A tarifa de água sofrerá um reajuste de 6,99% a partir deste mês. O percentual é menor do que o aplicado ano passado, fixado em 7,40%. Em 2017, a prefeitura suspendeu reajuste dado pelo governo anterior de 11,1% e praticou um reajuste 3,7% menor e a partir apenas de maio. O novo percentual de reajuste à concessionária Águas do Imperador foi publicado no Diário Oficial e passou a vigorar a partir desta quinta-feira (01.02).

“São dois pontos a destacar: o usuário teve um alívio nos cinco primeiro meses do ano em que o reajuste foi suspenso e um índice quase quatro pontos percentuais menor do que o determinado pela gestão passada. O percentual atual é de recomposição”, defende o secretário de Fazenda, Heitor Maciel Pereira. A Tarifa Referencial de Água passa para R$ 3,1092 por metro cúbico.

O montante de recursos obtidos no primeiro ano da atual administração é maior do que o dos três anos anterior somados

Aquisição de equipamentos para hospitais e postos de saúde, obras de contenção de encostas, pavimentação de vias movimentadas do Centro, ampliação da rede de assistência social do município, além de reforma de quadras poliesportiva e do Palácio de Cristal – importante equipamento turístico da cidade. Tudo isso será possível graças ao trabalho feito pelo prefeito Bernardo Rossi para conseguir recursos federais para Petrópolis. A cidade conseguiu captar em 2017 R$ 23,3 milhões em recursos para custear 30 projetos importantes para a população petropolitana. Os recursos são frutos de emendas e atendem a pedidos de repasses apresentados pela atual administração.

São recursos fundamentais para a cidade que irão viabilizar projetos importantes para a população, como as melhorias na infraestrutura de equipamentos de Saúde, obras de contenção nas encostas, melhorias na pavimentação das ruas, entre outras ações. Enfrentamos um grande desafio, com a crise econômica nacional, que em Petrópolis foi agravada pelo montante de R$ 766 milhões em dívidas acumuladas nos últimos anos. Adotamos medidas para equacionar as dívidas e buscamos recursos para investimentos, porque a cidade precisa avançar. 

Os recursos são fruto de intensa articulação do prefeito junto ao governo federal e a bancada fluminense na Câmara. Com isso, foi possível obter em um ano um montante superior à soma dos três anos anteriores. Entre 2014 e 2016, a cidade conseguiu captar R$ 23 milhões, ou seja, em três anos, o município arrecadou menos do que o primeiro ano da administração de Bernardo Rossi. Os recursos obtidos começaram a ser investidos em 2017 e continuarão a ser aplicados esse ano em áreas como obras, saúde, turismo, esporte e assistência social.

A cidade enfrentou um ano de muita dificuldade na área financeira, com muitas dívidas a negociar e pagar e poucos recursos para investir. O caminho foi bater na porta do governo federal com os nossos projetos e articular com os deputados que querem ver Petrópolis avançar e crescer. O resultado já começou a ser visto em 2017 e terá ainda mais força com novas obras e mais serviços sendo realizados em 2018.

Investimentos em Saúde, Assistência Social, Obras, Turismo e Esporte

O maior volume de recursos foi destinado pelo Ministério do Esporte. São R$ 10,9 milhões. Desses, maior parte é para reforma de quadras esportivas na Comunidade do Alemão, Amazonas, Vale do Carangola, Taquara, Cascatinha, Madame Machado, Bairro da Glória, Corrêas, Vila São José, Comunidade Oswaldo Cruz, Duarte da Silveira, Araras, Alto da Serra e Sargento Boening. São R$ 8,1 milhões para reformas em piso, vestiário, troca de telas até a construção de coberturas.

Também foram liberados recursos pela pasta para a Realização dos Jogos Unificados de Petrópolis (JUPs) e do Agita Petrópolis, implantação de núcleos do Programa de Esporte e Lazer e do Programa Seleção do Futuro (futebol), além de aquisição de equipamentos para academias da Terceira Idade.

A Saúde tem quase R$ 4,9 milhões captados. São recursos vindos do Ministério da Saúde para atenção básica e para média e alta complexidade, para informatização do SUS no município, aquisição de equipamentos para postos de saúde e de um mamógrafo. Só para obras e compra de aparelhos médicos e outros equipamentos para o Hospital Municipal Nelson de Sá Earp foram captados aproximadamente R$ 1,8 milhão.

O Ministério das Cidades destinou R$ 3,7 milhões para obras no município, incluindo R$ 1,9 milhão para contenção de encostas na Rua 1º de Maio e no Vital Brasil e R$ 1,3 milhão para pavimentação no Centro Histórico. O restante será usado para inclusão do município em programas do governo federal.

Entre as emendas aprovadas pelo governo federal, a de maior valor foi liberada pelo Ministério do Turismo, que destinou R$ 1,4 milhão para reforma do Palácio de Cristal – segundo atrativo mais visitado na cidade. O restante (cerca de R$ 300 mil) vai para iluminação de pontos turísticos, totalizando R$ 1,7 milhão para a área.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário incluiu Petrópolis entre os beneficiados de recursos para estruturação de rede de assistência social e destinou R$ 1,5 milhão para construção de um novo Centro de Referência em Assistência Social (Cras) na cidade.

Irregularidades em 30 imóveis podem chegar a R$ 500 mil por ano

A Prefeitura está apertando o cerco aos condomínios de alto padrão onde há construções de mansões e casas de luxo, mas o imposto recolhido é registrado apenas como ITR (Imposto Territorial Rural). A irregularidade na legalização permite distorções grandes no valor do imposto a ser recolhido que deve ser o IPTU (Imposto Predial, Territorial e Urbano). Há casos em que o proprietário recolhe um valor mensal de R$ 140,00 de ITR. E com a edificação, o proprietário deveria quitar em torno de R$ 20 mil por ano. Com 30 notificações em operação recente a Secretaria Fazenda identificou que mais de R$ 500 mil podem ter deixado de ser recolhidos por ano por estes proprietários

Para fazer a fiscalização, o município está utilizando a tecnologia, com programas específicos de sondagem e imagens além de pesquisa em solo.

Na primeira etapa, as equipes fiscalizaram 3 condomínios nos distritos, alcançando mais de 400 lotes territoriais vistoriados quando foram emitidas cerca de 30 notificações. A equipe identifica o lote, verifica em um programa de imagens se há construção naquela determinada área e então realiza a vistoria no local, que tem o objetivo de constatar o padrão do imóvel, medição, quantidade de pavimentos, total de área construída entre outros.

As notificações informam ao proprietário que a área é registrada como ITR, mas que a Secretaria de Fazenda verificou que há edificações e solicita informações e vistoria interna do lote, para que seja feita a medição do imóvel.

No caso de não autorização de entrada para medição o cálculo do valor a ser lançado no imposto é feito por projeção (fazem fotos de áreas externas) o trabalho é feito em parceria com a Coordenadoria de Planejamento e Gestão estratégica, que tem imagens das áreas. As notificações dão prazo de 15 dias para que o proprietário retorne o comunicado. Todo processo de atualização do cadastro acontece no período de cerca de um mês.

Ainda segundo o poder público, o IPTU é um recurso fundamental para custear merenda para os alunos da rede, pavimentação de vias públicas, compra de medicamentos entre outros serviços e muito importante que o contribuinte esteja com o seu cadastro imobiliário atualizado. Com esta fiscalização, o município consegue identificar construções que não constam no cadastro do município, causando um déficit grande de arrecadação e prejudicando o planejamento anual da cidade.

Índice representa apenas a reposição da inflação, medida pelo IPCA


A Prefeitura vai encaminhar nesta semana à Câmara Municipal projeto de lei fixando em 6,14% o índice de reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para 2017. O índice representa apenas a atualização monetária,  com reposição da inflação projetada para este ano, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A correção deve ser feita anualmente, conforme previsto em lei. O índice de atualização vale também para créditos inscritos em dívida ativa. Com a conversão de créditos, uma Unidade Fiscal de Petrópolis (UFPE) passa a valer R$ 122,50.

“Em um cenário como o que estamos vivendo, em meio à maior crise política e financeira já enfrentada pelo Governo do Estado do Rio, não seria responsável impor à população e aos empresários da cidade reajuste acima da inflação. Estamos mantendo o entendimento que tivemos nos últimos anos, garantindo a atualização monetária”, informou o secretário de Fazenda, Paulo Roberto Patuléa.

Patuléa lembrou que o maior desafio da administração municipal em 2017 será buscar aumentar a arrecadação, sem, no entanto, sacrificar a população com aumento de impostos. “É necessário que o governo eleito mantenha uma política austera. Trabalhamos muito para garantir um aumento do Índice de Participação dos Municípios (IPM) e conseguimos, garantindo ao próximo governo, em 2017, quase R$ 35 milhões a mais em recursos”, detalhou, alertando, no entanto, que esses recursos não garantirão conforto financeiro.

“Estamos vendo a crise no Governo do Estado se agravar cada vez mais e não estamos enxergando um movimento de reação da economia. A arrecadação referente às transferências estaduais continua caindo (de julho a outubro, a arrecadação de ICMS e Fundeb, apenas para citar dois exemplos, foi R$ 7,5 milhões menor do que a de 2015) e a possibilidade de que os mais de R$ 20 milhões que o Governo do Estado deve a Petrópolis sejam pagos em curto prazo está cada vez mais distante. Todos os municípios do Estado estão enfrentando sérias dificuldades e não somos exceção. Temos que ser responsáveis”, finalizou.

A Prefeitura instalou um posto avançado nas feitas livres do Centro e do Alto da Serra para a formalização e o cadastramento de microempreendedores individuais (MEIs). Em apenas três dias de atendimento itinerante, 29 feirantes formalizaram suas atividades como novos microempreendedores individuais. Ao todo, 133 pessoas foram atendidas e tiraram dúvidas sobre o assunto.

Com a formalização garantida pela Prefeitura, trabalhadores que eram informais passam a ter direito a aposentadoria e assistência da previdência social provida pelo INSS. Esses trabalhadores também passam a ser parceiros preferenciais da Prefeitura para compras governamentais, já que os MEIs são pessoas jurídicas com CNPJ, alvará e podem emitir notas fiscais para fornecer mercadorias e serviços a outras empresas, órgãos e autarquias municipais, estaduais e federais.

Alguns tipos de serviços que podem ser providos pelos MEIs alcançam as pequenas obras, pinturas e reformas em escolas, creches, postos de saúde e várias outras demandas comunitárias. Não há custo algum para se formalizar, e a contribuição mensal do MEI é fixa, alcançando o valor máximo de R$ 42,20.

A ação nas feiras livres teve por objetivo levar estes benefícios aos feirantes e prepará-los para que, muito em breve, possam operar com cartões de crédito, inclusive com o Cartão Imperial.

O posto avançado da Prefeitura foi uma ação conjunta entre Secretaria de Fazenda; Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Produção; Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Cidadania (Setrac) e Fundação de Cultura e Turismo. A ação foi realizada na feira livre do Centro nos dias 3 e 7 de junho (terça-feira e sábado) e no dia 8 de junho (domingo) no Alto da Serra.

Mais de 91 mil contribuintes petropolitanos receberão, a partir desta semana, os carnês para pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) 2016. As guias foram enviadas, pelos Correios, na última semana. Quem estiver em dia com o pagamentos de seus tributos pode optar pelo pagamento em cota única, obtendo descontos de até 12% Para ter a redução de 12% é preciso quitar o tributo até 21 de janeiro. Há, ainda, outras duas opções de vencimento: quem pagar até 22 de fevereiro garante 10% de desconto e até 21 de março, 7%.

O secretário de Fazenda, Paulo Roberto Patuléa, lembrou quem estiver com o pagamento do imposto em dia, poderá, ainda, concorrer a um carro zero quilômetro (Volkswagem UP 1.0). “Faremos o sorteio do carro zero quilômetro, como em 2015. Todos os contribuintes em dia com o tributo concorrerão ao prêmio”, frisou, lembrando que, quem tem débito, ainda pode negociar a dívida, garantindo participação no sorteio.

Nos carnês, que serão entregues já com a atualização monetária (a atualização foi de 8,91%, quase dois pontos percentuais abaixo da inflação), os contribuintes receberão mensagens informando sobre a situação em relação ao IPTU, ou seja, quem está em dia com o pagamento receberá mensagem de parabéns e quem tiver algum débito receberá mensagem de alerta para que se regularize.

“É importante lembrar que, em caso de qualquer dúvida, as pessoas devem procurar a Secretaria de Fazenda”, pediu o secretário, lembrando casos como os de contribuintes que tiveram seus imóveis atingidos pela chuva em 2011 no Vale do Cuiabá e tiveram seus imóveis interditados pela Defesa Civil. “Como trabalhamos com dados cadastrais, é possível que algumas famílias recebam os carnês. Nestes casos, basta desconsiderar o envio”, explicou Paulo Roberto Patuléa, alertando que esses contribuintes devem procurar a secretaria, na Rua 16 de Março, 183, para a atualização do cadastro.

Verbas de emendas parlamentares vão custear projetos

Valores beneficiarão cinco projetos que serão implantados em 2019

O fortalecimento da promoção do turismo em Petrópolis, a revitalização do lago de nogueira, a instalação de polo de capacitação do Senar, a aquisição de equipamentos agrícolas e as melhorias no Espaço Empreendedor estão confirmadas para o próximo ano graças a emendas parlamentares destinadas a Petrópolis. O valor total dos repasses chega a R$ 2 milhões e a previsão é a de liberação dos recursos no próximo ano.

A meta é usar os recursos próprios para manter os serviços à população, como saúde e educação. “Com verbas da União investimos em novos programas e obras. Assim, podemos garantir crescimento e manutenção do que é essencial ao mesmo tempo”.

A reforma e a ampliação do espaço destinado ao polo de capacitação rural de Petrópolis está prevista em um recurso do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento através de uma emenda parlamentar. O repasse é de R$ 365 mil. O objetivo é o de fazer adequações no Hortomercado Municipal de Itaipava para abrigar um polo de ensino do Senar - Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - com a oferta de cursos técnicos para agricultores. A intenção é a de fazer a troca das instalações hidráulicas e elétricas, recuperação de telhados, colocação de pisos e construção de novos banheiros, atendendo, inclusive, todas as demandas de acessibilidade.

Outra emenda beneficiará a agricultura: aquisição de máquinas, equipamentos e veículo para fomento à produção agropecuária, com a compra de máquinas como Arado Reversível, Roçadeira de Arrasto e Conjunto de Lamina Dianteira para trator, para utilização nas propriedades rurais do município afim de dar agilidade e melhoramento nas diversas produções. Ainda há a intenção de se obter um rolo compactador, caçamba trituradora, caçamba peneira para retro, engates fixos e kit grelha para uso na pavimentação das estradas vicinais a custo zero. O recurso será proveniente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento com o valor de R$ 386 mil.

O poder público criou um Grupo de Trabalho que estuda formas para aumento da arrecadação e redução de despesas e faz parte desse planejamento o requerimento de emendas parlamentares. Desenvolvimento Econômico, Planejamento, Controladoria e Fazenda continuam esses estudos e faz questão de confirmar o recebimento dessas emendas que com certeza beneficiarão a agricultura e o turismo e também incentivará o crescimento de novos negócios”, explica Marcelo Fiorini, titular do Desenvolvimento Econômico.

A elaboração de projetos e convênios em instituições públicas constitui importante meio de atração de recursos para investimentos produtivos. O Departamento de Convênios da prefeitura de Petrópolis é composto por uma equipe técnica e multidisciplinar de profissionais qualificados para atuarem junto aos Ministérios em busca de recursos para os projetos que estão alinhados ao plano de governo da prefeitura. O resultado da captação dos convênios em questão é fruto do trabalho dessa equipe multidisciplinar.

Uma das emendas diz respeito à revitalização da orla do Lago de Nogueira e a construção do Parque Jardim Botânico de Petrópolis. Esta terá origem a partir de uma proposta voluntária feita ao Ministério do Turismo. O valor do repasse será de R$ 911.877,39. O objetivo será o de fazer intervenções no entorno do Lago de Nogueira e todo seu complexo, para a melhoria da acessibilidade e da contemplação, além da criação de um Jardim Botânico.

O fortalecimento e promoção do turismo em Petrópolis também serão contemplados. No valor de R$ 200 mil, o repasse será utilizado para a divulgação de eventos turísticos de Petrópolis, no ano de 2019, através de material gráfico (folhetos) e outdoors em estradas. O recurso será repassado pelo Ministério do Turismo através de uma emenda parlamentar. O valor de contrapartida do município no investimento será de R$ 8 mil.

Também há uma emenda direcionada a melhorias no Espaço Empreendedor que este ano registrou mais de 8 mil atendimentos, a maior parte delas de pessoas que desejam empreender na cidade e encontram no EE desde a consulta de viabilidade até a possibilidade de se adquirir o microcrédito. “Queremos expandir o atendimento e oferecer ainda mais serviços gratuitos em um local preparado para bem receber aqueles que estão investindo na nossa cidade”, completa Fiorini.

O recurso do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços é resultado de uma emenda parlamentar no valor de R$ 150 mil. No novo EE está prevista a construção de um auditório e realização de oficinas.

A Prefeitura de Petrópolis vai garantir, nesta terça e quarta-feira (29 e 30/11), o pagamento dos servidores municipais ativos e inativos referente ao mês de novembro. Apesar das dificuldades financeiras geradas pela queda na receita proveniente de transferências federais e estaduais e do calote do Governo do Estado, que deve quase R$ 25 milhões ao município, a administração vai, mais uma vez, priorizar os salários, evitando atrasos e parcelamentos, como vem acontecendo no Estado e em diversos municípios fluminenses. O pagamento do 13º salário, que poderia ser quitado com recursos devidos pelo Estado ao município, no entanto, será adiado, ficando para o início de 2017.

O secretário de Fazenda, Paulo Roberto Patuléa, que ainda durante a tarde se reuniu com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Petrópolis (Sisep), Oswaldo Magalhães para falar sobre as dificuldades enfrentadas pelo município, lembrou que o município empreendeu todos os esforços para garantir o pagamento do abono, mas não houve reação da economia nem o pagamento de débitos que poderiam assegurar os recursos necessários. “Vamos continuar trabalhando para garantir também o pagamento de dezembro em dia. Estamos nos esforçando muito e vamos tentar, até o último dia de dezembro, garantir que os recursos que são do município efetivamente cheguem aos cofres municipais”, disse, lembrando que, se não fosse a queda na arrecadação e o calote estadual, o município não estaria enfrentando essas dificuldades agora.

“São consequências da irresponsabilidade do Governo do Estado. Estamos vendo essa crise se agravar cada vez mais e não estamos enxergando um movimento de reação da economia. A arrecadação referente às transferências continua caindo (de julho a outubro, as transferências estaduais referentes a ICMS e Fundeb, apenas para citar dois exemplos, foram R$ 7,5 milhões menor do que a de 2015) e a possibilidade de que os quase R$ 25 milhões que o Governo do Estado deve a Petrópolis sejam pagos em curto prazo está cada vez mais distante. Todos os municípios brasileiros e principalmente os do Estado do Rio estão enfrentando sérias dificuldades e não somos exceção”, lamentou, lembrando que Petrópolis foi o primeiro município do Estado a denunciar as sucessivas faltas de repasses obrigatórios que são de responsabilidade do governo estadual.

A garantia de pagamento dos salários em dia, lembra Patuléa, é fruto de uma política austera, com busca incessante para reduzir as despesas com a máquina pública. “Se não tivéssemos feito isso, provavelmente já teríamos deixado de pagar os salários em dia. Reduzimos salários do prefeito, secretários e cargos comissionados e fizemos uma grande reforma administrativa, que incluiu a fusão de secretarias, com extinção de cargos comissionados e funções gratificadas, e criação de um Centro Administrativo Municipal, que gerou economia nas despesas com aluguéis e logística. Será necessário, em 2017, dar continuidade a este trabalho”, frisou o secretário, afirmando, ainda, estar confiante de que o prefeito eleito conseguirá trazer para a cidade os recursos devidos especialmente pelo Estado. “Ele é amigo do governador e já afirmou várias vezes ter articulação com os representantes do Estado. Sem dúvida conseguirá receber os recursos devidos. Além disso, fizemos nossa parte, garantindo ao próximo governo R$ 35 milhões a mais no orçamento de 2017. Temos, ainda, muitos outros créditos a receber e já sinalizamos isso ao governo eleito”, finalizou.

Salários foram depositados nesta terça-feira

A prefeitura pagou nesta terça-feira (31.01) salários dos 12 mil servidores públicos do município, de funcionários da administração vinculada, como Fundação de Cultura e Turismo, e de autarquias municipais - Companhia Municipal de Desenvolvimento e Companhia Petropolitana de Transito e Transportes. Vencimentos de ativos, inativos e efetivos do Instituto de Previdência Social (INPAS), já haviam sido depositados na sexta-feira (27).

“Com isso cumprimos o compromisso assumido com os sindicatos de, apesar da situação crítica em que encontramos as contas do município e de todas as dívidas, mantermos em dia os salários dos nossos servidores, o que é uma obrigação nossa”, disse o prefeito Bernardo Rossi, lembrando que desde o primeiro dia à frente da prefeitura, medidas de austeridade foram adotadas para “fechar as torneiras do desperdício”.

Ao todo a folha de pagamento líquida do município consome por mês R$ 34,8 milhões do orçamento municipal. Parte destes recursos - R$ 550 mil – destinados ao INPAS custeiam o pagamento de 2.124 aposentados e 677 pensionistas – um total de 2.801 pessoas.

“Quitamos hoje a folha líquida e até o dia 20 – dentro do prazo legal -  todos os valores retidos nos salários dos servidores serão repassados aos entes destinatários”, afirma o secretário de Fazenda, Heitor Luiz Maciel Pereira.

Além de funcionários da CPTrans, Comdep servidores da prefeitura, da Cultura, Educação e Saúde, a Secretaria de Fazenda quitou ainda R$ 1 milhão referente às despesas com mão de obras nas duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade. A UPA Centro recebeu R$ 461 mil e a UPA Cascatinha R$ 587 mil.

Dívida acumulada com aluguéis é de R$ 1 milhão

O aluguel de 82 imóveis gera ao município uma despesa de R$ 6,4 milhões por ano. Levantamento feito em secretarias e autarquias da prefeitura aponta ainda uma dívida de R$ 1 milhão referentes a atrasos nos pagamentos de contratos de locação de imóveis, alguns deles acumulados há 4 anos. Por determinação do prefeito Bernardo Rossi, todos contratos serão revistos com o objetivo de reduzir as despesas de aluguel.

“O rombo encontrado nas contas exige austeridade. Nossa política é de responsabilidade na administração da cidade e na gestão dos recursos públicos. Isso só é possível com o controle rigoroso das contas. Vamos rever e renegociar as despesas para reduzir tudo quilo que for possível, sem prejudicar a prestação de serviços à população”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

O montante gasto anualmente com o aluguel de imóveis, entre os quais salas, galpões e terrenos, é considerado inconcebível pelo coordenador de Gestão Estratégica do município, Roberto Rizzo Branco.

“É um absurdo que a prefeitura gaste mais de R$ 6 milhões por ano com aluguel de imóveis. Este montante representa quase 50% do valor previsto no orçamento deste ano para investimentos em todas as áreas do município, que é de R$ 13 milhões. A média mensal destes alugueis é muito alta. A determinação do prefeito é para que façamos a revisão de todos os contratos, para reduzir esta despesa, eliminando, em um prazo razoável, o máximo possível estes aluguéis”, explica Roberto Rizzo.

O maior montante de despesas está na Secretaria de Administração, responsável pelo aluguel de 17 imóveis que geram por ano uma despesa de R$ 2,4 milhões. A pasta  acumula hoje uma dívida de R$ 370 mil.  Responsável pelo aluguel de 16 imóveis, a Secretaria de Educação tem uma despesa anual de R$ 1,5 milhão e acumula uma dívida de R$ 129 mil. Já a Secretaria de Saúde tem um gasto mensal de R$ 1,2 milhão para custear o aluguel de 33 imóveis, entre os quais postos de saúde da família.

A análise dos dados apurados até o momento aponta problemas graves de gestão dos contratos, entre os quais o aluguel de um posto de Saúde sob a responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) e a falta de providências do município quanto ao aluguel de um terreno que abriga carcaças de mais de 40 ônibus a custo mensal de R$ 12 mil, o que gerou uma divida acumulada de mais R$ 500 mil à Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes. “São situações que deixam claro o descontrole nas contas do município. Manter por 4 anos o aluguel de uma área a um custo mensal de R$ 12 mil, sem pagar o aluguel ou tomar qualquer providência para resolver a situação, é um absurdo”, conclui Roberto Rizzo.
Pagina 31 de 40

Alvará Online - BANNER

Notícias por data

« Novembro 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30  

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo