As primeiras crianças com idade entre seis meses a menores de três anos com comorbidades receberam, nesta terça-feira (22), a primeira dose da vacina contra a covid-19. Foram 18 meninos e meninas imunizadas na Unidade Básica de Saúde do Quitandinha e no Centro de Saúde Coletiva e, a partir de agora, as portadoras de deficiência permanente, o que inclui o autismo, também poderão receber suas doses. A ampliação do público foi anunciada pelo prefeito Rubens Bomtempo.

“Os agendamentos serão mantidos para evitar a perda de doses, principalmente, porque recebemos apenas 410 delas. Porém, vamos continuar monitorando e fazendo as ampliações de acordo com a disponibilidade do imunizante”, disse o prefeito Rubens Bomtempo. “Chegar a essa faixa etária era fundamental, pois as crianças também estão vulneráveis e precisam dessa proteção. As vacinas são seguras e salvam vidas”, completa o secretário de Saúde, Marcus Curvelo.

“A vacinação é importante, principalmente porque, por serem crianças, elas não têm o mesmo cuidado que um adulto e acabam colocando a mão na boca ou não usam a máscara corretamente. Ou seja, com a vacina, elas estarão mais protegidas, por isso, tão logo o agendamento foi aberto, entramos em contato para marcar e garantir a dose”, disse o pizzaiolo Vagner Madeira, que levou a filha de um ano e nove meses para ser imunizada.

A 10ª Festa Afro Ubuntu, promovida pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Proteção à Igualdade Racial (Compir), terminou no domingo (20) – Dia da Consciência Negra – com a Marcha do Povo de Santos, apresentação dos Filhos de Gandhi, oficinas e muita música. No sábado (19), a sambista Leci Brandão e o Baile Charme de Madureira encantaram o público, que prestigiou os shows na Praça da Liberdade, palco principal do evento.

“A Festa Afro Ubuntu foi um sucesso, com os petropolitanos prestigiando os eventos na Praça da Liberdade e também a programação cultural que aconteceu nas comunidades. Lançamos o Disque Antirracista e o Núcleo de Atendimento, criando uma rede de proteção e assistência para o povo preto da nossa cidade”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Para o presidente do Compir, Filipe Graciano, Petrópolis fez história. “Toda a festa foi um sucesso. Agradeço ao prefeito Rubens Bomtempo e todas as secretarias que ajudaram na realização do evento. A Ubuntu foi um momento de celebração e também de valorização da cultura do povo preto. Lutamos por um Petrópolis Antirracista”, destacou Filipe.

Além de parte cultural e gastronômica, a Festa Afro Ubuntu também contou com a revitalização e ampliação dos grafittis na fachada do Centro de Informações Turísticas (CIT), na Praça da Liberdade. “O Ubuntu foi um sucesso na valorização da cultura do povo negro da nossa cidade e reforçando nossa luta por uma Petrópolis Antirracista”, concluiu a secretária de Cultura, Diana Iliescu.