Imprimir esta página
Quarta, 10 Novembro 2021 - 10:18

Câmeras de segurança flagram furto de lixeira na rua Luiz Paulistano

Câmeras de segurança flagram furto de lixeira na rua Luiz Paulistano

No ano, prejuízo com a destruição e furtos do equipamento público ultrapassa os R$ 98 mil.

Na última semana, câmeras de segurança, na altura do número 151 da rua Luiz Paulistano, uma via de acesso localizada entre a estrada da Saudade e a rua Pedro Elmer, no distrito de Cascatinha, flagraram um homem furtando um latão de lixo. A ação aconteceu durante o dia, em um momento em que carros e pedestres circulavam no local. O incidente foi registrado pela secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública - SSOP na 105ª Delegacia de Polícia, a delegacia do Retiro.

“Esse tipo de incidente é crime e lesa a população. O equipamento está ali para garantir o armazenamento adequado do lixo até que seja feita a coleta, está instalado na via pública para impedir que o lixo seja despejado de qualquer forma no local, poluindo o meio ambiente e gerando problemas de saúde pública”, destaca a secretaria de serviços, segurança e ordem pública.

Em 2021, furtos de equipamentos urbanos da coleta de lixo e atos de vandalismo somam mais de R$ 98 mil de prejuízo ao município (levantamento com números até o mês de setembro). Junho foi o mês de maior prejuízo, com R$ 26 mil em equipamentos danificados. E o principal ato de vandalismo praticado é a queima das lixeiras. Na comparação com o ano passado, no entanto, há uma boa notícia: a redução dos atos de vandalismo. Também no período de janeiro a setembro de 2020 foram registrados R$ 158 mil em prejuízo. Ao longo de todo o ano foram R$ 172 mil.

Redução no número de casos

Em 2020, foram 74 casos registrados ao longo de todo o ano. Neste ano, a soma chega a 42 registros. Somados, os números de 2020 e 2021 chegam a 116 casos. A maior parte deles (83%) registrados no primeiro distrito, região mais populosa da cidade. No Independência foram 19 casos, o maior volume de casos por bairro em toda a cidade. O bairro é seguido por Nogueira (14 casos) e Cuiabá (12).

“O que vem mudando em relação ao ano passado é que temos trabalhado na conscientização da nossa população, divulgando casos como este da Luis Paulistano e pedindo a colaboração para que todos cuidem desse patrimônio que é tão importante no dia a dia da nossa cidade”, destaca.

Itens relacionados por tópico