Diretores e empresários estiveram no local nesta quinta-feira para entender o mecanismo de funcionamento das câmeras

O funcionamento das 56 câmeras do Centro Integrado de Operações Petrópolis (Ciop) foi apresentado a diretores da Associação da Rua Teresa (Arte) e empresário do polo de moda nesta quinta-feira (22.11). A visita objetivou explicar o mecanismo de funcionamento das câmeras em toda a cidade, incluindo os cerca de 2 km de extensão do maior polo de modas da cidade, que é toda monitorada com cinco câmeras que tem alcance de até 1 km e cobre a área com cerca de 800 lojas em funcionamento.

No encontro, foi  anunciado o aumento do patrulhamento da Rua Teresa durante o Natal Imperial, local que tem programação garantida nas festividades de fim de ano.

Dados da Associação da Rua Teresa dão conta que no, ano passado durante o Natal, já com parte das câmeras instaladas e o Ônibus de Videomonitoramento da Guarda Civil atuando na área, o número de ocorrências foi a zero. Em 2016, porém, foram em torno de 20 a 30 casos de furto ou roubos relatados à Arte.

“Em 2017 já foi possível ver a melhoria na segurança durante o Natal e este ano nossa expectativa também é muito boa. Conhecer como funciona o monitoramento dá à Associação e, consequentemente, aos empresários da rua, a sensação de segurança porque sabemos que a rota criada pelas imagens das câmeras faz com que qualquer incidente possa ser resolvido de maneira rápida. É um grande ganho para toda a cidade”, destaca a presidente da Arte, Cláudia Pires.

A Rua Teresa conta com cinco câmeras de monitoramento distribuídas do início ao fim do polo de moda, dando ampla cobertura de segurança. O Ciop tem 56 câmeras monitorando 46 pontos da cidade com câmeras de 360º e, em cinco deles (entradas da cidade), também têm equipamentos com capacidade de leitura de placas, função que identifica e rastreia veículos furtados ou roubados.

Agentes das delegacias do Retiro e de Itaipava passaram por treinamento específico para a Polícia Civil

A cidade já tem 26 câmeras do Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) instaladas. Os últimos equipamentos posicionados são os do Valparaiso, Duas Pontes e Praça Pasteur. Ao longo da semana também houve treinamento dos agentes que vão acompanhar as imagens no dia a dia e, nesta quinta-feira (10.05), contou com a presença de 15 homens da 105ª e 106ª delegacias de Polícia (Retiro e Itaipava, respectivamente), que receberam uma preparação especial para utilizar os recursos da central de monitoramento.

A cidade vai chegar a 86 câmeras no total e o acompanhamento em tempo real, 24 horas por dia, sete dias por semana. Um avanço em segurança pública na cidade.

Para a Polícia Civil, as câmeras vão permitir, sobretudo, realizar investigações mais robustas. O sistema de monitoramento permite a gravação de imagens por 30 dias. Nesse período, é possível fazer pesquisas de cenas para identificar a ocorrência de crimes. Para isso, é possível filtrar a procura com base em informações como cores, direção, velocidade, ociosidade ou tamanho do objeto. Por isso, o treinamento para esses agentes foi diferenciado, para que os policiais das delegacias consigam operar o sistema de acordo com a necessidade das investigações.

A delegada da 106ª DP, Juliana Ziehe, destaca que os policiais ficaram impressionados com a qualidade das imagens e ressalta que a leitura de placas dos veículos e o funcionamento 24 horas por dia vão impulsionar o serviço da delegacia.

“A questão da identificação de placas é muito importante porque as vezes a gente consegue registrar a entrada ou saída de um veículo que foi roubado ou furtado e usado num crime. A leitura de placas vai me dar um resultado instantâneo para ação dos policiais. A maior incidência de roubos sempre é à noite ou nas primeiras horas da manhã, quando o número de pessoas na rua é menor. Então a câmera vai permitir ter olhos sobre esse horário e também ver o trajeto que esse criminoso está fazendo para atuar imediatamente”, disse Ziehe.

Câmeras

Além dos policiais civis, também houve treinamento para agentes da Guarda Civil, da Polícia Militar, da CPTrans e da Defesa Civil. Eles aprenderam a fazer rotação da câmera, a dar zoom, como funciona o reconhecimento de placas, como visualizar as imagens ao vivo, como arquivar determinada cena, entre outras funções.

Até agora, já estão instaladas 26 câmeras, sendo 24 que fazem rotação em 360º e duas fixas, que fazem leitura de placas e estão no pórtico do Quitandinha.

As demais estão em locais como a esquina da Rua do Imperador com a Nelson de Sá Earp, Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), em frente à Catedral São Pedro de Alcântara, Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, 13 de Maio, na esquina da Montecaseros com a Roberto Silveira, em frente ao Gheren, na entrada da Mosela, na Av. Ipiranga, no Bingen – entre o Hospital Santa Teresa e a Estácio de Sá –, Rua Teresa (quatro pontos), esquina da Paulo Barbosa com a Caldas Viana, Praça da Inconfidência, esquina da Rua do Imperador com Paulo Barbosa, em frente ao Obelisco, em frente à 105ª DP, no Retiro, Quitandinha, Valparaiso, Duas Pontes e Praça Pasteur.

No Quitandinha e no Alto da Serra, além dos equipamentos que gravam em 360º, já foram colocados as que câmeras de leitura de placas

O Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) já tem câmeras instaladas em 30 pontos da cidade. Todos possuem equipamentos que gravam em 360º, mas Quitandinha e Alto da Serra – duas entradas da cidade – também contam com câmeras fixas que fazem o reconhecimento de placas. Com isso, os órgãos envolvidos diretamente já começaram a deslocar agentes para acompanhar as imagens geradas para a central de monitoramento.

Os equipamentos estão em locais como a esquina da Rua do Imperador com a Nelson de Sá Earp, Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), em frente à Catedral São Pedro de Alcântara, Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, 13 de Maio, na esquina da Montecaseros com a Roberto Silveira, em frente ao Gheren, na entrada da Mosela, na Av. Ipiranga, no Bingen – entre o Hospital Santa Teresa e a Estácio de Sá –, Rua Teresa (cinco pontos), esquina da Paulo Barbosa com a Caldas Viana, Praça da Inconfidência, esquina da Rua do Imperador com Paulo Barbosa, em frente ao Obelisco, em frente à 105ª DP, no Retiro, Quitandinha, Valparaiso, Duas Pontes e Praça Pasteur, Ponte Fones, próximo ao Parque Municipal de Itaipava, no trevo de Teresópolis e Quissamã.

Todos esses locais já estão sendo acompanhados pelas forças de segurança do município através das câmeras, o que vai contribuir bastante para o trabalho da Guarda, da PM e da Polícia Civil, assim como a CPTrans, a Defesa Civil e os bombeiros também serão beneficiados diretamente.

As imagens são geradas em alta definição e as câmeras possuem zoom com até 1 km de distância. Os pontos mais próximos da central de monitoramento faz a transmissão de dados via fibra óptica. Os demais enviam as imagens por wi-fi.

Desde a última segunda-feira (28.05), a CPTrans mantém um homem para acompanhar as imagens diretamente no Centro de Cultura Raul de Leoni, onde está a sala de monitoramento. A partir dessa quinta-feira (31.05), o espaço vai contar também com um agente da Defesa Civil. E na terça-feira da semana que vem (05.06), será a vez da PM passar a manter presença fixa no local. A Guarda Civil mantém três homens no Ciop desde o treinamento, realizado no início do mês.

O Ciop amplia a capacidade da CPTrans de olhar o trânsito da cidade e conseguir agir de forma mais rápida e precisa para destravar retenções. Também será mais uma forma de ajudar a planejar ações que ajudem a melhorar o fluxo de locais que historicamente acabam tendo maior quantidade de carros e trânsito mais lento. É uma ferramenta que vai agregar de maneira muito importante o trabalho nas principais ruas e nos horários de pico.

