Sexta, 09 Maio 2014 - 08:49

Exposição celebra a memória da Aéropostale

Conseguir o tombamento pela Unesco da antiga Aéropostale – companhia francesa de correio aéreo do início do século XX-, é um dos objetivos da exposição que será aberta nesta sexta-feira (9/5), às 11h30, no Espaço Cultural Peter Brian Medawar, no Parque Municipal de Petrópolis em Itaipava. A mostra é uma realização da Associação Memória da Aéropostale no Brasil (AMAB) e do Raide Latécoère, com apoio da Prefeitura de Petrópolis, por meio da Fundação de Cultura e Turismo.

Aberta ao público até o dia 1º de junho, diariamente das 9h às 18h, a exposição permite descobrir e revisitar a história de um dos mais belos capítulos da aviação mundial. Na abertura, o prefeito Rubens Bomtempo recebe, durante a exposição, seis aviadores franceses que realizam o Raide Latécoère, com o intuito de celebrar a memória dos grandes pioneiros da aviação mundial e lançar no Brasil o projeto de tombamento da rota da antiga Aéropostale pela Unesco.

Petrópolis está inserida no contexto, já que entre os pilotos da companhia estava o autor do best-seller mundial O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry, que aqui vinha descansar na propriedade do amigo piloto Marcel Reine, em Itaipava. A idílica fazenda possuía uma casa que, em 1939, foi vendida à família de José Augusto Wanderley. Hoje ainda é um reduto da memória dos pilotos e de Saint-Exupéry.

A mostra aberta ao público no Parque é composta de fotos, textos e documentos dispostos em banners, através dos quais o visitante terá a oportunidade de conhecer detalhes dessa história que une a França e o Brasil e está na gênese da história da própria Air France, companhia que se formou pela fusão de cinco outras empresas, entre as quais, a Aéropostale. Em dois aviões, o Raide Latécoère faz um programa em cinco cidades brasileiras: Pelotas, Florianópolis, Santos, Rio de Janeiro e Natal – nas quais visita os eventuais vestígios da antiga companhia e faz seu inventário para o dossiê de tombamento, além de abrir exposições temáticas que reavivam a história dessa epopéia aérea.

Segundo os registros da Associação pela Memória da Aéropostale no Brasil – Amab-, a companhia aérea atuou com enorme êxito, inclusive no Brasil, em 11 cidades onde fazia escalas: Natal, Recife, Maceió, Caravelas, Vitória, Rio de Janeiro, Santos, Florianópolis, Porto Alegre e Pelotas, além da base de hidroaviões em Fernando de Noronha. No Rio de Janeiro ainda se encontram vestígios do antigo campo de pouso, onde está a base do Campo dos Afonsos.

A companhia Aéropostale foi criada por Pierre-Georges Latécoère em 1918, na cidade francesa de Toulouse. O grande feito foi conseguir que seus heróicos pilotos atravessassem as montanhas da França, o deserto do Saara e posteriormente as florestas e intempéries da América do Sul – além da travessia do Oceano Atlântico em 1930, a fim de fazer chegar a correspondência a seus destinos.