Imprimir esta página
Quarta, 13 Outubro 2021 - 10:51

Alunos de creche participam de vistorias com os agentes de endemia no Caxambu

Alunos de creche participam de vistorias com os agentes de endemia no Caxambu

Crianças da Associação Espaço Educativo São Charbel tiveram uma aula diferente na última sexta-feira (08): os alunos acompanharam o trabalho dos agentes de endemia no Caxambu, bairro em que a creche é localizada. Durante a ação, os estudantes acompanharam a rotina de vistorias no combate e prevenção ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chykungunia.

Participaram das atividades os alunos do 5° ao 9° ano, com idades entre 8 e 14 anos. Durante a ação, realizada seguindo os protocolos de segurança para prevenção à covid-19, eles assistiram de perto as tarefas executadas pelos agentes de combate a endemias em vistorias de domicílios, com transmissão de informações sobre os cuidados necessários para garantir a não proliferação do vetor, destruição de criadouros e aplicação de larvicidas quando necessário.

A Diretora há 35 anos da Associação Espaço Educativo São Charbel conta como surgiu a ideia de levar as crianças para uma vistoria. “Temos uma parceria com os agentes de endemia da região do Caxambu, em que damos um suporte com um trabalho deles aqui no bairro. Através desse contato, tivemos a ideia de fazer uma atividade educativa diferente com as crianças da creche. Os agentes aceitaram prontamente e as crianças gostaram demais”, contou.

O professor de Educação Física da creche foi o responsável por acompanhar as crianças na vistoria. Ele conta que o fator socioeducativo foi o ponto principal da atividade: “Eles andaram pela comunidade, viram a realidade de perto, identificaram possíveis focos dos mosquitos, coletaram amostras, escutaram os agentes conversando com os moradores, ouviram as orientações transmitidas, fizeram perguntas. Foi muito proveitoso. Já fizemos passeios recreativos para o Parque Municipal, caminhadas, levamos a criançada para poços, mas, para mim, se não foi a melhor, foi uma dos melhores atividades, pelo fator socioeducativo. Eles não vão esquecer desse dia nunca mais”.

Ele conta que o conhecimento adquirido pelos alunos foi transmitidos aos outros, que não acompanharam as visitas. “Após o acompanhamento, fizemos uma roda de conversa na creche em que os alunos que participaram da vistoria compartilharam as instruções e conhecimentos adquiridos com aqueles que não estavam presentes. Fizeram perguntas entre si e ainda relataram a experiência de duas caixas d'água que eles viraram para identificar focos do mosquito”.

O professor ainda relata outra situação curiosa com uma criança que acompanhou o trabalho dos agentes. “Na parte da tarde estávamos fazendo atividades de futebol e a bola caiu em um local fora da quadra. Fui buscar a bola com um aluno e nesse caminho tinha um pote cheio de água. Ele já virou pra mim chamando para ver se tinha algum foco de mosquito ali. Olhamos, não tinha e viramos o pote para baixo. Mas é esse tipo de lição que fica. Ele vai levar para dentro da casa esse conhecimento e contar para os pais também, e assim por diante”.

Bons resultados dos agentes de endemia

Os agentes são ligados à Coordenadoria de Vigilância Ambiental do Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde. No mês de setembro, eles atingiram uma marca importante no fechamento dos trabalhos: mais de 450 mil visitas a domicílio foram realizadas em 2021 pelos profissionais. Por mês, são feitas cerca de 45 mil visitas periódicas. Todos os agentes estão vacinados com as duas doses contra Covid-19.

De acordo com o último Levantamento de Índice Rápido ao Aedes Aegypti (LIRA), Petrópolis tem atualmente o menor índice de risco de infestação de Aedes Aegypti dos últimos quatro anos. A pesquisa realizada entre os dias 02 e 06 de agosto, classifica a cidade para as doenças transmitidas pelo mosquito como dengue, chikungunya e zika. Com 0,10%, a cidade está classificada com baixo risco de infecção predial.

Itens relacionados por tópico