As equipes de enfermagem, sob coordenação do departamento de Vigilância em Saúde, deram sequência na terça-feira (30/11) a vacinação contra a covid-19. Durante todo o dia, 1.804 pessoas foram vacinadas na cidade. Destas 111 receberam a primeira dose, 1.282 receberam a segunda dose e 411 receberam a dose de reforço. Até o momento 238.933 pessoas receberam a primeira dose, 205.475 receberam a segunda dose, 6.805 receberam a dose única e 31.191 pessoas maiores de 18 anos, além de idosos institucionalizados e acamados, idosos maiores de 60 anos, pacientes imunossuprimidos e trabalhadores da Saúde receberam a dose de reforço do imunizante. Por conta da logística de informações para fechamento dos dados o boletim da vacinação passou a ser divulgado na parte da manhã.

Nos pontos de imunização as equipes aplicaram a segunda dose da vacina em quatro idosos. A dose de reforço foi aplicada em 304 idosos, 23 pessoas maiores de 18 anos, seis pacientes com comorbidades e 78 trabalhadores da Saúde.

A primeira dose da vacina foi aplicada ainda em 91 pessoas com idade entre 18 e 59 anos sem comorbidades. Na faixa etária abaixo de 59 anos, 714 pessoas também receberam a segunda dose. Também foram vacinados 578 adolescentes sem comorbidades, sendo 16 com a primeira dose e 562 com a segunda dose.
Equipes vacinaram cinco gestantes, sendo três com a primeira dose quatro duas com a segunda. Uma puérpera rebeu a primeira dose.
Saúde.

Em caso de dúvidas é possível utilizar o Whatsapp da Saúde - assistente virtual que fornece informações sobre a vacinação, locais de atendimento a pacientes com sintomas da doença e boletins. O atendimento está disponível pelo número (24) 9.9200-1428.

Intervalo entre dose única e reforço deve ser de no mínimo 5 meses

A Prefeitura de Petrópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, inicia nesta quarta-feira (1/12) a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 em mulheres que tomaram a dose única da Janssen e estão grávidas ou puérperas (até 45 dias após o parto). O intervalo mínimo entre a dose única e a de reforço deve ser de no mínimo cinco meses.

Seguindo orientação prevista em nota técnica da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à COVID-19, do Ministério da Saúde, elas receberão o reforço da Pfizer. Não é necessário fazer cadastro ou agendamento previamente. Para receber a dose, basta retornar ao mesmo posto onde tomou a dose única levando documento pessoal e a caderneta de vacinação.
 
A nota técnica também define as regras para a administração de dose de reforço da vacina Janssen nas demais pessoas com mais de 18 anos que receberam a Janssen. A orientação, seguindo o Plano Nacional de Imunização, é a aplicação (exceto em casos de gestantes e puérperas) de forma homóloga, ou seja, com o uso do mesmo imunizante Janssen. Este reforço deve ser aplicado, segundo o Ministério da Saúde, em um intervalo máximo de 6 meses após a dose única. O município aguarda apenas a entrega da vacina pelo Ministério da Saúde para chamar todos os que tomaram a dose única da Janssen para o reforço.
 
Em ofício também enviado aos municípios na última quinta-feira (25/11), o Ministério da Saúde informa que "no momento, cerca de 2 milhões de doses estão em análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) a qual há previsão de liberação a partir de 05 de dezembro. A previsão do laboratório é que mais 2,8 milhões de doses sejam entregues no começo de dezembro e o restante até o fim do mês". Segundo o Ministério da Saúde, "esses quantitativos são suficientes para a aplicação do reforço de quem se vacinou com a Janssen dentro do intervalo recomendado de até seis meses" em todo o país.
 
“Estamos trabalhando de maneira organizada e planejada, avançando na vacinação de forma consistente. Estamos chegando perto de 80% da população com mais de 12 anos com as duas doses ou a dose única e temos mais de 30 mil pessoas com a dose de reforço”, lembrou o governo interino.
 
O secretário se Saúde lembrou a importância de a população, quando chegar o seu momento, comparecer aos postos para a vacinação, seja para a primeira dose, segunda dose, ou reforço. “A vacina é o principal instrumento que temos para frear a covid-19. É importante que as pessoas se protejam. Só assim vamos evitar o agravamento dos casos.
 
O sucesso no trabalho de combate à pandemia depende, principalmente, da adesão da população à imunização”, lembrou, destacando que Petrópolis vem sendo considerada referência no trabalho. Hoje, mais de dois terços da população total tem a segunda dose ou a dose única.
Total de atendimentos é 118% maior que em 2016 e 23% superior a 2019

Faltando um mês para o fechamento do ano, os atendimentos nas unidades básicas de saúde instaladas nos cinco distritos já superam os registrados anualmente nos cinco anos anteriores. Dados registrados no sistema E-SUS, do Ministério da Saúde, apontam que até o dia 29 de novembro, as 57 unidades de atenção básica – UBSs, PSFs, Centro de Saúde e Ambulatório de Especialidades - realizaram 211.704 atendimentos, entre consultas, atendimentos domiciliares, exames e procedimentos diversos, como aferição de pressão arterial, glicose, curativos, entre outros serviços de saúde. Foram 114.640 serviços a mais do que há cinco anos, em todo ano de 2016, quando foram registrados 97.064 - aumento de 118% se comparados os dados.

Os serviços oferecidos aos pacientes atendidos nas unidades até novembro deste ano são ainda 23% maiores do que em 2019 – ano anterior à pandemia de covid-19 que impactou o sistema de saúde no ano passado. De janeiro a novembro daquele ano, 171.793 atendimentos foram realizados.
 
“Entendemos a importância do trabalho de atenção básica no dia a dia das pessoas, para a prevenção e controle de doenças – um cuidado que também é fundamental para desafogarmos as emergências. Desde o início da nossa gestão temos trabalhado para melhorar a estrutura da rede de atenção básica, seja com melhorias pontuais, como a realização de intervenções de menor porte nas unidades, reformas e obras maiores, além da reestruturação de equipes”, destaca o governo interino.
 
A atual gestão já entregou reformas de unidades no Vila Rica e Vila Felipe. A Secretaria de Saúde tem em andamento atualmente obras em unidades no Siméria, Mosela e Amazonas.
“Todos os esforços têm sido feitos para que possamos melhorar os atendimentos na rede de atenção básica, para que todas as nossas unidades tenham equipes completas. Em janeiro tínhamos 14 unidades sem médicos. Conseguimos reduzir este déficit e hoje temos questões pontuais em quatro unidades, que estamos trabalhando para resolver, buscando profissionais para contratação”, explica o secretário de Saúde.
 
Juntas, até o momento, as unidades de atenção básica realizaram 110.912 atendimentos individuais, que geraram 211.704 procedimentos entre os quais os atendimentos domiciliares, que subiram de 276 em todo ano de 2017 para 1.004 entre janeiro e novembro deste ano. Os atendimentos feitos pelas equipes à pacientes em casa até o mês de novembro já são maiores do que o total registrado no ano passado (925) e também superiores aos registrados em 2019 – ano anterior a pandemia – que durante os 12 meses teve 969 atendimentos domiciliares.
“Já as unidades oferecem atendimentos aos pacientes perto de casa, um serviço importante para o controle e tratamento de doenças crônicas e também para a prevenção”, pontua o secretário de Saúde.
 
As unidades com Estratégia Saúde da Família contam com equipes com médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, dentista, auxiliar de saúde bucal, agentes comunitários de Saúde, auxiliar administrativo e auxiliar de serviços internos e externos. Nas unidades a população pode fazer procedimentos como coleta de preventivo, aferição de pressão arterial e glicose, testes rápidos para diagnostico de ISTs e covid-19, aplicação de vacinas, curativos e distribuição de medicamentos, entre outros procedimentos.

Prefeito Hingo Hammes esteve presente na abertura do evento

O Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (COMUPA) realizou nos últimos dias 25, 26 e 27 de novembro a 1ª Conferência Municipal de Proteção e Defesa dos Animais. O evento teve o intuito de inserir a sociedade civil na participação e elaboração de um Plano Municipal de Política Pública de Proteção, Defesa e Bem-estar Animal, que será entregue à Prefeitura. A iniciativa foi presidida por Carlos Eduardo Pereira, presidente do COMUPA, e contou com a presença do prefeito interino Hingo Hammes na abertura. A coordenadora de Bem-estar Animal (Cobea), Raphaela Buriche, também esteve presente na conferência, que recebeu a participação de especialistas de renome no cenário nacional da causa animal.

“É muito importante termos em nosso município a participação da sociedade civil em conjunto com o poder público. Este ano, tivemos muitos avanços na causa animal da cidade, com mais fiscalizações, criação das campanhas de adoção e expansão do bazar da proteção animal também para os distritos”, disse o prefeito Hingo Hammes, que completou agradecendo a todos que estão envolvidos na causa “Foi uma união de esforços. Desde o início, o apoio do COMUPA, das ONG’s e dos protetores individuais nos fortaleceram para alcançarmos um crescimento. Com a formulação do Plano Municipal, teremos muito a agregar no município com políticas cada vez mais eficazes”, concluiu Hammes.

A iniciativa ficou dividida em quatro eixos temáticos, com discussões voltadas à temas como maus-tratos e bem-estar animal, políticas de natalidade, segurança e fiscalização, proteção e inserção social, direitos dos animais e guarda responsável. Durante a fase final da Conferência, houve a votação das propostas debatidas, que serão formalizadas no Plano Municipal que será entregue ao poder executivo em breve.

“Ao final da conferência, tivemos as discussões necessárias para criação do Plano Municipal que, independente de governo, será pertencente à sociedade petropolitana. Com muitas sugestões, participações e debates, iremos formar políticas públicas estruturadas e com definição de prioridades e ações a serem realizadas. Os animais contam conosco”, afirma Carlos Eduardo Pereira, presidente do COMUPA, que finalizou fazendo um agradecimento especial a alguns dos palestrantes. “Meus sinceros agradecimentos às Dras. Vânia Plaza Nunes, Elizabeth McGregor e Mariângela Souza, que atuam fora de Petrópolis e abrilhantaram nossa Conferência”, apontou.

A coordenadora de Bem-estar Animal, Raphaela Buriche, destaca que a realização do evento é um símbolo que ficará marcado na história do município. “A conferência já é um marco histórico na nossa cidade. Foi muito importante trazermos a sociedade para participar da formulação de ideias que serão divisores de água na causa animal de Petrópolis. Tenho certeza que a iniciativa vai agregar no avanço das nossas políticas públicas”, frisou Raphaela.

A procuradora de Justiça do Ministério Público do Rio de Janeiro, Denise Tarin, encerra, nesta quinta-feira (02), o Ciclo Básico de Formação em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, realizado pelo Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Comsea), em parceria com a Prefeitura e o Ministério Público, por meio da 2ª Promotoria de Tutela Coletiva de Petrópolis. Ela, que também é a responsável pelo projeto Segurança Humana do MPRJ, vai falar sobre os “Aspectos jurídicos do direito à alimentação”.

A palestra, marcada para às 19h, será transmitida pelas redes oficiais da Prefeitura: Facebook e Youtube. O Ciclo Básico de Formação em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável é voltado para a formação de gestores, servidores públicos da Saúde, Educação, Assistência Social, Defesa Civil e Meio Ambiente e integrantes de conselhos municipais.
 
O Ciclo de Formação foi aberto em 11 de novembro. A ação teve como tema a palestra da assistente social da Prefeitura de Juiz de Fora, Dora Vargas, que falou sobre “Intra e intersetorialidade para a garantia da Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável”. Cozinhas comunitárias: da teoria à prática” foi o assunto abordado por Maria da Conceição de Almeida Ferreira, a Concita da Pindoba, enquanto a assistente social e coordenadora do Mesa Brasil Sesc, Cida Pessoa falou sobre o “Banco de alimentos: da teoria à prática”.
Quarta, 01 Dezembro 2021 10:34

30. 11.21 - Boletim Epidemiológico

A taxa de ocupação de leitos para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde, nesta terça (30.11), está em 3,33% para leito clínico e permanece em 4,55% para leitos de UTI na rede pública. Levando em conta toda a rede de saúde da cidade, somando hospitais públicos e privados, são cinco pacientes internados: um em leito clínico e quatro em leitos de UTI nas redes pública e privada.

Até agora, foram realizados no município 210.353 testes para Covid-19, com 50.205 resultados positivos e 159.900 negativos (levando em consideração testes rápidos e swab).
A Secretaria de Saúde esclarece que o número de óbitos, em 1.556, é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. Trata-se de medida de segurança para evitar erro na informação divulgada pela Secretaria de Saúde. É possível acompanhar a evolução dos casos no portal da transparência do coronavírus, no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).

Capacitação ofertada no novo espaço da Central de Libras da Secretaria de Assistência Social

Cinquenta e dois servidores municipais participaram da aula inaugural do curso de Libras, realizada nessa terça-feira (30/11) na Central de Libras, que fica na Avenida Dom Pedro. Os encontros, que ocorrerão sempre às terças-feiras, das 9h às 10h30, seguirão até 15 de março de 2022.

“Agradeço os servidores das mais diversas secretarias que fizeram questão de se inscrever nesse curso. A intenção do Executivo é ampliar o acesso da população aos equipamentos públicos”, afirmou o governo interino.

Responsável pelo curso, o pedagogo e intérprete de Libras disse que a primeira aula foi muio positiva. “Público dedicado. Pessoas de secretarias diferentes, como educação e saúde, todos muito empenhados em aprender”.

Michele Cirino, servidora da área técnica da Saúde, ressaltou que o curso é uma necessidade. “Temos que pensar em equidade. Todos devem ter acesso à informação e o poder público deve oferecer esse serviço. Sempre penso que posso um dia precisar ajudar uma pessoa e quero poder fazer isso com segurança e facilidade”, contou Michele ressaltando a importância da iniciativa do poder público. “Percebo que a prefeitura está mais atenta a esse tipo de informação, promovendo mais acesso e incentivo a esse tipo de curso. Isso é imprescindível”.

O secretário de Assistência Social ressalta que o curso é uma das ações do novo espaço da Central da Libras que também passou a contar com sala para atendimento reservado, gravação de vídeos e atendimento via whatsapp.

“Novos cursos de aperfeiçoamento e técnicos serão formulados também para a comunidade surda, tudo para garantir o pleno atendimento da população”, contou o secretário de Assistência Social.

Central de Libras

Vale destacar que na Central de Libras, portadores de deficiência auditiva têm acompanhamento específico com profissionais que os auxiliam tanto no encaminhamento para os programas sociais, quanto na marcação de consultas médicas, solicitação de emissão de documentos pessoais e consulta de benefícios. A Central de Libras também pode ser acionada para outras ações junto às unidades de saúde ou audiências judiciais, além de serviço junto às delegacias e interpretação em atendimento médico.

Após o horário de atendimento presencial na Central, a Secretaria de Assistência Social disponibiliza o serviço de plantão, 24 horas via atendimento por mensagens. Se for necessário, o técnico/interprete vai de encontro ao solicitante para ajudá-lo: o atendimento presencial ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h; o serviço de plantão, online é através do whatsapp (24) 99883-3461.

A Prefeitura de Petrópolis apresentou nesta terça-feira (30) o Plano de Contingência do Município para Chuvas Intensas, elaborado pela Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias. Entre os destaques do planejamento para o período de chuvas está a integração entre os órgãos de governo, reforçada pelos serviços do Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis (CIMOP). Na ocasião também foi apresentado o trabalho de reestruturação do serviço, que desde abril funciona na sede da Defesa Civil, contando com maior integração entre os órgãos e permitindo um melhor funcionamento dos protocolos de monitoramento, operações e comunicação da cidade.

“O CIMOP resume bem o que é o nosso governo, que é um governo de integração, de diálogo, de parceria. Essa é uma ação integrada de fato, que gera resultados muito positivos para a cidade”, destacou o governo interino, que lembrou da decisão, no início deste ano, de reestruturar o antigo CIOP. “Quando tivemos a ideia de trazer o antigo CIOP e transformar em CIMOP aqui na Defesa Civil, foi com o intuito de integrar ainda mais as forças e as áreas de governo para agilizar e otimizar o atendimento da população. Hoje estamos aqui apresentando oficialmente este espaço, mas é importante lembrar que é operação que já está ativa, em pleno funcionamento, e está dando certo”, reforçou o governo municipal.

O Plano Verão 2021/2022 estabelece procedimentos a serem adotados pelos órgãos envolvidos, de forma direta ou indireta, em situações de emergência causadas pelas fortes chuvas. A elaboração do plano contou com análises técnicas e mapeamento de áreas de risco, além de um trabalho integrado com demais secretarias de governo, representantes de órgãos das esferas Estadual e Federal, além de instituições que possam contribuir na atuação para o socorro, assistência e reabilitação da cidade.

O documento, que já está disponível no site da Defesa Civil, reúne uma série de planejamentos operacionais e de gestão com o foco na celeridade no atendimento à população. O plano, que já está em vigor e vale até março de 2022, espelha ações que foram desenvolvidas ao longo do ano para reestruturação da Defesa Civil. Hoje (30), a secretaria atua com reforço operacional para os dias de chuva forte; conta com equipe técnica especializada para a emissão de boletins e avisos meteorológicos; tem o suporte de equipamentos de monitoramento como o sistema de detecção de raios, estações geotécnicas para a avaliação de infiltração do solo e avaliação de riscos de deslizamentos; além de câmeras nas viaturas para a transmissão de imagens de ocorrências em tempo real durante operações.

“A Defesa Civil atua em várias ações para otimizar recursos e melhorar o atendimento da população para que seja mais célere e eficiente. O CIMOP é um centro de monitoramento de Petrópolis, que busca a gestão integrada de todos os órgãos durante as ocorrências - além da segurança pública. Um exemplo dessa integração é o trabalho que vem sendo feito com a Assistência Social, que atua em plantão para agilizar o atendimento da população”, destacou o secretário, enfatizando o uso da tecnologia na rotina das equipes. “Um exemplo é o uso das bodycams e câmeras on board nas viaturas, que facilitam a obtenção de informação nas ocorrências, o que é caminho para uma atuação com o conceito de cidades inteligentes”, reforçou.

Ainda sobre o trabalho integrado, o secretário enfatizou que além da área de Assistência Social, outros setores já atuam em parceria com a Defesa Civil no atendimento a ocorrências, como é o caso da Secretaria de Obras, COMDEP, CPTrans, e empresas de serviços como Enel e Águas do Imperador, entre outros órgãos que são acionados a depender de cada situação.

O evento reuniu representantes de diferentes áreas do governo, instituições do município, órgãos de segurança, poder legislativo, entre eles os vereadores Domingos Protetor e Marcelo Chitão; a secretária de SSOP; o comandante do 26° Batalhão de Polícia Militar, o Coronel André Henrique de Oliveira; a comandante do 15° Grupamento de Corpo de Bombeiros, a Tenente Coronel Elisangela Francisca de Matos; a vice-presidente Conselho Comunitário de Segurança de Petrópolis, Alvanei Santos Abi Daoud; e diretoria do Rotary Club de Petrópolis que tem atuado em parceria em projetos da Defesa Civil.

Plano Verão cita áreas com suscetibilidade a deslizamentos, inundações e vendavais

O plano para o verão 2021/2022 faz referência ao Plano Municipal de Redução de Riscos, que aborda 96 setores de riscos para ocorrência de deslizamentos, em 19 regiões geográficas do município. Destaca também as principais áreas de ocorrência de inundações, sendo apontadas as localidades do Quitandinha, Bingen, Corrêas, Nogueira, Pedro do Rio e Posse. Da mesma forma, o plano aponta riscos de quedas, tombamentos e rolamento de blocos. No primeiro distrito são identificadas 27 áreas; no 2° distrito, outras 19; e mais 10 regiões pelos 3°, 4° e 5° distritos. O plano verão ainda relaciona regiões com maior tendência para ocorrências de vendavais, 12 localidades no 1° distrito e outras 3 pelos 2°, 3° e 4° distritos, que são comumente afetadas com quedas de árvores e destelhamentos.

A depender de cada situação, o plano descreve procedimentos operacionais a serem adotados pelas equipes das agências envolvidas, assim como representantes de comunidades, que possuem atribuições sobre as ações a serem desempenhadas durante eventuais ocorrências no município. Desde o início da atual gestão, a Defesa Civil desempenha trabalho de alinhamento, não somente com instituições de governo, mas com as comunidades, através dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (NUDEC) que atuam como interface nas localidades.

Os procedimentos estabelecidos para o Plano Verão 2021/2022 seguem as diretrizes do Manual de Gerenciamento de Desastres – Sistema de Comando de Operações (SCO), conforme orienta a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. “A proposta é atuar de maneira padronizada para respostas aos desastres, de forma a obter maior segurança, não apenas para as equipes em atuação, mas consequentemente com maior efetividade no atendimento à população”, destacou o diretor operacional da Defesa Civil.
Para a efetividade das ações, o Plano Verão 2021/2022 sugere um fluxo de medidas a serem seguidas a partir do nível de gravidade de cada situação. A Defesa Civil atua em Estágios

 
Operacionais que seguem níveis de Normalidade, Observação, Atenção, Alerta e Crise. Para cada estágio são adotados protocolos para as diferentes ações de resposta à população. Sendo desde a mobilização interna das equipes da Defesa Civil, ou outros setores do município. Além das ações de preparação das comunidades em áreas de riscos, emitindo avisos para chuvas fortes, acionamento do sistema de alerta e alarme, até a mobilização para evacuação das localidades em caso de risco eminente.

CIMOP: monitoramento constante auxilia no acionamento do plano de contingência

A nova estrutura do Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis (CIMOP) conta com a integração de diferentes setores que, em situação de emergência por conta de chuvas intensas, serão acionados de acordo com os protocolos definidos no Plano Verão. Desde que foi instalado na sede da Defesa Civil, o setor, que faz parte da Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP), passou a funcionar com nova estrutura, integrando Defesa Civil, CPTrans, Comdep, Guarda Municipal e SAMU. O órgão ainda interage ainda com a ENEL, Águas do Imperador, Corpo de Bombeiros, polícias Militar, Civil e Federais. A unidade monitora em tempo real, 56 câmeras instaladas em diversos pontos da cidade.

Para o diretor do CIMOP, essa integração entre agências é o que oferece o diferencial para uma atuação ágil e eficaz para a oferta de serviços. “O foco é promover maior conectividade entra as agências e serviços para a população. Isso é o que o CIMOP oferece atualmente, uma maior agilidade na tomada de decisão, o que faz parte do conceito de cidades inteligentes, levando em consideração questões como governança, sustentabilidade e meio ambiente”, explicou.

Entre os serviços integrados no CIMOP, o setor conta com diferentes plataformas de coleta de dados, que possibilitam identificar as localidades com maiores acumulados de chuva. Já está em processo de estruturação uma plataforma, desenvolvida pela Wiiglo Tecnologia da Informação, através de uma parceria, que tem como proposta integrar a coleta de dados. O sistema ainda oferecerá informações que poderão agilizar o trabalho operacional e a adequação no direcionamento de recursos para resposta aos danos causados pelas chuvas. A plataforma, que usa inteligência artificial para analisar dados, será mais uma ferramenta de monitoramento para o período de chuvas e está prevista para começar a funcionar em janeiro.

Cento e vinte alunos da rede municipal vão participar do evento

Com o objetivo de exaltar o espírito esportivo, Petrópolis foi uma das 70 cidades selecionadas para receber o Festival Paralímpico Loterias da Caixa 2021. O evento acontece neste sábado (4) na sede do 32º Batalhão Dom Pedro II e contará com a participação de 120 crianças, com idade entre oito e 17 anos, da rede municipal de ensino. Os alunos vão participar em três modalidades: vôlei sentado, bocha e atletismo.

“Em todo o estado, apenas Petrópolis e outras duas cidades foram selecionadas para receber o Festival Paralímpico Loterias da Caixa. É uma enorme conquista para a nossa cidade e para os nossos alunos. É por meio do esporte, de forma inclusiva, que podemos transformar e mudar a vida dessas crianças”, ressaltou o governo interino.
 
O evento reúne alunos com ou sem deficiência e acontece, simultaneamente, em 70 locais selecionados pela Caixa em todo o Brasil. O festival tem início às 8h30 e segue até meio-dia.
 
Os alunos receberão medalhas e troféus pela participação nas atividades. Estudantes estagiários de Educação Física também estarão no evento, dando suporte na logística e a equipe técnica do festival supervisionará todos os trâmites.
 
“É um evento importante que, além de incentivar a prática esportiva, também é inclusivo. Iniciativas como esta servem para mostrar que todos são capazes de realizar algum tipo de atividade e que as limitações não são impeditivas para a prática esportiva ou qualquer outro tipo de atividade”, disse o secretário de Educação.
 
A primeira edição do Festival, em 2018, foi realizada em 48 cidades. Em 2019, o evento teve 70 sedes e em 2020 não houve edição. Além de Petrópolis, no Rio de Janeiro, também foram selecionadas para receber o festival as cidades de Volta Redonda e Engenheiro Paulo de Frontin, e o Clube Regatas Vasco Da Gama.