Quarta, 20 Janeiro 2021 - 10:31

Secretaria de Meio Ambiente e o projeto Cílios D'Água fazem plantio de 40 mudas de árvores na Duarte da Silveira

Trabalho vai lembrar as vítimas da covid-19

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, e a equipe do projeto Cílios D'Água, fez, hoje, o plantio das primeiras 40 mudas de árvores de um projeto ambiental, além de estimular a conscientização sobre a importância da preservação e do reflorestamento, como memória aos moradores de Petrópolis que não resistiram à Covid-19. O trabalho começou às margens do Rio Piabanha, na Duarte da Silveira, e contou com a presença do prefeito interino e de representantes Projeto Água e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

O primeiro homenageado pelas equipes foi Paulo Leite, que faleceu em setembro do ano passado vítima da Covid-19. Ele era funcionário da secretaria de Meio Ambiente. Paulo foi um dos fundadores do Comitê Piabanha e um grande defensor das causas ambientais e dos direitos humanos, como explica lembra a esposa dele, Adriana Hutter de Souza Leite.

"Apesar de todo o momento de dor, de perda, é um conforto para nós da família. Temos uma gratidão enorme pelo que ele deixou para a cidade. Ele não lutava apenas pelo Meio Ambiente, mas também pelos direitos humanos. Sempre pensou no outro, buscando um mundo melhor", disse Adriana, emocionada, ressaltando, ainda, o orgulho que os filhos sentem pela luta dele.

"Meu pai sempre lutou pelas águas, pela natureza, por isso ele participava de todas as unidades de conservação da cidade. Ele deixou um legado para a nossa família. Esperamos que com essa ação a gente consiga deixar um grande exemplo para as próximas gerações, como ele fez pela gente. Estou muito emocionado com esse momento", contou Cainã Hutter, filho de Paulo Leite, que estuda Biologia e faz parte do projeto Cílios D'Água.

O plantio será realizado ao longo da extensão do Rio Piabanha que abrange Petrópolis. Segundo Luiz Salgueiro, idealizador do projeto Cílios D'Água, é necessário envolver a população para que ela cuide dos locais após o plantio das mudas. “O envolvimento das pessoas é fundamental. Não é só chegar e plantar. Existe um cuidado após o plantio e a gente precisa que os vizinhos, os moradores dos locais, nos apoiem neste sentido”, disse.

A ideia de convidar o Projeto Água e o Inea para a atividade partiu do secretário de Meio Ambiente.