Abrindo a programação de palestras do II Encontro de Mediadores do Estado do Rio de Janeiro, o evento recebe a doutoranda em Direito na Universidade Federal Fluminense, Maria Victória Borja, para apresentar questões sobre a Mediação Escolar. A palestra acontece no dia 24 de setembro, às 9h40, na Universidade Estácio de Sá. O evento é uma realização do programa Petrópolis da Paz em parceria com o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ).

Maria Victória contará sua experiência com a publicação do livro com seu estudo de caso do mestrado, realizado durante uma atividade do Observatório da Pacificação Social, Programa de Pesquisa e Extensão da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Estado da Bahia. “Mediação Escolar e a Redução da Violência: Um Estudo de Caso” relata a implantação do programa Mediação Escolar em Pauta, em unidades de ensino públicas, onde o estudo consiste em verificar as práticas comunicativas de resolução de conflitos no ambiente escolar, enquanto estratégia de prevenção e redução da violência.

“Na dissertação de mestrado conto a experiência do projeto e proponho uma metodologia modelo para replicação em outras instituições de ensino, evidenciando como a violência foi reduzida nas escolas trabalhadas, com respaldo científico e aferimento quantitativo dos resultados”, contou a doutoranda.

A Coordenadora do programa Petrópolis da Paz, Elsie-Ellen, ressaltou que o Encontro de Mediadores oferece palestras do dia 22 ao dia 30 de setembro e a programação completa está disponível no http://www.pmp.intranet/petropolisdapaz/. “Precisamos construir uma sociedade que seja capaz de resolver seus conflitos de forma eficiente. O evento disponibiliza excelentes palestras para que as pessoas conheçam um pouco mais sobre a resolução de conflitos e a cultura da paz”, disse a coordenadora.

“Agradeço a oportunidade de participar e poder contribuir e plantar sementes possíveis de colheita. Porque o espaço oferecido pela Prefeitura para a discussão da temática já demonstra a atenção e o cuidado que se dispensa aos cidadãos de Petrópolis, convidando todos a pensarem e construírem juntos metodologias para Pacificação Social”, finalizou a palestrante Maria Victória.

O programa Petrópolis da Paz tem parceria com a Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Saúde e Gabinete da Cidadania, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.

Com o objetivo de divulgar e informar a população sobre o projeto de mediação de conflitos, baseado na Lei Federal nº 13.140, e após uma iniciativa da prefeitura, em 2017, por meio da Lei Municipal n° 7.532, o programa Petrópolis da Paz está oferecendo o curso online de Introdução à Mediação – primeiro do estado do Rio de Janeiro, com duração de 24 horas. Estão disponíveis 500 inscrições gratuitas que começam a partir do dia 24 de setembro, durante a comemoração da Semana da Mediação. O cadastro pode ser feito através do site do programa Petrópolis da Paz (http://www.pmp.intranet/petropolisdapaz/).

O conteúdo do curso é dividido em oito módulos, nos quais os usuários terão acesso aos meios e técnicas de resolução dos conflitos, mudanças na busca da inclusão e paz social. As aulas podem ser assistidas de forma livre, ou seja, o sistema online possibilita ao aluno que ele organize o melhor tempo para acompanhar as aulas. Ao final de cada módulo, o aluno fará um questionário como avaliação para concluir o curso com sucesso. Todos receberão um certificado de participação, que ficará disponível no próprio site.  A plataforma foi desenvolvida gratuitamente pela Pauta Online em parceria com o programa Petrópolis da Paz.

“Queremos que as pessoas conheçam o trabalho da mediação e que possam ter ciência que existem várias outras formas de resolver nossos conflitos sem precisar recorrer ao judiciário”, explicou a Coordenadora do programa, Elsie-Ellen Carvalho.

O grande sucesso do programa é o trabalho na Câmara Pública, situada na Av. Koeler, 206, Centro. O local, é um braço do projeto, que atende as pessoas que são encaminhadas pelos parceiros, como Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), comunidade e pessoas que procuram o serviço de forma espontânea. A Câmara recebe casos para serem mediados, como brigas domésticas, família, vizinho, entre outros. A ação consiste em ouvir os dois lados e buscar de forma pacificadora uma solução satisfatória para ambos. As mediações podem durar mais de três meses para serem concluídas.

O programa tem parceria com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social e Gabinete da Cidadania, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.

A ação de conscientização do Dia Mundial de Combate à Violência Contra Pessoa Idosa programada para sexta-feira (15.06) foi adiada. A medida foi decidida pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDDPI), por conta da previsão do tempo ruim. A nova data será definida na próxima reunião do Conselho na terça-feira (19.06).

No mês de agosto, os atendimentos realizados pelo Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), de vítimas que retornaram, aumentou em 69% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2017, foram 23 orientações assistidas, já em 2018, 39 atendimentos. Isso demonstra a importância da assistência que o CRAM oferece para essas mulheres. Ainda no mês de agosto foram 28 novos atendimentos, finalizando o mês com 67 acompanhamentos.

O Cram realiza orientação jurídica, acompanhamento social e psicológico e trabalha em parceria com as delegacias de Petrópolis para atender à mulher em situação de violência – seja ela moral, verbal, patrimonial, física ou sexual.

“Nossa prioridade são as mulheres. Alguns casos não entram na Lei Maria da Penha, mas a gente abraça a causa com muito carinho. Acredito que esse aumento de retorno foi pelo acolhimento desses casos que sempre encaminhamos para os locais devidos”, destacou coordenadora do CRAM, Cléo de Marco.

Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), o Dossiê Mulher de 2018 - dados de crimes relacionados à violência contra a mulher em Petrópolis, mostram que 37,3% das mulheres sofreram violência psicológica, 35,5% violência doméstica, 17,1% violência moral, 5,9% violência sexual e 4,1% violência patrimonial.

Ainda de acordo com ISP, boa parte dos crimes contra as mulheres são cometidos por pessoas com algum grau de intimidade ou proximidade com a vítima. Entre 2013 e 2017, ao todo, foram 225.869 pedidos de medida protetiva realizadas no estado do Rio de Janeiro, pela Polícia Civil para preservar a integridade física da vítima e de seus familiares, o que representa uma média diária de 123 solicitações nos últimos cinco anos.

“Acredito que não tenha aumentado a violência doméstica. O que aumentou foi o empoderamento das mulheres, que não aceitam mais relações desrespeitosas. O bom trabalho que o CRAM vem desenvolvendo, aliado a uma maior divulgação da existência desse serviço tão importante, começam a demonstrar estatisticamente que estamos no caminho certo”, declara Ana Maria Rattes, presidente do Comdim e coordenadora do Gabinete da Cidadania no qual o CRAM é subordinado.

Para denunciar ou solicitar informações, pode ligar para o telefone 2243-6152 ou comparecer à sede do CRAM, na Rua Santos Dumont, número 100, no Centro. O funcionamento é de segunda a sexta, de 8h às 17h. Em casos de emergência, a mulher pode ligar em qualquer horário para o número (24) 98839-7387, disponibilizado pelo órgão. Caso se sinta violentada de alguma forma, a mulher pode contatar a Polícia Militar pelos números 2291-5071, 2242-8005 ou 180, além de poder contatar via WhatsApp a emergência da Polícia Militar, pelo número (24) 99222-1489.

Dentro da programação da Semana da Mediação realizada pelo Petrópolis da Paz, a palestra com o tema “Empresa familiar” foi ministrada nesta quarta-feira (26.09) pelo especialista em gestão e mediação empresarial, Tomaz Solberg, no auditório da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (Fase).

Durante a palestra, Tomaz Solberg, abordou sobre o profissional da mediação, que auxilia de modo confidencial as questões da empresa, de forma saudável e harmoniosa. O trabalho consiste em viabilizar as conversas mais difíceis, buscando sempre a solução dos conflitos com imparcialidade, visando o bem da empresa. O mediador tem técnicas para ambos os lados saiam da discussão de culpa e passado para a solução do conflito. O objetivo é fazer com que as partes reflitam sobre suas premissas, expectativas e alternativas.

“Perdemos a capacidade de ouvir. Hoje nossa comunicação é mais rápida, porém superficial. Segundo uma pesquisa americana, tomamos 200 decisões por dia, e por vezes de forma emocional. Imagina em uma empresa familiar? O conflito familiar no negócio, afeta apenas a rentabilidade da empresa. A mediação tem o objetivo de gerar entendimento e alternativas que sejam positivas para ambos os lados”, disse o palestrante.

A advogada Flavia Carvalho, contou que está buscando mais informações sobre a área da mediação e por isso participou da palestra. “Quero iniciar na mediação e me aprofundar mais nesta área. Petrópolis tem várias empresas familiares, é um mercado. A palestra auxiliou na busca para saber encontrar saídas que não sejam jurídicas”, falou a advogada.

Quem for participar das palestras oferecidas pela Semana da Mediação, pode receber um “Certificado de Participação” que está sendo oferecido pelo Petrópolis da Paz. Basta fazer o cadastro através do  e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e no dia da palestra assinar a lista de presença. O certificado chegará por e-mail.

A Semana da Mediação será encerrada no dia 30 de setembro com uma Caminhada pela Paz, às 9h, na Avenida Barão do Rio Branco. O programa tem parceria com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social e Gabinete da Cidadania, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.

A Caminhada pela Paz contou também com a Escola de Samba Guerreiros da Vinte

A Semana da Mediação foi encerrada neste domingo (30.09) com um grande evento no Palácio de Cristal. Mais de 300 pessoas participaram da Caminhada pela Paz, que aconteceu nos arredores no Palácio, além da participação do Grupo Abadá de Capoeira e da Escola de Samba Guerreiros da Vinte. Em homenagem à Princesa Isabel, também foram plantadas no jardim do Palácio de Cristal, quatro camélias, que é o símbolo do Programa Petrópolis da Paz.

“É uma emoção muito grande poder estar aqui no Palácio de Cristal celebrando a Semana da Mediação, que foi um sucesso. Plantamos hoje quatro pés de camélia, que o símbolo do nosso projeto, no local onde a Princesa Isabel tinha suas flores também. Estou muito feliz com o resultado” contou a coordenadora do Programa Petrópolis da Paz Elsie-Elen Carvalho, que plantou as camélias junto com o colaborador da Comdep, Carlos Antonio da Cruz.

Após a caminhada, mais de 20 crianças e adolescentes participaram da apresentação de capoeira, do grupo do mestre Kako, que realiza trabalhos voluntários em comunidades do município. “Estamos muito felizes em estar aqui hoje, nosso grupo existe em mais de 80 países sem fins lucrativos. Demos uma palhinha aqui do que é o nosso trabalho”, falou o mestre Kako.

“Estamos vivendo um momento no país de muita vulnerabilidade. Precisamos celebrar e viver a paz. A vertente de mediação aborda muitas questões bacanas que temos que levar para vida”, ressaltou a diretora escolar Ana Maria Esteves Noel Theobald.

A Escola de Samba Guerreiros da Vinte foi a última a se apresentar com direito a participação especial das passistas, porta-bandeira e da bateria da escola. “É importante para os participantes da escola participarem deste evento. Amplia o nosso conhecimento e assim somos vistos no município”, disse o presidente fundador da escola Juari Xavier da Silva. E ao som de muito samba, o evento foi finalizado com a coordenadora do projeto Elsie-Elen plantando as camélias no jardim.

A Semana da Mediação, a primeira no município, contou com mais de dez palestras, com nomes renomados da área, acontecendo em instituições de ensino da cidade. Mais de mil pessoas passaram pelos auditórios que discutiram mediação escolar, empresarial, familiar, jurídica e comunitária.

Encontro Viva a Paz

No sábado (29.09) o coordenador de mediação Osmar Vargas, contou em uma roda de conversa o trabalho da ONG Viva Rio nas comunidades. O encontro aconteceu na Casa da Educação Visconde de Mauá. Segundo Osmar, hoje o Viva Rio conta com mais de 10 mil pessoas e atua com mais de 500 projetos em comunidades como Rocinha, Complexo da Maré, Alemão, Santa Martha entre outros.

“É importante que cada vez mais existam cursos de mediadores. Precisamos ter mediadores no território a ser trabalhado, pois o negociador precisa ter imparcialidade e credibilidade no local. A implantação da cultura de paz com a mediação é muito importante para a qualidade de vida da comunidade”, contou Osmar Vargas.

Os conceitos de família estão se modificando com o passar dos anos. O comportamento e ideais das pessoas também sofreram modificações, fazendo com que a definição de “família” fosse transformada. No início do século passado as relações e famílias eram delineadas por regras e interesses. Hoje a busca é de parceria, e o amor é o desejo. Todas essas e outras questões serão discutidas na palestra “Evolução da Família”, que será ministrada pela psicóloga e mediadora Glória Mosquéra, no próximo dia 28 de setembro, às 19h, na Unopar, campus Petrópolis, Rua Montecaseros, 222, Centro.

O encontro que faz parte da Semana da Mediação, realizado pelo Petrópolis da Paz, aborda o tema valores dentro de uma família e como a mediação pode ser utilizada de forma positiva para a boa convivência e bem-estar de todos os integrantes, mesmo com todas as diferenças.

“O diálogo e a negociação sempre serão as melhores soluções para lidar com as situações de conflito. A família segue sendo a unidade básica do desenvolvimento emocional do indivíduo. É na observação da qualidade das relações das pessoas significativas à nossa volta que aprendemos, desde muito bebês, como se dá o viver”, disse a palestrante Glória Mosquéra.

A Mediação de Conflitos Familiares tem o objetivo de fazer com que os integrantes compreendam a importância das funções e qualidade da comunicação de cada membro, principalmente diante de uma situação de separação conjugal, por exemplo. A mediação traz para a pauta do ex-casal a viabilidade de se gerar relações colaborativas preservando o canal de comunicação necessário entre os pais, protegendo o desenvolvimento emocional de todos.

“Este evento é fundamental para divulgação e conscientização desse instrumento na cidade, a medida em que a mediação viabiliza o diálogo e o desenvolvimento da capacidade de comunicação franca e produtiva entre as pessoas com pensamentos e experiências divergentes”, encerrou Glória Mosquéra.

A Semana da Mediação será encerrada no dia 30 de setembro com uma Caminhada pela Paz, às 9h, na Avenida Barão do Rio Branco. O programa tem parceria com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social e Gabinete da Cidadania, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.

O encontro faz parte da Semana da Mediação realizada pelo programa Petrópolis da Paz

“Vamos abordar como a mediação agrega valor ao mundo empresarial, com um objetivo maior de sobrevivência em um mercado competitivo”, pontuou uma das fundadoras da Comissão de Mediação da OAB-RJ, Gabriela Assmar, que irá ministrar uma palestra no próximo dia 26, às 19h, na Faculdade Arthur Sá Earp Neto (Fase), com o tema Mediação Empresarial. O evento faz parte da Semana da Mediação realizada pelo programa Petrópolis da Paz.

Durante o encontro, as pessoas poderão entender o que é a Mediação Empresarial, sua importância e como é exercida nos dias de hoje. Segundo Gabriela Assmar, as diferenças interpessoais de um modo geral, ocasionam conflitos que, por vezes, parecem impossíveis de serem superados. Porém, é preciso que haja uma pacificação das pessoas, já que o trabalho é o local onde o indivíduo geralmente passa a maior parte do dia. Esse tipo de situação faz com que o colaborador da empresa acabe deixando de fazer o seu melhor e trabalhando em um nível sub ideal em relação ao seu potencial, interferindo diretamente nos resultados do empreendimento.

“Cuidar das relações não é uma questão supérflua, não é um luxo, é uma necessidade de sobrevivência. O que a mediação faz, vai além dos outros métodos de resolução de conflitos, seja judiciário, seja arbitragem. É buscar preservar as relações, cuidar da dimensão relacional sem perder de vista o que precisa ser resolvido”, explicou a palestrante.

Gabriela Assmar, ainda ressalva que os empresários e gestores precisam ter noção de quanto as relações fazem a empresa existir, e como são fundamentais para o negócio continuar no mercado em um ambiente cada vez mais competitivo.

“Com essa palestra, queremos atingir além do universo dos mediadores. Queremos expor as ferramentas que podem ser uteis em muitas frentes de trabalho, como tarefas de gestão e interação de modo geral e para todos que trabalham em organizações”, disse a mediadora.

Quem for participar das palestras oferecidas pela Semana da Mediação, pode receber um “Certificado de Participação” que está sendo oferecido pelo Petrópolis da Paz. Basta fazer o cadastro através do  e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e no dia da palestra assinar a lista de presença. O certificado chegará por e-mail.

A Semana da Mediação será encerrada no dia 30 de setembro com uma Caminhada pela Paz, às 9h, na Avenida Barão do Rio Branco. O programa tem parceria com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social e Gabinete da Cidadania, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.

Ação social conseguiu reunir quase 2 toneladas de alimentos não perecíveis, que serão doados para instituições carentes do município

Por causa do mal tempo, a organização quer realizar um novo evento em Petrópolis

Mesmo com a chuva e com o frio, mais de 200 pessoas participaram da corrida infantil da ação social Federal Kids, domingo (26.08) no Quitandinha. O evento alcançou quase 2 toneladas de alimentos não perecíveis, que serão doados para instituições carentes do município. A ação tem como objetivo alertar e despertar a população sobre o crime de abuso sexual contra crianças e adolescentes, com ações de conscientização que fortalecem a união entre pais e filhos. A Federal Kids é uma iniciativa da Polícia Federal (PF) em parceria com o Sesc e conta com o apoio da prefeitura, por meio da Superintendência de Esportes e Lazer, Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, Assistência Social, Guarda Civil e CPTrans, além do Corpo de Bombeiros e do Exército.

Por causa das condições climáticas, os organizadores criaram um bloco único para a prova, em que as crianças de todas as idades e os adultos correram juntas em um percurso de pouco mais de 500 metros. Nem mesmo a chuva ou o frio foram capazes de desanimar quem esteve presente na Federal Kids. A estudante de educação física Anna Paula Fragoso mora no Carangola e fez questão de levar sua filha, Maria Clara de Souza Fragoso, de 10 anos, para a prova.

“Foi uma corrida muito bacana, pois tinha um foco social muito importante: A luta contra a pedofilia, que é um caos social que enfrentamos nos dias de hoje. Muitas vezes esses casos acontecem mais próximos de nós do que imaginamos. Fiz questão de vir, mesmo com todo esse frio e essa chuva, por causa da causa do evento”, disse Anna Paula, reforçando a importância da conscientização para evitar os casos.

Também como parte da Federal Kids, foi realizado no sábado o seminário de prevenção e identificação do abuso sexual contra crianças e adolescentes, que contou com a presença de 42 profissionais de ensino do município. A palestra foi realizada pelo delegado da PF, Clayton da Silva Bezerra, que ressaltou a importância dos professores na prevenção dos casos de pedofilia. Segundo ele, em 85% dos casos a vítima conhece o autor do crime, mas tem vergonha ou medo de denunciar.

"Os educadores são grandes aliados para a prevenção e identificação de um abuso e agressão contra a criança. Por conta disso, o seminário teve como público alvo esse importante grupo da nossa sociedade, que pode nos ajudar a descobrir diversos casos de abuso. Precisamos acabar com os mitos que existem em torno desse assunto", afirmou o delegado.

Diversas secretarias do governo municipal estiveram envolvidas na ação social, que cumpriu sua função de prevenção e combate à pedofilia. A ideia é tratar o assunto de forma antecipada, prevenindo os casos na cidade. A Superintendência de Esportes e Lazer ressaltou a importância da prática esportiva na formação dos jovens.

Além disso, a corrida também promoveu a aproximação dos pais e das crianças. Esse é um assunto importante e que deve ser conversado dentro da família. A pasta já está conversando para que a prova retorne ao município ainda este ano.

A Federal Kids também já foi realizada em Campo Grande, Volta Redonda, Búzios, Campos e o Museu Aeroespacial (Campos dos Afonsos, no Rio). Em Petrópolis, a ideia é que o evento reúna mais de mil pessoas, entre jovens e adultos. Em setembro, a ação social acontece em Macaé. No ano que vem, a ideia dos organizadores é levar o trabalho para o restante do país.

“O mais importante é que todos tirem uma grande lição deste dia. Vamos levar essa ideia para todo o país. Estamos lutando para criar a cultura de prevenção aos casos no Brasil”, completou o delegado Clayton.

A Semana da Mediação traz no próximo dia 27 de setembro, às 9h, na Universidade Estácio de Sá, a palestra “Atuação Complementar e Colaborativa entre Advogados e Mediadores”, que será ministrada pela advogada e mediadora Samantha Pelajo. As pessoas que participarem das palestras poderão receber um “Certificado de Participação” que está sendo oferecido pelo Petrópolis da Paz. Basta fazer o cadastro através do  e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e no dia da palestra assinar a lista de presença. O certificado chegará por e-mail.

A palestra irá abordar a relação e função entre mediadores e advogados durante uma causa. Segundo Samantha Pelajo, os dois profissionais precisam atuar em colaboração e complementaridade para que as possibilidades de êxito da mediação sejam potencializadas. “Mediação é um método consensual de resolução de conflitos que tem por objetivo o resgate da fluidez da comunicação e por consequência o resgate da capacidade de entendimento entre os mediados, proporcionando a preservação da relação social subjacente”, explicou a mediadora.

“É fundamental que a sociedade civil debata sobre os meios consensuais de resolução de conflitos, na medida em que concretizam o ideal de ordem jurídica justa, porquanto adequada, efetiva e tempestiva”, pontuou Samantha Pelajo sobre a importância da cidade realizar um evento abordando este assunto – mediação- tão importante em vários segmentos profissionais e até mesmo pessoais.

A Semana da Mediação será encerrada no dia 30 de setembro com uma Caminhada pela Paz, às 9h, na Avenida Barão do Rio Branco. O programa tem parceria com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social e Gabinete da Cidadania, além do Tribunal de Justiça, Delegacias de Petrópolis, Conselho Estadual e Municipal de Segurança Pública, Procon, Conselho Tutelar e Universidades.

Pagina 1 de 8

Notícias por data

« Outubro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Alvará Online - BANNER

DO

loa 2018

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

cpge

gabinete cidadania.fw

selo acesso informacao.fw

cmv-logo