Quinta, 17 Dezembro 2020 - 15:02

Feira Livre: funcionamento especial no Natal e Ano Novo

Para garantir a qualidade das refeições no Natal e Ano Novo e também para garantir o fortalecimento da venda de produtos da agricultura familiar da cidade, a tradicional Feira Livre, na Rua Souza Franco, vai funcionar em dias e horários diferenciados e com os cuidados necessários, como a disponibilização de álcool em gel para os clientes nos pontos de venda.

Natal: Dia 22 (terça-feira) funcionamento das 6h às 15h e Dia 24 (quinta-feira), das 6h às 17h.

Ano Novo: Dia 29 (terça-feira) funcionamento das 6h às 15h e no dia 31 (quinta-feira), funcionamento das 6h às 17h.

A venda direta é uma vantagem para quem deseja produtos frescos. Possibilidade de negociar com o produtor e a garantia de um alimento de qualidade. A feira é uma referência e essa época do ano garante o aumento das vendas para esse setor tão importante para a economia, que é a agricultura.

“Todas as mercadorias disponibilizadas nas feiras são sempre fresquinhas. Agradeço a compreensão dos feirantes nessa época em que todos tiveram que se reinventar por conta da pandemia e, também, o entendimento dos clientes, que estão usando as máscaras e respeitando a nossa orientação do uso do álcool em gel nas barracas”, conclui o diretor do Departamento de Agricultura, José Maurício Soares.

Os produtos mais procurados nessa época são: batata, laranja, maçã, mamão, tomate, cebola, cenoura, banana, manga, abacaxi, cereja e uva. De acordo com Luiz Henrique Lélis, supervisor Geral de Agricultura Abastecimento e Produção, só de batata inglesa serão disponibilizados nas duas feiras, 26 toneladas.

“Além de 18 toneladas de laranja, quatro toneladas de maçã, 10 mil unidades de mamão, 30 toneladas de tomate, cinco toneladas de cebola, 18 toneladas de cenoura. Também variedades de mangas (carlotinhas e palmer), cerejas e várias qualidades de uvas, como as rosadas e sem sementes. Teremos esse ano, ainda, morangos, pêras Willians e Portuguesa. Outro grande diferencial que serão os pêssegos e figos”, contou Henrique.