2.490 doses estarão disponíveis em 14 postos a partir de segunda-feira (21)

O Ministério da Saúde ampliou a faixa etária da imunização contra o HPV para mulheres e homens de 15 até 26 anos. A medida vale apenas enquanto houver doses em estoques com previsão de vencimento para setembro deste ano. Em Petrópolis, 2.490 vacinas estarão disponíveis para o novo grupo se imunizar a partir de segunda-feira (21.08), em 14 postos com rotina de vacinação. O objetivo é aumentar o número de pessoas protegidas contra o vírus, que é um dos responsáveis pelo desenvolvimento do câncer de colo de útero nas mulheres e cujo contágio ocorre também através da relação sexual.

A medida foi anunciada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta quinta-feira (17.08). O Ministério da Saúde já havia aumentando a faixa etária da imunização em junho ampliando a aplicação das doses em meninos de 11 até 15 anos incompletos (14 anos, 11 meses e 29 dias). A Secretaria de Saúde informa que após a aplicação os adultos que se imunizarem poderão retornar às unidades para receber outras doses previstas no esquema de vacinação.

A vacina contra o HPV para os meninos passou a ser disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) em janeiro deste ano, contemplando inicialmente os meninos de 12 até 13 anos. Até o ano passado, era feita apenas em meninas. Também terão direito a vacina, a partir de agora, homens e mulheres transplantados e oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia.

A ampliação ocorre diante das baixas coberturas de vacinação e da proximidade do vencimento das doses já distribuídas.  Atualmente há 1.646 meninas e meninos protegidos contra o vírus no município, mas a estimativa é que 18 mil sejam vacinados. Preocupado com a baixa adesão do público-alvo, o Secretário de Saúdeirá mobilizar as equipes para divulgar a campanha nas unidades escolares. 

Lista dos postos de Saúde e demais locais de vacinação:

*Atendimento de 9h às 17h – Com intervalo de 1 hora de almoço  

  1. Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde)
    Rua Santos Dumont, S/Nº
  2. PSF Alto da Serra
    Rua Teresa, 2.024 (Praça Miguel Couto)
  3. PSF São Sebastião
    Rua São Sebastião nº 625
  4. UBS Alto Independência
    Rua Ângelo João Brand s/n
  5. UBS Quitandinha
    Rua General Rondon nº 400
  6. UBS Retiro
    Av. Barão do Rio Branco s/n
  7. Ambulatório Escola
    Rua Bernardo Proença nº 32
  8. UBS Itamarati
    Rua HívioNaliato nº 169 
  9. Hospital Alcides Carneiro
    Rua Vigário Corrêa, 1.345
  10. UBS Morin
    Rua Pedro Ivo, n.º 81 – Morin
  11. UBS Itaipava
    Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues s/n
  12. UBS Pedro do Rio
    Estrada União e Indústria s/n
  13. PSF Posse
    Estrada União de Indústria nº 33.530
  14. Coordenação Epidemiologia
    Hospital Municipal Nelson de Sá Earp - Rua Paulino Afonso, 455.

Prefeitura implantará ambulatório para tratamento de varizes oferecendo técnica – sem cirurgia -  que elimina os vasos em até quatro aplicações a partir de setembro. A escleroterapia com espuma densa que antes estava disponível apenas em consultórios particulares será realizada pelo SUS no Hospital Alcides Carneiro. Em visita a unidade, o prefeito Bernardo Rossi acompanhado do secretário de Saúde Silmar Fortes, anunciou a implantação do ambulatório e nesta quinta-feira (17.08), a fim de proporcionar um tratamento contínuo aos pacientes e reduzir a fila de espera que reúne 190 pessoas aguardando há mais de um ano por cirurgias.

O ambulatório contará com duas salas equipadas com ultrassom e angiologistas atuando com média de dez pacientes por semana. A técnica europeia elimina os vasos em até 30 minutos e não é necessário o uso de anestesia. O paciente sai do ambulatório andando e com rotina de atividades normais.

Uma cirurgia de varizes demora em média 4 horas para ser realizada e geralmente o paciente precisa operar as duas pernas. O Hospital Alcides Carneiro realiza em média duas cirurgias por semana.

Os procedimentos vasculares realizados nos primeiros seis meses deste ano já atingem 70% de toda produção do ano passado. Enquanto em todo ano de 2016 foram realizadas 261 cirurgias vasculares, no primeiro semestre deste ano 182 pessoas foram operadas. O aumento de atendimentos é ainda maior - e supera 86% - em relação às cirurgias de varizes. Nos primeiros seis meses deste ano 39 cirurgias foram realizadas, apenas seis a menos que o total de procedimentos realizados em todo ano passado - 45 cirurgias.

Fila da ressonância magnética é reduzida pela metade

A prefeitura já reduziu pela metade a fila de espera para exames de ressonância magnética que na gestão passada chegou a ter 4.500 pessoas aguardando exame por mais de dois anos.  Duas frentes foram abertas para essa redução: colocar em funcionamento o aparelho de ressonância do Hospital Alcides Carneiro, parado desde janeiro de 2016, e aumentar o fluxo de exames para clínicas particulares do município.  São 2,5 mil pessoas que, em sete meses, realizaram os exames.

Crianças que nascerem no hospital já sairão com certidão de nascimento

A partir de setembro, as crianças que nascerem no Hospital Alcides Carneiro sairão da unidade com a certidão de nascimento emitida na hora e gratuitamente. A prefeitura e o Hospital Alcides Carneiro irão reativar a unidade interligada ao Cartório RCPN e Notas do 2º Distrito de Petrópolis. O serviço já funcionou no hospital, de 2005 a 2007, mas foi interrompido pela gestão anterior. Com a retomada da unidade, o HAC assume o pioneirismo na assistência às gestantes no município.

De janeiro a junho 1.841 gestantes deram à luz na unidade. Com uma média de 250 partos por mês, a maior maternidade do município com 48 leitos é referência em atendimentos às gestantes com gravidez de alto risco. A unidade conta ainda com 10 leitos de UTI neonatal. Em setembro, o HAC passará a oferecer mais uma facilidade às famílias com o registro de nascimento.

“Agosto dourado” proporciona palestras, atividades em grupo e orientações sobre aleitamento materno

A prefeitura vem apoiando as ações de incentivo ao aleitamento materno propostas pelo movimento nacional “Agosto Dourado”. Na manhã desta quarta-feira (16.08), o Hospital Alcides Carneiro (HAC) realizou um ‘mamaço’ – ação que auxilia as mulheres sobre como amamentar os filhos que reuniu 40 mães na recepção da unidade. Diariamente o hospital vem proporcionando orientações, palestras e oficinas para as gestantes que dão entrada na maternidade.

O Hospital Alcides Carneiro tem a maior maternidade da região, com média de 250 partos mensais, além do atendimento especializado às gestantes com gravidez de alto risco. Para que o incentivo à amamentação e ao vínculo materno seja iniciado ainda no pré-natal, as Unidades Básicas de Saúde e Postos de Saúde da Família também estão organizando as ações por território. No próximo dia 23 de agosto a unidade do Retiro irá ter uma programação especial para atendimento as gestantes do bairro.

“O incentivo à amamentação e o vinculo materno é preconizado nas estratégias da Rede Cegonha. Estamos aproveitando as ações do agosto dourado para reforçar todo um processo que já temos desenvolvido junto às unidades de saúde, por conta disso, cada unidade criou sua programação de acordo com o perfil do seu território para envolver as mães e a família”, anuncia Fabíola Heck, superintendente de Atenção em Saúde.

De janeiro a junho 1.841 gestantes deram à luz na unidade. Com uma média de 250 partos por mês, a maior maternidade do município com 48 leitos é referência em atendimentos às gestantes com gravidez de alto risco. A unidade conta ainda com 10 leitos de UTI neonatal.

“O agosto dourado é uma ação mundial e que este ano estamos abraçando e esperamos que as ações possam chegar a todas as redes de atendimento. Iniciamos a programação com a cantata, hoje aconteceu o mamaço, teremos oficina de shantala que é uma massagem que acalma o neném, oficina de sling que é uma técnica para carregar o neném, workshop, roda de conversa, entre outras atividades”, afirma a coordenadora da maternidade, Lorena Sabbadini.

Mães aprovam programação do Agosto dourado

A equipe da maternidade promoveu um ‘mamaço’ na recepção do hospital Alcides Carneiro. A ação reuniu 40 mães onde foram demonstradas técnicas de como amamentar, como colocar o neném para arrotar após a amamentação, o período ideal de amamentação entre outros assuntos. Muitas mães que já passaram por outras gestações puderam ter acesso a informações que nunca foram passadas antes, como a importância do leite materno que é considerado a primeira vacina para o recém-nascido. Esse foi o caso de Lorena Josefine Caroline, que deu à luz a pequena Beatriz no dia 15.

“Muitas mães acabam não insistindo na amamentação porque o neném não pega o peito ou acha o processo dolorido. Aqui nós aprendemos as técnicas de como amamentar e a importância para a saúde da minha filha mantê-la consumindo apenas o leite materno”, afirma Lorena Josefine.

Também na terceira gestação, Fabiana dos Santos Duarte deu à luz a Joaquim no último dia 14, durante o mamaço aprendeu como controlar o tempo de amamentação da criança.

“Às vezes eu dava o peito e o meu filho não pegava, achava que ele estava sem fome ou então que já estava satisfeito. Agora eu não fico mais em dúvida, as enfermeiras me ensinaram a maneira correta de colocar a aréola na boca do neném e assim se ele tiver com fome ele vai sugar”, avalia Fabiana dos Santos Duarte.

Imunização será realizada em todo município até novembro

 Cães e gatos da Lopes Trovão, Meio da Serra, Sargento Boening, Castelânea, Siméria e adjacências deverão ser vacinados neste sábado (19.08), na 4ª fase da campanha de vacinação antirrábica. A imunização ocorrerá em horários alternados, entre 9 e 17h, em três postos - PSF da Vila São Francisco, PSF Sargento Boening, PSF Alto Siméria e em mais oito ações volantes pela região. A expectativa da Secretaria de Saúde é que 3.610 animais domésticos destes locais estejam protegidos contra a doença por um ano.

A raiva é uma doença grave de origem viral transmitida, em geral, por mordidas de animais infectados, arranhões ou mesmo lambidas. Em Petrópolis não há casos registrados de raiva em animais domésticos há mais de 30 anos.A campanha de vacinação foi dividida seguindo o mesmo cronograma no ano passado para que os animais fossem imunizados na mesma época.  

Todos os animais que estejam em plena condição de saúde serão imunizados. A coordenadora da Vigilância Ambiental, Maria Beatriz Fagundes Pellegrini, explica que a vacina não apresenta contraindicação.

“Nós só não iremos fazer a imunização caso eles estejam debilitados ou doentes como, por exemplo, com diarreia ou vômitos. Para a vacina do animal não é preciso levar o comprovante anterior, basta apresentar um documento de identidade do dono do animal”, explica Maria Beatriz Fagundes Pellegrini, coordenadora da Vigilância Ambiental.

O órgão orienta que o transporte dos animais seja realizado por adultos em guias apropriadas. No caso de animais agressivos é recomendando o uso de focinheiras já os animais pequenos devem ser transportados em caixas com ventilação.

 “Já ocorreu de gatos fugirem na hora de aplicar a dose justamente pelo fato dos donos levarem o animal no colo. É preciso que eles estejam tranquilos e sejam conduzidos pelo responsável para que a imunização ocorra de forma segura para evitar o estresse da vacinação”, aponta Maria Beatriz.

Acidentes com animais domésticos são comuns e uma vez mordidas as pessoas devem tomar vacina e soro logo após o incidente. O polo de atendimento para pessoas que precisam de soro antirrábico, antitetânico, antiofídico (picada de cobra), antiaracnídico (picada de aranha), antiescorpiônico (picada de escorpião) está localizado na UPA Centro.

4ª Etapa da Campanha de vacinação antirrábica animal - 19 de agosto

PV 01  - Volante
Local: Lopes Trovão – Garagem da D. Creusa
Horário de funcionamento: 09h às 14h
Local: Caminho do Ouro (Associação de Moradores)
Horário de funcionamento: 14h30 às 16h30

PV 02  - Volante
Local: PSF da Vila São Francisco
Horário de funcionamento: 09h às 14h
Local: Açude – Garagem do Bar do Serginho
Horário de funcionamento: 14h30 às 16h             

PV 03 – Escola Municipal Pedro Amado -  Meio da Serra
Horário de funcionamento: 09h às 16h30

PV 04 – Escola Municipal Rubens Bomtempo - Vila Felipe
Horário de funcionamento: 09h às 17h

PV 05 – PSF Sargento Boening
Horário de funcionamento: 09h0às 17h

PV 06 -  Praça Pasteur - Castelânea
Horário de funcionamento: 09h às 17h

PV 07 – PSF Alto Siméria  - Bairro Siméria
Horário de funcionamento: 09h às 17h

PV 08
Escola Municipal João Paulo II  (São Sebastião)

Horário de funcionamento: 09h às 17h
Capitão Paladini
Horário de funcionamento: 13h30 às 14h30

Terça, 15 Agosto 2017 - 18:42

Juiz destaca empenho na gestão da Saúde

Judicialização da Saúde foi discutida entre autoridades na manhã desta terça (15.08)

A reorganização do sistema para melhorar o atendimento à população e a negociação de dívidas deixadas pelos antigos gestores junto a fornecedores, laboratórios e hospitais conveniados foi destacado pelo titular da 4ª Vara Cível, juiz Jorge Luiz Martins, em reunião que discutiu a judicialização da Saúde na manhã desta terça-feira (15.08). O encontro reuniu 70 representantes do governo, legislativo e judiciário no auditório da Representação Regional Serrana da Firjan.

A média mensal de demandas judicializadas para internação na especialidade clínica médica, em anos anteriores, que somavam seis pedidos mensais por mandatos judiciais, este ano foi zerada. Outro número positivo é a queda nos mandatos judiciais para cirurgias: de 10, média de anos anteriores, nesta gestão caiu para 8. Já as solicitações via justiça de vagas leitos de CTI/UTI teve a significativa redução de 24 para 19 ações por mês. Ainda há números altos em exames e medicamentos que mantém a média de anos anteriores, mas a expectativa é de que com investimento correto na saúde, o atendimento à população seja mais eficiente com as pessoas não tendo mais que recorrer à Justiça para exames, cirurgias, medicamentos e internações.

O prefeito apresentou ainda as dívidas da Saúde. São R$ 97,4 milhões de volume de dívidas com hospitais, clínicas, fornecedores, além de décimo terceiro atrasado com uma parcela do funcionalismo da área. Maior parte desta dívida já foi parcelada, salários do funcionalismo estão em dia e a atual gestão buscou no governo federal recuperação e recursos e programas para levar à população investimentos necessários.

O município conquistou a verba de R$ 1,8 milhões anuais do governo federal para implantação do Programa Melhor em Casa. A União também vai liberar recurso de R$ 4 milhões para o município relacionado a 8 emendas parlamentares para compra de equipamentos para o Hospital Nelson de Sá Earp como mamógrafo e densitômetro e a implantação de uma nova unidade básica de saúde.

Juiz destaca pagamento de dívidas como diferencial na nova gestão

Antes de apresentar os números que apontam para uma queda este ano no número de ações judiciais referentes a demandas na área de Saúde, o magistrado destacou a importância do esforço da atual gestão para pagamento da dívida junto ao hospital Santa Teresa, principal parceiro do município na rede particular.

“Vimos o esforço desta gestão para negociar uma dívida que chegou a R$ 14 milhões junto ao Hospital Santa Teresa (HST), um hospital que é referência em atendimento de urgência e emergência, que presta um serviço fundamental para a população e que deixou de receber durante meses os repasses de recursos que deveriam ser destinados a ele”, apontou o juiz, lembrando ainda que o atual governo parcelou também valores pendentes junto ao Hospital Clínico de Corrêas. Juntos os dois hospitais conveniados acumulavam uma dívida de mais de R$ 15 milhões–valores negociados pela atual gestão e que já vêm sendo pagos rigorosamente em dia.

Judicialização da saúde: meta da gestão é reduzir as ações

A Judicialização na Saúde é a busca da população por ações judiciais como forma de obter os seus direitos à Saúde. Dentre os desafios apontados no encontro está a promoção de debates junto ao judiciário e a comunidade sobre o tema, bem como estabelecer a cooperação e o diálogo permanente entre as partes.

Dados apresentados pelo titular da 4ª Vara Cível, juiz Jorge Luiz Martins mostraram que entre os anos de 2014 e 2016 tramitaram 5.024 ações judiciais relacionadas à área de Saúde na 4ª Vara. No ano passado, a média mensal foi de 69 de processos em busca de vagas para UTI/CTI, Clínica Médica, cirurgias, exames e medicamentos.  Neste ano a atual gestão reduziu para zero as ações para vagas na Clínica Médica e vem atuando para reduzir os índices nas demais áreas.

A judicialização da Saúde também custa caro aos cofres do município. Um levantamento feito junto à assessoria jurídica da Secretaria de Saúde identificou que as despesas referentes a ações judiciais, entre 2013 e 2016, alcançaram R$ 10,6 milhões.

Escleroterapia com espuma densa será realizada em ambulatório a partir de setembro

 

Procedimento elimina os vasos em até quatro aplicações

 

A população que sofre com problemas de varizes terá acesso a um procedimento inovador que elimina os vasos em até quatro aplicações. A escleroterapia com espuma densa passará a ser oferecida pelo SUS em setembro. A técnica europeia que antes estava disponível apenas em consultórios particulares será realizada no ambulatório do Hospital Alcides Carneiro. A expectativa é de que com a nova técnica a prefeitura reduza a fila para o tratamento de varizes, que tem 190 pacientes aguardando há mais de um ano pelo procedimento.Uma cirurgia de varizes demora em média 4 horas para ser realizada e geralmente o paciente precisa operar as duas pernas. O Hospital Alcides Carneiro realiza em média duas cirurgias por semana. Implantando a nova técnica, o atendimento passará ser de dez pacientes por semana.

 

A Secretaria de Saúde destaca que os procedimentos vasculares realizados nos primeiros seis meses deste ano já atingem 70%  de toda produção do ano passado. Enquanto em todo ano de 2016 foram realizadas 261 cirurgias vasculares, no primeiro semestre deste ano 182 pessoas foram operadas. O aumento de atendimentos e ainda maior - e supera 86% - em relação às cirurgias devarizes. Nos primeiros seis meses deste ano 39 cirurgias foram realizadas, apenas seis a menos que o total de procedimentos realizados em todo ano passado - 45 cirurgias.

 

O Hospital Alcides Carneiro conta com seis salas cirúrgicas, uma sala de RPA – Recuperação pós-anestésica, um CTI pós-cirúrgico com sete leitos, além de oito leitos exclusivos para procedimentos vasculares. Para a implantação do tratamento por escleroterapia com espuma densa, o Hospital Alcides Carneiro precisou disponibilizar duas salas e dois equipamentos de ultrassonografias.

 

“Temos como meta, alinhada às diretrizes do prefeito e do secretário de saúde, proporcionar a melhor assistência aos nossos pacientes e promover o crescimento dos nossos serviços e atuação médica. Tivemos uma reunião com a equipe da cirurgia vascular que nos apresentou a técnica, avaliamos que o custo benefício é positivo e decidimos trazer esse procedimento para o SUS. Assim vamos conseguir reduzir essa fila e proporcionar o tratamento e acompanhamento desses pacientes de forma mais eficaz”, disse Filipe Furtuna, diretor do Hospital Alcides Carneiro.

 

Técnica tem resultados visíveis já na primeira sessão

A escleroterapia com espuma densa é um tipo de tratamento que elimina completamente as varizes e os pequenos vasinhos. A técnica consiste em aplicar uma substância, em forma de espuma, diretamente nas varizes, até que estas desapareçam. A técnica é eficaz nas microvarizes e varizes de até 2 mm, eliminado-as completamente. Nas varizes de maior calibre o tratamento deve ser em um número maior de aplicação na mesma variz.

O chefe da equipe de Cirurgia Vascular, o médico José Eduardo Costa Filho, explicou que cada paciente será avaliado para se definir o número de sessões que, em média, é de três a quatro. Após o tratamento a aplicação da espuma, recomenda-se que a pessoa use meias de compressão elásticapara melhorar o retorno venoso e diminuir as chances de aparecer novas varizes.

 

“A eliminação das varizes e pequenos vasinhos com a escleroterapia com espuma é praticamente definitivo porque o vaso tratado não voltará a apresentar variz, no entanto, outras varizes podem surgir porque este também tem uma característica hereditária.Após cada aplicação o paciente pode voltar a rotina normal e deverá vir na semana seguinte para uma avaliação com ultrassom onde se é marcada a segunda sessão. Vale ressaltar que o tratamento tem o cunho de reabilitar o paciente e não estético, além desse paciente fazer o acompanhamento com angiologista após a finalização das sessões”, explica José Eduardo Costa Filho.

.

Programa Saúde na Escola começa a ser reativado na rede municipal de ensino


Novo formato garantirá o envio de verba federal para custeio das ações do programa


Alunos da rede pública de ensino - um total de 10.112 crianças - receberão neste semestre, ações contínuas de prevenção e promoção em Saúde. A prefeitura reestruturou o Programa Saúde na Escola (PSE) que tem como diretrizes 12 metas a serem cumpridas, inicialmente, em 38 CEIs e 18 escolas com cobertura de atendimento dos Postos de Saúde da Família. Conforme protocolo do Ministério da Saúde, o município terá até novembro para implantar todas as ações preconizadas.


As secretarias de Saúde e Educação se uniram para garantir que os estudantes estejam em dia com o calendário vacinal, recebam ações de prevenção à obesidade, cuidados com a saúde bucal, auditiva e ocular, aprendam a combater o mosquito Aedes aegypti, e tenham o incentivo à atividade física, além de prevenção ao uso de álcool, tabaco e drogas.


Para garantir o recebimento do recurso anual, no valor de R$ 5,6 mil a cada 600 estudantes envolvidos nas ações programadas, a prefeitura teve que reestruturar o programa iniciado em 2013 cumprindo a diretriz publicada pelo Ministério da Saúde pela portaria Nº 1.055 de 25 de abril de 2017. 


A superintendente de Atenção em Saúde, Fabíola Heck explica que as equipes da Educação e da Saúde iniciarão na próxima semana, as visitas nas escolas pactuadas para realização do cronograma de atividades do programa.


“Essas visitas serão realizadas nos territórios para que possamos ter uma noção de como implantar cada ação. Dividimos o cronograma das 12 ações em seis regiões, mas cada escola será trabalhada de acordo com o perfil de sua comunidade. Vale reforçar que conforme orientação do nosso prefeito estamos trabalhando integrados à Educação e é justamente essa integração que está marcando a consolidação das ações no município”, avalia Fabíola Heck, lembrando que no dia 2 de agosto foi realizado o 1º Seminário Petropolitano do Programa Saúde na Escola.

 

Profissionais da Saúde e da Educação serão treinados para identificar sintomas iniciais de problemas de visão e audição


O Programa Saúde na Escola é uma estratégia de integração da saúde e educação para o desenvolvimento da cidadania e da qualificação das políticas públicas. Durante o processo de reestruturação do programa uma equipe técnica da educação atuou integrada aSaúde em todo o processo de organização de novos fluxos e protocolos de atividades.


A coordenadora das Áreas Técnicas de Saúde, Patrícia Ramos Pereira Rodrigues, explica que está sendo formulado um fluxo de encaminhamento das crianças que apresentarem problemas de visão ou audição junto à rede de assistência do município.


“Nós iremos capacitar esses profissionais, tanto da Educação quanto da Saúde a terem um olhar diferenciado para identificar precocemente possíveis problemas de visão ou audição. Uma vez identificado, essas crianças serão encaminhadas para acompanhamento de oftalmologistas, otorrinolaringologistas ou fonoaudiólogos”, explica Patrícia Ramos.


“Às vezes a criança tem dificuldade no aprendizado por algum problema de audição ou de visão e a mãe não sabe, então o programa vem auxiliar nessas ações preventivas. As ações como um todo contribuem para a formação do pequeno e jovem cidadão, além de contribuir no que tange ao empoderamento de toda a comunidade dos territórios que compõe a escola e unidades” considera Nanci Barillo, encarregada da área técnica de Saúde na Escola.

Encontro marcará a retomada de ações de prevenção e uso consciente de agrotóxicos

Acontece na próxima segunda-feira (14.08) o 1º Seminário sobre Vigilância da Saúde da População Exposta ao Agrotóxico. O encontro marcará a implantação do Plano de Ações de Vigilância e a reativação do Conselho Municipal de Controle de Agrotóxicos e outros Biocidas (Comcab). A prefeitura tem o objetivo de conhecer melhor a realidade na linha de utilização do produto químico ou biológico – comercialização, utilização pelo produtor rural e o descarte de embalagens – para definir ações de promoção, prevenção e vigilância em saúde à população exposta. O evento será realizado no auditório do Palácio Itaboraí, de 9 às 17h.

O seminário é uma iniciativa conjunta entre Ministério Público, governo e associações de produtores rurais. Uma das diretrizes do Plano de Ações de Vigilância da Saúde de População Exposta a Agrotóxicos é fornecer a capacitação para profissionais da assistência para realizar o diagnóstico de intoxicação, além da notificação dos casos junto à Epidemiologia.

“Nós assumimos o compromisso de retomar projetos e programas que são fundamentais para a nossa população e que foram abandonados por gestões anteriores. Em 2014 um plano de ação chegou a ser criado pelo município para atender a portaria do Ministério da Saúde nº 2938. Um incentivo no valor de R$ 21 mil foi recebido e ficou retido na conta porque a gestão anterior não executou o projeto. Além de executar esse projeto nós vamos reativar a Comcab que há mais de 20 anos não está operante em nossa cidade”, anuncia o prefeito.

Plano de vigilância terá ações nas escolas, unidades de saúde e comunidades rurais

No município, 800 famílias que representam cerca de 5 mil pessoas, vivem da produção rural em áreas no distrito da Posse, Jacó, Caititu, Vale das Videiras, no Brejal, Taquaril, Secretário, Bonfim e Caxambu. A atividade movimenta R$ 16 milhões por ano. A proposta do governo é integrar as secretarias para que juntas desenvolvam ações de promoção e prevenção em saúde, como também de valorização e crescimento da produção rural.

Dentre as ações do plano de vigilância está prevista a elaboração de material educativo sobre agrotóxicos para produtores rurais, além de cadastro e fiscalização à comercialização, utilização pelo produtor rural e o descarte de embalagens. O secretário de Saúde explica que buscará uma integração junto aos apoiadores dos PSFs Caxambu, Brejal e Bonfim que participaram da elaboração do plano em 2014 para ampliaras ações desenvolvidas nas unidades em áreas rurais.

 

 

 

 
 

‘Agosto dourado’ proporcionará palestras, atividades em grupo e orientações sobre aleitamento materno


Petrópolis também aderiu ao Agosto Dourado, de incentivo ao aleitamento materno. A Secretaria de Saúde iniciou nesta quinta-feira (10.08) uma ação de incentivo à amamentação junto às unidades de saúde do município. As primeiras atividades ocorreram no Hospital Alcides Carneiro (HAC), maior maternidade da região com média de 250 partos mensais e especialização em atendimento às gestantes com gravidez de alto risco. Também haverão ações de incentivo à amamentação junto às UBSs e PSFs.


“O incentivo à amamentação e o vinculo materno é preconizado nas estratégias da Rede Cegonha. Além da programação desenvolvida pelo Hospital Alcides Carneiro, a Secretaria de Saúde promoverá junto às equipes da Atenção Básica atividades junto aos grupos de apoio e as gestantes acompanhadas pelos postos. Cada unidade criará sua programação de acordo com o perfil do seu território. Teremos palestras, oficinas, mamaço entre outras atividades para as mães”, anuncia Fabíola Heck, superintendente de Atenção em Saúde.


De janeiro a junho 1.841 gestantes deram à luz na unidade. Com uma média de 250 partos por mês, a maior maternidade do município com 48 leitos é referência em atendimentos às gestantes com gravidez de alto risco. A unidade conta ainda com 10 leitos de UTI neonatal.


“A nossa maternidade é uma referência e responsável pelo grande volume de atendimento desde o pré-natal até o parto. Iniciativas como essas serão promovidas sempre integradas com a Secretaria de Saúde para que as mães tenham a continuidade do atendimento oferecido na atenção básica também no hospital”, avalia Filipe Furtuna, diretor do HAC.


Programação inicia com cantata para as mães


Um grupo de funcionários do Hospital Alcides Carneiro promoveu uma cantata para as mulheres internadas na maternidade e UTI neonatal. Com uma música que incentivava a importância do aleitamento materno, muitas mães se emocionaram com a apresentação no local. Esse foi o caso de Bianca Raymundo da Costa, que deu a luz ao pequeno Gabriel no dia 08.


“Eu não esperava encontrar esse tipo de atendimento. Desde que cheguei a equipe da maternidade me abordou e já me explicou muitas coisas para me preparar para a chegada do Gabriel. Após o nascimento elas me ensinaram como amamentar, a posição que dá mais conforto, gostei muito da atenção”, disse Bianca Raymundo da Costa.


A coordenadora da maternidade, Lorena Sabbadini explica que as orientações sobre como amamentar é uma rotina de atendimento e afirma que até o fim do mês ocorrerão diversas atividades na unidade para as mães que se internarem ao longo das semanas.


“Estamos programando um mamaço na próxima semana, mas teremos oficina de shantala que é uma massagem que acalma o neném, oficina de sling que é uma técnica para carregar o neném, workshop, roda de conversa, entre outras atividades. O agosto dourado é uma ação mundial e que este ano estamos abraçando e esperamos que as ações possam chegar a todas as redes de atendimento”, afirma Lorena Sabbadini.

Só neste semestre dois casos foram notificados no município


Doença tem cura e tratamento é oferecido gratuitamente pelo SUS


A Secretaria de Saúde vem mobilizando as equipes de Atenção Básica para promover o diagnóstico precoce e ampliar a notificação de casos de hanseníase no município. A doença está sob controle em Petrópolis há mais de 30 anos registrando uma média de 4 casos a cada ano. Porém, apenas neste semestre, dois homens foram diagnosticados e estão em tratamento na Coordenação de Epidemiologia, o que reforça a importância da atenção aos sintomas iniciais da doença. A hanseníase tem cura e o tratamento é oferecido gratuitamente pelo SUS. Na próxima semana, algumas unidades de saúde farão mobilizações conscientizando sobre o diagnóstico precoce da hanseníase. A programação faz parte do mês de conscientização ao controle da hanseníase em todo o Estado.


A Hanseníase é uma doença contagiosa transmitida por um micróbio (bacilo Hansen), que afeta principalmente a pele e os nervos da face, dos braços, das mãos, das pernas e dos pés. A maioria da população – 90% -  tem uma proteção natural contra a doença que é contraída através do convívio próximo e prolongado com pessoas contaminadas. Tanto adultos quanto crianças podem ter a doença, porém, se observou a incidência de casos em homens a acima dos 50 anos.


A superintendente de Atenção em Saúde, Fabíola Heck, explica que o tratamento é oferecido pelo Ministério da Saúde gratuitamente, mas cabe a atenção das equipes de Saúde, durante o atendimento de rotina, a atenção quanto a manchas, caroços, nódulos sem sensibilidade que surgirem nos pacientes.


“A hanseníase leva, em média, cinco anos para manifestar os sintomas. Então a pessoas pode ter a doença e não saber, quanto mais precocemente se diagnosticar, melhor será resposta ao tratamento. Nós estamos fortalecendo junto às equipes esse olhar diferenciado para que eles mesmos observem nos pacientes se há alguma mancha suspeita que cabe a investigação médica”, afirma Fabíola Heck.


“Os postos do Bonfim, Estrada da Saudade e 1º de maio já estão com programação de palestras, teatros e atividades em grupos de convivência. Há aqueles que farão os alertas durante as consultas, mas é importante frisar a importância do diagnóstico precoce para a doença não evoluir para agravos musculares como atrofia de membros ou perca da sensibilidade”, alerta Fabíola Heck.


Hanseníase leva de 6 meses a 1 ano para ser tratada


O coordenador do Programa de Controle de Hanseníase, o dermatologista Attílio Valentini, explica que é preciso conscientizar tanto a população quanto aos profissionais de saúde a fim de estarem atentos às principais manifestações da doença. Qualquer tipo de mancha dormente deve ser suspeita de hanseníase.


“Nesse caso, é importante que a pessoa vá a uma unidade de saúde para consulta clínica. Por ser uma doença estigmatizante é fundamental a disseminação da informação como ferramenta para melhorar o diagnóstico precoce”, avalia Attílio Valentini.


Uma vez diagnosticada a pessoa receberá o tratamento por medicação oral de 6 a 12 meses ininterrupto. Attílio Valentini explica que os familiares e as pessoas que convivem com o doente também deverão ser avaliados clinicamente.


“Se a pessoa tiver até cinco lesões de pele, o tratamento levará 6 meses. Mas se forem mais de cinco lesões, o tratamento levará 12 meses. São 28 comprimidos que deverão ser tomados todos os dias e sem pausas. A cada início de uma nova cartela, o paciente deverá vir a consulta para tomar uma parte dos medicamentos e levar o restante para casa”, explica o dermatologista que afirma que mesmo que o familiar não apresente sintomas, ele deve ficar atento nos próximos cinco anos se não aparece alguma alteração na pele “como temos o período de incubação de até cinco anos, mesmo que a pessoa não tenha os sintomas ela deve ficar atenta ao longo dos anos por ter convivido com uma pessoa doente”, complementa.
Pagina 1 de 87

DO

LDO 2018

LDO 2018

iptu

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

selo acesso informacao.fw