Com sete dias a mais neste ano, a 30ª Bauernfest bateu recordes de público e movimentação na economia da cidade. De 14 a 30 de junho, a Cidade Imperial se vestiu com as cores da Alemanha e recebeu mais de 450 mil pessoas, com uma movimentação de R$ 55 milhões. Turistas de todo país aproveitaram os espaços do evento e muitos chegaram nos mais de 1.500 ônibus e vans de excursão – maior número já recebido durante um evento. Hotéis e pousadas também comemoram a ocupação, que ultrapassou os 90% em todos os fins de semana no Centro Histórico e arredores. No comércio, como da Rua Teresa, algumas lojas chegaram a faturar um aumento de 35% nas vendas.

Em 17 dias de Festa do Colono Alemão, mais de 200 atrações ajudaram a preservar e celebrar a presença da cultura germânica em Petrópolis graças à colonização alemã. Além de 40 barracas espalhadas pelo Palácio de Cristal, Rua Alfredo Pachá e Praça da Liberdade, que ofereciam comidas típicas e muito chope, artesanato e souvenir. Em toda a festa, a estimativa é de que tenham sido vendidos mais de 9,5 toneladas de salsichão e 150 mil litros de chope em toda festa.

“A festa é importante pra resgatar a cultura e as tradições germânicas trazidas com os colonos que chegaram a partir de 1945. A festa foi muito boa, correu muito bem”, completa a presidente do Clube 29 de Junho, Emygdia Hoelz.

O Palácio de Cristal foi o coração da festa e contou apenas com empresas, produtores e cervejeiros petropolitanos. É assim desde 2018, quando foi sancionada a lei regulamentando a autorização do espaço que fica nos jardins do atrativo para que receba apenas empresas petropolitanas, que tenham produtos típicos culturais alemães, mantendo assim a tradição e as raízes germânicas. E garantiu assim, também, a presença das cervejas artesanais, que, só na barraca do Palácio, vendeu mais de 30 mil litros de chope, fora o Biergarten, realizado na Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia).

“Foi a melhor da história. Batemos recordes. A festa ficou lotada todos os dias, não teve um dia que não estivesse lotada. Somos a Capital Estadual da Cerveja, e os turistas ficaram impressionados de como Petrópolis está bem servida de cervejas artesanais”, frisou Felipe Rabah, da Cervejaria Odin

Turistas vindos de todo país elogiaram o evento. É o caso do engenheiro de produção Felipe Autoer, que é de Natal. “Achei a festa bem legal, interessante ver essa tradição”, explicou.

Neste domingo, o casal Leomara Ferreira, que auxiliar de cartório, e o arquiteto Luiz Carlos Cunha, de São Gonçalo, comemorava 31 anos de casado com toda a família e explicaram que há 20 anos celebram a data na Bauernfest, com direito a bolo e noivos de enfeite. O grupo estava em 12 pessoas. “Amo essa festa, amo esse local, por isso que venho sempre. Adoro o chope e o clima”, explicou Leomara. “Há 20 anos viemos comemorar aqui porque amamos Petrópolis e calhou de ter a festa, mas desde então a gente sempre comemora aqui e trago a família toda comigo. Além do chope, o clima é fantástico e o povo alemão, as músicas, a cultura alemã me deixa perplexo”, completou o marido.

Os desfiles, dois Folclóricos nos domingos, e dois de Lanternas, nos sábados, estiveram entre os destaques da programação. O último foi realizado na manhã do último dia (30). “Foi maravilhoso, eu subo a Serra todo ano para ver esse desfile. Curto muito e curto esse clima de Serra, é muito lindo”, disse a turista Tânia Regina. Até o cônsul geral da Alemanha no Rio de Janeiro, Klaus Zillikens, participou e elogiou. “É uma festa muito grande, com muito sucesso. Já sei que foi um recorde. E é muito legal que é uma festa para toda população”, disse. 

Economia aquecida

Comerciantes e todos que trabalharam diretamente na festa já colhem os frutos do movimento na segunda maior festa do segmento no país. “Este ano está excelente, tivemos uma semana a mais e vendemos bastante. Esse ano bateu o recorde de vendas, estamos muito satisfeitos. A gente procurou fazer o melhor para os visitantes. Vendemos uma média de 10 caixas de salsichão por dia”, explicou o vendedor Benedito dos Santos, de uma das barracas da Rua Alfredo Pachá.

Fora da festa, diversos setores também faturaram.  A começar pelas casas que foram alugadas no entorno do evento, que receberam, por exemplo, artesanato, além do grande faturamento de taxistas, pipoqueiros, restaurantes, comércio. Na Rua Teresa, o polo de modas disponibilizou transporte gratuito para o público da festa e as lojas faturaram com o movimento. Os lojistas chegaram a registrar aumento nas vendas de até 35%.

Denise Fiorini, presidente da Associação de Lojistas da Rua Teresa  (Arte), comemorou o aumento no movimento. “Foi muito satisfatório. A rua ficou cheia e os empresários ficaram animados. Valeu a pena ter o transporte entre a festa e a Rua Teresa e esperamos que esse movimento se repita nos próximos anos”, disse.

Rede hoteleira cheia

A Bauernfest é considerada a alta da alta temporada em Petrópolis. Turistas vindos de todas as partes do país aproveitam o evento para conhecer a cidade e se hospedar nos hotéis. Nos três fins de semana da Festa do Colono Alemão, a ocupação no Centro Histórico e arredores ficou acima dos 90%. O fim de semana do feriado de Corpus Christ, de 21 a 23 de junho, foi o mais cheio, registrando 98,9% de ocupação. Neste último dia de festa, a taxa foi de 97,04%, de sábado para domingo.

“A pousada ficou lotada, com 100% de ocupação. O movimento fica muito bom com a festa”, comentou o proprietário do Bragança Palace Hotel, Antônio Pintarel.

As 40 barracas que fizeram parte da 30ª Bauernfest já estão praticamente desmontadas, mas os reflexos delas vão ser sentidos por muitos meses para quem trabalhou diretamente na venda de comidas típicas, doces, artesanato, souvenir, além, claro, do chope. Com 17 dias de intenso movimento nos espaços da Festa do Colono Alemão, comerciantes comemoram os resultados das vendas. Só de salsichão, a estimativa é de que tenham sido consumidos mais de 9,5 toneladas, além de 150 mil litros de chope em toda a festa. No artesanato, algumas associações faturaram mais de R$ 20 mil cada. Só o restaurante oficial da festa vendeu mais de 6 mil pratos.

“A festa foi maravilhosa. O evento está cada vez melhor, ajuda bastante na nossa renda”,comemorou o vendedor Alessandro de Farias, de uma das barracas de comida. “O movimento foi surpreendente. Ficamos na dúvida se a expansão com 17 dias daria certo, mas realmente deu e foi ótimo em todos os sentidos”, completou a comerciante Lidia Willemsen, da Confeitaria Willemsen.

O tempo ajudou e o céu azul fez com que a Bauernfest 2019 ficasse lotada todos os dias, principalmente durante os fins de semana. As mais de 450 mil pessoas que passaram pela festa ajudaram a movimentar R$ 55 milhões na economia da cidade, o que fomentou desde grandes empresas a pequenos produtores. 

Exemplo de economia familiar aquecida, quem vendeu artesanato na festa comemora. A presidente da Associação Uniarte, Sonia Regina Moreira, explica que vendeu 800 arcos só na primeira semana de evento. E em toda a festa foram mais de 500 chapéus. “O movimento foi muito grande. Só a barraca da associação faturou R$ 20 mil. Isso vai ajudar na renda dos artesãos pelo ano inteiro. Eu, por exemplo, consegui construir minha casa com a ajuda das vendas ao longo dos anos na Bauern”, explica.

O restaurante oficial da festa, que ficou nos jardins da Casa Barão de Mauá, também comemora os resultados, com mais de 6 mil pratos vendidos. “A festa foi muito boa, ainda não fechamos o balanço financeiro, mas foi fantástico”, frisou o proprietário, Michel Coutinho, lembrando que foram vendidos em torno de 600 a 700 quilos de linguiça e 800 unidades de joelho de porco.

Local atende 100 pessoas e ainda tem vagas para novos participantes

O núcleo do Agita Petrópolis no Centro atende 100 pessoas e ainda tem vagas para novos alunos. Nesta terça-feira (02.07), o prefeito acompanhou a aula de ginástica e de dança, que é oferecida no Centro de Cultura Raul de Leoni às terças e quintas-feiras, em duas turmas, de 8h às 10h. Os interessados em participar podem comparecer no local e horário da turma e fazer a inscrição ou ligar para o (24) 2233-1218 para outras informações.

A professora Andrea Torres participa das aulas no Centro de Cultura e sabe da importância da atividade física para a saúde. "Achei que por ser de graça seria ruim, mas fui surpreendida com a qualidade das aulas. Parece que estamos em uma academia", disse. "Os benefícios são para o corpo e também no social, já que a turma é ótima", completou Adriana Teles, outra beneficiada pelas aulas no Centro.

São mais de 2,5 mil pessoas atendidas regularmente com atividades físicas gratuitas pelo Agita Petrópolis. O programa foi criado pela atual gestão e está presente em 16 bairros, com diversas modalidades esportivas.

As aulas são de ginástica, alongamento ou dança no Contorno, Centro, Cascatinha, Vila Rica, Bairro da Glória, Caxambu, São Sebastião, Alto da Serra, Retiro, Bataillard, Oswaldo Cruz e Madame Machado. No Meio da Serra e no Pedras Brancas, são turmas de futsal e no Contorno de futebol society. Na Estrada da Saudade, o basquete e o vôlei acontecem na Fábrica do Saber. A capoeira acontece no Amazonas e Oswaldo Cruz.

Além do programa regular, o governo municipal mantém parcerias com projetos sociais e também oferece diversas modalidades esportivas nos PSFs, nas Academias da Saúde e nas Escolas Municipais. Também voltou a ser realizado neste ano o Festival das Comunidades - projeto itinerante pelas quadras comunitárias nos bairros da cidade.

A próxima sexta-feira (05.07) será dia de vestir a camisa xadrez, dançar quadrilha e apreciar as comidas típicas da Festa Julina solidária da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias. O evento acontece na sede da pasta de 18h às 22h e o ingresso será a doação de qualquer peça de frio em bom estado para a campanha do agasalho organizada pelo órgão. A entrega garante o acesso do público a barracas de salsichão, pipoca, cachorro-quente, canjica, bolos, pastel e refrigerante, além de música ao vivo.

Cerca de 750 peças de frio foram arrecadadas até o momento na campanha do agasalho. Uma barraca segue montada na Praça Dom Pedro até quinta (04) para receber o material, além da sede da DC, na Rua Buarque de Macedo, 128, no Centro, também ser ponto de recolhimento. 

A campanha do agasalho e a festa fazem parte do Plano Inverno municipal, que busca enfrentar as ameaças da estação com ações em dois eixos: operacional e humanitário. Também está prevista uma ação inédita da Defesa Civil no Dia dos Pais, no Sanatório Oswaldo Cruz (SOC) em Corrêas, nos próximos meses. 

Desde o início da atual gestão, a Defesa Civil promoveu duas campanhas do agasalho e duas Festas Julinas solidárias com mais de quatro mil peças de frio entregues para instituições carentes; arrecadou chocolates colaborando com a Páscoa da Sociedade Pestalozzi; distribuiu rosas em lares de idosos da cidade no Dia das Mães, organizou a doação quatro campanhas no Banco de Sangue Santa Teresa, além de entregar fraldas no Dia das Crianças para a Creche Santo Antônio, da Paróquia de Santo Antônio e Santo Agostinho em Nogueira.

A Prefeitura apresentou ao Estado montante de R$ 23,6 milhões em dívidas para a manutenção de serviços da rede pública de saúde do município que prevêem aportes do governo estadual. Em reunião nesta segunda-feira (01.07), na Secretaria de Estado de Saúde, foram reivindicadosos valores referentes a repasses atrasados de 2014 a 2018.

Para o município, os recursos em atraso se referem a repasses para o custeio das Unidades de Pronto Atendimento (UPA), para o Hospital Municipal Nelson de Sá Earp, para a aquisição de medicamentos, para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), para o Centro de Tratamento Oncológico e para o Hospital Santa Teresa (HST).

Para o custeio das UPAs, o débito atual do Estado com o município chega a R$ 9,6 milhões. Na gestão Bernardo Rossi o município tem conseguido recuperar a verba por meio de ações judiciais. Em 2017 o valor da dívida do governo do estado com o município era de R$ 24,6 milhões. Desde 2018, o município conseguiu recuperar R$ 15 milhões.

Para o hospital Municipal Nelson de Sá Earp são devidos pelo Estado, R$ 2,4 milhões, dos quais R$ 1,2 milhão é de 2014 e a mesma quantia é referente a 2016; para a aquisição de medicamentos há processos em atraso no valor total de R$ 786 mil; o CTO aguarda o repasse aproximado de R$ 5,3 milhões para a complementação de gastos com tratamentos de quimioterapia e radiologia; para o SAMU foi reivindicada a retomada do repasse de R$ 530 mil; e outros repasses pendentes para o convênio com o Hospital Santa Teresa, no valor aproximado de R$ 5 milhões, foram reivindicados para a complementação de leitos de UTI. Para o HST também foi solicitado o credenciamento e habilitação para o Centro Especializado em AVC.

Se liberados os recursos, o município voltaria a receber aproximadamente R$ 310 mil ao mês para a manutenção dos serviços para a rede pública de saúde. Os representantes da prefeitura aproveitaram a ocasião para reforçar o pedido de regularização de repasses, pendentes pelo estado, no valor de R$ 2,1 milhões para a manutenção do Sanatório Oswaldo Cruz (SOC).

O sanatório mantém convênio com os governos estadual e municipal para oferta de leitos de internação. A unidade mantém 60 leitos para atender pacientes encaminhados pelo Estado e 180 para a rede municipal. “Os repasses estão sendo feitos regularmente, mas temos um valor atrasado que precisamos recuperar para providenciar melhorias ao sanatório”, destaca o diretor do SOC, Pedro Figueira de Mello.

A discussão sobre o processo de caducidade do contrato da Concer, e a modelagem da nova concessão da Br-040, no trecho entre Rio de Janeiro e Juiz de Fora, foi o foco da audiência pública realizada nessa terça-feira (02.07), na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados em Brasília. Petrópolis marcou presença na reunião salientando que, além da discussão sobre a caducidade do contrato, há a necessidade de o poder público federal, através da ANTT, cobrar da concessionária que administra a via, Concer, manutenção e melhorias na rodovia, retomada das obras da nova subida da Serra, além da reinstalação do posto da PRF no Belvedere

No encontro, a procuradora da república, Monique Cheker, apresentou todas as ações civis públicas que registram os problemas com a Concer. Entre elas a que solicita a caducidade do contrato, condenando a Concer por perdas e danos e penalidades contratuais, bem como a interrupção da cobrança de pedágio na BR-040, no trecho entre o Rio e Juiz de Fora. Outra Ação Civil Pública, de 2016, pede a instalação de um posto de pesagem veicular na estrada. Uma terceira solicita que sejam refeitos cálculos da tarifa do pedágio.

Os levantamentos feitos pela prefeitura apontam os problemas e indicam melhorias na estrada – intervenções necessárias, como duplicação de pontos na estrada e passagem de nível – que já foram apresentados no início do ano à ANTT e ao MINFRA - serão encaminhados para à EPL - Empresa de Planejamento e Logística que está atuando na estruturação do projeto da nova concessão.

De acordo com a apresentação feita por Arthur Pinho, diretor-presidente da EPL, o estudo prevê intervenções como a recuperação do pavimento e deverá ser entregue em agosto.

Como resposta, na audiência, à Concer salientou que faltam menos de 18 meses para termino do contrato de concessão, que realizou a obra da nova subida por 24 meses e que a mesma foi prejudicada pela falta de repasses da união.

Pela primeira vez em Petrópolis, os interessados em aprender a operar um caminhão Munck terão a oportunidade de receber a qualificação profissional. O curso será oferecido pelo Centro de Referência da Juventude (CRJ), em parceria com a Maq Operações. Para se inscrever basta ir na sede do CRJ, na Rua Santo Antônio, 248 – Alto da Serra, e apresentar identidade, CPF, comprovante de residência e três quilos de alimentos não perecíveis. Vale ressaltar que para participar não precisa ter Carteira Nacional de Habilitação. O curso começa no dia 20 de julho.

Seguindo o objetivo do Centro, de profissionalizar e dar uma oportunidade aos jovens do município, a entrar no mercado de trabalho, o curso de operador de caminhão Munck é uma grande novidade para região, e mais um diferencial para quem quer aumentar seu currículo. O curso ensina manusear o equipamento que é feito para carregar grandes cargas, como containers por exemplo. O caminhão Munck possui sistema hidráulico para içamento e remoção de máquinas industriais.

 O CRJ formou mais de 250 profissionais nos cursos de máquinas e a inserção no mercado de trabalho se torna mais fácil após a conclusão do curso. Em breve, o Centro vai organizar uma grande reunião com empresários da cidade para fechar parcerias para encaminhamento para o mercado de trabalho. As aulas acontecem aos sábados de 9h às 11h, e a parte prática do curso será realizada no Parque de Exposições, em Itaipava.

O CRJ é um equipamento do Estado em parceria com a Prefeitura e já formou mais de 1000 alunos em cursos profissionalizantes. Este ano, mais de 600 alunos foram atendidos e atualmente o Centro possui 900 pessoas em atividades.

Com base em uma orientação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, membros do Conselho Municipal da Cidade (Comcidade) revisarão a Lei 6.614, de 2008, que cria o Conselho da Cidade. A informação sobre a reunião com a promotora Zilda Zanuzzi, que tratou do assunto, foram passadas pelo presidente do Comcidade, Lédio Alencar Ferreira, durante assembleia ordinária do Comcidade, na noite de segunda-feira (1º.07) na Casa dos Conselhos, Augusto Ângelo Zanatta.

“A orientação do Ministério Público é para que o Conselho revise a legislação, uma vez que hoje existem divergências e distorções no texto da lei. A intenção é que este trabalho comece a ser feito e a proposta de revisão já comece a ser discutida na próxima assembleia do Comcidade”, explica o presidente.

Após a elaboração, o texto com a proposta da nova Lei será enviado ao Executivo e posteriormente ao Legislativo, para aprovação de vereadores. O prazo estabelecido pelo MPE para a apresentação da nova lei é de seis meses.

A plenária discutiu ainda o andamento dos trabalhos das seis câmaras temáticas, que têm função de contribuir com subsídios e assessoramento técnico sobre assuntos discutidos no Comcidade. 

Os comitês técnicos são voltados aos seguintes temas: Desenvolvimento Institucional, planejamento, sistema orçamentário de gestão democrática; Desenvolvimento econômico: turismo, comércio, indústria, serviços e tecnologia; Meio Ambiente e Saneamento Ambiental; Habitação, Patrimônio Histórico e Gestão do solo urbano; Desenvolvimento Humano, Saúde e Educação; Infraestrutura, mobilidade e Transporte Urbano.  A primeira reunião das Câmaras temáticas será realizada sábado (06.07) na sede do Cefet. O resultado do trabalho das câmaras temáticas será apresentado e discutido pelos conselheiros na próxima assembleia ordinária do Conselho.

As assembleias do Comcidade acontecem em toda primeira segunda-feira de cada mês, às 18h, na Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta, na Av. Koeler, 260 – Centro, em um prédio ao lado da sede da prefeitura.

O Comcidade tem 39 cadeiras. Sete delas designadas pelo governo; três indicadas pelo legislativo e 29 destinadas a representantes da sociedade civil que - de acordo com a legislação que criou o Conselho - devem ser indicados pelos conselhos existentes na cidade

Evento acontece de 08 a 11 de agosto no Palácio de Cristal

Seis barracas de comercialização de produtos tipicamente japoneses, disponíveis na licitação para o Bunka-Sai, foram definidos nesta terça-feira (02.07). Três empresas venceram o pregão presencial, que vai resultar em uma arrecadação de R$ 11.300 para o município. Quatro das seis barracas foram arrematadas pelo valor de R$ 2.500. A festa acontece entre 08 e 11 de agosto, no Palácio de Cristal, com comidas típicas, danças folclóricas, artes marciais, entre outras atrações dentro da programação cultural.

Dos vencedores da licitação, do tipo maior lance, estão quatro barracas de comida japonesa – que deverão vender produtos conforme cardápio sugerido pela Associação Nikkei de Petrópolis; uma de doces típicos e café; e outra para comercialização produtos alimentícios japoneses para levar para casa, como hondashi, kare, arroz, lamen, sake, shoyu, entre outros. No total, sete barracas estavam disponíveis na licitação.

O evento vai funcionar entre 18h e 22h na quinta-feira; de 10h às 22h na sexta e no sábado, e de 10h às 22h no domingo.

Com entrada gratuita, o evento vai contar ainda com uma programação cultural com dezenas de atividades, como danças folclóricas, shows de música japonesa, oficinas de mangá, pipa, ikebana (arranjos florais) e origami, além de artes marciais, palestras, Cosplay, entre diversas outras.

O Bonfim, em Corrêas será palco da 12ª Edição da Festa do Aipim, realizada durante três dias - sexta-feira (05.07), sábado (06) e domingo (07), com o apoio da Prefeitura de Petrópolis. O evento acontece na comunidade rural no Km 7 da Estrada do Bonfim, na quadra da região, a partir das 14h. A festa conta com comidas típicas e muita música. No embalo da comemoração julina, será lançado durante a festa, o projeto de Revitalização de Políticas Públicas das Áreas Rurais do município, que irá atender a região com saneamento rural, e também no Caxambu.

Pelo projeto, a partir do segundo semestre 423 fossas sépticas e filtros para o tratamento de esgoto serão instaladas. O saneamento melhora o condicionamento da vida urbana e rural, já que beneficia o abastecimento público de água potável, drenagem urbana, uso correto do solo entre outros. Mais de 278 famílias da área serão beneficiadas.

O principal objetivo do projeto, que está sendo executado pela prefeitura, em parceria com o Inea, Ministério Público, Emater e Comitê Bacias do Piabanha, é conscientizar a população sobre o destino correto do lixo e cuidado com a água, além de possibilitar a qualidade da água da captada para o abastecimento da comunidade.

“Vamos aproveitar a festa do Aipim, onde toda a comunidade se reúne para festejar também a conquista da realização deste projeto que irá beneficiar a todos. É um grande passo para a população rural e precisamos comemorar”, contou o diretor do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Maurício Soares.

Terça, 02 Julho 2019 18:36

Comdep revitaliza Praça de Nogueira

Parquinho infantil teve reparo de brinquedos e o chafariz passou por manutenção preventiva

A Praça de Nogueira está recebendo nesta semana ações de revitalização pela Comdep. O trabalho, feito departamento de obras da Companhia, inclui serviços de reparos de brinquedos e manutenção preventiva do chafariz do espaço.

No parquinho infantil, o brinquedo "Casinha do Tarzan" teve o telhado trocado. Outros equipamentos para as crianças, como a gangorra e os balanços, foram reinstalados para que elas possam aproveitar em total segurança.

Além disso, também foi feita revisão das bombas hidráulicas do chafariz da praça, para garantir o pleno funcionamento do aparelho.

O mesmo trabalho foi feito também nos demais equipamentos de praças do Centro Histórico. Outra praça que foi atendida no início dessa semana pelo departamento de obras foi Conde D'Eu, que está ganhando nova pintura. Na Praça Manoel de Medeiros, o serviço que está sendo feito é a instalação de lixeiras de poste, adequadas para o pedestre fazer o descarte de pequena quantidade lixo. Já a Praça Dom Pedro está tecendo melhorias em bancos de madeira.

Parceria entre Secretaria de Desenvolvimento Econômico e TI Rio

As sessões de mentoria promovidas a partir de uma parceria com a prefeitura e a TI Rio - Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Rio de Janeiro terão continuidade até o final do ano. Nessa terça-feira (02.07) o tema abordado durante o encontro, realizado na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, foi a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

O tema foi apresentado pela assessora jurídica da TI Rio, Candida Machado. A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD ou LGPDP), Lei nº 13.709/2018, é a legislação brasileira que regula as atividades de tratamento de dados pessoais. A legislação se fundamenta em diversos valores, como o respeito à privacidade; à autodeterminação informativa; à liberdade de expressão, de informação, de comunicação e de opinião; à inviolabilidade da intimidade, da honra e da imagem; ao desenvolvimento econômico e tecnológico e a inovação; à livre iniciativa, livre concorrência e defesa do consumidor e aos direitos humanos liberdade e dignidade das pessoas.

“Muito embora seja uma legislação federal, estados e municípios estão atentos à lei. Os empresários também devem ficar ligados porque a lei tem impacto direto na rotina dos negócios, justamente por causa da preocupação com o vazamento de dados. O empresariado já vem planejando uma forma de mostrar a sua boa-fé com relação ao cliente, sobretudo com a questão de proteção dos dados. Temos observado que grandes empresas já fizeram propagandas sobre isso, como os bancos. A preocupação é justamente essa, de mostrar que as empresas estão ligadas e querem fortalecer a fidelização dos clientes”, explicou Candida.

Mais informações sobre os encontros mensais através dos telefones: TI Rio: (21) 3974-5000. Espaço Empreendedor: (24) 2233-8145. Inscrições gratuitas via email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O tema será ministrado pela assessora jurídica da TI Rio, Candida Machado.

Confira a programação:

6 de agosto - Mentoria para empresas maduras e iniciantes com Alberto Blois, diretor da TI Rio

3 de setembro - Contribuição sindical e participação empresarial com Candida Machado

1º de outubro - Nova lei Trabalhista com Candida Machado, assessoria jurídica da TI Rio

5 de novembro - Ciência de dados, Inteligência Artificial e demais tecnologias emergentes com Newton Fleury

Fiscalização realizada nesta terça-feira (02.07) pelo Procon Petrópolis, constatou tempo de espera em fila superior a 15 minutos em duas agências bancárias, uma do Itaú e outra do Banco do Brasil, ambos no Centro Histórico. Na fiscalização, a equipe do órgão de defesa do consumidor verificou que o tempo de espera, respectivamente, chegava a 21 e 46 minutos. Ao longo do dia, 16 agências receberam as equipes do órgão.

O tempo médio de espera das outras 14 agências foi de 7 minutos. Desde 2017, incursões aos bancos da cidade realizadas pelo Procon já somam 323 visitas e, em 53 casos, o órgão flagrou o tempo acima do permitido.  Quando a fiscalização flagra a irregularidade por mais de cinco vezes, a agência pode ter seu alvará de funcionamento suspenso até que comprove ter capacidade de atender o que preconiza a legislação.

Em Petrópolis, a lei é 5.763/2001 embasa as ações do Procon. Segundo ela, cabe às agências disponibilizar pessoal suficiente para atender em até 15 minutos seus clientes em dias normais e em até 30 minutos em dias anteriores e posteriores a feriados. Se a fiscalização flagrar a irregularidade por mais de cinco vezes, ela pode ter seu alvará de funcionamento suspenso até que comprove ter capacidade de atender o que preconiza a legislação.

Alfredo Pachá fica interditada para a desmontagem da festa

Previsão é que via seja liberada já na próxima semana

Triagem de ônibus de turismo, nova sinalização implementada nas ruas do Centro e controladores de tráfego nas faixas de pedestres são apontadas como os responsáveis pelo bom fluxo de trânsito registrado no entorno da Bauernfest durante os 17 dias de festa. Desde o dia 14, as mudanças implementadas para a festa do colono alemão demonstraram um efeito positivo no fluxo de veículos. Agora, para a desmontagem do evento, a Alfredo Pachá segue mantida interditada, assim como a Padre Siqueira segue com a mão invertida. A previsão é que a via seja liberada na próxima semana.

Ao mesmo tempo, a CPTrans avalia as medidas adotadas durante a festa e que serão mantidas em caráter definitivo. As equipes de engenharia de trânsito já trabalham no balanço e medidas que deverão ser benéficas para o trânsito. Até lá, ficam mantidos a sinalização horizontal implementada em ruas como a 13 de Maio, Montecaseros – que também fica em mão única, Praça da Liberdade, Roberto Silveira, Avenida Piabanha, entre outras.

São medidas que se mostraram positivas e que, agora, serão estudadas para que a CPTrans dê continuidade nesse processo. A ideia é corrigir qualquer problema de tráfego encontrado para que a cidade tenha um trânsito no Centro mais fluído. O bom funcionamento do trânsito se deve ao trabalho conjunto da CPTrans, responsável pela ordenação, e da Guarda Civil, que apoiou o trabalho realizado.

O bom fluxo durante a festa se deve a uma séria de medidas. Já na entrada da cidade ônibus e vans de turismo foram recebidos por equipe que faziam a triagem. Nos pórticos, as equipes orientavam os motoristas com os grupos de excursão sobre onde desembarcar os passageiros, estacionar, embarcar e qual a melhor opção de saída – se pelo Bingen ou Quitandinha. Essa medida evitou o acumulo de veículos em um mesmo local.

Outro ponto que ganhou elogio da população são os balizadores (espécie de cones) instalados nas vias do Centro que obrigam os motoristas a seguir a legislação de trânsito já demarcada, ou seja, com as barreiras fixas, eles precisam seguir o que está sendo ordenado pela sinalização vertical. Entre os locais que mais sentiram esse efeito estão a Paulino Afonso e a Montacaseros – onde quem precisa seguir para em direção à Praça Oswaldo Cruz ganhou uma espécie de baia, e o trânsito segue, sem necessidade de parada para a conversão, no sentido Piabanha.

“Os controladores de trânsito próximo às faixas de pedestres ordenavam o trânsito. Na prática, eles deixam o trânsito fluir até que acumulasse um número de pedestres para a travessia, evitando a parada desnecessária dos veículos e fazendo o fluxo seguir. Isso também foi importante para os pedestres, que ganharam espaços para andar de maneira segura”, explica o diretor técnico e operacional da CPTrans, Luciano Moreira, lembrando que a atuação da população até no uso de rotas alternativos auxiliou para o bom fluxo durante a festa.

A publicitária Nathalia Dutra é natural de Petrópolis, mas há sete anos mora no Rio. Fã da Bauernfest, ela tem o histórico de subir a Serra para a participar de todas as edições da festa e elogia: “o trânsito está muito melhor. A gente ficava muito tempo agarrado em um determinado lugar e isso não acontece mais. A sinalização foi bem-feita e a gente consegue se orientar bem, além de as pessoas nos informarem e auxiliar sobre parada”, elogiou.

Com sete dias a mais neste ano, a 30ª Bauernfest bateu recordes de público e movimentação na economia da cidade. De 14 a 30 de junho, a Cidade Imperial se vestiu com as cores da Alemanha e recebeu mais de 450 mil pessoas, com uma movimentação de R$ 55 milhões. Turistas de todo país aproveitaram os espaços do evento e muitos chegaram nos mais de 1.500 ônibus e vans de excursão – maior número já recebido durante um evento. Hotéis e pousadas também comemoram a ocupação, que ultrapassou os 90% em todos os fins de semana no Centro Histórico e arredores. No comércio, como da Rua Teresa, algumas lojas chegaram a faturar um aumento de 35% nas vendas.

Em 17 dias de Festa do Colono Alemão, mais de 200 atrações ajudaram a preservar e celebrar a presença da cultura germânica em Petrópolis graças à colonização alemã. Além de 40 barracas espalhadas pelo Palácio de Cristal, Rua Alfredo Pachá e Praça da Liberdade, que ofereciam comidas típicas e muito chope, artesanato e souvenir. Em toda a festa, a estimativa é de que tenham sido vendidos mais de 9,5 toneladas de salsichão e 150 mil litros de chope em toda festa.

“A festa é importante pra resgatar a cultura e as tradições germânicas trazidas com os colonos que chegaram a partir de 1945. A festa foi muito boa, correu muito bem”, completa a presidente do Clube 29 de Junho, Emygdia Hoelz.

O Palácio de Cristal foi o coração da festa e contou apenas com empresas, produtores e cervejeiros petropolitanos. É assim desde 2018, quando foi sancionada a lei regulamentando a autorização do espaço que fica nos jardins do atrativo para que receba apenas empresas petropolitanas, que tenham produtos típicos culturais alemães, mantendo assim a tradição e as raízes germânicas. E garantiu assim, também, a presença das cervejas artesanais, que, só na barraca do Palácio, vendeu mais de 30 mil litros de chope, fora o Biergarten, realizado na Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia).

“Foi a melhor da história. Batemos recordes. A festa ficou lotada todos os dias, não teve um dia que não estivesse lotada. Somos a Capital Estadual da Cerveja, e os turistas ficaram impressionados de como Petrópolis está bem servida de cervejas artesanais”, frisou Felipe Rabah, da Cervejaria Odin

Turistas vindos de todo país elogiaram o evento. É o caso do engenheiro de produção Felipe Autoer, que é de Natal. “Achei a festa bem legal, interessante ver essa tradição”, explicou.

Neste domingo, o casal Leomara Ferreira, que auxiliar de cartório, e o arquiteto Luiz Carlos Cunha, de São Gonçalo, comemorava 31 anos de casado com toda a família e explicaram que há 20 anos celebram a data na Bauernfest, com direito a bolo e noivos de enfeite. O grupo estava em 12 pessoas. “Amo essa festa, amo esse local, por isso que venho sempre. Adoro o chope e o clima”, explicou Leomara. “Há 20 anos viemos comemorar aqui porque amamos Petrópolis e calhou de ter a festa, mas desde então a gente sempre comemora aqui e trago a família toda comigo. Além do chope, o clima é fantástico e o povo alemão, as músicas, a cultura alemã me deixa perplexo”, completou o marido.

Os desfiles, dois Folclóricos nos domingos, e dois de Lanternas, nos sábados, estiveram entre os destaques da programação. O último foi realizado na manhã do último dia (30). “Foi maravilhoso, eu subo a Serra todo ano para ver esse desfile. Curto muito e curto esse clima de Serra, é muito lindo”, disse a turista Tânia Regina. Até o cônsul geral da Alemanha no Rio de Janeiro, Klaus Zillikens, participou e elogiou. “É uma festa muito grande, com muito sucesso. Já sei que foi um recorde. E é muito legal que é uma festa para toda população”, disse. 

Economia aquecida

Comerciantes e todos que trabalharam diretamente na festa já colhem os frutos do movimento na segunda maior festa do segmento no país. “Este ano está excelente, tivemos uma semana a mais e vendemos bastante. Esse ano bateu o recorde de vendas, estamos muito satisfeitos. A gente procurou fazer o melhor para os visitantes. Vendemos uma média de 10 caixas de salsichão por dia”, explicou o vendedor Benedito dos Santos, de uma das barracas da Rua Alfredo Pachá.

Fora da festa, diversos setores também faturaram.  A começar pelas casas que foram alugadas no entorno do evento, que receberam, por exemplo, artesanato, além do grande faturamento de taxistas, pipoqueiros, restaurantes, comércio. Na Rua Teresa, o polo de modas disponibilizou transporte gratuito para o público da festa e as lojas faturaram com o movimento. Os lojistas chegaram a registrar aumento nas vendas de até 35%.

Denise Fiorini, presidente da Associação de Lojistas da Rua Teresa  (Arte), comemorou o aumento no movimento. “Foi muito satisfatório. A rua ficou cheia e os empresários ficaram animados. Valeu a pena ter o transporte entre a festa e a Rua Teresa e esperamos que esse movimento se repita nos próximos anos”, disse.

Rede hoteleira cheia

A Bauernfest é considerada a alta da alta temporada em Petrópolis. Turistas vindos de todas as partes do país aproveitam o evento para conhecer a cidade e se hospedar nos hotéis. Nos três fins de semana da Festa do Colono Alemão, a ocupação no Centro Histórico e arredores ficou acima dos 90%. O fim de semana do feriado de Corpus Christ, de 21 a 23 de junho, foi o mais cheio, registrando 98,9% de ocupação. Neste último dia de festa, a taxa foi de 97,04%, de sábado para domingo.

“A pousada ficou lotada, com 100% de ocupação. O movimento fica muito bom com a festa”, comentou o proprietário do Bragança Palace Hotel, Antônio Pintarel.

Notícias por data

« Julho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP