O prefeito Rubens Bomtempo decretou estado de calamidade pública na saúde de Petrópolis depois de constatar a gravidade da situação no Hospital Alcides Carneiro (HAC), encontrar a UPA de Cascatinha com atendimento precário e o SAMU desativado. O decreto de estado de calamidade é o primeiro ato oficial de Bomtempo após tomar posse no cargo. Ao tomar conhecimento do desabastecimento do maior hospital público da cidade, o prefeito liberou a compra de R$ 1 milhão em insumos  para suprir as necessidades imediatas de toda a rede, principalmente do HAC, e determinou ainda a reabertura da UTI da unidade até a próxima semana.

Bomtempo encontrou a UTI e a emergência do HAC fechadas, a maternidade superlotada e o centro cirúrgico com três salas desativadas. O laboratório do hospital está funcionando com cerca de 40% da sua capacidade, os exames de tomografia estão suspensos por falta de filme e contraste, e ainda há 49 pacientes à espera de uma vaga para internação.

“A situação é muito grave; é de calamidade. Não vou abrir mão do comando da Prefeitura no HAC. A saúde é a nossa maior prioridade e hoje ficou evidente que a situação é caótica. Precisamos construir com urgência um plano de recuperação a curto, médio e longo prazo para que o hospital do povo possa voltar a oferecer os serviços à população na sua plenitude”, afirmou o prefeito, que já iniciou uma limpeza geral na área externa da unidade.

Acompanhado do vice-prefeito, Luiz Fernando Vaz, do secretário de Saúde, André Sá Earp, da diretoria do Sehac e de integrantes do Conselho Municipal de Saúde, Bomtempo ressaltou ainda que as gestantes terão prioridade: “Não vamos deixar que o fechamento do Hospital Casa da Providência deixe as gestantes sem atendimento digno. A prioridade é atender a demanda da maternidade do município”.

“Estamos aqui para constatar a situação de perto e conhecer o tamanho da dívida para que possamos encontrar meios sustentáveis ao funcionamento pleno do hospital, que quase morreu por inanição”, disse o secretário de Saúde, André Sá Earp.

Sindicância na Saúde – Bomtempo solicitou ao secretário de Saúde a abertura de uma sindicância para apurar outros problemas graves na rede, como o não funcionamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), inaugurado pelo governo anterior sem qualquer estrutura.

Das três ambulâncias que chegaram para o SAMU há dois anos, uma já está quebrada. Apesar da inauguração, não houve contratação de profissionais, compra de mobiliário nem aquisição de outros equipamentos para o início do atendimento: “O SAMU foi inaugurado no dia 20 de dezembro e ao visitar as instalações hoje encontrei um galpão vazio, com as obras inacabadas. O momento é delicado, exige responsabilidade e não podemos mais esperar”, ressaltou o prefeito.

UPAs também em situação grave – O atendimento precário nas Unidades de Pronto Atendimento da cidade também preocupam o prefeito Rubens Bomtempo. A UPA de Cascatinha está sem atendimento de urgência há uma semana por falta de médicos e a do Centro está superlotada. “Estamos diante de fatos gravíssimos e não conseguimos encontrar o responsável pelo contrato com a Cruz Vermelha para entender esta situação”, concluiu Bomtempo.

Quinta, 03 Janeiro 2013 - 09:58

Boletim Defesa Civil

A Coordenadoria de Defesa Civil de Petrópolis registrou 22 ocorrências devido às fortes chuvas que atingiram a cidade na madrugada desta quinta-feira (3/1). No bairro Siméria, duas casas foram destruídas por deslizamentos de terra, três foram parcialmente danificadas e outras três interditadas, deixando nove famílias desalojadas.

O prefeito Rubens Bomtempo, que ontem decretou estado de calamidade pública na saúde, chegou às 4h30 na Defesa Civil para comandar pessoalmente as operações. Ele anunciou que a prioridade é restabelecer os acessoas das regiões mais atingidas e já solicitou dez caminhões da Comdep e equipes de limpeza para a retirada do lixo, entulho e das barreiras.

“Encontramos a cidade completamente abandonada. O lixo tomou conta das ruas causando o entupimento de ralos e bueiros, além de ter agravado os deslizamentos de terra. O mais importante nesse momento é liberar os acessos interditados e restabelecer a ordem pública”, disse o prefeito Rubens Bomtempo, que já havia convocado ao tomar posse a primeira reunião do Comitê de Ações Emergenciais para a tarde desta quinta-feira.

O maior índice pluviométrico foi de 138 milímetros, registrado na região do Siméria e Alto Independência, onde uma família foi para o ponto de apoio após o alerta da Defesa Civil. A rua Coronel Veiga, o Centro e o Bingen tiveram pontos de alagamento. Por conta de deslizamentos de terra, as ruas Vital Brasil e Manoel Francisco de Paula, no Siméria, foram interditadas. 

Pagina 1497 de 1497

Notícias por data

« Novembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo