uma obra realizada na própria casa, que fica na Rua Luiz Paulistana, na Estrada da Saudade, há bastante tempo. Por isso, ele foi multado em R$ 800 e intimado a fazer a retirada imediata do lixo – o que foi acatado. Essa é a terceira multa aplicada por causa da irregularidade.

O problema foi constatado ainda em janeiro. Todo dia eram despejados sacos com restos de obras na entrada superior do Cemitério Municipal. Em algumas vezes, o descarte ocorreu horas depois de ter sido feita a remoção de toda a sujeira do local. Ele levava os detritos em uma Kombi ou uma Pick-up.

No início da tarde desta terça, ele foi flagrado cometendo a irregularidade novamente. Ao ser abordado pela Coordenadoria de Fiscalização, ele disse que já estava “acostumado” a fazer isso. “Nós já vínhamos tentando fazer a identificação dele há algum tempo, chegamos a montar uma operação logo depois de ser feita a remoção do entulho. Agora conseguimos pegar em flagrante”, disse o fiscal Carlos Alberto Barbosa.

Esta já é a terceira multa por despejo irregular de entulho aplicada em menos de 20 dias. A primeira foi no dia 22 de fevereiro, após um homem jogar sacos com restos de obras embaixo de uma placa que indica a proibição do descarte na Rua Francisco Framback, em Cascatinha. Na quinta-feira passada (09.03), outra multa foi dada a um homem que formou um monte com terra em frente à uma casa que está construindo na Rua 6 do Castelo São Manoel.

Além disso, já foram feitas oito intimações para a retirada do lixo de ruas e calçadas. Se ela não é acatada, o gerador recebe multa de até R$ 800, como prevê o Código de Posturas do município. O Código determina que é o responsável por restos de obras, lixo verde e móveis/eletrodomésticos quem deve fazer o descarte no aterro sanitário de Pedro do Rio.

A fiscalização para coibir a irregularidade foi intensificada e conta com quatro carros descaracterizados para vistoriar a cidade. Nos primeiros meses do ano, 20.130 toneladas de entulho foram transportados para o aterro de Pedro do Rio.

Serviço será retomado nas duas lojas no Centro onde era feita a retirada dos materiais

A prefeitura vai voltar a fazer o recolhimento de pilhas e baterias na segunda quinzena de março. O serviço, realizado por meio da Comdep, foi interrompido no final do ano passado, mas as fabricantes desses produtos, que são obrigadas por lei a fazer o recolhimento, não cumprem a legislação. O setor vai continuar negociando com as empresas para que façam a política de entrega reversa e, enquanto isso vai armazenar os materiais no depósito da Coleta Seletiva, na entrada do bairro Mosela.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos determina que as fabricantes devem implementar a logística de retorno das pilhas e baterias produzidas com chumbo, cádmio, mercúrio e outros componentes químicos. O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) também determina que as lojas que vendem esses produtos devem oferecer pontos de coleta.

Como eles podem contaminar o solo, não podem ser descartados em aterros sanitários. Por isso, a prefeitura, por intermédio da Comdep recolhia esses materiais até o final do ano passado, quando o espaço onde ficam encheu. Há pelo menos cinco barris lotados com esses produtos.

“A gente continua em contato com as empresas para que elas cumpram o que determina a lei e façam a política reversa. Também estamos buscando alternativas, com uma empresa no Rio que faz o recolhimento”, diz o coordenador da Coleta Seletiva da Comdep, Enéas dos Santos.

O recolhimento será reestruturado e mantido nos mesmo locais onde eram feitos: a loja Eletrônica Teffé, na Rua Barão de Teffé, e Vaderlar, na galeria Regente, na Rua Paulo Barbosa. Elas já estão sendo informadas sobre a volta da coleta.

Proprietário de um terreno foi multado em R$ 800 e intimado novamente, podendo receber nova punição se não acatar mais uma vez 

Ronda da Fiscalização ainda fez outras duas intimações em locais diferentes e uma advertência por queima de lixo 

Uma semana depois de intimar a retirada de restos de obras em dois pontos no Castelo São Manoel, a Coordenadoria de Fiscalização voltou ao mesmo local para nova vistoria nesta quinta-feira (09.03). Em um dos casos, a intimação não foi acatada pelo proprietário de um terreno que estava jogando terra em frente ao imóvel que está construindo. Por isso, ele foi multado em R$ 800 e mais uma vez intimado a fazer a retirada dos restos de obra, sob pena de receber outra multa, agora com o valor dobrado. 

Na primeira ida ao local, no dia 2, em um carro descaracterizado, os fiscais constataram a irregularidade e determinaram que a terra fosse removida pelo proprietário do terreno, que pediu sete dias para concluir o trabalho. O prazo se encerrou nesta quinta, mas não foi feito, conforme exigido pela Coordenadoria de Fiscalização. Ele terá mais sete dias para fazer a remoção do entulho que invadiu a Rua 6 do bairro ou então será multado em R$ 1,6 mil. 

“O objetivo não é multar e, sim, que o entulho não fique nas calçadas e nas ruas, atrapalhando os pedestres e motoristas e, pior ainda, trazendo riscos para os moradores. Por isso, na primeira abordagem, é feita intimação para retirada do lixo. Se isso não é cumprido ou se a pessoa é flagrada jogando entulho de forma irregular mais uma vez, aí ela multada em R$ 800, como nesse caso”, explica o fiscal Carlos Alberto Barbosa. 

Esse caso é semelhante ao que aconteceu no dia 22 de fevereiro, quando um homem foi orientado sobre a maneira correta de fazer o descarte pela manhã, mas horas depois foi flagrado novamente depositando entulho embaixo de uma placa que informava sobre a irregularidade na Rua Francisco Framback, em Cascatinha. Ele foi multado e intimado a remover o entulho do local imediatamente, o que foi feito. 

O descarte de entulho é responsabilidade da fonte geradora, que deve transportar restos de obras, lixo e móveis/eletrodomésticos para o aterro sanitário de Pedro do Rio. O Código de Posturas do município determina que essa infração é grave e pode render multa de até R$ 800, dobrando em caso de reincidência. 

Outras intimações 

Na mesma ronda feita nesta quinta, os responsáveis por uma obra na Av. Paulistas, também no Castelo São Manoel, foi intimado a retirar o entulho jogado em frente a uma casa que está passando por obras. No local, ainda houve uma advertência por causa de queima de lixo. Caso seja feito flagrante novamente, eles podem receber multas pelos dois problemas – a queima de lixo é infração média pelo Código de Posturas, com multa de até R$ 200. 

Já em outro local, na Rua Fonseca Ramos, a proprietária de uma casa foi intimada a remover galhos de árvores que estavam sendo aparados no terreno e jogados na calçada. Ela tem dois dias para fazer o serviço, ou fica sujeita a punição.

 

Bernardo Rossi se reuniu com equipe que já aplicou multa e intimações para retirada de restos de obras despejados nas ruas 

O prefeito Bernardo Rossi quer ainda mais rigor na fiscalização de posturas, em especial no descarte de entulho em via pública. Já foram aplicadas três intimações para retirada de entulho e uma multa. Bernardo se reuniu com os fiscais que estão rodando os bairros em carros descaracterizados para coibir o despejo de restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos em calçadas e vias públicas do município. Para o prefeito, já houve melhora sensível com a boa atuação da fiscalização. 

“A fiscalização foi deixada de lado ainda em dezembro pelo governo passado, que afrouxou o cinto e causou o problema que estamos vendo: a Comdep faz a limpeza num dia e, no dia seguinte, já está suja de novo. A Coordenadoria de Fiscalização já está atuando e agora vai ser ainda mais intensa. Os infratores vão ser pegos e multados se continuarem a descartando o entulho de maneira irregular”, disse o prefeito Bernardo Rossi. De acordo com o prefeito, esse é um passo que será dado para abrir caminho para a volta do Disque-Entulho, que está sendo preparado pela Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis. 

Desde o fim de fevereiro, a equipe da Coordenadoria de Fiscalização está fazendo rondas na cidade com quatro carros à paisana. Com esse trabalho, um homem que despejou restos de obras embaixo de uma placa que trata da proibição do descarte de entulho na Rua Francisco Framback, em Cascatinha, já foi multado em R$ 800.  Outras intimações foram aplicadas em dois locais no Castelo São Manoel e em Corrêas. 

 “Esse é um trabalho que nós já estamos fazendo e que vamos continuar para garantir que as ruas fiquem limpas. Muitas pessoas estão deixando restos de obras em qualquer lugar, algo que vamos coibir com ainda mais rigor agora. Vamos rodar toda a cidade para descobrir os infratores, intimar a fazer a limpeza e, se isso não for feito, multar”, afirmou o chefe da Coordenadoria de Fiscalização, George Nunes. 

O descarte do entulho é responsabilidade da fonte geradora, conforme determina o Código de Posturas do município. Isso significa que quem gerou deve transportar os detritos para o aterro sanitário de Pedro do Rio. O despejo irregular é infração grave e gera multa de até R$ 800 (valor que dobra em caso de reincidência), além de intimação para a retirada do entulho. 

Segunda, 06 Março 2017 - 13:25

Petrópolis recebe 80 novas caçambas de lixo

Equipamentos foram adquiridos pela Força Ambiental, responsável pela coleta de resíduo domiciliar.
São 20 coletoras de 5m³ e outras 60 de mil litros, colocadas em locais definidos pela Comdep.

Petrópolis está recebendo 80 novas caçambas de lixo. São 20 coletoras grandes, com capacidade de até 5m³, e ainda outras 60 de mil litros. Todas elas vão ficar em locais definidos pela Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) e foram adquiridas pela Força Ambiental, empresa contratada para recolher o resíduo domiciliar na cidade. O investimento da empresa é de R$ 116 mil.

“As menores (as de mil litros) já estão nos locais corretos. Já as maiores (5m³) estão sendo colocadas para os moradores se acostumarem com a presença delas e passarem a utilizar com regularidade”, explicou o gerente da Força Ambiental, Hugo Araújo Salgado.

As caçambas começaram a chegar em fevereiro deste ano e foram preparadas para instalação. As menores, feitas de poliuretano (um tipo de plástico rígido), foram posicionadas na Avenida Piabanha, Henrique Raffard, Duarte da Silveira, João Xavier, Carlos Gomes, Manoel Torres, Mosela, Bataillard, Quarteirão Brasileiro, Saldanha Marinho, Av. Barão do Rio Branco, Roseiral, Cascatinha, Corrêas, Estrada Mineira, Nogueira, Bonsucesso e Itaipava. Isso aconteceu antes do carnaval.

Ao mesmo tempo, as maiores, produzidas com metal, começaram a ser colocadas em locais onde a concentração de pessoas (e, consequentemente, a geração de lixo) é maior. É o caso da Rua Joaquim Moreira, atrás dos shoppings Dom Pedro e Santo Antônio, do Hortomercado Municipal, em Itaipava e Rua São Norberto, no Valparaíso. A instalação dessas coletoras continuará até o final do mês.

“As novas caçambas vão ajudar moradores a fazer o descarte do lixo, porque muitos locais que não tem coletoras vão passar a ser atendidos. Com isso, a coleta também será facilitada, otimizando o serviço”, disse o presidente da Comdep, Wagner Silva.

Local está ganhando reforço na pintura e limpeza.
Serviços serão repetidos no pórtico do Bingen.

A Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) continuou a revitalização do pórtico do Quitandinha na manhã desta quinta-feira (02.03). Funcionários da autarquia utilizaram um caminhão elevador da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) para poder pintar as partes mais altas do equipamento na entrada da cidade. Após a conclusão do trabalho, será a vez do pórtico do Bingen receber melhorias.