"É importante a união da Defesa Civil com as forças de segurança, mas com o olhar da prevenção de desastres. Nesta central, poderemos identificar o estágio inicial de alagamentos, inundações, incêndios e, até mesmo, deslizamento de terra, que são a maior ameaça de desastre de origem natural de Petrópolis. Será a tecnologia a serviço da resiliência contra os desastres", diz o Secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

“O Policial Militar do 26º BPM atuará em conjunto com os agentes dos demais órgãos, no sentido de agilizar as ações a serem adotadas, seja de abordagem a pessoas ou veículos em atitude suspeita, realizar um cerco. Alerta de carros roubados recebidos pelo 190 também serão repassados de imediato para o Ciop para que haja a busca devida ao veículo e aos criminosos”, explica o comandante do 26º BPM, Oderlei Souza.

Segunda, 09 Julho 2018 - 19:05

Ciop registra 50 ocorrências em junho

Câmeras em 16 locais identificaram casos de colisão de veículos, acidentes de trânsito, veículo roubado, entre outros casos

Com o bom resultado do equipamento, a cidade já está trabalhando na segunda parte do sistema de monitoramento,que terá mais 40 câmeras

O primeiro mês completo do Centro Integrado de Petrópolis (Ciop) encerrou com o registro de 50 ocorrências flagradas pelas câmeras. Foram casos de colisão de veículos, acidentes de trânsito, roubo de automóveis e suspeitas de consumo ou tráfico de drogas, entre outros, que foram identificados em 16 locais diferentes. Essas ocorrências geraram uma prisão em flagrante por posse de drogas e ajudaram a encontrar uma quadrilha responsável por roubo à residência em Itaipava. Em outras cinco, agentes da PM ou da Guarda Civil foram acionados para fazer abordagem imediata. Do total, mais de 20% foram ocorrências relacionadas a acidentes.  

As informações sobre as ocorrências constam no primeiro relatório de incidência criminal feito pelo Ciop. O maior número de ocorrências foi registrado pela câmera que fica na esquina da Paulo Barbosa com a Rua Caldas Viana, com 11 casos, mas também aconteceram casos em outros pontos do Centro, Quitandinha e Itaipava.

Os números mostram a importância desse equipamento para a cidade e, por isso, o município já trabalha na segunda fase do projeto de monitoramento. Nesta nova etapa, serão instaladas mais 40 câmeras, elevando para 96 o total de câmeras de monitoramento no município.

O Ciop já está mostrando resultados e o número de ocorrências registradas possibilita que todos os órgãos integrados, Guarda, PM, delegacias, CPTrans, Defesa Civil e Bombeiros, possam atuar mais rápido e de forma mais. As câmeras já contribuíram para uma prisão de um caso de grande repercussão, em Itaipava, e cada vez mais vai mostrar a utilidade desse equipamento para toda a população.

Na semana passada, foi com ajuda das câmeras próximo ao Terminal e do Parque Municipal de Itaipava que a 106ª DP conseguiu identificar dois veículos “batedores”, utilizados para fazer escolta dos criminosos – e partir disso, foram identificados dois dos autores de um assalto ocorrido em Jardim Americano. Eles foram presos em uma operação realizada em São João do Meriti, Realengo e Xerém.

Segunda etapa do monitoramento

 O Centro Integrado de Operações de Petrópolis tem 56 câmeras em 46 locais. Todos os pontos contam com câmeras que filmam em 360º, em alta definição e com alcance de até 1 km. Desses locais, cinco deles também possuem câmeras fixas que vão permitir identificar se um veículo roubado está entrando ou saindo da cidade – Bingen, Quitandinha, Alto da Serra, Bonsucesso e Posse. Ele já está funcionando na prática desde meados de maio, sendo inaugurado no último dia 25 de junho.

O segundo projeto conta com 32 câmeras fixas e oito de 360º. Elas vão ficar em 21 locais diferentes: encontro da Rua Floriano e Alberto Torres (três pontos diferentes); Rua Dom Pedro com Alameda Tamandaré (2); Rua Ipiranga com Fonseca Ramos (3), Rua Ipiranga próximo ao nº 524 (2); Rua Ipiranga com Raul de Leoni (3); Rua Ipiranga com 13 de Maio (2); Barão do Rio Branco com 13 de Maio (2); Koeler próximo ao nº 1038 (2); Praça Rui Barbosa com Koeler (2); Praça Rui Barbosa com Dr. Nelson de Sá Earp (2); Praça Rui Barbosa com Monsenhor Bacelar (2); 16 de Março com Alencar Lima (3); Irmãos D’Ângelo com Oscar Weinschenk (2); General Rondon (1); Paulo Hervê com Alice Hervê (1); Imperatriz (1); Av. Ayrton Senna (2); Barão do Rio Branco próximo ao nº 3173 (1); Barão do Rio Branco próximo ao nº 2846 (1); Benjamin Constant (1); e Rua do Imperador com Paulo Barbosa (1).

Esse projeto será possível após o prefeito Bernardo Rossi recuperar uma verba de R$ 500 mil de uma emenda que havia sido perdida pela gestão passada – além de uma contrapartida de R$ 614 mil. Além disso, a coordenação de Segurança do município fez uma adequação do projeto e conseguiu ampliar o total de câmeras, de 20 para 40.

O projeto prevê ainda instalação de fibras óptica, rádios de transmissão de dados, computadores, monitores, nobreaks, postes de sustentação das câmeras, entre outros equipamentos.

“O número de câmeras subiu e o investimento federal também, indo para R$ 768 mil. Com isso, nós conseguimos modificar os equipamentos para outros modelos com melhor resolução, menor custo de manutenção e que permite integração a qualquer sistema de monitoramento”, explica o coordenador de Segurança, Maurício Borges.

Esta é a penúltima etapa antes do início do monitoramento efetivo

Até o momento, 20 câmeras já foram instaladas em toda cidade

Com 20 câmeras do Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) instaladas até a última sexta-feira (04.05), o monitoramento da cidade está cada vez próximo de começar efetivamente. De segunda a quarta-feira (07 a 09.05), será realizada a penúltima etapa da implantação do sistema, o treinamento dos agentes que vão acompanhar as imagens. Esse treinamento vai ocorrer com as imagens que já estão sendo geradas para o Centro de Cultura Raul de Leoni.

É tecnologia avançada que estará a serviço da segurança da população e que vai, naturalmente, beneficiar outros órgãos que estarão integrados ao sistema, como a CPTrans, a Defesa Civil, os Bombeiros. É um passo muito importante para a cidade. A prefeitura acompanhou desde o início todo o trabalho de implantação do Centro Integrado de Operações de Petrópolis.

Um total de 35 agentes da Guarda Civil, PM, Polícia Civil, CPTrans e Defesa Civil vão participar do treinamento. O objetivo é que os monitorantes entendam de que forma podem operar o sistema.

“Para o sistema de monitoramento, é repassado aos monitorantes as informações para movimentação das câmeras, aproximação do foco, rondas automáticas e busca de imagens gravadas. Para o sistema de leitura de placas, é passado o procedimento para cadastro de placas de veículos suspeitos, buscas de placas no sistema através de relatórios e acompanhamento de alertas. O treinamento é feito diretamente na central de monitoramento, onde passamos as informações teóricas e a equipe já coloca em prática”, explica o engenheiro da Emive (empresa responsável pela montagem do Ciop), Rodrigo Gonçalves Silva.

As câmeras instaladas na cidade filmam em 360º com alta definição. É possível captar imagens com nitidez até um quilômetro de distância. Elas já estão em locais como a esquina da Rua do Imperador com a Nelson de Sá Earp, Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), em frente à Catedral São Pedro de Alcântara, Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, 13 de Maio, na esquina da Montecaseros com a Roberto Silveira, em frente ao Gheren, na entrada da Mosela, na Av. Ipiranga, no Bingen – entre o Hospital Santa Teresa e a Estácio de Sá –, Rua Teresa (quatro pontos), esquina da Paulo Barbosa com a Caldas Viana, Praça da Inconfidência, esquina da Rua do Imperador com Paulo Barbosa, em frente ao Obelisco e em frente à 105ª DP, no Retiro.

Também serão instaladas outras na Praça de Nogueira, Praça de Corrêas, Duas Pontes, Valparaíso, Parque Municipal de Itaipava, Pedro do Rio, Quissamã, Itamarati, Cascatinha e Araras.

Além delas, a cidade ainda terá outros 10 equipamentos para leituras de placas. Elas ficarão em cinco entradas de Petrópolis: pórticos do Bingen e Quitandinha, Alto da Serra, trevo de Bonsucesso e Posse. O objetivo é monitorar a movimentação de veículos e identificar caso um veículo roubado ou com placa adulterada entre ou saia do município.

O sistema também possui reconhecimento facial, o que vai permitir identificar caso um foragido passe por um dos pontos monitorados.

Outra funcionalidade do sistema é permitir que a pesquisa por imagens aconteça de forma mais rápida e precisa. Para auxiliar em investigações criminais, é possível buscar por cenas a partir de filtros de pesquisas de acordo com cores, direção, velocidade, ociosidade ou tamanho do objeto. Por exemplo, se a pista de um suspeito é que uma pessoa passou pela área monitorada de camisa branca, é possível pedir que sistema mostre todas as imagens em que aparecem pessoas com essa descrição.

Tudo será acompanhado na sala da central de monitoramento, um espaço de 90 metros quadrados no Centro de Cultura Raul de Leoni que conta com seis ilhas de monitoramento e já recebe as imagens, ainda em fase de testes.

Depois destes 46 pontos, outros 40 também vão ganhar câmeras, fruto de uma emenda parlamentar recuperada pelo prefeito Bernardo Rossi ainda no início do ano passado. A cidade ainda tem outra central que foi criada especialmente para a região de Itaipava, com 20 câmeras instaladas no Parque Municipal e entorno e que já estão em funcionamento.

Em 94 anos de existência da Guarda Civil de Petrópolis, a subcomandante Cláudia Conceição é a primeira mulher a assumir o comando da corporação. Com 22 anos de trajetória na Guarda – 11 deles voltados para a atuação na Ronda Escolar - Cláudia entra para a História da corporação ao comandar, ainda que interinamente, o cargo. A comandante assumiu o cargo nesta segunda-feira (04.02) e ficará por 30 dias, durante as férias do atual comandante.

Com 51 anos e dois filhos, Cláudia ocupa há 6 meses o subcomando da Guarda. Ela tem especialização para atuar em casos de violência doméstica, exploração de violência contra crianças e adolescentes, investigação de estupro, policiamento comunitário escolar e mediação comunitária, entre outras formações oferecidas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

A corporação possui 14 agentes femininas, e a comandante é referência para as guardas. Já passou por diversas funções com o uniforme da Guarda, desde telefonista, segurança de patrimônio, atuação nos terminais, em polos de moda e em unidades de saúde, apoio a Fiscalização de Posturas, rondas em pontos turísticos – ainda antes da criação da Ronda Turística – e atuação em pontos de apoio para atingidos pela chuva em 2013.

 “É uma sequência do que tenho vivido nestes 6 meses como subcomandante. Dar continuidade ao que o comandante vem fazendo, não será muito diferente do que vem sendo feito nesse período, mas, lógico, com um toque feminino. Administrando com coerência e responsabilidade como tem que ser feito. Para mim, é uma honra, mesmo que interinamente ser a primeira mulher a cuidar da nossa Guarda -  tenho uma enorme admiração e respeito pela corporação. Fazer valer que não somos simples presença, mas absoluta necessidade”, frisa a comandante interina, Cláudia Conceição.

Há 11 anos, a subcomandante é coordenadora da Ronda Escolar, que vem ampliando o número de visitas a unidades de ensino no município. “Nosso trabalho é totalmente preventivo. Basicamente somos um elo entre a escola, a família e a população como um todo. Realizamos palestras, conversas individuais com alunos e responsáveis e também conscientizamos a importância da escola na vida do aluno. Nossa parceria com o Conselho Tutelar e Vara da Infância também é muito importante para a fluidez do nosso trabalho”, destacou Cláudia. 

Uma barraca da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea) vai receber doações de ração e de medicamentos na Praça da Liberdade durante a 30ª edição da Bauernfest. O material arrecado será usado para atender animais carentes, sejam eles de protetores ou de particulares que comprovem estar passando por dificuldades financeiras. O recolhimento será feito de segunda a sexta-feira, de 9h às 18h.

O objetivo é reunir medicamentos em geral, como por exemplo, contra carrapatos e pulgas que não foram utilizados até o final ou que estão próximos ao vencimento. Também será recolhido ração para animais adultos e filhotes. A distribuição do material arrecadado será realizada em conjunto com a vistoria de uma equipe da Cobea, que vai verificar as condições do solicitante.

A Cobea mantém ainda campanhas periódicas de recolhimento de ração e medicamentos, contribuindo para o atendimento dos protetores pela cidade. 

A arrecadação é mais uma ação da prefeitura em apoio às ONGs e aos protetores. Desde o início da gestão, a Cobea mantém uma parceria com os protetores de animais, que contam com barracas permanentes no Centro e em Itaipava para realizarem brechós e bazares com a arrecadação voltada para as ações que são desenvolvidas. Os interessados em participar podem ligar para o (24) 2291-1505 ou pelo e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) será inaugurado na próxima segunda-feira (25.06), às 9h30. Até agora, já foram instaladas 48 câmeras em 40 locais, mas o monitoramento na prática já está acontecendo há mais de um mês. Tanto que o Ciop será umas das principais ferramentas a serem usadas no esquema de segurança da Bauernfest.

A sala da central de monitoramento fica no Centro de Cultura Raul de Leoni e servirá de base para os órgãos que vão trabalhar de forma integrada no evento, como Guarda Civil, Polícia Militar, CPTrans, Bombeiros, Samu e Vigilância Sanitária. De lá, os agentes que trabalham 24 horas por dia vão acompanham as imagens das câmeras que ficam nos pontos da festa e nos arredores, além dos acessos da cidade.

Há equipamentos no Palácio de Cristal, Praça da Liberdade, Praça da Águia, 13 de Maio, Catedral, Montecaseros, em frente ao Gheren, Obelisco, pórticos do Bingen e do Quitandinha, entre outros pontos, que formam uma espécie de corredor turístico para a Bauernfest.

Este é o primeiro grande momento para mostrar como o Centro Integrado de Operações vai contribuir para cidade, sobretudo para a segurança da população, mas também beneficiando o trânsito, o atendimento de emergência. Este é um marco para Petrópolis e que vai render muito frutos para a cidade.

Durante a última semana, foram instaladas as câmeras que ficam em frente ao Terminal de Corrêas, na Praça de Corrêas, na Praça de Nogueira e no Itamarati. O restante dos equipamentos será posicionado até o fim da semana próximo ao Castelo de Itaipava, no DPO de Pedro do Rio, próximo a Cervejaria Itaipava (em Pedro do Rio), no acesso a Araras, no retorno do pedágio na Posse e no centro da Posse. Neste último, além da câmera que filma em 360º, será colocada também equipamentos fixos com leitura de placas de veículos – que também foram colocadas em outras entradas da cidade (Quitandinha, Bingen, Alto da Serra e Bonsucesso).

O Ciop reúne o trabalho de Guarda Civil, Polícia Militar, Polícia Civil, CPTrans, Defesa Civil e Bombeiros. 

Inauguração do Centro Integrado de Operações de Petrópolis
Local: Centro de Cultura Raul de Leoni
Dia e horário: Segunda-feira (25.06), 9h30 

Esta é a terceira prisão feita com auxílio da central de monitoramento

As imagens do Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) ajudaram a prender um homem que furtou uma loja no Retiro no último sábado (18.08). O homem foi flagrado pulando um muro para entrar e sair do estabelecimento. As câmeras também possibilitaram a identificação do acusado, que confessou o crime na delegacia.

A prisão foi feita pela Polícia Militar após a Polícia Civil requisitar as imagens, que mostraram toda a ação criminosa e a tentativa de fuga. O furto ocorreu pouco depois das 3h e a prisão ocorreu pela manhã do mesmo dia. O homem levou R$ 264 do caixa da loja e foi encontrado em uma borracharia da região, informando que já tinha gastado grande parte do dinheiro.

Esta é a terceira prisão realizada com a contribuição do Ciop. No final de junho, uma quadrilha por assaltos a residência foi presa uma operação da 106ª DP na Baixada Fluminense. As imagens ajudaram a mostrar um carro que foi roubado em Itaipava. Em meados de julho, três homens foram presos após um assalto em Pedro do Rio. Eles também foram identificados no veículo usado na tentativa de fuga próximo ao Belvedere e levados para 105ª DP.

“Esse é mais um caso que como o Ciop contribui, efetivamente, para aumentar a segurança da cidade. Já são três prisões feitas em que as imagens ajudaram a provar o crime e a identificar os criminosos. Cada vez mais o monitoramento do município será usado para manter a população segura”, ressalta o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.

O monitoramento da cidade foi iniciado em maio e conta com 56 câmeras espalhadas em 46 locais. A prefeitura já trabalha para ampliar o número de equipamentos para 96 câmeras. O Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) reúne Guarda Civil, Polícia Militar, Polícia Civil, CPTrans, Defesa Civil e Bombeiros.

Após o prefeito Bernardo Rossi destinar um carro para atender o Programa Promotores da Paz, quase 800 alunos de Correas, Secretário, Posse e Pedro do Rio vão participar do curso

Pela primeira vez na cidade, o Programa Promotores da Paz (Proppaz) será realizado em escolas dos distritos. No primeiro semestre deste ano, o curso será aplicado com 778 alunos de 25 turmas dos colégios Hercília Moretti (Correas), Dr. Barros Franco (Secretário), Moyses Furtado Bravo (Posse) e Monsenhor João de Deus (Pedro do Rio). A chegada aos distritos mais distantes da sede principal da Guarda Civil é possível graças a doação de um veículo para o deslocamento dos instrutores, feita pelo prefeito Bernardo Rossi.

A doação foi anunciada durante a formatura dos alunos no segundo semestre de 2017. A estrutura vem ao mesmo tempo que o Proppaz é formalizado em lei, o que torna o programa uma política pública do município.

“Graças ao entendimento da prefeitura, que compreende a importância do programa para a cidade e a necessidade de uma estrutura maior, vamos poder levar o Proppaz para escolas dos distritos. Esse é um trabalho que terá grande reflexo no futuro destes estudantes e que vai tornar a nossa cidade e o mundo em lugares melhores para todos”, diz o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.

Em nove anos de existência, quase três mil jovens participaram do curso. Apenas no passado, 842 alunos de nove escolas foram formados pelo Proppaz, graças ao apoio direto da Secretaria de Educação, da Superintendência de Esporte e Lazer e da CPTrans, por exemplo. O programa é voltado para estudantes de 8º e 9º anos do ensino fundamental. O curso é dividido em três etapas.

A primeira acontece em sala, quando os alunos aprendem noções de cidadania, valorização da família, cultura da paz, educação para o trânsito, prevenção ao uso de drogas e motivação. Depois acontecem os “Jogos Proppaz”, com a realização de atividades esportivas e lúdicas entre os jovens e os instrutores. Por fim, eles conhecem os trabalhos realizados no dia a dia pelos agentes na ação “Guarda por um dia”.

Além da maior estrutura, o número de instrutores também está crescendo. No primeiro semestre do ano passado, eram dois instrutores – Leandro Melo e Augusto Carvalho. Na segunda metade de 2017, os agentes Paulo Renato de Oliveira e Evandro Marcolino passaram a ministrar as aulas também. O número vai aumentar novamente em 2018.

“Continuamos o processo seletivo que iniciamos ano passado com o curso interno para os guardas. Dos 10 guardas que fizeram o curso conosco ano passado, quatro seguem estagiando e dois serão aproveitados no segundo semestre, aumentando para seis instrutores esse ano”, explica Leandro Melo.

Pagina 9 de 40

Notícias por data

« Junho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP