Evento sobre ilustrações e quadrinhos.

Os personagens das histórias, ilustrações e quadrinhos ganharão vida na próxima semana na Casa da Educação Visconde de Mauá, em uma programação especial em homenagem ao Dia das Crianças. De segunda a quarta-feira (09 a 11.10) desenhistas, ilustradores e escritores participarão de palestras e oficinas que serão abertas ao público e contarão com a presença dos alunos da Rede Municipal de Educação.

O grande homenageado da programação será o ilustrador que abrirá as atividades na segunda-feira, Maurício Planel. O artista petropolitano iniciou sua paixão pela área artística trabalhando na Tribuna de Petrópolis e Diário de Petrópolis, mas hoje reside no Rio de Janeiro e tem trabalhos publicados em grandes revistas como Mundo Estranho, Playboy, Ciências Hoje, Superinteressante, além de grandes editoras como a Melhoramentos.  Maurício Planel ministrará uma palestra, às 10h, voltada para todos que tenham interesse na construção de livros e utilização de ilustrações com colagens. Maurício também ministrará no mesmo dia uma oficina voltada para jovens às 13h30 onde ensinará técnicas de ilustrações com colagens.

“Eu sou ilustrador, atuo no mercado editorial brasileiro e no exterior. Trabalho com colagem, sempre pesquisando imagens antigas para meus trabalhos. Além disso, sou professor para estudantes de universidades de design e arquitetos. Faço parte de um coletivo de artistas latino americanos que se chama collagistassinfronteras, somos do Brasil, Argentina e Uruguai”, afirma Maurício.

O ilustrador afirma ainda estar feliz com a possibilidade de participar de um evento na Casa da Educação. “Estou muito contente em voltar a Petrópolis e dar aulas para a rede pública de ensino. Eu mesmo sempre fui do Liceu e depois do Cenip, acho muito importante o estado e município darem todas as condições para que os alunos possam seguir em frente uma vida digna”, contou.

Na mesma segunda-feira, às 16h, Rodrigo Santana CB ministrará, para alunos com idades até 12 anos, uma oficina de criação de personagens. Rodrigo já ilustrou mais de 10 títulos de autores diversos, a maioria na Bem Cultural Editora.

Na terça-feira, (10.10), de 9h às 11h, será a vez do artista quadrinista Heraldo Wilson participar do evento com uma oficina  para estudantes. O especialista, além de fazer uma roda de conversa com os alunos, ensinará a montar uma revista em quadrinhos em formato de fanzine, com recortes. Os participantes poderão levar para casa um exemplar criado na oficina.

Ainda na terça-feira, o universo imaginário ganhará outra abordagem, através de rodas de conversa coordenadas pelo psicólogo Jordan Vieira. Os personagens dos quadrinhos serão discutidos sob uma ótica diferenciada. O tema do encontro com os professores será “Super heróis e quadrinhos, elementos de aprendizagem”. O encontro ocorrerá às 14h. No mesmo dia, às 16h, ocorrerá um encontro direcionado para o público jovem, com o tema “Super heróis: uma mitologia moderna”.

Para finalizar a programação do dia 10, será realizada uma roda de conversa sobre “Ilustrações – pessoas e personagens”, com o designer gráfico Ricardo Rocha, focado no público do Ensino de Jovens e Adultos, às 19h. O artista ilustrador, além de ministrar um curso conceituado em Petrópolis, desenvolve trabalhos para grandes agências de publicidade do Rio de Janeiro, São Paulo e outros estados.

Na quarta-feira, (11.10), o dia será de oficinas também voltadas para o público escolar. Às 9h e às 14h, Jadir Valle, o escritor e ilustrador, produtor da série em Quadrinhos RedFox  Estúdio, estará ministrando oficinas voltadas para o tema com alunos de 8 aos 18 anos. Jadir mostrará sobre a divisão de páginas, técnicas para iniciantes, transporte dos esboços e rascunhos para o computador.

“Considero um grande e cultural presente para o público da Casa da Educação este evento, todo feito de participações voluntárias dos apaixonados pelo mundo fantástico das ilustrações e dos quadrinhos. Acho que será uma grande chance para crianças e jovens perceberem que suas simples paixões e hobbies, se trabalhados e com muita prática, podem virar profissão, pois terão chance de conhecer e escutar pessoas renomadas que vivem de suas aptidões descobertas de infância. Será bom demais ter a Casa repleta de heróis”, explica a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.

Os interessados em participar devem fazer as inscrições através do telefone (24) 2246-8659.

Este será mais um passo na consolidação do programa Minha Casa Minha Vida no município.

A prefeitura celebrou convênios com a Caixa no valor de R$ 1 milhão para cumprir as contrapartidas sociais exigidas ao município dentro do Minha Casa Minha Vida no VicenzoRivetti. São seis convênios para realizar os trabalhos técnicos-sociais. Eles englobam instruções de como gerir e conservar os condomínios e apartamentos, noções de saúde e higiene, organização financeira e até a capacitação profissional para a melhoria de vida dos futuros moradores. Desta forma, o Petrópolis dá mais um passo para consolidar o programa habitacional na cidade.  O Vicenzo Rivettti é o primeiro investimento em habitação popular em muitos anos na cidade com 766 unidades senbdo erguidas, empreendimento que já chega a 70% de concusão.

As contrapartidas de infraestrutura do entorno, outra exigência feita pelo programa, vão começar ainda em outubro. A pavimentação e o sistema de drenagem serão implantados pela empresa Gravisa, que venceu a concorrência feita pela Secretaria de Obras e Habitação pelo valor de R$ 732 mil.

O trabalho técnico social será realizado durante dois anos baseado em vários eixos: mobilização e organização comunitária (formação de lideranças que possam representar os moradores a buscar políticas públicas); geração de trabalho e renda (cursos de capacitação e aproximação entre os futuros moradores e possíveis empregadores); educação sanitária e ambiental (prevenção a doenças e informações sobre preservação ambiental); educação patrimonial (ensino de manutenção preventiva das casas e treinamento para uso adequado dos sistemas de água, esgoto, coleta de lixo, fornecimento de luz); planejamento e gestão do orçamento familiar (orientação sobre orçamento familiar e como ter acesso a tarifas sociais em serviços públicos).

O grupo de trabalho mantido pelas secretarias de Assistência Social e Obras e Habitação e a Caixa estuda como tudo será desenvolvido. Todas as ações têm o intuito dedar autonomia e protagonismo social aos moradores, além de desenvolver a população que vai se beneficiar das casas de um modo sustentável.

O trabalho técnico social vai receber R$ 812,25 mil de investimento, enquanto a gestão de condomínio será feita com R$ 270,75 mil, recursos que virão do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) do governo federal.

A construção do empreendimento ficou paralisada por mais de três anos depois que a antiga responsável deixou a obra. O Minha Casa Minha Vida do Vicenzo Rivetti tem 776 unidades em três condomínios e atingiu 67% de conclusão em setembro sob responsabilidade da AB Construtora. Do total, 23 apartamentos serão para famílias que tem pessoas com deficiência. As casas são destinadas para famílias de renda mensal de até R$ 1,6 mil e vão reduzir a lista de pessoas que recebem aluguel social. Os beneficiários serão definidos pela Caixa.

HAC teve 24 mil atendimentos a mais nos últimos quatro meses.
Hospital cresce em número de cirurgias, exames e atendimentos ambulatoriais.

O Hospital Alcides Carneiro (HAC), referência no município para assistência hospitalar pelo SUS, cresce em número de cirurgias, exames e atendimentos ambulatoriais. Desde o início do ano o hospital vem ampliando a oferta de consultas ambulatoriais.  Nos oito primeiros meses deste ano 376 mil atendimentos foram registrados. Em apenas quatro meses – de maio a agosto - foram 24 mil atendimentos a mais com relação ao mesmo período de 2016.

A prefeitura de Petrópolis iniciou a gestão quitando a dívida referente ao 13º salário dos servidores, além dos vencimentos atrasados - um montante de R$ 3,6 milhões. O Hospital Alcides Carneiro está acima da média pactuada junto à Secretaria de Saúde em todos os procedimentos e serviços ofertados pela unidade.

Comparando o primeiro quadrimestre de 2017 ao segundo quadrimestre, verificamos um aumento nos números de internações, atendimentos ambulatoriais, cirurgias e admissões por clinicas médicas. De maio a agosto foram realizadas 3.498 internações, 12% a mais que o mesmo período de 2016 quando foram realizadas 3.122.

Com 226 leitos, sendo 27 de UTI entre adulto e neonatal, o hospital aumentou em 12,3% do número de cirurgias e partos. Já os atendimentos ambulatoriais nestes quatro meses somam 24.246 consultas, 8,8% a mais que no mesmo período de 2016. No período foram realizados 134.445 exames - 3,6% a mais do que o mesmo período do ano passado.

 O plano operativo anual (POA) elaborado nesta gestão já reforça esse crescimento. O HAC alcançou percentual acima dos 67% necessários para cumprimento do que foi pactuado junto a Secretaria de Saúde, o que significa que o serviço está melhor.

50 procedimentos pediátricos por mês no HAC

Em maio deste ano foi realizado o mutirão de cirurgia pediátrica no HAC. Essa foi a primeira participação do Hospital em um mutirão com visibilidade nacional. Foram 18 crianças, com idades entre 10 meses e sete anos, submetidas a cirurgias de fimose e hérnias. Com uma média de 50 procedimentos pediátricos realizados por mês, o hospital não possui filas de espera, mas a iniciativa abriu a agenda em dias da semana para intervenções mais complexas.

A direção do Hospital Alcides Carneiro também qualificou o processo de visitas médicas aos pacientes internados. A média de permanência no hospital nos primeiros oitos meses de 2016 foi de 6 dias e, atualmente,foi reduzido para 5 dias. Assim, é possível ter mais vagas de internação para os pacientes que estão nas UPAs ou aguardando o agendamento de cirurgias.

Hospital prevê crescimento para o próximo quadrimestre

Ações já estão em andamento para conclusão no próximo quadrimestre. É o caso do fim da fila de espera para o exame Ressonância Magnética que está em 60%, a implantação do ambulatório vascular para a realização do tratamento de varizes, a escleroterapia com espuma densa e a implantação do cartório para registro de nascimentos.

Outras ações serão viabilizadas ao longo do ano como a habilitação de 2 Leitos de UTI Neonatal, 5 de Ucinca (Unidade de cuidado intermediário neonatal canguru)  e 10 de Ucinco (Unidade de cuidado intermediário neonatal convencional).

Unidade aumenta atendimento ortopédico, psiquiátrico e clínico em 27% neste quadrimestre.
Hospital corta gastos e economiza R$ 1,1 milhão.

Promovendo a gestão consciente de recursos e a otimização das equipes de trabalho, o Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) conseguiu economizar nesta gestão R$ 1,1 milhão e aumentar aqualidade do atendimento. Apenas neste quadrimestre o número de pessoas atendidas na unidade aumentou em 27% com relação aos últimos quatro meses. Foram 51.631 atendimentos entre ortopedia, clínica médica e psiquiatria. A unidade também realizou 21.583 exames de radiografia número que se equipara aos grandes hospitais de traumatologia do Rio de Janeiro.

A Ortopedia do HMNSE representa 85% dos atendimentos de todo o hospital e se tornou referência no serviço pelo SUS. Neste ano, 45.609 atendimentos foram realizados entre urgência, emergência e ambulatorial. A Secretaria de Saúde estabeleceu novos fluxos e protocolos de internação e regulação de pacientes cirúrgicos em unidades particulares. A partir do novo processo, o paciente que aguardava 72h para ter o risco cirúrgico em mãos, atualmente espera 12h.

Através do novo fluxo, os encaminhamentos para internações cirúrgicas ficaram mais ágeis, fazendo com que assim que o hospital de referência disponibilize a vaga, o paciente já sai do HMNSE pronto para a cirurgia com todos os exames de pré-operatório realizados.

“Por muitas vezes o hospital de referência disponibilizava a vaga de internação, mas o paciente não estava com o risco cirúrgico pronto para o encaminhamento para cirurgia. Esperava-se 72h para ter os exames em mãos e por muitas vezes perdia-se a vaga, uma vez que a unidade precisava ocupar o leito com outro paciente. Agora que se constatar a necessidade de cirurgia, o médico solicita a internação, já faz o risco cirúrgico. Na primeira oportunidade de vaga de transferência, o paciente é encaminhado”, explica Silmar Fortes.

Hospital terá ambulatório para atendimentos ortopédicos

O Hospital Municipal Nelson de Sá Earp atende em média 180 pacientes de urgência e realiza 160 acompanhamentos ambulatoriais por dia, o que representa 8.920 atendimentos por mês. Visando proporcionar mais conforto e qualidade ao atendimento já prestado, a Secretaria de Saúde mudará o ambulatório da ortopedia para o prédio que hoje se encontra a Epidemiologia do município – em frente ao hospital. O diretor do HMNSE, Nilson Wayand avalia que ainda neste mês poderá iniciar as obras para ampliação do serviço.

“A Epidemiologia irá se mudar para uma casa mais ampla e estamos só aguardando a mudança para iniciarmos as obras que serão rápidas. Iniciaremos com as pinturas do lado de fora e de dentro, mas temos muitos planos para o ambulatório, além das consultas, vamos ter um centro de estudos, sala de imobilização, entre outras novidades”, antecipa Nilson Wayand.

Uma facilidade para a população é a marcação das consultas ambulatoriais que passaram a ser diretamente na unidade. O paciente precisa dar entrada na Urgência, onde recebe o primeiro atendimento, realiza exames, medicação e o encaminhamento para o ambulatório pode ser realizado de segunda-feira a sexta-feira de 8h às 16h30. Antes, o paciente com alguma entorse ou dor em algum membro precisava agendar uma consulta com clínico e solicitar o encaminhamento ao ortopedista.

“Antes o paciente precisava ir a um clínico geral para pedir o acompanhamento da especialidade, neste processo perdia-se muito tempo com a espera de dois agendamentos. O agendamento ambulatorial para pessoas que estão com fratura também é priorizado e sem filas, com agendamento de 3 a 7 dias após o atendimento na urgência”, aponta o ortopedista Sergio Ricardo Neto.

O ortopedista Rodrigo de Freitas explica que só de exames de raio x foram realizados mais de 21.583 mil neste ano, um número que se equipara aos atendimentos radiológicos do Hospital Souza Aguiar no Rio de Janeiro, maior hospital de urgência e emergência da América Latina.

“Vale ressaltar que o Hospital Souza Aguiar atende a diversas especialidades e nós apenas ortopédicos. Destacamos também a parceria do HMNSE com oHospital Alcides Carneiro na realização das tomografias, que nos disponibilizam os laudos online no mesmo dia. Isso mostra a integração da rede de atendimento hospitalar”, avalia o Ortopedista Rodrigo de Freitas.

Curiosidades e documentos do acervo da Biblioteca Central Municipal Gabriela Mistral são divulgados na página criada no Facebook.

Fatos e curiosidades registradas em cerca de 900 mil documentos que reúnem certidões de óbito, jornais, plantas de imóveis, entre outros, incluindo pedidos dos mais variados, engraçados e até inusitados, como para extração de dentes, lavar roupa na beira do rio e também para andar de bicicleta na rua. São informações documentadas que formam o Arquivo Histórico de Petrópolis, que agora ganhou lugar no mundo virtual com uma página do Facebook. O público vai ver publicações das curiosidades encontradas no acervo, que pertence à Biblioteca Central Municipal Gabriela Mistral.

“As redes sociais, hoje, tem um papel multiplicador da informação. Com a página, é uma maneira leve e de amplo acesso para levar a todo o público essas curiosidades e até raridades que temos documentadas no nosso Acervo Histórico, um espaço tão importante da memória de Petrópolis”, frisa o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo, que administra a biblioteca.

Nas sete toneladas de papel do acervo, o público encontra jornais desde 1851; certidões de óbito de 1889 a 1968; livros de sepulturas; processos administrativos desde 1889; livros de imposto predial e de imposto de indústria e profissionais; plantas de imóveis; Diário Oficial do Município; livros de atos, decretos, leis e ofício municipais; além de um acervo de fotografias, CDs, DVDs, mapas e plantas. Periodicamente esses recortes, imagens e fatos, alguns bem inusitados, são postados na rede social. São 40 anos reunindo a história e memória de Petrópolis desde a colonização.

A ideia é que as pessoas conheçam o conteúdo que existe no Arquivo Histórico, mas também possam trocar informações de algum novo documento que também possa integrar o acervo.

“A página foi criada com objetivo de mostrar para as pessoas o valor quem tem o arquivo. Levar ao público parte do arquivo. Passei minha vida aqui fazendo a leitura de toda essa documentação. E fui encontrando nesse processo todas essas curiosidades e até coisas importantes e até engraçadas, como os casos de polícia. E me perguntavam porque não colocar isso na internet e criamos o Facebook para divulgar mais essa riqueza que temos”, conta a chefe do Arquivo Histórico desde 1992, Mariza Gomes, que há 32 anos se dedica à Biblioteca Municipal. 

Quem quiser visitar o Arquivo Histórico de Petrópolis, que fica na Biblioteca Central Municipal Gabriela Mistral no Centro de Cultura Raul de Leoni, o espaço funciona de segunda a sexta-feira, de 8 às 18h. A entrada é gratuita. Para seguir a página no Facebook pode acessar www.facebook.com/ArquivoHistoricodePetropolis/.

 

Prefeitura e APPO iniciam atividades de conscientização em todo município.
3 mil mulheres serão agendadas para realizar mamografia.
Saúde promove Dia D para realização de preventivo em unidades de saúde.

Samba, homenagens e os números positivos de atendimentos em prevenção ao câncer marcaram a abertura do Outubro Rosa com a inauguração da iluminação arquitetônica do Palácio Sérgio Fadel e o lançamento da música tema da campanha. A ação foi realizada na noite de quinta-feira (05.10), conduzida pelo prefeito Bernardo Rossi e pela primeira-dama, Sabrina Noel, escolhida madrinha do Outubro Rosa deste ano.  A música Oficial da campanha da Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO) de 2017 vem em ritmo de Samba, trazendo a luta pela conscientização da detecção precoce do câncer de mama de uma forma alegre para os petropolitanos.

Com a presença das vitoriosas, secretários, membros do governo e legislativo, e demais autoridades do município, o diácomo Marco Aurélio da Catedral São Pedro de Alcântara e o Pastor Elton da Igreja Luterna deram a benção às mulheres que lutam contra o câncer e passaram uma mensagem de fortalecimento de fé e esperança.

A prefeitura apresentou os bons índices de prevenção e realização de exames e consultas em mulheres no município que tem aproximadamente 22 mil usuárias do Sistema Único de Saúde. Destas, 4.564 realizaram o exame. Este ano, de janeiro a setembro, foram realizadas 7.350 mamografias, sendo 4.209 apenas na faixa etária alvo preconizada pelo Ministério da Saúde - de 50 a 69 anos. O número de preventivos aumentou em 50% em relação ao último ano, com 13.406 coletas até setembro.

Os números mostram que a cidade está no caminho certo, aumentando o acesso das mulheres aos exames preventivos de câncer de mama e de útero.

Neste ano a Saúde irá realizar 3 mil exames de mamografia, 1.600 apenas no Hospital Alcides Carneiro, além de um Dia D de coleta de preventivo e exame clínicos das mamas em todas as unidades de saúde no dia 21 de outubro.

A presidente da APPO, Ana Cristina Mattos agradeceu o apoio do governo e relatou que Silmar Fortes foi o primeiro secretário de Saúde a conhecer a instituição. “O Silmar não só visitou a APPO como também está fazendo um curso conosco de cuidados paliativos. Isso mostra o compromisso e o interesse da gestão em abraçar a nossa causa”, disse Ana Cristina Mattos.

Sabrina Noel Rossi foi nomeada madrinha da campanha deste ano e prestou homenagem a todas as vitoriosas e inclusive a cachorrinha da Guarda Civil, Lola, que faz visitas periódicas às pacientes da APPO.

“É uma emoção muito grande e uma honra ser a madrinha desta campanha e eu já pude ter contato com muitas vitoriosas e conhecer mais sobre as suas histórias de lutas e conquistas. Estarei presente nos eventos e venho explicando até mesmo aos meus filhos sobre a importância desta campanha para todas nós, a prevenção e detecção precoce é a nossa meta sempre”, afirma Sabrina Noel Rossi.

Samba e queimas de fogos animaram as vitoriosas

Este ano, o slogan da campanha da APPO é: “Sua Saúde está em suas mãos. Cuide Agora, Cuide Sempre”. A música tema foi composta por Nina Xavier e Lúcia Nem e de acordo com Juari Xavier, presidente do G.R.B.C. Guerreiros da Vinte, ao conhecer a APPO e o trabalho desenvolvido, essa foi a forma escolhida para presentear a associação. “Petrópolis vai se tornar um mar de rosas, pois iremos acompanhar a caminhada com o nosso bloco. Vamos falar da mulher e para a mulher, para ela se conscientizar, sobre a importância do autoexame e dos cuidados com a saúde”, alerta Juari.

Robson Axé, intérprete do samba, explica que é a primeira vez participa de uma ação social de grande porte como o Outubro Rosa. “Não tem como dimensionar a emoção e a alegria de estar fazendo esse trabalho. Os Guerreiros da Vinte estão engajados nessa campanha e estamos aí: vamos à prevenção! É a primeira vez que vou cantar um samba escrito pela Nina, esposa do presidente e pela Lúcia, minha esposa, e isso é muito gratificante“, conta.

Obra doada pela artista ao Liceu Municipal foi retirada do colégio nesta quinta-feira (05.10) por técnicos do Iphan e Museu Histórico Nacional; trabalho foi finalizado nesta sexta (06.10).

Já está na Galeria Aloísio Magalhães, no Centro de Cultura Raul de Leoni, o painel de mais de 12 metros da artista Djanira, uma das maiores pintoras do país. Doada pela própria artista ao Liceu Municipal Cordolino Ambrósio, a obra foi retirada nesta quinta-feira (05.10) do Salão Nobre do colégio onde estava há 64 anos. Finalizado nesta sexta (06.10), o trabalho cuidadoso da retirada da tela e transporte para o novo endereço, onde permanece apenas pelo período da restauração que vai passar, foi feito por técnicos do Museu Histórico Nacional. O prefeito Bernardo Rossi e vice-prefeito Baninho acompanharam o trabalho nesta sexta. Restauradores do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) também estiveram presentes.

A cidade foi presenteada com obra de valor imensurável, mas que não teve o devido cuidado e valor nas gestões passadas. Hoje foi dado o primeiro passo para a restauração do painel de Djanira, uma ação que foi possível graças à parceria do Iphan e Ibram, por meio do Museu Histórico Nacional.

Antes da chegada da obra, a galeria passou por adequações necessárias para receber o painel, como iluminação e ventilação do espaço. As mudanças, que foram apontadas pelos técnicos federais, são para garantir o acondicionamento correto da obra – de 12,60 m de largura e 3,40 m de altura - e sua devida segurança, assim como o espaço ideal para a equipe que vai trabalhar no restauro se locomover no local. 

O trabalho minucioso foi feito por uma equipe com quatro restauradores do Museu Histórico Nacional, que também vai coordenar a restauração. Todo o trabalho de retirada na quinta foi acompanhado por dois restauradores do Iphan que vieram do Rio de Janeiro especialmente para a remoção do painel. Para a equipe, o trabalho é um desafio diante da dimensão física e histórico-cultural da obra.

“Nós fazemos restauros de obras de fora do Museu, mas não é algo rotineiro. Esse trabalho será um desafio e uma experiência profissional enriquecedora para toda a equipe que vai participar da restauração de uma peça dessa dimensão e com essa importância. Já trabalhamos em quadros do próprio museu com 4,5 a 6 metros de comprimento, mas nunca desse tamanho”, comenta Cláudio Aranha, restaurador do Museu Histórico Nacional e a frente da equipe que conta com restauradores com 30 anos de experiência. Participaram do trabalho os restauradores Luiz Fernando de Carvalho Abreu, Reinaldo Santos Halm e Admardo José Rosa.

Feito em três faixas de tecido horizontais costuradas, para a retirada do painel da parede foram necessários sete homens para auxiliar na remoção. Depois de retirado o chassi da tela (estrutura de madeira traseira de suporte), a obra foi enrolada em um cilindro disponibilizado pelo Museu para ser transportado até o novo endereço temporário. O equipamento é específico para embalar telas de arte para transporte com segurança para não sofrer nenhum dano.

“A função do Iphan é dar suporte e apoio na retirada do painel e no processo de restauração. No tecido vemos que está oxidado pelo tempo, pois a tela aqui recebeu luz e raio ultravioleta. O chassi aparentemente está preservado, mas pode estar fragilizado e é preciso analisar detalhadamente. O acondicionamento é a parte mais importante para preservação da obra de arte, além da iluminação a climatização correta”, explica o restaurador do Iphan, Marcos Aurélio Vieira Tavares.

 Cultura e Educação comemoram restauração

O primeiro passo para a restauração do painel de Djanira, com a remoção da obra, foi comemorado pela equipe da Cultura e Educação.     

“Confesso que é uma enorme felicidade ver este momento acontecer. Como sensível à cultura que sou, e também um educador, é uma grande honra como gestor conseguir essa verdadeira vitória para Petrópolis, que é o ponto de partida da sonhada e necessária restauração de obra tão valiosa culturalmente para a nossa cidade e todo país, que é o painel de Djanira. Fomos presenteados não apenas com a obra de uma das maiores pintoras brasileiras. Mas uma obra feita especialmente sobre e para Petrópolis. E doada por ela a um templo da Educação no município, mostrando a importância da Cultura e Educação”, comemora o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo.

A restauração vai resgatar uma parte da história da Educação no município e valorizar essa parte do Liceu, que deve ser transformado em uma área da Cultura. Não apenas para os estudantes do colégio, mas para toda a população para saber o tamanho da importância da obra.

O diretor da unidade de ensino que foi contemplada com a obra da artista, Hélio Werneck, também destacou a importância do momento. “É uma dádiva. Um grande momento de glória para o patrimônio cultural da cidade, da cultura petropolitana. Com essa restauração o painel vai voltar ao seu esplendor e resgatar quem foi Djanira para a cidade. A obra tem valor incalculável. É um momento de muita alegria”, celebra.

Processo de restauro será aberto à visitação

Com previsão de durar cerca de um ano, a restauração do painel de Djanira também poderá ser acompanhada pelo público. Estudantes e o público em geral terão a grande oportunidade de ver de perto o restauro de uma obra de arte por meio do programa de visitação guiada que será oferecido durante o processo. Finalizado o trabalho de restauro da obra ela retorna ao seu local de origem, no Salão Nobre do Liceu Municipal Cordolino Ambrósio.

Djanira foi uma pintora importante do modernismo brasileiro, mas também era desenhista, cartazista e gravadora. A marca de seu trabalho era o retrato da diversidade de cenas e paisagens brasileiras coexistentes à religiosidade. A artista morreu no Rio de Janeiro, aos 64 anos, mas era natural de Avaré, interior de São Paulo. Suas obras foram expostas nas principais galerias e espaços culturais do Brasil, e também no exterior - Inglaterra, Argentina, Uruguai, Chile, Estados Unidos e Paris – e muitos de seus quadros ainda são expostos em diversas exposições nacionais e internacionais.

 

Ampliação do atendimento, fim das filas de remarcação de consultas, linha do ônibus que deixará pacientes na porta do ambulatório.

Assumindo a referência na assistência hospitalar pelo SUS, o Hospital Alcides Carneiro (HAC) vem ampliando a oferta de consultas ambulatoriais, exames e procedimentos cirúrgicos. Somente nestes oito primeiros meses 376 mil pessoas foram assistidas na unidade. Em apenas quatro meses – de maio a agosto - foram 24 mil atendimentos a mais com relação ao mesmo período de 2016.

Acompanhando o crescimento da unidade, nesta sexta-feira (06.10), foram realizados os reparos finais para instalação do ponto de ônibus da linha 606 – que sai do Terminal Corrêas até o Hospital Alcides Carneiro – que levará os passageiros até a entrada do ambulatório.

Foram feitos reparos nas vias de acesso da unidade, colocando o asfalto em alguns pontos e demarcando as vagas dos carros do estacionamento. A partir de terça-feira de manhã o ônibus passará a deixar os passageiros na porta do ambulatório trazendo mais conforto e acessibilidade a nossa população.

A linha 606 que sai do Terminal Corrêas até o Hospital Alcides Carneiro tinha como ponto de destino aos pedestres a entrada da unidade. Foi acordado junto à empresa que a linha suba até o ambulatório contemplando o início e o fim dos atendimentos.

Será proporcionado mais conforto aos 300 usuários que passam por consultas e procedimentos no ambulatório diariamente entre 6 e 18h. Estão sendo otimizados os recursos, com economia e priorizando a assistência da população.

O ambulatório do Hospital Alcides Carneiro atualmente é o maior ambulatório da cidade. Conta com 30 consultórios e no período de janeiro a agosto de 2017 já realizou 46.125 atendimentos. O secretário de Saúde, Silmar Fortes, disse que a unidade conta com novo sistema de agendamento de consultas de retorno médico.

Acabaram as filas para remarcação, após a consulta com o médico, o usuário já sai da unidade com a data do retorno agendado. Geralmente o tempo de remarcação é de dois meses para que a pessoa consiga realizar os exames e apresentar o resultado ao médico.

Atividade também falou sobre o Plano Verão 2018 que está organizado pelo município.

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias realizou nesta sexta-feira (06.10) uma capacitação para organizar o atendimento nos grandes eventos da cidade, como a Bauernfest e a Exposição Agropecuária. Além disso, o encontro serviu para tratar sobre o Plano Verão 2018, que vem sendo organizado pelo município. A ação contou com a presença de representantes do MPE, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, órgãos ambientais e outros setores da prefeitura.

A promotora de justiça do Ministério Público Estadual, Vanessa Katz, explicou o motivo do treinamento, uma orientação do MPE, e elogiou a atuação organizada da Defesa Civil. Segundo a promotora, é necessário que a cidade esteja preparada antecipadamente para evitar problemas em eventos de grande porte.

“Muitas vezes os órgãos responsáveis só se comunicam quando nós convocamos. Agradeço a Defesa Civil, na figura do coronel Paulo Renato, que entendeu a nossa proposta, comprou a ideia, e ofereceu um dia inteiro de atividades”, pontuou Vanessa Katz

O secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, destacou que o papel do órgão é trabalhar de forma antecipada para garantir que a resposta aos problemas seja organizada e precisa. Ele ainda lembrou a elaboração do Plano Inverno 2017 de Petrópolis, que rendeu ao município o prêmio de cidade resiliente oferecido pela Organização das Nações Unidas (ONU), e falou sobre o Plano Verão 2018.

“Desde o início da gestão, estamos realizando diversos trabalhos de forma antecipada, como o Plano Inverno 2017 de Petrópolis. O nosso objetivo é transformar Petrópolis em uma cidade resiliente, com uma resposta cada vez mais eficaz aos problemas. O município conta com um calendário cheio de eventos culturais que reúnem grandes públicos, e por isso, precisamos estar prontos para atuar caso seja necessário”, disse o secretário, explicando ainda como está sendo elaborado o plano de contingência para o verão.

“O Plano Verão 2018 vai contar com cinco planos de contingência organizando a resposta para deslizamentos de terra, inundações, rolamentos de blocos rochosos, vendaval e tempestades de raio. O objetivo do trabalho é otimizar o atendimento em caso de ocorrências durante a estação, que é o nosso dever”, completa Paulo Renato.

Apesar do trabalho ainda estar em andamento, o órgão municipal deu início em setembro ao projeto “Defesa Civil na sua casa”.  O objetivo da ação é aproximar o órgão municipal da população levando conhecimentos básicos de autoproteção comunitária contra os desastres de origem natural.

“Vamos ouvir os moradores e em conjunto construirmos ações que reduzam o risco de desastres. Por isso, foi fundamental que a gente iniciasse o projeto antes do lançamento do Plano Verão 2018”, disse o secretário.

No sábado (07.10), o Dó Ré Mi se apresenta na Igreja Luterana.
No domingo (08.10) tem a Banda Marcial Professora Leila de Souza Castro na Praça Pasteur e na Praça Dom Pedro a Banda 1º de Setembro.

Canto coral e bandas marciais. Duas tradições marcantes de Petrópolis e que estarão neste fim de semana em diversos espaços do município com os circuitos culturais do Instituto Municipal de Cultura e Esportes. No sábado (07.10), o Circuito Imperial de Coros estará excepcionalmente em outro palco, na Igreja Luterana com o Dó Ré Mi, às 18h. Já no domingo (08.10) tem Circuito Imperial de Bandas, às 11h, na Praça Pasteur e Dom Pedro. As atrações são a Banda Marcial Professora Leila de Souza Castro e Banda 1º de Setembro, respectivamente. 

O templo cristão mais antigo de Petrópolis, a Igreja Luterana vai receber no sábado o Dó Ré Mi em sua versão tradicional, resgatando às origens do grupo criado em 2002 pelo maestro Leonardo Randolfo – a frente do IMCE. Com um trabalho desenvolvido nos últimos anos em formato performático, o Dó Ré Mi promete surpreender o público no Circuito Imperial de Coros com uma apresentação clássica e um repertório mesclando música gospel, peças de Villa-Lobos, César-Franck, entre outros compositores. 

Nas praças da cidade a percussão e sopro vão contagiar o público. Na Praça Pasteur, na Castelânea, a protagonista será a Banda Marcial Professora Leila de Souza Castro. A banda foi fundada em 1984, pelo Professor Amadeu Guimarães, responsável por inserir as primeiras noções de música para os alunos da Escola Paroquial Nossa Senhora da Glória. Na mesma época, a escola recebeu a doação de alguns instrumentos musicais da Professora Maria do Carmo Gomes e assim nasceu a banda.

Por anos o grupo levou o nome de Banda Marcial Professor Amadeu Guimarães, mas desde 2013 é chamada de Banda Marcial Professora Leila de Souza Castro em homenagem à diretora que esteve à frente da escola por 33 anos. Criada com o principal objetivo de participar dos desfiles cívicos realizados no Alto da Serra e nas Olimpíadas da escola, hoje a banda – que tem 35 componentes – também integra o Circuito Imperial de Bandas.

Já no Centro Histórico, na Praça Dom Pedro, o som será da Banda 1º de Setembro, com 107 anos de existência. Fundada por funcionários da Fábrica de Tecidos da Companhia Petropolitana, a Banda do Clube Musical 1° de Setembro é reconhecida como Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal. Tendo a frente como Presidente e Regente o Professor Balthazar Ferreira Caboclo, a banda é composta por 30 músicos. Vencedora, em 2011, do Prêmio Maestro Guerra-Peixe de Cultura na categoria especial, a banda reúne em sua trajetória prêmios e uma série de eventos e festividades, dentro e fora da cidade. Mas neste domingo é a Cidade Imperial seu palco principal, às 11h na Praça Dom Pedro.

Importante dentro do pacote de austeridade anunciado prefeito Bernardo Rossi, a arrecadação de ISS, alterada pela Lei Complementar 157/2016, regulamentada por lei municipal na quinta-feira (06.10), foi tema de uma palestra realizada pelo consultor em gestão fazendária e finanças públicas, Roberto Tauil. A legislação muda os parâmetros sobre o Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), gerando benefícios para os municípios, como por exemplo o recolhimento de tributos sobre operações financeiras, com cartão de débito e crédito, aos cofres dos municípios. Até então, os recursos eram tributados na origem.

“Nosso encontro foi para mostrar o que os municípios devem fazer a partir do próximo ano para ter melhor aproveitamento em relação à lei, para que seja possível arrecadar tudo o que a lei permite. Esta atualização sobre a legislação é fundamental para os municípios, especialmente no momento de crise atual”, explica o professor Roberto Tauil,

“Este aprofundamento de informações sobre a lei, com a presença de um consultor da área para esmiuçar o assunto, é de grande valor, especialmente neste momento em que vamos intensificar a fiscalização sobre o ISS, em especial no que se refere aos serviços prestados por bancos e instituições financeiras”, diz o secretário de Fazenda Heitor Maciel Pereira. 

Voltada para técnicos da Secretaria de Fazenda de Petrópolis, a palestra mostrou detalhes sobre a aplicação da lei complementar e atraiu o interesse de técnicos de outros municípios como Guapimirim, Duque de Caxias e Paraty.

“Não posso deixar de destacar a qualidade das aulas do palestrante, que nos forneceu informações valiosas. O professor Tauil explicou essa mudança em detalhes. É importante que todos os municípios estejam informados sobre esse tipo de assunto. Vamos com certeza aplicar este conhecimento no município”, diz João Carlos Rodrigues, fiscal tributário de Paraty.

Rogério Brito, diretor de fiscalização tributária de Caxias, tem opinião semelhante.

“Para Caxias, essa mudança na lei é muito relevante, já que temos muitas empresas de grande porte e muita prestação de serviços concentrada. Vamos, inclusive, levar essa palestra para Duque de Caxias, pois precisamos que todos estejam informados. É um assunto de interesse para todos os municípios. A atitude da Prefeitura foi muito boa, e fiquei muito feliz em receber esse convite. Todos os municípios estão com dificuldades financeiras, então qualquer assunto que impacte diretamente a receita é fundamental”

A palestra foi realizada na Casa dos Conselhos Ângelo Augusto Zanata nesta sexta-feira (06.10)

“Esse tipo de evento é valoroso para capacitação dos servidores e dos profissionais ligados à área tributária. A intenção da Secretaria de Fazenda é fazer cada vez mais palestras sobre esse tipo de assunto, ampliando essa interação entre o fisco e o contribuinte, e levando até ele o entendimento da legislação tributária”, pontua Paulo José Santana Viana, diretor de receitas do município.

Documento que permitia o corte no terreno estava vencido há mais de um ano.

O setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente multou a proprietária de um terreno na Rua Vereador Orlindo Ditadi, na Estrada da Saudade, pelo corte irregular de uma árvore nesta sexta-feira (06.10). A licença que permitia a ação estava vencida há mais de um ano e a dona do espaço realizou o trabalho nesta semana. Os fiscais explicaram que havia a necessidade de outra avaliação antes da poda, já que se tratava de uma espécie nativa. Além disso, as equipes atenderam a duas denúncias de oficinas mecânicas funcionando sem autorização no Carangola.

“Qualquer tipo de corte, poda, ou retirada de árvore precisa de autorização da Secretaria de Meio Ambiente. Neste caso, por se tratar de uma espécie nativa, o cuidado se torna ainda maior. Os biólogos trabalham para preservar as mais variadas espécies que existem dentro do nosso município. Na prática, a falta de uma autorização ou autorização vencida tem o mesmo efeito”, explica Miguel Fausto, chefe do setor de fiscalização.

No Carangola, duas oficinas mecânicas funcionavam sem a documentação necessária para a atividade. Os responsáveis pelos locais terão que dar entrada na licença ambiental em um prazo de 30 dias, caso contrário, os espaços podem ser interditado.

 “Essas atividades envolvem muitas substâncias tóxicas prejudiciais a natureza. Nos locais não encontramos o descarte correto de alguns produtos, como óleos de motores e materiais de limpeza, por exemplo. É fundamental que os empresários estejam em dia com a documentação para o exercício legal desses serviços”, explica Miguel.

 Desde janeiro o setor atendeu 715 denúncias, entre casos de supressão de vegetação, poluição de curso hídrico, contaminação de solo, empresas funcionando sem licença ambiental e queimadas. São realizadas operações semanais com o objetivo de reduzir os crimes ambientais.

A prioridade é proteger as áreas verdes do município. Por isso, há um número de celular que funciona 24 horas, todos os dias da semana, para denúncias junto à Secretaria de Meio Ambiente. A parceria com a população é fundamental para que o trabalho seja eficaz. As denúncias de crimes ambientais podem ser feitas para a Secretaria de Meio Ambiente através dos telefones: (24) 2233-8180 e (24) 98828-8633.

Secretaria de Defesa Civil vem realizando um trabalho com foco na redução do risco de desastres.

Petrópolis vem se preparando para o período de fortes chuvas, que começa em novembro e vai até abril, com foco na redução do risco de desastres. Nesta sexta-feira (06.10), a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias e o Ministério Público Estadual (MPE) realizaram um treinamento voltado para as ações de resposta do Plano Verão 2018 de Petrópolis. Ao longo desse ano, também foram realizados 14 testes das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, sendo nove diurnos e cinco noturnos, além da criação do projeto “Defesa Civil na sua casa”, que atende as comunidades que não contam com as sirenes. Além disso, o município recebeu o Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (Ecadec) e a prefeitura garantiu a continuidade do Projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides), que funciona em parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica).

Neste momento, a Defesa Civil vem trabalhando na elaboração do Plano Verão 2018, que vai contar com cinco planos de contingência organizando a resposta para deslizamentos de terra, inundações, rolamentos de blocos rochosos, vendaval e tempestades de raio. O secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato Vaz, destaca a importância do trabalho para garantir que o trabalho seja organizado durante estação. “Queremos que Petrópolis passe a ser reconhecida como a cidade da prevenção de desastres. A elaboração do Plano Verão 2018 é fundamental para que o trabalho durante a estação seja organizado e eficiente”, disse o secretário.

Em agosto, mais de 200 pessoas participaram do Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (Ecadec). Os cenários utilizados foram de chuvas intensas seguidas por inundações e deslizamentos de terras, incêndios florestais, além de um acidente químico na Refinaria Duque de Caxias (Reduc). As simulações aconteceram no 32° Batalhão de Infantaria Leve - Batalhão Dom Pedro II, no Vila Militar. O exercício contou ainda com a evacuação da comunidade na Rua João Xavier, no Bingen. Participaram representantes da Aeronáutica, Marinha, Exército, Ministério da Integração Nacional e de Defesa, da Secretaria Nacional de Defesa Civil, da Universidade Federal Fluminense (UFF) por meio do Mestrado em Defesa Civil, das Secretarias Estadual e Municipal de Defesa Civil, da Reduc e da Cruz Vermelha.

“O Ecadec não é apenas o simulado, mas também é a troca de informações e experiências. Todos os órgãos presentes reforçaram que é fundamental que Petrópolis tenha a cultura da prevenção aos desastres. O exercício foi de grande valia para todas as equipes”, afirma Paulo Renato.

 Desde abril, a Defesa Civil implementou o teste noturno das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, além do diurno. A novidade tem o objetivo de integrar as equipes do órgão com a população, além de aperfeiçoar a resposta caso seja necessário o atendimento a noite. O trabalho é fundamental para que o sistema esteja funcionando no período de crise. Para as comunidades que não contam com o sistema, foi lançado em setembro o projeto “Defesa Civil na sua casa”.

“Nosso objetivo é ouvir os moradores e em conjunto construirmos ações que reduzam o risco de desastres. Se não existe a sirene na comunidade, podemos criar um grupo de Whatsapp ou até mesmo um outro aviso sonoro para a população. O projeto discute diversas alternativas que podem salvar vidas. Acredito que essa ação é um grande passo para construirmos uma cidade resiliente”, explica Paulo Renato.

A prefeitura também garantiu a continuidade da parceria da Prefeitura de Petrópolis com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) para a conclusão do Projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides). Em setembro, o secretário de Defesa Civil esteve no Japão e foi um dos nove técnicos brasileiros que participou da elaboração do manual com os planos de ações do Gides.

 “A ONU também está reconhecimento o nosso empenho, tanto é que recebemos o prêmio Sasakawa, o mais importante da categoria de redução de risco de desastres naturais oferecido pela ONU por termos cumprido todas as metas do projeto Gides até o momento.  Estamos empenhados em reunir cada vez mais informações sobre os riscos da cidade. Dentro dos nossos limites, estamos fazendo um grande trabalho pensando na prevenção”, completa o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias.

As 143 bailarinas da Casa da Educação Visconde de Mauá emocionaram os pais e responsáveis durante a apresentação do espetáculo “Aldeia Encantada”, essa semana, no Theatro Dom Pedro. As bailarinas têm entre 4 e 17 anos. Todas estudam em escolas da rede municipal de ensino. Elas participam das aulas de balé no contraturno da escola às segundas, quartas e sextas, na Casa da Educação. As aulas são ministradas pela professora Sara Lopes. Nesse ano, o número de vagas ofertadas nas aulas de balé dobrou. Atualmente, a Casa da Educação tem 15 turmas de balé com 143 alunas.

Exposição com ilustrações de heroínas.

Nesse mês de outubro, quando nacionalmente são feitas campanhas sobre a importância da prevenção ao câncer de mama, a Casa da Educação vai abrigar uma exposição diferente, com ilustrações de super heroínas, enfeitadas com o laço rosa da campanha. Os desenhos são de Heraldo Wilson. A visitação poderá ser feita de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, na Casa da Educação, que fica na Avenida Barão do Rio Branco, nº 03.

estigiar as exposições da Casa da Educação. O lugar recebe dezenas de visitantes todos os dias e, mais uma vez, mostra a que está integrado aos acontecimentos, dando destaque a campanha do Outubro Rosa.

Segundo Heraldo, são vinte ilustrações. “Todas são mulheres, personagens de quadrinhos com o laço rosa. A intenção é a de incentivar as pessoas a fazerem os exames e mostrar a importância dessa campanha. Estou muito feliz em poder expor os desenhos na Casa, um lugar histórico que recebe a visita de alunos da rede municipal todos os dias”, contou Heraldo.

“Os quadrinhos e seus heróis encantam sempre a juventude. A ideia do Heraldo em retratar as heroínas valoriza a figura da mulher. Usar estas ilustrações para discutir uma campanha tão séria é ainda mais importante, pois a arte tem mesmo essa função, de trazer reflexão aos que a ela têm acesso”, conta a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.

Quadrinhos históricos

O ilustrador Heraldo Wilson também emprestou para a Biblioteca da Casa da Educação, 17 histórias em quadrinhos especiais. “São relíquias da minha coleção. Desde criança coleciono. Tem, por exemplo, o livro que conta a história da Catedral e de Dom Pedro II, em quadrinhos, além de exemplares da literatura. Foram lançados nos anos 70. Decidi emprestar os meus quadrinhos porque é um material diferente que chama a atenção das crianças por causa dos desenhos. Tenho certeza que eles vão adorar”, explicou Heraldo.

Entre os quadrinhos estão as histórias “O Cortiço”, “O triste fim de Policarpo Quaresma”, “A Causa secreta” e “O enfermeiro”. Os exemplares poderão ser conferidos na Biblioteca Mauá. A direção da Casa da Educação está recebendo doações de quadrinhos para o acervo da biblioteca. Quem puder ajudar, pode deixar a doação na Casa, de segunda a sexta, das 9h às 18h.

Evento vai discutir as experiências e os desafios do órgão nos eixos comunitário, profissional e científico.

Acontece na segunda-feira (09.10) a abertura do I Colóquio de Defesa Civil, no auditório da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), a partir das 17h. Serão três dias de evento, que vão discutir o tema “A Defesa Civil e os saberes: experiências e desafios” em três eixos: comunitário, profissional e científico. Participam profissionais de Defesa Civil, professores universitários e é aberto a toda população. Os interessados em participar devem fazer a inscrição no site da FMP/Fase ou no local das atividades. 

Esse é mais um passo do governo na prevenção aos desastres. A participação da comunidade é fundamental, pois é a população que vivencia os problemas e vai indicar quais são as melhores maneiras de encará-los em conjunto com o governo.

No primeiro dia do evento, acontecem palestras com o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, com a supervisora da Faculdade Arthur Sá Earp Neto, professora Maria Isabel de Sá Earp e com Sebastião Guerra, coordenador do projeto Fortalecendo a Resiliência aos Desastres na Região Serrana do Rio de Janeiro. No final das atividades, será oferecido um coquetel para os presentes.

“Não há um saber mais importante que o outro. Da mesma forma que queremos a melhor Defesa Civil, com todo o saber científico, também queremos estar próximos das outras Defesas Civis municipais, compartilhando experiências e da população, quem é quem conhece as dificuldades e os problemas que precisamos enfrentar. Somente desta maneira vamos criar uma Petrópolis efetivamente resiliente”, explica Paulo Renato.

Na terça-feira (10.10), acontecem os debates do eixo científico, com a participação de oito professores doutores de seis universidades diferentes. Já na quarta (11.10), o eixo profissional oferece palestras de técnicos de Defesa Civil das cidades de Petrópolis, Nova Friburgo, Teresópolis, Juiz de Fora e Rio de Janeiro. No mesmo dia, o evento abre espaço para o saber comunitário, com debates sobre a participação da mulher na redução do risco de desastres e a formação de Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs). “Nossa ideia é que o I Colóquio de Defesa Civil de Petrópolis funcione como um modelo promotor da redução do risco de desastres para todo o país”, completa o secretário.

A programação completa com todos as palestras e os horários está no site da FMP/Fase. O I Colóquio de Defesa Civil de Petrópolis segue o Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres de 2015-2030, do qual o Brasil é signatário, e que prevê a aproximação dos órgãos de Defesa Civil com as universidades e centros de pesquisa, como forma de aprimorar as ações de prevenção de desastres tendo como foco principal a preservação da vida do ser humano.

 

Atividade aberta ao público e gratuita será neste domingo (08.10), às 10h.

O mês das Crianças começa com diversão no Centro Cultural Celina Barbosa, em Pedro do Rio, com contação de história neste domingo (08.10) com a escritora Suzana Braga. Às 10h ela vai apresentar à garotada seu livro recém-lançado Dag Cheia de Ideias, que conta a história da menina que nasceu e viveu no quarto distrito por muitos anos. No evento, que é aberto ao público e gratuito, também terá sorteio de exemplares da publicação. 

Com formação em Pedagogia, e especialização na área da Educação e Formação de Professores, a professora Suzana Braga retorna à terra natal, e à comunidade onde cresceu para contar ao público um pouco da história de Dag. Esperta, a menina vivia em um vilarejo distante, longe do tempo da televisão e da tecnologia. Seu sonho era ser trapezista de circo, e vivia inventando brincadeiras junto aos seus irmãos e amiguinhos. Em uma caminhada, ao imaginar-se em um circo de lona azul cravejada de estrelas, Dag, sem perceber, se envolve em uma aventura que a faz percorrer caminhos e paisagens desconhecidas.

Na contação de história, Suzana busca incentivar o hábito da leitura em família e trazer para perto de Dag as crianças que sempre foram motivo de sua alegria e carinho especial para a escritora, que ensinou em escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental por muitos anos.

“Hoje, depois de estudar muito sobre a infância, atuar na Escola e na Universidade, me aventuro junto com meus leitores a entrar no mundo da imaginação infantil, temperar esse mundo mágico com histórias, imagens, sons imaginários e principalmente com sentimentos. Espero que a história de Dag, desperte em cada um dos leitores a leveza de ser criança e que esse livro também possa proporcionar às famílias um encontro gostoso, de conversas e lembranças das suas brincadeiras e aventuras de infância”, convida Suzana Braga.

Serviço

Centro Cultural Celina de Oliveira Barbosa
Onde: Rua Capitão José Leal, Pedro do Rio, Petrópolis
Visitação: de segunda a sexta, de 9 às 18h; e sábado até 14h
Quanto: entrada gratuita
Informações: (24) 2246-9302

 

Encaminhado pelo executivo, o projeto que reduz em 40% o salário do prefeito, 30% o do vice-prefeito, foi aprovado em sessão realizada na Câmara de Vereadores, na tarde de quinta-feira (05.10). O projeto prevê ainda o corte de 20% sobre os salários de secretários, e entre 20% e 10% sobre os vencimentos de funcionários em cargos comissionados – uma economia de R$ 1 milhão em 3 meses.  

O projeto faz parte do pacote de austeridade anunciado pela prefeitura, em entrevista coletiva à imprensa na manhã de quinta-feira. A meta é cortar custos com contratos, aluguéis e outras despesas para alcançar economia de R$ 60 milhões por ano. O objetivo é equilibrar as contas da prefeitura hoje com  dívidas de R$ 766 milhões acumuladas em gestões passadas.

O corte de salário vem somar a uma série de medidas que estão sendo tomadas para reduzir ainda mais os gastos e evitar que o município se torne ingovernável. São medidas urgentes para conseguir manter em dia os salários dos servidores e também os serviços Saúde, Educação, limpeza pública, enfim, os serviços que não podem parar.

Com a aprovação do legislativo o salário do prefeito passará de R$ 14.784,00 para R$ 8.870,40 e o vencimento do vice-prefeito passará de R$ 11.354.11 para R$ 7.947,88. Os secretários passam a receber R$ 7.846,52. Já para os funcionários em cargos comissionados, a redução varia de 15% a 10%, com salários variando entre R$ 2,4 mil e R$ 6,5 mil. Os valores mencionados são referentes ao vencimento bruto, incidindo ainda descontos de encargos trabalhistas.

No início do ano a prefeitura já havia enxugado gastos, mas diante da dívida acumulada pelas gestões passadas, que alcança R$ 766 milhões, é necessário apertar ainda mais o cinto. A situação financeira da prefeitura hoje é tão grave, que para evitar um colapso total nas contas, foi preciso editar este segundo pacote de austeridade.

Cortes de 40% de combustível e 25% de redução nos contratos

As medidas de contingenciamento de gastos estabelecem a redução de 40% nas despesas com combustível, 50% nas despesas com eventos e festejos, e redução de 25% nos valores de contratos de prestação de serviços, obras e compras. Todos os contratos estão sendo revistos e renegociados para baixo, assim como com os aluguéis. Da mesma forma que no início do governo, todos os aparelhos celulares continuam recolhidos.

Entre as regras de contingência, publicadas no Diário Oficial do dia 4, estão a suspensão das diárias de viagens, assim como a participação de servidores em congressos e seminários, que gerem despesas ao município. Viagens também estão vetadas, salvo em casos absolutamente indispensáveis. O decreto veta ainda a aquisição e locação de veículos – salvo aqueles indispensáveis às secretarias de Saúde, Educação e Defesa Civil.

O rigor nas contas públicas é uma premissa a ser seguida o tempo todo, e em momentos difíceis, como o que a prefeitura enfrenta hoje, este rigor deve ser redobrado. A prioridade hoje é trabalhar para manter em dia os salários dos servidores, aposentados e pensionistas, e os serviços que são importantes para a população.

Os impactos viários em torno de empreendimentos de Minha Casa Minha Vida e construções em encostas são os temas em debate.

O avanço rápido da construção do conjunto habitacional do Vicenzo Rivetti e as ações sociais e de estrutura para receber no bairro os novos moradores também serão discutidos neste sábado (07.10), Secretaria de Obras, Habitação e Regularização junto com a sociedade na 3ª Conferência Municipal de Habitação. O evento vai acontecer na Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta, a partir de 9h, e vai tratar também sobre a construção de casas em encostas.

O Plano Municipal de Redução de Riscos (PMRR), apresentado aos petropolitanos em maio, mostra a importância dos temas. A cidade tem um déficit habitacional de 12 mil casas. Para reduzir esse número, a cidade vem tirando do papel projetos de Minha Casa Minha Vida e articulando com os governos estadual e federal para que outras obras possam ser iniciadas em Petrópolis. Mas a construção de novos empreendimentos gera diversas demandas de infraestrutura e prestação de serviços.

Está ficando pronto o maior projeto habitacional do nosso município, com 776 casas no Vicenzo Rivetti. E, quando os novos moradores chegarem, é preciso que o bairro esteja preparado para absorver as demandas que vão crescer. A Conferência serve exatamente para a Secretaria de Obras, Habitação e Regularização Fundiária debater com a população sobre como atender essas demandas.

Para isso, uma das palestras será do presidente do Sinduscon Petrópolis, Ricardo Francisco, que vem contribuindo com a análise sobre o impacto que a chegada de mais de três mil novos moradores vai trazer ao Vicenzo Rivetti.

A infraestrutura da região, com a pavimentação e sistema de drenagem, vai começar a ser atendida neste mês outubro – a empresa Gravisa ficará responsável pela obra. As demais contrapartidas exigidas ao município também já estão sendo preparadas pelo grupo de trabalho responsável pelos estudos relativos ao empreendimento (o colegiado é formado por secretarias de Assistência Social e Obras, Habitação e Regularização Fundiária, além da Caixa).

Encostas

O PMRR também traz outro dado importante: 47 mil pessoas moram atualmente nas 234 áreas de risco alto ou muito alto da cidade. Um dos caminhos buscados para solucionar essa questão são as obras de contenção, feitas com ajuda, por exemplo, de emendas parlamentares ao orçamento federal e do PAC das Encostas.

As obras de contenção tem sido tratada como uma das prioridades da cidade, porque salvam vidas de petropolitanos. Ao colocar a questão em debate, o objetivo é ouvir a população sobre que outras medidas devem ser tomadas para complementar esse trabalho.

Atualmente, há obras de contenção em andamento no Quitandinha, no Morin, em Itaipava e no Dr. Thouzet. A Secretaria de Obras trabalha para que outras intervenções tenham início e segue captando recursos junto à União para isso – no fim do mês passado, por exemplo, a Caixa repassou quase R$ 1 milhão de uma emenda para obras na Rua 1º de Maio, na Castelanea.

O assunto será abordado pelo gerente de projetos do Ministério das Cidades, Wolnei Wolff Barreiros. Ele tem feito visitas constantes a Petrópolis para acompanhar e fiscalizar o andamento de obras do PAC Encostas no município. A cidade possui 14 obras em três lotes do programa, que preveem investimento de R$ 60,2 milhões.

Eleição de Conselho Gestor do Fundo de Habitação

A Conferência ainda inclui na programação uma terceira palestra, sobre regularização fundiária. O diretor executivo da Câmara Metropolitana de Integração Governamental do Rio de Janeiro, Vicente Loureiro, vai tratar do assunto. Ele trabalha na área há vários anos e já atuou para Prefeitura de Petrópolis, no Rio de Janeiro e na baixada fluminense, além do governo do Estado.

Os palestrantes vão levantar pontos pertinentes para a discussão do relatório que será produzido pelos participantes e apresentado ao final da Conferência.

Também durante a Conferência, serão eleitos os membros do Conselho Gestor do Fundo Municipal de Habitação e Interesse Social (CGFMHIS). Desta vez, a participação da sociedade será ampliada. Além das cinco cadeiras de entidades e movimentos populares – são 10 associações de moradores concorrendo às vagas –, será criado um assento para ONGs (dois candidatos). Eles vão participar do conselho ao lado de representantes do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ), do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Petrópolis (Sinducon), do escritório regional da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e da Caixa.

Do lado do poder público, participam representantes do gabinete da prefeitura, das secretarias Obras, Habitação e Regularização Fundiária, de Desenvolvimento Econômico, de Meio Ambiente, de Assistência Social, da Coordenadoria de Planejamento e Gestão Estratégica, da Comdep, da Câmara, além da inclusão das pastas de Defesa Civil e Ações Voluntárias e de Serviços, Segurança e Ordem Pública.

 

Buscando fortalecer a saúde emocional do profissional de Educação, o Departamento de Educação Especial convida os professores e diretores a participar do "Grupo de Apoio aos Profissionais da Educação". Com enfoque psicológico, o grupo contará com a participação especial da professora e fisioterapeuta Juliana Rampini. O primeiro encontro ocorrerá terça-feira (10.10) das 16h às 17h30 no CREI – Centro de Referência em Educação Inclusiva João Pedro de Souza Rosa.

O objetivo do grupo de apoio será oportunizar momentos de reflexão, compartilhando e ressignificando experiências, proporcionando mais uma chance para a troca de experiências, aprofundamento e para conhecer a realidade de outros profissionais.

De acordo com Bianca Caetano, diretora do Departamento de Educação Especial “Esse grupo tem como pontos positivos fortalecer vinculos e desenvolver o equilíbrio emocional”. Outros encontros serão ofertados para os profissionais da Educação de todos os segmentos a cada mês.

O limite de vagas é de 16 pessoas. As inscrições deverão ser feitas através do telefone 2246-8656.

Veículos foram flagrados em locais irregulares em ruas do Centro e distritos pela CPTrans.

Em nove meses a equipe da CPTrans removeu das ruas do Centro e dos distritos 704 veículos. São carros parados em locais irregulares ou abandonados, que atrapalhavam o trânsito e dificultavam a mobilidade no município. A maioria dos veículos foi retirada pelos próprios proprietários, após notificação de agentes de trânsito, conforme previsão de decreto, que tipifica os veículos abandonados e que devem ser retirados em até sete dias, sob pena de ter o bem rebocado.

De acordo com o artigo 2ª do Decreto 270 de dezembro de 2013, os veículos considerados abandonados são aqueles que não possuem placa, apresentam estado de decomposição, não têm capacidade de locomoção própria, estão mal conservados ou oferecem risco de segurança. Nessas condições, o agente cola no vidro do veículo um adesivo informando que o carro deve ser removido pelo proprietário em até uma semana.

É importante que a população denuncie quando vir um carro parado durante muito tempo em um local sem que ninguém mexa nele ou esteja atrapalhando o trânsito de veículos ou pedestres, para que a CPTrans possa atuar e realizar o procedimento adequado, que pode ser até o reboque deste automóvel.

Os carros rebocados são levados para o pátio mantido pela empresa Rodando Legal, no Morin, que é a responsável pelo serviço no município. O proprietário deve, então, procurar a empresa para pedir a liberação do veículo. Quem não fizer isso pode ter o bem leiloado. Desde janeiro, 673 veículos retirados das ruas e não recuperados pelos proprietários foram levados a leilão na cidade.

Para fazer a denúncia, basta que o morador ligue para o telefone 156 ou para o 2237-1703 e informe o local onde os veículos estão parados. Os dados são encaminhados às equipes de fiscalização, que vão ao local verificar a informação. Antes de ser removido, o veículo recebe um adesivo de advertência e, depois de sete dias, com a presença de um agente de trânsito, a Rodando Legal faz a remoção. O veículo é levado, então, para o pátio da empresa, no Morin.

Aos 77 anos a senhora Marli Kraisher esboça um largo sorriso ao ver as cenas de filmes e ouvir músicas de Carmem Miranda e Mazzaropi. De longe, dá para ver que ela fecha os olhos como se naquele momento fosse transportada para algum lugar do passado. Ao questioná-la a confirmação vem “fez eu ir para longe, para minhas memórias, para momentos felizes da vida”, diz ela, animada. Dona Marli estava nesta quinta-feira (05.10), no auditório do Terra Santa, acompanhando de seus amigos, para o projeto “Cinema, Memória e Bem-Estar”, trazido a Petrópolis pela professora de Estudos Brasileiros, Lisa Shaw, da Universityof Liverpool, na Inglaterra.

O projeto é o primeiro chancelado pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e faz parte da Semana do Idoso 2017, realizada juntamente com a Prefeitura. O projeto internacional é baseado os resultados de um piloto feito pela Universidade de Liverpool em conjunto com o Posto de Saúde da Família do Fazenda Inglesa. Ele toma como base resultados de pesquisas que indicam que atividades que promovem o bem-estar se tornam mais eficientes quando apresentado como terapia. E o feedback no rosto de cada uma das cerca de 50 pessoas que participaram do projeto confirma: a resposta emocional ao cinema e à música não se desvanece na velhice.

“As respostas ao projeto são muito favoráveis pois estimula a memória por meio de reminiscências compartilhadas com outros participantes, promove o bem-estar afastando problemas físicos e emocionais, reduz índices de ansiedade e depressão, cria um foco ao mostrar como viver com o que se tem, além da socialização gerada com a atividade coletiva”, explica a doutora Shaw.

Morando seis meses em cada país, a professora explica que o projeto nasceu por conta da relação com o pai e a mãe, que têm 90 e 89 anos, respectivamente. Segundo ela, ao assistir filmes americanos com Carmem Miranda, eles apresentavam respostas positivas ao lembrar de suas trajetórias e reviver momentos vividos nas décadas passadas. Já no Brasil, casada com um médico que atendia no PSF da Fazenda Inglesa, buscou formas de interagir e aplicar o projeto ao grupo da terceira idade. Agora, em parceria com o Conselho do Idosos, o projeto está sendo trabalhado para que seja estendido a outras áreas do município.

“Esse projeto estimula pela vivência e pela lembrança, as memórias da juventude e faz com que os idosos se sintam felizes. O processo de envelhecimento já é muito difícil naturalmente e essa atividade faz com que se sintam integrados, com a sensação de pertencimento. É uma atividade que aprovamos no Conselho e que tem se mostrado eficiente em diversos sentidos”, explica a presidente CMDDPI, Gabriela Falconi.

Semana do Idoso terá mais atividades com música

A Semana do Idoso terá mais duas atividades com música: o Baile da Feliz Idade e a Tarde Musical, que acontecem nos dias 11 e 16, respectivamente. As atividades visam usar as melodias, ritmo e outros elementos a fim de estimular reações no corpo, que causam benefícios para saúde.

De acordo com os pesquisadores dos Estados Unidades e da Itália, dependendo do ritmo da música a respiração fica mais branda ou mais ofegante, podendo influenciar ainda no batimento cardíaco por causa da pressão sanguínea que fica mais forte ou menos intensa. Prevenindo, dessa forma, doenças cardíacas.

O Baile da Feliz Idade acontece de 15 às 19h, no Clube Petropolitano, na Avenida Roberto Silveira, dentro do projeto Maturidade. A trilha sonora fica por conta de Márcio Alves. O evento é gratuito e aberto ao público. Já no próximo 16 de outubro, os idosos poderão aproveitar a partir das 16h30 na Casa Cláudio de Souza, a atividade será promovida pelo Instituto de Previdência e Assistência Social do Servidor Público do Município de Petrópolis. Será uma tarde dançante com a banda Serenata Imperial.

Notícias por data

« Outubro 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31          

DO

loa 2018

plano-plurianual-final

iptu

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

cpge

selo acesso informacao.fw