O objetivo do trabalho é conscientizar as crianças e os adolescentes sobre a importância de preservar o meio ambiente

Alunos do 5º ano do ensino fundamental I da Escola Municipal Augusto Pugnaloni plantaram 50 mudas no Parque Municipal, em Itaipava, nesta quarta-feira (03.10). Os jovens também aprenderam sobre a importância da preservação ambiental com uma aula ao ar livre, realizada pelos técnicos da prefeitura. A ação teve como objetivo destacar a importância das árvores para o ecossistema, além de explicar como elas podem diminuir os impactos causados pelo homem na natureza. O trabalho foi realizado em conjunto pelas Secretarias de Meio Ambiente e de Educação, Comdep e o Gabinete da Cidadania.

A ideia é cultivar nas crianças e nos adolescentes a cultura de preservar o meio ambiente, com ações orientadas nas escolas e nas comunidades. Por cerca de 15 minutos, os alunos ouviram atentamente sobre as diversas finalidades das árvores para a natureza, como no auxílio da purificação e na umidade do ar. O coordenador de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Anderson Maverick, destacou a importância da ação na vida dos jovens.

"Essa é uma experiência única na vida dessas crianças, que criam laços com o meio ambiente através das mudas que elas mesmo plantam. A ideia é que possam retornar ao Parque Municipal, com seus pais e amigos, e acompanhar a evolução e o desenvolvimento dessas árvores", explicou Anderson, que detalhou para os estudantes a forma correta de plantar as árvores, com o auxílio das equipes da COMDEP.

Maria José da Costa, orientadora da EM Augusto Pugnaloni, disse que os pontos destacados na palestra auxiliam os alunos a cuidar melhor do meio ambiente, principalmente na região próxima da escola e em seus bairros. Além disso, os jovens funcionam como disseminadores de conhecimento.

“Tenho certeza que os alunos adoraram a novidade. É uma forma interativa e participava dos alunos aprenderem sobre os cuidados com o meio ambiente. Acredito também que eles funcionam como uma semente, que vai crescer e espalhar o conhecimento”, disse Maria José.

O trabalho faz parte do projeto Árvores da Minha Escola, criado neste ano pela Secretaria de Meio Ambiente, que já levou cerca de 800 alunos da rede municipal para o plantio de 1.500 árvores. As ações acontecem nas escolas que contam com pátio ou com espaços para receberam as mudas, além de espaços públicos, como o Parque Municipal ou o Parque Natural, na Av. Ipiranga.

“Petrópolis é um município que conta com diversos recursos naturais e precisamos trabalhar para que eles sejam preservados. Ações como essa, que ensinam as crianças e o adolescentes, é a melhor maneira de garantirmos no futuro uma cidade com menos crimes ambientais”, afirma Renato Couto, secretário de Meio Ambiente, garantindo que o governo municipal trabalha para que as áreas verdes do município sejam preservadas.

Ainda este ano, a prefeitura vai colocar em prática o programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) do Ministério do Meio Ambiente. Estão sendo elaborados projetos para o uso consciente dos recursos naturais dos prédios administrados pelo governo municipal, além de ações para adequar o descarte dos resíduos gerados nestes locais. Petrópolis será a primeira cidade da Região Serrana do Estado a participar do projeto.

Também como parte das ações de preservação, o Meio Ambiente colocou até o momento 120 placas em diversas cachoeiras, trilhas ecológicas e áreas de preservação ambiental do município. Serão instaladas 400 em aproximadamente 3 meses nas regiões de maior risco de acidente na cidade. O trabalho está sendo realizado de forma estratégica para receber a alta temporada que começa em outubro.

“São dicas simples, como jogar lixo no lixo, mas que vai contribuir na limpeza e na preservação do bairro como um todo. A ideia é conscientizar, alertar e educar os moradores", disse o secretário de Meio Ambiente, Renato Couto, destacando que o trabalho antecipado nas trilhas e cachoeiras vai reduzir o número de acidentes e de ocorrências nestes locais.

Tema foi tratado mais uma vez na barraca montada pela Comdep na Serra Serata para dar informações sobre o trabalho e a importância da reciclagem

Os grandes eventos da cidade são, também, uma oportunidade para falar sobre o trabalho de coleta seletiva realizado na cidade e a importância da reciclagem. Durante o Serra Serata, no Palácio de Cristal, a Comdep manteve a barraca que traz informações sobre o assunto e exibe peças de artesanato feitos com materiais que tinham o lixo destino. Em Petrópolis, cerca de 60 toneladas de materiais como plástico, papel, metal e vidro em seis bairros no recolhimento feito “Porta a Porta” e mais três com a coleta eventual. Já nos ecopontos da Mosela e de Itaipava, foram 40,5 toneladas recebidos de janeiro a junho com quase 1,2 mil participantes do programa.

Atualmente, a coleta seletiva do programa “Porta a Porta” é feita com três caminhões e um roteiro que atua em Bingen (segunda), Mosela (terça), Valparaíso (quarta), Morin (quinta), Alto da Serra (sexta) e Bairro Castrioto (sábado).

Quem mora nesses bairros precisa apenas separar o lixo orgânico do lixo seco, ou seja, não pode misturar, por exemplo, alimentos com papel, plástico, vidro e metal. No dia em que a coleta passa no bairro, basta deixar o material que vai ser reciclado no portão de casa que o caminhão vai coletar e levar para o Centro de Reciclagem de Cascatinha. Em Cascatinha, esse material passa por triagem e é separado pela cooperativa Deus na Guerra. Outras cooperativas também podem receber esse material.

Materiais como garrafa pet, caixinha de leite, pote de manteiga, latinha de bebidas, entre outros que armazenam alimentos podem ser deixados para a coleta seletiva. Para isso, basta lavar essa embalagem com água antes do descarte. Se esses materiais ainda tiverem resíduos de alimentos, podem acabar sendo danificadas pelo mofo ou alguma bactéria. A única exceção é o óleo de cozinha, que também pode ser reaproveitável.

“Existe uma maneira bem simples de saber se algum material pode ser reciclável: é só procurar na embalagem um desenho com três setinhas, uma apontando para outra. Esse é o símbolo da reciclagem e todo material que pode ser reaproveitável, por lei, tem que ter essa indicação”, conta a coordenadora de educação ambiental da Comdep, Jussara Gatto Justen. As três setas significam o percurso desse material no planeta: a indústria que fabrica o produto; o consumidor que faz o uso dele; e o retorno desse resíduo para a cadeia produtiva (através da reciclagem).

Além do Porta a Porta, também existe a coleta eventual, que acontece no Centro, em Corrêas e Araras em dias alternados.

Tempo de decomposição

 A coleta seletiva e a reciclagem têm um duplo impacto ambiental. Primeiro porque o material descartado da maneira correta não degrada o meio ambiente. E segundo porque o reaproveitamento dele reduz a necessidade de consumir os recursos naturais.

O papel descarte de maneira incorreta demora três meses para se decompor completamente. Já quando é reaproveitado corretamente, com 50 kg é possível poupar uma árvore.

Alguns tipos de plástico podem demorar 450 anos até se decompor. Com a reciclagem de 1 tonelada desse material, é possível economizar milhares de litros de petróleo.

O alumínio leva mais de 1 mil anos até o processo final de decomposição. No entanto, 1 tonelada que for reaproveitada diminui em 5 toneladas a quantidade de minério extraído.

Já o vidro, com tempo de decomposição de 1 milhão de anos, consegue poupar, a cada tonelada reciclada, 1,3 tonelada de areia.

Todas essas informações são expostas em cartazes informativos nas barracas nos grandes eventos, como aconteceu novamente no Serra Serata. Na última sexta-feira (21.09), por exemplo, 24 alunos de 10 a 17 anos do Colégio e Curso JGS, da Ilha Governador, aproveitaram o passeio pela cidade para ir na barraca e ter uma aula sobre esse assunto, que é recorrente na escola.

“Nós aprendemos na aula de Ciências que tem separar tudo em sacos de lixo, o papel, o vidro. O que mais me chamou a atenção na barraca foi o tempo de decomposição do vidro, que demora 1 milhão de anos. Isso mostra a importância da reciclagem”, diz o estudante do 4º ano, Miguel Pereira, de nove anos.

“Nós já trabalhamos ensinando o que é reciclagem e aqui eles podem ver na prática como isso funciona. Esse ano, a feira de matemática também falou desse tema, com a utilização de materiais que podem ser reciclados e não usamos isopor nas maquetes. É importante poder mostrar como fazer a coleta seletiva. É o exercício da cidadania que a escola tem esse papel de ensinar”, ressalta a coordenadora da escola, Mariana Costa.

 “Ainda há outros benefícios quando a população faz a coleta seletiva e a reciclagem, como a melhora da limpeza das ruas e bairros, a redução da poluição de solo, água e ar, a oportunidade de gerar emprego e renda com a comercialização desses materiais recicláveis. Fazer a coleta seletiva e a reciclagem traz inúmeras vantagens para o mundo”, ressalta o diretor técnico-industrial da Comdep, Marcos Albuquerque.

Em Petrópolis, coleta seletiva também reduz a conta de luz

A cidade tem dois ecopontos de coleta seletiva em que qualquer pessoa pode levar o material reciclável e ainda obter descontos na conta de luz. O programa é mantido em parceria entre a Comdep e a Enel Distribuição Rio. A concessionária fica com os materiais que podem ser reciclados e, para isso, faz o abatimento dos valores de acordo com uma tabela fixa. A recepção desses materiais e o cálculo do desconto é feito por funcionários da Comdep.

Para participar, basta levar os materiais no ecopontos da Mosela – Rua Mosela, sem número, em frente à Cruz Vermelha (segunda a sexta, de 7h30 e 16h30) – ou do Parque Municipal de Itaipava – Estrada União e Indústria, 10.000 (todos os dias, de 8h às 17h). Na primeira vez, é só levar uma conta de luz que o cadastro é feito na hora e a pessoa recebe um cartão. Cada vez que o material for entregue nos ecopontos, basta levar o cartão que o desconto é computado e vem na próxima conta que receber.

Até julho, a Mosela tinha 942 participantes e 24 toneladas recolhidas. Já em Itaipava, eram 247 e 16,5 toneladas entregues.

Os ecopontos recebem papel e papelão; garrafas de plástico de refrigerante (garrafas pet); latas de cerveja e refrigerante; embalagens tipo longa vida; embalagens de vidro (garrafas de cerveja, refrigerantes, copos, vidro de café solúvel, aguardente, etc); ferros em geral; plásticos (embalagens de detergente, água sanitária, margarina, copos, etc).

Terça, 01 Outubro 2013 - 09:01

GPA e bombeiros resgatam capivara

Homens do Grupamento de Proteção Ambiental da Guarda Civil e do Corpo de Bombeiros realizaram no início da tarde desta segunda-feira (30/9) o resgate de uma pequena capivara na Rua Cristóvão Colombo, na Castelânea. O animal estava dentro de um córrego com diversas escoriações.

A equipe chegou até o local por meio de informações dos próprios moradores da região. A capivara estava sozinha e foi levada pelos homens do GPA/GCM para o atendimento médico. A coordenadora do Núcleo do Bem Estar Animal, veterinária Rosana Portugal, disse que o animal estava ferido e estressado. “Medicamos e logo em seguida o libertamos. Algumas capivaras podem morrer devido ao estresse”, explicou Rosana Portugal.

Responsável pelo terreno não respeitou a distância mínima para o leito do rio

Ele será multado também por não ter as licenças de obras e de meio ambiente

O setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente embargou a construção de uma casa em uma área de preservação permanente na Estrada do Taquaril, na Posse, em uma operação realizada nesta quinta-feira (19.07) na região. O dono do terreno não respeitou o afastamento mínimo exigido pela legislação ambiental entre o início da obra e a beirada do rio, além de não possuir as licenças de obras e ambiental para as intervenções. Por conta das irregularidades encontradas, ele também será multado. Com o auxílio de um drone, a equipe de fiscais chegou ao local após a denúncia de moradores do bairro.

No momento da vistoria, os fiscais mediram a distância entre a margem do rio e a obra e constataram que estava há 15 metros, quando a legislação ambiental exige a distância mínima de 30 metros do curso hídrico. Além disso, a construção está em uma área de preservação permanente, e por isso, não possui as licenças necessárias.

“Neste caso específico constatou-se que a obra está sendo realizada em uma área de preservação permanente, ou seja, ela não poderia estar sendo realizada. Um responsável técnico poderia informar isso ao morador. É fundamental que as construções tenham acompanhamento para que esse tipo de situação seja evitada”, disse Miguel Fausto, chefe do setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente, existe um procedimento legal de permissão para qualquer tipo de construção. É imprescindível o acompanhamento técnico da obra, garantindo que os moradores consigam junto à prefeitura o licenciamento de obras e de meio ambiente.

Também nessa semana, os fiscais notificaram o dono de uma oficina mecânica na Rua Anna Nery, em Cascatinha, que funcionava sem o alvará de localização e a licença ambiental que permite a atividade. Ele ganhou um prazo de 30 dias para dar entrada na documentação necessária, caso contrário, ele será multado. 

“Em alguns pontos do terreno foram detectados vestígios de resíduos líquidos em contato direto com solo, que deveriam ser óleos lubrificantes ou graxas, proveniente das peças, o que pode resultar na contaminação do solo. É importante que o dono do estabelecimento tenha todas as autorizações antes de começar a oferecer o serviço”, completa Miguel.

Setor de fiscalização: trabalho com foco na prevenção

O setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente atendeu mais de 1.500 denúncias em 18 meses de trabalho. Neste período foram entregues 180 multas e 380 notificações. Em janeiro deste ano, os fiscais passaram a contar com o auxílio de um drone, que já realizou 152 horas de sobrevoo em atendimentos aos chamados de crimes ambientais. De todos os casos atendidos pelo setor desde o início do ano passado, cerca de 47% são de desmatamento. Outros 21% foram de queimadas.

Por conta da demanda, o setor organiza um cronograma de visitas na cidade e também a partir de denúncias, fazendo vistorias em locais apontados pelos reclamantes. Os telefones para denúncias são o (24) 2233-8180 e (24) 98828-8633. A população também pode ir na Secretaria de Meio Ambiente, que fica no Centro Administrativo, na Av. Barão do Rio Branco, 2.846 – Centro. O horário de funcionamento é de 9h às 18h, de segunda a sexta.

Ação tem como objetivo aumentar a segurança dos frequentadores dos locais

O material traz ficas de segurança e questões de educação ambiental

A Secretaria de Meio Ambiente vai instalar placas de sinalização e de orientação na cachoeira da Macumba, em Itaipava, e no Vale das Videiras nesta quarta-feira (15.08). A ação tem como objetivo aumentar a segurança destes locais, alertando sobre os riscos existentes aos frequentadores, além de conscientizar sobre a importância do descarte correto do lixo produzido em áreas verdes. São 12 dicas de segurança para os usuários, entre elas, correntezas, pedras escorregadias e cuidado com as crianças. O material contém também questões de educação ambiental, como não alimentar os animais silvestres ou deixar restos de comidas e bebidas.

Até o momento, a Secretaria de Meio Ambiente colocou 45 placas em diversas cachoeiras, trilhas ecológicas e áreas de preservação ambiental do município. Serão instaladas 400 em aproximadamente 3 meses nas regiões de maior risco de acidente na cidade. A instalações começaram de forma estratégica para receber a alta temporada que começa em outubro, e as regiões com cachoeiras e trilhas, recebem em média de 15 a 20 mil pessoas.

A Secretaria de Meio Ambiente quer conscientizar, alertar e educar sobre os perigos que as áreas podem apresentar para os usuários. Muitas pessoas não sabem que algumas práticas nesses locais, são perigosas e às vezes até criminosas. O poder público está presente e atento também nessas regiões.

O vice-presidente da associação de moradores do Bonfim, Marco Antônio Coelho, acompanhou a instalação das placas no Poço do Tchê, realizada no dia 30 de julho. Ele destacou a importância deste tipo de trabalho antecipado, que vai reduzir o número de acidentes e de ocorrências na região.

“Esta ação está sendo muito importante para o Bonfim. Aqui é um lugar turístico. Já conseguimos reduzir em 98 % as queimadas entre os produtores rurais. As placas vão conscientizar a população e os turistas para preservação e manutenção da nossa região”, disse Marco Antônio.

O Setor de Educação Ambiental tem mais de 70 trilhas catalogadas no município e 15 cachoeiras com boa acessibilidade. As trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, por exemplo, já são sinalizadas. A instalação das placas pelo município segue um cronograma de ações do Projeto Inteligência Ambiental, do Setor de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente.

“Queremos aumentar as vertentes da Educação Ambiental e, por conta disso, realizamos um trabalho também nas escolas. A ideia é evidenciar as ações para todo o município. O projeto Inteligência Ambiental, é um trabalho que teve uma pesquisa completa para fosse desenvolvido com total fundamento, dentro da realidade da cidade”, aponta o coordenador de Educação Ambiental, Anderson Maverick.

Ação acontece no próximo sábado em parceria com a Comdep e a Associação de Moradores do bairro

A Secretaria de Meio Ambiente vai instalar placas que orientam sobre o descarte correto do lixo domiciliar na Comunidade do Neylor no sábado (29.09) às 9h. O objetivo é conscientizar a população com dicas simples de educação ambiental, mas que ajudam no desenvolvimento da qualidade de vida dos moradores do bairro, prevenindo doenças. Além disso, também será colocada a sinalização nas áreas de preservação permanente, destacando a importância da proteção destes locais. A ação acontece em parceria com a Comdep e com a Associação de Moradores do Neylor.

O Meio Ambiente colocou até o momento 120 placas em diversas cachoeiras, trilhas ecológicas e áreas de preservação ambiental do município. Serão instaladas 400 em aproximadamente 3 meses nas regiões de maior risco de acidente na cidade. O trabalho está sendo realizado de forma estratégica para receber a alta temporada que começa em outubro.

“São dicas simples, como jogar lixo no lixo, mas que vai contribuir na limpeza e na preservação do bairro como um todo. A ideia é conscientizar, alertar e educar os moradores", disse o secretário de Meio Ambiente, Renato Couto, garantindo que o trabalho antecipado nas trilhas e cachoeiras vai reduzir o número de acidentes e de ocorrências nestes locais.

"Precisamos mostrar que o poder público está presente e atento também nessas regiões. Vamos aumentar a segurança destes locais, alertando sobre os riscos existentes aos frequentadores. As placas contém também questões de educação ambiental, como não alimentar os animais silvestres ou deixar restos de comidas e bebidas", explica Renato.

O Setor de Educação Ambiental tem mais de 70 trilhas catalogadas no município e 15 cachoeiras com boa acessibilidade que serão sinalizadas. As trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, por exemplo, já contam com material próprio. A instalação das placas pelo município segue um cronograma de ações do Projeto Inteligência Ambiental, do Setor de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente.

“A ideia é evidenciar as ações para todo o município, com o trabalho realizado nas trilhas, cachoeiras, áreas de preservação e nos bairros. O projeto Inteligência Ambiental é um trabalho que teve uma pesquisa completa para fosse desenvolvido com total fundamento, dentro da realidade da cidade. Por conta disso, também desenvolvemos trabalhos nas escolas da rede municipal”, aponta o coordenador de Educação Ambiental Anderson Maverick.

O Bem-estar Animal vai ganhar um conselho próprio onde serão debatidas e avançadas as políticas públicas para o setor. O Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Comupa) vai ser criado por lei a ser encaminhada à Câmara e tem suas diretrizes deliberadas com contribuição da Defensoria Pública.  Guarda responsável, estudos e trabalhos relacionados à proteção animal, parcerias com empresas privadas e entes públicos fazem parte do rol de atribuições do Conselho que, a cada dois anos, vai realizar a Conferência Municipal de Proteção Animal.

O documento que cria o Conselho, além da defensora pública Marília Pimenta, teve ainda o acompanhamento da coordenadora do Bem-estar Animal, Elizabeth Amorim; Rejane Stardowisky, assessora jurídica da Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública a qual a Cobea é subordinada e ainda a diretora da Vigilância em Saúde, Elizabetgh Wildberg e da coordenadora da Vigilância Ambiental, Maria Beatriz Pellegrine, estes dois últimos, órgãos vinculados à Secretaria de Saúde.

O projeto de lei será encaminhado à Câmara após o recesso para votação.  Este ano, a prefeitura chega a dezembro com a castração gratuita de 1,5 mil animais, uma ação que estava desde 2016 abandonada e que a atual gestão retomou; só este ano foram feitas 340 vistorias entre fiscalização preventiva de orientação e advertência a partir de denúncias de maus tratos e os protetores de animais agora têm um espaço semanal, permanente, com barracas no Centro da cidade para brechó e bazar com arrecadação voltadas para as ações que desenvolvem.

“Também temos uma campanha permanente de doação de rações sediada na Cobea e direcionada aos protetores e eventos bimestrais de conscientização, mobilização e doação de animais e ainda o animal inserido nos planos Verão e Inverno, de apoio às comunidades que casos de cheias e estiagem. São muitos os avanços e agora com o Conselho poderemos envolver ainda mais a sociedade”, afirma a coordenadora da Cobea, Elizabeth Amorim.

“Um projeto a muitas mãos que primou pela pluralidade”, afirma o Chefe de Gabinete, Renan Campos, que acompanhou a reunião quando foram recebidas as sugestões da Defensoria Pública. O Conselho será formado por representantes do poder público e sociedade civil e terá seu regimento interno estabelecido 90 dias após se aprovado pelo legislativo.

Terça, 25 Setembro 2018 - 18:16

Secretaria de Meio Ambiente tem novo titular

Renato Couto de Carvalho, gerente de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente, assume nesta terça-feira (25.09) como secretário. Fred Procópio, que esteve no cargo desde o início do governo, se desligou para assumir o cargo de vereador na Câmara Municipal. Formado em filosofia, Renato é ambientalista e presidente dos conselhos consultivos do Parque Natural Padre Quinha e do Monumento Natural Pedra do Elefante.

Renato ingressou no setor público no ano passado, após 15 anos na iniciativa privada nas áreas de gestão e desenvolvimento de negócios em diversas áreas. Ele também é o representante da Secretaria de Meio Ambiente nos conselhos da Rebio Tinguá e da Rebio Araras.

Em 21 meses à frente da Secretaria de Meio Ambiente, Fred Procópio recuperou o setor de fiscalização de crimes ambientais, que fez neste período mais de 1.500 atendimentos a denúncias em todo o município. Foram entregues 180 multas e 380 notificações em virtude desses atendimentos. De todos os casos atendidos pelo setor desde o início do ano passado, cerca de 47% são de desmatamento. Outros 21% foram de queimadas.

Fred também criou o setor de Educação Ambiental, que promove ações de orientação nas escolas da rede municipal e nas comunidades. Neste momento, o setor segue instalando placas de sinalização e de orientação em trilhas, cachoeiras e áreas de preservação ambiental do município. Serão instaladas 400 nos próximos meses nas regiões de maior risco de acidente na cidade.

Também foram coletas mais de 600 kg de material reciclável

De sexta (22.06) até a manhã desta segunda-feira (25.06), 120 toneladas de lixo foram removidas dos locais que recebem atrações da Bauernfest. Além disso, mais de 600 kg de materiais recicláveis, como papelão e vidro, foram coletados no Palácio de Cristal. A retirada do lixo gerado durante a festa é feita em pelo menos dois horários – de manhã e à noite –, podendo acontecer em outros momentos ao longo do dia para não gerar acúmulo.

Só no Palácio de Cristal, foram colocadas 12 coletoras grandes, 100 barris e ainda tem 60 lixeiras de postes novas que foram instaladas tanto nos jardins como nas ruas do entorno. Tudo foi feito para que o público possa encontrar lixeiras em vários locais e possa ajudar a manter a limpeza durante toda a Bauernfest.

Também foi feita coleta de 576 kg de papelão e 57 kg de vidro. Nos jardins do Palácio, há 15 barris destinados para o descarte do material que pode ser reaproveitado, o que inclui ainda papel, alumínio, entre outros outros. O óleo usado na fritura de alimentos também será coletado de acordo com a demanda de cada barraca.

A Comdep mobiliza 50 funcionários para o trabalho de varrição nos locais da festa (Palácio de Cristal, Praça da Liberdade e Praça da Águia) e em ruas como Alfredo Pachá, Montecaseros, Roberto Silveira, Koeler, 13 de Maio, Av. Barão do Rio Branco, entre outras. As equipes de varrição são divididas pela manhã e à noite. O Palácio de Cristal e o banheiro que fica nos jardins também recebem lavagem com uso de um caminhão-pipa com oito mil litros de água imprópria para consumo.

Petrópolis conquistou o 2º lugar no game que incentiva a implantação de políticas públicas voltadas para a melhora no ambiente empresarial

Com o auxílio do Sebrae Rio, a Prefeitura de Petrópolis continuará monitorando as ações que devem ser colocadas em prática para melhorar o ambiente empresarial da cidade, na segunda fase do game “Cidades Empreendedoras”, do Sebrae. Nesse ano, graças as ações de desburocratização implantadas pela prefeitura – como a emissão de alvarás on-line através do Sistema Regin – Petrópolis conquistou o 2º lugar na competição – disputando com outras 10 cidades. Agora, a prefeitura garantiu a continuidade do programa e os eixos que serão trabalhados nessa segunda fase no município serão: sustentabilidade e inovação.

Os assuntos foram abordados durante uma reunião com integrantes do Sebrae realizada na prefeitura nessa sexta-feira (05.10). O Sebrae continua sendo um grande parceiro no município e ajudou a resolver gargalos que atrapalhavam a gestão pública principalmente com relação às ações de desburocratização. A prefeitura vai continuar o trabalho em conjunto para garantir ainda mais melhorias no ambiente de negócios da cidade, focando principalmente na Inovação e Sustentabilidade.

O Sebrae pontuou as ações que darão continuidade nessa segunda fase do programa Cidades Empreendedoras, já que Petrópolis conquistou o segundo lugar no Cidades Empreendedoras porque se engajou e alcançou resultados positivos. O Sebrae propõe, agora, novas ações para que possamos avançar na melhoria do ambiente de negócios, continuaremos monitorando as ações já implantadas - Desburocratização, Compras públicas, Sala do Empreendedor, Educação e Agricultura - validadas com o prefeito, três novos eixos que serão trabalhados, são eles: Sustentabilidade, Inovação e Incremento de Receitas.

“A cidade pode se tornar uma referência principalmente no quesito desburocratização e uso do Espaço Empreendedor”, afirmou Claudia Pacheco, coordenadora regional do Sebrae.

Entre os pontos trabalhados na primeira fase que terão continuidade estão a Lei da Inovação, a mudança de endereço do Espaço Empreendedor e o acompanhamento das compras públicas.

 “A Lei da Inovação será submetida à análise da Procuradoria nos próximos dias. O texto está bem estruturado e prevê uma melhoria no ambiente de negócios a partir da desburocratização para aqueles que desejam investir nesse setor na cidade”, disse o diretor do Departamento de Políticas Públicas de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Simões.

Com relação às compras de produtos da agricultura familiar, o diretor do Departamento de Agricultura, José Mauricio Soares destacou a ideia de aumentar esse tipo de compra nas outras secretarias. “A merenda escolar garante a compra de produtos desse público, mas também estamos estudando a possibilidade de que outras secretarias também passem a realizar esse tipo de compra”.

Com relação à desburocratização, foi destaque o estudo que prevê a implantação do Sistema da Anvisa no site da prefeitura para acelerar a emissão de alvarás e o aumento na capacidade de atendimento no Espaço Empreendedor com a mudança de endereço do EE – que passará a funcionar no prédio do Inpas na Rua Teresa.

“A licitação será feita para a realização da obra no EE e também está sendo preparado o lançamento dos serviços do Espaço Empreendedor pela internet. Facilitando ainda mais a vida daqueles que desejam empreender na cidade”, explicou Dalmir Caetano, coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica.

Durante o encontro, o Sebrae juntamente com Rodrigo Vaz, analista de projetos do Instituto Brava, mostraram ao prefeito Bernardo Rossi a possibilidade de usar start ups para a melhora na relação entre o setor público e os empreendedores e a possibilidade de criação de um portal que faz a comparação de dados entre municípios e mostra o que pode ser feito para melhorar as ações em áreas como saúde, e educação, além do aumento na arrecadação da receita municipal.

Tudo o que pode ser feito para auxiliar o poder público é uma prioridade do governo. O Sebrae tem o aval para colocar em pratica os projetos necessários para que Petrópolis seja considerada a cidade com o ambiente mais favorável para a implantação de negócios no Estado.

Pagina 1 de 31

Notícias por data

« Março 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP