Ao todo, município totaliza 62 mortes devido à infecção pelo Coronavírus

1 – Homem com 58 anos morador do bairro Quitandinha. Deu entrada no HNSA em 20/05 e faleceu em 30/05. Paciente com diabetes.

2 – Mulher com 70 anos moradora na Estrada da Saudade. Deu entrada no HNSA em 17/05 e faleceu em 29/05. Paciente com hipertensão arterial e diabetes.

3 – Mulher com 71 anos morador do bairro Retiro. Deu entrada no HNSA em 24/05 e faleceu em 29/05. Paciente com doença renal crônica e diabetes tipo 02.

4 – Homem com 63 anos morador do bairro Roseiral. Deu entrada em 24/05 no HNSA e faleceu em 31/05. Paciente com doença cardiovascular crônica.

5 – Mulher com 68 anos moradora do bairro Alto da Serra. Deu entrada no HNSA em 26/05 e faleceu em 30/05. Paciente com hipertensão arterial e diabetes.

6 – Mulher com 78 anos moradora de Itaipava. Deu entrada no HST em 19/05 e faleceu em 30/05. Paciente com hipertensão arterial e insuficiência cardíaca congestiva.

7 – Mulher com 63 anos moradora em Corrêas. Deu entrada no HNSA em 20/05 e faleceu em 30/05. Paciente com hipertensão arterial e câncer de estômago.

8 – Mulher com 60 anos moradora no bairro Alto da Serra. Deu entrada no HAC em 15/04 e faleceu em 01/06. Paciente com doença cardiovascular, diabetes e câncer de pâncreas.

 

A empresa ainda divulgou, em uma rede social, a viagem que levou turistas petropolitanos para fazer compras em três cidades do Sul e Sudeste de Minas Gerais.

Depois de receber denúncias, o Procon/Petrópolis-RJ autuou a empresa de turismo Rabelo Tour por descumprimento aos decretos municipal e estadual que proíbem as viagens interestaduais e intermunicipais como forma de conter a disseminação da Covid-19. A viagem, promovida em abril e divulgada pela própria empresa em uma rede social, levou turistas e compradores petropolitanos para às cidades de Jacutinga, Monte Sião e Ouro Fino, na região Sul e Sudeste de Minas Gerais. O objetivo era, segundo divulgação da empresa, “fazer as compras de Dia das Mães”.

Na postagem feita pela empresa a informação de que a viagem incluía: “ônibus leito turismo”, “assistência de guia”, “serviço de bordo” e “carro de apoio em Jacutinga” (cidade famosa pela venda de malhas) “para facilitar o deslocamento pelas fábricas e lojas”. A empresa ainda oferecia embarque nas cidades de Petrópolis, Teresópolis, Areal, Três Rios, Paraíba do Sul e Vassouras. Além de orientar consumidores das cidades de Barra do Piraí, Volta Redonda, Barra Mansa e Resende a fazer a consulta e reserva por meio de outra empresa de turismo.

No dia 20 de março, a Prefeitura de Petrópolis publicou o decreto 1.102 que, em seu artigo 3º, estabeleceu que “fica proibida a circulação de transporte interestadual de passageiros com origem em Estados que tenham casos suspeitos ou confirmados de coronavirus”. Decisão que visa “proteger a população que se desloca por meio de transporte coletivo”, do contágio. A mesma medida foi adotada pelo governo do Estado, também no fim do mês de março.

Segundo a coordenadoria do órgão de defesa do consumidor, denúncias de consumidores informaram a prática da empresa.

Sirenes móveis reforçam a importância do isolamento social

Trabalho também foi realizado no Meio da Serra

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias realizou a operação Alerta Coronavírus no Alto da Serra nesta terça-feira (02.06). Com o apoio de um veículo operacional equipado com as sirenes, os agentes reforçam a importância do isolamento social e pedem que a população use máscaras, de acordo com o decreto municipal. A ação fortalece o trabalho de prevenção realizado pelo município, com o objetivo de evitar a contaminação por Covid-19.

