Petrópolis terminou domingo (26) com a taxa de ocupação dos leitos clínicos em 3,33% (um paciente) e 0% de UTI pelo sistema público de saúde para o tratamento da covid-19. A rede privada não registrou internações.

As equipes da Secretaria de Saúde realizaram, até ontem, 215.948 testes, dos quais 50.391 tiveram resultados positivos e 164.771 negativos (considerando swab e rápidos).

Desde o início da pandemia, foram 1.571 óbitos registrados. Este número é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. É uma medida de segurança da Secretaria de Saúde, para evitar erros nos registros.

A Secretaria de Defesa Civil de Ações Voluntárias retorna o município ao Estágio Operacional de Normalidade tendo em vista redução volume de chuva registrado nas últimas 24 horas. Nos últimos dois dias, quinta (23) e sexta (24), de chuva de intensidade fraca a moderada, a Defesa Civil manteve o reforço das equipes para o suporte a possíveis ocorrências. No período, foram atendidas 17 ocorrências, sendo seis ao longo da madrugada e manhã de sábado. As equipes continuam de sobreaviso durante o fim de semana.

Entre quinta e esta sexta, foram atendidos 5 chamados de queda de árvore nas regiões de Bonsucesso, Samambaia, Mosela, Bingen e Corrêas; 3 deslizamentos nas localidades do Siméria, Retiro e Nogueira; foram realizadas avaliações de riscos geológicos e estruturais na Mosela, Corrêas, Alto da Serra e Provisória; e problemas em vias foram identificados no Quissamã, Quitandinha, Coronel Veiga e Corrêas.

A Defesa Civil mantém o monitoramento ao longo do fim de semana e orienta a população que fique atenta aos avisos e alertas que podem ser emitidos. A qualquer sinal de instabilidade é recomendado que seja acionado o 199 que tem equipe em atendimento 24 horas.

Experiência acumulada no comando do Meio Ambiente do Estado e da capital do ex-vice-prefeito do Rio irá somar com a gestão de Petrópolis

O prefeito Rubens Bomtempo anunciou, nesta quinta-feira (23), Carlos Alberto Muniz como novo secretário de Meio Ambiente. Muniz tem uma larga experiência na área: foi presidente da Feema (a Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente, que hoje é o Inea), secretário de Meio Ambiente da cidade do Rio e vice-prefeito da capital, entre 2009 e 2012.

Durante a cerimônia de posse, que contou com a presença de secretários municipais; os vereadores Ronaldo Ramos, Marcelo Lessa e Gilda Beatriz; além de representantes da sociedade civil organizada, Bomtempo destacou que a situação da cidade é difícil e exige nomes como o de Muniz. "É preciso ter a compreensão de que a coisa pública está acima de qualquer interesse pessoal. Carlos Alberto Muniz é um quadro extremamente qualificado, que irá garantir uma cidade mais sustentável", disse o prefeito.

"Para mim, é uma honra integrar a equipe do prefeito Bomtempo, principalmente viver os desafios do meio ambiente em Petrópolis, trabalhar em integração para resolver estes desafios", disse.

Município denuncia más condições do espaço e determina ações para recuperar local

 Em mais de dois anos, a parte afetada pelo incêndio do Centro Administrativo Frei Antonio Mosero não foi reformada. O entulho continua na antiga entrada do espaço e as infiltrações danificam ainda mais o imóvel. O acidente, até hoje sem solução, aconteceu em 2019, mas a impressão para quem está no local é de que o espaço pegou fogo há poucos dias. Em três anos, mesmo com três projetos distintos feitos pelas secretarias de Saúde, Administração e Serviços, Segurança e Ordem Pública, o reforma não teve andamento.

O prefeito Rubens Bomtempo visitou o espaço, inaugurado em 2016, com o objetivo de gerar economia e integrar os serviços públicos. Há três processos para cuidar da recuperação do prédio. Um da área da saúde, porque a secretaria foi afetada; outro da Administração, para reforma de revestimento e mobiliário; e um terceiro, da SSOP, para cuidar da parte elétrica. Bomtempo determinou um estudo sobre esses três processos para analisar a melhor solução para o Centro Administrativo.

“Nesta primeira semana, constato, infelizmente, que Petrópolis engatou a ré e pisou o pé no acelerador. No Centro Administrativo, o cenário hoje, dois anos após o incêndio, é igual ou pior do que no dia em que o prédio pegou fogo. Quando inauguramos o Centro Administrativo, fizemos com planejamento, que incluía o redimensionamento de energia de acordo com o número de pessoas que utilizavam cada sala”, disse o prefeito, que agora irá avaliar as medidas necessárias.

O prefeito destacou que é preciso enfrentar a questão e dar uma solução para o espaço. “O imóvel é alugado e a responsabilidade é nossa. Cabe a nós reformá-los para evitar qualquer tipo de ação na Justiça futuramente", disse o prefeito.


Instalações elétricas com problemas, salas que foram trocadas de lugar de forma improvisada, sem lógica ou proximidade entre os assuntos abordados e infiltrações nas paredes são apenas as partes mais visíveis dos problemas. Para se ter uma ideia, o Espaço Empreendedor não está mais no Centro Administrativo, mas a placa ficou no local onde hoje funcionam setores da Assistência Social.

Diálogo com os servidores

Além de checar o estado do Centro Administrativo, Bomtempo também visitou as estruturas das secretarias que funcionam no local, e conversou com os servidores, acompanhado do vice-prefeito Paulo Mustrangi (também secretário de Obras e Serviços, Segurança e Ordem Pública) e dos secretários Marcus Curvelo (Saúde), Karol Cerqueira (Assistência) e Ramon Mello (Administração). “Fiquei impressionado com a falta de estrutura e condições de trabalho para os servidores. Mas vamos reverter o quadro. Nossa ideia é motivar cada vez mais o nosso time, que está trabalhando dia a dia para que Petrópolis seja uma cidade mais justa e igual. Nosso governo será o do diálogo, do respeito e da verdade. Por isso, ouvir quem está na ponta é fundamental”, disse o prefeito.

A Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Itaipava também irá atender pacientes com síndrome respiratória aguda a partir desta sexta-feira (24). A medida acontece por uma determinação do prefeito Rubens Bomtempo e amplia o atendimento, que estava sendo realizado apenas na UPA de Cascatinha.

O presidente do Serviço Autônomo do Hospital Alcides Carneiro - o Sehac, que administra as UPAs em Petrópolis, Ricardo Patuléa, disse que a ampliação é necessária tendo em vista o número de casos em Petrópolis. "No entanto, estamos em constante avaliação e o fluxo pode ser alterado de acordo com a demanda", explicou.

Patuléa também destacou que muitas pessoas chegavam na UPA de Itaipava e eram redirecionadas para a UPA de Cascatinha. "Nem sempre essas pessoas têm disponibilidade para se deslocar e, em vez disso, acabam não procurando atendimento e voltam em situação mais grave. Por isso, ampliamos, revisando os fluxos internos", disse.

Petrópolis terminou a quinta-feira (23) com a taxa de ocupação dos leitos clínicos destinados para o tratamento da covid-19 no sistema público de saúde em 0%. Já em UTIs do SUS, a taxa foi de 13,04% (três internações). A rede privada não registrou internados em leitos clínicos ou de terapia intensiva.

As equipes da Secretaria de Saúde realizaram, até ontem, 215.948 testes, dos quais 50.391 tiveram resultados positivos e 164.771 negativos (considerando swab e rápidos).

Desde o início da pandemia, foram 1.571 óbitos registrados. Este número é atualizado nos boletins apenas após o registro do atestado de óbito e do resultado do exame do paciente no sistema da Vigilância Epidemiológica, o que é feito por equipe administrativa. É uma medida de segurança da Secretaria de Saúde, para evitar erros nos registros.

Mais 2.130 doses de vacinas aplicadas

Também na quinta-feira (23), as equipes da Secretaria de Saúde aplicaram 2.130 doses da vacina contra a covid-19 nos 10 postos disponíveis. Foram 1.673 doses de reforço, 430 aplicações de segunda dose e 27 de primeira.

No total, a cidade conta com 240.269 vacinados com a primeira dose, 219.777 com a segunda dose e 43.542 com a dose de reforço. A dose única chegou a 6.805 pessoas desde o início da campanha de vacinação.

Na quinta-feira, 743 idosos foram vacinados, sendo quatro com a segunda dose e 739 com a dose de reforço. A dose de reforço também foi aplicada em cinco pessoas com comorbidades. Três gestantes receberam a segunda dose e uma, a primeira.

As equipes também aplicaram a primeira dose em ete adolescentes e a segunda em 265 indivíduos entre 12 e 18 anos. Houve ainda a vacinação de 155 trabalhadores da saúde com o reforço.

Por faixa etária, foram 774 adultos vacinados com a dose de reforço, 158 com a segunda dose e 19 com a primeira.

O acompanhamento da situação da covid-19 na cidade pode ser feito através do portal de monitoramento, disponível no site da Prefeitura: https://petropolis.rj.gov.br/pmp/