Trabalho visa avaliar quais as melhores alternativas de prevenção podem ser adotadas em áreas de risco na cidade

As equipes da Secretaria de Defesa Civil do município acompanharam, nesta quinta-feira (5), inspeção por áreas afetadas pelas chuvas de fevereiro e março. A ação ofereceu suporte ao trabalho da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Japan Internacional Cooperation Agency - JICA) e dos técnicos da Defesa Civil Nacional, por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), que estão na cidade para análise dos danos causados pelos desastres das chuvas. Engenheiros, geólogos, geógrafos e técnicos analisaram o perfil das ocorrências registradas nas localidades da 24 de Maio, Rua Teresa, Morro dos Ferroviários, Vila Felipe e Caxambu.

A medida visa buscar soluções e recursos para a aplicação de projetos de recuperação de áreas e estabelecimento de medidas de prevenção em áreas de risco. A partir da análise de território, os especialistas da JICA buscam oferecer cooperação técnica para projetos de prevenção que podem ser adotados nas localidades. Um dos objetivos é avaliar a aplicação do projeto SABO, para a instalação de barreiras que retêm o fluxo de detritos em áreas com risco de deslizamento e podem minimizar os danos às edificações.

“Essa é mais uma importante cooperação para o município e estamos bastante otimistas com mais essa parceria técnica para garantir não só a recuperação, mas medidas de prevenção a desastres”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

O trabalho das equipes do Ministério do Desenvolvimento Regional complementa as ações iniciais realizadas na cidade após os desastres e, a partir do acordo de cooperação técnica com a JICA se avaliam medidas eficazes para as áreas afetadas. “Nesse momento conseguimos entender a extensão dos danos e entender um pouco mais o fenômeno que deflagrou o desastre com o movimento de massa. A partir de agora temos outras perspectivas de avaliação junto com as equipes do município, em parceria com os especialistas do Japão”, pontuou o diretor do Departamento de Obras do MDR, Paulo Falcão.

Municípios como Teresópolis e Nova Friburgo já estão recebendo projetos estruturais com foco na prevenção de desastres. A partir da análise de campo realizada nesta quinta-feira (5) o especialista da JICA, Hideto Ochi destaca que, assim como as cidades vizinhas, Petrópolis apresenta características de movimento de massa específicas. “O nosso projeto tem foco no fluxo de detritos e pensamos no que pode ser possível a partir do tipo de evento que vimos por aqui. Pretendemos estudar essa área. Muitas localidades tiveram deslizamentos planares e precisam de obras em encostas. No que estiver ao nosso alcance, vamos ajudá-los a fazer esse plano de intervenções”, destacou o representante da JICA.

As equipes da Defesa Civil oferecem todo o suporte técnico para que os trabalhos tenham andamento. Além do acompanhamento com análise in loco nas áreas afetadas, todo o conteúdo técnico produzido desde o dia 15 de fevereiro, será disponibilizado para que as equipes façam os estudos necessários. “Estamos com nossas equipes empenhadas nesse trabalho de cooperação para que possamos evoluir em medidas de prevenção a partir do desenvolvimento de obras estruturantes que vão ajudar a mitigar riscos”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente coronel Gil Kempers.

Ação nas escolas conscientizou jovens sobre a importância de participar das eleições

A Prefeitura, por meio da Coordenadoria da Juventude, mobilizou estudantes quanto a importância de tirar o título de eleitor, para que possam participar das Eleições Gerais de 2022. A ação ocorreu na última semana em duas escolas, o Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio e a Escola Municipal Alto Independência. Ao todo, documentos foram viabilizados pela equipe. Também houve orientação sobre as etapas necessárias.

“Participar das eleições é um direito para todo cidadão acima de 16 anos, tornando-se obrigatório após os 18. Nosso papel, como poder público, é garantir a participação popular e promover a cidadania”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Em outubro, os brasileiros escolherão presidente e governadores, além de deputados estaduais e federais e senadores. O prazo para tirar ou regularizar o título terminou na quarta-feira (04). O coordenador municipal da Juventude, Jean Marques, destaca que a mobilização tem o intuito de engajar o jovem na escolha política.

“Essa mobilização é importante para chamar a juventude para participação cidadã, engajar os jovens na escolha política e trazê-los para o diálogo público. Foi importantíssima a parceria com o Conselho Municipal de Juventude, escolas e associação de moradores do Independência para a mobilização”, disse.

A ação contou com o apoio do Conselho Municipal de Juventude. Secretário do CMJ, Guilherme Gomes Freitas destacou a importância do voto do jovem e o aumento da sua presença na política do país. "É através de leis e projetos Institucionais que a juventude garante mais direitos na sociedade, como é o caso do estatuto da Juventude, da lei da meia entrada, entre outros. Por isso, a importância do jovem ocupar as urnas para sempre garantir nossos direitos. Na eleição desse ano, o jovem pode decidir o futuro do país, e nada mais que justo ocuparmos as urnas em defesa de nosso futuro, em defesa do primeiro emprego, em defesa da cultura e da arte e em defesa da educação que sempre sonhamos", disse.

No local, agentes informaram sobre preferência de idosos e identificação de formas de pagamento

O Procon Petrópolis fez ação nesta quinta-feira (05) o Sacolão do Retiro, atendendo a denúncias de falta de prioridade para idosos nos caixas. O departamento de proteção ao consumidor orientou os responsáveis pelo local, que se prontificaram a colocar sinalização e treinar funcionários quanto a esse direito do público da terceira idade.

“O Estatuto do Idoso prevê essa diferenciação de tratamento em relação às filas. Além disso, os idosos são maioria entre os frequentadores do Sacolão”, explicou o coordenador do Procon, Fafá Badia.

O Procon também orientou o estabelecimento quanto aos avisos referentes às formas de pagamento. A advertência sobre o que é aceito deve estar em local visível e de forma clara. “Os responsáveis foram solícitos em atender as demandas apresentadas pela fiscalização e se prontificaram a realizar as mudanças necessárias”, concluiu Badia.

Obras da Prefeitura geram empregos e movimentam economia

Recuperação da cidade após catástrofes climáticas cria oportunidades para trabalhadores e empresas

Os contratos para a realização de obras emergenciais assinados pela Prefeitura de Petrópolis já resultaram na criação de mais de 200 empregos diretos. Em cifras, essas contratações de empresas estão injetando R$ 10,1 milhões na economia, incluídos pagamento de salários, aquisição de materiais e serviços e recolhimento de impostos.

O impacto socioeconômico da empreitada inicial de recuperação da cidade é estimado pela Secretaria de Obras, Habitação e Regularização Fundiária. De 24 contratos para obras assinados até o fim de abril, 13 são custeados com recursos doados pela Assembleia Legislativa; os outros 11, com aportes do Ministério Do Desenvolvimento Regional, a pedido da Prefeitura.

No total, somados obras, serviços relacionados e outras ações emergenciais, a Prefeitura tinha firmados, até o fim de abril, contratos no valor de R$ 25,1 milhões com recursos recebidos da Assembleia Legislativa, que destinou R$ 30 milhões a Petrópolis. Com recursos federais, contabilizadas obras e outras iniciativas emergenciais, os contratos assinados totalizavam R$ 2,8 milhões ao fim do mês passado.

Veja no Portal Petrópolis – Aqui tem Transparência (https://web2.petropolis.rj.gov.br/transparencia/recursos-recebidos.php) os contratos celebrados pela Prefeitura e os recursos destinados a Petrópolis.

Empreitada emergencial

Os 13 contratos para obras emergenciais cobertos pela doação da Assembleia somam R$ 8 milhões; os 11 custeados pelo governo federal, R$ 2,1 milhões. Além das 24 contratações de empresas, vários outras estão previstas na programação de trabalho da Prefeitura, assinala o secretário de Obras, Habitação e Regularização Fundiária, Almir Schimidt.

“Demos a largada nas obras e serviços contratados e seguimos executando o nosso planejamento, com critérios técnicos e lisura no chamamento das empresas à união. Nosso compromisso é recompor o mais breve possível o que as catástrofes climáticas destruíram, priorizando a proteção das pessoas e a segurança da mobilidade urbana”, diz Schmidt.

Com as contratações, quase todas para contenção de margens de rios ao lado de ruas, a Prefeitura está recuperando estragos em diversos pontos do município. Dois dos 24 contratos abrangem frentes em vários lugares. Num deles, mais de 100 ruas ganharam asfalto e serviços de tapa-buracos; no outro, mais de 1,3 mil toneladas de rochas, em 15 áreas de risco, foram desmontadas.

Da catástrofe ao trabalho

As obras emergenciais vêm proporcionando atividade a trabalhadores como Renan dos Santos Freire, 32 anos. Ele ajudou a levantar, no Centro, um muro de gabião na Avenida Piabanha, o primeiro a ficar pronto, em abril. Na segunda-feira, começou sua segunda obra – outra contenção de gabião, com 166 metros cúbicos, na Avenida Barão do Rio Branco, em frente ao 1.411, pista em direção ao Centro.

Gabionista, Renan trabalhava como pedreiro antes das catástrofes. “A coisa ia fraca e surgiu a chance do gabião de novo. A causa das obras são os desastres, o que é muito triste; mas também a gente necessita trabalhar. Gabião sobe rápido, tem drenagem, resiste mais de 100 anos”, diz Renan, com experiência nessa tecnologia de contenção acumulada em várias cidades.

Principais obras abrangidas pelos 24 contratos

Muros de contenção (gabião)

Avenida Piabanha (em frente ao 149)
Rua Saldanha Marinho
Rua Vigário Corrêa
Rua Bingen (1.379)
Rua Bingen (463)
Rua Bingen (50)
Rua Afrânio de Melo Franco
Rua Coronel Veiga (1.559)
Avenida Barão do Rio Branco (1.411)

Outras obras

Pavimentação e tapa-buracos (4,5 mil toneladas de asfalto)
Desmontes de rochas em áreas de risco
Drenagens de redes pluviais
Desobstrução e limpeza de vias e rios
Restabelecimento de guarda-corpos em várias ruas
Recuperação da cobertura do Hospital Municipal

Parceria entre município e governo do Japão pode ampliar mecanismos voltados para a identificação de riscos

A Prefeitura recebeu as equipes técnicas da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Japan Internacional Cooperation Agency - JICA) e do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR) com o foco no estabelecimento de novo acordo de cooperação técnica para a implantação de medidas de prevenção a desastres no município. Em encontro realizado na tarde desta quarta-feira (4), com a participação das equipes das Secretarias de Defesa Civil e Obras, além da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, foi apresentado um novo projeto, o SABO, voltado para a mitigação de desastres no Japão e que pode ser implantado no Brasil. A iniciativa visa a construção de barreiras para conter deslizamentos em áreas de risco.

Para a realização do estudo técnico voltado para a implantação do projeto, as equipes da JICA e MDR vão permanecer na cidade para percorrer as áreas mais impactadas pelas chuvas de fevereiro e março. A proposta é avaliar os locais afetados para entender o tipo de ocorrência registrada, em maioria por conta de deslocamento de terra, e estudar os melhores mecanismos de prevenção para cada localidade. Inicialmente, entre os pontos a serem analisados estão os casos de maior gravidade registados nas regiões do Caxambu, 24 de Maio e Alto da Serra.

“Estamos enfrentando a maior tragédia da história na nossa cidade e estamos muito esperançosos em fortalecer nossos vínculos novamente, pois precisamos lidar com essa realidade que antes não existia. Precisamos considerar esse novo padrão de chuva que afeta a nossa região e esse é um grande desafio”, pontuou o prefeito Rubens Bomtempo. Com a iniciativa, o município retoma o diálogo institucional com o Japão. “Essa é uma importante iniciativa para que se garantam ações e políticas públicas de médio e longo prazo”, complementou Bomtempo, destacando que o novo projeto tem muito a contribuir na implantação de soluções estruturais para a cidade.

Projeto Sabo cria barreiras em locais com mais risco a movimento de terra

O projeto, que já está sendo implantado nos municípios de Teresópolis e Nova Friburgo, visa o estabelecimento de medidas para a redução de danos em áreas de risco. A ideia é replicar nos territórios avaliados estruturas como às adotadas no Japão, tendo em vista a semelhança das ameaças naturais que ocorrem no país. Por meio de barreiras permeáveis, feitas com tubos de aço e as não permeáveis, construídas com concreto, se objetiva reter o fluxo de detritos, sem impedir a fluidez da água. A medida diminui os danos que podem ser causados às edificações.

“Esses desastres acontecem há muitos anos no Brasil e há medidas robustas para a contenção. A nossa expectativa é que a nossa análise favoreça nos projetos de reconstrução da cidade. Conforme análise do material e da topografia de cada localidade, pode-se começar a pensar na construção dessas estruturas. Acreditamos que possamos mostrar nossa experiência e que algo seja útil para as obras na cidade”, destacou Hideto Ochi, chefe da equipe da JICA no projeto SABO.

Cooperação técnica para a prevenção de desastres

Esta será a segunda vez em que Petrópolis e Japão atuam, por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional, para se estabelecer a cooperação técnica necessária para a prevenção de desastres. Para o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers é importante ampliar o conhecimento entre demais setores da gestão pública, para se entender as dificuldades que possibilitem mudanças e avanços para a gestão pública.

“Esse é o momento de fazer a virada e estamos começando muito bem com essa visão de trazer um conhecimento tão específico e peculiar para nossa cidade. É a primeira vez que pensamos em prevenção com obras estruturantes. Sempre se pensou em reconstrução, mas podemos avançar muito com obras com foco na prevenção. Esse é um trabalho que pode mudar de forma eficiente a gestão do desastre no país”, pontuou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers.

O coordenador especial de Articulação Institucional, Rafael Simão que foi um dos articuladores para mais essa a parceria entre o município e a Jica, destacou ainda a importância das ações realizadas anteriormente para o fortalecimento da cidade no que tange ações de prevenção e mitigação de riscos. “Que todo esse programa intersetorial possa estabelecer força necessária para reconstrução da cidade e tornar a cidade mais resiliente, com ações a médio e longo prazo”, considerou.

Projeto Gides possibilitou a identificação de riscos

Durante o encontro o prefeito lembrou de parcerias anteriores com o do Projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides), implementado entre os anos de 2014 e 2017 no município. Na ocasião, Petrópolis teve participação direta no projeto, executado pelo MDR, partir de treinamento e capacitação de equipes; de estudo de território para a identificação de áreas de maior riso a deslizamento; implantação de sistema de alerta e alarme; e estruturação de obras e planejamento. “Em 2014 estivemos no Japão a convite da Jica, fizemos o curso e conhecemos experiências em termo de prevenção e resposta a desastres. Agora queremos conhecer esse novo projeto para tentar contribuir para a implantação de soluções estruturais”, destacou o prefeito.

Com a chegada de 8.708 vacinas contra a covid-19, na última terça-feira, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, está ampliando, já a partir desta quinta-feira (05), a vacinação para idosos com a quarta dose (segundo reforço) acima de 70 anos, seguindo a Nota Técnica do Ministério da Saúde. Pessoas acima de 60 anos, que vivem em Instituições de Longa Permanência – ILP, também serão atendidos.

“Estudos mostraram que o segundo reforço aumenta em mais de cinco vezes a imunidade uma semana após a aplicação. Estamos vivendo um momento importante, pois, a cada dia estamos um pouco mais próximos do fim da pandemia. Por isso, é fundamental que as pessoas continuem aderindo a vacinação e se protegendo”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

De acordo com o secretário de Saúde Marcus Curvelo, a Nota Técnica recomendando a ampliação da quarta dose (segunda reforço) para as faixas etárias, foi publicada pelo Ministério da Saúde na segunda-feira (02). “No documento, a pasta orienta, preferencialmente, a utilização do imunizante da Pfizer, porém, também podem ser usadas as vacinas da Janssen ou AstraZeneca, independentemente da dose utilizada anteriormente. Outra orientação é relacionada ao intervalo entre a terceira e quarta dose, que deve ser de quatro meses”, explica Curvelo.

Na terça-feira, a Divisão de Imunização da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica recebeu um total de 6.708 doses da Pfizer e outras 2 mil da AstraZeneca. No mesmo carregando, outras 1,5 mil doses de Pfizer pediátrica foram entregues.

Para receber o imunizante, não é preciso se cadastrar. Basta que o idoso vá a um dos postos de vacinação disponibilizados pela Secretaria de Saúde. É necessário a apresentação do cartão de vacina, assim como o CPF ou o cartão SUS. No caso dos idosos asilados em Instituições de Longa Permanência – ILPIs, os agendamentos serão feitos previamente pela Divisão de Imunização.

Postos de vacinação

  • Centro de Saúde Coletiva
  • Hipershopping Petrópolis, no Alto da Serra
  • Drive Thru, no Parque Municipal, em Itaipava
  • Supermercado Extra, no Quitandinha
  • UBS Itamarati
  • ESF Posse
  • ESF Menino Jesus de Praga

Após zerar a fila de mamografias no município, a Secretaria de Saúde, por meio do Centro de Saúde Coletiva, está se preparando para a realização de um grande mutirão de ultrassonografias mamárias, represadas entre os anos de 2019 e 2020. As equipes da unidade já iniciaram a triagem e estão entrando em contato com os pacientes que estão na fila de espera para agendar os procedimentos. A primeira ação acontece neste sábado (07).

“Providenciamos a contratação de um médico ultrassonografista de mama, o que tem acelerado os atendimentos”, destaca o prefeito Rubens Bomtempo.

Segundo o secretário de Saúde, Marcus Curvelo, o mutirão vai acontecer nos quatro sábados de maio e a previsão é de realizar, pelo menos, 40 procedimentos nos dias das ações. “Esse exame complementa o rastreamento iniciado com a mamografia. Tanto para os mutirões, quanto para os atendimentos normais, temos equipes preparadas para atender a demanda", explica o secretário.


“Estamos determinados em realizar esses atendimentos, nosso objetivo é resgatar esses pacientes, estabelecendo acolhimento e resolutividade as demandas necessárias”, frisa a diretora do Centro de Saúde, Célia Bretas.

A Prefeitura, por meio do Instituto Municipal de Cultura (IMC), retomou as atividades do Petrópolis Film Commission. E a comissão já marcou presença no maior encontro de criatividade da América Latina – o Rio2C -, que aconteceu dos dias 26 de abril a primeiro de maio, na Cidades das Artes, no Rio de Janeiro. A presidente do IMC Diana Iliescu e os integrantes da Petrópolis Film Commission - Aline Castella, Tatiana D’Angello e Leonardo Cerqueira – participaram do evento.

O Petrópolis Film Commission é formado por representantes da Prefeitura e da sociedade civil organizada e tem a finalidade de atrair produções audiovisuais e oferecer apoio logístico e operacional aos produtores do mercado visual que desejam filmar na cidade. “O charme e o potencial cultural e histórico da nossa cidade sempre foi palco de produções audiovisuais. Incentivar esse segmento e atrair mais produções movimenta toda a economia de Petrópolis”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Para a Petrópolis Film Commission esta participação é crucial para a divulgação da cidade como um destino capaz de receber inúmeras produções audiovisuais, o que possui potencial de elevar o PIB da cidade. Os integrantes da comissão estiveram com a Secretária de Cultura e Economia Criativa do Estado, Danielle Barros, e fizeram uma reunião com representantes da Rio Film Commission para iniciar uma tratativa visando estabelecer uma via de cooperação técnica entre as cidades.

Outra parceria que foi fortalecida e consolidada foi a relação da Petrópolis Film Commission com o polo de audiovisual SerraAção, de Nova Friburgo. A relação de cooperação que já havia sido iniciada em encontros anteriores ganhou força quando as entidades se posicionaram unidas no Rio2C, fortalecendo a Região Serrana.

“É muito importante as cidades serranas estarem unidas para fortalecermos o potencial criativo da nossa região e estabelecer essa parceria direta com a capital. O estado do Rio tem uma vocação natural para o cinema e estamos de braços abertos para receber produções nacionais e internacionais”, ressaltou Diana Iliescu.

Paula Tavares, Diretora Executiva do Polo SerraAção, também avaliou favoravelmente a participação no evento. "Tivemos a oportunidade de mostrar que o audiovisual está muito pulsante na Região Serrana do Rio. Estamos representando 16 municípios, junto com parceiros como a Petrópolis Film Commission. Mostramos ao longo desses dias, toda a exuberância da Serra através das nossas locações e da mão de obra qualificada”, frisou.

“Petrópolis e Friburgo permanecem trabalhando para atrair produções para filmarem na serra. A expectativa agora é com a iminência de publicação da Lei Paulo Gustavo, que irá direcionar mais de 3,8 bilhões para municípios e estados realizarem projetos culturais, sendo que parte desses recursos virá do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA, e deverá ser obrigatoriamente aplicado no setor audiovisual”, explicou Diana Iliescu.

A Rio2C fará nos próximos meses um workshop gratuito em Petrópolis para capacitar profissionais do setor. "É maravilhoso ver ações e relações como essas sendo construídas entre cidades e instituições fortes. Acredito que a união do setor é o que faz a diferença. A indústria criativa, em especial o audiovisual, é uma potência para a economia e sociedade, gerando muitas oportunidades. É um momento muito propício”, ressaltou Tatiana D' Angello, especialista em Film Commission.

Maioria dos conselhos municipais escolhe novos integrantes em 2022, após prorrogação de mandatos na pandemia

Hora de renovar a participação social na formulação de políticas públicas em Petrópolis. Dos 31 conselhos em atividade na Prefeitura, 18 vão eleger ao longo do ano os novos representantes da sociedade, passada a fase crítica da Covid-19 e retomada a realização das reuniões presenciais. A maratona eleitoral é a maior na história desses fóruns populares, iniciada em 1990, com a criação do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

“Estamos entrando numa temporada democrática, que vai revigorar a legitimidade popular nos nossos conselhos. Queremos que eles participem ainda mais da vida da Prefeitura em nome da sociedade organizada, fazendo propostas, acompanhando em suas áreas de ação o trabalho do governo e compartilhando as decisões para melhorar Petrópolis”, afirma o prefeito Rubens Bomtempo, lembrando que os conselhos têm funções deliberativas.

Em apoio à participação social, a Prefeitura mantém a Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta, na Avenida Koeler, Centro, com auditório para mais de 150 pessoas. “Nosso papel é garantir todo o suporte ao funcionamento dos conselhos, sem ingerência em suas atividades. Eles movimentam a sociedade e estimulam a discussão das políticas públicas, numa demonstração de que não só o governo tem papel importante, mas também a sociedade organizada, que deve sempre ser escutada”, diz o coordenador da Casa, Tiago Ezequiel.

O caráter deliberativo dos conselhos foi estabelecido pela Lei 7.323, sancionada em 2015. Para “não comprometer a gestão fiscal responsável e o atendimento do interesse público no município”, a lei destaca que a execução das deliberações depende da existência de recursos previstos nas leis orçamentárias e da observância dos planos plurianuais (PPA) da Prefeitura, assim como da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Os conselhos municipais são, na maioria, paritários, com o mesmo número de integrantes eleitos pela sociedade e de nomeados pela Prefeitura. Dependendo da lei de criação ou do regimento interno de conselho, os participantes têm mandatos com duração de um a três anos, que podem ser prorrogados, A temporada inédita de renovações decorre da pandemia, período em que o isolamento social obrigou os conselhos a fazer reuniões online e prorrogar mandatos dos integrantes, devido à dificuldade de realização de eleições.

A representatividade é requisito básico para a apresentação de candidaturas nos conselhos populares de Petrópolis. Em comum, todos requerem dos candidatos a indicação formal por parte de uma organização da sociedade civil – associação de moradores, sindicato, entidade profissional ou empresarial e movimentos sociais. Em cada conselho, o processo de escolha começa com a publicação do edital no Diário Oficial do Município, com o passo a passo para a inscrição de candidaturas. A votação é feita em conferência aberta, na qual são escolhidos também os suplentes dos novos mandatos.

Eleições previstas ao longo do ano

- Conselho Municipal da Cidade de Petrópolis (ComCidade)
- Conselho Municipal da Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa de Petrópolis (CMDDPI)
- Conselho Municipal da Juventude (CMJ)
- Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Petrópolis (Comdim)
- Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDDPD)
- Conselho Municipal de Economia Popular Solidária (Cesp)
- Conselho Municipal de Esportes e Lazer (CMEL)
- Conselho Gestor do Fundo Municipal Habilitação e Interesse Social (CGFMHIS)
- Conselho Municipal de Inovação (CMI)
- Conselho Municipal de Política Agrícola e Fundiária (Compaf)
- Conselho Municipal de Política Sobre Drogas (CMPD)
- Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir)
- Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Comupa)
- Conselho Municipal de Revisão do Plano Diretor e suas Leis Complementares (CRPD)
- Conselho Municipal de Segurança Pública (Comsep)
- Conselho Municipal de Trabalho, Emprego e Geração de Renda (Comter)
- Conselho Municipal de Transporte (Comutran)
- Fundo Municipal de Interesses Difusos do Consumidor (Funcon)

Governo municipal percorreu a comunidade e ouviu as demandas da população

A Prefeitura se reuniu com moradores e representantes da associação de moradores da comunidade Chapa 4 e Dr. Thouzet, na manhã desta terça-feira (03.05). O Governo Municipal conversou com a direção da associação de moradores e ouviu as demandas da população.

O governo municipal percorreu a comunidade e acompanhou uma vistoria no posto de saúde, onde anunciou que reparos emergências serão feitos no local. Também participaram: o diretor-presidente da Comdep, Léo França; técnicos da Secretaria de Obras e o presidente da Associação de Moradores da Comunidade Chapa 4, Vinicius da Silva Diniz.

“Já iniciamos um mutirão de serviços nos bairros e vamos continuar avançando. Os reparos emergenciais do posto de saúde é um dos alvos. Vamos buscar recursos para fazer a troca do telhado que é muito necessário”, ressaltou o prefeito Rubens Bomtempo.

A Comdep iniciou essa semana um mutirão de ações nas duas localidades. As equipes estão fazendo a capina, roçada, recolhimento de entulho e limpeza de casas atingidas por deslizamentos. No local ainda estão previstos melhorias e reparos na iluminação pública.

“A barreira atingiu a minha casa e destruiu a maior parte de tudo que eu tinha. Seria muito difícil fazer qualquer coisa sem ajuda. Com o apoio da Comdep, toda a terra que invadiu a casa foi retirada. Estou muito agradecido por essa ajuda, com essa força, consegui salvar algumas coisas que eu tinha”, contou o morador da Rua Dr. Thouzet, Arthur Gonçalves da Silva.

Outro trabalho que foi iniciado nos bairros é a limpeza e desobstrução de bueiros, que é feito tanto de forma manual quanto com auxílio de um caminhão sugador. A operação é realizada em conjunto entre a Comdep e a Secretaria de Obras do município.
Pagina 6 de 1801