Unidade reformulou protocolos e agilizou atendimentos

Mudanças de fluxos e de protocolos de atendimentos, aliadas a mutirões de consultas, ajudaram o Ambulatório do Hospital Acides Carneiro (HAC) a reduzir em quase 100% a fila de espera para consultas e exames em especialidades como urologia pré-operatória, otorrinolaringologia, reumatologia, cardiologia e para espirometria. A unidade também reforçou o quadro de oftalmologistas com a contratações de mais uma profissional, oferecendo mais 200 consultas por mês na especialidade. O ambulatório do Hospital Alcides Carneiro oferece 30 especialidades médicas. No ano passado foram 69 mil atendimentos. Em 2018, de janeiro até o início de junho, quase 38 mil pacientes foram atendidos. No mês de maio, durante apenas um dia de mutirão, mais de 400 consultas foram realizadas no HAC.

É um compromisso que a prefeitura firmou em cuidar não só das emergências e dos atendimentos de média e alta complexidade do município, mas também reduzir a espera por exames e consultas médicas. O município quer facilitar ainda mais o acesso às consultas e exames e agilizar a entrega dos resultados, o que é muito importante para o diagnóstico e tratamento das doenças.

A unidade passou a contar, desde o ano passado, com novo sistema de agendamento de consultas de retorno médico. Esta mudança foi fundamental para reduzir a espera para remarcação. Após a consulta com o médico, o usuário já sai da unidade com a data do retorno agendado. Geralmente, o tempo de remarcação era de dois meses para que a pessoa conseguisse realizar os exames e apresentar o resultado ao médico.

É um esforço coletivo na busca pelo melhor atendimento para a população. No ano passado, a Secretaria de Saúde implementou este novo protocolo de atendimento e, no mês de maio, com o mutirão de consultas ambulatoriais, mais de 400 pessoas que aguardavam na fila foram atendidas. A pasta está buscando dar mais agilidade no atendimento para receber todos da melhor forma.

O espaço conta com consultórios e salas de atendimento para as consultas de atenção básica, como clínica médica, clínica cirúrgica, pré-natal, ginecologia, pediatria e as consultas de atenção secundária. A média mensal neste ano da unidade é de mais de 7 mil atendimentos.

Além da redução de quase 100% da espera por consulta de urologia pré-operatória, otorrinolaringologia, reumatologia, cardiologia e para espirometria, a unidade conta, desde maio, com mais um oftalmologista, aumentando o número de atendimentos mensais de 120 para 320. A doméstica Cleia da Silva, de 58 anos, fez, nesta segunda-feira (16.07), o exame de retorno de oftalmologia. Ela conta que o atendimento, tanto no Ambulatório do HAC quanto no Ambulatório Escola, em Cascatinha, onde também recebe acompanhamento, tem sido de grande satisfação.

“Tanto lá, quando procuro assistência, quanto aqui (HAC) o atendimento é sempre muito bom. Estou vindo para exame de retorno e agradeço a todos pelo ótimo atendimento. A doutora Priscila (oftalmologista) é sempre um amor comigo. Fico feliz que a Saúde do município está ampliando o atendimento. São mais pessoas podendo receber esta atenção”, conta dona Cleia.

Agendamento de consultas também é feito pelo 0800

Para o primeiro atendimento na unidade o paciente deve ter um encaminhamento fornecido pelo médico no posto de saúde ou unidade básica de saúde. Esse encaminhamento é regulado pela Secretaria Municipal de Saúde para agendamento junto ao hospital. Já os atendimentos voltados à atenção básica – clínico geral, ginecologista, pré-natal e pediatria podem ser agendados diretamente no Ambulatório do HAC ou pelo telefone 0800 28 24646.

O coordenador do ambulatório Rene Giardini, explica que o atendimento do 0800 foi dividido, no ano passado, em três dias no mês para facilitar o acesso à população.

“Antes era um dia só por mês com todas as especialidades, a população reclamava que o telefone ficava congestionado por muito tempo e não conseguia agendar. Agora eles são divididos por dia e especialidade, assim a pessoa pode ligar com mais tranquilidade”, avalia. Atualmente, são atendidas, em média, cerca de 350 ligações por dia.

Para agendar as consultas é necessário que o paciente tenha o cartão do ambulatório que é feito na recepção apresentando os documentos: Carteira de Identidade, CPF, Cartão SUS e comprovante de residência no próprio nome. Para crianças, são necessários Certidão de Nascimento e cartão do SUS da criança, além da Carteira de identidade, CPF e comprovante de residência do responsável. O cartão é feito de segunda à sexta, de 7 às 18h.

Recurso faz parte do Fundo de Arrendamento Residencial do banco para projetos de equipamentos públicos no entorno de Minha Casa Minha Vida

A Caixa autorizou a liberação de um recurso de R$ 2,8 milhões para a construção de uma creche para atender o Vicenzo Rivetti. O recurso vem do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), mantido pelo para financiar, por exemplo, equipamentos públicos no entorno de empreendimentos de Minha Casa Minha Vida. Dessa forma, a prefeitura cumpre mais uma contrapartida exigida ao município pelo programa habitacional.

O empreendimento no Vicenzo Rivetti tem 776 unidades habitacionais e a construção se tornou uma das mais rápidas no ano passado, após a retomada das obras depois de três anos de paralisação. No início de 2017, estava com apenas 5% e, agora, já passou de 90% de conclusão. As moradias são destinadas para famílias com renda mensal até R$ 1,8 mil e, prioritariamente, para quem recebe auxílio após terem perdido casas, como no caso da tragédia de 2011 – os beneficiados serão selecionados pela Caixa.

O Minha Casa Minha Vida no Vicenzo Rivetti é o maior projeto habitacional da história do município e todas as exigências de infraestrutura e contrapartidas estão sendo cumpridas pela prefeitura. Já foram providenciadas as obras de pavimentação e drenagem, a contrapartida social de capacitação profissional e de gestão dos condomínios, a unidade de saúde e, agora, a creche. Tudo sendo feito para atender as mais de três mil pessoas que vão morar nesses apartamentos.

Desde o ano passado, a prefeitura trabalha para cumprir todas as exigências do programa. A pavimentação do bairro e construção de um sistema de drenagem no entorno do empreendimento será feito pela Gravisa. A prefeitura também vai promover melhorias em uma via alternativa ligando o Vicenzo Rivetti a Corrêas, via emenda federal.

A gestão dos condomínios e o trabalho técnico-social – ou seja, a orientação para os futuros moradores sobre os cuidados com o conjunto habitacional, tanto no aspecto jurídico como de manutenção das unidades habitacionais, além da capacitação profissional, educação ambiental e orientação sobre planejamento familiar – serão executadas pela a AJR e pela UP Soluções S/S, respectivamente. Esses trabalhos também serão feitos com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial.

Já a unidade de saúde será construída com emenda federal no mesmo terreno onde ficará a creche – próximo ao conjunto habitacional. No caso do Centro de Educação Infantil, a obra ficará a cargo da AB Construtora, também responsável pela edificação dos apartamentos. A creche deverá ter capacidade para atender até 100 crianças.

Festival em homenagem à cultura japonesa acontece entre os dias 01 e 05 de agosto

Passado o sucesso da 29ª Bauernfest – que exalta a influência dos colonos germânicos em Petrópolis, será a vez do Palácio de Cristal virar palco da 10ª edição do Bunka-Sai. De 1º a 05 de agosto, turistas e petropolitanos poderão conhecer um pouco mais sobre a cultura japonesa através de apresentações culturais, concursos, comidas típicas, artes marciais e diversas oficinas, como de mangá e origami. Este ano, a festa será ainda mais especial já que estão sendo comemorados os 110 anos da imigração japonesa no Brasil. Em Petrópolis, são cerca de 300 descendentes e a relação da cidade com o país faz parte da história da comunidade Nikkei por aqui.

O evento, que tem entrada gratuita, é realizado pela Prefeitura de Petrópolis, por meio do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Turispetro, e Associação Nikkei de Petrópolis. A abertura acontece a partir das 19h, com apresentações musicais e dança folclórica. “É fantástica essa diversidade cultural em Petrópolis. Temos nossas raízes germânicas, mas a cidade tem uma relação histórica com diversos outros países. O Japão é um deles. Temos japoneses que moram na cidade e muitos descendentes. É fundamental que a gente também comemore e exalte a cultura oriental, que é linda”, destaca o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo.

Na programação, o público poderá mergulhar nas tradições e costumes japoneses com exposição de pipa japonesa, concursos de fotografia, cosplay, oficinas, bandas de música japonesa, além das delícias da culinária oriental com muito peixe cru e o tradicional saquê pra acompanhar. De acordo com o secretário da Turispetro, Marcelo Valente, o evento, além de chamar a atenção dos petropolitanos, também deverá atrair muitos turistas. “Estamos ampliando e melhorando a festa este ano. O Bunka-Sai é um dos nossos principais eventos do calendário e temos feito a divulgação dele por todo o país. Petrópolis, além de toda sua beleza e patrimônio histórico, tem atrativos para o ano inteiro e os festivais também são uma forma de atrair os visitantes”, frisa ele.

Mesmo com uma comunidade pequena de descendentes na cidade, Petrópolis faz parte da história da comunidade Nikkei no Brasil. É a cidade brasileira que tem a relação mais antiga com o país, já que em 1897 foi instalada aqui a primeira delegação do Japão (representação diplomática), comprovando que os dois países mantiveram contato onze anos antes da chegada dos primeiros imigrantes japoneses no Brasil.

Por falar em imigração, em 1908, os primeiros 781 japoneses desembarcaram em Santos, em São Paulo. De lá até hoje, a comunidade japonesa vem contribuído para o desenvolvimento do país, fortalecendo as relações amistosas entre o Brasil e o Japão. Este ano, comemorações estão na programação de diversas cidades pelo país.

O equipamento permite o acesso a imagens de alta resolução com baixo custo de operação

O drone da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias registra mais de 160 horas de sobrevoo auxiliando no mapeamento de áreas de preservação ambiental, vistorias técnicas e treinamento dos agentes. A ferramenta está sendo utilizada há sete meses e contabiliza mais de 50 mil metros quadrados de área percorrida. O principal benefício do equipamento é o acesso a imagens de alta resolução com baixo custo de operação do sistema. Como parte do Plano Inverno 2018 de Petrópolis, a Defesa Civil realizou um calendário de operações preventivas aos incêndios florestais sobrevoando as regiões de Araras, Secretário, Brejal, Bonfim, Caxambu e Alcobacinha. O material gerado fica disponível para estudo estudos dos órgãos ambientais. 

A grande quantidade de tempo e de área percorrida pelo drone tem o objetivo de reduzir o número de ocorrências de origem natural, como incêndios florestais e deslizamentos de terra, trabalhando de forma antecipada e organizada. Além disso, a ferramenta está disponível para órgãos de resposta, como as brigadas operacionais dos órgãos ambientais e do Corpo de Bombeiros. O sobrevoo permite que as equipes tenham acesso aos detalhes nas regiões de mata fechada.

“O drone é uma ferramenta importante no trabalho de prevenção aos desastres de origem natural que realizamos em Petrópolis. O nosso trabalho antecipado e organizado busca reduzir o número de ocorrências na cidade. Vale ressaltar também que o equipamento está à disposição para auxiliar os órgãos de resposta imediata as ocorrências”, afirma o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

A principal novidade do Plano Inverno 2018 de Petrópolis foi um calendário de operações preventivas aos incêndios florestais, ação que rendeu elogios das equipes operacionais dos órgãos ambientais parceiros da Defesa Civil. No interior da Reserva Biológica Estadual de Araras (Rebio/Araras), por exemplo, o equipamento norteou as equipes que estavam a mais de um quilômetro do foco de um incêndio. Com o drone, foi possível avaliar e se antecipar a um possível regresso do fogo, que havia sido extinto naturalmente durante a madrugada daquela noite.

“O drone sobrevoou uma área muito importante da nossa unidade de conservação no Vale das Videiras. É fundamental o estudo de uma região de mata em que já houve registro de incêndios florestais e que está em regeneração.  A ideia é mapear os acessos e levantar informações. O drone ajudará muito, pois chega facilmente a áreas de difícil acesso a pé, conferindo maior eficiência à ação e uma grande economia de recursos”, diz a chefe da Rebio-Araras, Isabela Bernardes.

A pedido da brigada operacional do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), a Defesa Civil sobrevoou com o drone em três regiões: Bonfim, Caxambu e Alcobacinha. As imagens geradas pelo equipamento foram disponibilizadas aos brigadistas do Parnaso, que fazem o mapeamento e os estudos necessários dos locais. Em 2014, um incêndio florestal de grande proporção consumiu 1.840 hectares da área do Parque Nacional, o equivalente a 9,2% de toda a unidade de conservação.

“As queimadas são comuns no Caxambu, por causa do grande número de agricultores, e acabam atingindo outros locais, como é o caso do Alcobacinha. No mesmo dia em que realizamos a primeira operação, que foi no Bonfim, solicitamos o sobrevoo também nessas áreas, que são de grande preocupação das nossas equipes. O trabalho antecipado com o drone é importante, permitindo que a gente faça um histórico de imagens”, garante Gabriel Cattan, Analista Ambiental do Parnaso.

Além do trabalho nas áreas de preservação, o corpo técnico da Defesa Civil conta com o apoio do equipamento nas vistorias preventivas realizadas em todo o município. O drone também é utilizado nos treinamentos simulados realizados nas comunidades e nas ações de prevenção dos planos de contingência.

“Com o apoio da ferramenta, é possível aperfeiçoar o atendimento à população da cidade. Apesar das dificuldades, realizamos um trabalho antecipado de prevenção aos desastres de origem natural com o objetivo de garantir uma cidade mais segura para os petropolitanos”, completa o secretário de Defesa Civil.

De sete bancos com agências na cidade, três aparecem entre as 10 mais reclamadas e todos estão entre as 30 primeiras

19,38% das reclamações no órgão, são de instituições bancárias

Três, de sete bancos com agências em Petrópolis figuram entre os 10 mais reclamados no Procon Petropolis e todos eles estão entre as 30 empresas que mais geram dores de cabeça aos clientes na cidade. O ranking divulgado nesta segunda-feira (16.07) pelo órgão de defesa do consumidor analisou as queixas de clientes no primeiro semestre de 2018 e apontou que quase 20% das reclamações protocolados no Procon são relacionadas a instituições financeiras, perdendo, este segmento, apenas, para o de telefonia no quesito de reclamações.

Entre as queixas estão a dificuldade no atendimento, cobranças indevidas em cartão de crédito, valor de tarifas cobradas pelos bancos, tempo de demora nas filas, entre outros. Por conta das reclamações, o Procon realizou 14 ações desde o início do ano, sendo seis operações focadas em tempo de fila, visitando 41 agências; sete focando em acessibilidade, com 49 visitas e uma em guarda-volumes, com 33 agências fiscalizadas.

Bernardo Sabrá, coordenador do Procon, destaca que o valor pago pelos clientes nas tarifas e serviços são mais que suficientes para que os bancos garantam um serviço de qualidade. “Estamos sendo firmes com as agências, que devem cumprir as legislações vigentes e garantir um bom atendimento ao público, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor”, destaca.

Dentre os bancos da cidade, o Bradesco ocupa o 4º lugar no número de reclamações protocoladas, com 131 queixas. O Itaú aparece em 7º lugar com 87, seguido da Caixa Econômica Federal que figura em 8º. O Santander teve 36 reclamações sendo a 13º do ranking, o BMG teve 18, sendo o 22º e o Banco Pan teve 14, sendo a 25ª. Outras instituições bancárias da cidade não foram reclamadas no período.

Na última semana, o Procon notificou duas agências para providenciar a instalação de guarda-volumes antes das portas giratórias sob pena de suspensão do alvará em Petrópolis. A determinação do Procon Petrópolis ocorre em obediência à Lei Municipal 7.100. Ao todo, 32 agências bancárias foram fiscalizadas, estando todas adequadas à legislação com exceção do Banco do Brasil do Shopping Estação e do Bradesco do Shopping D. Pedro.

O órgão também conseguiu outra vitória para o consumidor petropolitano: todas as agências bancárias, agora, cumprem com as normas de acessibilidade preconizadas pela a Associação Brasileira de Normas Técnicas.  (ABNT). As agências incluíram caixas especiais tanto no sistema de atendimento no interior das agências, quanto de autoatendimento. Também disponibilizaram rampas ou elevadores para acesso adequado e seguro ao interior das agências, além mobiliário e guichês adaptados ao atendimento de cadeirante e pessoas com nanismo.

Beneficiários de oito localidades devem procurar o CRAS Centro

Moradores do Alcobacinha, Bela Vista, Cascatinha, Humberto Rovigatti, Itamarati, Nova Cascatinha, Quissamã e Samambaia tem até o próximo dia 27 para fazer o recadastramento do Cartão Imperial. Dos 169 beneficiados, 108 compareceram no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) do Centro para atualizar os dados até esta segunda-feira (16.07). A Secretaria está realizando nova convocação para que as famílias pendentes possam entregar a documentação na unidade com tranquilidade.

A meta da prefeitura é manter ativo o benefício dos que comprovarem a situação de vulnerabilidade social, de insegurança alimentar e/ou nutricional para manter o recebimento de R$ 70 mensais.  A atualização dos dados ocorre diariamente no CRAS do Centro, localizado na Rua Dr. Sá Earp, nº 39, de 9 às 16h. A secretária de Assistência Social, Denise Quintella, reforça que a convocação dos beneficiados ocorre frequentemente junto aos Centros Comunitários, unidades de Saúde e igrejas da região.

"Essa é uma oportunidade para quem não buscou o CRAS, que o faça com tranquilidade até o dia 27. Mobilizamos as equipes para que continuem ligando para os beneficiados, além da integração com as agentes de saúde e líderes comunitários para que todos compareçam no CRAS e não corram o risco de perder o benefício", afirma Denise Quintella.

As famílias que não se recadastrarem terão, inicialmente, o benefício bloqueado por 30 dias. Atualmente, o município conta com 3.915 pessoas com os cadastros atualizados e ativos e 1.715 usuários já foram desligados do programa por não comprovarem a situação de vulnerabilidade social, de insegurança alimentar e/ou nutricional.

"Esse é o momento para pessoas virem até aqui para realizar a atualização dos dados, principalmente aqueles que perderam os prazos. Precisamos tranquilizar a população que o desligamento não é automático. Primeiro o benefício é bloqueado, então a família que não conseguir utilizar o benefício deve procurar atendimento no CRAS mais próximo de sua residência ou o atendimento junto à Secretaria localizada no Centro Administrativo da prefeitura na Avenida Barão do Rio Branco para avaliar o cadastro", disse Denise Quintella.

Como se recadastrar?

O recadastramento do Cartão Imperial garante o recebimento do benefício aos atendidos que estejam dentro dos critérios do programa, ou seja, que comprovem situação de vulnerabilidade social e estejam devidamente cadastrados no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Caso a família não atualize os dados, o benefício é inicialmente bloqueado para que a pessoa entre em contato com a Secretaria de Assistência Social para regularizar o cadastro.

A Secretaria de Assistência Social disponibiliza uma equipe para convocar as famílias por telefone. Para fazer o recadastramento, o usuário deve levar documento de identificação, CPF, comprovante de residência, carteira de trabalho ou comprovante de renda, certidão de nascimento dos filhos menores, comprovante de escolaridade e carteira de vacinação dos menores de 10 anos. 

Pessoas com deficiência ou portadores de doença crônica devem apresentar laudo ou comprovante de acompanhamento médico. Em casos de dúvidas, os moradores podem entrar em contato pelos telefones (24) 2233-8109 e 2233-8110.

“Comissão dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil” doou 110 mudas ao município, sendo que 100 delas ficarão em Itaipava

Se aquela historia de que na vida a gente precisa escrever um livro, ter um filho e plantar uma árvore for verdadeira, muitos petropolitanos já cumpriram pelo menos um dos três itens. É que, depois da doação de 110 mudas de cerejeiras pela “Comissão dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil” ao município, muitas pessoas se inspiraram e resolveram se voluntariar para plantar “sua árvore”. O Parque Municipal, em Itaipava, que recebeu 100 das 110 mudas, esteve movimentado nesta segunda-feira (16.07) com adultos e crianças que ajudaram no plantio.

O trabalho, que está sendo feito pela Comdep, deve terminar nesta terça-feira (17.07) com o plantio das últimas mudas, que estão sendo espalhadas pelos quatro cantos do parque. Na cerimônia que oficializou a doação das cerejeiras – árvore símbolo do Japão, na última sexta-feira (13.07), o cônsul geral do Japão no Rio de Janeiro, Yoshitaka Hoshino, e integrantes da comunidade japonesa, além do prefeito Bernardo Rossi, plantaram suas árvores e serviram de inspiração para a comunidade.

“Depois da cerimônia as pessoas não param de mandar mensagem, todo mundo quer plantar sua árvore. Isso é muito legal porque movimenta o parque. Não só agora, mas sempre, porque as pessoas vão continuar vindo para cuidar e ver as árvores”, destaca Débora Lattouf, subgerente responsável por eventos do Parque Municipal.

O município foi escolhido para receber as árvores porque Petrópolis é a cidade do país que tem a relação mais antiga com o Japão. Em 2018, a comunidade Nikkei comemora os 110 anos da imigração japonesa no Brasil e, por isso, uma série de eventos marcam a data. A escolha do parque fortalece o Circuito das Cerejeiras também na região de Itaipava. Quem conseguiu plantar sua muda ficou orgulhoso. “Achei essa ideia brilhante. É um orgulho para quem está plantando. Eu vim plantar e vou continuar vindo aqui sempre. Esse lugar é maravilhoso”, explica o professor de educação física Ricardo Rumayor.

Ao longo do dia, dezenas de pessoas procuraram o parque para plantar suas mudas. Até escolas aproveitaram a oportunidade para estimular as crianças no contato com a natureza. As professoras Ingrid Mathias e Caroline Jeronymo, por exemplo, levaram alunos ao parque e aproveitaram para estimulá-los ao plantio. “É sempre bom colocá-los em contato com a natureza”, disse Ingrid.

O mês de julho é o período de florada das cerejeiras, que dura, no máximo, rápidos 15 dias. Entre os pontos conhecidos pelas belezas das sakuras, como são chamadas no Japão, estão o Lago Quitandinha, Museu Imperial, entorno do Palácio de Cristal, vias do Centro Histórico como as avenidas Ipiranga e Tiradentes, entre outros.

Jogos de futebol e orientação sobre cuidado com os dentes fizeram parte da programação

Cerca de 50 crianças e adolescentes participaram das atividades do Festival das Comunidades na Rua Gaspar Gonçalves, no Quarteirão Brasileiro, no último sábado (14.07). Foi realizado um torneio de futebol society em duas categorias: sub-13 e 15, com a entrega de medalhas de participação para todos os presentes, como forma de incentivar a prática esportiva. Além disso, os jovens acompanharam uma palestra sobre como preservar e cuidar dos dentes, graças a uma parceria da prefeitura com a iniciativa privada.

O objetivo do Festival das Comunidades é atender mais de duas mil pessoas até o final do ano oferecendo atividades físicas e de lazer gratuitas em 30 datas do calendário esportivo do município. Dois profissionais de educação física acompanham os jovens que participam do programa, garantindo mais segurança na execução dos exercícios.

A proposta é garantir mais saúde e qualidade de vida para os jovens, incentivando a prática esportiva. A adesão da população tem sido grande, com um retorno bastante positivo da comunidade. A Superintendência de Esporte e Lazer preparou um calendário para atender a todos os distritos da nossa cidade até o final.

Na Gaspar Gonçalves, as crianças e os adolescentes foram divididos em duas categorias e a brincadeira foi realizada sem que no final houvesse um time campeão, com o objetivo de estimular a prática esportiva entre os jovens. Após os jogos, os jovens aprenderam dicas de como cuidar e preservas os dentes. Lucas de Oliveira Pereira, de 18 anos, é visto na comunidade como uma referência quando o assunto é futebol. O jovem já vestiu camisas de clubes tradicionais da cidade, como a do Carangola e do Boa Esperança, e atualmente defende as cores do Benfica.

“Vim dar uma força e contribuir para organizar os jogos aqui da comunidade. Sei como o início é difícil, poucos clubes abrem espaço para a gente jogar. Esse Festival das Comunidades acaba se tornando uma oportunidade deles mostrarem potencial para os clubes da cidade”, disse Pereira.

O presidente da associação de moradores da região, Hailton Francisco de Souza, de 68 anos, destacou que o esporte contribui na formação pessoal, retirando os jovens da rua.  "Essa é uma ação importante para o bairro, que ajuda na formação das nossas crianças. O esporte é uma ferramenta importante para a nossa sociedade, que contribui no desenvolvimento. Acreditamos muito no futebol para dar uma chance de uma vida melhor dessas crianças", garantiu.

Com a criação do Festival das Comunidades, a prefeitura garante a prática regular de atividades físicas durante o ano todo nos bairros da cidade. Além do projeto, o município mantém diversas modalidades esportivas nos Postos de Saúde da Família (PSF), nas Academias da Saúde e nas Escolas Municipais.

Somando todas as atividades oferecidas de maneira gratuita pela prefeitura desde o ano passado, mais de cinco mil pessoas foram beneficiadas. Com a criação do Festival das Comunidades, a Superintendência de Esporte e Lazer vai atender a outros locais que não contam com atividades regulares. A ideia é que a população entenda os benefícios da prática esportiva.

O torneio é disputado por nove equipes que representam bairros diferentes da cidade em três categorias

A primeira rodada da Copa das Comunidades reuniu cerca de 300 crianças na quadra do Siméria no último sábado (14.07). O torneio é disputado por equipes de nove bairros diferentes em três categorias: sub-11, 13 e 15, com os jogos sendo realizados aos finais de semana sempre em um local diferente. O objetivo da copa é a integração entre os projetos sociais realizados nas comunidades, oferecendo fomento à prática esportiva através do futebol. As próximas partidas acontecem no dia 21 de julho, na quadra do Roseiral.

No primeiro dia de atividades, o destaque ficou para a equipe do São Sebastião, que venceu os jogos contra a Estrada da Saudade na categoria sub-11, 13, além de empatar no 15. A ideia dos organizadores é promover a integração entre as comunidades, além de motivar as crianças a praticarem alguma atividade física.

“A nossa ideia é reunir mais equipes da cidade, com o objetivo de promover o encontro entre as comunidades. Também é uma forma de motivar as crianças a permanecerem nos projetos sociais dos seus bairros”, explica Fabian Oliveira, organizador do torneio, ressaltando também a parceria da prefeitura na realização da atividade.

“A prefeitura também é parceira da Copa das Comunidades e isso mostra que estamos no caminho certo. A ideia de formar o cidadão nos bairros é fundamental para criarmos uma sociedade mais justa e igualitária. O esporte é uma ferramenta importante neste caminho”, completa Fabian.

O superintendente de Esportes e Lazer, Hingo Hammes, acompanhou os jogos no sábado passado. Ele lembra que a prefeitura promove também o Festival das Comunidades e vai atender mais de duas mil pessoas até o final do ano com atividades esportivas e de lazer nos bairros da cidade.

A iniciativa dos organizadores da Copa das Comunidades vai ao encontro do objetivo da Superintendência de Esporte e Lazer, que é oferecer mais atividades físicas para a população, começando com as crianças e adolescentes. O suporte da prefeitura a competição demonstra que o município acredita no potencial dos atletas de Petrópolis. O mais importante é a formação do ser humano, contribuindo com a inclusão social.

Além disso, o município criou no ano passado o Agita Petrópolis, com atividades físicas regulares em 11 bairros da cidade. A prefeitura também mantém diversas modalidades esportivas nos Postos de Saúde da Família (PSF), nas Academias da Saúde e nas Escolas Municipais. Os interessados em participar podem procurar a sede da Superintendência de Esportes e Lazer da cidade, que fica no Centro de Cultura Raul de Leoni, na Praça Visconde de Mauá, no Centro ou fazer contato com a unidade pelo telefone: 2233-1218.

2 são para pessoas com deficiência

O Balcão de Empregos da Prefeitura, administrado pelo – Departamento de Trabalho e Renda (Detra), da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, tem oito vagas disponíveis nessa semana, sendo duas para pessoas com deficiência. Os candidatos devem cadastrar os seus currículos na prefeitura pelo site www.petropolis.rj.gov.br. Mais informações podem ser consultadas por intermédio do telefone (24) 2233-8113.

Vale destacar que o balcão de empregos realiza a divulgação das vagas e os encaminhamentos dos candidatos para processo seletivo, sendo assim, fica a cargo do empregador a responsabilidade pelas entrevistas e possíveis contratações. O Detra fica na Avenida Barão do Rio Branco, nº 2846. Confira as oportunidades:

Ajudante de cozinha - 1 vagas – ambos os sexos – Ensino Fundamental completo e experiência.

Doméstica – 1 vaga – feminina – experiência

Balconista de lanchonete – 2 vagas – masculino - – Ensino Fundamental, experiência

Operador de empilhadeira – 2 vagas – masculino – Ensino Fundamental completo, experiência na função e curso específico

Além dessas, foram cadastradas duas vagas para deficientes:

Ajudante de armazém - 2 vagas - masculino - Ensino Fundamental e laudo atualizado.

A Secretaria de Obras promoveu manutenção viária no acesso ao Hospital Alcides Carneiro. O trabalho ocorreu na rampa que leva à área de ambulatórios do maior hospital público de Petrópolis. É a terceira vez que a pasta realiza o serviço, com o objetivo de maior comodidade a quem precisa utilizar a unidade de saúde. O trabalho contou a aplicação de oito toneladas de asfalto. Oito homens foram envolvidos no serviço, que contou com um caminhão e um rolo compressor.

A manutenção viária já ocorreu em outros pontos no trajeto que leva ao Hospital, em fevereiro e maio. Agora, o serviço aconteceu na rampa dos ambulatórios, por onde passa o ônibus desde o ano passado.

O Hospital Alcides Carneiro tem intenso movimento todos os dias. Nos seis primeiros meses de 2018, foram 5 mil internações, 3,7 mil cirurgias, 32 mil consultas e 232 mil exames realizados. Por lá são oferecidas 30 especialidades médicas – entre cardiologia, urologia, endocrinologia, entre outras –, além de atendimento de atenção básica (clínico geral, ginecologista, pré-natal e pediatria).

Para a região são oferecidas 33 viagens de ônibus na linha que atende o Alcides Carneiro.

Nesta segunda-feira (16.07), o trabalho de manutenção viária ocorreu também no Caxambu e no Bairro Castrioto. Também houve manutenção de calçamento em Av. Koeler (Centro), Rua Alberto Schaffer (Cascatinha), Rua Luiz Winter (Duarte da Silveira), Rua José Domingos Martins (Itaipava).

Cidade bem cuidada: prefeitura trabalhando nos bairros

A Secretaria de Obras ainda fez manutenção de rede Rua Orlando de Souza (Quitandinha), Rua Manoel Francisco de Paula (Siméria) e Marciano Magalhães (Morin). Também foi feita desobstrução de ralos e galerias em Rua Bingen (Bingen), Juiz Castro e Silva (Roseiral), Av. Barão do Rio Branco, Monsenhor Bacelar e Washington Luiz (Centro) e limpeza de caixa de passagem em Rua da Jaqueira (Meio da Serra) e Rua Alberto Martins (Floresta).

A Comdep fez capina e roçada em Av. Barão do Rio Branco (Centro), Mário Tapajós, Guilherme Noel (Bingen), Fernandes Vieira, Sebastião Pinho da Silva (Retiro), Barão do Triunfo, Michel Salomani (Quarteirão Ingelheim), Rua Mercedes (Corrêas), Visconde de Taunay (Castelo São Manoel), Duarte da Silveira e Carangola.

Ainda houve coleta de entulho Sertão do Carangola, Taquara, Duques, Parque São Vicente, Alagoas, Amazonas e Vila Rica.

A varrição diária ocorreu em Centro, Rua Teresa, Alto da Serra, Morin, Quissamã, Itamarati, Cascatinha, Alcobacinha, Bela Vista, Boa Vista, Estrada da Saudade, Mosela, Bingen, Capela, Valparaíso e Quitandinha.

Ainda foi feita limpeza manual do Rio Quitandinha, na Rua Cardoso Fontes (Castelânea).

Foi feita lavagem em ruas do Centro e no Terminal do Centro, além de manutenção dos jardins da Praça da Liberdade, Av. Koeler e Palácio de Cristal.

A manutenção de iluminação pública ocorreu em Chácara Flora, Provisória, Nogueira, Vale do Cuiabá, Centro, Castelânea, Posse e Carangola.

Intervenções vão acontecer no Atílio Marotti, na Provisória e no Bela Vista 

A prefeitura vai iniciar mais três obras de contenção no município. As intervenções são no Atílio Marotti, Rua Aristides Ladeira, na Provisória, e a Rua Gregório Cruzick, no Bela Vista. A primeira a começar será no Atílio Marotti, com ordem de serviço a ser expedida ainda esta semana pela Secretaria de Obras. Dessa forma, são 22 projetos de contenção que a prefeitura trabalha para finalizar e mais 45 que aguardam liberação de recursos pelo governo federal.

No Atílio Marotti, a obra será para reconstrução do trecho que cedeu após a chuva em março. Será feito uma cortina atirantada com muro de gabião e recomposição da servidão que foi danificada. Logo após o rompimento de manilhas, a Secretaria de Obras fez uma ação emergencial para desviar a água no local. A via passou por vistoria da Secretaria de Obras e da Defesa Civil e, agora, a obra será feita pela Gravisa Engenharia.

A Secretaria de Obras seguiu todo trâmite necessário para fazer o projeto e a licitação e agora terá início a intervenção nos próximos dias. É uma obra que a comunidade cobrou e que nós conseguimos cumprir toda exigência para realizar a reconstrução desse trecho.

Outra obra será a construção de um muro de gabião com cortina atirantada na Rua Aristides Ladeira, na Provisória. No local também serão instalados tirantes para fazer a contenção, além da recomposição de asfalto, meio-fio e guarda-corpo. A intervenção será responsabilidade da Saga Construtora.

Nessas duas obras, será feito um investimento de R$ 604 mil. Além delas, uma terceira intervenção vai acontecer na Rua Gregório Cruzick, no Bela Vista. O local também vai receber uma cortina atirantada, com valor máximo de R$ 172 mil, mas que deve cair com a concorrência. Dessa forma, o investimento total nessas três obras é ficará em torno de R$ 780 mil.

Além desses três novos locais, Petrópolis tem intervenções em andamento em Itaipava (Rua Desembargador Luiz Antônio Severo) e Dr. Thouzet (Sítio do Pica-Pau) e obteve recursos federais para obras na Castelânea (Rua 1º de Maio) e no Siméria (Rua Presidente Sodré). 

Prefeitura tem mais projetos de obras de contenção

Obras de contenção de encostas representam uma prioridade para o prefeito Bernardo Rossi, que trabalha na execução ou para dar prosseguimento a projetos na área junto com os ministérios das Cidades e da Integração Nacional, no total de 45.São 25 locais que estão listados no Plano Municipal de Redução de Riscos que foi apresentado ao Ministério das Cidades e mais 20 obras no Programa de Reabilitação e Recuperação do Ministério da Integração Nacional.

A contenção de encostas deve ser tratada como uma prioridade em uma cidade com a topografia e o histórico de chuvas que Petrópolis tem. É por isso que a prefeitura trabalha em todas as frentes possíveis para trazer e destravar obras para o município, que vão significar salvar vidas e deixar de milhares de petropolitanos em segurança nesses locais.

O PAC Encostas é um investimento de R$ 60 milhões firmado em 2012 e que prevê 14 obras de contenção na cidade. Porém, desde então, apenas duas foram concluídas: no Vale do Carangola (barreira dinâmica e cortina atirantada) e na Rua Capitão Paladini, São Sebastião (Rua Capitão Paladini).

As obras do PAC foram interrompidas em 2016 com o arresto em contas do programa para o pagamento do funcionalismo no último mês do governo passado. Com isso, a prefeitura precisou fazer a reposição de R$ 11,8 milhões, pagamento finalizado em junho deste ano, para que as obras do PAC das Encostas possam ser retomadas no município neste segundo semestre.

Das 12 intervenções ainda não finalizadas, três estão perto de 80% de conclusão: Rua Casemiro de Abreu (Floresta), Rua Antônio Soares Pinto (Centro) e Rua Alexandre Fleming (São Sebastião) – todas elas fazem parte do lote 1, assim como a da Rua Henrique Paixão (Floresta). As obras na Rua Atílio Marotti (Floresta), Rua Brigadeiro Castrioto (Floresta) e Comunidade do Neylor (Retiro) estão no lote 2. O lote 3 tem intervenções na Comunidade dos Ferroviários (Alto da Serra), Alto Bataillard (Mosela), Rua Eugênio Werneck (Morin) e Rua Amaral Peixoto (Quitandinha). Apenas na Comunidade do Veludo (Bingen), o trabalho ainda não teve início. 

Petrópolis teve redução de 14,1% no número de vítimas de acidentes de trânsito no período de janeiro a junho de 2018, comparado ao mesmo período do ano passado. Os dados são do hospital referência em trauma do município, o Santa Teresa e contabilizam acidentes com carros, motos e atropelamentos. Enquanto no ano passado houve registro de 544 vítimas no semestre, este ano foram 467, sendo que, deste total, 45% são de vítimas de acidentes com motociclistas.

Prévia do anuário estatístico de acidentes de 2017 já consolidados pela CPTrans aponta que em relação a 2016, o número de mortes de vítimas em cena caiu: foram 17 em 2017 em locais sob jurisdição municipal sendo outras quatro na BR-040 e uma na RJ-117, enquanto no ano anterior foram 18.

O município já implementou melhorias na sinalização vertical e horizontal em pontos considerados críticos do município como a Barão do Rio Branco e a Washington Luiz, por exemplo, mas, para reduzir o índice de acidentes é importante que os motoristas obedeçam a sinalização e o Código de Trânsito Brasileiro.

Pela primeira vez, a companhia buscou o número de mortes pós-cena, ou seja, aquelas pessoas que sofreram um acidente e não morreram no local do sinistro. Para isso, foram cruzados dados dos Bombeiros, Polícias, SAMU e unidades de saúde da cidade, garantindo que um mesmo nome não fosse registrado duas vezes. Os dados levantados apontam que, nessas condições, foram 20 óbitos registrados, totalizando 43 mortes em 2017.

Deste total, 18,6 ocorreram em pontos como BR-040 (5 óbitos), BR-495 (1), RJ-117 (1) e Estrada Silveira da Motta (1). Em Petrópolis, o local com maior número de vítimas fatais é a Estrada União e Indústria, com oito óbitos, sendo quatro em cena e quatro pós-cena. Os dados apontam, ainda, que em 2017 foram registrados um total de 1.776 acidentes, com 1.589 vítimas, sendo 41% desse total, ou seja, 779 motociclistas.

O diretor-presidente da CPTrans, Jairo Cunha, destaca, ainda, que é indispensável que a população auxilie na preservação do patrimônio público. Isso porque placas que são utilizadas para sinalização de trânsito são deterioradas, destruídas e furtadas todas os dias na cidade. Isso prejudica muito o trabalho de fiscalização da CPTrans.

“Vale lembrar que quem destrói, inutiliza ou deteriora o patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista comete o delito descrito no art. 163, inciso III do Código Penal”, finaliza o diretor-presidente da CPTrans, Jairo Cunha.

 
 

A nutricionista da rede municipal, Nathalia Silva Raposo Barreiros Thomaz, está participando da comissão julgadora do programa Super Merendeiras a convite do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), organizador da atração. As gravações começaram no dia 04 e vão até o dia 17, em parceria com a TV Escola, com um total de 13 episódios de 26 minutos. A série será veiculada no dia 28 de setembro. Petrópolis investe mais de R$ 10 milhões em merenda escolar para 42 mil alunos da rede privilegiando produtores rurais da cidade e com cardápio rico também em proteína.

O objetivo do programa é valorizar toda comunidade escolar do Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE) que atende a todos os alunos matriculados na educação básica do Brasil, da educação infantil ao ensino médio.As merendeiras desempenham papel fundamental, ao colocar em prática todos os critérios estabelecidos para uma alimentação saudável. O programa tem a expectativa que elas tenham seu trabalho reconhecido, sejam motivadas e se vejam como parte integrante da comunidade da escola, responsável pela oferta da alimentação escolar.

“Os desafios são maravilhosos. Todos fazem parte da realidade do ambiente escolar. São alimentos comuns no cenário escolar. Existe todo um cuidado para que seja uma competição, e que reflita essa disputa saudável do meio escolar em um cenário lindo, para valorizar o trabalho das cozinheiras”, contou a nutricionista.

Além da nutricionista Nathália, que está representando Petrópolis e a PNAE, o corpo dos jurados é formado por um chefe de cozinha e um aluno da rede estadual de ensino de Campo Grande –RJ. São dez cozinheiras que foram vencedoras de suas regiões e estão participando do programa.“Eu avalio as receitas que cozinheiras estão propondo, se elas têm aplicabilidade no ambiente escolar, se são equilibradas e boas para os alunos. Pensamos também quais são as alternativas e como elas poderiam ser usadas” contou Nathália.

 “É muito gratificante para rede municipal, ter a Nathália representando a nossa cidade em um programa onde o objetivo é valorizar as merendeiras, que possuem uma atuação tão importante nas escolas”, disse a Secretária de Educação Samea Ázara.

As participantes são avaliadas pela refeição mais saudável, criativa e acessível ao ambiente escolar. No último episódio uma merendeira será eleita a melhor cozinheira da temporada e receberá um prêmio em dinheiro.

“Eu estou muito emocionada porque realmente é fantástico ver a oportunidade de valorizar pessoas tão importantes, como as merendeiras que cuidam da alimentação escolar. Elas estão sendo honradas pelo trabalho de todo dia”, encerrou a nutricionista.

Imunização foi feita em 11 pontos da cidade 

Atentos à importância de proteger os animais contra a raiva, proprietários de cães e gatos compareceram aos postos durante todo o sábado (14.07) para garantir a imunização dos bichinhos. Ao todo 3.382 doses de vacina antirrábica foram aplicadas. O número corresponde a 84,55% da meta estabelecida pela Secretaria de Saúde – 4 mil animais.

A vacinação aconteceu em 11 pontos nas localidades Lopes Trovão, Comunidade São Francisco, Meio da Serra, Vila Felipe, Sargento Boening, São Sebastião, Castelânea, Siméria e adjacências. A campanha de vacinação foi dividida seguindo o mesmo cronograma do ano passado para que os animais fossem imunizados na mesma época. 

“Há mais de 30 anos não temos registro de raiva em animais em Petrópolis, e em humanos nunca houve. Apesar disso, a imunização é fundamental, pois a doença é grave e tem origem viral transmitida, em geral, por mordidas de animais infectados, arranhões ou mesmo lambidas”, explica a diretora de Vigilância em Saúde, Elisabeth Wildberger, que alerta que se transmitida para pessoas, a doença pode levar a morte

A vacinação é aplicada em cães e gatos a partir dos 3 meses de vida e para receber a vacina o animal deve estar saudável.

Notícias por data

« Julho 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31          

Alvará Online - BANNER

DO

loa 2018

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

cpge

gabinete cidadania.fw

selo acesso informacao.fw

cmv-logo