Quarta, 13 Outubro 2021 - 10:56

Boletim vacinação – 11/10/2021 (segunda)

As equipes de enfermagem, sob coordenação do departamento de Vigilância em Saúde, deram sequência nesta segunda (11/10) a vacinação contra a covid-19. Durante todo o dia, 1.820 pessoas foram vacinadas na cidade. Destas 183 receberam a primeira dose, 1.400 receberam a segunda dose e  237 receberam a dose de reforço. Até o momento 234.335 pessoas receberam a primeira dose, 144.684 receberam a segunda dose, 6.805 receberam a dose única e 5.361 idosos institucionalizados e acamados, idosos maiores de 60 anos e pacientes imunossuprimidos e  receberam a dose de reforço do imunizante. Por conta da logística de informações para fechamento dos dados o boletim da vacinação passou a ser divulgado na parte da manhã.  

Nos pontos de imunização cinco  idosos foram vacinados com a segunda dose. Outros 158 receberam a dose de reforço, além de oito pacientes imunossuprimidos e 71 trabalhadores da Saúde.

A primeira dose da vacina foi aplicada ainda em 10 pessoas com idade entre 18 e 59 anos sem comorbidades. Na faixa etária abaixo de 59 anos, 1.321 pessoas também receberam a segunda dose. Também receberam a primeira dose do imunizante 169 adolescentes sem comorbidades.

A segunda dose da vacina foi aplicada também em uma pessoa com comorbidade.

Equipes vacinaram ainda uma gestante.

A primeira dose da vacina também foi aplicada em um trabalhador da Saúde. Outros 60 profissionais da área receberam a segunda dose. Também receberam a segunda dose cinco profissionais de Educação  e quatro profissionais de transportes.

Cinco pessoas que vivem em situação de rua também foram vacinadas: duas com a primeira dose e três com a segunda.

A vacinação contra a covid-19 segue na quarta-feira em 13 pontos distribuídos na cidade.

Em caso de dúvidas é possível utilizar o Whatsapp da Saúde - assistente virtual que fornece informações sobre a vacinação, locais de atendimento a pacientes com sintomas da doença e boletins. O atendimento está disponível pelo número (24) 9.9200-1428.

Quarta, 13 Outubro 2021 - 10:54

Boletim Epidemiológico – 11/10/21 (segunda)

Pela segunda vez em menos de uma semana leitos clínicos destinados a pacientes com covid-19 na rede pública ficaram totalmente vazios em Petrópolis. A taxa de ocupação destes leitos nesta segunda (11/10) ficou em zero – situação já registrada na última quarta-feira (6/10). Já a ocupação de leitos de UTI covid-19 está em 9,09%, com seis pacientes internados na rede SUS. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, incluindo hospitais públicos e privados, são 15 pacientes internados na cidade: 11 em UTIs, sendo seis na rede SUS e cinco na rede particular; e quatro em leitos clínicos da rede particular.

Até agora foram realizados no município 201.889 testes para Covid-19, com 49.029 resultados positivos e 152.428 negativos (levando em consideração testes rápidos e Swab).

A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, hoje em 1.531 é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Município é o único do Estado do Rio a participar da pesquisa, realizada em parceira com a Fiocruz

Levantamento de campo com coleta de informações de moradores começa a ser feito dia 14

Petrópolis está entre os 15 municípios do Brasil – único no Estado do Rio de Janeiro - selecionados pelo Ministério da Saúde para uma pesquisa sobre cobertura vacinal. O “Inquérito de Cobertura Vacinal” tem o apoio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e visa avaliar e estimar a cobertura vacinal de crianças nascidas nos anos de 2017 e 2018. A primeira etapa da pesquisa foi realizada no ano passado apenas nas capitais do país. Nesta nova etapa, os dados serão coletados em 15 municípios do Brasil, que têm mais de 200 mil habitantes. Entre os 92 municípios do estado do Rio de Janeiro, somente Petrópolis participa do estudo.

Os pesquisadores irão coletar informações junto a moradores de diferentes bairros sobre as vacinas BCG, hepatite B, poliomielite, pentavalente, rotavírus humano, febre amarela, meningococo conjugada C, penumococo conjugado 10 valente, influenza, hepatite A, tríplice viral, varicela e reforço para DPT e poliomielite. O levantamento será feito por meio da análise da caderneta de vacinação das crianças desde o seu nascimento até o momento da entrevista.

“Ficamos felizes por Petrópolis ter sido selecionada para este levantamento do Ministério da Saúde. São dados importantes que serão coletados e que futuramente poderão nos ajudar a nortear as políticas públicas na cidade”, destaca o governo interino, lembrando que a atualização da carteira de vacinação pode ser feita na campanha de multivacinação em 15 unidades de Saúde do município. “Aproveito a oportunidade para lembrar aos pais e responsáveis por crianças e adolescentes, que estamos com a campanha de multivacinação em andamento para a atualização da carteira de vacinação das crianças e adolescentes de zero a 15 anos”, cita.

“Os resultados recentes da imunização contra a covid-19 são bastante evidentes e reforçam o papel importante que as vacinas têm para a saúde da população. O mesmo vale para todas as demais vacinas. Elas são fundamentais para a proteção contra doenças. Pais e responsáveis devem estar atentos à caderneta de vacinação das crianças e adolescentes. Vacinar as crianças é um ato de amor”, frisa o secretário de Saúde

A pesquisa do Ministério da Saúde sobre a vacinação terá início no dia 14 (quinta-feira), quando entrevistadores de uma empresa contratada para o levantamento estarão em diferentes bairros conversando com as famílias e coletando os dados. Os entrevistadores irão conversar com os responsáveis pela criança e fotografar a caderneta de vacinação para identificar quais as vacinas ela recebeu. A entrevista coletará os dados de 452 crianças.

“É muito importante que as pessoas recebam os pesquisadores - que estarão indo até as casas identificados - e forneçam as informações. A partir dos resultados apurados o Ministério da Saúde poderá definir novas estratégias para melhorar o acesso à vacinação das crianças em todo país e, assim, ampliar as coberturas vacinais, o que na prática significa proteger a saúde de toda população. A participação de cada um é importante para o melhor resultado deste levantamento”, destaca.

Os entrevistadores estarão portando crachá de identificação e usando blusa da empresa contratada para a pesquisa, além de equipamento de proteção contra a covid-19. Em caso de dúvidas, a orientação é para que o morador entre em contato com o Ministério da Saúde pelo Disque Saúde: 136. Informações também podem ser fornecidas pela empresa contratada para a realização da pesquisa, Science, pelo 0800 025 0174. Dúvidas também podem ser sanadas junto à Fiocruz, que coordena o estudo no Rio de janeiro, pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Crianças da Associação Espaço Educativo São Charbel tiveram uma aula diferente na última sexta-feira (08): os alunos acompanharam o trabalho dos agentes de endemia no Caxambu, bairro em que a creche é localizada. Durante a ação, os estudantes acompanharam a rotina de vistorias no combate e prevenção ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chykungunia.

Participaram das atividades os alunos do 5° ao 9° ano, com idades entre 8 e 14 anos. Durante a ação, realizada seguindo os protocolos de segurança para prevenção à covid-19, eles assistiram de perto as tarefas executadas pelos agentes de combate a endemias em vistorias de domicílios, com transmissão de informações sobre os cuidados necessários para garantir a não proliferação do vetor, destruição de criadouros e aplicação de larvicidas quando necessário.

A Diretora há 35 anos da Associação Espaço Educativo São Charbel conta como surgiu a ideia de levar as crianças para uma vistoria. “Temos uma parceria com os agentes de endemia da região do Caxambu, em que damos um suporte com um trabalho deles aqui no bairro. Através desse contato, tivemos a ideia de fazer uma atividade educativa diferente com as crianças da creche. Os agentes aceitaram prontamente e as crianças gostaram demais”, contou.

O professor de Educação Física da creche foi o responsável por acompanhar as crianças na vistoria. Ele conta que o fator socioeducativo foi o ponto principal da atividade: “Eles andaram pela comunidade, viram a realidade de perto, identificaram possíveis focos dos mosquitos, coletaram amostras, escutaram os agentes conversando com os moradores, ouviram as orientações transmitidas, fizeram perguntas. Foi muito proveitoso. Já fizemos passeios recreativos para o Parque Municipal, caminhadas, levamos a criançada para poços, mas, para mim, se não foi a melhor, foi uma dos melhores atividades, pelo fator socioeducativo. Eles não vão esquecer desse dia nunca mais”.

Ele conta que o conhecimento adquirido pelos alunos foi transmitidos aos outros, que não acompanharam as visitas. “Após o acompanhamento, fizemos uma roda de conversa na creche em que os alunos que participaram da vistoria compartilharam as instruções e conhecimentos adquiridos com aqueles que não estavam presentes. Fizeram perguntas entre si e ainda relataram a experiência de duas caixas d'água que eles viraram para identificar focos do mosquito”.

O professor ainda relata outra situação curiosa com uma criança que acompanhou o trabalho dos agentes. “Na parte da tarde estávamos fazendo atividades de futebol e a bola caiu em um local fora da quadra. Fui buscar a bola com um aluno e nesse caminho tinha um pote cheio de água. Ele já virou pra mim chamando para ver se tinha algum foco de mosquito ali. Olhamos, não tinha e viramos o pote para baixo. Mas é esse tipo de lição que fica. Ele vai levar para dentro da casa esse conhecimento e contar para os pais também, e assim por diante”.

Bons resultados dos agentes de endemia

Os agentes são ligados à Coordenadoria de Vigilância Ambiental do Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde. No mês de setembro, eles atingiram uma marca importante no fechamento dos trabalhos: mais de 450 mil visitas a domicílio foram realizadas em 2021 pelos profissionais. Por mês, são feitas cerca de 45 mil visitas periódicas. Todos os agentes estão vacinados com as duas doses contra Covid-19.

De acordo com o último Levantamento de Índice Rápido ao Aedes Aegypti (LIRA), Petrópolis tem atualmente o menor índice de risco de infestação de Aedes Aegypti dos últimos quatro anos. A pesquisa realizada entre os dias 02 e 06 de agosto, classifica a cidade para as doenças transmitidas pelo mosquito como dengue, chikungunya e zika. Com 0,10%, a cidade está classificada com baixo risco de infecção predial.

A campanha Um Brinquedo Por Um Sorriso, da Prefeitura, realizada pela Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, encerrou a arrecadação de brinquedos que atendeu localidades por meio dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (NUDEC). Entre as comunidades que receberam os brinquedos estão Presidente Sodré, Thouzet, Siméria, Amazonas, São Sebastião, Duques, Serrinha, 24 de Maio, Espírito Santo, Morin, Meio da Serra, Chapa 4 (Valparaíso), Honduras, Independência, Cuiabá, Estrada da Saudade, Taquara e Posse. A iniciativa teve início dia 21 de setembro e contou com a colaboração, além da população, de instituições e empresários da cidade.

"Iniciativas como esta levam apoio e alegria às comunidades. Fazem bem tanto a quem doa quanto a quem recebe a doação. Que ações como esta se multipliquem, não apenas no poder público, mas também na sociedade, em geral", frisou o governo interino.

A campanha recebeu o apoio da Legião da Boa Vontade (LBV), do 15° Grupamento do Corpo de Bombeiros, do 26° Batalhão da Polícia Militar, do Polo da Rua 16 de Março e Instituto Corrente do Bem. As equipes da Defesa Civil se dedicaram nos últimos dias ao recebimento e organização das doações, que foram entregues nas comunidades antes do Dia das Crianças. A ideia foi garantir que as crianças mapeadas nas regiões pudessem receber um presente em tempo das comemorações dessa data tão esperada pelos pequenos. “Essa foi uma ação muito prazerosa para toda a nossa equipe. Conseguimos levar um pouco de alegria para muitas crianças. Trabalhamos diariamente na busca pelo cuidado do próximo e isso vai muito além do trabalho rotineiro atender a chamados de ocorrências”, destacou o secretário de Defesa Civil.

Em algumas comunidades, os brinquedos recebidos complementarão as festividades, como é o caso da região do Amazonas. O representante dos moradores da localidade esteve na sede da Defesa Civil para buscar as doações. “Vamos poder fazer as crianças mais felizes. Agradecemos a todos os envolvidos nessa campanha”, destacou . As crianças do Chapa Quatro, no Valparaíso, também receberam parte das doações. “Quero muito agradecer a Defesa Civil por ajudar nossa ação com as crianças da comunidade. Essa doação vai complementar as festividades que preparamos”, disse o representante da comunidade.

Além das comunidades, com o montante arrecadado, ainda vai ser possível abranger instituições voltadas para o atendimento de crianças. A campanha reuniu brinquedos novos e usados, que passaram por triagem para garantir o bom estado dos itens que serão entregues. “Estamos muito felizes com o resultado dessa campanha e agradecemos o apoio de todos que se juntaram a nós neste ato humanitário. Campanhas como essa farão parte do nosso cronograma de ações”, destacou a diretora de projeto da Defesa Civil.

Quarta, 13 Outubro 2021 - 10:49

Boletim Epidemiológico – 10/10/21 (domingo)

A taxa de ocupação de leitos para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde, neste domingo (10/10), se manteve em 3,33% em leito clínico da rede SUS. A UTI covid na rede SUS está em  10,61% de ocupação. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, incluindo hospitais públicos e privados, são 17 pacientes internados na cidade: sendo 12 em UTIs e cinco em leitos clínicos.

Até agora foram realizados no município 201.889 testes para Covid-19, com 49.029 resultados positivos e 152.428 negativos (levando em consideração testes rápidos e Swab).

A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, hoje em 1.531 é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Quarta, 13 Outubro 2021 - 10:48

Boletim vacinação – 09/10/2021 (sábado)

As equipes de enfermagem, sob coordenação do departamento de Vigilância em Saúde, deram sequência neste sábado (09/10) a vacinação contra a covid-19. Durante todo o dia, 1.205 pessoas foram vacinadas na cidade. Destas 127 receberam a primeira dose, 641 receberam a segunda dose e 437 receberam a dose de reforço. Até o momento 234.152 pessoas receberam a primeira dose, 143.284 receberam a segunda dose, 6.805 receberam a dose única e 5.124 idosos institucionalizados e acamados, idosos maiores de 60 anos e pacientes imunossuprimidos e  receberam a dose de reforço do imunizante. Por conta da logística de informações para fechamento dos dados o boletim da vacinação passou a ser divulgado na parte da manhã.  

Nos pontos de imunização, 135 idosos foram vacinados com a dose de reforço, além de cinco pacientes imunossuprimidos e 297 trabalhadores da Saúde.

A primeira dose da vacina foi aplicada ainda em uma pessoas com idade entre 18 e 59 anos sem comorbidades. Na faixa etária abaixo de 59 anos, 621 pessoas também receberam a segunda dose. Também receberam a primeira dose do imunizante 126 adolescentes sem comorbidades.

A segunda dose da vacina foi aplicada também em 16 pessoas com comorbidades.

Equipes vacinaram ainda duas gestantes e duas puérperas com a segunda dose. 

A vacinação contra a covid-19 segue na segunda-feira em pontos distribuídos na cidade.

Em caso de dúvidas é possível utilizar o Whatsapp da Saúde - assistente virtual que fornece informações sobre a vacinação, locais de atendimento a pacientes com sintomas da doença e boletins. O atendimento está disponível pelo número (24) 9.9200-1428

Quarta, 13 Outubro 2021 - 10:47

Boletim Epidemiológico – 09/10/21 (sábado)

A taxa de ocupação de leitos para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde  neste sábado (09/10) se manteve em 3,33% em leito clínico da rede SUS. A UTI covid na rede SUS está em  9,09% de ocupação. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, incluindo hospitais públicos e privados, são 16 pacientes internados na cidade: sendo 11 em UTIs e cinco em leitos clínicos.

Até agora foram realizados no município 201.889 testes para Covid-19, com 49.029 resultados positivos e 152.428 negativos (levando em consideração testes rápidos e Swab).

A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, hoje em 1.531 é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Na noite desta sexta-feira (8), mais uma ação de Choque de Ordem foi realizada pelo poder público municipal e o 26º Batalhão da Polícia Militar. Durante a ação, a principal irregularidade identificada foi o estacionamento irregular: foram emitidas 36 notificações e quatro veículos foram removidos para o pátio de apreensões do Morin.

"Semanalmente, temos nos reunido com a Polícia Militar, reunião que conta com a CPTrans, com a Guarda e com a fiscalização de posturas, para coordenar as ações de ordenamento urbano, especialmente para garantir o cumprimento dos decretos e coibir o uso do espaço público para práticas irregulares como estacionamento proibido", destacou a secretária de Serviços, Segurança e Ordem Pública.

A ação foi concentrada na rua 13 de Maio, na Praça da Liberdade, praça Princesa Isabel e nas ruas de entorno da região. Durante o trabalho das equipes de segurança pública e de fiscalização de posturas e trânsito, 36 veículos foram notificados por irregularidades, especialmente em relação à prática do estacionamento em local proibido. Quatro deles (localizados nas ruas Padre Siqueira e no entorno da Catedral São Pedro de Alcântara) foram removidos pela ausência do proprietário no local para remover o veículo.

No Centro de Saúde, grupos de apoio são abertos, com atendimento gratuito

Com o objetivo de instruir e prevenir a iniciação do tabagismo, estimular a interrupção do fumo e proteger as pessoas da exposição à fumaça ambiental do tabaco, o governo municipal, por meio da Secretaria de Saúde, oferece no Centro de Saúde grupos de apoio abertos e gratuitos à população. A participação é aberta ao público que deseja parar de fumar, sendo necessário apenas o preenchimento de um cadastro na unidade. Os grupos têm horários disponíveis de encontros de segunda a sexta-feira, pela manhã, tarde e à noite.

“Sabemos dos malefícios que o tabagismo provoca e o quanto é difícil abandonar o vício. Este apoio a quem quer deixar o cigarro de lado é essencial. Durante o mês de agosto realizamos a capacitação dos profissionais da rede apoiada nas diretrizes do Programa de Controle do Tabagismo”, destaca o governo interino.

Segundo o INCA, a epidemia global do tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas ao ano por doenças crônicas e cerca de 1,2 milhões de fumantes passivos por doenças relacionadas ao tabagismo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o consumo de tabaco é a principal causa de morte evitável no mundo, respondendo por mais de 60% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

O secretário de Saúde diz que o apoio das pessoas próximas é fundamental para quem deseja acabar com o vício. “Parar de fumar é uma das melhores coisas que a pessoa pode fazer para a sua saúde. Alguns conseguem fazer isso sozinhos e outros precisam de ajuda. Mas o êxito só vem quando realmente o próprio indivíduo toma a decisão de parar de fumar. Por isso, apoie quem tomou essa decisão e estimule com palavras positivas. O tabagismo é um dos principais fatores de risco para qualquer tipo de câncer. Fumar mais de um maço de cigarros por dia durante 10 anos aumenta em 60% a chance de ter um câncer de mama após os 44 anos”, exemplificou.

Para participação nos grupos de apoio, cadastre-se presencialmente no Centro de Saúde ou entre em contato pelo telefone (24) 2237-3616. De segunda a sexta-feira, os grupos se reúnem pela manhã nos horários de 8h e 10h. Pela tarde, o Centro de Saúde possui grupos de apoio às 13h e 15h na segunda, terça e quarta-feira. Na segunda, quarta e sexta-feira é oferecido o atendimento no terceiro turno, às 18 horas.

O Centro de Saúde Professor Manoel José Ferreira fica na Rua Santos Dumont, 100, no Centro da cidade.

Grupos de Tabagismo

Os grupos de tabagismo são realizados dentro das unidades da saúde com reuniões de apoio, medicamentos e orientações totalmente gratuitas à população, para quem deseja parar de fumar. As atividades acontecem por meio de ações educativas, de comunicação e de atenção à saúde. A coordenadora do Programa de Tabagismo de Petrópolis explica como é feito o acompanhamento. “Os grupos realizam quatro sessões de acompanhamento com o paciente, em que cada semana é abordado um assunto diferente. São realizadas palestras relacionadas a saúde do indivíduo com o tabaco, com objetivo que o paciente pare de fumar. Juntamente com as abordagens, é realizado o acompanhamento com uma equipe multidisciplinar com médico, dentista, nutricionista, e outros profissionais”.

“A decisão de parar de fumar é do paciente. Ele decidindo, iniciamos o procedimento com os medicamentos de adesivos de nicotina, de acordo com a demanda dos pacientes”, completa a coordenadora, alertando que o uso dos adesivos deve ser acompanhado pelo profissional responsável do grupo.

Pagina 6 de 1687