Segunda, 06 Dezembro 2021 - 10:37

Ciclo de Formação em Segurança Alimentar é encerrado com participação efetiva de mais de 250 pessoas

A palestra “Aspectos jurídicos do direito à alimentação”, ministrada pela promotora Denise Tarin encerrou, na quinta-feira (02), o Ciclo de Formação em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável. Ao todo, 250 pessoas se inscreveram para a participar nas quatro palestras semanais, realizadas desde o dia 11 de novembro. Juntas elas contabilizaram mais de 1,3 mil visualizações.

“Este ciclo de palestras sobre segurança alimentar é a efetiva participação popular acontecendo por meio do Comsea. Quando unimos forças com os conselhos e com o Ministério Público fazemos uma construção coletiva para políticas públicas”, frisa o governo interino.
 
O Ciclo de Formação em Segurança Alimentar é realizado pelo Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Comsea), em parceria com a Prefeitura, por meio da Coordenadoria Especial De Articulação Institucional (CEAI) e o Ministério Público, por meio da 2ª Promotoria de Tutela Coletiva de Formação em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável.
 
Além da promotora Denise Tarin, o Ciclo Básico de Formação em Segurança Alimentar contou com a participação da assistente social da Prefeitura de Juiz de Fora, que falou sobre “Intra e intersetorialidade para a garantia da Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável”. Cozinhas comunitárias: da teoria à prática” foi o assunto abordado por Maria da Conceição de Almeida Ferreira, a Concita da Pindoba, enquanto a assistente social e coordenadora do Mesa Brasil Sesc, Cida Pessoa falou sobre o “Banco de alimentos: da teoria à prática”.
 
“Encerramos este primeiro ciclo de formação em segurança alimentar com a certeza de que precisamos manter aberto o diálogo entre sociedade civil, conselhos, município e Ministério Público. Os encontros foram muito produtivos e só reforçaram o papel fundamental da intersetorialidade. Outros ciclos virão”, disse a promotora Vanessa Katz.
 
“Acreditamos que atingimos o objetivo de informar sobre os Direitos Humanos da Alimentação Adequada (DHAA) e de sensibilização da necessidade de um trabalho intersetorial, que já começou a ser construído, com mudanças de paradigmas, mudanças da forma de trabalho, de empoderamento para auto organização comunitária e de uma maior percepção coletiva, visando o bem estar social, o combate à fome e a promoção da SAN”, disse a presidente do Comsea, destacando que o conselho está aberto a sugestões de temas para o próximo ciclo previsto para o primeiro semestre de 2022. “Contamos com a ampla participação da sociedade civil e de todos os envolvidos na promoção da Segurança Alimentar e Nutricional no município".