Estudo da rede será apresentado junto ao Juizado da Vara da Infância e da Juventude 

A Secretaria de Saúde apresentou nesta segunda-feira (26.06), à Defensoria Pública e Promotoria da Vara da Infância e da Adolescência, um novo fluxo para os atendimentos de urgência e emergência pediátricas do município. Por meio da Central de Ambulâncias do Samu, a Saúde pretende regularizar a remoção de pacientes do 1º ao 5º distrito para o pronto atendimento nas Upas – Centro e Cascatinha. O município está regularizando uma situação herdada da gestão anterior que interrompeu o atendimento pediátrico do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) em 2011 e transferiu, em 2016, o atendimento de crianças do Pronto Socorro do Alto da Serra para as UPAs.

Depois de o atendimento pediátrico ter sido suspenso no HMNSE em 2011, a gestão passada lançou um plano de reestruturação da rede de urgência e emergência em janeiro de 2016. Os procedimentos do setor de pediatria do Hospital Leônidas Sampaio, no Alto da Serra, passaram, então, a ser feitos somente nas UPAS.

O novo fluxo vai propiciar maior agilidade na disponibilidade de ambulâncias para remoção das crianças de Unidades Básicas de Saúde, incluindo o uso de veículo com equipamento avançado. O novo protocolo ainda será apresentado oficialmente ao Juizado da Infância e da Adolescência para aprovação junto ao Ministério Público e Defensoria Pública em audiência a ser designada pelo juiz.

Caso seja validado, o município se comprometeu até dezembro deste ano, a reformar uma sala no Hospital Municipal Nelson Sá Earp (HMNSE) e outra no Pronto Socorro Municipal Leônidas Sampaio (PSLS). Elas serão adaptadas para ‘salas de observação pediátrica”, onde as crianças que permanecerem em observação receberão assistência integral da equipe de enfermagem.

Pelo novo fluxo apresentado, as remoções de pacientes pediátricos oriundos das UBS – Unidades Básicas de Saúde – do 2º ao 5º distrito serão direcionadas à UPA Cascatinha. Já as provenientes do 1º distrito, Pronto Socorro Municipal Leônidas Sampaio e no Hospital Municipal Nelson Sá Earp (HMNSE), para a UPA Centro.

Defensor Público, Rômulo Souza de Araujo avalia que a proposta apresentada pelo município atende aos requisitos solicitados na última audiência especial realizada no dia 22 de março.

“A proposta tem grandes chances de aprovação. E iremos exigir, caso seja efetivamente aprovada, é que a Secretaria de Saúde emita relatórios trimestrais da evolução dos atendimentos e da qualidade destas remoções para fiscalizarmos”, disse Rômulo Souza de Araujo.

No município 6% da população jovem tem o risco de dependência química

 A Secretaria de Saúde, por intermédio do Departamento de Saúde Mental, mobilizou uma ação de conscientização e prevenção ao uso de drogas. A atividade realizada nesta segunda-feira (26.06) no calçadão do Cenip, contou com panfletagem e orientações junto à população. Atualmente, há 325 usuários em acompanhamento no Centro de Atenção Psicossocial Álcool Outras Drogas (CAPSad). Em 80% dos casos são homens adultos, mas a preocupação do município é quanto à evolução do número de dependentes entre os jovens. Em Petrópolis, 6% dos adolescentes – de 10 a 19 anos, cerca de 2.500 pessoas são consideráveis em risco de dependência química.

A diretora do Departamento de Saúde Mental, Viviane Martins, explica que no município não há dados estáticos sobre o número de dependentes em drogas licitas e ilícitas, mas garantiu que a criação dos indicadores será prioridade na gestão.

“Iniciamos um estudo no CAPSad que apontou que em Petrópolis com relação às drogas lícitas diminuiu a prevalência do cigarro entre os homens e aumentou o consumo de bebidas entre as mulheres. Já entre as drogas ilícitas a maconha é a droga de maior consumo entre as mulheres e o crack e a cocaína entre os homens. O consumo é a partir dos 12 anos então precisaremos criar ações de conscientização de pais e adolescentes junto ao programa Saúde na Escola”, afirma Viviane Martins. 

A coordenadora geral de áreas técnicas em Saúde, Patrícia Ramos, anuncia que em agosto se iniciarão as atividades do Programa Saúde na Escola que foi reformulado pela atual gestão e que terá um enfoque à conscientização contra o uso de drogas.

“Deixamos para agosto por ser o período em que retornaremos do recesso escolar. Dentro das 12 ações preconizadas pelo Ministério da Saúde há uma diretriz de combate ao uso de álcool e drogas que pretendemos trabalhar em conjunto com a Educação e a Saúde Mental. Nosso objetivo é aproximar os pais para essa discussão e para que eles se atentem às mudanças de comportamento do adolescente que faz uso de alguma substância e para proporcionarmos o melhor tratamento a um possível dependente”, disse Patrícia Ramos. 

O Centro de Atenção Psicossocial Álcool Outras Drogas (CapsAd) é uma unidade de tratamento com serviço 24h que dispõe de 8 leitos de retaguarda para situação de crise, com acolhimento e avaliação multiprofissional.

“Ao dar entrada, o paciente passa pela triagem, o caso é levado para discussão entre a equipe e em seguida é elaborado o projeto terapêutico exclusivo para o indivíduo de acordo com o perfil do usuário e o mesmo é encaminhado para oficinas e grupos terapêuticos”, disse Leandra Iglesias, coordenadora do CapsAd.

 

 

Nove pontos de vacinação abriram no sábado para vacinar adolescentes
 
A Secretaria de Saúde promove um mutirão de imunização neste sábado (24.06) para aplicação de doses contra HPV (Papiloma Vírus Humano) em nove pontos de vacinação. A mobilização acontece das 9h às 17h. Intensificando as ações de prevenção, a prefeitura espera imunizar 18 mil adolescentes até o fim do ano. A vacina contra o HPV pode ajudar na prevenção de diversos tipos de câncer. Atualmente o município tem 1.100 doses aplicadas.
 
A vacina segue disponível em 14 unidades de saúde diariamente de 9h às 17h - com intervalo de 1h de almoço. A meta para a Secretaria de Saúde é conscientizar e mobilizar os pais a levarem as meninas dos 9 aos 14 anos e os meninos dos 11 anos aos 14 anos, aos postos até o dia 21 julho, data que marca o fim do período de intensificação da campanha.
 
A campanha contra o HPV foi adotada em todo o Estado do Rio de Janeiro pelo SUS, e posteriormente por outros estados e pelo Ministério da Saúde, após a publicação da lei 6.060/11 de autoria então deputado estadual, hoje prefeito, Bernardo Rossi, que reforça a importância dos adolescentes retornarem às unidades para tomar a segunda dose da vacina.
 
Tanto para meninos quanto para meninas, o esquema vacinal prevê a aplicação de duas doses, com um intervalo mínimo de seis meses e máximo de 12 meses entre a primeira e a segunda dose.
 
A análise da caderneta de vacinação é importante porque o calendário do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde sofreu modificações este ano, com a inclusão das vacinas HPV Quadrivalente para meninos de 11 a 14 anos e da vacina Meningocócica C para adolescentes de ambos os sexos, com idades entre 12 e 13 anos. 
 
Para se vacinar é importante que o adolescente tenha em mãos a caderneta de vacinação e o documento de identidade. Com os documentos apostos, Alexandre Alonso levou o filho Nicolas de 12 anos para tomar a vacina esta manhã.

“Já aproveitamos que íamos ao centro da cidade, para levá-lo para tomar a vacina. Além da vacina contra o HPV ele também tomou a contra meningite, agora ele só precisa aguardar os seis meses para fazer a segunda dose do HPV para estar protegido”, disse Alexandre Alonso.
 
Especialistas reforçam a importância da vacina
 
A vacina contra HPV protege contra quatro subtipos da doença, sendo dois responsáveis por 70% dos casos de câncer do colo do útero, que é a terceira causa de morte de mulheres no Brasil. O vírus pode provocar também casos de câncer de pênis, ânus e garganta.
 
A médica e encarregada do Programa Saúde da Criança e Adolescente, Flávia Marzullo explica que a imunização é importante nesta faixa etária pelo fato dos adolescentes ainda não terem iniciado a vida sexual.
 
“Antes se fazia só nas meninas como prevenção futura de câncer de colo de útero e vulva e agora estendendo aos meninos a gente previne câncer de pênis, verrugas genitais e a transmissão para as meninas. A doença por muitas vezes é assintomática nos homens. Então ele pode estar com a doença e contaminar muitas mulheres sem saber. Está aumentando número de sífilis no município e isso vem muito em função do não uso do preservativo que é uma forma de prevenção para as DSTs, incluindo o HPV”, destaca Flávia Marzullo.
           
O pediatra e infectologista, Felipe Moliterno salientou a importância da distribuição da vacina pelo Sistema Único de Saúde e reforçou o fator de proteção e de segurança da imunização.
 
“Foi uma vacina muito batalhada pelas sociedades de pediatria, de imunização, ginecologia, dentre outras, para que se conseguisse implementá-la no SUS, então ter as doses hoje disponíveis é uma grande vitória. A vacina é segura, não apresenta contraindicação, o que temos em especial nos adolescentes são reações de ansiedade e por conta disso, a aplicação tem que ser feita com calma e tranquilidade”, assegura o especialista.
  
Lista dos postos de Saúde e demais locais de vacinação:

*Atendimento de 8h às 17h – Com intervalo de 1 hora de almoço 
1.    Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde)
Rua Santos Dumont, S/Nº
 
2.    PSF Alto da Serra
Rua Teresa, 2.024 (Praça Miguel Couto)
 
3.    PSF São Sebastião
Rua São Sebastião nº 625
 
4.    UBS Alto Independência
Rua Angelo João Brand s/n
 
5.    UBS Quitandinha
Rua General Rondon nº 400
 
6.    UBS Retiro
Av. Barão do Rio Branco s/n 
 
7.    Ambulatório Escola
Rua Bernardo Proença nº 32
 
8.    UBS Itamarati
Rua HívioNaliato nº 169 
 
9.    Hospital Alcides Carneiro
Rua Vigário Corrêa, 1.345
 
10. UBS Morin
Rua Pedro Ivo, n.º 81 – Morin
 
11. UBS Itaipava
Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues s/n
 
12. UBS Pedro do Rio
Estrada União e Indústria s/n
 
13. PSF Posse
Estrada União de Indústria nº 33.530
 
14.  Coordenação Epidemiologia
Hospital Municipal Nelson de Sá Earp - Rua Paulino Afonso, 455.


  Doses estarão disponíveis em nove Unidades de Saúde neste Sábado

 

Meninos de 11 até 14 anos e meninas de 9 a 14 anos devem ser vacinados

 

Intensificando as ações de prevenção contra o HPV (Papiloma Vírus Humano), a Secretaria de Saúde realiza neste sábado (22.06) um mutirão de vacinação de 9 às 17h, em nove Unidades de Saúde. As doses estarão disponíveis na UBS Pedro do Rio, UBS Itaipava, Ambulatório Escola, UBS Retiro, UBS Quitandinha, Hospital Alcides Carneiro, Centro de Saúde, PSF Alto da Serra e Epidemiologia.  Para as meninas, a faixa etária para a imunização vai dos 9 aos 14 anos, enquanto que para os meninos é dos 11 anos aos 14 anos. A imunização contra o HPV pode ajudar na prevenção de diversos tipos de câncer.

 

Tanto para meninos quanto para meninas, o esquema vacinal prevê a aplicação de duas doses, com um intervalo mínimo de seis meses e máximo de 12 meses entre a primeira e a segunda dose. A campanha de atualização do esquema vacinal começou 19 de junho e vai até o dia 21 de julho.

 

A vacina contra HPV foi expandida pelo Sistema Único de Saúde em todo o Estado do Rio de Janeiro após a publicação da lei 6.060/11 de autoria do prefeito Bernardo Rossi que reforça a importância dos pais levarem os adolescentes até os postos.

 

A análise da caderneta de vacinação é importante porque o calendário do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde sofreu modificações este ano, com a inclusão das vacinas HPV Quadrivalente para meninos de 11 a 14 anos e da vacina Meningocócica C para adolescentes de ambos os sexos, com idades entre 12 e 13 anos. 

 

“A vacina protege contra quatro subtipos de HPV, sendo dois responsáveis por 70% dos casos de câncer do colo do útero, que é a terceira causa de morte de mulheres no Brasil. O vírus pode provocar também casos de câncer de pênis, ânus e garganta. A vacina é segura, não há contraindicação, o que ela pode provocar de reação é uma febre leve e a região ficar um pouco dolorida como pode ocorrer em qualquer outra aplicação de vacina”, explica a coordenadora da Epidemiologia, Alessandra Cardoso.


MUTIRÃO HPV - Lista dos postos de saúde e demais locais de vacinação:


*Atendimento de 8h às 17h – Com intervalo de 1 hora de almoço

 

  1. Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde)
    Rua Santos Dumont, S/Nº

 

  1. PSF Alto da Serra
    Rua Teresa, 2024 (Praça Miguel Couto)

 

  1. UBS Quitandinha
  2. Rua General Rondon nº 400

 

  1. UBS Retiro
    Av. Barão do Rio Branco s/n 

 

  1. Ambulatório Escola
    Rua Bernardo Proença nº 32

 

  1. Hospital Alcides Carneiro
    Rua Vigário Corrêa, 1.345

 

  1. UBS Pedro do Rio
    Estrada União e Indústria s/n

 

  1. Coordenação Epidemiologia
    Hospital Municipal Nelson de Sá Earp - Rua Paulino Afonso, 455.

 

  1. UBS Itaipava
    Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues s/n

ComSaúde aprova 52 delegados para evento que acontece nos dias 07 e 08 de julho

Judicialização da Saúde será debatida em última pré-conferência

O Conselho Municipal de Saúde (ComSaúde) aprovou na quarta-feira (21.06), a prorrogação do processo de inscrição para 14ª Conferência Municipal de Saúde que acontece em julho. Os candidatos a ouvintes terão até o dia 04 de julho para se inscrever no site da Prefeitura de Petrópolis. A abertura do evento acontece na Casa dos Conselhos, no dia 07, e as palestras e debates no dia 08 na FMP/Fase. Na reunião dos conselheiros, os participantes aprovaram ainda, o regimento interno da Conferência e também os 52 delegados que terão direito ao voto nas propostas indicadas durante o evento.

Na próxima segunda-feira (26.06) acontece a última pré-conferência que discutirá a “Judicialização da Saúde”. A Secretaria de Saúde realizou outras duas pré-conferências com os temas “Evasão dos Profissionais da Saúde da Rede Pública do SUS” e “Determinantes Sociais da Saúde”.

Dentre o grupo de delegados eleitos estão representantes do Governo, de instituições de saúde privada que prestam serviço ao SUS, de entidades de trabalhadores da Saúde e aquelas formadoras, de organizações sindicais de trabalhadores rurais e urbanos, de deficientes e portadores de patologias crônicas, de instituições não governamentais e de associações comunitárias ou de moradores.

“O delegado da Conferência tem a atribuição de discutir e deliberar sobre a temática do evento, para isso, o mesmo deve conhecer o tema, os avanços e os desafios que o município deverá alcançar para os próximos anos. Para fortalecer essas discussões, é essencial o conhecimento das deliberações das pré-conferências, visando o apontamento de propostas coerentes que venham fomentar e efetivar as políticas públicas do município. Todos os delegados têm direito a voz e voto, já os ouvintes e convidados têm apenas o direito à voz”, explica o presidente do ComSaúde, Anderson Moraes Garcia.

Última pré-conferência abordará a judicialização da Saúde

A Secretaria de Saúde promove na segunda-feira (26.06), a partir das 18h na Casa dos Conselhos a última pré-conferência, O tema será a “Judicialização da Saúde”, que abordará a busca da população por ações judiciais como forma de obter o seu direitos à Saúde.

“É uma demanda que vem aumentando a cada dia no nosso município. Pessoas que entram na Justiça solicitando internações, medicamentos, cirurgias ou qualquer outro meio de acesso ao sistema de Saúde que não é viabilizado por meios administrativos. Vamos apresentar o cenário atual e buscar uma solução para diminuirmos o número de processos melhorando a assistência”, disse o presidente do ComSaúde, Anderson Moraes Garcia.

Inscrições para a 14º Conferência Municipal de Saúde vão até o dia 04

A 14ª Conferência Municipal de Saúde acontecerá nos dias (07.07) na Casa dos Conselhos e no dia (08.07) no auditório da FMP/Fase. O objetivo é  analisar os avanços e retrocessos na área de Saúde do município, propondo diretrizes para formulação de Políticas Públicas. As inscrições para participar da Conferência foram prorrogadas até o dia 04 de julho, de 09 às 16h, na sede do Conselho  Municipal de Saúde, na Avenida Barão do Rio Branco, 2.846 - Centro ou através do site: www.petropolis.rj.gov.br. As inscrições podem ser feitas também na abertura do evento (07.07) na Casa dos Conselhos.

Município credenciou ainda o CAPs Itaipava e o Núcleo de Apoio à Saúde da Família

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, se comprometeu a liberar o recurso de R$ 4 milhões para o município relacionado a 8 emendas parlamentares. O anúncio foi realizado em um encontro em Brasília, nesta quarta-feira (21.06), ao prefeito, acompanhando do secretário de Saúde. O município conquistou ainda o credenciamento do Centro de Atenção Psicossocial - Caps - de Itaipava e da criação do Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Ricardo Barros solicitou o envio do projeto da unidade de pronto atendimento que será instalado em Itaipava e outro de ampliação da maternidade do Hospital Alcides Carneiro. 

Das emendas aprovadas R$ 750 mil foram apresentados pela deputada Jandira Feghali; R$ 1,5 milhão, do deputado Hugo Leal; R$ 270 mil e R$ 300 mil dos deputados Laura Carneiro e Roberto Sales, respectivamente; R$ 100 mil do deputado Cabo Daciolo; R$ 300 mil do deputado Celso Jacob; R$ 350 mil do senador Romário e R$ 400 mil do deputado Fabiano Horta. Os valores são destinados à instalação de novas unidades básicas de saúde, aparelhos, incrementos e pesquisas.

No encontro, o ministro Ricardo Barros, prometeu empenho na aprovação de projetos de ampliação de unidades e serviços de Saúde. “O prefeito e o secretário pontuaram as necessidades imediatas do município, solicitamos que elas nos sejam enviadas como propostas e projetos para que possamos analisar e destinar o envio das verbas”,  garantiu o ministro.

 

Diagnóstico do avanço da doença foi apresentado à profissionais de Saúde nesta quarta-feira (21.06). 

A Secretaria de Saúde iniciou nesta quarta-feira (21.06), as ações de combate ao crescimento do número de casos de sífilis congênita no município. Os dados apresentados a profissionais de saúde, em capacitação realizada nesta quarta-feira (21.06) são preocupantes. Neste ano, de janeiro a maio, 16 recém nascidos foram diagnosticados com sífilis congênita. Destes, 13 vieram a óbito devido à doença. Para combater o surgimento de uma epidemia, a Saúde traçou algumas estratégias como sensibilizar as mães a realizarem o preventivo durante os nove meses de gestação, implantar o teste rápido nas UBS e PSF, conscientizar sobre o uso do preservativo e implantar fluxos de monitoramento e acompanhamento às gestantes e crianças diagnosticas com a doença.

O encontro reuniu cerca de 250 profissionais da Atenção Básica e foi apresentado um diagnóstico onde foi relatado que o estado do Rio ocupa a 3ª posição com mais casos diagnosticados de sífilis congênita. Só em Petrópolis, durante o ano passado, 42 crianças nasceram com a doença. Destas, 20 vieram a óbito. Além disso, se identificou o aumento de mulheres utilizando o Sistema Único de Saúde: em 2016 foram 65 mil mulheres atendidas pelo SUS. O número de usuárias de plano de saúde passou de 32 mil para 27 mil.

A palestra foi ministrada pela coordenadora do programa DST/AIDS, Maria Inês Ferreira que destacou a necessidade de criação de fluxos e protocolos de atendimentos.

“Nós já estabelecemos um fluxo junto à maternidade para acompanhamento das puérperas, assim que as mães diagnosticadas com sífilis congênita, tiverem alta elas são encaminhadas para o programa DST/AIDS. Lá a mãe a criança serão acompanhadas e receberão as doses de penicilina para tratamento. É preciso também tratar o parceiro e conscientizar sobre o uso do preservativo já que a sífilis congênita pode ser reincidente”, explica Maria Inês Ferreira.

Para ampliar a divulgação das ações preventivas, a Superintendência da Atenção Básica, Fabíola Heck, explicou que irá intensificar as ações de planejamento familiar junto às equipes de Estratégia de Saúde da Família para ações na comunidade.

“Nós precisamos levar o programa de planejamento familiar e as ações de DST/AIDS até a população mais jovem. Hoje o município conta com distribuição de anticoncepcionais em pílula, injetável, colocação de DIU, além da distribuição de preservativos em toda rede, precisamos focar em estratégias de prevenção para combater o crescimento de casos de sífilis no município”, destacou Fabíola Heck.

 

Município realiza mutirão de imunização neste sábado (24) em 14 pontos de vacinação

O Ministério da Saúde ampliou a faixa etária da imunização contra o HPV que a partir de agora passa a ser ofertada para os meninos de 11 até 15 anos incompletos (14 anos, 11 meses e 29 dias). A decisão foi comunicada nesta terça-feira (20.06) a todas as Secretarias de Saúde do país. Em Petrópolis, o município organizará neste sábado (24.06), um mutirão de vacinação em nove unidades de saúde. O objetivo é aumentar o número de adolescentes protegidos contra o vírus, que é um dos responsáveis pelo desenvolvimento do câncer de colo de útero nas mulheres e cujo contágio ocorre também através da relação sexual. Atualmente, 1.094 pessoas foram imunizadas, mas a estimativa é que 18 mil sejam vacinadas este ano.

A vacina contra o HPV para os meninos passou a ser disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) em janeiro deste ano, contemplando inicialmente os meninos de 12 até 13 anos. Até o ano passado, era feita apenas em meninas.Também terão direito a vacina, a partir de agora, homens e mulheres transplantados e oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia.

O prefeito, autor da lei 6.060/11, que determinou a vacinação no Estado do Rio e que inspirou a iniciativa do governo federal expandida para vacinação em massa pelo SUS em todo o país, afirma que é de extrema importância que os pais levem os adolescentes até os postos.

No dia 05 de janeiro a campanha foi iniciada, mas dos 8 mil meninos que precisam ser imunizados em Petrópolis apenas 536 tomaram a vacina nesses seis meses. Já nas meninas foram 558 doses aplicadas das 13 mil que precisam ser protegidas contra o vírus.

No Dia D de vacinação também serão aplicadas as doses contra febre amarela e a coordenadora da Epidemiologia Alessandra Cardoso explica que o objetivo é intensificar os protegidos contra a doença.

 “O Dia D ocorrerá nas UBS Pedro do Rio, UBS Itaipava, Ambulatório Escola, UBS Retiro, UBS Quitandinha, HAC, Centro de Saúde, PSF Alto da Serra e Epidemiologia com funcionamento de 8 às 17h. Os pais podem levar seus filhos para tomarem as duas doses ao mesmo tempo, não há contraindicação. A vacina é segura, os adolescentes costumam ficar tensos antes da aplicação, já ocorreram desmaios, mas não há relação alguma a reação a vacina”, disse Alessandra Cardoso.


ESQUEMA VACINAL - Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina HPV, com intervalo de seis meses entre elas. Para as pessoas que vivem com HIV, a faixa etária é mais ampla (9 a 26 anos) e o esquema vacinal é de três doses (intervalo de 0, 2 e 6 meses). No caso dos portadores de HIV, é necessário apresentar prescrição médica.

A vacina disponibilizada no SUS é a quadrivalente e já é ofertada, desde 2014, para as meninas. Confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia para quem segue corretamente o esquema vacinal.

Para os meninos, a estratégia tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV. A definição da faixa etária para a vacinação visa proteger meninos e meninas antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus.

Nas meninas, o principal foco da vacinação é proteger contra o câncer de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus. O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

MUTIRÃO HPV - Lista dos postos de saúde e demais locais de vacinação:


*Atendimento de 8h às 17h – Com intervalo de 1 hora de almoço 

1.    Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde)
Rua Santos Dumont, S/Nº

 

2.    PSF Alto da Serra
Rua Teresa, 2024 (Praça Miguel Couto)

3.    UBS Quitandinha

Rua General Rondon nº 400

4.    UBS Retiro
Av. Barão do Rio Branco s/n 

5.    Ambulatório Escola
Rua Bernardo Proença nº 32

6.    Hospital Alcides Carneiro
Rua Vigário Corrêa, 1.345

7. UBS Pedro do Rio
Estrada União e Indústria s/n

8. Coordenação Epidemiologia
Hospital Municipal Nelson de Sá Earp - Rua Paulino Afonso, 455.

9. UBS Itaipava
Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues s/n

 

 

 



Rota de resgate foi simulada na última segunda-feira (12.06)

 

A Secretaria de Saúde, por intermédio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) irá montar um posto médico no Palácio de Cristal para os atendimentos durante a Bauernfest. O evento que acontece de 23 de junho a 2 de julho tem expectativa de atrair cerca de 320 mil pessoas. Para garantir a assistência e a segurança a quem se acidentar durante o período, além da disponibilização de um pronto atendimento haverá uma rota específica de socorro que foi simulada na última segunda-feira (12.06), onde foram testados caminhos alternativos para realização da assistência às vítimas em caso de acidentes.

 

A Central de Regulação Médica das Urgências, situada no SAMU, seguirá atendendo as ocorrências recebidas através do 192 em seu fluxo normal. Em situações de envio de equipes que necessitem passar pelas áreas do entorno da Bauernfest, o operador da frota entrará em contanto com o Centro de Controle de Operações (CCO) para auxiliar no processo. O CCO estará localizado no ônibus da Guarda Civil onde serão concentradas as ordens de serviços das operações durante a festa.


Durante o simulado foram testados dois caminhos: o primeiro da sede do Corpo de Bombeiros, na Barão do Rio Branco, até o Hospital Santa Teresa e, o segundo, até a Coronel Veiga. Entre as unidades de Socorro – SAMU e Corpo de Bombeiros forampactuados que as ocorrências registradas no local da festa serão direcionadas ao Hospital Municipal Nelson de Sá Earp, caso sejam ortopédicas ou psiquiátricas e as ocorrências clinicasde qualquer natureza serão encaminhadas a UPA Centro.


“Priorizamos as ações para rápido deslocamento das viaturas do SAMU 192 em relação às ruas no entorno da festa, sem prejuízo ao tempo resposta de atendimento às vitimas em situações de urgência e emergência. Mas a assistência não será apenas aos casos registrados no local da festa, mas também em locais em que a ambulância precisa se deslocar pelo trajeto da Bauernfest”, explica o cvoordenador Administrativo do SAMU, José Geraldo da Rocha.

 

No posto médico que será montado no Palácio de Cristal, o SAMU disponibilizará: um médico, um enfermeiro e um funcionário administrativo, para acolhimento e abertura de boletim de atendimento, tanto paras as pessoas que busquem o Posto em demanda espontânea, quanto aos encaminhados pelos maqueiros socorristas e demais membros da organização da festa.


“Em caso de atendimento de menores desacompanhados, o Conselho Tutelar será acionado, e o Conselheiro de plantão acompanhará o atendimento e o encaminhamento para as unidades de referência se necessário pela Ambulância disponibilizada para o evento, que será tripulada por um condutor socorrista, um técnico de enfermagem e um médico intervencionista”, disse o coordenador Administrativo do SAMU, José Geraldo da Rocha.

Doses ficarão disponíveis nesses pontos a partir desta quinta-feira (22.06)


192 mil pessoas já se protegeram contra a doença

 

A Secretaria de Saúde vem cumprindo o cronograma de imunização preventiva contra febre amarela proposto pelo governo do estado. O município já aplicou 193 mil doses desde janeiro deste ano e o objetivo é que mais 80 mil pessoas sejam vacinadas até outubro. Reforçando a divulgação junto às Equipes de Estratégia de Saúde da Família, a coordenação de Epidemiologia concentrou as doses da vacina em 14 pontos com rotina de vacinação.

A partir desta quinta-feira (22.06), a população deverá procurar o Centro de Saúde, Coordenação de Epidemiologia, Hospital Alcides Carneiro, Ambulatório Escola e três PSF e sete UBS para se vacinar de 8 às 16h, com intervalo de 1h de almoço.

O prefeito  destaca que o município cumpriu o cinturão de imunização proposto pelo Ministério da Saúde vacinando mais de 80 mil pessoas, apenas em áreas verdes, entre março e abril deste ano. O prefeito reforça ainda que Petrópolis já fazia parte da lista de municípios prioritários definida com base na avaliação do cenário epidemiológico do Rio de Janeiro.

O Ministério da Saúde passou a adotar o protocolo de imunização preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que indica a dose única da vacina contra a febre amarela para as áreas com recomendação de vacinação em todo o país.

A campanha de vacinação contra a febre amarela teve início em Petrópolis no dia 18 de março com a chegada de 75 mil doses. Além de proporcionar um sistema de vacinação inédito, com 50 pontos de vacinação em todo município, a Saúde também adotou a vacinação volante, levando as doses às áreas de população da zona rural e famílias que vivem em locais próximos a matas.

Devem se vacinar crianças a partir de nove meses a adultos com até 59 anos. A imunização é contra indicada para gestantes, pessoas com o sistema imunológico debilitado e pessoas alérgicas à gema de ovo. Os idosos devem ser vacinados apenas com a liberação de um médico.

Lista dos postos de saúde e demais locais de vacinação:
*Atendimento de 8h às 16h – Com intervalo de 1 hora de almoço 

1.    Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde)
Rua Santos Dumont, S/Nº


2.    PSF Alto da Serra

Rua Teresa, 2024 (Praça Miguel Couto)


3.    PSF São Sebastião
Rua São Sebastião nº 625


4.    UBS Alto Independência
Rua Angelo João Brand s/n


5.    UBS Quitandinha
Rua General Rondon nº 400


6.    UBS Retiro
Av. Barão do Rio Branco s/n 


7.    Ambulatório Escola
Rua Bernardo Proença nº 32


8.    UBS Itamarati
Rua HívioNaliato nº 169 


9.    Hospital Alcides Carneiro
Rua Vigário Corrêa, 1.345


10. UBS Morin

Rua Pedro Ivo, n.º 81 – Morin

 

11. UBS Itaipava
Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues s/n

 

12. UBS Pedro do Rio
Estrada União e Indústria s/n

 

13. PSF Posse
Estrada União de Indústria nº 33.530

 

14.  Coordenação Epidemiologia
Hospital Municipal Nelson de Sá Earp - Rua Paulino Afonso, 455.

 
 
Pagina 1 de 82

DO

LDO 2018

iptu

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

selo acesso informacao.fw