A ação de conscientização do Dia Mundial de Combate à Violência Contra Pessoa Idosa programada para sexta-feira (15.06) foi adiada. A medida foi decidida pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDDPI), por conta da previsão do tempo ruim. A nova data será definida na próxima reunião do Conselho na terça-feira (19.06).

Mais de 400 doações de sangue foram feitas ao Banco de Sangue do Santa Teresa desde que a Guarda Civil municipal deu início ao movimento de conclamação da população para doar. A ação, foi realizada como parte da programação dos 94 da instituição, comemorada no último 12 de julho, quando foi iniciada a campanha. Agora, após uma semana de doações, a guarda comemora a adesão da população, mas alerta que é importante continuar doando, independente de campanha. Segundo o Hospital Santa Teresa, o estoque sempre necessita de sangues negativos, principalmente o O.

Mais de 400 doações de sangue foram feitas ao Banco de Sangue do Santa Teresa desde que a Guarda Civil municipal deu início ao movimento de conclamação da população para doar. A ação, foi realizada como parte da programação dos 94 da instituição, comemorada no último 12 de julho, quando foi iniciada a campanha. Agora, após uma semana de doações, a guarda comemora a adesão da população, mas alerta que é importante continuar doando, independente de campanha. Segundo o Hospital Santa Teresa, o estoque sempre necessita de sangues negativos, principalmente o O.

A corporação mobilizou agentes e amigos pela quinta vez, sendo que este ano, é a segunda Campanha, a primeira foi feita em março. O Banco de Sangue do Santa Teresa realiza 650 transfusões por mês, beneficiando centenas de pessoas.

“A comemoração do aniversário não poderia ter sido melhor com esta ação. Muitos dos nossos guardas doam sangue com frequência. A Guarda Civil possui este lado social. E apesar da campanha ter chegado ao fim, as doações continuam e todos devem ajudar a salvar vidas”, pontuou o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

O agente da Guarda Civil, Wanderlei Alves Moraes, contou que não só ele é doador, mas toda sua família também participou da Campanha. “É uma satisfação imensa em poder ajudar doando sangue. Minha esposa, meu filho, nora todos são doadores também. Todas as pessoas devem participar doando. Cada um doando um pouco, sempre terá sangue suficiente para salvar vidas”, contou.

Qualquer pessoa acima de 16 anos, com mais de 50 kg e em bom estado de saúde pode doar sangue. Não é necessário estar em jejum, mas deve aguardar três horas após ingerir alimentos gordurosos. O Banco de Sangue fica no Hospital Santa Teresa, na Rua Paulino Afonso, 477 – Bingen. O horário de funcionamento é de 7h às 18h, todos os dias.

A corporação mobilizou agentes e amigos pela quinta vez, sendo que este ano, é a segunda Campanha, a primeira foi feita em março. O Banco de Sangue do Santa Teresa realiza 650 transfusões por mês, beneficiando centenas de pessoas.

“A comemoração do aniversário não poderia ter sido melhor com esta ação. Muitos dos nossos guardas doam sangue com frequência. A Guarda Civil possui este lado social. E apesar da campanha ter chegado ao fim, as doações continuam e todos devem ajudar a salvar vidas”, pontuou o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

O agente da Guarda Civil, Wanderlei Alves Moraes, contou que não só ele é doador, mas toda sua família também participou da Campanha. “É uma satisfação imensa em poder ajudar doando sangue. Minha esposa, meu filho, nora todos são doadores também. Todas as pessoas devem participar doando. Cada um doando um pouco, sempre terá sangue suficiente para salvar vidas”, contou.

Qualquer pessoa acima de 16 anos, com mais de 50 kg e em bom estado de saúde pode doar sangue. Não é necessário estar em jejum, mas deve aguardar três horas após ingerir alimentos gordurosos. O Banco de Sangue fica no Hospital Santa Teresa, na Rua Paulino Afonso, 477 – Bingen. O horário de funcionamento é de 7h às 18h, todos os dias.

As inscrições para os candidatos que queiram representar a sociedade civil para o Biênio 2018/2020 do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência (CMDDPD), podem ser feitas até o dia 29 de agosto na Casa dos Conselhos, na Rua Av. Koeler, 260 – Centro, de segunda-feira a sexta-feira de 9h às 18h. Serão oito representantes eleitos para ocuparem as novas cadeiras do conselho.

Poderão se inscrever entidades da sociedade civil e/ ou pessoa física, apresentando um requerimento por escrito para a presidência do CMDDPD em papel timbrado com endereço da instituição e assinado pelo representante legal da mesma, nome do candidato à vaga de titular e suplente com cópia do documento de identidade e CPF. Todos esses documentos deverão ser entregues na Casa dos Conselhos, onde serão analisados e validados.

“Esse tempo à frente do CMDDPD foi um período de grande experiência. Tivemos nossos altos e baixos, mas foi bem produtivo onde tivemos nossos projetos sendo colocados em prática”, pontuou o atual presidente do CMDDPD, Luiz Felipe Cruz.

O CMDDPD discute questões como inclusão social, viabilidade, acessibilidade e a defesa do direito de pessoa com deficiência, entre outras ações que são apresentadas durante as reuniões que acontecem mensalmente, também para a sociedade civil.

A assembleia para a eleição dos novos membros acontece no dia 31 de agosto, na Casa dos Conselhos de 9h às 11h30.

O jovem petropolitano terá presença garantida nas intervenções culturais no Circuito Petrópolis Ecosol. A iniciativa acontece graças a uma parceria firmada pela Coordenadoria de Juventude e a próxima ação já tem data marcada: dias 4 e 5 de agosto, de 10 às 18h, na Praça de Nogueira. Jovens envolvidos com projetos culturais relacionados a música, teatro, dança, artes visuais, e desejarem participar do evento, devem procurar a Coordenadoria de Juventude.

A parceria aconteceu na Audiência Pública de Economia Solidária, onde o coordenador de juventude, Wesley Barreto, se colocou à disposição da representante do Circuito Petrópolis Ecosol e do Fórum de Economia Popular Solidária de Petrópolis (Fesp), representado por Bruna Pitanguy. O intuito desta parceria será estreitar a participação dos jovens na vida política do município, focando principalmente na geração de trabalho e renda de forma associativista, cooperativista e de auto-gestão. Além de atrair a atuação da juventude em mais um movimento presente na cidade.

Sobre a parceria com a coordenadoria de juventude, relata Bruna Pitanguy: “O Circuito Petrópolis Ecosol acontece em diversos locais da cidade, durante todo ano. A participação dos jovens será importante, para que eles comecem a ocupar mais espaços na cidade, e a trocar saberes sobre a economia solidária. Em um primeiro momento a parceria será focada no Circuito edição Nogueira, que terá sua próxima edição realizada nos dias 04 e 05 de agosto, de 10 às 18h na Praça de Nogueira. E em momentos posteriores, em outros locais onde acontece o Circuito, como por exemplo, na Praça Visconde de Mauá também conhecida como Praça da Águia, que recebe o Circuito aos Domingos e Feriados", destaca.

O Circuito Petrópolis Ecosol é uma parceria com o município de Petrópolis e o Conselho Municipal de Economia Popular Solidária de Petrópolis. É organizado nas bases populares e pelo Fórum de Economia Popular Solidária de Petrópolis (Fesp), que nasce do direcionamento da Lei 7.507, aprovada pelo Prefeito Bernardo Rossi em 2017. O circuito absorve produtores, do setor de alimentação, moda, floricultura, artesãos e artistas. Enquadra-se no perfil de economia solidária empresas de autogestão, cooperativas, associações, pequenos produtores rurais e urbanos, grupos de produção, bancos comunitários, além de organizações locais, estaduais e nacionais.

“Participar da Audiência Pública de Economia Solidária, foi fundamental para conhecer outras demandas do município que a juventude pode ajudar a suprir. A inserção dos jovens em eventos da economia solidária, promoverá mais um espaço de trabalho, renda e inclusão social. Inicialmente a Coordenadoria propiciará intervenções culturais para o Circuito Petrópolis Ecosol. Esta parceria com a Fesp ajudará ainda mais a dar vez e voz a juventude petropolitana”, conclui Wesley Barreto, Coordenador de políticas públicas para a Juventude.

Para a participação no Circuito Petrópolis Ecosol, basta entrar em contato com a Coordenadoria de Juventude por meio do Facebook (www.facebook.com/CJPetropolis/), Whattsapp (98845-2056), e-mail ( O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )  e pela sede da Coordenadoria de Juventude situada na Prefeitura, no endereço Avenida Koeler 260, Centro.

Nos dias 21 e 28 de julho a equipe do Programa Municipal de Pacificação Restaurativa, o “Petrópolis da Paz” realiza o curso de introdução à mediação de conflito para funcionários da Dívida Ativa, Procon e Conselho Tutelar. O encontro tem a expectativa de receber mais de 40 pessoas, e acontece a partir das 8h30 até 18h na Casa dos Conselhos, na Avenida Koeler, 260 – Centro.

O curso tem a finalidade de passar as habilidades da mediação para esses órgãos que lidam todos os dias com vários tipos de conflitos. Serão quatro voluntários do Petrópolis da Paz, que irão ministrar as aulas: coordenadora do programa Elsie -Elen Carvalho, o coach que irá abrir e encerrar o encontro, Paulo Siqueira, o professor Julio de Freitas e a mediadora judicial Cláudia Clemente.

“O grupo irá aprender todas as habilidades de introdução à mediação de conflito para aprimorar o trabalho e fechar acordos com mais clarezas, com o objetivo de promover a paz”, pontuou a coordenadora Elsie-Elen.

Segundo Elsie-Elen, a mediação trabalha primeiro com a autoanalise, como está o indivíduo e como ele se sente. A partir desta ação, as técnicas da mediação começam a ser passadas. O grupo irá participar da parte teórica com ferramentas de como se conduzir uma mediação até o exercício prático de simulação de casos de conflitos para serem resolvidos.

“Queremos que as pessoas saiam com a sensibilidade de visualizar o que de fato aconteceu no conflito. Precisamos valorizar a convivência pacífica. A finalidade da mediação é que as pessoas possam viver em paz”, relatou a coordenadora.

O curso dará um certificado de introdução à mediação de conflito que poderá ser retirado online. Mais informações no programa no site http://www.petropolis.rj.gov.br/petropolisdapaz/

Criado em 2017, o Programa Municipal de Pacificação Restaurativa Petrópolis da Paz busca soluções para conflitos através da mediação. O programa, que possui três projetos, Mediação Escolar, Comunitária e Justiça Restaurativa, já atua em três escolas da rede municipal de Educação. As ações práticas e os objetivos foram apresentados nessa terça-feira (14.08) para os integrantes do Comed – Conselho Municipal de Educação.

O programa, ligado diretamente à Secretaria de Assistência Social, tem parceria com a Secretaria de Saúde, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.Três escolas da rede municipal participam das ações de mediação escolar: Escola Municipal Liceu Carlos Chagas, Escola Municipal Amélia Antunes Rabello e Escola Municipal Governador Marcelo Alencar, além da mediação de Justiça restaurativa nas Escolas Municipais Germano Valente, Hercília Henriques Moreti, Papa João Paulo II e Professor Nilton Costa.

Junto aos alunos da rede municipal, o Programa utiliza técnicas de mediação escolar, que tem como objetivo a prevenção contra o bullying, conflitos familiares e de gerações, problemas entre alunos e professores e respeito às crenças, atuando sempre em conjunto com a família, comunidade, professores e funcionários da unidade escolar. Solucionando assim, rivalidades e prevenindo as dificuldades no dia a dia escolar, estimulando a promoção da autonomia, inclusão e paz social.

“Temos que dar atenção, escutar as outras pessoas e estarmos sempre preparados para conciliar. Nosso objetivo é criar núcleos de paz e a escola é um dos pontos mais importantes desse trabalho”, explicou Elsie Elen Carvalho, coordenadora do Programa Municipal de Pacificação Restaurativa Petrópolis da Paz.

O projeto começou no dia 17 de agosto de 2017, por meio da Lei n° 7.532. A base do trabalho começa nas unidades de ensino, onde a equipe assiste e capacita os alunos e professores, de forma social e emocional. Os conflitos existentes são mediados e orientados pelos voluntários do programa.

Monitoramento do Plano Municipal de Educação

Durante a reunião, Cintia da Luz, técnica do Ministério da Educação, falou sobre o trabalho de acompanhamento e avaliação do Plano Municipal de Educação e ressaltou a importância do envolvimento do Conselho Municipal de Educação em todo o processo.

“A intenção é a de esclarecer como o acompanhamento ocorre. Há um todo um trabalho de formação e acompanhamento para monitoramento e avaliação do andamento das metas. Petrópolis fez, em 2017, as adequações necessárias no plano, criado em 2015 e segue participando das formações. A cidade tem um potencial muito grande para fazer valer as políticas públicas estabelecidas e a Secretaria de Educação cumpre com os prazos e atende todas as solicitações do MEC. O plano envolve diretamente toda a educação da cidade e o MEC está sempre acompanhando todos os processos educacionais”.

Com objetivo de esclarecer e conscientizar as crianças sobre o preconceito e o racismo no Brasil, a Casa da Educação Visconde Barão de Mauá promoveu durante quase todo o primeiro semestre atividades sobre a exclusão social do negro além da herança histórica e cultural, principalmente na cidade.

Todas as turmas da Casa trabalharam com tarefas promovidas pelos professores que estimulassem a reflexão sobre o tema. No caso das aulas de ballet, as alunas tiveram contato com a parte histórica das músicas populares, como o samba até o significado de brincadeiras como “escravos de jó”.

“As crianças foram bem expressivas e algumas até contaram que já sofreram algum tipo de preconceito. Queremos trabalhar não só a questão racial, mas a questão das diferenças, que elas existem e precisam ser respeitas”, contou a professora de ballet e história, Lorena Cristina Conceição Borges Silva.

Foram mais de 208 alunas de ballet entre 4 e 16 anos que participaram das ações na unidade. Segundo a professora, foram trabalhadas o tema abolição da escravatura, o resgate das brincadeiras dos escravos, e também inserção de músicas e instrumentos. Foram apresentados filmes e livros que foram discutidos e refletidos durante as aulas. O professor do curso de Capoeira também ministrou uma palestra contando a história da prática para os alunos.

“Vamos trabalhar a discriminação e igualdade racial durante todo o na Casa da Educação, pois infelizmente ainda existe muito preconceito. Essa ação foi muito importante para os nossos alunos e conseguimos trabalhar com todos os espaços desde o cineclube até as aulas de ballet”, disse a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.

No local são discutidas políticas públicas com participação da sociedade civil e poder público

“Para mim a Casa dos Conselhos significa democratização! Eu que participo e represento a sociedade civil acredito que os Conselhos estão ai para fomentar o coletivismo e contato direto entre a população e o poder público”, assim definiu a advogada e empreendedora sócio-cultural, Adriana Sêmola, que participa do Conselho Municipal de Cultura e do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDDPD). A Casa dos Conselhos atua junto à sociedade civil (faculdades, instituições, associações de moradores entre outros) e poder público, com discussões em prol do bem da comunidade.

Hoje, a Casa abriga 27 conselhos e comissões em diversas áreas, com metade dos membros participantes da sociedade civil e outra metade do poder público, e todos os Conselhos são deliberativos. Este ano, até a primeira quinzena de junho, já aconteceram 145 reuniões, além da disposição do espaço para ações que envolvam a comunidade.

O projeto da Adriana – Arte na Madeira – atende mais de 300 pessoas, entre crianças e idosos, no bairro Alto da Serra. O espaço oferece aulas gratuitas de artesanato com reaproveitamento de madeira, moda comportamental, capoeira, cultura urbana, dança cigana, do ventre e aulas de passinho. “Nosso ambiente possui o design universal, ou seja, temos acessibilidade para todos. Este é o nosso principal objetivo ser uma plataforma de inclusão social compartilhada”, contou Adriana. A empreendedora, que está engajada nas ações sociais do bairro,participa ativamente das reuniões dos dois Conselhos que integra, e fala da importância desses encontros para a sociedade. “A população precisa participar mais das políticas públicas. É importante que eles saibam que existe esse espaço disponível, onde as ideias são discutidas de forma democrática”, disse ela.

“Costumo dizer que a Casa dos Conselhos é a espinha dorsal de toda política pública do governo. Aqui é onde as articulações começam, onde tudo é debatido. O local é o lugar para quem quer pensar Petrópolis no futuro”, assim relatou o presidente da Casa dos Conselhos, Luiz Eduardo Peixoto, sobre a importância do órgão para o município. Segundo o presidente, no mês de julho, começa a primeira ação “ Casa do Conselho Itinerante”, com o objetivo de que a população possa ter mais conhecimento sobre as questões da política pública e que possam participar de forma mais ativa. A previsão é que o evento seja realizado no Centro da cidade

 

O objetivo do Conselho é combater a intolerância étnica, religiosa e de gênero

O Conselho Municipal de Promoção de Igualdade Racial de Petrópolis (COMPIR) aprovou em ata a nota de repúdio aos atos racista que aconteceram nos Jogos Jurídicos Estaduais, realizados em Petrópolis, no início do mês. O Conselho manifestou publicamente sua indignação com a atividade que classificou “abusiva, ilegítima, vergonhosa e descabida” e que merece das autoridades competentes a apuração e punição dos agressores. A reunião Ordinária aconteceu nesta quarta-feira (13.06) na Casa dos Conselhos.

O objetivo do COMPIR é combater a intolerância étnica, religiosa e de gênero, realizando a integração e reconhecimento da população com promoção da igualdade racial.

Na ocasião também esteve presente o chefe de Representação Regional dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo do Ministério da Cultura, Mateus Quintal, tirando as dúvidas conselheiros do COMPIR e de todos os presentes em relação à forma legal de elaboração, encaminhamento, execução de Projetos Sociais, através do Ministério da Cultura.

“A presença do Mateus foi importante para que todo o processo de captação de recursos da Lei Rouanet, fosse esclarecida entre nossos conselheiros, além de toda questão jurídica de um Projeto Social”, declarou a presidente do COMPIR, Edna Queiroga.

As reuniões do Conselho acontecem toda segunda quarta-feira do mês às 16h na Casas dos Conselhos, na Av. Koeler, 260 – Centro e são abertas para a sociedade civil.

O encontro é aberto à sociedade civil organizada

Com o objetivo de combater a intolerância étnica, religiosa e de gênero, realizando a integração e reconhecimento da população com promoção da igualdade racial, o Conselho Municipal de Promoção de Igualdade Racial de Petrópolis (COMPIR), promove uma reunião nesta quarta-feira (13.06) às 16h, na Casa dos Conselhos e Comissões, situada à Avenida Koeler, nº 260, Centro.

Na ocasião serão explanados temas como a ‘Captação de Recursos – Lei Rouanet”, com o chefe de Representação Regional dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo do Ministério da Cultura, Mateus Quintal, para a capacitação dos conselheiros do COMPIR e de todos os presentes em relação à forma legal de elaboração, encaminhamento, execução de Projetos Sociais, através do Ministério da Cultura.

Também serão discutidos, os atos racistas que aconteceram durante os Jogos Jurídicos Estaduais no início do mês. Condenando o episódio, os órgãos pediram punição dos autores e se solidarizaram com o estudante da Universidade Católica de Petrópolis (UCP) atingido por uma casca de banana durante uma partida com os alunos da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro. A vítima registrou a ocorrência nesta segunda-feira (04.05) na 105ª Delegacia de Polícia, onde o caso está sendo investigado.

“A reunião é de suma importância para um posicionamento e encaminhamento do COMPIR aos órgãos competentes, perante aos acontecimentos recentes em nosso município de discriminação étnica; que ferem as Leis, os princípios morais e éticos, a cidadania, a integridade e dignidade do ser humano”, disse a presidente do COMPIR, Edna Queiroga.

As reuniões do Conselho acontecem toda segunda quarta-feira do mês às 16h na Casas dos Conselhos, na Av. Koeler, 260 – Centro e são abertas para a sociedade civil.

Pagina 1 de 4

Notícias por data

« Agosto 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31    

Alvará Online - BANNER

DO

loa 2018

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

cpge

gabinete cidadania.fw

selo acesso informacao.fw

cmv-logo