Sexta, 19 Novembro 2021 10:40

Boletim vacinação – 18/11/2021 (quinta)

As equipes de enfermagem, sob coordenação do departamento de Vigilância em Saúde, deram sequência na quinta-feira(18/11) a vacinação contra a covid-19. Durante todo o dia, 2.049 pessoas foram vacinadas na cidade. Destas 44 receberam a primeira dose, 1.777 receberam a segunda dose e 228 receberam a dose de reforço. Até o momento 238.165 pessoas receberam a primeira dose, 191.465 receberam a segunda dose, 6.805 receberam a dose única e 26.236 idosos institucionalizados e acamados, idosos maiores de 60 anos, pacientes imunossuprimidos e trabalhadores da Saúde receberam a dose de reforço do imunizante. Por conta da logística de informações para fechamento dos dados o boletim da vacinação passou a ser divulgado na parte da manhã.

Nos pontos de imunização nove idosos foram vacinados, sendo três com a primeira dose e seis com a segunda dose da vacina. Equipes aplicaram também a dose de reforço em 198 idosos, em oito pacientes imunossuprimidos e 22 trabalhadores da Saúde.

A primeira dose da vacina foi aplicada ainda em 37 pessoas com idade entre 18 e 59 anos sem comorbidades. Na faixa etária abaixo de 59 anos, 1.687 pessoas também receberam a segunda dose. Também foram vacinados 57 adolescentes sem comorbidades, sendo três com a primeira dose e 54 com a segunda. Além destes, cinco adolescentes quilombolas receberam a segunda dose.

Quatro pessoas com comorbidades também receberam a segunda dose.
 
Equipes também aplicaram a vacina em 10 gestantes, sendo uma com a primeira dose e nove com a segunda dose. Duas puérperas também receberam a segunda dose.

Também receberam a segunda dose da vacina sete trabalhadores da Saúde, dois profissionais de transportes e um profissional de Educação.

Em caso de dúvidas é possível utilizar o Whatsapp da Saúde - assistente virtual que fornece informações sobre a vacinação, locais de atendimento a pacientes com sintomas da doença e boletins. O atendimento está disponível pelo número (24) 9.9200-1428.

Ação realizada com moradores do Floresta

Esta quinta-feira (18) foi dia de mais um treinamento da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias na comunidade do Floresta, que se prepara para receber o Sistema de Alerta e Alarme Alternativo para Escorregamento. A instrução focou na preparação dos moradores para o simulado que será realizado na manhã do sábado, dia 27. A ação vai marcar a conclusão da implementação do projeto que fará uso de apitos como instrumento de sinalização em situação de emergência na localidade. O próximo passo será a demarcação, com a pintura da rota de fuga segura na região.

Desde o anúncio do projeto, os agentes da Defesa Civil já fizeram análise técnica para a identificação das áreas de risco na localidade, identificaram a rota de fuga segura até o ponto de apoio para acolhimento dos moradores em dias de chuva forte e realizaram teste sonoros dos apitos e instruções com os moradores que estruturaram o Núcleo Comunitário de Defesa Civil (NUDEC) local.

“Hoje foi dado mais um passo importante para o estabelecimento desse projeto que visa a segurança de moradores, que, a partir desse trabalho passam a ter uma conduta voltada para a prevenção e identificação de riscos. Nosso objetivo é contribuir para tornar a comunidade mais resiliente, capaz de atuar em situação de risco e salvar vidas”, destacou o secretário de Defesa Civil.

O secretário ressalta que a estruturação do projeto foi fortalecida não apenas com o engajamento da população, mas, com o apoio de instituições, como o Rotary Club, que aprovou a ideia e está subsidiando a obtenção de itens necessários para o funcionamento do projeto como os apitos, lanternas, capas de chuva e coletes de identificação dos voluntários.

“É um projeto de extrema relevância pois atinge diretamente a vida dessas pessoas, com um viés de segurança e de prevenção, nos deparando, ainda, com uma infinidade de necessidades da população. Esse trabalho amplia a visão do quanto podemos fazer. O Rotary visa transformar vidas e fazer a diferença onde ele está. Nessa comunidade, acho fundamental essa parceria com a Defesa Civil. Hoje estamos com esse compromisso, de unir forças com as organizações”, destacou o diretor de projetos comunitários do Rotary.

No treinamento desta quinta-feira, os integrantes do NUDEC e demais moradores revisaram, com os agentes da Defesa Civil, a demarcação dos locais onde se posicionarão os responsáveis por fazer o acionamento por apito em situação de emergência. Os agentes ainda realizaram o teste do uso dos apitos e fortaleceram a importância do engajamento de todos para a mobilização dos moradores em dias de chuva forte na localidade. “Estamos aqui para mostrar a importância da participação de todos para o funcionamento do projeto, que tem o objetivo maior de salvar vidas. Todo esse trabalho vai ser fortalecido ainda mais com o simulado, quando esperamos a participação do maior número de moradores”, destacou o diretor operacional da Defesa Civil.

Alunos das Escola Municipal Marieta Gonçalves, no Bairro da Glória, em Corrêas, vão desenvolver projetos na horta comunitária que está sendo implantada na localidade. O terreno já passou por limpeza e adequações e os primeiros plantios já aconteceram. A horta comunitária é uma iniciativa dos moradores da região – o movimento Corrêas Sustentável – e recebe o apoio da Prefeitura de Petrópolis.

"A iniciativa é dos moradores e a Prefeitura entra com o apoio necessário. A horta comunitária beneficiará a comunidade, além de oferecer melhor aproveitamento do espaço e agora também vai beneficiar a escola, envolvendo os alunos nesse projeto", disse o governo interino. Além da Secretaria de Meio Ambiente, a Comdep, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico – por meio do Departamento de Agricultura - e da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional também dão apoio ao projeto, que agora também ganha a participação da Secretaria de Educação.

Esta semana, o secretário de Educação e a coordenadora da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional estiveram na escola. “É um projeto que podemos iniciar agora, mas que vamos intensificar em 2022. Envolver as crianças nesse plantio de mudas, no cuidado da horta vai trazer benefícios para toda a comunidade escolar”, ressaltou o secretário.

Para a coordenadora da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional projetos com a horta comunitária envolvendo as crianças fortalecem a ideia do pertencimento. “Essas hortas comunitárias também são importantes para a segurança alimentar e nutricional das crianças”, comentou a coordenadora.

A Escola Municipal Marieta Gonçalves atende alunos do quarto período da Educação Infantil e do quinto ano do Ensino Fundamental. Ao todo são 220 estudantes matriculados na unidade.

Iniciativa reforça o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado nessa quarta-feira

Com o objetivo de disseminar informações sobre prevenção de partos prematuros e cuidados com bebês, a Prefeitura de Petrópolis, através da Secretaria de Saúde, promoveu na última quarta-feira (17) uma ação de orientação para as gestantes da maternidade do Hospital Alcides Carneiro (HAC). A iniciativa, que contou com distribuição de brindes, foi feita em alusão ao Dia Mundial da Prematuridade, por meio do Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança e do Adolescente (PAISCA). A ação teve continuidade nessa quinta-feira (18), no setor de Pré-natal do Centro de Saúde Professor Manoel José Ferreira e nas UTIs Neonatal do Hospital Unimed e do Hospital Santa Teresa.

“A intenção é a de conscientizar as pessoas, principalmente as mães, sobre os cuidados necessários e a importância do leite materno. A população precisa conhecer as particularidades que podem ser ocasionadas a partir do nascimento antecipado para o bebê, por isso reforçamos que um pré-natal de qualidade é importante para redução da prematuridade”, ressalta o governo interino.

Vala destacar que, novembro é considerado o mês internacional de sensibilização sobre a prematuridade. A campanha Novembro Roxo tem o objetivo de alertar sobre o crescente número de partos prematuros e como preveni-los – roxo é a cor símbolo da causa da prematuridade.

A coordenadora do Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança e do Adolescente (PAISCA) explica o motivo da realização da ação: “O Brasil está em décimo lugar no ranking de partos prematuros. Essa condição infelizmente é a maior causa de óbito em crianças de até cinco anos, por isso, a necessidade de divulgação e conscientização. As mães de bebês prematuros precisam saber a importância da criação de vínculos entre o bebê e a família. Muitas das vezes as mães têm alta do hospital, deixam a criança na maternidade e só voltam para buscá-la quando tem alta do neonatal”.

A encarregada administrativa das Áreas Técnicas da Saúde também participou das atividades. Ela conta que a Secretaria de Saúde do município oferece todo suporte à população: “É necessário também alertar para os riscos que o prematuro possa vir a ter até os cinco anos de idade. Além disso, nosso intuito é mostrar que essas famílias têm uma rede de apoio e que podem procurar e contar com ajuda. Após a alta segura do recém-nascido prematuro é importante esse bebê seguir o sumário de alta, enquanto instrumento de acompanhamento. O sumário é um instrumento de comunicação entre as equipes das unidades de internação de seguimento de terceira etapa e das unidades básicas de saúde (UBS). O protocolo do bebê após a alta é muito importante e a Secretaria de Saúde oferece acompanhamento em cada segmento na rede do município".

Importância da amamentação

O secretário de Saúde ressalta que o leite materno é um importante aliado no desenvolvimento de crianças prematuras.
“O leite materno é rico em nutrientes e anticorpos. Ele é o melhor alimento para o recém-nascido, nutre, auxilia no crescimento e desenvolvimento, além de facilitar a formação do vínculo entre mãe e bebê, um dos aspectos mais importantes para o recém-nascido prematuro”.

A prematuridade ocorre quando o bebê nasce antes de completar 37 semanas. Segundo o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF), vinculado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a prematuridade atinge 15 milhões de crianças todos os anos ao redor do mundo. No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, o equivalente a 931 por dia ou a 6 prematuros a cada 10 minutos, informa o instituto.

Os problemas da prematuridade vão além do baixo peso. De acordo com o IFF, um prematuro precisa de cuidados especiais na UTI, o que aumenta em três vezes o risco de morte da criança e de incidência de sequelas. O instituto reforça que o exame de ultrassom, realizado entre as 18ª e a 23ª semanas de gestação, pode ajudar a detectar, por exemplo, o encurtamento do colo do útero, problema que pode ocasionar um parto prematuro.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), pessoas próximas ao prematuro também devem estar em dia com as vacinas contra Coqueluche, Influenza, Catapora, Sarampo, Caxumba e Rubéola. Devido a imaturidade imunológica desses bebês, o atraso vacinal pode deixá-los mais susceptíveis a infecções imunopreveníveis.

Sexta, 19 Novembro 2021 10:30

18.11.21 - Boletim Epidemiológico

A taxa de ocupação de leitos para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde, nesta quinta-feira (18.11), está em 3.33% para leito clínico e permanece em 1,52% para os leitos de UTI na rede pública. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, somando hospitais públicos e privados, são cinco pacientes internados: duas pessoas em leitos de UTIs e três em leitos clínicos.

Até agora, foram realizados no município 208.322 testes para Covid-19, com 50.101 resultados positivos e 158.110 negativos (levando em consideração testes rápidos e swab).

A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, em 1.556, é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

O governo municipal, por meio da Defesa Civil, iniciou a reformulação do Programa Monitores da Chuva e retomou a instalação dos pluviômetros caseiros pelas comunidades. A medida visa fortalecer o monitoramento das chuvas a partir da adesão da população, fomentando a cultura de prevenção em casos de risco de deslizamento ou alagamento. A iniciativa consiste na instalação do instrumento que depende unicamente de uma garrafa pet, de dois litros, lisa e cor transparente e uma régua de medição do volume de água, fornecida pela Defesa Civil. A proposta é fortalecer o preparo da população para a identificação de possíveis riscos por conta do elevado volume de chuva em um intervalo de tempo.

“Essa é mais uma importante iniciativa visando a conscientização e o envolvimento da população nas ações, para que percebam os riscos e ajam preventivamente”, destacou o governo interino.

A retomada do programa antecede o início do período de chuvas fortes na cidade e é mais um trabalho de orientação e preparo da população. As pessoas interessadas em instalar um pluviômetro caseiro receberão as instruções e a régua de medição de volume de chuva em milímetros. “Os pluviômetros caseiros são uma forma a mais de sinalização de risco pelas comunidades. Com esse instrumento simples, de custo zero, o morador já consegue identificar se a intensidade da chuva e se está em quantidade elevada e assim, agir de forma preventiva se for necessário. Nosso foco é garantir que a população tenha mecanismos que reforcem o trabalho de monitoramento e alertas que já realizamos”, destacou o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias.

A retomada do programa conta ainda com um grupo de monitoramento por meio de aplicativo de troca de mensagens em que, quem estiver interessado em participar, vai poder ter comunicação direta com a Defesa Civil para informar o volume de chuva na localidade. A proposta é criar mais um canal direto para receber informações das comunidades e oferecer orientações aos moradores.

Para o monitoramento da chuva no município, a Defesa Civil conta com um sistema de monitoramento com os pluviômetros automáticos. Atualmente há 51 aparelhos de medição, espalhados em 20 localidades pelos cinco distritos, ligados a instituições como INEA e CEMADEN. Este último também realiza a instalação de mais cinco estações geotécnicas de monitoramento de umidade do solo que aprimoraram a obtenção de dados. Com esse suporte, as equipes de monitoramento da Defesa Civil conseguem identificar as áreas que apresentam volumes elevados de acumulado de chuva e assim, o órgão providencia a emissão dos avisos com as orientações de segurança ou até o acionamento de sirenes para as localidades de maior risco.

Os pluviômetros caseiros são uma alternativa para os moradores acompanharem de perto valores aproximados de volume de chuva. Os instrumentos possuem uma escala que indica a quantidade de chuva em milímetros e devem ser instalados em local de base fixa, nivelada, onde não haja obstáculos que possam prejudicar o recebimento da água da chuva. É importante que o instrumento esteja em ambiente de fácil acesso e boa visualização. Os agentes da Defesa Civil oferecerão todo o suporte, com orientações para todos os moradores que se interessarem em ter o pluviômetro caseiro.