Sábado, 05 Julho 2014 - 08:33

25 mil panfletos educativos da Defesa Civil distribuídos em seis meses

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil já distribuiu, nesses primeiros seis meses do ano, cerca de 25 mil panfletos, cartilhas e calendários com orientações e dicas simples de prevenção a desastres das chuvas. A proposta da Defesa Civil, por determinação do prefeito Rubens Bomtempo, é conscientizar cada vez mais a população sobre os perigos que as fortes chuvas representam para as áreas de risco e sobre o que fazer que os moradores fiquem em segurança. O material foi distribuído nos terminais de integração, em pontos comerciais, em unidades de saúde, em condomínios e em outros pontos de grande circulação.

A Defesa Civil contou também com a colaboração dos agentes das Unidades de Proteção Comunitária (UPCs), dos voluntários dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) e de comerciantes. O material distribuído é fruto da parceria da Prefeitura com a Secretaria Nacional de Defesa Civil: o texto foi produzido pela Defesa Civil de Petrópolis, já a arte e a impressão foram realizadas pela Defesa Civil nacional.

“Vamos sempre enfatizar a importância da prevenção. Só assim vamos garantir que a população esteja cada vez mais segura durante o verão. A conscientização dos petropolitanos sobre os riscos das chuvas, com explicações sobre como agir para se proteger, é um longo processo, mas
tenho certeza de que estamos avançando muito nesse sentido. Contribuíram para isso as ações de panfletagem que fizemos, as capacitações de voluntários nos Nudecs e o nosso trabalho no Facebook, que é uma ferramenta que utilizamos para dar orientações de prevenção e, no caso de fortes chuvas, alertas à população”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão.

A página “Defesa Civil de Petrópolis” (facebook.com/defesacivilpetropolis) já soma, hoje, mais de 3.200 curtidas. O objetivo da secretaria é aumentar esse número, o que tende a contribuir para o fortalecimento desse instrumento de prevenção de desastres das chuvas.

“No último verão, quando chegamos a acionar sirenes, nós publicamos na mesma hora os alertas no Facebook. Percebemos que muita gente compartilhou a informação, fazendo com que o alerta chegasse rapidamente aos moradores das comunidades”, disse Simão.