O veículo esteve nas ruas Aldo Tamancoldi, Lopes Trovão, Oswero Vilaça, Sargento Boening e Meio da Serra com as mensagens. Ontem (01), o mesmo trabalho foi realizado dentro da operação "Faça Sua Parte". Segundo a prefeitura, a Defesa Civil irá permanecer nos bairros orientando a população.

Na semana passada, os agentes passaram pelo Centro de Araras, Poço dos Peixes, Estrada do Mata Cavalo, na Rua Maria Oliveira, Vista Alegre, Fazenda Inglesa na Rua Condessa Barbosa (Comunidade do Frias, em Corrêas), Calembe e Águas Lindas (Nogueira), no Amazonas, Duarte da Silveira, João Xavier, Florido, João Ventura Torres, Fragoso, Boa Vista, Veridiano Félix e Jardim Salvador.

O trabalho com os equipamentos móveis reforça a ação realizada pelas sirenes fixas. Diariamente, os 20 conjuntos do Sistema de Alerta e Alarme de Petrópolis são usados pela prefeitura para pedir que a população evite sair de casa. As sirenes fixas tocam às 10, 16 e 20h. Os bairros são: Gentio, Buraco do Sapo, 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe.

A Vila São José recebeu os serviços de higienização e desinfecção nesta terça-feira (02.06), uma parceria entre a prefeitura e a Águas do Imperador. A ação está entre as medidas preventivas para evitar a proliferação do coronavírus em Petrópolis. Desde o início da pandemia, o serviço já percorreu mais de 600 quilômetros de ruas.

Para o trabalho de higiene, desta vez, o caminhão da Águas do Imperador utilizou oito mil litros de água e hipoclorito de sódio, um tipo de alvejante, que elimina vírus e bactérias. Ao todo, até o momento, a concessionária usou mais de um milhão e meio de litros deste produto de limpeza por toda a cidade.

“Essa já é a segunda vez que eles passam aqui, acho o serviço muito importante para a comunidade”, explica a moradora Leda Lopes.

Além das ruas atendidas pela concessionária, a Comdep também realiza o serviço de limpeza. A empresa utiliza água, sabão e cloro para a higienização nos bairros. Na madrugada desta terça-feira, o trabalho foi feito nos terminais rodoviários (Corrêas e Itaipava), em frente aos mercados Extra e Bramil e ainda em frente à UPA de Itaipava.

A prefeitura também atua na desinfecção e assepsia de prédios públicos, hospitais, unidades de saúde, pontos de apoio para pessoas com sintomas de Covid-19, Centro de Saúde e veículos da prefeitura, das secretarias de Saúde e Educação, e frota das forças de segurança.

Unidade referência no tratamento à Covid-19 na cidade terá ainda mais condições de atendimento e internação de pacientes infectados

Aumento do número de leitos que possam atender aos possíveis novos casos de coronavírus na cidade. Esse é o desafio que vem sendo encarado e realizado pela prefeitura. Na manhã desta terça-feira (02.06), o prefeito esteve no Hospital Municipal Dr.Nélson de Sá Earp (HMNSE), unidade referência no tratamento de infectados pela doença, para vistoriar novos espaços que estarão à disposição da Secretaria de Saúde do município. Ao todo, são 20 leitos clínicos, sendo dez masculinos e dez femininos. Destes, 12 podem ser adaptados imediatamente para Unidades de Terapia Intensiva em caso de extrema necessidades.

Segundo o Diretor Geral do HMNSE, Nilson Wayand, os leitos vão servir de locais intermediários para o tratamento dos pacientes. “Vale dizer que não são leitos de UTI, mas sim de unidade intermediária, ou seja, leitos de clínica médica que podem ser adequados como leitos de UTI e atender pacientes, temporariamente, até que eles sejam regulados e transferidos a outras unidades de saúde, ou até mesmo para as UTI’s do HMNSE. São leitos que compõem a retaguarda da saúde e serão utilizados em caso de necessidade”, explicou.

Até o momento, a cidade vem mantendo seus índices de contaminação e internação dentro dos parâmetros reconhecidos como razoáveis pelo Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde.

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Junho 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30          

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo