Imprimir esta página
Quarta, 01 Dezembro 2021 - 10:42

Atendimentos em UBSs e PSFs são os maiores dos últimos cinco anos

Atendimentos em UBSs e PSFs são os maiores dos últimos cinco anos
Total de atendimentos é 118% maior que em 2016 e 23% superior a 2019

Faltando um mês para o fechamento do ano, os atendimentos nas unidades básicas de saúde instaladas nos cinco distritos já superam os registrados anualmente nos cinco anos anteriores. Dados registrados no sistema E-SUS, do Ministério da Saúde, apontam que até o dia 29 de novembro, as 57 unidades de atenção básica – UBSs, PSFs, Centro de Saúde e Ambulatório de Especialidades - realizaram 211.704 atendimentos, entre consultas, atendimentos domiciliares, exames e procedimentos diversos, como aferição de pressão arterial, glicose, curativos, entre outros serviços de saúde. Foram 114.640 serviços a mais do que há cinco anos, em todo ano de 2016, quando foram registrados 97.064 - aumento de 118% se comparados os dados.

Os serviços oferecidos aos pacientes atendidos nas unidades até novembro deste ano são ainda 23% maiores do que em 2019 – ano anterior à pandemia de covid-19 que impactou o sistema de saúde no ano passado. De janeiro a novembro daquele ano, 171.793 atendimentos foram realizados.
 
“Entendemos a importância do trabalho de atenção básica no dia a dia das pessoas, para a prevenção e controle de doenças – um cuidado que também é fundamental para desafogarmos as emergências. Desde o início da nossa gestão temos trabalhado para melhorar a estrutura da rede de atenção básica, seja com melhorias pontuais, como a realização de intervenções de menor porte nas unidades, reformas e obras maiores, além da reestruturação de equipes”, destaca o governo interino.
 
A atual gestão já entregou reformas de unidades no Vila Rica e Vila Felipe. A Secretaria de Saúde tem em andamento atualmente obras em unidades no Siméria, Mosela e Amazonas.
“Todos os esforços têm sido feitos para que possamos melhorar os atendimentos na rede de atenção básica, para que todas as nossas unidades tenham equipes completas. Em janeiro tínhamos 14 unidades sem médicos. Conseguimos reduzir este déficit e hoje temos questões pontuais em quatro unidades, que estamos trabalhando para resolver, buscando profissionais para contratação”, explica o secretário de Saúde.
 
Juntas, até o momento, as unidades de atenção básica realizaram 110.912 atendimentos individuais, que geraram 211.704 procedimentos entre os quais os atendimentos domiciliares, que subiram de 276 em todo ano de 2017 para 1.004 entre janeiro e novembro deste ano. Os atendimentos feitos pelas equipes à pacientes em casa até o mês de novembro já são maiores do que o total registrado no ano passado (925) e também superiores aos registrados em 2019 – ano anterior a pandemia – que durante os 12 meses teve 969 atendimentos domiciliares.
“Já as unidades oferecem atendimentos aos pacientes perto de casa, um serviço importante para o controle e tratamento de doenças crônicas e também para a prevenção”, pontua o secretário de Saúde.
 
As unidades com Estratégia Saúde da Família contam com equipes com médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, dentista, auxiliar de saúde bucal, agentes comunitários de Saúde, auxiliar administrativo e auxiliar de serviços internos e externos. Nas unidades a população pode fazer procedimentos como coleta de preventivo, aferição de pressão arterial e glicose, testes rápidos para diagnostico de ISTs e covid-19, aplicação de vacinas, curativos e distribuição de medicamentos, entre outros procedimentos.

Itens relacionados por tópico