Imprimir esta página
Quinta, 25 Novembro 2021 - 10:53

Prefeitura vai testar semáforo inteligente em cruzamento na Montecaseros

Prefeitura vai testar semáforo inteligente em cruzamento na Montecaseros

O equipamento, que regula de forma autônoma a liberação das vias, entrará em funcionamento nas próximas semanas, em caráter experimental.

A Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes - CPTrans instalou nesta semana a estrutura de uma nova geração de semáforos, também conhecidos como "semáforos inteligentes", no cruzamento entre as ruas Montecaseros, Francisco Manuel e a avenida Piabanha. Os dois equipamentos entrarão em funcionamento nas próximas semanas e, segundo o governo interino, regulam de forma autônoma a liberação das vias, ou seja, sem uma programação prévia de tempo, mas sim analisando a necessidade de abertura e fechamento em função da demanda de veículos em cada via.

“Estamos buscando alternativas para melhorar a mobilidade na cidade. Estamos planejando obras, melhorando e criando rotas alternativas e estamos executando ações pontuais que podem gerar reflexos positivos, como é o caso deste novo semáforo”, detalhou o governo interino.

Os novos semáforos, desenvolvidos por uma empresa de Curitiba, Paraná, medem a distância entre os veículos, por meio de câmeras com sensores, e através da medida calculam a intensidade do fluxo na via. "Neste momento vamos entrar em uma fase de testes. Estive em Curitiba, de onde é a empresa que nos cedeu os equipamentos para o teste, e pude observar lá a eficácia dos semáforos. Eles fazem a leitura, por um sistema de câmeras, do volume de carros trafegando e, automaticamente, fazem a liberação da via mais sobrecarregada", destaca o diretor-presidente da CPTrans.

O trecho escolhido para o teste dos equipamentos conta com um intenso fluxo de veículos que desejam acessar ou retornar da região do Bingen. Por isso, foi escolhido para o teste. "A utilização de um semáforo padrão, ou seja, que é programado por tempo, poderia não dar a melhor resposta. Porque poderia acabar retendo uma via com menos mais fluxo. Com o monitoramento autônomo, esse trabalho funciona da mesma forma que funcionaria se tivesse um agente de trânsito no local, observando e organizando o trânsito. Cidades do mundo todo vêm adotando esse tipo de solução e o período de testes nos dirá se essa também é a melhor solução para a nossa cidade", disse.

Itens relacionados por tópico