Quinta, 18 Agosto 2022 - 10:44

Pessoas em situação de rua têm atendimento e acolhida da Prefeitura e do CDDH

A Prefeitura e o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) estão realizando atendimento diário a pessoas em situação de rua e oferecendo acolhida, na Operação Inverno.

 

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, e o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) promoveram nesta quarta-feira (17) uma operação junto à população em situação de rua no Bosque do Imperador.

As pessoas que estavam no bosque e na calçada do INSS foram encaminhadas para a Unat (Unidade de Acolhimento Temporário), no Retiro, onde temporariamente está funcionando o NIS (Núcleo de Integração Social).

"É mais um passo que damos no atendimento às pessoas em situação de rua. Foi uma ação importante, que promovemos em conjunto com o CDDH, para garantir que aquelas pessoas estejam em um local adequado, com alimentação, cama, banho e segurança. Rua não é lugar para as pessoas morarem. Além dessa questão social, que é uma preocupação que está sempre com a gente, tem também a questão dos moradores dos prédios vizinhos, que cobram a liberação das calçadas e da praça do bosque", disse o prefeito Rubens Bomtempo

O secretário de Assistência Social destacou o trabalho da Rede POP Rua (Rede de Atenção à População em Situação de Rua) nesse processo.

"A Rede POP Rua reúne o poder público e a sociedade civil organizada. Nesta operação de hoje, a rede mostrou esse trabalho conjunto em prol de um interesse comum. Prefeitura e CDDH trabalhando juntos. Fora isso é importante destacar que, em julho, fizemos uma grande operação na Travessa Vereador Prudente Aguiar, no Centro. E hoje conseguimos devolver mais esse espaço ao cidadão petropolitano", disse o secretário de Assistência Social, Fernando Araújo.

Operações diárias

Em maio, a Secretaria de Assistência Social deu início à Operação Inverno. Diariamente, uma equipe da secretaria percorre a cidade, buscando convencer as pessoas em situação de rua a dormir no Centro Pop (na Rua Dr. Sá Earp, 39, Centro), onde têm cama, cobertores, alimentação e banho.

Na abordagem, a equipe da Secretaria de Assistência Social busca convencer essas pessoas a ir para o Centro Pop. Elas não são obrigadas a ir para lá. É um trabalho de conversa e esclarecimentos. Muitas das pessoas abordadas não são de Petrópolis, outras possuem problemas mentais ou com álcool e drogas.

As pessoas que aceitam o convite para o acolhimento no Centro Pop passam pelo atendimento técnico e têm cama, cobertores, alimentação e banho.