Imunizações já estão previstas para esta semana no Caxambu, Bonfim, Lajinha, Brejal e Araras.
Campanha já vacinou 20,7 mil pessoas em quatro dias.

A Secretaria de Saúde apresentou aos representantes dos 800 produtores rurais do município, um esquema de vacinação que proporcionará um cinturão de imunização nas áreas rurais do Vale das Videiras, Bonfim, Secretário, Cuiabá, Caxambu, Posse e Lajinha. A expectativa é que cerca de 4 mil pessoas sejam imunizadas. As famílias que moram em áreas de difícil acesso receberão em casa, uma equipe do PSF ou UBS referenciado nos bairros para aplicar a vacina.  Uma reunião entre o prefeito Bernardo Rossi e 14 produtores rurais, presidentes de associações, foi realizada na terça-feira à tarde (21.03), para demonstrar como será a operação.  Com 50 postos e unidades abertos para vacinação, o balanço de pessoas imunizadas chegou, nesta terça-feira, a 20,7 mil pessoas que procuraram os postos desde sábado, primeiro dia de imunização.

O prefeito Bernardo Rossi explica que a ação é uma orientação do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado que prevê a imunização total de pessoas que moram próximo às matas e áreas rurais. A prefeitura terá o apoio do Exército, Aeronáutica e Cruz Vermelhas para cumprir cronograma de imunização.

“Nossa vacinação é preventiva e priorizamos a imunização no cinturão verde do município. Identificamos que em alguns bairros há a dificuldade de acesso da população aos postos, por conta disso, iremos iniciar a vacinação em casa para os moradores dessas áreas”, anuncia Bernardo Rossi.

O técnico da Emater/RJ – Empresa de Assistência Técnica de extensão rural, José Kleber Cytramgole Rayol, destacou que a ação da prefeitura de Petrópolis é uma referência para outros municípios.

“É importantíssimo os produtores serem convocados para auxiliarem e opinarem quanto a distribuição das doses, pois assim, conseguiremos ter a certeza da imunização das famílias em todas as áreas rurais”, avalia José Kleber.

Um dos bairros que terá a vacinação volante esta semana é o Bonfim que conta com seis micro áreas no limite com o Parque Nacional da Serra dos Órgãos. A expectativa é que mais de 1.500 pessoas sejam imunizadas na localidade.

O produtor rural Paulo Artur Almeida da Silva, 49 anos, chegou a tomar a vacina na segunda-feira (20.03) no posto de saúde do bairro, mas afirmou que a iniciativa será importante para àqueles que residem em áreas dentro do parque.

“Eu fui até o posto para tomar a vacina porque tenho facilidade de acesso. Mas há um grande número de famílias que precisariam de ajuda para ir até lá, então, vai ser importante a prefeitura proporcionar isso”, disse o produtor.

O presidente da Appri – Associação dos Produtores Rurais de Itaipava, Márcio Ferreira, revelou que há 30 produtores cadastrados e cerca de 280 pessoas que trabalham diretamente nas áreas rurais em Itaipava.

“Nós contabilizamos os produtores, mas há um grande número de funcionários contratados, os vendedores que atuam na região e suas famílias. Por conta disso, esse diálogo é importante para criarmos um cronograma de vacinação que contemple a todos”, revelou Márcio Ferreira.

Os bairros Quitandinha e Araras também tem previsão de vacinação volante por serem áreas com adensamento de mata. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, comentou que o cronograma de ações está sendo definido de acordo com as demandas dos bairros.

“Cada bairro está identificando a necessidade de atuação de acordo com os atendimentos prestados nos postos. Se há alguma dificuldade de acesso, nós levaremos a vacina até o morador. O que vale ressaltar é que essas são as doses iniciais de um cronograma de imunização para todo o ano”, afirma Silmar Fortes.

Sexta, 17 Março 2017 - 16:51

Petrópolis vacina contra febre amarela

75 mil doses chegaram à cidade

Áreas rural e de mata são prioridade na imunização

O prefeito Bernardo Rossi conseguiu 75 mil doses de vacina contra febre amarela na Secretaria de Saúde do Estado para iniciar a imunização da população já neste fim de semana em caráter preventivo. A cidade não tem nenhum caso registrado da doença e já vacinou 9 mil pessoas nos dois primeiros meses deste ano, público em viagem para cidades de Minas Gerais onde há pacientes com a doença.

Petrópolis vai seguir o protocolo recomendado pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado: vacinar a população da zona rural e famílias que vivem em locais próximos a matas. Preferencialmente as doses serão enviadas para as localidades do Brejal, Posse, Pedro do Rio, Caxambu, Vale das Videiras, Bonfim, Araras, Fazenda Inglesa e Quitandinha. Elas são áreas cercadas por matas ou rurais.

O Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde) e o setor de Epidemiologia (HMNSE) funcionarão sábado e domingo (dias 18 e 19.03) em horário especial de 8às 17h para atender a população. A recomendação continua a mesma: a vacina é prioritária para quem vai viajar.  E estes locais têm capacidade de aplicação de 500 a 800 doses ao dia, por isso a recomendação é que a população aguarde o início da vacinação no posto de saúde de seu bairro.

“Importante frisar que a população não precisa entrar em pânico, não há casos de febre amarela aqui. A vacinação em Petrópolis é preventiva”, afirma Bernardo Rossi lembrando que a previsão do governo do Estado do Rio era enviar doses para Petrópolis no fim do mês, “mas conseguimos antecipar essa remessa como forma preventiva por termos regiões cercadas por grandes matas e rurais. Solicitei ao secretário de Estado, Luiz Antônio Teixeira Junior, o envio das doses. Conseguimos as 75 mil doses para já iniciarmos a imunização destas áreas”, anuncia Bernardo Rossi.

Uma reunião nesta sexta-feira (17.03) na prefeitura junto com o secretário de Saúde, Silmar Fortes, articulou as equipes para que a imunização ocorra simultaneamente na rede.

Entre segunda e terça-feira a Secretaria iniciará a distribuição das vacinas entre as 8 Unidades Básicas de Saúde e 37 Postos de Saúde da Família. Na segunda-feira (20.03, a vacina vai estar disponível nos postos das áreas rurais e de mata (já citados: Brejal, Posse, Pedro do Rio, Caxambu, Vale das Videiras, Bonfim, Araras, Fazenda Inglesa e Quitandinha). Na terça-feira, a partir das 12h, a vacina começa a ser distribuída nos demais postos, incluindo os de área urbana.

A Secretaria de Saúde mobilizará equipes para a aplicação da vacina e está organizando um cronograma para funcionamento dos postos também durante a noite. Para isso, estão sendo articuladas parcerias junto a unidades privadas, universidades, cursos de enfermagem entre outras entidades.

“Queremos formar uma equipe grande para atender em menor tempo possível as pessoas, porque a população acompanha com apreensão os casos registrados em Minas no Espírito Santo e esta semana os dois casos em Casemiro de Abreu, no Estado do Rio. Mas, frisamos que a vacinação é preventiva e não há necessidade de corrida aos postos”, afirma Silmar Fortes.

O secretário de Defesa Civil, Paulo Renato Vaz, juntamente com o secretário de Educação, Anderson Juliano e de Administração e Recursos Humanos, Marcus Von Seehausen, disponibilizaram equipes e suportes na distribuição das vacinas na rede.

Como orientação de imunização, o Secretário de Saúde do Estado, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior solicitou que as pessoas evitem áreas de matas, cachoeiras. Caso necessitem ir para esses lugares é preciso se imunizar com até 10 dias de antecedência.

“Estamos fazendo uma grande campanha de vacinação em massa. É importante que toda população rural tome a vacina e que evitem os passeios em trilhas e nas matas. A população não precisa se alarmar, não temos surto, nem suspeitas de casos, mas é preciso trabalharmos com a prevenção”, afirma Luiz Antônio que falou ao prefeito e secretários municipais em videoconferência.

As 75 mil doses da vacina já estão em Petrópolis. Elas foram transportadas na tarde desta sexta-feira e estão estocadas no Setor de Epidemiologia.

 

Quadro 1

 

Quadro 2

 

Quadro 3

 


Quadro 4

Secretaria de Saúde do Estado está priorizando a imunização nas cidades com divisas com municípios com casos confirmados da doença

Após o anúncio da Secretaria Estadual de Saúde (SES) de que o Rio de Janeiro vai vacinar em massa contra a febre amarela, a Secretaria Municipal de Saúde notificou a SES quanto às diretrizes que serão aplicadas no município. Por orientação do Ministério da Saúde, a imunização ocorrerá prioritariamente na Capital e em cidades com divisas com os três estados com casos confirmados ou suspeitos da doença. Demais municípios serão incluídos em cronograma ser definido pela SES. Ainda não há previsão de recebimento das doses em Petrópolis, mas a Secretaria Municipal de Saúde já estuda como será o esquema de imunização dentro da rede.

Só neste ano foram aplicadas 6.860 doses da vacina que teve o esquema de reposição alterado para atender aos petropolitanos que iriam viajar no carnaval. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explicou que nem mesmo o envio das doses previstas na rotina de envio, 300 doses mensais, foi fornecido pelo Estado.

“O Estado anunciou que até a última semana do mês eles receberão 3 milhões de doses, mas não temos previsão se dentre essas Petrópolis será contemplada. Não recebemos neste mês a reposição mensal, justamente por eles estarem priorizando a imunização nas cidades que fazem divisa com os municípios com confirmação do surto.O objetivo da SES é de se realizar o bloqueio da entrada do vírus no Estado do Rio de Janeiro”, aponta Silmar Fortes.

Nunca ocorreram casos da doença em Petrópolis e não há notificações suspeitas no Estado. A coordenadora do serviço de Epidemiologia da Secretaria de Saúde, Elisabeth Wildberger comentou que a população não precisa entrar em alarde por conta da falta de reposição e anunciou que o município já está se organizando para ampliar os postos de vacinação.

“Com o fim do verão os casos tendem a diminuir, pois a proliferação do mosquito tem maior incidência no calor, por conta disso, o Estado anunciou que até o fim do ano deve ocorrer a imunização. De qualquer maneira estamos em estudo para ampliar os postos de vacinação que este ano ficou localizado apenas no setor de epidemiologia. Buscaremos dar mais acessibilidade à população que precisará se imunizar.”, disse Elisabeth Wildberger.

O infectologista do Departamento de Doenças Infecto Parasitárias (DIP) Antonio Luiz Chaves Gonçalves explicou que a vacina contra a febre amarela é contraindicada em alguns casos, como em crianças menores de seis meses de idade, gestantes, idosos acima de 60 anos, mulheres que amamentam crianças de até seis meses (se receberem a vacina, o aleitamento materno deve ser suspenso preferencialmente por 28 dias após a vacinação ou no mínimo 15 dias) e pessoas com doenças autoimunes ou doença neurológica.

“A recomendação médica é que esses pacientes evitem as áreas com o surto da doença. Mas, em caso de extrema importância de viagem, um médico deverá avaliar o risco/benefício da vacinação para esses grupos, levando em conta o sério risco de eventos adversos. Nesses casos, a vacinação só será realizada mediante prescrição médica e a mesma ficará retida na unidade onde a vacina for aplicada”, afirma o infectologista. 

 

Iniciativa da Clinica de Olhos Dr. Tannure aborda a importância do cuidado com a visão das crianças

Professores, orientadores e diretores das escolas municipais terão a oportunidade de participar da 1ª Semana da Visão, que será promovida entre os dias 26 de março e 2 de abril, uma iniciativa da Clínica de Olhos Dr. Tannure.

Um dos pontos altos da programação para a qual os professores estão convidados será no dia 28 de março, quando os profissionais participarão de uma palestra com médicos área que mostrarão a melhor forma de identificar que o aluno está precisando ser encaminhado para uma consulta com um oftalmologista. Os encontros ocorrerão no teatro Afonso Arinos, no Centro de Cultura, em dois momentos: às 9h e às 11h.

“Essa iniciativa da clinica é muito importante porque vai mostrar a o cuidado com a visão das crianças. Será uma capacitação para que os professores possam diferenciar com mais nitidez as possíveis dificuldades que a criança possa estar enfrentando com relação à visão. Ficamos felizes com o convite de participar dessa semana e sempre apoiaremos esse tipo de iniciativa, seguindo a determinação do prefeito Bernardo Rossi”, disse o secretário de Educação, Anderson Juliano.

A atividade faz parte da 1ª Semana da Visão. A ação vai contar ainda com a corrida “Serra Kids”, no último dia do evento, juntamente com atividades lúdicas e brincadeiras com as crianças.

“Esse encontro funcionará como uma orientação para os professores e é importante que ocorra no começo do ano letivo. Dessa forma os professores podem orientar os pais e auxiliá-los na procura por uma consulta”, apontou Renata Tannure.

 

Dos 33 carros sucateados apenas 11 ainda estão em manutenção

Em menos de um mês a Secretaria de Saúde colocou em funcionamento12 dos 33 veículos que estavam parados por falta de manutenção. Carros, motos, vans e ambulâncias estavam em depósitos sem previsão de reparos desde novembro de 2016. Após identificar o descumprimento contratual, a Saúde rescindiu o contrato da empresa responsável e convocou o segundo colocado da licitação para iniciar o serviço. Atualmente apenas 11 carros estão na oficina e a previsão é que em curto prazo a frota com 84 carros já esteja completa para melhor assistir a população.

Mensalmente cerca de 800 petropolitanos utilizam os carros administrativos para se deslocarem dentro e fora do município para realizar consultas e acompanhamentos médicos, exames e tratamentos. “Petrópolis precisa ser cuidada, com capricho. Mesmo com poucos recursos estamos aplicando economia para devolver à cidade a estrutura que ela precisa para atender à população”, aponta o prefeito Bernardo Rossi.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explica que um levantamento da frota foi realizado em janeiro e os problemas relacionados ao transporte estavam impactando diretamente a qualidade da assistência aos pacientes.

“A falta de revisão mecânica levou a uma série de problemas que, acumulados, inviabilizaram o uso dos veículos. Esta foi mais uma herança deixada pela gestão anterior, que consertamos. Agora vamos melhorar a logística do transporte e agilizar o acompanhamento e o tratamento da população.”, explicou Silmar Fortes.

A última leva de veículos recebida pela Secretaria de Saúde foi em 2015: dois carros e uma ambulância básica. Devido à falta de revisão, todos precisaram de conserto. No levantamento feito pela Secretaria de Saúde 21 carros administrativos, 5 ambulâncias e 7 motos precisavam de manutenções simples como: troca de óleo, pneus, buzinas e baterias.

Com a frota em dia, a população será mais bem assistida. Atualmente três vans são usadas diariamente para o transporte de pacientes ao Rio de Janeiro e outros municípios. Em média, 30 pacientes são submetidos a tratamentos fora da cidade como hemodiálise, tratamentos oncológicos e em recuperação por transplantes renais.

“Alguns pacientes são encaminhados a municípios próximos para realizarem tratamento contínuo. As duas ambulâncias das UPAS também já estão em funcionamento. Há ainda um grande número de veículos com latarias amassadas e problemas mais graves, mas estamos nos organizando para colocar essa frota em dia e, assim, aperfeiçoaremos a assistência à população”, destaca Silmar Fortes.

Terça, 14 Março 2017 - 16:25

Prefeitura fortalece parceria com a APPO

Associação comemora 25 anos de fundação com evento em maio

A Prefeitura, por intermédio da Secretaria de Saúde, reforçou o apoio e a parceria com a Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO), em reunião na última segunda-feira (14.03). Responsável por proporcionar a assistência a mais de 700 pacientes com câncer, a instituição estava há cinco meses com o aluguel da sede em atraso. Prestes a completar 25 anos de fundação, o prefeito Bernardo Rossi garantiu o pagamento dos aluguéis deste ano e renegociará os antigos para que o atendimento não seja prejudicado. A Secretaria de Saúde assumiu o compromisso de apoiar as ações de prevenção ao câncer e de aumentar o número de mamografias realizadas no município que há quatro anos não atinge a meta preconizada pelo Ministério da Saúde em 60% da população feminina.

O prefeito Bernardo Rossi explicou que o apoio à APPO vem ao encontro às propostas de melhoria da saúde da mulher, através de ações de prevenção, conscientização e otimização da assistência.

“Não poderíamos deixar que o trabalho realizado pela APPO fosse prejudicado por falta de pagamento do aluguel. Nós colocamos em dia os vencimentos deste ano e assumimos o compromisso de renegociar as dívidas passadas, que somam cinco meses em atraso. Ampliaremos o apoio à associação que é fundamental no acompanhamento dos pacientes acometidos pelo câncer em nosso município”, afirmou Bernardo Rossi.

Dentre os serviços prestados pela APPO junto ao município está o acompanhamento aos pacientes internados no Hospital Alcides Carneiro. Está prevista a ampliação desta assistência junto aos outros hospitais da rede pública. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, comentou que aumentará as ações de promoção de saúde principalmente com relação à realização do exame de mamografia.

“O estimulo a realização do exame e do autoexame é um desafio para nossa gestão. A mamografia é um exame importantíssimo para mulher, pois, se diagnosticado precocemente, é o câncer que mais apresenta chance de cura. Além do acompanhamento das pacientes internadas, a APPO nos ajudará a criar ações de prevenção e conscientização”, anuncia Silmar Fortes.

Em comemoração aos 25 anos de fundação da APPO, a prefeitura apoiará realização de uma ação social no dia do aniversário da associação que ocorrerá em maio na Praça D. Pedro. A presidente da APPO, Ana Cristina Mattos, revelou que este ano buscou uma ação global que envolvesse setores e serviços da prefeitura além de parceiros culturais e de beleza.

“Queremos dar um presente aos petropolitanos que tanto nos apoiou nesses 25 anos. Junto à prefeitura, pensamos em uma ação que proporcionasse orientações de cidadania, jurídica, de saúde, bem-estar, cultura e beleza. Será uma grande festa durante todo o dia com uma programação variada. Já alinhamos também as ações do outubro rosa que este ano terá, além da caminhada, um calendário de novas atividades na cidade”, antecipa Ana Cristina Mattos.

Vinte profissionais serão remanejados para Saúde da Família, Saúde Mental e Programa Melhor em Casa.

Com o objetivo de ampliar o atendimento prestado à população na Saúde da Família, implantar o projeto Melhor em Casa e otimizar o serviço de Saúde Mental, a Secretaria de Saúde convocou 20 profissionais aprovados no último concurso. Os médicos, psiquiatras, enfermeiros e técnicos de enfermagem preencherão uma lacuna na assistência identificada após levantamento da atuação dos profissionais no município.

O secretário de saúde, Silmar Fortes, explica que a convocação foi realizada para atender a formação da última Equipe Multiprofissional de Atenção Domiciliar (EMAD). Esse programa visa levar atendimento médico às casas de pessoas impossibilitadas de se locomoverem até as unidades, evitando internações hospitalares desnecessárias e filas dos serviços de urgência e emergência. 

“O melhor em casa será iniciado ainda neste mês. Assim que conseguimos a aprovação do programa, o prefeito autorizou a contratação não só dos profissionais que estavam em falta em algumas das nossas unidades. Com o chamamento dos novos profissionais conseguiremos melhor o atendimento prestado a nossa população”, afirma Silmar Fortes.

A Secretaria de Saúde vai realizar uma reestruturação de toda rede, que contemplará um estudo de como a assistência está sendo prestada nos postos e unidades básicas de saúde. A diretora da Atenção Básica, Fabíola Heck, disse que, com a convocação dos concursados, será possível proporcionar melhor cobertura de atendimentos junto à Saúde da Família.

“São 37 postos de saúde com 44 equipes de Estratégia de Saúde da Família no município. Nós realizamos um levantamento das unidades que estão sem profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos para direcionar os concursados convocados. Estamos iniciando a composição dessas equipes e o remanejamento desses profissionais para tentarmos sanar o problema da falta de profissionais nos postos”, explicou Fabíola Heck.

A convocação dos médicos psiquiatras aprovados no último concurso será essencial para a ampliação do serviço de saúde mental. Após a conquista da regulação da especialidade pelo município, em fevereiro, será possível iniciar as consultas que estão paralisadas desde a gestão passada, o que ocasionou uma fila de mais de 500 pessoas aguardando para iniciar o acompanhamento psiquiátrico.

A chefe do diretório de Saúde Mental, Viviane Martins, revelou que os atendimentos, que antes aconteciam apenas no Hospital Alcides Carneiro, serão direcionados também para o ambulatório de saúde mental e de especialidades.

“O objetivo inicial é regularizar os atendimentos dos pacientes que aguardam na fila, além de proporcionar mais locais de atendimento. Na fila há pessoas que nunca foram atendidas, então, agora, poderemos proporcionar essa primeira consulta e o acompanhamento clínico e terapêutico destes pacientes”, disse Viviane Martins.

Ampliação das ações da rede cegonha e planejamento familiar, campanhas de incentivo a realização de preventivos e mamografias, e ações de combate a transmissão da sífilis congênita são pontos que deverão ser melhorados em prol da saúde da mulher. Os dados foram apresentados nesta quarta-feira (08.03) no balanço sobre o tema, realizado no DIP. Voltada aos profissionais da atenção básica, o encontro teve como objetivo realizar uma avaliação do programa da mulher a fim de criar estratégias de monitoramento, prevenção e promoção em saúde, baseado no histórico de procedimentos realizados pela pasta entre 2014 e 2016.

No diagnóstico apresentado, a Secretaria de Saúde destacou que o estado do Rio ocupa a 3ª posição com mais casos diagnosticados de sífilis congênita. Só em Petrópolis, durante o ano passado, foram 50 gestantes diagnosticadas com sífilis. Destes casos, 9 eram congênitas. Além disso, também identificou o aumento de mulheres utilizando o Sistema Único de Saúde: em 2016 foram 65 mil mulheres foram atendidas pelo SUS. O número de usuárias de plano de saúde passou de 32 mil para 27 mil. Para dar conta da nova demanda, o secretário de Saúde, Silmar Fortes, já iniciou o processo de estudo de reestruturação da rede.

“Assumimos o compromisso de reestruturar a rede em uma nova organização que proporcione uma melhoria na assistência da população. A apresentação de hoje foi voltada para os profissionais de saúde da atenção básica entre médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, com o objetivo de mostrar o diagnóstico e traçar as metas e ações de otimização do serviço prestado”, disse Silmar Fortes.

Um dado crescente no município é o número de adolescentes grávidas, em 2014 foi apenas uma de 10 a 14 anos e ano passado o número passou para 12. As jovens de 15 a 19 anos também teve alta de 358 para 534. Para ampliar a divulgação do programa de planejamento familiar, a Diretora da Atenção Básica, Fabíola Heck, explicou que já está em fase de estruturação a retomada do programa Saúde na Escola.

“Nós precisamos levar o programa de planejamento familiar e as ações de DST/AIDS até a população mais jovem. Hoje o município conta com distribuição de anticoncepcionais em pílula, injetável, colocação de DIU, além da distribuição de preservativos em toda rede. Retomando o programa saúde na escola nós poderemos realizar as ações de prevenção e conscientização a essas adolescentes”, destacou Fabíola Heck.

Apesar de o município ter atingido a meta estimada pela Secretaria de Saúde do Estado, com mais de 20 mil preventivos realizados em 2016, o número de mamografias não teve o mesmo índice. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explicou que o Ministério da Saúde preconiza que seja feito o exame em 60% da população de 50 a 69 anos, mas em Petrópolis há 4 anos não é atingida.

“O estimulo a realização do exame e do autoexame é um desafio para nossa gestão. A mamografia é um exame importantíssimo para mulher pois, se diagnosticado precocemente, é o que mais apresenta chance de cura. Reavaliando nossas ações do Programa da Mulher e investindo em capacitação das equipes com educação continuada pretendemos reverter esse quadro”, avaliou Silmar Fortes.

Prefeito recebe equipe da Saúde para avaliar o processo de implantação

O programa Melhor em Casa começará a ser implantado no fim deste  em Petrópolis. Os últimos detalhes para o atendimento médico nos domicílios foram acertados em reunião entre o secretário de Saúde, Silmar Fortes e o prefeito Bernardo Rossi terça-feira (07.03). O projeto aprovado pelo Ministério da Saúde disponibiliza a Petrópolis o recurso de R$ 156 mil mensais para o custeio do programa formado por equipes com 26 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas para as equipes de atenção domiciliar e fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo e assistente social para as de apoio. O programa do Ministério da Saúde visa levar atendimento médico às casas de pessoas impossibilitadas de se locomoverem até as unidades, evitando internações hospitalares desnecessárias e as filas dos serviços de urgência e emergência. 

O Melhor em Casa contará com três Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMADs) e uma Equipe Multiprofissional de Apoio (EMAP) com sedes instaladas nas Unidades Básicas de Saúde: Quitandinha, Itamarati e Itaipava. O prefeito Bernardo Rossi explicou que os pontos foram escolhidos devido à uma exigência do Ministério da Saúde. 

“Essa é mais uma conquista para Petrópolis que passará a contar com um serviço de assistência domiciliar, facilitando o atendimento não só de pessoas acometidas por doenças crônicas ou em situação pós-cirúrgica, como também portadores de deficiência e idosos. As EMADS foram distribuídas entre essas unidades por cobrirem o atendimento médio de 100 mil habitantes, exigência do Ministério da Saúde, e assim conseguiremos assistir a população de todo o município”, anuncia o prefeito. 

A Secretaria de Saúde já formou duas equipes que passam a atuar já no fim deste mês, o Secretário de Saúde, Silmar Fortes, explicou que para formar a terceira equipe a Saúde convocará os concursados aprovados que trabalharão de segunda a sexta-feira, 8 horas por dia e em regime de plantão nos fins de semana. 

“Assim que o projeto foi aprovado pelo Ministério da Saúde, nós criamos um fluxo de atendimento, em teste, em que toda sexta-feira uma equipe pequena é destinada para atendimento domiciliar. A partir deste cronograma vamos iniciar as ações com as EMADS já formadas. Nos próximos dias vamos priorizar os treinamentos e a convocação dos concursados para compor a última equipe do projeto. Os atendimentos e a freqüência serão definidos conforme o estado clínico e avaliação do paciente”, explica Silmar Fortes. 

Para participar do Programa Melhor em Casa, o paciente deverá preencher um cadastro com a indicação de um cuidador, que poderá ser ou não um membro da família. Silmar Fortes explicou que haverá treinamentos e oficinas de capacitação para cada acompanhante. 

“Precisamos ter garantias que esse paciente será bem assistido em casa. Então ele vai precisar de um cuidador para acompanhá-lo, para só assim as visitas dos profissionais do programa sejam autorizadas. O programa traz benefícios como a humanização da atenção, menor exposição à infecção hospitalar, maior conforto para o usuário e sua família e maior autonomia do cuidador e do paciente. Isso diminui a necessidade e a freqüência de internações hospitalares. Esse fato também auxilia na disponibilização de leitos para os usuários que necessitam de internação hospitalar mais urgente”,  aponta o secretário. 

Petrópolis hoje conta com 1.218 leitos na rede e uma média de 1.600 internações por mês. Nos atendimentos de urgência e emergência, mensalmente as UPAS (Centro e Cascatinha) acumulam mais de 18 mil atendimentos.

 

Serviços psicossociais proporcionarão mais assistência aos moradores de rua

As secretarias de Saúde e Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac) atuarão integradas para ampliar a abordagem e o tratamento aos pacientes com transtornos mentais no Sistema Único de Saúde (SUS). Na primeira reunião do grupo, realizada na segunda-feira (06.03), os serviços psicossociais da prefeitura definiram as primeiras ações em conjunto. Além de criarem fluxos de atendimentos, as pastas atuarão juntas em ações no Consultório na Rua.

O projeto pertencente à Atenção Básica da Saúde e proporciona assistência médica e odontológica aos moradores em situação de rua do município. Para receber os cuidados eles são retirados da rua e encaminhados a unidade básica de referência, que fica no Quitandinha. Atualmente cerca de 150 pessoas vivem em situação de rua na cidade. Com o apoio da Setrac e do diretório de Saúde Mental, será possível proporcionar ações preventivas, tratamentos e acompanhamentos psicossociais a esses moradores.

A melhoria da assistência aos moradores de rua é uma das prioridades do governo Bernardo Rossi. A titular da Setrac, Denise Quintella, explica que além da abordagem da equipe de acolhimento da pasta é essencial a assistência por parte da Saúde.

“Nós temos um grande número de moradores que estão em situação de rua com transtornos mentais e problemas com álcool e drogas. E é justamente nestes casos que a Setrac precisa do apoio da Saúde. A nossa integração está em diversos setores e serviços como diretriz passada pelo nosso prefeito, assim garantimos o envolvimento de todos em benefício à nossa população”, avalia.

Durante os atendimentos da equipe do Consultório na Rua identificou-se a necessidade da integração junto à Saúde Mental, uma vez que após o atendimento clínico, muitos pacientes necessitam de acompanhamento psicológico ou psiquiátrico. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, comentou que é importante fortalecer a ação junto aos Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS) assim como outras entidades do município.

“Essa é uma área onde é fundamental trabalhar em rede de assistência e cuidado devido as questões sociais e de saúde que envolvem o problema. Mas essa integração deve envolver ainda outras secretarias e setores da prefeitura bem como entidades e órgãos da sociedade civil para que possamos enfrentar essa realidade de forma integrada e resolutiva”, explica Silmar Fortes.

O Centro de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centro Pop) atende em média 150 pessoas e o NIS - Núcleo de Integração Social abriga em média 70 pessoas - 90% homens na faixa etária de 30 a 50 anos. A médica do Consultório na Rua, Iara Loos Noel, revelou que já existe um fluxo de atendimento a esses moradores e com a integração será possível assistir àqueles que ainda não são cadastrados nas instituições.

“Nossa população de rua é muito variável, normalmente as equipes do NIS e do Centro Pop nos encaminham os pacientes que necessitam de atendimento clínico. Com a ampliação dos serviços através do apoio da saúde mental, nós poderemos tentar inseri-los nos tratamentos junto aos Caps e assim proporcionar um atendimento mais completo”, afirma Iara Loos Noel.

Pagina 1 de 75

selo acesso informacao.fw