Prefeitura vai manter corte de pontos e suspender férias em janeiro

Com 1.026 profissionais da Educação em seus postos de trabalho, a prefeitura manteve nesta segunda-feira (13.08) 69 unidades da rede municipal em funcionamento a maior parte do dia.  Os profissionais da educação iniciaram retorno a seus postos de trabalho e a expectativa é de que nos próximos dias escolas paralisadas ou funcionando parcialmente estejam em plena operação. A quantidade de escolas com atendimento parcial é variável tendo em vista os turnos que funcionam e deixam de operar.  Algumas unidades encerraram o turno da tarde mais cedo. A paralisação, nesta segunda, atingiu integralmente 33 unidades. A rede tem 182 unidades com mais de 42 mil alunos.

A prefeitura mantém o corte de ponto dos servidores em greve, vai proceder a contratação de temporários e ainda suspender as férias em janeiro para reposição das aulas. Os 12 dias paralisados – contabilizados do dia 31 de julho até sexta-feira – 10 de agosto, serão descontados dos faltosos incluindo merendeiras, zeladores e demais funcionários de apoio. Vale salientar que o corte do ponto continuará a ser contabilizado para os profissionais que continuaram com a greve nessa segunda-feira (13.08).

Os pontos dos profissionais faltosos foram registrados nesta segunda-feira por  equipes de inspeção da Secretaria de Educação que estão vistoriando todas as unidades da rede, procedimento que vai ser mantido nos próximos dias.  Estão sendo contabilizadas as faltas de cada grevista. O corte de ponto tem amparo legal do Supremo Tribunal Federal que proferiu decisão neste sentido em 2016. 

Foram apurados 1.544 faltosos que terão estes 12 dias de trabalho cortados do pagamento já nos vencimentos de agosto, com data de pagamento para o próximo dia 31.

A Prefeitura vem assinalando aos representantes de servidores municipais que frente a uma dívida acumulada por gestões passadas em R$ 766 milhões, não pode conceder reajuste salarial e que a prioridade, ao sanear as contas públicas, é manter em dia os vencimentos dos servidores.    Aos pais de alunos a prefeitura tem esclarecido que a categoria está com os salários em dia e que as medidas tomadas visam garantir o cumprimento do ano letivo, sem prejuízo aos estudantes.

Os professores temporários que serão contratados serão pagos com os recursos do ponto cortado dos grevistas. A prefeitura também vai contratar pessoal de apoio temporário para zeladoria e para a merenda.  A quantidade de temporários está sendo definida de acordo com as necessidades, assim como formato de contratação e entrevistas com candidatos às vagas.

Salário dos professores está em dia

Prefeitura já antecipou 25% do 13º salário

Os salários dos professores está, rigorosamente, em dia e os esforços do governo são por manter em dia os vencimentos de todos o funcionalismo público municipal. A  folha de pagamento de mais de 4 mil  profissionais da educação chega a R$ 14 milhões mensais e alcança, por ano R$ 191 milhões.

Há informações sobre atraso de pagamento dos professores em redes sociais e a prefeitura repudia a disseminação de dados não verídicos em um momento de crise financeira em que a administração mantém, ao contrário de muitas cidades, em dia, e com rigor, o calendário de pagamento de todo o funcionalismo.

Mil cento e cinquenta estudantes que concluíram o Ensino Médio na rede pública de ensino participaram, na manhã deste domingo (14/12), do Vestibular Social. A iniciativa é da Prefeitura, que renovou mais uma vez a parceria, iniciada em 2008, e garantiu mais 150 bolsas integrais em cursos de graduação na Universidade Católica de Petrópolis (UCP). O prefeito Rubens Bomtempo, acompanhado do secretário de Ciência e Tecnologia, Airton Coelho, recepcionou os alunos logo pela manhã e desejou a todos boa sorte na prova. O resultado do vestibular Social será divulgado na próxima quinta-feira (18/12).

O prefeito Rubens Bomtempo mostrou alegria e satisfação ao conversar com os candidatos. “Estamos trabalhando pela formação de recursos humanos no município. Essa iniciativa se soma a outras, que têm como objetivo principal a qualificação profissional do povo petropolitano. É de fundamental importância o investimento na infraestrutura, no mobiliário urbano, mas temos consciência de que, ao investirmos em recursos humanos, capacitamos o município para novos desafios, contribuímos da melhor forma possível para o crescimento da cidade. São anos de parceria de sucesso, com grandes conquistas. Foi o primeiro grande passo pela democratização do acesso ao ensino superior. Agora vamos fazer mais”, destacou o prefeito.

As bolsas oferecidas são resultado de um convênio firmado entre a Prefeitura e a Fundação Dom Cintra, com interveniência da Associação Faculdades Católicas Petropolitanas de Petrópolis, mantenedora da Universidade. A parceria já beneficiou mais de 800 estudantes, que puderam escolher entre 26 cursos de graduação oferecidos pela instituição de ensino.

A fiscal de prova Letícia Siqueira se emocionou ao descobrir, na hora da prova, que tratava-se do Vestibular Social.  Ao prefeito, ela, que é estudante de Direito, contou que foi uma das primeiras contempladas às bolsas de estudo integrais previstas no convênio, em 2008. “Minha vida mudou nos últimos seis anos por conta da oportunidade que tive. Isso significou muito grande para mim. Na época, eu trabalhava no comércio e só fiz o vestibular por insistência da família. No começo, eu nem sabia se queria isso mesmo. Na primeira classificação, eu não fui chamada, até que um dia eu estava em uma festa e meu telefone tocou. Era minha irmã avisando que eu tinha sido classificada! Isso transformou a minha vida”, destacou. A defesa de monografia da Letícia foi realizada nesta segunda-feira (15/12).

O secretário Airton Coelho também comemorou. "É uma satisfação permitir acesso a um curso superior de qualidade, a partir de bolsas integrais. Temos uma política de oportunidades. Agora, fica a cargo do aluno", disse.

Para preencher as vagas, os candidatos deveriam estar de acordo com alguns requisitos: possuir certificado de conclusão de ensino médio em escolas da rede pública de Petrópolis, seja ela municipal ou estadual, e ter cursado, no mínimo, duas séries do ensino médio, de acordo com os mesmos critérios.

Ex-aluno do Colégio Estadual Dom Pedro II, Leandro Braga quer, aos 41 anos, voltar à sala de aula. Me formei no Ensino Médio há um tempinho e resolvi, agora, tentar uma vaga para fazer a graduação. Essas bolsas de estudo representam uma excelente oportunidade”, disse ele, que optou pelo curso de História.   

O estudante Lucas Braga, de 19 anos, morador da Estrada da Saudade e aluno do Colégio Estadual Cardoso Fontes, decidiu tentar uma vaga para o curso de Direito. “É a chance que temos para cursar o ensino superior com um tranquilidade maior. Pagar a mensalidade de uma universidade particular fica muito difícil para quem é de classe média baixa”, disse Lucas.

Já Nicole Sindorf, de 17 anos, moradora do Alto da Serra, quer cursar arquitetura. Para ela, que também estuda no Colégio Estadual Cardoso Fontes, a oportunidade de uma bolsa integral na UCP representa a chance de um futuro melhor. “Minha situação é dos meus amigos é a mesma: sem essa oportunidade, seria difícil fazer uma faculdade. Se eu não conseguir, vou continuar tentando”, garantiu.

Prova será aplicada no sábado em quatro pólos

Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio, E.M Vereador José Fernandes, Liceu São José de Itaipava e E.M Johann Noel. Nesses quatro pólos serão aplicadas no próximo sábado (16.09) as provas da 2ª fase da 13ª OBMEP - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. Nesse ano, a segunda fase contará com a participação de mais de 1.204 alunos das redes municipal, estadual e também de escolas particulares.

Ao todo, 696 alunos realizarão as provas no Liceu Municipal Cordolino Ambrósio, 237 no Liceu São José de Itaipava, 147 na E.M Vereador José Fernandes, no Alto da Serra e 124 na E.M Johann Noel, no Bingen. As provas serão aplicadas às 14h30 do sábado. A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) é uma realização do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada - IMPA - e tem como objetivo estimular o estudo da matemática e revelar talentos na área.

Serão aplicadas provas em três níveis: uma para alunos dos 6º e 7º anos do ensino fundamental, outra para os matriculados nos 8º e 9º anos e o terceiro nível é para os alunos do ensino médio. Os estudantes classificados podem imprimir os cartões de confirmação e verificar os locais de prova no site www.obmep.org.br. A organização recomenda que os alunos cheguem aos centros de aplicação com pelo menos 30 minutos de antecedência, portando documento original de identificação (carteira de identidade, certidão de nascimento ou carteira escolar), o cartão informativo da OBMEP, lápis e borracha.

Segundo o IMPA – Instituto de Matemática Pura e Aplicada – a competição nacional para estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio bateu novo recorde: 18,2 milhões de inscritos, de 53.230 instituições de ensino, atingindo 99,6% dos municípios brasileiros. Pela primeira vez, conta com estudantes de 4.472 colégios particulares.

Dos 941.594 aprovados para a segunda fase, 903.719 são de escolas públicas e 37.875 de privadas. A OBMEP classifica os 5% mais bem colocados de cada colégio na primeira etapa. O Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental) terá 315.538 participantes; o Nível 2 (8º e 9º anos) contará com 275.385, e o Nível 3 (Ensino Médio) 350.671.

A OBMEP distribuirá o mesmo número de medalhas das edições anteriores a alunos de escolas públicas (500 de ouro, 1.500 de prata, 4.500 de bronze e até 46.200 menções honrosas). Os estudantes de escolas particulares receberão 25 medalhas de ouro, 75 de prata, 225 de bronze e até 5.700 menções honrosas.

Os vencedores serão anunciados em 22 de novembro no site da competição. As cerimônias de entrega dos prêmios da OBMEP ocorrem em 2018, em data a ser definida. Professores, escolas e secretarias de Educação também concorrem a prêmios, de acordo com o desempenho dos alunos na segunda fase (http://www.obmep.org.br/regulamento.htm).

Criada em 2005, a OBMEP é uma realização do IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC).

Alunos da rede municipal de Educação participaram, ao longo do ano, de 1.410 passeios. O número é 78% maior do que o registrado em 2018 – quando os ônibus da Secretaria de Educação levaram os estudantes para 790 atividades fora do ambiente escolar. Crianças e jovens tiveram a oportunidade de conhecer pontos turísticos e descobrir um pouco mais sobre a cidade imperial.

Entre os lugares visitados pelos estudantes estão o Museu Imperial, Casa do Colono, Casa de Santos Dumont, Palácio Itaboraí - exposição dos dinossauros, 32º Batalhão de Infantaria Leve, Museu do Amanhã, Parque Cremerie, AquaRio, Fazenda Samambaia, Jogos Estudantis, Festa das crianças no Parque de Exposição, Festa da Páscoa e, a Bienal do Livro, no Rio de Janeiro.

“Um dos destaques nas atividades realizadas nesse ano foi a visita à Bienal do Livro. Ao todo, 4.320 estudantes de 48 escolas da rede municipal tiveram a oportunidade de conhecer a Bienal. Foi uma experiência marcante para eles. Agradeço o empenho, organização e boa vontade dos motoristas da Secretaria que estão sempre dispostos a levar os estudantes para essas atividades fora do ambiente escolar com segurança”, disse a secretária de Educação, Marcia Palma.

O passeio à Bienal encantou os alunos da EM Abelardo de Lamare, no Caxambu.  “Ao chegar na Bienal, a primeira coisa que os encantou foi receber um cartão para comprar livros. Já no primeiro pavilhão na entrada os olhos brilhavam, alguns choraram de emoção. Como educadora, acredito que o mais importante dessa experiência tenha sido o final do passeio. Quando aguardávamos o ônibus para ir embora, cada um mostrando ao outro o livro que comprou, ali iniciou o processo de formação de cidadãos leitores”, contou a diretora da EM Abelardo de Lamare, Jaqueline Fraguas, acrescentando que, só a ida ao Rio com os alunos já foi algo de televisão: “Como eles falam”, conta Jaqueline, acrescentando que poucos já tiveram, antes da Bienal, a oportunidade de participar de um evento fora da cidade.

No próximo ano, os passeios terão continuidade. “As escolas interessadas em agendar passeios devem entrar em contato com o Departamento de Transporte da Secretaria de Educação. E, em todos os passeios há a presença do monitor e representantes das unidades de educação”, explica o responsável pelo Departamento de Transportes da Secretaria de Educação, Luiz Antonio Romão.

Em 2018 são 12 polos de ensino

Nesse ano, 1.435 pessoas se matricularam nas turmas da EJA – Educação de Jovens e Adultos da rede municipal. A novidade desse ano é que serão doze polos de ensino ofertando a EJA, desses, nove oferecem ensino regular dos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano).

As aulas retornarão no dia 5 de fevereiro. As pessoas que ainda não se inscreveram, podem procurar o Departamento de Matrícula da Secretaria de Educação, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h30, na sede da Secretaria, que fica na Rua da Imperatriz, nº 193.

A Educação de Jovens e Adultos ajuda aqueles que pararam de estudar e querem voltar ao ambiente escolar. O ensino regular pode ser a melhor escolha para aqueles jovens que trabalham durante o dia e desejam continuar os estudos à noite.

Os polos de EJA funcionarão No Centro, Quitandinha, Pedro do Rio, Posse, Corrêas, Mosela, Bingen, Retiro, Cascatinha e Alto da Serra.

Nesse ano, um novo polo será a Escola Municipal Professora Maria Campos. A escola vai ofertar turmas para o 1º ao 5º ano noturno além das fases do ensino fundamental VI, VII, VIII e IX fases.

Seguem os demais polos de ensino da EJA:

Escola Municipal Governador Marcello Alencar (Quitandinha) – 1º ao 5º ano e do VI a IX fase diurno e noturno.

Jamil Sabrá (Coronel Veiga) – VI a IX fases

Escola Municipal Monsenhor João de Deus Rodrigues (Pedro do Rio) – 1º ao 5º ano e do VI a IX fases.

Escola Municipalizada Moysés Furtado Bravo (Posse) – 1º ao 5º ano e VI a IX fases.

Escola Municipalizada Hercília Moretti (Corrêas) – 1º ao 5º ano a VI a IX fase.

E.M Battailard (Mosela) – 1º ao 5º ano e VI a IX fases.

E.M Johann Noel (Bingen) – 1º ao 5º ano e VI até IX fase.

Liceu Carlos Chagas (Retiro) – VI a IX fases

E.M Rosemira Cavalcanti (Cascatinha) – 1º ao 5º ano e VI a IX fases.

E.M Vereador José Fernandes da Silva (Alto da Serra) – VI a IX fases.

São Pedro de Alcântara – 1º ao 5º ano diurno e noturno

Divididos em grupos, mais de 100 estudantes ficam reunidos até esta quinta-feira (31.08), elaborando projetos tecnológicos que melhorem aspectos da cidade como mobilidade, ambiente cervejeiro e saúde. Eles participam, ao lado de empresários e poder público, da II edição da Rio Info Petrópolis, aberto nesta quarta-feira (30.08).  O evento, na cervejaria  Bohêmia, desenvolvido pela TI Rio – Sindicato das Empresas de Informática, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Distrito de Inovação e Programa Ciência e Movimento, promove o debate sobre o desenvolvimento da inovação no interior do Estado do Rio de Janeiro.

O primeiro dia de evento reuniu alunos do ensino universitário e ensino médio para pensar, analisar e propor soluções para problemas da cidade. É o “Desafio Rio Info Petrópolis”.  As melhores propostas em cada área serão apresentadas nesta quinta-feira (31.08) na mesa de Makers.

“É importante promover a interação entre a classe acadêmica, poder público e empresariado pensando na área tecnológica da nossa cidade. Um setor em crescente desenvolvimento que pode contar com mão de obra especializada, formada na nossa cidade”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

A programação contou ainda com talk show com Flávia Bendelá, Marcio Campos e público presente. Na ocasião, eles puderam entrevistar Robert Jansen, especialista em starups e internacionalização de empresas para o Vale do Silício..

“O mais importante da II Rio Info Petrópolis é essa interação entre acadêmicos, setor privado e poder público para o desenvolvimento do setor. Esse estímulo e desenvolvimento é bom para todo mundo, quanto mais alunos formados na cidade, mais mão de obra qualificada para as empresas, maior possibilidade de crescimento das empresas, desenvolvendo economicamente a cidade em vários sentidos”, conta Alberto Blois, criador da Rio Info e integrante da TI Rio e Sindicato das Empresas de Informática.

“Esse evento articula ideias e oportunidades, incentivando os alunos a produzirem e as empresas a crescerem. Queremos que os alunos que se formam em Petrópolis tenham a oportunidade de crescer e criar as suas empresas na cidade. O sucesso do evento é resultado da credibilidade dessa proposta, empresas, academia e poder público trabalhando juntos”, diz Fernando Pessoa, diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico.

Estudantes animados com “Desafio Rio Info Petrópolis de Inovação”

“Oportunidade muito interessante para conhecermos novas formas de criação, adaptando os nossos conhecimentos. Muito animado e inovador”, diz Débora Linz Batista, aluna de engenharia de produção da UFF.“Participar desse tipo de desafio nos mostra como podemos colocar em pratica o que aprendemos na teoria. Nosso grupo ficou muito animado”, conta Caroline Carvalho, estudante de engenharia da produção da UFF.

Programação continua nessa quinta

Na quinta-feira (31.08) a programação contará com mesas redondas e palestras. A Secretaria de Desenvolvimento vai participar, às 16h, do painel “SpeedUp, Articulando geração de conhecimento, cultura empreendedora, inovação junto a entes públicos e privados”. Darlan Mendes, diretor do Departamento de Políticas Públicas de Ciência e Tecnologia, representará o poder público. Durante o debate, serão discutidas as políticas públicas e as ações privadas são essenciais para o fomento e desenvolvimento de um ambiente acolhedor de inovação. Como estas políticas podem ajudar na manutenção dos jovens bem qualificados no interior do estado. Quais os exemplos a serem balizados? Quais as ações locais e regionais? Também participarão desse painel Ricardo Kneipp, IFRJ Campus Engenheiro Paulo de Frontin, Alberto Blois, TI Rio, Claudia Pacheco, SEBRAE e Augusto Gadelha, do LNCC.

Confira a programação do dia 31 de agosto:

08h30- Credenciamento e coffee Break

09h- Mesa: Make-up e makers, explorando oportunidades com ciência e tecnologia.

Mesa de apresentação dos projetos vencedores em cada área do Desafio Rio Info Petrópolis de Inovação e a análise de oportunidades de emprego e alavancamento de cada uma das propostas.

10h15- Mesa: “StartUp, inovando com ciência e tecnologia: os centros geradores de conhecimento no processo de inovação

11h30 - Abertura do evento

Abertura do evento com representantes da comissão organizadora.

12h - Almoço e network

14h - Coffe Break

14h30- Palestra "Processamento de alto desempenho em GPU: visão geral, aplicações e tendências" por Roberto Souto.

14h30-  “WarmUp, consolidando uma cultura empreendedora na relação centro de pesquisas e empresas”.

16h – “SpeedUp, Articulando geração de conhecimento, cultura empreendedora, inovação junto a entes públicos e privados”

17h - Encerramento

Mesa formada pelo Comitê Organizador e convidados para a avaliação do evento.

18h- Happy Hour RioInfo  e network

A oportunidade de estudar durante os três anos do ensino médio em instituições de ensino particulares da cidade foi garantida nesse ano de 2018 a 11 alunos da rede municipal de ensino. As vagas são disponibilizadas por meio do Programa Todos pela Educação, criado pela da Lei municipal. O objetivo do é o de conceder bolsas integrais de estudo para alunos que ingressam no ensino médio.

As escolas da rede enviam para a Secretaria de Educação os nomes dos alunos que tiveram as notas mais altas nos últimos quatro anos do ensino fundamental e os que tiveram o melhor desempenho são convocados a se matricular nas unidades particulares cadastradas para participar do programa – o número de bolsas é definido pela Secretaria de Fazenda.

A oferta de bolsas de estudo por meio do programa é garantida com descontos no Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISQN). No caso das escolas, que são prestadoras de serviço, elas podem reverter 100% do ISS para as bolsas de estudo.

“Além das boas notas, para que o aluno possa ter acesso a uma das bolsas, ele precisa comprovar que ficou matriculado nos últimos seis anos em escolas da rede municipal. É uma forma de incentivar os alunos a estudar e ter um desempenho cada vez melhor”, explicou a secretária de Educação, Samea Ázara.

Nesse ano, os alunos foram matriculados nos colégios: Imperador MV1, Alaor (Centro e Itaipava), Fênix e São Thomás de Aquino. De acordo com a Secretaria de Educação, desde a sua implantação, em 2006, o programa já beneficiou 635 - contando com os 11 desse ano.

Cento e vinte e um ex-alunos do Centro Educacional Petropolitano Cristão (Cepec), no Quissamã, que teve o convênio com a Prefeitura cancelado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), já estão matriculados na rede municipal de ensino. Em reunião com os pais dos alunos, realizada na tarde desta terça-feira (27/1), a secretária de Educação, Mônica Freitas, deu boas vindas aos estudantes e anunciou que não haverá prejuízos com o material escolar e uniformes já adquiridos.

“Agradeço a compreensão das papelarias que prontamente atenderam aos nossos pedidos de ressarcimento e também a confecção que irá efetuar a troca dos uniformes pelos da unidade de ensino escolhida. Fizemos o possível para garantir aos pais e aos alunos o menor transtorno possível”, disse a secretária de Educação, Mônica Freitas, explicando ainda que orientadores pedagógicos vão dar suporte diferenciado aos novos alunos para que a adaptação curricular aconteça de forma satisfatória.

A maior parte dos alunos (83 deles) optou pelas vagas oferecidas no Liceu campus II (Rua Buenos Aires). Outros 33 foram absorvidos pelo Liceu campus I (Rua Oscar Weinschenck). Dois vão para a Escola Municipal Rosemira Cavalcante e outros três para o Colégio Padre Corrêa.

Daniele Moreira Maia é mãe de duas estudantes que foram para o Liceu. Ela elogiou a forma como a Prefeitura conduziu todo o processo. “Essa foi uma decisão difícil para todos os pais e alunos, mas também muito complicada para o município, que rapidamente precisou encontrar alternativas para atender todos da melhor maneira possível. Tenho certeza que o melhor foi feito para que os nossos filhos continuem tendo uma educação de qualidade garantida. Estou muito satisfeita”, afirmou.

Entenda o caso:

Há duas semanas o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) determinou o cancelamento do convênio da Prefeitura com o Centro Educacional Petropolitano Cristão (Cepec). A unidade de ensino oferecia 280 vagas para alunos da rede municipal, do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental. Com isso, o município anunciou que iria absorver 100% dos estudantes com vagas no Liceu campi I (Rua Oscar Weinschenck) e II (Rua Buenos Aires). Os pais poderiam, ainda, optar por outras unidades de ensino, se assim o desejassem.

Na ocasião, a secretária de Educação Mônica Freitas lembrou que o município e os representantes da escola não mediram esforços para que o convênio fosse mantido: “Essa determinação do TCE chegou neste início de ano e nos desdobramos para encontrar soluções. Conseguimos. As vagas estão garantidas e, agora, nosso objetivo é ajudar os pais na negociação de trocas ou devolução de materiais e uniformes. É importante lembrar que, na rede municipal, os pais não terão despesas com material escolar, que já é fornecido pela Prefeitura”, lembrou, durante o encontro com os pais na semana passada.

Unidade é uma das 15 escolas da rede municipal que oferecem ensino diferenciado

Língua Portuguesa, Matemática, Artes, Inglês, Iniciação Científica, Saúde e Vida e Corpo e Movimento. Essas são as atividades oferecidas para os 134 alunos da EM Senador Mário Martins, escola no Caxambu, que passou a atender integralmente os alunos da unidade escolar nesse ano de 2019. A EM Senador Mário Martins é uma das 15 escolas que oferecem o atendimento que proporciona atividades diferenciadas, mais refeições na escola e um ambiente seguro. Em toda a rede municipal já são 1.668 alunos beneficiados com a educação integral.

A educação em tempo integral está prevista no Plano Nacional de Educação. O investimento na educação em tempo integral coloca Petrópolis no rumo certo, porque o Plano Nacional estipula que, até 2025, pelo menos 50% dos alunos da rede precisam estar em escolas de tempo integral. Essa mudança na rede municipal vem acontecendo gradativamente. Em 2017, eram quatro escolas que ofertavam esse tipo de atendimento, agora, em 2019, a prefeitura aumentou esse número para 15.

A EM Senador Mário Martins foi toda preparada para atender os alunos de forma integral: salas temáticas foram criadas, criando ambientes mais interessantes e confortáveis para as crianças. “Temos salas de arte, iniciação científica, inglês e outros espaços que foram ajustados para receber os alunos. A dinâmica é diferente. Os estudantes visitam as salas de acordo com a oficina, o que torna o aprendizado mais interessante e a permanência na escola mais atrativa”, explicou a orientadora da EM Senador Mário Martins, Monique Lima.

A diretora da EM Senador Mário Martins, Maria Elisabete Cabral, destaca ainda as atividades mais apreciadas pelos alunos. “Eles estão amando as aulas de inglês e também gostam muito da oficina de Corpo e Movimento. Os profissionais que vieram trabalhar na escola são muito bons. Acreditamos que a educação integral pode ter um reflexo positivo no aprendizado pedagógico”, afirmou.

Bete, como é conhecida a diretora, conta ainda sobre a mudança na rotina da escola. “Todos nós estamos nos adaptamos a essa nova realidade, o aprendizado é diário e a aceitação da comunidade foi muito boa. A mudança foi boa principalmente para as mães que precisam trabalhar e não tinham onde deixar os filhos. Agora, elas sabem que eles estão na escola e aprendendo coisas novas”, contou.

Na EM senador Mário Martins, os 134 alunos – matriculados do 4º período da educação infantil até o 5º ano do ensino fundamental - entram 7h30 e saem 16h. Na escola eles têm acesso a quatro refeições: desjejum, lanche da manhã, almoço e lanche da tarde. É uma escola que se tornou integral nesse ano, mas, já está se tornando referência no atendimento por causa das boas práticas.

Adiel Lima, de 10 anos, é aluno do 5º ano e adora as aulas de matemática. “Gosto muito da escola e poder ficar mais tempo com os professores foi uma mudança legal. Estou aprendendo mais coisas com eles”, contou.

15 escolas oferecem atendimento integral

Passaram a atender de forma integral em 2019 as escolas: EM Johan; EM Luiz Carlos Soares; EM Senador Mário Martins (Caxambu); EM Monsenhor Cirillo Calaon (Jardim Salvador) e EM Magdalena Tagliaferro (Castelo São Manoel).

Além das cinco novas escolas que passarão a atender de forma integral em 2019, já oferecem esse tipo de atendimento as unidades escolares: Ana Mohammad (Sargento Boening), Soroptimista (Pedras Brancas), Leonardo Boff (Duarte da Silveira / Contorno), Colégio Gunnar Vingren (Valparaíso), Professor Nilton São Thiago (Nogueira), São Francisco de Assis (Moinho Preto), São João Batista (Duarte da Silveira), Dom Pedro de Alcântara (BR-040). Além dessas, duas escolas oferecem atendimento integral a partir de projetos distintos: Escola Santo Antônio do Vale do Cuiabá / Padre Quinha e o Centro Educacional Comunidade São Jorge.

Os pais que quiserem informações sobre o funcionamento das escolas que funcionam integralmente podem procurar o Departamento de Inspeção Escolar da Secretaria de Educação – 2246-8675.

15 unidades escolas funcionarão em tempo integral em 2019 Aumento de vagas e revitalizações em escolas e CEIs garantem qualidade na rede municipal de Educação

A permanência do aluno o dia todo na escola com atividades de aprendizado entusiasma os pais, envolve as comunidades e coloca Petrópolis no rumo certo: até 2025 o governo federal estipula que 50% dos alunos da rede precisam estar em escolas de tempo integral. Essa mudança na rede municipal vem acontecendo gradativamente e em 2019, mais cinco escolas passarão a atender integralmente os alunos, totalizando 15 unidades de ensino. A previsão é de que mais 500 estudantes sejam beneficiados.

Outro ponto que vem sendo trabalhado para garantir o conforto de alunos e servidores diz respeito às melhorias estruturais nos espaços escolares. Nesse ano, 32 unidades receberam e melhorias. Além disso, espaços serão adaptados para atender mais alunos da educação infantil.

O atendimento integral garante que os alunos tenham acesso a atividades educacionais diferenciadas, mais alimentação no ambiente escolar e segurança para os pais, que podem trabalhar tranquilos porque sabem que os filhos estão nas escolas. O objetivo é o de continuar aumento o número de unidades escolares que ofertam esse atendimento a cada ano. Passarão a atender integralmente as escolas: EM Luiz Carlos Soares (Morin) – 4º período ao 3º ano do ensino fundamental; EM Johann Noel (Bingen) – do 4° período da educação infantil até o 3° ano do ensino fundamental; EM Senador Mário Martins (Caxambu) – do 4° período da educação infantil até o 5° ano do ensino fundamental; EM Monsenhor Cirillo Calaon (Jardim Salvador) – 1° ao 3° ano do ensino fundamental e EM Magdalena Tagliaferro (Castelo São Manoel) – do 4° período da educação infantil até o 5° ano do ensino fundamental.

Aumento na oferta de vagas na educação infantil

Para garantir a inclusão de novos alunos na educação infantil, o poder público vem investindo em adaptações de espaços. Em 2018 o destaque foi a transformação da Escola Professora Hermínia Matheus para CEI Hermínia Matheus, no São Sebastião. Mais de 100 alunos estão sendo atendidos integralmente na unidade escolar. Outros espaços também receberam novos alunos: no total foram criadas mais 262 vagas para crianças em CEIs em 2018, mas o planejamento é o de aumentar a oferta em outros bairros. A Secretaria de Educação vai adaptar o Ciep Santos Dumont, no Independência e a Escola Augusto Meschick, na 24 de Maio. Além disso, no Centro, a Secretaria de Educação está ampliando o CEI Primeira Infância para garantir mais vagas na educação infantil.

Revitalizações garantem conforto para alunos e servidores

A revitalização de espaços educacionais em 2018 alcançou 18 unidades. Além disso, o poder público retornou com as obras no prédio da EM Jandira Bordignon, no Quitandinha, que havia sido paralisada em 2016. As intervenções foram retomadas em março de 2018. A precariedade do prédio ocasionou, em 2015, a transferência de todos os alunos para duas casas alugadas nas redondezas. A unidade, com infiltrações, goteiras, mofo e vazamentos, passou anos sem manutenção até que teve o prédio desativado. No novo prédio, a escola, localizada no Quitandinha, poderá atender até 700 alunos – matriculados desde a educação infantil até o 9º ano do ensino fundamental. A reforma compreende 12 salas de aula, biblioteca e quadra poliesportiva.

São mais de 42 mil alunos distribuídos em escolas e Centros de Educação Infantil. Apesar da crise financeira, o município evoluiu em dois anos, nas reformas, no retorno da obra da Jandira Bordginon e na transformação do CEI Hermínia Matheus. O município já planeja a revitalizações em outros espaços. Outra obra que garantirá conforto para os alunos será a da Escola São José do Caetitu. Os alunos – que foram transferidos para o prédio da escola Quinta do Lago – em outubro de 2016, ainda na gestão passada – poderão retornar ao seu prédio de origem. Estão previstas obras no telhado, parte elétrica e pintura.

Pagina 5 de 157

Banner INFOS ATUAIS2

Notícias por data

« Maio 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo