Unidade poderá atender integralmente em 2020

Com 152 alunos matriculados do 3º período da educação infantil ao 5º ano do ensino fundamental, a EM Oswaldo Costa Frias vem recebendo melhorias desde 2018, quando foi construído um muro de contenção na escola. O prefeito fez questão de visitar a unidade escolar nessa sexta-feira (06.09) para conversar com funcionários e alunos e conferir as atividades que são realizadas na unidade, que fica na Posse.

Por causa de uma forte chuva ocorrida em março em 2018, uma queda de barreira impediu o funcionamento da unidade escolar que foi transferida, provisoriamente para outro prédio. No entanto, graças a uma força tarefa do poder público, um muro de contenção foi construído, o que possibilitou o retorno da escola. Desde então, melhorias como troca de janelas, portas e pintura vem sendo realizadas na Escola Municipal Oswaldo Costa Frias.

O prefeito ainda salientou a importância da obra de contenção na escola. O muro construído conta com três metros de altura e 35 metros de comprimento, garantindo a segurança no local.

Além do muro de contenção, salas de aula foram pintadas, janelas e grades que foram atingidas pela terra foram trocadas. “Somos muito felizes na escola. As melhorias foram ótimas e não temos do que reclamar. Somos privilegiados”, afirmou a diretora da EM Oswaldo Costa Frias, Carla Ferreira.

Durante o encontro, o prefeito e a equipe de governo explicaram que o poder público estuda a possibilidade de tornar a escola em integral. Em 2016, apenas quatro unidades ofertavam a educação em tempo integral. Nesse ano, já são 15. 

Vale salientar que a barreira que caiu na EM Oswaldo Costa Frias – em março de 2018 - não atingiu as salas de aula, apenas um pedaço do pátio, mas, ainda assim, foi necessária a realização da construção do muro de contenção. Todo o trabalho de fundação, limpeza e retirada de entulho foi feito pela empresa contratada pela Secretaria de Obras. Blocos de concreto garantem a segurança do muro que possui três metros de altura e 35 metros de comprimento.

Alunos de cinco instituições de ensino da rede municipal tiveram a oportunidade de prestigiar, na última semana, a contação de história, "O menino Balão e seu amigo inseparável", realizada pela Cia Era uma vez nós 3, na última sexta-feira (27.09), no Centro de Cultura Raul de Leoni. A programação fez parte da Mostra de Teatro de Petrópolis.

Participaram do evento alunos do CEI Romano Canavese, da Escola Municipalizada Maria da Glória Vasconcellos, CEI Casa Da Paz, CEI Professora Tina Grazinolli e CEI Prof. Patricia Ferreira da Silva Freitas. O livro é da autora Roseni Kurányi.

Alunos dos cursos de inglês e ballet, da Casa da Educação Visconde de Mauá, participaram de uma atividade diferenciada nessa terça-feira (11.09): uma oficina artística com Sonia Xavier e Jarbas Paullous, artistas plásticos que inauguraram, na última semana, a exposição “Costurando o tempo II”. Os estudantes foram convidados pelos artistas a expressar os seus sonhos utilizando técnicas de desenho.

A atividade foi focada em uma das obras de Sonia Xavier, onde a artista retrata os seus sonhos por meio da pintura. “Foi uma experiência inspiradora. A arte e o desenho abrem horizontes e consegui perceber que a arte também pode me ajudar nas aulas de dança com novas ideias de movimento”, disse Ariane da Silva, de 12 anos, aluna de ballet.

A mostra “Costurando o tempo II” seguirá aberta para visitação na Casa da Educação Visconde de Mauá até o dia 27 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. A Casa fica na Avenida Barão do Rio Branco, nº 03.

A exposição é formada por quadros e esculturas. As telas de Sonia destacam os vários tons de azul, já os trabalhos de Jarbas foram confeccionados por meio de uma técnica mista, com tinta automotiva e caneta, além de esculturas feitas com materiais reciclados.

“Cada vez que uma exposição é aberta na Casa da Educação, reafirmamos nosso compromisso de melhorar o acesso cultural para nosso público de estudantes”, afirma a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.

Sonia se dedica a obras que utilizam materiais como ferro, chapas oxidadas, aço inox, alumínio e a madeira, rendas, aramados, colagens, miçangas e cristais, sempre valorizando o uso de cores fortes.

Jarbas expõe sete obras na mostra, cinco telas e duas esculturas. “A mensagem que pretendo passar é o que percebemos através do olhar, o que podemos observar de um material ou uma peça que acreditamos ser descartável, como papel, arame ou madeira. Sempre podemos transformá-los em Arte”, disse Jarbas.

Detalhes do evento foram programados durante reunião do COMED

O cumprimento das 20 metas estabelecidas no Plano Municipal de Educação poderá ser verificado durante uma Pré-Conferência que será realizada nos dias 8, 9 e 10 de outubro. O objetivo será o de avaliar e monitorar as metas definidas em 2015 e escolher os delegados que terão poder de voto durante a VI Conferência Municipal de Educação que deverá ocorrer nos dias 24, 25 e 26 de outubro.

“A pré-conferência vai promover uma ampla discussão sobre as estratégias propostas em cada uma das 20 metas do Plano Municipal de Educação. Os estudos servirão como base para as discussões durante a Conferência no que diz respeito ao cumprimento dos objetivos propostos e os prazos para execução”, explica a secretária de Educação, Samea Ázara.

As normas da Pré-Conferência foram estabelecidas no Conselho Municipal de Educação – COMED – durante uma reunião extraordinária realizada nessa segunda-feira (17.09). Na ocasião, o presidente do COMED, Jelcy Corrêa, chamou a atenção para importância da Pré-Conferência. “Esse é um ponto importante na Educação. No Estado também estamos programando uma conferência para discutir o Plano Estadual de Educação e é essencial a participação democrática”.

As metas serão analisadas na Pré-Conferência por representantes de docentes, não docentes, pais/comunidade, alunos, gestores, Secretaria de Educação, COMED e profissionais da educação da rede privada. Os interessados poderão se inscrever – de acordo com as metas de interesse - em um link que será disponibilizado no final do mês no site da prefeitura.

Para facilitar as discussões, as metas foram separadas em eixos: Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos, Educação Superior, Valorização Profissional e Financiamento, Formação Docente, Educação, Infantil, Educação Especial e Gestão Democrática. Cada grupo se reunirá durante os três dias de Pré-Conferência para discutir as metas. Os encontros ocorrerão em escolas, como Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio e Casa da Educação Visconde de Mauá.

VI Conferência Municipal de Educação

No último dia de Pré-Conferência serão escolhidos os delegados que terão poder de voto durante a VI Conferência Municipal de Educação – marcada para os dias 24, 25 e 26 de outubro de 2018. O local e os horários ainda serão confirmados.

Vale salientar que as metas estabelecidas no Plano Municipal de Educação – criado em 2015 – devem ser discutidas em Conferência, a cada três anos, conforme prevê o artigo 4º da Lei Municipal nº 7.619 de 26 de dezembro de 2017

As inscrições para a pré-matrícula para os alunos que estão ou desejam entrar na rede pública municipal de ensino para o ano letivo de 2014 começam no próximo dia 18 e podem ser realizadas pelo site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Serão oferecidas vagas de 4º e 5º períodos da Educação Infantil nas escolas, em período parcial, (com exceção dos Centros de Educação Infantil, cujas vagas são definidas mediante o cadastro do setor de Matrícula da Secretaria de Educação) e do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

Os responsáveis dos alunos deverão ter os seguintes dados para efetivar a inscrição no site: dados pessoais do aluno (nome, data de nascimento, endereço e filiação), ano de escolaridade do aluno, CPF do responsável e duas opções de escolas desejadas.

Para os que não têm fácil acesso à internet, haverá dois polos de apoio: na Secretaria de Educação (Av. Koeller, 341, Centro) e no Parque Municipal de Petrópolis (Estrada União Indústria, 10.000, Itaipava).

O resultado será divulgado no site da Prefeitura a partir de 13/12 e os responsáveis deverão realizar a matrícula entre 16 e 18/12, diretamente na escola na qual o aluno foi alocado. A Secretaria de Educação pede aos pais dos alunos que fiquem atentos aos prazos para inscrição.

Caso a inscrição não seja bem-sucedida, o responsável deverá se dirigir ao setor de Matrícula da Secretaria de Educação, das 12h30 às 18h, para que outras opções lhe sejam oferecidas, garantindo assim a vaga do aluno na rede pública municipal de ensino.

Mais informações:

Período de realização das pré-matrículas: de 18/11 a 02/12

Site: www.petropolis.rj.gov.br

Telefones: (24) 2246-8683/ 2246-8685/ 2247-1635

 

As peculiaridades da topografia de Petrópolis para conseguir terrenos planos que podem ser usados para a construção de Centros de Educação Infantil foi um dos assuntos abordados pela prefeitura durante reunião com o ministro da Educação, Rossieli Soares, na terça-feira (24.04) no Ministério da Educação, em Brasília. Nas unidades públicas, 8.116 crianças estão matriculadas na educação infantil e há uma lista de espera para vagas com mais de 3 mil crianças, resultado de falta de investimento na área nos últimos anos.

A reunião foi muito boa. A prefeitura teve a oportunidade de mostrar que a falta de investimento na construção de Centros de Educação Infantil com capacidade de atender as demandas dos bairros e do Centro Histórico nos últimos anos acarretou na formação dessa fila de espera. Para receber recursos para a construção dessas unidades, o município tem que apresentar terrenos com características que são demarcadas pelo Ministério da Educação.

No entanto, as particularidades do relevo da cidade impõem a necessidade de adequação dos projetos modelos do ministério. Petrópolis terá a caracterização de projetos próprios adequados a necessidade e peculiaridade de relevo da cidade. Por isso, a prefeitura fez questão de falar sobre o assunto com o ministro.

“O ministro entendeu o problema da cidade e solicitou que os projetos de construção sejam enviados com as devidas adaptações, para a análise do MEC. Diante da dificuldade em conseguir os terrenos que são solicitados para os programas federais, como o Pró-Infância, como por exemplo, que prevê a liberação de recursos para a construção, precisamos revisar os projetos. Temos a necessidade de construir CEIs em regiões como Meio da Serra e precisamos desses recursos para diminuir a fila”, explicou Samea Ázara, pontuando que, neste ano, o governo aumentou o número de vagas ofertadas no São Sebastião e Carangola.

“Avançamos aumentando o número de vagas no São Sebastião, com a criação do CEI Hermínia Matheus e colocamos o CEI Casa da Paz, no Carangola, para funcionar, aumentando 155 vagas nessas duas unidades. Temos a previsão de aumentar a capacidade de atendimento do CEI Primeira Infância, no Centro e estamos planejando a adaptação do imóvel da Escola Augusto Meschick, no Centro, para que também seja transformado em CEI. O governo também adquiriu um imóvel no bairro Castrioto que também será adaptado para ser transformado em um CEI. No entanto, temos uma fila crescente e precisamos construir outros locais para atendimento desse público de educação infantil”, explica a secretaria interina de educação.

Durante o encontro também foram abordados assuntos como a necessidade de um repasse maior de verbas para a compra de merenda escolar e a queda no repasse de recursos como Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica) e Salário Educação.

“Explicamos que a rede municipal conta com mais de 40 mil alunos e 4 mil funcionários e que o governo tem a meta de investir cada vez mais na compra de merenda, aumentando, por exemplo, o valor que é destinado à compra de produtos da agricultura familiar. A queda no repasse de recursos como salário educação e Fundeb também foram citados e o ministro colocou a equipe à disposição do governo municipal para fazer a análise dos repasses”, explica Roberto Rizzo, coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica.

Atividades aconteceram na EM de Educação Especial Santos Dumont

Para marcar o Dia do Surdo – celebrado no Brasil no dia 26 de setembro, a Escola Municipal de Educação Especial Santos Dumont recebeu nessa quinta-feira (27.09), a visita de alunos de outras instituições de ensino – municipais e particulares. Através de demonstrações e jogos, os visitantes puderam aprender um pouco sobre a Libras – Língua Brasileira de Sinais e conhecer a rotina dos 50 estudantes da Escola Municipal de Educação Especial Santos Dumont.

A programação especial continuará na sexta-feira (28.09). Aproximadamente 350 estudantes visitarão a escola nos dois dias de evento. “A ideia é a de mostrar o alfabeto em libras, como identificar as cores em libras e realizar atividades diferentes como o caça palavras. Os alunos ficam muito animados com a visita. Adoram poder mostrar um pouco da rotina deles para os demais. É uma experiência muito gratificante para todos”, explica a diretora da escola, Valéria Machado Duriez.

No pátio da escola, cartazes mostram os sinais e contam a história da escola. Os alunos do 4º e 5º ano do Colégio Gunnar Vingren participaram da visita nessa quinta-feira.

“Fantástica essa experiência. Importante para mostrar o respeito pelo outro. Os alunos ficaram muito animados e tenho certeza que não esquecerão esse momento”, disse a professora Camila Almeida.

A escola também oferece o curso de libras e os visitantes interessados em aprender, poderão fazer a inscrição para as aulas que devem começar em 2019.

“Queremos estimular outras pessoas a aprenderem a libras, principalmente os pais das crianças surdas. O diálogo é muito importante para eles e o curso fortalece a acessibilidade. Nesse ano, pessoas de vários setores da prefeitura participaram do curso o que foi muito interessante. Facilitar a vida dos nossos alunos fora do ambiente escolar também é uma meta da escola”, contou Valéria.

Escola bilíngue: Libras como primeira língua e o ensino da Língua Portuguesa como segunda língua

A rede municipal de Educação atende 50 alunos surdos e 31 alunos com deficiência auditiva – que usam aparelhos. Os estudantes surdos do 4º período da educação infantil ao 5º ano do ensino fundamental estudam na Escola Municipal de Educação Especial Santos Dumont -  A escola é bilíngüe: os alunos têm a Libras como primeira língua e o ensino da Língua Portuguesa como segunda língua. A escola oferece ainda, atendimento complementar a alunos surdos integrados em classe comum e atendimento individual para alunos com problema de linguagem escrita.

Posteriormente, no ensino fundamental II (6º ao 9º ano) o aluno é encaminhado para a escola regular - No centro são atendidos na Escola Municipal Salvador Kling e nos Distritos na Escola Municipal Monsenhor João de Deus Rodrigues. Vale salientar que todos os alunos nessa etapa já dominam Libras e possuem o intérprete. No Ensino Médio, os alunos são encaminhados para o Liceu Municipal Cordolino Ambrósio - também acompanhados por intérprete.

“A Escola Municipal de Educação Especial Santos Dumont realiza um trabalho muito bonito. Oferece atendimento pleno aos estudantes e suporte para a família. O Departamento de Educação Especial da Secretaria de Educação também oferece formações e cursos constantes para os professores da rede que atuam diretamente com os alunos surdos”, afirma a secretária de Educação, Samea Ázara.

A Secretaria de Educação mantém 6 intérpretes em 2 escolas: E. M. Salvador Kling e Liceu M. Prefeito Cordolino Ambrósio, além de 3 instrutores em 4 escolas: Escola Municipal de Educação Especial Santos Dumont, E.M. Salvador Kling, E.M Monsenhor João de Deus Rodrigues.

Alunos de 48 escolas visitarão a feira

Iniciativa inédita, alunos da rede municipal terão a oportunidade de conhecer a XIX Bienal Internacional do Livro no Rio. A Secretaria de Educação vai possibilitar que 4.320 alunos, de 48 escolas possam visitar a XIX Bienal, que vai ocorrer entre os dias 30 de agosto e 8 de setembro, no Rio Centro.

Oportunidade única de aproximação com seus autores preferidos, conhecer a Bienal, os livros e os autores. Será uma experiência inesquecível para cada um deles.

As visitas ocorrerão do dia 30 de agosto a 8 de setembro. Cada aluno receberá um cartão bienal com valor R$ 11 que poderá ser trocado por um livro no evento. As escolas fizeram concursos internos para a seleção dos alunos que participarão da visita nesse ano – matriculados no segundo segmento do ensino fundamental.

A Secretara de Educação ofereceu para as escolas essa oportunidade porque quer que os alunos também tenham acesso a esse universo da leitura. Um grande desafio enfrentado pelos professores é aproximar os alunos da literatura e a Secretaria quer estimular esse hábito.

As visitas começarão nessa sexta-feira (30.08) e seguirão até o dia 6 de setembro. Os ônibus da Secretaria de Educação levarão os alunos para a bienal. Uma programação foi feita para garantir que todas as 48 escolas sejam atendidas.

Sobre a Bienal:

A Bienal do Livro Rio é o maior evento literário do país. Durante dez dias, o Riocentro sedia a festa da cultura, da literatura e da educação. Nos espaços dedicados às atrações, o público pode participar de debates, bate-papos com personalidades e escritores, além das atividades culturais que promovem a leitura. Em sua última edição, reuniu mais de 640 mil pessoas e 300 autores.

Documento foi publicado no Diário Oficial do dia 7 de setembro

Com 183 unidades escolares, entre escolas e Centros de Educação Infantil, a rede municipal de Educação atende cerca de 42 mil alunos. Para nortear as atividades nas escolas e CEIs, a Secretaria de Educação mantêm o Regimento Escolar, documento que especifica os objetivos educacionais, as atribuições das equipes que atuam no ambiente escolar e a grade curricular de acordo com o ano de escolaridade. Para que os pais e responsáveis possam conhecer o documento, a Secretaria de Educação publicou na integra o Regimento Escolar no Diário Oficial do município no dia 7 de setembro.

O regimento foi apresentado e aprovado pelo Conselho Municipal de Educação em maio de 2018. O documento foi elaborado de acordo com a Lei nº 9.394/96 e especifica a estrutura das escolas e CEIs segundo a gestão escolar: diretor, diretor adjunto, corpo docente e instrutor de libras. Também aponta os serviços de apoio ao educando como a sala de leitura e sala de recursos multifuncionais, além de especificar as funções de apoio à educação básica como secretário escolar, auxiliar de secretaria, inspetor de disciplina, educador de educação infantil, cozinheiro, auxiliar de serviços gerais, cuidador escolar, interprete de Libras, zelador e Associação de apoio à escola, além do Conselho Escolar – respeitando o porte de cada unidade educacional.

“Esse é um documento importante porque norteia toda a comunidade escolar segundo os diretos e deveres de cada profissional ligado diretamente ao atendimento dos alunos. Também especifica os diretos dos alunos, como o acesso à informação, respeito, alimentação e garantia dos dias letivos determinados pela legislação”, explica a secretária de Educação, Samea Ázara.

Um dos pontos destacados no Regimento diz respeito às salas de recursos multifuncionais que mantêm um ambiente preparado para o Atendimento Educacional Especializado – AEE – a alunos com necessidades educacionais especiais. Nas salas são realizadas atividades de acordo com as especificidades de cada aluno e, para o pleno desenvolvimento, são arquitetadas estratégias de aprendizagem que favorecem a construção de conhecimentos e complementam o currículo escolar.

O Regimento também direciona o horário de atendimento dos alunos segundo o ano de escolaridade. No caso da educação infantil, no período parcial, os alunos devem cumprir uma jornada de 4 horas diárias. Nos Centros de Educação Infantil, o horário integral deve ser de dez horas diárias e nas escolas de tempo integral, a jornada dos alunos é de 8 horas.

“A educação em tempo integral é um diferencial e também um objetivo da Secretaria de Educação, que segue as diretrizes do Plano Nacional e do Plano Municipal de Educação. Já temos 8 escolas que oferecem esse atendimento. São mais de 800 alunos atendimentos integralmente nas escolas e com acesso a atividades diferenciadas no contra turno, além do reforço em Língua Portuguesa e Matemática”, explica Samea Ázara.

Avaliação de aprendizagem e a grade curricular também estão definidas no Regimento segundo a classe / idade dos alunos. Na educação infantil, como por exemplo, a grade conta com Formação Pessoal e Social, Identidade e Autonomia (movimento, música, artes visuais, linguagem oral e escrita, natureza e sociedade e matemática). Nos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano) estão previstas aulas de Língua Portuguesa, Arte, Educação Física, Matemática, Ciências, Geografia, História e Ensino Religioso.

Os alunos que estão no ensino fundamental nos anos iniciais e são atendidos nas escolas que atendem em tempo integral têm acesso ainda a oficinas complementares como Arte, Cultura e Memória, Orientação de Estudos, Iniciação Científica, Iniciação ao Esporte, Educa-comunicação, Prevenção e Promoção da saúde, Direitos Humanos e Cidadania e Educação Ambiental.

Já nos anos finais do Ensino fundamental (6º ao 9º ano) os alunos têm aula de Língua Portuguesa, Arte, Educação Física, Ciências Físicas e Biológicas, Geografia, História, Ensino Religioso, Língua Estrangeira, História, Geografia de Petrópolis e Turismo e Educação para o Trânsito. Para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) a grade é formada por Língua portuguesa, Arte, Educação Física, Matemática, Ciências, Geografia, História e Ensino Religioso e, no caso do ensino médio – apenas o Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio oferece essa modalidade – a grade é formada por aulas de Língua portuguesa, Literatura, Arte, Educação Física, Matemática, Física, Química, Biologia, História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Língua Estrangeira Inglês e Língua Estrangeira – Espanhol.

A Secretaria de Educação continua visitando diariamente as unidades escolares da rede municipal e organizando relatórios diários com a frequência de servidores em cada unidade da rede municipal. Os dados estão sendo compilados com o auxilio dos ofícios encaminhados pelos diretores no final de cada turno. Todas as informações estão sendo encaminhadas ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que determinou, no dia 16 de agosto, que 70% do efetivo de funcionários de cada unidade escolar devem estar atendendo os alunos da rede.

Nesta terça-feira (21.08), 59 escolas e Centros de Educação Infantil funcionaram normalmente, 106 de forma parcial e 18 ficaram paralisados durante o dia. Com relação ao turno da noite, 10 funcionaram normal e 2 ficaram paralisadas.

Trabalharam normalmente nesta terça-feira (21.08) 1.187 servidores – contabilizando o turno da noite. Os profissionais que continuam em greve já possuem 22 dias de ponto cortado. A medida tem amparo legal do Supremo Tribunal Federal que proferiu decisão neste sentido em 2017 (http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.jsp?docTP=TP&docID=1945564).

O poder público reitera que o compromisso é o de manter em dia o salário dos servidores – ação que está sendo cumprida sem nenhum atraso: a atual gestão depositou R$ 39,4 milhões da folha de pagamento de julho do funcionalismo e R$ 8,7 milhões do 13º salário antes do início da greve.

Pagina 3 de 157

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Maio 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo