Projeto oferece a oportunidade dos alunos desenvolverem a cultura de prevenção aos desastres será implementado em toda a rede municipal de ensino

De maneira inédita no país envolver a comunidade escolar nas ações de prevenção a desastres de origem natural.  Esse é o principal objetivo do Defesa Civil nas Escolas, projeto da prefeitura lançado nesta quarta-feira (19.09) na Escola Municipal Dr. Paula Buarque, no Vale do Cuiabá. A política pública de inclusão dos temas Proteção e Defesa Civil e Educação Ambiental em toda rede municipal de ensino oferece a oportunidade dos alunos desenvolverem a cultura de prevenção aos desastres de origem natural e de percepção de riscos. A abertura contou com a exposição de trabalhos desenvolvidos pelos estudantes sobre deslizamentos de terra, inundações e rolamentos de blocos rochosos. Os jovens também conheceram e brincaram com o jogo da Turma do Pedrinho, que ensina de forma lúdica as medidas adotadas em casos de emergências e questões de educação ambiental.

Iniciativa da Prefeitura,  a aplicação da lei em sala de aula é um passo importante no desenvolvimento de uma cultura de resiliência na cidade, com a orientação dos alunos sobre como se comportar em caso de ocorrências. A política pública é a principal aposta da prefeitura na redução do risco de desastres, investindo na educação dos jovens como forma de prevenção.

A elaboração da lei contou com o apoio do Conselho Municipal de Educação (COMED), do Sindicato dos Profissionais de Ensino (SEPE), além de membros das secretarias de Defesa Civil, Educação e Meio Ambiente. A iniciativa vai reforçar as ações do município na prevenção aos desastres de origem natural, não apenas no ambiente escolar, mas também nas comunidades. O secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, destacou que a iniciativa comprova a preocupação da prefeitura com as mudanças climáticas, que podem trazer graves consequências para quem mora em locais de risco.

“O Defesa Civil nas Escolas é um grande marco para a nossa cidade. A ideia de transformar a forma de pensar da população passa diretamente pelo ensinamento nas escolas da rede municipal. Desde o início da gestão do prefeito Bernardo Rossi, estamos trabalhando de forma antecipada, com foco na prevenção aos desastres de origem natural. Dessa maneira esperamos garantir um futuro mais resiliente para Petrópolis”, disse o secretário.

"A maioria dos nossos alunos guardam na memória a tragédia de 2011, já que muitos foram afetados naquele momento. É importante que a gente possa trabalhar esses temas no ambiente escolas, mostrando que os riscos fazem parte do dia a dia de cada um e que podemos adotar medidas para reduzir os perigos", afirmou a diretora adjunta da E. M. Dr. Paula Buarque, Solange Marinho.

A aluna do 9º ano, Taís Brito, tem 14 anos e conta que em 2011 muitos conhecidos da família foram afetados pela tragédia. Por isso, ela e outros três alunos apresentaram um trabalho sobre os deslizamentos de terra e inundações. Ela disse que aprendeu que as ações humanas são, na maioria das vezes, responsáveis pelos prejuízos causados pelas fortes chuvas.

"Muita gente faz obra sem autorização, joga lixo nos rios e na rua, o que pode causar uma grande tragédia no futuro. A gente vem aprendendo o quanto é importante cuidar do meio ambiente, para termos um futuro melhor. Eu só ouvia falar na Defesa Civil, mas saber sobre suas funções e como trabalha, eu nunca imaginei. É muito legal também por que a gente sempre trabalha em grupo", contou Tais.

Também estiveram presentes no lançamento do Defesa Civil nas Escolas o vice-prefeito Baninho; o secretário chefe de gabinete, Renan Campos e a secretária de Educação, Samea Ázara, além de representantes da Defesa Civil da cidade do Rio de Janeiro, do Núcleo Comunitário de Defesa Civil do Vale do Cuiabá e adjacências e do DTCEA (Destacamento de Controle Aéreo) – Pico do Couto.

Canções italianas de todos os tempos serão interpretadas, nesta quinta-feira (20.09), pela voz experiente do cantor Renato Gabbiani, que se apresenta a partir de 21h, dentro da programação da Serra Serata, no Palácio de Cristal. A festa abre às 18h, com barracas de alimentação, de artesanato, e um gondoleiro para fazer o público entrar no clima das tradições italianas. O evento, que tem entrada gratuita, vai até domingo (23.09).

Com mais de 50 anos de carreira, Renato Gabbiani vai das clássicas canções italianas, como “Roberta”, “Champagne”, “Dio Come Ti Amo”, “Se Non AvessiPiù Te”, “FuniculìFuniculà” e demais “Tarantelas”, as atuais, como “il Mare Calmo Della Sera”, “Perdere L’ Amore”, bem como as extraordinárias canções, como ele chama, “Mattinata (Mattino)”, “’O Sole Mio”, “Volare”, entre outras. Quando começou, Renato utilizava o seu nome de registro civil,“Renato Guimarães”, mas, em função da afinidade com a música italiana, adotou o sobrenome artístico “Gabbiani”, o qual vem ao encontro do gênero musical apresentado.

“A música é um dos traços mais marcantes na cultura italiana. E, claro, ela não poderia deixar de estar na Serra Serata. Ao longo da festa, o público vai poder conferir atrações de qualidade, com o melhor deste estilo”, destaca o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Leonardo Randolfo.

Nesta quinta-feira, a festa abre de 18h às 23h. Já no fim de semana, de 21 a 23 de setembro, o funcionamento será de 10h a meia noite na sexta e no sábado, e de 10h às 22h no domingo. Na programação estão apresentações musicais, contação de história, teatro, dança folclórica, entre outras atrações. Já para os amantes de boa gastronomia, a festa oferece massas, pastel, pizza, doces, entre outras delícias da culinária típica.

O Parque Municipal, em Itaipava, recebe, a partir desta quarta-feira (19.09) até domingo (23) a 33ª Exposição Estadual do Cavalo Mangalarga Machador do Rio de Janeiro. Com entrada gratuita, o evento traz para a cidade exposição e competições com cerca de 400 animais e 250 criadores vindos de diversos estados do país, além de um “Leilão de Elite”, com transmissão ao vivo, com a expectativa de movimentar R$ 3,5 milhões. Além de ser um dos mais importantes eventos da raça no estado, a Exposição também deverá movimentar a economia local e encher hotéis da região.

Realizado pela Associação dos Criadores do Cavalo Mangalarga Machador do Estado do Rio, com parceria da prefeitura, através da Turispetro, a escolha de Petrópolis para a realização do evento vem das condições favoráveis na cidade, como a estrutura do Parque Municipal, que tradicionalmente recebe exposições de animais, além da infraestrutura no entorno, com restaurantes, comércio e hotéis.

O cuidador do haras Ecila, da cidade Itanhandu, em Minas Gerais, Moacir Andrade, está entre estes visitantes e explicou que o haras onde trabalha trouxe quatro animais para a competição. Ele elogiou o espaço do parque.

"A gente roda várias cidades, mas aqui em Petrópolis o espaço do Parque Municipal é excelente. Mais confortável para os cavalos e também para a nossa equipe. O clima é bastante ameno, o que também contribui para a adaptação dos animais. Chegamos um dia antes por causa do estresse causado pela viagem para os cavalos. Com um dia de antecedência, eles ficam prontos para competirem”, explica ele, que está pela segunda vez em Petrópolis.

            Ao longo do evento, haverá campeonato de marcha, campeonato de morfologia e provas hípicas, que podem ser acompanhadas pelo público. O ponto alto será o leilão, no sábado (22.09), às 18h30. “É um leilão muito importante para a raça. Temos a expectativa de arrecadar mais R$ 3 milhões”, destaca o organizador do evento, Marcelo Sarzedas

Objetivo é promover a cidadania e sustentabilidade no ambiente escolar

Iniciativa dos Clubes Rotary Petropolis Bingen, Rotary Itaipava e Projeto Água, em parceria com a Prefeitura

As escolas municipais Liceu Municipal Carlos Chagas, Amélia Antunes Rabello e Johann Noel serão as primeiras a receber o projeto “Aquaponia” que consiste na produção de peixes – em tanques – associada à produção de hortaliças. A iniciativa, dos Clubes Rotary Petrópolis Bingen, Itaipava e do Projeto Água, em parceria com a Prefeitura, têm como objetivo promover a educação ambiental e incentivar a sustentabilidade entre os alunos através de oficinas, workshops e o acompanhamento da produção dos peixes e hortaliças nas escolas.

O projeto, chamado “Aquaponia: Cidadania e Sustentabilidade no ambiente escolar” foi lançado na terça-feira (18.08) na Casa da Educação Visconde de Mauá. Ainda nesse ano começará a instalação nas três escolas do sistema que reutilização de águas pluviais. O projeto receberá recurso de R$ 500 mil proveniente do Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal. A intenção é de que, no próximo ano, o projeto seja implantado em outras cinco escolas: São João Batista, Dr. Barros Franco, Augusto Pugnaloni, Professora Maria Campos e Santa Maria Goretti.

“Agradecemos ao município pela parceria. A sociedade civil está cada vez mais engajada em auxiliar o desenvolvimento de políticas públicas e ações em prol da comunidade e esse é um dos nossos objetivos. Esse é só o começo. Temos a intenção de estabelecer cada vez mais parcerias que possam contribuir para a formação dos alunos”, explicou o presidente do Rotary Petrópolis Bingen, Byron Mendes.

Nas escolas serão implantados tanques para a produção de peixes e hortaliças. A água de drenagem do cultivo dos peixes, que é rica em matéria orgânica e geralmente descartada na natureza, será reaproveitada no sistema de aquaponia, servindo de solução para o cultivo hidropônico de hortaliças.

“A água rica em matéria orgânica que sai do tanque dos peixes, passa pelo canal hidropônico e os nutrientes contidos na água acabam funcionando como fortalecedores para o metabolismo/crescimento das hortaliças. Como contrapartida, a água sai do tanque da hidropônica limpa e retorna em boas condições aos peixes. Um sistema de captação de energia solar será o responsável pelo funcionamento da bomba. O peixe que será cultivado é a tilápia”, disse a presidente do Rotary Petrópolis Itaipava, Sueli Karl.

O projeto implantará todo o sistema e fornecerá uma equipe multidisciplinar – com pedagogos, educadores ambientais e biólogos – que serão responsáveis pelas oficinas e workshops realizados com os alunos e servidores das escolas.

A preservação dos recursos hídricos é um dos motivadores do projeto. “No mundo, apenas 1% dos recursos hídricos estão disponíveis para o consumo e é necessário que a população preste atenção nisso”, disse a bióloga do projeto Água, Natália Papoula.

O diretor do Liceu Carlos Chagas, Marcos Souza Machado, afirmou que o projeto auxiliará nas ações multidisciplinares. “Os professores poderão usar todo o projeto como exemplo para atividades diferenciadas como matemática, ciências e biologia. Acredito que os alunos ficarão muito animados com a novidade”.

Também participaram do evento o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica, Dalmir Caetano, a responsável pelo Projeto Água, Silvia Firmeza, o representante da Caixa Econômica, Petrônio Garcia, o responsável pelo setor de educação ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Anderson Maverick e o governador do Rotary Clube, Henrique Sampaio.

Yoga, acupuntura, shiatsu e floral estão entre as atividades oferecidas

As academias da Saúde do município já estão contando com as Práticas Integrativas e Complementares de Saúde (PICS), que são procedimentos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Na terça-feira (18.09), as atividades começaram pela Academia da Saúde do Vale do Carangola e, nesta quarta (19.09), no Castelo São Manoel.

A implantação do serviço acontece graças ao convênio firmado pela Secretaria de Saúde com a Associação Petropolitana de Profissionais de Práticas Integrativas Complementares de Saúde (APPPics). As inscrições estão abertas nas quatro unidades do município. Para participar, basta procurar uma das quatro unidades do município com documentos pessoais (RG ou CPF).

São exemplos destas práticas atividades como yoga, acupuntura, shiatsu e shantala. Estes tratamentos ajudam a melhorar quadro de doenças e dar mais qualidade de vida. A ideia é que cada uma das quatro academias tenha um dia reservado para estas práticas. Nesta quinta (20.09), as atividades serão levadas à unidade do Parque Cremerie e, na sexta (21.09), para o Parque de Itaipava.

 “A Associação está disponibilizando os profissionais para atendimento nas Academias. Caberá a nós das Academias acompanhar todo o processo para oferecer aos usuários do SUS essas alternativas inovadoras na promoção da Saúde Desejamos estimular essas práticas socialmente contribuitivas ao desenvolvimento sustentável de comunidades, ampliando o acesso às PICS, garantindo qualidade e eficiência”, declarou a coordenadora das Academias da Saúde, Márcia Verônica.

A terapeuta Denise Campinho, de 64 anos, participou da primeira aula de yoga na Academia da Saúde do Castelo São Manoel. Ela soube do trabalho através da equipe de Saúde da Família do Posto de Saúde do bairro e ficou animada para participar. A terapeuta disse que vai compartilhar a notícia na comunidade, principalmente, entre amigos e parentes.

“É magnífico! Por trabalhar na área, sei bem da importância e o quanto faz bem estas práticas. Poder vê-las disponíveis à população é uma grande felicidade. É questão de prevenção à Saúde. Sou moradora do bairro, conheço toda a equipe e sei do comprometimento de todos eles. Espero que mais e mais pessoas conheçam o trabalho e participem também. Meu marido já se inscreveu para participar do shiatsu”, disse Denise.

Estão sendo oferecidos, também, terapias florais, fitoterapia e terapias comunitárias. Os usuários que participarem das atividades de floral nas academias da Saúde vão contar com descontos na aquisição de essências que ajudam no tratamento. A APPPics selou um acordo com duas clínicas de homeopatia, que vão oferecer as composições com valores mais acessíveis. A terapeuta especialista, Valéria Borges, conta que os benefícios deste tipo de tratamento na prevenção de doenças são inúmeros.

“Estou há 22 anos nesta área e é um prazer muito grande ver as pessoas sendo beneficiadas com o nosso trabalho. Por 15 anos atuei como voluntária em uma pastoral, atendendo pessoas que não tem condições de pagar pelos trabalhos, e sei do quanto isto é importante para o acesso da população. A cada sucesso que obtenho com meus pacientes mais me sinto fortalecida em seguir neste caminho”, contou a terapeuta floral.

 

O primeiro ato para lembrar a Semana Nacional de Trânsito, promovida pela CPTrans em parceria com o Setranspetro, e Sest Senat, foi a entrega de material informativo sobre a importância da prevenção de acidentes no trânsito. A ação aconteceu na Praça D. Pedro, entre 10 e 16h e uma equipe da CPTrans abordou à população explicando os índices de acidentes e a urgente necessidade de mudança de comportamento para melhoria das estatísticas na cidade. As atividades em torno da semana permanecem até a próxima terça-feira (25) em diversos pontos da cidade, com ápice no sábado, com a consulta pública que será realizada às 15h, na Fábrica da Bohemia.

As informações passadas são relativas ao anuário estatístico de acidentes de trânsito relativo a 2017. O documento, que pela primeira vez traz o número de vítimas de acidentes pós-cena, consolida dados sobre o aumento da frota, tipos de acidentes, perfil das vítimas, além de apontar os números totais de sinistros ocorridos na cidade no ano passado: 1.776 acidentes com 1.589 vítimas. Desse total, houve 35 vítimas fatais, sendo 17 em cena e 18 a caminho do hospital ou na unidade de saúde.

Trazer à tona esses dados é uma forma de mostrar à população o quão importante é tratar este assunto. A Semana Nacional do Trânsito corrobora justamente isso com o tema ‘Nós Somos o Trânsito’, definida pelo Contran.

A moradora do Centro, Ana Júlia Souza Moraes, 36 anos, foi impactada com as informações e também relatou um episódio à equipe da CPTrans. Ela disse que aos 16 anos sofreu um acidente de carro com a família. As sequelas só não foram maiores porque todos utilizavam o cinto de segurança quando o carro capotou.

“Meu pai dirigia em alta velocidade, tinha óleo na pista e quando ele foi frear o carro saiu de traseira e acabou capotando. Foi uma experiência aterrorizante e até hoje eu tenho a preocupação em utilizar o cinto de segurança e respeitar os limites de velocidade. Felizmente nada mais grave aconteceu, mas foi por pouco. Espero que as pessoas sejam conscientes, porque os números que vi aqui hoje assustam”, contou Ana Júlia.

A distribuição do material nesta quinta-feira (20.09), acontece no Itamarati, próximo ao Terminal. No dia seguinte, no Terminal Bingen. Já na segunda-feira, o grupo volta para o Centro da cidade e, desta vez, fica posicionado próximo à Estação Rodoviária Imperatriz Leopoldina e, na terça, fechando a programação, o grupo irá fazer a distribuição do material no distrito de Itaipava, em frente ao Parque de Exposições.

Prevista pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a Semana Nacional de Trânsito tem a finalidade de conscientizar a sociedade, com vistas à internalização de valores que contribuam para a criação de um ambiente favorável ao atendimento de seu compromisso com a “valorização da vida” focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir o direito de ir e vir dos cidadãos.

A Secretaria de Obras continua realizando ações de manutenção viária dentro do programa Mais Asfalto. Nesta quarta-feira (19.09), o trabalho foi feito em Alto da Serra e Carangola, com o objetivo de melhorar a passagem de linhas de ônibus para que possam realizar os itinerários completos.

No Alto da Serra, o serviço aconteceu na Rua Alfredo Schilick. Por ela passam sete linhas em direção a Chácara Flora, Vila Felipe, Sargento Boening, Aldo Tamacoldi e Dom João Braga, além de uma linha noturna que atende a região. Juntas, elas somam 167 viagens por dia. Por isso, foi aplicado um caminhão com oito toneladas de asfalto, trabalho que mobilizou seis funcionários, um caminhão e um rolo compressor.

Já no Carangola, a Travessa Carlos Carnevalli recebeu aplicação de oito toneladas de asfalto. O local é o ponto final da linha 503 (Cidade Nova), que faz 25 viagens por dia.

Borracheiro que trabalha na Rua Alfredo Schilick, Francisco Marcos Cheli destaca a importância do serviço no local. “É sempre importante que a manutenção esteja em dia, é bom para todo mundo e é um serviço que funciona muito bem”, diz.

Além dos bairros, o Mais Asfalto atua também nas vias de maior circulação da cidade. O programa já pavimentou quase 5 km entre as ruas Santos Dumont, Souza Franco, Visconde de Bom Retiro, Aureliano Coutinho e Imperador. O serviço terá continuidade pela Rua Nelson Sá Earp, com cerca de 350 metros e com movimento de 22,5 mil veículos por dia. A via é uma das alternativas para quem vai para Mosela, Bingen, Valparaíso e Quitandinha.

Todos os idosos do município poderão participar da Festa do Idoso, que está marcada para o próximo dia 1º de outubro, às 13h, no Centro Educacional Terra Santa, na Rua Visconde de Itaboraí, 590 – Valparaíso. O evento está sendo organizado pelo Conselho Municipal de Defesa do Direito da Pessoa Idosa (CMDDPI) e os últimos preparativos foram definidos durante a reunião do grupo nesta terça-feira (18.09) na Casa dos Conselhos.

Instituições como Inpas, Lar São João de Deus, Lar Manzini, Terra Santa, Recanto da Terceira idade, Florada da Serra, CRAS entre outros, participarão da festa com seus integrantes. O evento terá jogos, caldos, bolo, refrigerante, prendas entre outras atividades. A comemoração é gratuita e aberta ao público. A expectativa é que 250 pessoas participem da Festa dos Idosos.

Durante a reunião, também foram discutidos os assuntos pendentes da pauta da última reunião, orientações à casos de maus tratos à idosos que foram levados para o conselho, apresentação de representantes de novas instituições na cidade, além de debates de políticas públicas. O encontro foi ministrado pela nova presidente do CMDDPI, Gelza dos Santos Gatera, que fica no mandado do biênio 2018/2020.

“A reunião foi muito proveitosa, conseguimos discutir todas as pendências, além de ter três novas instituições participando do encontro. Tentamos sempre levantar questões para o bem dos idosos em nossa cidade. Hoje definimos muitos pontos e agora estamos finalizando os preparativos da festa em outubro”, contou a presidente Gelza Gatera.

De acordo com o Conselho, o município possui aproximadamente 43 mil idosos, equivalente a 11% da população. A cidade possui órgãos de apoio como o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) que atua em vários bairros, o CMDDPI através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , a Defensoria Pública de Petrópolis, além da Ouvidoria do Ministério Público que atende em todo estado do Rio de Janeiro, pelo Disque 127, em caso de denúncia não há necessidade de identificação.

Uma benção e o brinde do vinho deram as boas-vindas à Serra Serata, aberta oficialmente na noite desta terça-feira (18.09), no Palácio de Cristal. A Festa Italiana, que nasceu com o objetivo de homenagear os mais de 115 mil descendentes que vivem hoje na Cidade Imperial, vai até domingo (23), com gastronomia típica, danças folclóricas, apresentações musicais, teatro, entre outras atrações.

A solenidade de abertura também contou com a presença da presidente da Casa D’Italia Anita Garibaldi, Graça Vescovini, que realiza o evento em parceria com a prefeitura, através da Turispetro e do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE). Segundo ela, a Serra Serata já está enraizada no calendário do município.

“É com prazer que mais uma vez Petrópolis celebra e comemora a presença em suas terras de uma cultura tão importante quanto a italiana, representada pelos imigrantes que escolheram essa cidade para formarem suas famílias. Damos inicio hoje a nona edição da Serra Serata, enriquecendo cada vez mais as tradições petropolitanas”, frisa.

Durante seis dias, o Palácio de Cristal se transforma em uma verdadeira “piazza italiana”, onde acontecem shows, como da italiana Mafalda Minnozzi; do cantor Renato Gabbiani, com suas interpretações de canções italianas; Tributo a Laura Pausini, com Cristiano Gavioli e Bebel Nunes, entre outros. Além de danças folclóricas, teatro, palestra, entre outras atrações. Nesta terça-feira, quem encantou o público na abertura do evento foi o Coral Municipal, com canções como “Va pensiero – da Ópera “Nabuco””, de Giuseppe Verdi e “Bonzorno Madonna”, Antonio Scandello, ambos compositores italianos.

A abertura da festa também contou com a presença de secretários municipais, além da banda do 32º Batalhão de Infantaria Leve, que tocou os hinos do Brasil e da Itália.

Atividade reuniu 30 profissionais

Quais são as intervenções pedagógicas e estratégicas que podem auxiliar os estudantes diante dos desafios da matemática? Esse foi um dos pontos discutidos durante uma formação para orientadores de escolas que atendem o ensino fundamental II (6º ao 9º ano) realizada nessa terça-feira (18.09) na Casa da Educação Visconde de Mauá. A atividade, dirigida pela equipe de formação da Secretaria de Educação, contou com a participação de 30 orientadores

O objetivo da formação foi a de analisar as questões da Prova Petrópolis, identificar as possíveis intervenções pedagógicas e socializar as estratégias planejadas, considerando as necessidades dos alunos diante dos eixos da matemática.

A equipe da EM Bataillard, compartilhou com os demais participantes as experiências praticadas na escola que renderam bons frutos. Um exemplo é o projeto “A matemática que faz a música possível”, criado pela professora Márcia Maria Viana. O projeto conquistou o 3º lugar na categoria ensino fundamental no Prêmio Shell de Educação Científica em 2017. Colocado em pratica com 63 alunos do 6º ano da EM Battaillard, a ideia levou em consideração o ensino de frações a partir da leitura de partituras de música. A professora explicou para os alunos que cada nota musical é montada por uma fração e que estas frações em conjunto é que dão o ritmo das músicas. Os estudantes foram estimulados a escolherem as músicas, buscarem suas notas musicais, traduzindo-as para encontrar as frações equivalentes.

“As atividades diferenciadas animam e acabam funcionando como uma preparação para as provas externas como a Olimpíada Brasileira de Matemática, OBMEP. Utilizando jogos e tornando as aulas mais interessantes, conseguimos resultados excelentes com os alunos”, explicou a professora.

“Durante a formação a professora Marcia compartilhou o seu projeto com a rede, incentivando a boa pratica. O exemplo serve como inspiração para os professores e é motivo de orgulho para a Educação”, explica Vivian Portilho, responsável pela formação.

Orientações sobre prevenção a acidentes de trabalho foram passadas para 30 pessoas

O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) realizou, nesta quarta-feira (19.09), mais uma capacitação visando incentivar profissionais na prevenção de acidentes de trabalho e cuidados com a saúde. Desta vez, as orientações chegaram aos servidores da Saúde, em especial aos colaboradores do Centro de Saúde Coletiva. O evento contou com a participação de 30 pessoas.

“O Cerest é um grande aliado na prevenção de acidentes de trabalho e da saúde. É muito importante que todos estejam preparados e disponham das informações necessárias, tirando dúvidas e obtendo cada vez mais conhecimento. São muitas as empresas que buscam no Cerest esta capacitação, o que é um reflexo do belo trabalho desempenhado pela equipe”, disse a secretária interina de Saúde, Fabiola Heck.

“É de suma importância que todos os trabalhadores tenham noção das suas responsabilidades, dos cuidados referentes às suas atribuições. O apoio do Cerest é fundamental, pois, assim, podemos evitar problemas futuros com relação à saúde de nossos colaboradores. A palestra foi muito boa e tivemos um bom retorno dos profissionais”, destacou a diretora do Centro de Saúde Coletiva, Elida Marta Santos.

Em 2018, o Cerest já realizou visitas em empresas de ônibus, na Enel, GE Celma, Sindicato dos Rodoviários de Petrópolis, na Secretaria de Saúde, na Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) e na Xerium Technologies. No Centro de Saúde, o coordenador do Cerest, Gustavo Cabral, apresentou os trabalhos desenvolvidos pelo Centro na prevenção de acidentes de trabalhos e deu dicas para uma rotina com menos riscos.

“Estamos muito felizes em poder trazer estas orientações para os profissionais do Centro de Saúde, algo que desejamos fazer há muito tempo. Nosso objetivo é apresentar o Cerest, alertar para os riscos e desenvolver a conscientização entre os profissionais. Atuamos, também, em parceria com a Coordenadoria de Vigilância Sanitária e com a Área Técnica de IST/Aids, integrando os trabalhos”, disse Gustavo.

O Cerest registrou, de janeiro a junho deste ano, 457 notificações de agravos pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Destes, 64 foram acidentes graves. O Centro, além de Petrópolis, dá suporte técnico aos municípios de Carmo, Guapimirim, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro e Teresópolis.

“Na próxima quarta-feira (26.09), estaremos levando Capacitação em Vigilância do Trabalhador aos agentes comunitários e agentes de Endemias de Teresópolis. Esperamos que cerca de 150 pessoas participem desta capacitação”, completou Gustavo.

O Cerest presta atendimento aos trabalhadores que contraem doenças ou algum tipo de agravo relacionado à suas atividades no trabalho. Promove a proteção dos trabalhadores, investiga as condições do ambiente laboral, fazendo uso de dados epidemiológicos provenientes de atendimentos clínicos e de notificações de acidente do trabalho. O espaço funciona na Rua Dr. Sá Earp, número 433, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h. Os telefones para atendimento são (24) 2244-7081 e (24) 2246-9214.

Provas serão aplicadas em outubro

As escolas da rede municipal poderão inscrever os alunos do 5º e 9º ano do ensino fundamental para a Maratona Escolar Cidade de Petrópolis 2018 até o dia 28 de setembro. As provas serão realizadas em outubro. Língua portuguesa, matemática, história e geografia de Petrópolis são os temas aplicados nas avaliações.

A Maratona Escolar Cidade de Petrópolis é um projeto realizado pela Secretaria de Educação com o objetivo de fomentar o interesse pela história e geografia do município, além de incentivar o aprimoramento da linguagem e da produção escrita bem como dos conhecimentos matemáticos.

As provas serão aplicadas nos dias 23 e 24 de outubro no Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio. Os alunos do 5º ano farão a avaliação no dia 23 – das 13h às 17h e os alunos do 9º ano no dia 24 – das 8h às 12h. A Secretaria de Educação solicita que os alunos cheguem ao local com 30 minutos de antecedência.

Em 2017, 540 alunos do 5º e 9º ano do ensino fundamental participaram da prova. No final do ano serão premiadas as quatro primeiras equipes por disciplina, com troféus e medalhas. Receberão prêmios também os alunos que obtiverem a maior nota na Maratona – independente da área de conhecimento, sendo um participante do 5° e outro de 9° ano. 

Para o desenvolvimento da Maratona foi formada uma comissão de professores especialistas de acordo com as áreas de conhecimento. Eles trabalharam na elaboração e também atuarão na correção das provas, com a supervisão da Equipe de Projetos Educacionais da Secretaria de Educação

A Maratona Escolar foi realizada pela primeira vez no ano de 1952 instituída pela Deliberação nº 355 de 07 de agosto de 1952, passando por regulamentações e deliberações até tornar-se lei em 1979. Atualmente, a lei 5.412 de 20 de agosto de 1998 é a que rege a prova.

O torneio de futebol society começa a ser disputado em novembro nas duas categorias

Seguem abertas as inscrições das equipes nas categorias sub-9 e 17 da Copa das Comunidades. Os times que representam o Bairro da Glória e a Comunidade do Castelo já confirmaram a participação no torneio nas duas faixas etárias. O torneio de futebol society começa a ser disputado em novembro, com as partidas sendo realizadas aos sábados, sempre em cada uma das comunidades participantes. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone: (24) 97402-7107. A iniciativa conta com o apoio da prefeitura, através da Superintendência de Esportes e Lazer.

A ideia dos organizadores é integrar as crianças e adolescentes que participam dos projetos sociais dos bairros na cidade, contribuindo para que permaneçam praticando a modalidade nos bairros e nas quadras comunitárias. Neste momento, o torneio acontece em três categorias: sub-11, 13 e 15. Até o final do ano, serão mais de 500 pessoas envolvidas nas atividades, entre atletas, professores e voluntários, que disputam 228 partidas, contabilizando mais de 100 horas de jogos.

“O futebol é uma ferramenta que abre portas e pode garantir um futuro melhor para os jovens da nossa cidade", afirma Fabian Oliveira, organizador da Copa das Comunidades, explicando também que a proposta do torneio é agregar na formação de cada criança e adolescente.

"A ideia é movimentar os bairros e motivar os jovens que participam de projetos sociais em seus bairros. Teve criança dizendo que nunca havia saído do seu bairro e que conheceu um lugar novo graças ao torneio. Além disso, também é uma maneira de auxiliar na formação deles”, disse Fabian.

No sub-11, a liderança do campeonato está com os meninos que representam a comunidade do Chapa 4. Entre os jovens até 13 anos, a equipe do bairro Roseiral está em primeiro. No 15, o Vila Unida é o time com maior de número de pontos. Todas as crianças e adolescentes que disputam a competição serão premiados com uma medalha pela participação no final do torneio.

Hingo Hammes, superintendente de Esportes e Lazer, explica que a prefeitura quer fomentar a prática esportiva nos bairros e que a Copa das Comunidades também tem esse objetivo. A prefeitura mantém outras ações esportivas em diversos bairros, como o Agita Petrópolis e o Festival das Comunidades.

“Desde cedo, os jovens precisam ser estimulados a realizar alguma atividade física. O esporte é ferramenta fundamental na prevenção de doenças, garantindo mais saúde e qualidade de vida, além de contribuir na formação do indivíduo. A Copa das Comunidades está sendo um sucesso nos bairros e o nosso apoio é uma demonstração que acreditamos no potencial dos meninos”, afirma Hingo.

Copa das Comunidades na categoria adulta

Entre os adultos, a Copa das Comunidades segue com jogos ao longo dessa semana. Na quinta-feira, a equipe do Lopes Trovão recebe o São Sebastião a partir das 20h30. Também na quinta, no Siméria de Baixo, a equipe da casa enfrenta o Morro da Cocada, às 20h30, e na sequência o Alto da Serra joga contra o Indaiá. A liderança da categoria está com a equipe do Siméria de Baixo, que venceu todos os seus três jogos.

Notícias por data

« Setembro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Alvará Online - BANNER

DO

loa 2018

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

cpge

gabinete cidadania.fw

selo acesso informacao.fw

cmv-logo