Geração de lixo foi acima do esperado e Comdep precisou deslocar mais um caminhão próprio para fazer a coleta

O sucesso da Bauernfest logo no primeiro fim de semana foi tão grande que a fez com que a Comdep reforçasse a atuação para deixar os locais com atrações limpos. Com mais de 150 mil pessoas passando por Palácio de Cristal e arredores, Praça da Liberdade e Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), a geração de lixo foi acima do esperado. E para dar conta da demanda, foi necessário deslocar mais um caminhão para fazer a coleta. Da abertura da Festa do Colono Alemão, na sexta-feira (23.06) à noite, até a manhã desta segunda (26.06), 165 toneladas foram removidas.

O planejamento inicial previa a passagem de um caminhão com intervalos de duas horas mais ou menos. Esse veículo fica exclusivo para retirar o lixo dos locais onde acontece a festa e também de todo Centro Histórico. No domingo (25.06) pela manhã, menos de uma hora após o início das apresentações no Palácio de Cristal, 12 coletoras com capacidade de uma tonelada já estavam lotadas. Com isso, além do caminhão da Força Ambiental, a Comdep deslocou mais um veículo próprio para que o lixo não acumulasse.

Na manhã desta segunda, a limpeza continuou. O caminhão-pipa com oito mil litros de água não-potável foi usado para limpeza do Palácio de Cristal e de equipamentos. Uma funcionária aplicou um produto que vai ajudar a conservar mais a limpeza do principal local da festa.

No entorno, algumas equipes de varrição fizeram o serviço nas ruas Alfredo Pachá, Padre Siqueira, Av. Piabanha e Roberto Silveira, além da Praça da Liberdade. São 50 funcionários se revezando em equipes diurna e noturna para que a festa fique totalmente limpa durante os 10 dias de comemoração à colonização alemã.

 

Quando a 28ª edição da Bauernfest tiver início nesta sexta-feira (23.06), o público vai encontrar tudo pronto no principal ponto da Festa do Colono Alemão. Nesta quinta (22.06), a Comdep finalizou a limpeza geral, instalação de coletoras pequenas, serviços de jardinagem e manutenção hidráulica dos banheiros do Palácio de Cristal.

A equipe de jardinagem utilizou caminhão para concluir o trabalho em duas árvores. Foi a última parte do serviço realizado durante 10 dias e que incluiu ainda a poda de outras 12 árvores, corte de grama em todo Palácio de Cristal e plantio de mais de 250 mudas.

O setor de obras instalou 50 coletoras de postes no Palácio e na Rua Alfredo Pachá. O objetivo é que elas sejam utilizadas principalmente para descarte de copos de plástico pelo público. Feitas de plástico rígido, elas têm capacidade de 15 litros (ou 15 kg) e vão reforçar as opções do público para contribuir com a limpeza da Bauern – a Comdep destinou 45 barris de 200 kg e 10 coletoras de plástico rígido de 1 mil litros (uma tonelada) para servir os frequentadores da festa.

Também houve serviços de troca de torneiras e encanamentos no banheiro do Palácio, medida para proporcionar pleno funcionamento do espaço durante dos 10 dias do evento.

Ainda nesta quinta-feira, a limpeza de rios aconteceu em regiões próximas à festa, como nas ruas da Imperatriz, Roberto da Silveira, Av. Koeler e Av. Barão do Rio Branco.

Em todo período da Bauernfest, a Comdep vai mobilizar 50 funcionários para limpeza de todos os locais da festa tanto durante o dia quanto à noite. Um caminhão será destinado exclusivamente para fazer a coleta do lixo gerado pelos frequentadores e fará o recolhimento em intervalos de duas horas

Cinco coletoras de lixo foram danificadas e outras duas furtadas em diferentes bairros da cidade desde maio, de acordo com a Força Ambiental, empresa responsável pela coleta de lixo na cidade. Os furtos e vandalismos foram registrados na 105ª Delegacia de Polícia, do Retiro, na manhã desta terça-feira (20.06). São coletoras de mil litros (capacidade para cerca de uma tonelada) feitas de plástico rígido, que estavam nas regiões do Morin, Quarteirão Brasileiro, Castelânea, Bonfim, Itaipava e Araras. A empresa está intensificando a coleta nos locais até que as peças sejam repostas. A partir de agora, a orientação é que todos os caminhões que passem por esses locais parem e façam o recolhimento do lixo – mesmo que não faça parte da rota original do veículo.


A coleta vem sendo feita com regularidade em Petrópolis e segue cronograma estabelecido pela Comdep que prevê passagem dos caminhões todos os dias em locais mais movimentados e áreas com maior número de moradores, e em intervalos de 48 horas em outros lugares. O total de lixo recolhido em menos de seis de meses é 47,3% superior à média diária do ano passado: 400,7 toneladas em 2017 contra 272 toneladas em 2016. Assim, as lixeiras não foram incendiadas por moradores para acabar com grande quantidade de detrito não recolhido – situação frequente na gestão passada em períodos em que o lixo ficava acumulado por conta da coleta irregular.


A cidade tem mais de 1,1 mil dessas coletoras, sendo que mais de 200 foram instaladas pela Força Ambiental. Cada uma delas custa R$ 1.195 – prejuízo de R$ 8.365, com a reposição dos equipamentos destruídos.


O caso mais recente de coletora danificada foi registrado no Vale das Flores, no Bonfim. A lixeira foi queimada na terça-feira da semana passada (13.06). Um dia antes, outra foi incendiada na Estrada do Contorno (Itaipava), sobrando apenas as rodas. Ainda foram registrados casos de fogo em lixeiras na Avenida General Marciano Magalhães (Morin), Estrada Bernardo Coutinho (Araras) e na Rua Quarteirão Brasileiro. Já as da Rodovia Philuvio Cerqueira Rodríguez (Itaipava) e da Rua Cristóvão Colombo (Castelânea) foram furtadas.


O responsável pelos furtos pode pegar até quatro anos de prisão, de acordo com o artigo 155 do Código Penal. Já a pena por danificar as coletoras pode chegar a seis meses de cadeia mais multa, pelo artigo 163 do Código Penal.

Local recebeu intervenção do Inea para limpeza e ainda terá dragagem e desassoreamento

Equipes da prefeitura realizaram uma vistoria no Lago de Nogueira na manhã desta segunda-feira (19.06) e constataram as melhorias que já foram promovidas no local. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) já realizou limpeza das gigogas e ainda estão previstas intervenções de dragagem e desassoreamento, que continuarão até o mês de julho. Ele também conheceu detalhes dos estudos que estão sendo feitos em conjunto com a Associação de Moradores para revitalização de toda a área.

O projeto é de criação de um jardim botânico, contemplando flores ameaçadas de extinção e uma área de 20 mil metros quadrados. Os estudos também incluem a instalação de bolsões para pesca, quiosques, uma escola voltada para educação ambiental, estacionamento e área de lazer.

“Esse é um sonho antigo de todos nós. Pedalamos e caminhamos aqui e sempre tivemos esse projeto. Tudo que está sendo pensado para cá é sustentável. Vai ser um golaço entregar isso para os moradores”, disse a arquiteta e paisagista Patrícia Lago Coelho, uma das pessoas que está ajudando a Associação de Moradores a montar o projeto.

A limpeza começou na segunda quinzena de maio e já mudou o cenário. O trabalho do Inea teve início após uma reunião entre o prefeito e o secretário de Estado do Ambiente, André Corrêa, ao qual o Inea é um braço operacional. Quem mora na região conta que o serviço tornou o lago um lugar mais agradável.

“É bom acordar de manhã e dar de frente com o lago limpo como tem que ser. Está bem melhor para fazer caminhadas, já estava um tempo sem vir”, falou a aposentada Maria de Lourdes Silveira, que mora na Rua Belo Horizonte, bem próxima ao lago.

Junto com o trabalho promovido pelo Inea, a Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) também realizou melhorias de paisagismo na praça do lago. Foram plantadas 320 mudas de lírios no início desse mês, deixando o espaço mais bonito.

Cooperativa que atua no Cascatinha será a primeira a participar do projeto, que inclui educação ambiental, jurídica e contábil

A Comdep está criando uma incubadora de cooperativas de reciclagem de lixo. A intenção é que a partir de agora a empresa possa ajudar que novos grupos consigam nascer e se desenvolver para atuar na área da seleção, separação e comercialização de resíduos sólidos coletados. Para isso, vai oferecer educação ambiental, jurídica e contábil, de forma que elas possam ter andamento após começarem a funcionar. A cooperativa que já atua no centro de reciclagem de Cascatinha será a primeira integrante do projeto e também está recebendo ajuda para se regularizar. A cooperativa existe há mais de 12 anos, porém de forma irregular.

Ela vai ganhar CNPJ e vai passar a existir formalmente. Com isso, o trabalho junto à Comdep será oficializado e terá alta qualidade, já que a mão de obra estará capacitada. Os integrantes da cooperativa já até escolheram o novo nome, que será “Deus na Guerra”. Todo esse processo já foi informado ao Ministério Público Federal.

As aulas já começam no mês que vem e serão realizadas no próprio centro de reciclagem, evitando que os integrantes da cooperativa tenham que se deslocar para outro local. Um dos professores será Jussara Gatto Justen, que cuida da parte de educação ambiental da Comdep. O projeto deve durar seis meses e, em seguida, será aberto espaço para que outra cooperativa possa ser criada.

Isso é mais um passo dentro da reorganização da coleta seletiva no município. No final de maio, todos os funcionários da Comdep que atuavam no centro de reciclagem do Carangola e os equipamentos foram transferidos para Cascatinha. Com isso, a empresa pode concentrar o trabalho em um só local e ter maior economia e controle, tornando o serviço mais eficiente.

 Cooperativa existe há mais de 10 anos na informalidade

A cooperativa, que antes tinha o nome de “Esperança”, existe há mais de 10 anos e nunca foi formalizada. No início, eles dividiam espaço com outra cooperativa, mas desde 2009, trabalham sozinhos em Cascatinha.

Atualmente, a cooperativa tem 12 integrantes e, partir de agora, possui uma diretoria financeira e um conselho fiscal. A presidente da “Deus na Guerra” é Rosangela da Silva Silveira (eleita pelos próprios integrantes da cooperativa), que já percebeu as mudanças implementadas pela Comdep na coleta seletiva. 

“Depois que a Comdep juntou tudo para cá, aqui ficou mais limpo e organizado, com as mesas e prensas para trabalhar. Acho que agora, com a regularização da nossa cooperativa, vai melhorar mais ainda, a gente vai poder caminhar com os próprios pés”, afirmou ela.

Eles trabalham ao lado de outros 13 funcionários da Comdep e fazem a seleção de três toneladas de lixo por dia. O objetivo é que essa quantidade possa ser aumentada nos próximos meses.

 

Secretaria de Serviços faz limpeza na Pedro Elmer

 Cinco toneladas de mato foram retiradas da praça e da Rua Pedro Elmer e do entorno, no Itamarati. A capina, roçada e remoção do entulho teve início na segunda-feira (05.06), realizada pela Secretaria de Serviços, que coordenou o trabalho de 11 funcionários da Força Ambiental. Também foram utilizados dois caminhões pequenos e roçadeiras.A limpeza será concluída nesta quinta (08.06), quando será realizada a pintura do local.

Moradora da travessa Francisco Framback, Jéssica Muller diz que agora poderá levar o filho de dois anos para brincar na praça.  “Agora vou poder meu filho para cá. Antes, eu ficava com medo de ter cobra ou algum outro animal perigoso”, afirma

A capina e roçada também alcançou a quadra esportiva que fica ao lado e foi realizada em ruas próximas da praça. Nesta quinta, pontes, meios-fios beirada de postes e corrimãos. Para esse serviço, será utilizado um saco de 20 kg de cal.

Desde que foi criada, em abril, a Secretaria de Serviços tem realizado a limpeza de vários locais, como Secretário, Pedro Ivo, Araras, Siméria, Estrada da Saudade, Itaipava, Pedro do Rio, Cascatinha, Posse, Boa Vista, Vila Rica, Dr. Thouzet, Campo do Serrano e Cemitério Municipal. Todos esses locais foram limpos por funcionários e com maquinário da Força Ambiental.

 

Mais de 350 pessoas já fizeram solicitações de coleta de restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos

O Disque Entulho já fez 205 recolhimentos em três semanas desde que foi reativado. O serviço, realizado pela Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep), já foi solicitado por 358 pessoas desde o dia 15 de maio, quando os agendamentos começaram a ser feitos por telefone.

Para pedir o Disque Entulho, basta ligar para: 2243-7822. O atendimento por telefone acontece de segunda a sexta, de 8h30 às 17h. A coleta é de até 20 sacos e acontece em todos os bairros – aqueles que não estiverem no roteiro pré-definido pela Comdep, terão recolhimento marcado de acordo com a disponibilidade.

É importante lembrar que as pessoas devem colocar o entulho na calçada apenas no dia marcado. Quem coloca antes comete irregularidade e pode ser multado em R$ 800. A destinação correta de restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos é o aterro de Pedro do Rio.

O lanterneiro Luis Orlando Dantas, morador do Castrioto, fez isso e ficou satisfeito com a coleta realizada nesta terça-feira (06.06). “É uma boa ajuda para gente. Um amigo meu me falou que o serviço estava sendo reativado. Estou retirando terra de uma obra e deixei os sacos na minha garagem porque fiquei com medo que pudesse chover. Assim que eles chegaram, eu coloquei tudo na calçada”, relata.

Quem também gostou do serviço foi o aposentado Roberto Guimarães Santos, que mora na Mosela e também recebeu o caminhão nesta terça. “É um serviço importante que o prefeito colocou em ação novamente. Eu acumulei esse entulho durante alguns anos e não podia jogar fora de qualquer maneira. Aí quando fiquei sabendo que iria voltar, liguei e pedi para virem na minha casa”, conta.

Roteiro inicial do Disque Entulho

Segunda-feira: Valparaíso, Centro, Caxambu e Morin
Terça-feira: Retiro, Carangola, Roseiral e Jardim Salvador
Quarta-feira: Bingen, Mosela, Quarteirão Brasileiro, Av. Barão do Rio Branco e Atílio Marotti
Quinta-feira: Quitandinha, Independência, Castelânea e Alto da Serra
Sexta-feira: Itamarati, Provisória e Floresta
Sábado: Samambaia, Cascatinha e Estrada da Saudade

 

32 toneladas de entulho foram retiradas do ponto final da comunidade, problema que encurtou a viagem do ônibus em 150 metros

A Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP) promoveu nesta quinta-feira (25.05) a limpeza do ponto final da comunidade Vai Quem Quer, no Siméria. Foram removidas 32 toneladas de entulho do local, abrindo passagem para a manobra de três linhas de ônibus que atendem a região – 407, 438 e 446. Por causa do problema, os ônibus estavam parando um ponto antes, encurtando a viagem em cerca de 150 metros.

 Seis pessoas fizeram o serviço com o auxílio de três caminhões e uma retroescavadeira. A dificuldade causada para os ônibus é apenas um exemplo de consequências do descarte irregular. Restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos não podem ser despejados sobre calçadas ou ruas, como prevê o Código de Posturas do município. Quem for flagrado cometendo a irregularidade recebe uma multa de até R$ 800 e é intimado a remover o entulho do local. O gerador desse lixo deve providenciar o transporte para o aterro de Pedro do Rio. Para quem tem uma pequena quantidade de lixo, o Disque Entulho é uma alternativa – quem gera até 20 sacos com os detritos pode pedir o recolhimento pelo telefone: 2243-7822.

A comunidade do Vai Quem Quer está tendo atenção da prefeitura, que vai receber obras de drenagem e contenção de encostas orçadas em R$ 856.114,67. A maior parte do recurso é fruto de uma emenda feita pela deputada federal Cristiane Brasil, que destinou R$ 789.800,00 do orçamento federal desse ano para isso. O convênio já foi autorizado pelo Ministério das Cidades e tem R$ 66.314,67 de contrapartida do município. A prefeitura trabalha agora na elaboração do projeto executivo para receber o recurso.

Serviço foi feito na área que concentra mais covas rasas e continuará em outro espaço do cemitério

A Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP) concluiu nesta quarta-feira (24.05) o trabalho de limpeza na maior área de covas do Cemitério Municipal, no Centro. Em 20 dias, 21 toneladas de lixo verde foram retiradas. A limpeza dá melhores condições de acesso às 1,5 mil covas rasas existentes no local. O serviço terá sequência em outra área do cemitério, onde estão 800 covas rasas.

Em dias de maior número de sepultamentos, o movimento no cemitério municipal chega a mil pessoas. Antes da limpeza, muitas covas estavam escondidas pelo mato, mas o trabalho da Secretaria deu maior visibilidade aos sepulcros.

“A limpeza da quadra cinco, a maior do cemitério, foi muito bem executada e deixou a área com melhores condições para receber as pessoas que acompanham os sepultamentos ou vêm ao cemitério homenagear seus entes queridos. Vamos agora fazer um serviço intensivo na quadra sete, a segunda maior, para deixá-la do mesmo jeito”, disse o administrador dos cemitérios da cidade, Ulisses Sampaio.

O trabalho foi iniciado para melhorar as condições de visitação para o dia das mães, data em que muitas pessoas visitam o cemitério para prestar homenagens. Cerca de 10 funcionários da Força Ambiental, coordenados pela SSOP, trabalharam nesse período e contaram com o apoio de um caminhão e roçadeiras manuais. Além da capina e remoção do lixo verde, também foi feita varrição e retirada de cacos próximos às campas. A gestão dos cemitérios passou para a SSOP a partir da criação da pasta, em abril.

Menos custos e mais eficiência no setor

Nove dos 13 funcionários que atuavam no centro de reciclagem do Carangola já estão trabalhando em Cascatinha. Até o fim do mês, todos os demais serão transferidos, assim como duas prensas e mesas de seleção do material reciclável. A mudança do local de serviço faz parte da reorganização que a Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) está promovendo para tornar a coleta seletiva mais eficiente e com menor custo.

A intenção é concentrar os resíduos recicláveis em um só local. O galpão de Cascatinha é maior, abrigando melhor os 13 funcionários da cooperativa que já atuavam no espaço, acompanhados por uma supervisora, assim como os que estão chegando do Carangola. Quem já está trabalhando no novo espaço aprovou a mudança – e a recepção aos que chegaram também foi a melhor possível.

“Na vinda para cá correu tudo bem, e o dia a dia aqui tem sido ótimo. O pessoal que já trabalhava aqui é bem bacana. Só mudou mesmo o local, porque o esquema de trabalho continua o mesmo”, disse a encarregada Rosane Maria de Souza Oliveira.

“O trabalho está tranquilo. Aqui é maior, dá para acomodar todo mundo, todo equipamento e realizar bem o serviço”, afirmou a gerente de apoio administrativo e operacional, Mara Fecher.

“Quando anunciaram a mudança, ficamos na dúvida sobre como seria na prática. Mas a forma como tudo foi feito funcionou muito bem”, contou a responsável pela cooperativa que já trabalhava em Cascatinha, Bárbara Bispo.

Atualmente, são três caminhões que fazem a coleta do lixo reciclável em toda a cidade – no início do ano, era um a menos. Esse terceiro veículo é de menor porte, atendendo locais de difícil acesso. Eles ficavam estacionados no Carangola, mas agora passam a parar na sede da Comdep. A rota que os carros fazem também será reorganizada para que seja mais eficiente.

Pagina 1 de 16

DO

LDO 2018

iptu

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

selo acesso informacao.fw