A nova pintura dos pórticos vai revitalizar as características dos equipamentos, que foram inspirados no Museu Imperial. Além da melhoria na coloração, as letras também estão sendo limpas. No caso do Quitandinha, a inscrição do pórtico também foi completada.

“O pórtico estava sem a letra ‘s’, que sumiu e ninguém sabia onde estava. Mandei fazer uma nova e completamos a frase. Uma cidade que atrai tantos turistas não pode receber os visitantes com um erro desses na porta de entrada do município”, comentou o presidente da Comdep, Wagner Silva.

Dois funcionários foram destacados para o serviço. Além do caminhão, a CPTrans fez a orientação do trânsito. O entorno dos pórticos também será limpo e passará por capina.

Melhorias em equipamentos turísticos fazem parte do cronograma traçado pela Comdep. Algumas das principais praças da cidade passaram por intervenções com ações de limpeza, manutenção de chafarizes, conserto de banco, mesa e pontes e serviços de jardinagem.

Essa melhora pode ser vista na Praça da Liberdade, Praça Visconde de Mauá (Águia), Inconfidência e no Bosque do Imperador, valorizando todo o conjunto arquitetônico e histórico em volta do local.

“Esse foi um pedido do prefeito Bernardo Rossi. Valorizar cada canto, cada equipamento que constitui o projeto arquitetônico da parte central da cidade. Petrópolis deve valorizar sua tradição turística e para isso, os espaços devem estar limpos e cuidados”, disse Wagner Silva.

Desde a noite de sexta-feira (24.02) equipes da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans), Guarda Civil  e Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) -  num total de 125 homens - atuaram para garantir limpeza, segurança e mobilidade para petropolitanos e turistas que buscaram a cidade para curtir os dias de folia.
Distribuídos em operações no Centro e nos distritos, agentes da CPTrans garantiram a fluidez dos veículos e a segurança dos pedestres. Durante todo Carnaval a CPTrans realizou 95 atendimentos, incluindo os blocos, cobertura de eventos, fiscalização e apoio em locais de acidentes.
No período foram registrados seis acidentes, incluindo dois com vítimas fatais. Agentes que atuaram na fiscalização de trânsito aplicaram ainda 48 advertências e 26 multas.  
A Guarda Civil trabalhou com um efetivo de 30 homens distribuídos entre a fiscalização e o patrulhamento preventivo. As equipes auxiliaram ainda a orientação de trânsito, em apoio à CPTrans, no atendimento de acidentes, com isolamento da área, o que melhorou à movimentação de veículos.
Parte da corporação também esteve presente em locais de maior concentração de foliões, como a Praça da Liberdade, onde durante os quatro dias de folia centenas de pessoas acompanharam a programação do “Carnaval da Liberdade”.
A limpeza de ruas e praças que receberam foliões foi feita por 80 funcionários da Comdep. Nos quatro dias de folia foram utilizados um caminhão da companhia e outros dois caminhões da Força Ambiental para a retirada do lixo. No período foram gastos 2.860 sacos de lixos de 200 litros, e outros 266 sacos de lixo de 300 litros, além de 96 vassouras de gari.
 
Atendimentos na Saúde caíram durante o Carnaval
Durante o feriado de Carnaval os atendimentos de Saúde foram menores nas Unidade de Pronto Atendimento 24h - (UPAs) Centro e Cascatinha. A média registrada entre sábado e terça-feira foi de 280 atendimentos – número abaixo do movimento diário normal, de 290 pessoas. A maior demanda aconteceu na segunda-feira (27.02), quando foram registrados 324 atendimentos.
Na UPA Cascatinha, o caso mais grave ocorreu na madrugada de quarta-feira (01.03), quando dois jovens deram entrada com lesões por arma branca. Um deles foi medicado e liberado após sutura, o outro foi encaminhado ao Hospital Alcides Carneiro (HAC) para uma cirurgia de emergência, onde segue internado em estado estável.
Na UPA Centro, a maior procura (80%) foi para  atendimentos ambulatoriais. “Apesar do número se manter dentro da normalidade, nós tivemos, em sua maioria, atendimento ambulatoriais, com grande volume de exames e medicação dispensada”, explicou o diretor da unidade Cláudio Morgado.
No Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) a média de atendimentos diários foi normal.Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) recebeu uma média de 20 chamados por dia. Em dois dias foi necessário o envio de ambulâncias que prestaram sete atendimentos. Nos demais dias as equipes efetuaram remoções.  

 

Um dos principais conjuntos arquitetônicos e culturais do país, o Centro Histórico de Petrópolis ganhou atenção especial da prefeitura, que está colocando em prática um programa de revitalização de praças, seus acessos e entornos. Estas melhorias já poderão ser aproveitadas por quem estiver na cidade nos dias de Carnaval e fizer o “Circuito a Pé”, um passeio imerso na cultura da cidade.

“Em boa parte são pequenas intervenções, limpeza, recolocação de flores e plantas, uma harmonização do ambiente. Mas, este cuidado precisa e vai ser permanente”, afirma o prefeito Bernardo Rossi que aponta a equipe da Comdep, responsável pelas intervenções, como dedicada e capaz de transformar estes ambientes. “Sem aplicação de grandes recursos é possível deixar a cidade limpa e arrumada”.

Na lateral da Catedral e na Praça Princesa Isabel, que fica em frente, a Comdep remodelou os jardins e aplicou vegetação mais baixa. Isto privilegiou a vista da igreja e os monumentos da praça. Torna a Rua Ipiranga neste trecho e em toda a sua extensão, que também recebeu melhorias nos canteiros, mais segura.

O mesmo procedimento foi adotado na Praça da Liberdade, na Avenida Koeler e no Bosque do Imperador. As reformas se concentram ainda na Praça da Inconfidência e na Praça do Skate (Praça Duque de Caxias).

“Todas estas praças, ruas, avenidas e passeios fazem parte de um complexo que está unido, que permeia toda a cidade, seus monumentos e palácios e tudo sendo preservado e revitalizado dá à cidade o cuidado que ela precisa para ser atrativa aos turistas e boa para os petropolitanos”, afirma Bernardo Rossi.

Ainda no Centro, outro lugar que foi valorizado é o Museu Imperial. A ponte que liga a Rua da Imperatriz ao ponto turístico mais visitado de Petrópolis foi reformada. Uma equipe da Secretaria de Obras trocou as madeiras em volta do acesso, o que deixou o local mais seguro para os pedestres.

O monumento erguido em 1957 num dos recuos da Praça da Liberdade, uma homenagem aos pioneiros da aviação, foi devolvido ao local esta semana.  A escultura em bronze havia sido danificada e tinha sido recolhida pela prefeitura em 2014.

Localizado em meio a um dos conjuntos arquitetônicos mais importantes da cidade – Museu Imperial, Palácio Grão Pará, Correios e Colégio Pedro II –, a Praça do Bosque está sendo revitalizada pela prefeitura. Além de jardinagem, a praça vai ter reforço na segurança.

Rua Teresa ganha limpeza

Na quarta-feira, equipe de 10 funcionários de Comdep foi destacada para fazer a varrição e lavagem da Rua Teresa. A medida, um pedido da associação de lojistas, usou água não potável e foi realizada à noite para não prejudicar o trânsito. Essa é uma maneira de deixar o maior pólo de moda a céu aberto da América Latina mais interessante para os turistas que passarem esse período de festas na cidade, já que os comerciantes estão autorizados a abrirem as lojas sábado, domingo e segunda.

Quatro carros de fiscalização, descaracterizados, percorrem a cidade.

Quatro veículos da Coordenadoria de Fiscalização da prefeitura, descaracterizados, estão percorrendo a cidade para coibir o depósito irregular de entulho nas ruas da cidade.  O descarte irregular de restos de uma obra particular em Cascatinha nesta quarta-feira (22.02) no final da tarde gerou autuação e multa para um zelador que fazia um “bico” em uma obra.  O caso aconteceu na Rua Francisco Framback e além do pagamento de R$ 800, ele também terá que fazer a retirada imediata do lixo, sob pena de ser multado novamente. A dona da casa, responsável pela obra, também foi notificada a apresentar o alvará para a intervenção. Não tendo a liberação oficial para a obra, receberá multa de R$ 1,6 mil e a construção será embargada.

O zelador já tinha sido alertado pela manhã pelos fiscais e, mesmo assim, continuou transportando o entulho da obra, em carrinhos de mão, até a esquina da rua, justamente embaixo de uma placa alertando sobre a proibição de despejo de lixo. À tarde, quando a fiscalização retornou ao local, aplicou a multa. 

Esta é a primeira multa aplicada em 2017 para quem despejou restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos de maneira inadequada. A fiscalização foi bastante anunciada pela prefeitura, mas o descarte irregular de entulho não cessou. Assim, a Coordenadoria de Fiscalização passou a utilizar quatro carros à paisana para rodar em diferentes pontos da cidade e conseguiu o flagrante.

"Pela manhã, fizemos uma abordagem e orientamos a ligar para a Comdep para pedir informações sobre como deveria fazer descarte desse lixo. Um pouco mais tarde, constatamos que o mesmo homem continuava a depositar sacos com restos de obras embaixo de uma placa falando sobre o descarte irregular de entulho. Então fizemos a notificação para retirada imediata do entulho e aplicamos a multa", explicou o fiscal Carlos Alberto Barbosa.

Acúmulo de entulho gera 17.518 mil toneladas retiradas das ruas

Em 50 dias, entre 1º de janeiro e 19 de fevereiro, a Comdep e a Força Ambiental, responsável pela coleta de lixo na cidade, já retiraram das ruas 17.518 mil toneladas de entulho. Uma força-tarefa foi montada logo no início da nova gestão para regularizar a coleta de lixo doméstico e também retirar das ruas o entulho – restos de obras, móveis, eletrodomésticos – descartados pela população.

A falta de fiscalização, nos últimos anos, com a deficiência na coleta, abriu precedente para que irregularidade tivesse espaço. Mesmo com os mutirões de recolhimento de entulho, houve diversos relatos de despejo horas depois que os caminhões da autarquia passavam, como por exemplo, no Canto do Cemitério, no Valparaíso.

Essa situação levou à implementação de outras medidas. A Força Ambiental, contratada para a coleta do lixo domiciliar, passou a recolher também os detritos em volta das caçambas. E, após período de divulgação e orientação, a fiscalização ficou mais rigorosa.

"As pessoas estavam jogando o entulho na rua, o que é proibido e atrapalha o trabalho da Comdep. Passamos esses dois primeiros meses recolhendo lixo, inicialmente o domiciliar e, em seguida, o entulho. O Código de Posturas é bem claro quando diz que o gerador do lixo de obras é o responsável pelo descarte correto", comentou o presidente da Comdep, Wagner Silva.

O Código de Posturas do município prevê, no artigo 31, que os “entulhos de obras, construções e reformas são de responsabilidade da fonte geradora, cabendo à mesma o acondicionamento, o transporte e a sua destinação final, sem que comprometa a limpeza pública e o meio ambiente”, o que significa que esses detritos devem ser levados para o aterro sanitário de Pedro do Rio pelo responsável pela obra - o mesmo vale para quem se desfaz de móveis e eletrodomésticos ou gera lixo verde. O descumprimento é infração grave, o que pode render multa de R$ 200 a R$ 800.

"Demos vários avisos e o problema permaneceu. A partir de agora vamos aplicar multas e exigir a retirada do entulho das ruas imediatamente. Vamos atuar de maneira intensa para deixar a cidade limpa", disse o futuro secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Djalma Januzzi.

Pagina 1 de 13

selo acesso informacao.fw