Terça, 13 Março 2018 - 18:58

Com volume de chuvas 189% maior, Defesa Civil alerta moradores de áreas de risco

Com volume de chuvas 189% maior, Defesa Civil alerta moradores de áreas de risco

É fundamental que os moradores que vivem em área de risco do município procurem por um local seguro em caso de fortes chuvas

A quantidade de chuva nos primeiros 12 dias de março foi 189% maior em algumas regiões da cidade em relação ao mesmo período do ano passado. Os índices mostram que em locais como o São Sebastião o acumulado chega a 233 milímetros contra 44mm no mesmo período de 2017. No Independência, local em que no sábado passado choveu 122 milímetros, o índice está 128% maior que no ano passado. Os dados são registrados pelos pluviômetros da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias que estão acoplados às sirenes do Sistema de Alerta e Alarme.

Por conta do grande acumulado dos últimos dias, a prefeitura está reforçando junto às comunidades a importância de os moradores de áreas de risco saírem de casa em caso de chuva forte - pontos de apoio, escolas e igrejas estão disponíveis neste caso. No sábado passado foram acionadas as sirenes do Independência, Quitandinha – Espírito Santo, Ceará e Amazonas -  Dr. Thouzet, Alto da Serra, Vila Felipe e Sargento Boening, mas nenhum morador procurou pelos locais de abrigo. A Defesa Civil reforça que é fundamental que os moradores das áreas de risco sigam a orientação e procurem um local seguro em caso de chuva forte.

"Existe um protocolo que os técnicos da Defesa Civil seguem para fazer o acionamento das sirenes. Quando o equipamento toca, significa que o acumulado de chuva está muito alto e que podem acontecer deslizamentos de terra naquela área. Ou seja, para preservar sua vida, o morador precisa ir para o ponto de apoio do seu bairro", explica o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

Os índices de chuva estão mais altos desde janeiro em comparação com o ano passado. Por conta disso, a Defesa Civil distribuiu mais de 10 mil cartilhas prevenção aos desastres naturais e fixou 200 cartazes do programa SOS Chuvas nas comunidades da cidade nos dois primeiros meses de 2018. O trabalho preventivo serve também para orientar a população sobre como agir no momento das fortes chuvas, além de reforçar a importância das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme.

Também com esse objetivo, foram trocadas as placas dos pontos de apoio do município em janeiro e desde o ano passado são realizados os testes noturnos das sirenes.

Comunidades participaram de 16 simulados no ano passado

Em 2017 foram 16 testes de acionamento das sirenes, sendo 10 diurnos e seis noturnos. O trabalho é realizado mensalmente no dia 10, às 10h, e no dia 20, às 20h, fora do período de verão. Petrópolis conta com 20 equipamentos espalhados por 12 bairros do município: Gentio, Vale do Cuiabá, 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe. 

"Desde o ano passado a prefeitura investe no trabalho organizado e antecipado. Por isso a resposta do governo para as tragédias causadas pela chuva está sendo rápida e eficaz", garante Paulo Renato, lembrando que na elaboração do Plano Verão 2018 participaram 216 pessoas de 42 instituições, garantindo assim a organização dos recursos e maquinários para o pronto atendimento à população em caso de tragédia.

Pontos de apoio abertos quando as sirenes tocam

A prefeitura entregou em fevereiro uma cópia das chaves de acionamento das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme para todos os 45 responsáveis pelos pontos de apoio cadastrados no município. A ação tem o objetivo de garantir que os equipamentos funcionem no momento das fortes chuvas. Um agente da Defesa Civil acompanha a abertura desses locais, para garantir que estejam à disposição da população. Outra medida de prevenção realizada foi o simulado de evacuação dos moradores para os pontos de apoio.

"No ano passado realizamos esse simulado de evacuação na Rua João Xavier e no São Sebastião com o objetivo de explicarmos para a comunidade a importância do Sistema de Alerta e Alarme. Em locais de risco, mesmo ao dia e sem chuva pode ocorrer o deslizamento, em função da saturação do solo pela água. A população deve tirar dúvidas e buscar orientação com a Defesa Civil que mantém plantão 24 horas pelo telefone 199”, orienta o secretário de Defesa Civil, lembrando também que os moradores de área de risco que não contam com as sirenes devem procurar por locais seguros, como Igrejas e Escolas Municipais.

Notícias por data

« Dezembro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Alvará Online - BANNER

DO

loa 2018

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

cpge

gabinete cidadania.fw

selo acesso_informacao.fw

EOUVmunicipios

cmv-logo