Depois do Ministério da Infraestrutura se mostrar favorável à redução da faixa de domínio da BR-040, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) sinalizou que pode apoiar os pedidos para suspensão das ordens de demolição de casas. Esta é mais uma tentativa do município para encontrar uma solução para impedir a demolição de casas construídas há décadas em comunidades que ficam nas margens da rodovia. O grupo de trabalho formado pela prefeitura, CDDH e MPF aguarda que órgão responda de forma oficial para voltar a pedir na justiça a suspensão das ordens de demolição até o avanço dos estudos sobre a redução da faixa de domínio e regularização fundiária nessas comunidades.

Representantes da prefeitura, junto com representantes do CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos) e da Concer, se reuniram em Brasília com diretor colegiado da ANTT, Weber Ciloni, e o gerente da Superintendência de Infraestrutura Rodoviária, Evandro Torquato. O encontro contou também com a presente de duas moradoras de comunidades situadas nas margens da rodovia, que puderam contar um pouco das próprias histórias. Algumas das famílias vivem em comunidades da BR-040 há mais de 30 anos, antes mesmo da atual concessão da rodovia. 

A expectativa é que a ANTT envie um documento para o município confirmando o apoio ao pedido para que as ações demolitórias sejam suspensas até a conclusão dos estudos sobre a faixa de domínio. Com esse documento, o Ministério Público Federal poderá ingressar na justiça requerendo a suspensão.

No ano passado, o município apresentou um documento emitido pelo Ministério da Infraestrutura que indica à prefeitura a viabilidade da redução da faixa de domínio em pelo menos seis comunidades. Com esse documento, a prefeitura demonstrou o andamento dos estudos para realizar diminuição da faixa e, por isso, entende que as demolições não devem ocorrer, já que a medida possibilita a regularização fundiária dessas moradias.

Desde 2017, a prefeitura articula com o Ministério da Infraestrutura, com o Dnit, com a ANT e com a Procuradoria Geral da República que a faixa de domínio da BR-040 seja diminuída para permitir a regularização fundiária das famílias que vivem em comunidades consolidadas nas margens ao longo da rodovia. O entendimento da prefeitura, do MPF e do CDDH é que a redução da faixa de domínio da rodovia não aumenta o risco à segurança de moradores e motoristas e que também não há projetos de obras que justifiquem a manutenção do afastamento maior em relação à pista.

A obra de revitalização da Estrada União e Indústria deve começar em abril. O DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura – liberou R$ 15 milhões de orçamento para o início das obras. A informação foi repassada pelo diretor de Infraestrutura Rodoviária do DNIT, Euclides Bandeira Neto durante uma reunião na sede do DNIT, em Brasília, realizada na quarta-feira (04.03.2020).

As intervenções devem começar em abril. A expectativa é de que a obra tenha início já em abril. A prefeitura vai acompanhar as intervenções e já sinalizou as manutenções que deverão ser incluídas no processo.

De acordo com o edital da obra, que foi publicado pela Superintendência Regional no Estado do Rio de Janeiro do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, no Diário Oficial da União no dia 31 de julho de 2019, prevê um valor estimado para a obra de R$ R$ 40,5 milhões. O prazo de execução será de 450 dias e a obra prevê a recuperação de 25 quilômetros da Estrada União e Indústria, no trecho entre a Avenida Barão do Rio Branco e Pedro do Rio - que é de responsabilidade do DNIT.

A prefeitura vai realizar, no decorrer da obra, pequenas intervenções como a construção de baias de ônibus e pequenos alargamentos na pista. Isso já foi garantido e apontado ao DNIT pelo poder público. 

A reforma da União e Indústria vira realidade depois de quase 10 anos. Desde 2017 a prefeitura cobra que o DNIT finalmente realize a reforma. Em 2009, a justiça determinou que o departamento fizesse um projeto de recuperação da estrada, o que não ocorreu e rendeu uma multa de R$ 14 milhões ao órgão. Em 2011, o projeto até foi idealizado, mas não saiu do papel. Em 2016, uma licitação foi feita, mas a vencedora abriu mão do contrato e a segunda colocada não teve interesse na obra.

As vistorias de futuros moradores nos apartamentos do conjunto habitacional do Vicenzo Rivetti começaram nesta quinta-feira (05.03). Seis blocos do condomínio 3 foram visitados durante todo dia. Esta etapa segue até a próxima terça-feira (10.03). O objetivo é que todos os beneficiários verifiquem se as moradias já podem ser entregues ou se é necessário algum ajuste final.

Nesta sexta, as vistorias terão sequência pela manhã, com a ida dos beneficiários dos blocos 6 (condomínio 3), 1 e 2 (condomínio 2), e à tarde, para quem vai morar nos blocos 3, 4 e 6 (condomínio 2). O calendário completo está no quadro.

Para a Patrícia Zacher, que vai morar no conjunto habitacional assim como a mãe, Rosa Maria, não falta nada para se mudar para o Vicenzo Rivetti.

“A minha impressão foi ótima. O apartamento já está pronto para entrar e morar. Ganhar a minha casa significa ter liberdade. Sair do aluguel e ter a liberdade de mandar no que é seu, é ter a certeza de que o apartamento é seu. É gratificante”, falou.

A dona Rosa do Nascimento André é uma das pessoas que fizeram vistoria nesta quinta. Ela ficou desabrigada em 2013 e comemora poder ter novamente uma casa para dizer que é dela.

“Para mim, essa casa significa bastante. Quando fiquei desabrigada, tinha 60 anos, não tinha mais nada para construir uma nova casa, não tinha mais força. E agora eu estou ganhando uma casa. Para mim, isso é muito bom, agora eu sei que eu tenho um apartamento”, disse.

Marcelo Eliezer também conheceu o apartamento dele e agora está ansioso para receber as chaves.

“É uma casa boa, correspondeu as expectativas. Para quem estava esperando a tanto tempo, é excelente. Está concretizando um sonho de ter novamente a minha casa, poder morar no que é meu, sair do aluguel e ter independência”, afirmou.

O conjunto habitacional tem 776 unidades divididas em 18 blocos em três condomínios. O calendário vai até a próxima segunda-feira (09.03). Quem perder o dia correto da vistoria por algum motivo terá uma segunda oportunidade na terça (10.03).

É importante ressaltar que essa vistoria deve ser feita de forma cuidadosa e técnica e, por isso, apenas o próprio beneficiário do apartamento deve comparecer para que ele possa verificar os apartamentos com calma e passar todas as informações necessárias para a equipe da empresa responsável pela obra, a AB Construtora, e da prefeitura que estará no conjunto habitacional até o dia 10.

Os apartamentos possuem 49 m² e contam com dois quartos, sala, cozinha/área de serviço e banheiro. Os condomínios ainda vão contar com áreas de lazer infantil e salão de festas.

O município trabalha na infraestrutura de entorno como o arruamento e construção da rede de esgoto; na implantação equipamentos comunitários – creche e UBS; e ainda com o trabalho na área social de capacitação profissional dos futuros moradores e orientação para gestão dos condomínios.

Calendário de vistorias do conjunto habitacional do Vicenzo Rivetti

Data

Horário

Bloco

Condomínio

06.03 (sexta)

07h30 às 12h

6

Vicenzo Rivetti 3

06.03 (sexta)

07h30 às 12h

1 e 2

Vicenzo Rivetti 2

06.03 (sexta)

13h às 16h

3, 4 e 6

Vicenzo Rivetti 2

07.03 (sábado)

08h às 12h

5 e 7

Vicenzo Rivetti 2

09.03 (segunda)

07h30 às 12h

1 e 2

Vicenzo Rivetti 1

09.03 (segunda)

13h às 16h

3 e 4

Vicenzo Rivetti 1

10.03 (terça)

07h30 às 12h

Data para quem não puder comparecer no dia correto

 

O atendimento no Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio retornará nessa sexta-feira (06.03.2020) para os alunos de todas as turmas e turnos de atendimento. Com o tempo estável nessa quinta-feira (05.03.2020), sem chuva, os danos começaram a ser avaliados e os ajustes necessários foram iniciados.

As aulas na unidade escolar foram suspensas nessa semana por conta dos prejuízos causados pela forte chuva da última segunda-feira (02.03). A chuva ocasionou a quebra de algumas telhas e a queda de uma árvore ocasionou problemas na parte elétrica. A escola seguiu a orientação da Defesa Civil que recomendou que os consertos necessários fossem feitos quando o telhado estivesse seco, ou seja, em um dia sem chuva, para evitar acidentes durante a troca das telhas.

A escola está limpa, abastecida com merenda e organizada para o retorno das aulas na sexta. Vale salientar que o Liceu Municipal vem passando por melhorias desde 2019 como a troca de vidros, pintura e reestruturação das salas.

“Tivemos problema com a chuva que foi muito forte e acabou quebrando algumas telhas. Com chuva, não tínhamos como fazer o conserto e por isso as aulas foram suspensas. A segurança e o conforto dos nossos alunos estão em primeiro lugar. Mas estamos fazendo melhorias em toda a escola e isso não vai parar. A escola está com uma nova cara, salas equipadas e ambientes confortáveis para os alunos”, explicou a diretora do Liceu, Marcia Chiote.

A Secretaria de Educação está em contato direto com a equipe da escola e fará a reposição caso seja necessário. Os pais que tiverem dúvidas podem entrar em contato com o Departamento de Inspeção Escolar da Secretaria de Educação. A suspensão foi um caso emergencial que está sendo acompanhado pela Secretaria de Educação.

Dúvidas com relação ao funcionamento do Liceu e demais unidades escolares da rede municipal podem ser esclarecidas diretamente na Secretaria de Educação – Avenida da Imperatriz, nº 193 – atendimento de segunda a sexta-feira das 9h às 18h30 e também pelo telefone – 2246-8675.

A prefeitura segue com o andamento das obras de ampliação da maternidade e da enfermaria de pediatria do Hospital Alcides Carneiro (HAC). No sábado (01.02) foi inaugurado o Centro Obstétrico, já em pleno funcionamento.  As intervenções fazem parte do maior investimento na unidade, - R$ 20,8 milhões - uma parceria entre a Prefeitura de Petrópolis e a Fase/Faculdade de Medicina de Petrópolis.

O maior hospital público do município é referência no atendimento às gestantes. Além do novo Centro Obstétrico, que abriu novas vagas em leitos de observação e salas de pré-parto, parto e pós-parto (PPP), o número de leitos de enfermaria da maternidade também está crescendo. No setor, de 44 leitos, a unidade passará a contar com um total de 64. Já na pediatria serão 15 novos leitos, além da abertura de uma brinquedoteca. Também está em andamento o processo para a abertura de um banco de leite na unidade, compondo este bloco de obras.

A Fase/Faculdade de Medicina está investindo R$ 13 milhões e a prefeitura R$ 7,8 milhões nestas obras de ampliação do hospital por meio de convênio. Além do centro obstétrico, maternidade, banco de leite, pediatria, o município também terá mais vagas de UTI e um hemonúcleo. Mas os investimentos são maiores. Todo mês são destinados recursos para o funcionamento do maior hospital do município. Isso é Petrópolis investindo na saúde.

"Essa parceria com a prefeitura de Petrópolis, estabelecida por convênio, exige de ambas as partes um compromisso de integração. Nosso objetivo, enquanto instituição de ensino superior, é promover a formação de profissionais de saúde, em um hospital de ensino qualificado e certificado, que desenvolve boas práticas em assistência à saúde. O objetivo do município é oferecer à população o acesso a serviços hospitalares de qualidade, que atendam às demandas do sistema de saúde. Com a ampliação de leitos na maternidade e na pediatria mais benefícios serão alcançados, não somente para as mulheres parturientes e seus bebês, como também para os estudantes de graduação e residência, que contarão com espaços, equipamentos e mobiliário que garantem um ambiente qualificado para o processo de ensino-aprendizagem.” destaca Maria Isabel de Sá Earp de Resende Chaves, supervisora geral da FMP/Fase.

Além da área do complexo hospitalar, foi construído um prédio anexo ao Instituto Médico Legal para o funcionamento da Sala Lilás, cujas obras estão na reta final. A Sala Lilás fará o acolhimento das vítimas de violência para a realização de exames de corpo de delito e atendimento especializado.

A prefeitura está lançando edital de licitação para contratação de uma empresa que ficará responsável pela realização da 31ª Expo Agropecuária, que acontece entre os dias 30 de abril e 03 de maio, no Parque Municipal, em Itaipava. A empresa vencedora da licitação será responsável pelo planejamento, produção e promoção da festa, que será produzida e executada pela iniciativa privada. A empresa vai pagar para a prefeitura para realizar este serviço. O edital completo já está disponível no site da prefeitura.

Todas as despesas relativas à realização da festa, como os espaços de comercialização e áreas do produtor rural; de exposição de animais; de shows; de circulação de pessoas; bem como taxas, cachês, hospedagens, transporte e alimentação dos artistas e suas equipes, bilheteria, equipe de segurança, publicidade, estruturas, contratação de pessoal e a legalização do evento são de responsabilidade da empresa contratada. Apenas os shows do dia 1º de maio, Dia do Trabalhador, com entrada gratuita, são de responsabilidade da prefeitura, mas toda estrutura deverá ser providenciada pela empresa contratada.

A empresa vencedora da licitação terá que contratar no mínimo três atrações sugeridas pela prefeitura. Dentre elas estão: Ivete Sangalo, Jorge e Mateus, Gustavo Lima, Anitta, Molejo, Alok, Zé Neto e Cristiano, MC Kevin o Cris, Gustavo Mioto e Xand Avião.

O valor mínimo que a empresa vencedora deverá pagar à prefeitura é de R$ 64.672,20, ou seja, a empresa que oferecer o maior valor pelo trabalho de organização e execução do evento vence a concorrência.  O pregão presencial acontece no dia 18 de março, às 14h, no Centro Administrativo da prefeitura.

No ano passado, mais de 200 mil pessoas passaram pelo Parque Municipal durante a Expo Agropecuária, que contou com dois palcos, Galpão do Produtor Rural, exposições e campeonatos de cavalos, fazendinha, parque de diversões, entre outras atrações. A estimativa é de que o evento tenha movimentado mais R$ 3 milhões na economia da cidade. Apesar de ser uma festa voltada para os petropolitanos, o setor de turismo também faturou. No fim de semana da festa, por exemplo, hotéis e pousadas do segundo ao quinto distrito – entre Corrêas e Posse – registraram quase 70% de ocupação.

Unidade apresentou os trabalhos desenvolvidos para o programa nesta quinta (05.03)

Educação ambiental e bem-estar animal foram os temas dos trabalhos desenvolvidos pelos estudantes da E.M. Paulo Freire para o Defesa Civil nas Escolas. Nesta quinta-feira (05.03), abrindo o calendário de atividades do programa, uma turma de nove alunos da instituição apresentou o jogo Trilha Pet Freire, que ensina de forma lúdica a compaixão e o carinho pelos animais. As crianças também desenvolveram um vídeo explicando como funciona esse passatempo, que foi criado pelos jovens com o apoio e orientação dos professores.

Outra atividade desenvolvida pela unidade foi uma festa de carnaval que teve como tema a preservação do meio ambiente. Pelo terceiro ano consecutivo, a E.M. Paulo Freire foi a primeira unidade escolar a entregar os trabalhos do Defesa Civil nas Escolas. A escola atende 146 alunos, grande parte com deficiência, matriculados até o 5º ano do ensino fundamental.

"São questões do dia a dia e toda a escola se empenha em participar. Buscamos envolver todos os nossos alunos, já que eles adoram estar envolvidos em atividades diferentes", conta a diretora, Ana Lúcia Rocha. "Assim que o ano letivo começa, já sabemos quais os temas que vamos trabalhar. Organização é tudo. Estamos muito felizes e sabemos a importância desse programa para a nossa cidade", completa Ana Lúcia.

A E.M. Paulo Freire será uma das escolas premiadas em março pela participação efetiva no Defesa Civil nas Escolas. Ao todo, 49 instituições produziram quatro ou mais atividades em cada semestre do ano passado e são consideradas escolas ouro. Outras 17 fizeram três trabalhos e são prata e 19 são bronze, já que desenvolveram duas tarefas sobre as ameaças de cada estação.

No ano passado, por exemplo, o Defesa Civil nas Escolas envolveu 212 instituições de ensino, sendo 180 da rede municipal, 30 particulares e outras duas estaduais, em 1.239 atividades. Pioneiro no país e referência no Estado na prevenção de desastres, o programa está alinhado à estratégia internacional de redução do risco de desastres das Organizações das Nações Unidas (ONU).

Outra novidade é que o município foi selecionado para sediar o encontro da ONU sobre escolas seguras e cidades resilientes no Brasil. As Nações Unidas ainda irão anunciar a data do evento, que acontecerá neste ano.

Secretarias municipais estão unidas para atrair cada vez mais investimentos para os eventos do calendário turístico da cidade. Responsáveis por movimentar mais de R$ 400 milhões na economia do município, Bauernfest e Natal Imperial, por exemplo, estiveram entre os temas de uma reunião realizada esta semana nas secretariais estaduais de Desenvolvimento Econômico e de Cultura e Economia Criativa. O objetivo é o de estreitar parcerias com o governo do estado e identificar possíveis parceiros ou empresas para as grandes festas.

No ano passado, só estes dois principais eventos somaram juntos mais de 900 mil visitantes. Os recursos que chegam junto com os turistas refletem não só diretamente no setor, mas também em toda a cidade, como nos serviços básicos: educação, saúde, obras. Nos últimos anos, Bauernfest, Natal Imperial e outros eventos, como o Bunka-Sai e Serra Serata, foram expandidos e hoje estão entre as principais ferramentas do turismo na Cidade Imperial.

Com as reuniões com o governo do estado, o objetivo foi o de identificar grandes parceiros, empresas, que possam ser incentivados através da lei de incentivos do governo do estado. É bom para os parceiros e bom também para o município. 

Além da expansão dos grandes eventos, a aposta na parceria com a iniciativa privada, a divulgação do destino Petrópolis em feiras e eventos voltados para o setor de turismo, e também o investimento para cuidar e preservar o patrimônio histórico do município e a aproximação entre poder público e o empresariado estão entre os principais motivos que têm feito a Cidade Imperial seguir uma linha de crescimento quando o assunto é turismo. A estimativa, em 2019, é de que Petrópolis tenha aumentado em 7% o número de visitantes em relação ao ano anterior. Já são 2,15 milhões de pessoas que chegam em busca do nosso patrimônio histórico cultural, das belezas naturais, da gastronomia, a rede hoteleira variada, entre diversas outras características.

O Prêmio Maestro Guerra-Peixe de Cultura já tem data e local para acontecer este ano: 11 de maio, às 19h30, no Castelo de Itaipava. Uma das principais premiações culturais do estado, que leva o nome de um importante compositor erudito brasileiro, o petropolitano César Guerra-Peixe, são 41 indicados. Artistas e produções da área que mais se destacaram no ano de 2019 serão homenageados pelos seus trabalhos realizados na Cidade Imperial.

O prêmio, que em 2020 chega à sua 11ª edição, é organizado pela prefeitura, através do Instituto Municipal de Cultura Esportes (IMCE). 

No ano passado, o número de produções aumentou em função do estímulo dado pelo Instituto através de dois editais de projetos culturais, que somaram um investimento de quase R$ 500 mil, do Fundo Municipal de Cultura, para ajudar a custear mais de 30 atrações musicais, de teatro, artes visuais, cinema, entre diversos outros segmentos. 

Após os editais lançados pela prefeitura, houve uma enxurrada de eventos, festivais, mostras, espetáculos e shows. Muitos artistas contemplados puderam mostrar suas obras e o público também foi beneficiado com livre acesso à entrada. Por outro lado, quem sofreu foi a Comissão Julgadora do Prêmio para definir apenas 41 indicados. “Durante o ano chegamos a ter 12 nomes pré-indicados em algumas categorias. Foi uma fartura. Que continue assim, como nos velhos tempos de boa safra cultural”, aponta Marco Aurêh, coordenador da premiação.

O corpo de jurados foi formado por Bete Iunes (escultora e fotógrafa), Cocco Barçante (artista plástico e produtor cultural); Gabriel Saito (ator e estilista); Inês Petri (atriz, cenógrafa e produtora cultural); Luís de Mello (ator e professor); Marcelo Fernandes (escritor e professor); Nelson Kuster (jornalista e pesquisador musical); Silvia Marques (bailarina e coreógrafa) e Thiago Alves (músico, ator e compositor).

A Categoria Notório Reconhecimento, que premia o conjunto da obra ao longo dos anos, nesta edição presta uma homenagem a atriz petropolitana Myriam Pérsia.

Confira a lista de indicados:

1.    Música Popular: Café Bordel; Metabrisa; Nego Preto; Pestana.

2.    Música Erudita: Canarinhos de Petrópolis; Orquestra de Câmara de Petrópolis (ASMB); Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí; Orquestra Filarmônica de Petrópolis.

3.    Teatro: Cia Plúmbea (O diário do último ato); Coletivo Foco de Teatro (Mesma Reza); Paulo Marcos (direção de Morte e Vida Severina); Corpo poético (Poemas Possíveis para Sorôco).

4.    Dança: Cia Movimento (Tributo a Michael Jackson); Pedrinho Alves; Thaynara Silveira & Larissa Guimarães; Tiago Cunha.

5.    Artes Visuais: Betto Pereira (As Bikes de Betto); Família Bortolotti (Seu hábito muda o mundo); Coletiva Gesto de Barro (Arte Cerâmica); Helena Morani (Você não precisa dizer mais nada).

6.    Literatura: Álvaro Assis (Eutros); Drica Madeira (Lei Maria da Penha, entre a teoria e a prática); Fátima Argon e Bruno Cerqueira (Alegrias e Tristezas); Sylvio Adalberto (Coração na boca).

7.    Comunicação: Carolina Freitas (Petrópolis sob Lentes – matéria jornalística - blog); Cordas e Música (site); Esquinas da Cidade (programa audiovisual – Agenda Petrópolis); Sou Petrópolis (blog).

8.    Audiovisual: Aline Castella (Guarany – Eu sou o menino do Cine Paradiso); Bia Galvão (Nos jardins do Museu Imperial); Grégori Bastos e Dalí (Halloween – videoclipe); Lorran Kasesky (Rolezinho da Liberdade).

9.    Produção Cultural: Graph-it (Imagênese); Lilia Olmedo; Neblina Rock; Renata Garcia.

10. Categoria Especial: Casa Stefan Sweig; Heloisa Schanoel (50 anos); Piccola Arena; Sarau Imperial.

11. Notório Reconhecimento: Myriam Pérsia.

Orientações sobre referencial curricular e BNCC

A Secretaria de Educação realizou nessa quinta-feira (05.03.2020) um encontro com os orientadores da rede municipal, que atuam em Centros de Educação Infantil e também nas escolas. Entre os temas que foram abordados no encontro estão: a formulação de relatórios e o referencial curricular que norteia as atividades na rede, além do alinhamento das atividades de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O evento ocorreu no Salão Nobre da UCP. Importante essa aproximação com os profissionais que estão atuando na rede para tirar dúvidas e mostrar as referências do trabalho que é realizado na rede. 

Vale salientar que a rede municipal de Petrópolis já utiliza as competências previstas pela BNCC em seu planejamento. Inclusive, desde 2017, encontros de formação são realizados regularmente com orientadores das unidades escolares onde são abordadas as orientações da BNCC. Durante o ano letivo as escolas e Centros de Educação Infantil já realizam atividades orientadas que trabalham competências como conhecimento, pensamento científico, crítico e criativo, repertório cultural, comunicação, cultura digital, trabalho e projeto de vida, argumentação, autoconhecimento e autocuidado, empatia e cooperação, responsabilidade e cidadania.

Sobre a BNCC: a Base Nacional Comum Curricular define os conhecimentos e habilidades essenciais que todos os alunos da Educação Básica têm o direito de aprender, da Educação Infantil até o Ensino Médio. Previsto em lei, é um documento técnico, construído a partir de outros documentos curriculares. A BNCC é obrigatória por lei. Está prevista na Constituição de 1988, na Lei de Diretrizes e Bases e no Plano Nacional de Educação. Todas as redes públicas e particulares devem construir seus currículos a partir da BNCC.

Prova acontece no dia 7 de junho nos percursos de 6 e 10 quilômetros

Estão abertas as inscrições para a 4ª edição da Love Run, corrida que vale pontos para o ranking municipal. Os interessados em participar podem se inscrever no site da empresa que organiza o evento (www.ffeventosesportivos.com.br). O valor dos kits varia de R$ 89 até R$ 99. A prova conta com o apoio da prefeitura, através da Superintendência de Esportes e Lazer e da CPTrans.

A corrida será realizada no dia 7 de junho, às 8h, nos percursos de 6 e 10 quilômetros. A largada será na BR-040, no KM 70,5 (em frente a um posto de gasolina), e a chegada no Vale do Amor. A retirada do kit acontece no dia antes do evento, em local ainda a ser definido. Os organizadores oferecem condições especiais de inscrição para grupos com mais de 10 pessoas.

Além da Love Run, outras nove corridas de rua valem pontos para o ranking municipal: Corrida do Trabalhador, Circuito de Corrida e Caminhada Energia em Movimento, Circuito Bike Trail, Desafio do Castelo, Petrópolis Night Run (10 km), Petrópolis-Itaipava, Fire Run, Corrida Master e a WTR Serra do Mar.

Além das provas que contam pontos para o ranking de corrida de rua, até o momento, outros 38 eventos esportivos estão previstos para 2020. A programação completa está disponível no site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). A corrida é uma ferramenta importante que promove o bem-estar e o lazer.

Petrópolis-Itaipava também com inscrições abertas

Outra prova que conta pontos para o ranking, a Petrópolis-Itaipava também está com as inscrições abertas. Os interessados podem se inscrever no site da empresa que organiza o evento (papaleguas.org). A corrida acontece no dia 24 de maio.

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Março 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31          

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo