Cinoterapia com pacientes com câncer, doação de sangue, palestras e o Proppaz são atividades que vão além das atribuições dos agentes

 

Terapia com cães para pacientes com câncer, campanhas de doação de sangue, palestras e o Programa Promotores da Paz fazem parte do rol de atividades feitas pelos 224 agentes que integram a Guarda Civil de Petrópolis. Além das funções de segurança – bens, serviços e instalações públicas – a atuação social da Guarda tem destaque e aprovação da população.


Neste ano, a corporação efetivou uma atividade que acontecia apenas de forma esporádica: a cinoterapia. Toda semana, a cadela Lola, uma Golden Retriever,é levada ao Centro de Terapia Oncológica (CTO) para interagir com pacientes que estão à espera do atendimento. O ambiente tenso antes de uma consulta ou sessão de quimioterapia é totalmente desfeito quando a cachorra entra no saguão de espera.


“Existe todo um cuidado sobre o local onde acontece a cinoterapia, que só no local de espera, nunca na área de tratamento. São sempre dois guardas fazendo o manejo do cão. E, principalmente, procuramos ir em dias diferentes, porque os pacientes costumam fazer o tratamento sempre no mesmo dia. Indo em dias diferentes, conseguimos levar essa alegria para mais pacientes”, explica o comandante da Guarda.


Os guardas também são orientados a fazer doações de sangue ao longo do ano. Em 2017, já foram realizadas duas mobilizações, uma antes do carnaval – para reforçar o estoque para um período com muito acidentes nas estradas – e outra em meio às comemorações de aniversário, em julho. Na última, por exemplo, além dos 45 guardas que foram ao banco de sangue Santa Teresa, eles ainda levaram outros 15 parentes e amigos para ajudar.


O Programa Promotores da Paz é mais uma ação voltada para os moradores, essa com foco nos jovens de colégios municipais. Na próxima terça-feira (08.08), mais 262 alunos de 8º e 9º anos das escolas Papa João Paulo II (que fica no São Sebastião), Odette Fonseca (Duques) e Jamil Sabrá (Cel. Veiga) vão se formar. Esses estudantes aprenderam sobre noções de cidadania, valorização da família, cultura da paz, educação para o trânsito, prevenção ao uso de drogas e motivação.


“As ações sociais desenvolvidas pela Guarda mostram que a corporação não apenas protege os equipamentos públicos, mas pensam também no cidadão. No caso do Proppaz, a preocupação é com o futuro da nossa cidade. Todos os jovens que participam do curso são transformados em pessoas que vão espalhar a cultura de paz”, afirma o secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP).



Este foi o segundo colégio a participar do “Guarda por um dia”, que encerra o Proppaz

Um dia após os alunos da Escola Municipal Papa João Paulo II, foi a vez de 15 adolescentes do colégio Odette Fonseca terem a oportunidade de serem “Guarda por um dia” nesta terça-feira (27.06). A ação é o último passo do Programa Promotores da Paz (Proppaz) e permitiu que todos os estudantes conhecem melhor a atuação dos agentes na preservação do patrimônio ambiental, no patrulhamento de pontos turísticos, fiscalização e orientação do trânsito e o trabalho com os cães.

Nesta quarta (28.06), o programa se encerra com a mesma ação realizada com estudantes da Escola Municipal Jamil Sabrá. As aulas começaram em meados de abril para 262 alunos dos três colégios que ficam em São Sebastião, Duques e Cel. Veiga. Depois da fase teórica, eles participaram de atividades esportivas nos Jogos Proppaz e, nesta semana, do “Guarda por um dia”. A formatura do curso será em julho, no mês de comemoração dos 93 anos de fundação da Guarda Civil.

Pela manhã, os alunos foram ao Parque Natural Ipiranga, um dos pontos de trabalho dos agentes que formam o Grupamento de Proteção Ambiental (GPA).

“Eu gostei de conhecer as casas velhas e as trilhas do Parque Ipiranga. Percebi que o trabalho do Grupamento de Proteção Ambiental é difícil, porque tem que ficar durante bastante tempo para proteger a natureza”, disse o aluno Lucas Santos, de 13 anos.

Depois disso, eles foram ao Núcleo de Integração Social (NIS), que pessoas em situação de rua. Os estudantes ainda conheceram a sede da Guarda, onde tiveram contato direto com comandante, Jeferson Calomeni, e com os animais formam a matilha da corporação. Os adolescentes ainda passaram em pontos turísticos como o Palácio de Cristal, local onde está o ônibus de videomonitoramento – que está em serviço durante a Bauernfest. A última parte foi uma panfletagem sobre trânsito seguro, realizado próximo ao Obelisco.

Com 20 anos de corporação, Cláudia Conceição foi destacada pelo Dia da Mulher Negra


A guarda Cláudia Conceição foi homenageada pela Câmara de Vereadores na noite da última terça-feira (25.07) pelo Dia Internacional da Mulher Negra. Ela foi uma das 30 mulheres destacadas pelo trabalho e atuação em defesa dos direitos femininos e contra a discriminação racial. O grupo Mulheres Negras de Petrópolis (Munepe) e o Movimento Negro Unificado (MNU) também foram responsáveis pelas moções entregues.


Cláudia, mãe de dois filhos, tem 20 anos de corporação e é coordenadora da Ronda Escolar desde 2013, serviço que é bastante reconhecido juntos às unidades escolares. Ela já havia sido homenageada em outras oportunidades pelo Dia da Mulher e pelo Dia Consciência Negra.


“É um privilégio receber esse reconhecimento ao meu trabalho. É uma demonstração de carinho e respeito muito importante, porque ainda somos discriminadas. Essa é uma maneira de sair do anonimato. A mulher negra sofre muito preconceito, mas nós estamos aqui para lutar por isso. Nós temos obrigação de falar alto e mostrar nosso trabalho, a nossa competência. Nosso dia a dia é difícil, mas não é impossível”, destaca ela.


Os dois filhos e a mãe da guarda estavam lá para prestigiar Cláudia. Quem também compareceu à solenidade foi o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.


“A Guarda tem 13 mulheres e a Cláudia é um exemplo para todas elas e para a corporação como um todo. Totalmente profissional, muito competente e dedicada, ela tem um papel muito importante junto às nossas escolas e nossas crianças e adolescentes. Essa homenagem destaca esse serviço que ela coordena com tanta eficiência”, afirmou.


Ela recebeu a homenagem das mãos do vereador Justino do RX, em nome do vereador Marcelo Silveira. O Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha existe desde 1992 e, no Brasil, também é a data em que se celebra Teresa de Benguela, que liderou um quilombo no século XVIII que lutou contra o regime escravista.


As mulheres negras ainda vão comemorar a data com a IV Festa da Latinidade, que vai acontecer no próximo sábado (29.07), a partir de 10h, na Casa dos Conselhos. Haverá desfile de moda, apresentação de grupos de dança, oficinas, roda de debate e show do grupo de samba Puro Pecado. O evento, organizado pelo Munepe, tem o apoio do Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram) e do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), além do Fórum de Economia Popular Solidária (Fesp) e do Afro Serra.

Pelo menos 20 agentes participaram do primeiro dia da Campanha de Doação de sangue realizada pela Guarda Civil. A quarta edição da ação, vai até o dia 1º de março e mobilizou policiais, amigos e familiares para contribuírem com o estoque, que precisa se preparar para o período do Carnaval, em que o banco de sangue tem uma maior demanda.

Um único doador pode ajudar até quatro pessoas com a bolsa de sangue. Como o tempo de armazenagem podem variar (por exemplo, as plaquetas, usadas para coagulação, podem ser armazenadas por apenas cinco dias), é necessário que as doações sejam frequentes para atender toda a demanda.

O banco de sangue recebe em média 50 doadores por dia e o ideal seriam 70 pessoas voluntárias. A expectativa é que esta meta seja atingida com a ajuda da Campanha da Guarda Civil. “Estamos muito animados com a Campanha da Guarda. Ela já serviu de incentivo para outros órgãos de segurança, que já irão mobilizar suas corporações para virem doar. Esperamos ter o estoque cheio para o período do carnaval”, contou o captador de doações do banco de sangue, Vinicius Paulo Neves Pereira

“Eu sempre doei e participei de todas as campanhas. É importante participar é uma ação de cidadania e hoje estou aqui doando e contribuindo e amanhã eu ou alguém da minha família pode precisar. É uma consciência que todos deviam ter. Doar é salvar vidas”, disse a agente da Guarda, Rita de Cassia Motta, que está na corporação há 22 anos.

Podem doar todas as pessoas entre 18 e 60 anos, em bom estado de saúde e que pesem mais de 50 quilos. Jovens de 16 a 17 anos também podem doar acompanhados dos responsáveis. Não é necessário fazer jejum, mas é importante não ingerir alimentos gordurosos três horas antes da doação. Também não se deve consumir bebidas alcoólicas 12 horas antes. As únicas restrições são a diabéticos e pessoas que fizeram tatuagem ou colocaram piercing há menos de um ano. Pessoas que fizeram algum procedimento, como endoscopia só podem doar após seis meses da realização da intervenção. O banco de sangue funciona todos os dias, de 7h às 18h, na Rua Paulino Afonso, 477 – Bingen – Ao lado do HST.

A Secretaria de Segurança Pública está oferecendo o curso de atualização e especialização para os agentes da Guarda Civil. O treinamento, realizado na sede do batalhão da Guarda, no Campo do Serrano, é dividido em duas etapas, a teórica e a prática. A primeira, que começou em junho e vai até o final deste mês, conta com aulas sobre noções de ronda escolar e turística, trânsito e um curso Krav Magá. Ontem foi o último treino da turma de 25 agentes, que totalizou 22 encontros e 88 horas/aula da arte de defesa pessoal.

“O Krav Magá é o somatório de técnicas de defesa pessoal, que podem ser muito úteis para auxiliar pessoas indefesas sempre dentro dos parâmetros da segurança pública. Ou seja, sem ferir ninguém”, explicou o coordenador do curso, Evandro Marcolino.

Em setembro haverá um teste físico, os que passarem irão para a segunda etapa do curso, que será prática. Nessa segunda etapa haverá aulas de Legislação Ambiental, busca e salvamento, orientação e navegação terrestre, entre outros.

Participação é fruto de um convite feito pelo Batalhão de Policiamento Turístico, que prepara a instalação de um núcleo em Petrópolis

Os guardas civis, Adriana Vital e Marcelo Antônio Chaves Neves, estão participando do curso de formação de agentes para criação de um núcleo em Petrópolis do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur). O curso está acontecendo no Rio e vai até o fim da semana. A ideia é que a corporação possa replicar o trabalho que será desenvolvido por homens do 26º Batalhão da Polícia Militar, que também estão fazendo as aulas.

Petrópolis é um dos principais destinos turísticos do Rio e recebe 1,6 milhão de visitantes por anos. O setor representa uma movimentação de R$ 660 milhões e gera 4,5 mil empregos no comércio, hotelaria e ramo gastronômico da cidade. Por isso, é um munícipio classe A no Mapa de Turismo Brasileiro, feito pelo Ministério do Turismo.

“Temos visto um movimento grande de visitantes que vêm a Petrópolis atraídos não só pelos diversos circuitos turísticos que o município oferece, como histórico-cultural, de compras, gastronômico, entre outros, mas também pela segurança. Muitos querem fugir dos grandes centros e escolhem Petrópolis. Manter essa segurança, receber bem o turista e oferecer a ele um serviço especializado é fundamental”, destaca o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

A instalação de um Núcleo Descentralizado de Atendimento ao Turismo (Nudat) em Petrópolis integra o “Plano Estadual Integrado de Segurança Pública para procedimentos em Áreas Turísticas”, anunciado em junho pelo secretário estadual de Segurança, general Richard Nunes, no Rio. O projeto é apoiado pela Turispetro, que vai contribuir para a criação desse curso específico em Petrópolis para formação de agentes para o atendimento turístico.

Ambos os agentes da Guarda que participam do curso possuem 22 anos de corporação e vão poder agregar o conhecimento oferecido pelo BPTur ao trabalho já desenvolvido pela Guarda na Ronda Turística, em que a corporação vai aos atrativos mais visitados para dar segurança e orientação aos turistas.

“A aula inaugural proferida pela tenente-coronel PM Luciana Rodrigues de Oliveira (que é comandante do BPTur) esclareceu sobre os objetivos do curso, visão, missão e perfil do profissional em segurança pública para atuar junto ao turista, nacional e internacional, nas suas diversas classificações”, contou Adriana Vital.

“Tivemos uma palestra com o vice-presidente da TurisRio, Hamilton Vasconcelos, falando sobre a característica dos turistas, e com o major PM Douglas Andrade, que nos passou a parte de legislação. A visão do PBTur é de estender o curso completo para os Batalhões, que tem duração de 3 meses, com a características de exploração ao turismo”, falou Marcelo Antônio Chaves Neves.

Além de Petrópolis, participam desse curso na capital policiais militares e guardas civis de Rio de Janeiro, Itatiaia, Penedo, Rio das Ostras e Nova Friburgo.

A inserção da mulher nas forças de segurança foi o tema de um bate-papo entre agentes femininas de Guarda Civil, Polícia Militar, Aeronáutica, Exército e Bombeiros e alunas de escolas públicas e privadas de Petrópolis. A atuação delas, a forma de ingresso e as habilidades e características que uma menina precisa para fazer parte dessas corporações foram alguns dos temas abordados. Pela Guarda Civil, a agente Adriana Vital, que tem 22 anos de corporação, conversou com a meninas.

Na palestra, Vital contou sobre a criação da Guarda Civil, em 1924, por causa da ida de policiais militares para atuarem em São Paulo durante a Revolução Paulista. A intenção é que ele servisse para proteger bens, serviços e instalações da públicas do município, além de cuidar petropolitanos.

Outro ponto destacado por ela foi a participação feminina na vida militar, que teve início ainda 1823, quando Maria Quitéria se tornou a primeira mulher a integrar o Exército brasileiro. Na época, ela precisou fingir ser um homem – realidade bastante diferente das mulheres que atuam hoje em forças de segurança. A própria Guarda Civil é uma mostra disso: as primeiras mulheres entraram para a corporação em 1996 e, desde julho, Cláudia da Conceição ocupa o posto de subcomandante.

“Foi um bate-papo muito bom, muito positivo. Todas as instituições mostraram o seu trabalho e as alunas puderam conhecer as formas de ingresso e a atuação, incluindo a questão da capacitação e treinamento. Para mim, toda mulher que trabalha em uma força de segurança deve ter disciplina, compromisso, responsabilidade, seriedade e engajamento”, disse Adriana Vital.

A estudante do nono ano do Liceu Municipal Cordolino Ambrósio, Mariana dos Reis de Souza, de 17 anos, foi uma das que participou da palestra.

“Achei muito interessante porque ajudou a tirar algumas dúvidas e mitos que a sociedade tem com as forças de segurança. O que mais gostei foi de ver que não elas não precisam atuar só como agente, elas podem ter outras profissões também. E gostei de ouvir a guarda falando que foi uma das primeiras a entrar em 1996 e que trabalha até hoje com muito orgulho”, contou a jovem.

A guarda Adriana Vital esteve acompanhada do comandante da corporação, Jeferson Calomeni. A 3° Sargento Taiane Caroline da Silva Gonçalves Rodrigues e a 2° Tenente Danielle Chisté representaram o 32º Batalhão de Infantaria Leve (BIL). O Destacamento da Aeronáutica em Petrópolis contou com as presenças da 1ª Tenente Viviane Rodrigues Fernandes e da 2ª Tenente Lara Tabajaras Miloski, junto com o comandante, Tenente Pedro Henrique Morsch Mazzoni. A Capitão Isabela Correa Vogel Koury e a Subtenente Maria de Lourdes Alves Brandão Barbosa foram as palestrantes pelo 15º Grupamento de Bombeiros Militares (GBM). E a Tenente Luciana Paes de Azevedo falou em nome do 26º Batalhão da Polícia Militar (BPM). O encontro foi organizado pelo vereador Leandro Azevedo.

Com 23 câmeras já instaladas, a prefeitura iniciou nesta segunda-feira(07.05) a  fase de treinamento dos agentes que vão acompanhar as imagens e operar o sistema do Centro Integrado de Operações (Ciop). Até quarta-feira (09.05), 35 homens de Guarda Civil, Polícia Militar, Polícia Civil e CPTrans serão orientados sobre as ferramentas do sistema.

Essa é uma fase muito importante porque são esses homens que vão fazer o monitoramento na prática. Por isso, eles precisam estar totalmente familiarizados com o sistema e saber tudo que podem aproveitar dele para a segurança do município, a fluidez do trânsito, o atendimento de ocorrências. O Centro Integrado de Operações é um enorme ganho para toda a cidade.

As aulas têm turmas de até 10 agentes. Posteriormente aos três dias do curso, homens da Polícia Civil vão passar por um treinamento específico mais voltado ao uso das imagens para investigações. Vale lembrar que o sistema permite análise automática de cenas a partir de filtros de pesquisas de acordo com cores, direção, velocidade, ociosidade ou tamanho do objeto.

O curso é ministrado pelo funcionário do departamento técnico da Emive (empresa responsável pela instalação do Ciop), Jaderson Kenner. Ele explica são três pontos principais que os futuros monitorantes devem ficar atentos durante o treinamento.

“Eles precisam conhecer o sistema, ou seja, saber a fazer rotação da câmera, a dar zoom, entender como funciona o reconhecimento de placas, entre outras funções. Também deve entender como visualizar as imagens ao vivo, o que significa saber quantas câmeras vão acompanhar ao mesmo tempo, se vão focar em alguma região. E por fim, também tem que aprender a salvar as imagens para que elas sejam usadas posteriormente”, explicou Kenner.

Todas as imagens geradas são gravadas no sistema de monitoramento por 30 dias. Para que uma determinada cena possa ser usada depois desse prazo, é necessário que seja guardada à parte – por isso, os monitorantes também são orientados sobre como realizam essa gravação.

O coordenador de Segurança, Maurício Borges, explicou como a Guarda Civil vai atuar no Ciop.

“Vamos manter três homens aqui para acompanhar as imagens 24 horas e mais que vai atuar como um coordenador, dando suporte aos trabalhos. Além disso, também será disponibilizada uma viatura com dois homens para atender eventuais ocorrências que sejam registradas pelas câmeras e estejam na alçada da Guarda”, afirmou Borges.

Guarda há 25 anos, o sub-inspetor Carlos Henrique dos Santos será esse coordenador. O papel dele será o de controlar o acesso ao local e dar cobertura aos demais agentes no horário de trabalho.

 “As imagens são em uma qualidade muito boa, dá para fazer a leitura de placas com muita nitidez. As câmeras nos dão uma grande ferramenta e não é difícil operar, então a população vai ganhar muito porque vamos conseguir fazer o monitoramento sem qualquer problema”, falou o subinspetor. 

23 câmeras já instaladas

A instalação de câmeras pela cidade continua. Até aqui, já foram posicionadas 23 câmeras, sendo 21 que filmam em 360º e mais duas fixas, no pórtico do Quitandinha. Ainda serão colocadas mais oito câmeras fixas em outras entradas da cidade: pórtico do Bingen, Alto da Serra, trevo de Bonsucesso e Posse.

Elas já estão em locais como a esquina da Rua do Imperador com a Nelson de Sá Earp, Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), em frente à Catedral São Pedro de Alcântara, Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, 13 de Maio, na esquina da Montecaseros com a Roberto Silveira, em frente ao Gheren, na entrada da Mosela, na Av. Ipiranga, no Bingen – entre o Hospital Santa Teresa e a Estácio de Sá –, Rua Teresa (quatro pontos), esquina da Paulo Barbosa com a Caldas Viana, Praça da Inconfidência, esquina da Rua do Imperador com Paulo Barbosa, em frente ao Obelisco, em frente à 105ª DP, no Retiro, e Quitandinha.

Também serão instaladas outras na Praça de Nogueira, Praça de Corrêas, Duas Pontes, Valparaíso, Parque Municipal de Itaipava, Pedro do Rio, Quissamã, Itamarati, Cascatinha e Araras.

A sala da central de monitoramento, um espaço de 90 metros quadrados no Centro de Cultura Raul de Leoni,tem seis ilhas de monitoramento e já recebe, ainda em fase de testes, as imagens das câmeras instaladas.

Depois destes 46 pontos, outros 40 também vão ganhar câmeras, fruto de uma emenda parlamentar recuperada pelo prefeito Bernardo Rossi ainda no início do ano passado. A cidade ainda tem outra central que foi criada especialmente para a região de Itaipava, com 20 câmeras instaladas no Parque Municipal e entorno e que já estão em funcionamento. 

Veículo foi estacionado ao lado da Praça Dr. Miguel Couto

O ônibus de videomonitoramento foi levado nesta segunda-feira (04.06) para a Praça Dr. Miguel Couto, no Alto da Serra. É o sétimo ponto de parada do veículo desde que o equipamento passou a ser utilizado na prática, no início de 2017 – após ter ficado três anos e meio parado.

Para isso, foi feita manutenção na parte hidráulica e manutenção geral durante as últimas semanas. O Departamento de Iluminação Pública providenciou a ligação elétrica necessária para o funcionamento do ônibus.

O veículo é equipado com sete câmeras, sendo duas internas, duas em cada lateral e uma que sobe a 11 metros. Essa câmera pode captar imagens a 300 metros de distância. Oito homens vão se revezar em duplas por dia para acompanhar a movimentação no bairro. Todos os dados ficam armazenados por 30 dias e ficam à disposição da Polícia Civil caso seja necessário.

“A escolha do Alto da Serra se deu por pedidos dos moradores por causa de uso de drogas na praça, desordem no local, despejo constante de lixo na quadra esportiva. O ônibus vai ficar por lá até a Bauernfest e voltará para lá após a festa, caso necessário”, explica o subcomandante da Guarda Civil, Altenir Mendes.

A instalação do ônibus de videomonitoramento agradou moradores do Alto da Serra.

“Acho muito importante a instalação do ônibus aqui na praça, porque evita que os mal-intencionados façam alguma coisa por aqui, além de coibir a violência no bairro”, acredita o funcionário público federal, Cyro Eduardo Gorito.

O primeiro ponto de monitoramento com o ônibus foi a Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia). Por lá, foram reduzidos para zero as ocorrências de delitos de menor potencial ofensivo, como furtos e pichações.

Em seguida, o equipamento foi utilizado no esquema de segurança da Expo Petrópolis do ano passado, no Parque Municipal de Itaipava. Ao término do evento, foi estacionado na Praça Marechal Carmona, próximo ao Terminal do Centro. Em junho, integrou o esquema de segurança preparado para a última Bauernfest, no Palácio de Cristal. Na sequência, foi levado para a Praça da Inconfidência. O último local de parada no ao passado foi a Rua Teresa, para garantir a segurança no período de Natal e vendas de fim de ano. Este ano, voltou a participar do trabalho feito durante a Expo Petrópolis e também está na Festa do Colono Alemão.

Todos esses locais continuam sendo monitorados, agora por câmeras do Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop), que tem câmeras em todos os pontos por onde o ônibus já passou.

Vinte e sete alunos de 8º e 9º anos da Escola Municipal Jorge Amado, que fica na Estrada da Saudade, se tornaram “Guarda por um dia” nesta quarta-feira (08.11). Eles participaram da ação que encerra as atividades do Programa Promotores da Paz (Proppaz) e tiveram a oportunidade conhecer um pouco da rotina dos guardas civis de Petrópolis.

Eles puderam ver o trabalho desenvolvido na orientação de trânsito, patrulhamento de pontos turísticos, foram ao canil da Guarda, à Secretaria de Educação, à prefeitura, entre outros locais. Após o almoço, os alunos fizeram uma visita guiada ao Palácio Rio Negro e conheceram um pouco da história do local que já serviu de casa de veraneio de presidentes da República.

O aluno do 8º ano, Matheus Silva, de 16 anos, gostou do passeio, mas destaca principalmente os instrutores do Proppaz. “Achei o passeio maneiro, é bom ter essa oportunidade de sair um pouco da escola para outra atividade. Mas o que mais gostei foi conhecer os guardas. Não tinha ideia de que eles tinham essa simpatia”, falou o garoto.

Inspetora da Escola Jorge Amado, Débora Melo acredita que o Proppaz proporciona uma outra imagem dos agentes perante os jovens. “O Proppaz conscientizou sobre o pensamento positivo, sobre os cuidados com a cidade e sobre as drogas. Isso vai ter um impacto muito importante. Se a escola perde o aluno para o mal, o Proppaz recupera e desmitifica a figura de violência das forças de segurança. Os guardas criam laços de amizade com eles”, destacou.

No segundo semestre de 2017, são 550 alunos que participam do Proppaz. Durante o curso, os jovens aprendem noções de cidadania, valorização da família, cultura da paz, educação para o trânsito, prevenção ao uso de drogas e motivação. Além das aulas em sala e da ação de encerramento, eles ainda participam dos “Jogos Proppaz”, com atividades esportivas e lúdicas entre os estudantes e os instrutores do Proppaz. Em nove anos de existência, mais de 2,3 mil alunos já se formaram como promotores da paz.

“Este é um trabalho que vai ter grandes consequências para o futuro da nossa cidade. Estamos formando jovens que ajudar a transformar suas casas, suas comunidades e nosso município em locais melhores para toda sociedade”, afirma o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.

Além deles, também vão participar do “Guarda por um dia” os estudantes dos colégios Nossa Senhora da Glória e Luiz Carlos Soares (Morin), Metodista (Centro), Pedro Amado e Irmã Cecília Jardim (Estrada da Saudade), além do grupo de patrulheiros da Comac e de jovens em condição de vulnerabilidade social que participam projeto “Eu construo meu amanhã”, também da Comac.

 

Pagina 2 de 35

Notícias por data

« Fevereiro 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28      

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP