Secretarias realizam trabalho intersetorial para garantir direitos dos que estão em situação de extrema vulnerabilidade social

As Secretarias de Assistência Social e Saúde iniciaram, nesta quarta-feira (5), um trabalho para organizar a busca ativa e atendimento à população em extrema pobreza na cidade. De acordo com o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), do governo federal, há 2.410 famílias em situação de extrema pobreza em Petrópolis no ano passado. Destas, 535 famílias não recebiam nenhum benefício.

A Superintendente de Atenção à Família, Claudia Respeita, disse que a Assistência Social está trabalhando desde o ano passado a questão da extrema pobreza, por conta da pandemia. “Fazemos um trabalho com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação e de Assistência Social. Como no momento a Educação está em férias, estamos realizando esta reunião para saber como estão os trabalhos, identificar as famílias que estão em situação de extrema pobreza”, declarou.

A Diretora da Atenção Básica em Saúde, Luana Mello, que é responsável pelos 47 postos de saúde da família e das nove Unidades Básicas de Saúde, explicou que os agentes comunitários de saúde estão fazendo um trabalho de busca ativa, com a equipe do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF). “Essa busca consiste em identificar famílias que estão em situação de extrema vulnerabilidade social, de extrema pobreza e no intuito de inserir essas famílias em programas sociais que temos em Petrópolis”, afirmou.

A Assistente Social, Denize Militão, falou sobre como é feita a busca ativa. “Estamos fazendo esse trabalho intersetorial, algumas famílias estão sendo chamadas nos equipamentos, para passarem novamente pelos atendimentos. Elas são famílias identificadas como de extrema pobreza e estão passando por todos os cuidados de todas as secretarias. Estamos diagnosticando quem é, de fato, que está nesta condição ou se o quadro mudou. Se a pessoa conseguiu um emprego, uma renda, se morreu. Assim atualizamos o cadastro direcionando para o benefício correto, caso haja necessidade: Cartão Imperial, cesta básica, encaminhamento para a rede ou encaminhamento de emprego”, disse.

Os profissionais afirmaram que a demanda está muito grande, principalmente com o fim de alguns benefícios, como o auxílio emergencial, que impactou fortemente a economia petropolitana, principalmente essas famílias em questão.

Estiveram presentes assistentes sociais, nutricionistas e psicólogas dos Centros de Referência de Assistência Social, além dos profissionais da saúde ligados ao Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e Centro de Saúde. De acordo com Claudia, o trabalho consiste em identificar e recadastrar essas famílias para serem incluídas nos benefícios que têm direito. Tanto na política de saúde, como de assistência social, para que minimize essa questão da extrema pobreza em Petrópolis.

Essas ações são para trabalhar a vulnerabilidade dessas famílias, com todas as Secretarias em conjunto. Quem precisar de alguma orientação, basta ir até uma unidade do CRAS. São 9 equipamentos espalhados por todo o município.


A Prefeitura e o Governo do Estado entregaram nesta terça-feira (14/12) mais 770 cartões SuperaRJ, no Clube Petropolitano. A ação foi realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e a Secretaria Municipal de Assistência Social. Essa foi a terceira grande entrega realizada em Petrópolis e a maior até o momento em todo o Estado. Na cidade, mais de 500 cartões já tinham sido distribuídos. Vale salientar que o Supera RJ é um programa do governo do Estado que garante auxílio emergencial mensal no valor de até R$ 380 – sendo R$ 300 do programa mais R$ 80 referentes ao auxílio gás - para famílias que estão enfrentando dificuldades financeiras, por conta da pandemia.

“O programa Supera RJ é um auxílio importante e que está fazendo a diferença na vida das pessoas que estão precisando de suporte financeiro. Ainda estamos vivendo este momento de pandemia, e, embora felizmente a recuperação econômica venha mostrando sinais positivos, muitas pessoas ainda estão enfrentando dificuldades. O papel do poder público é auxiliá-las. Agradeço o apoio e o suporte do Estado”, disse o governo interino.

Importante salientar que a Secretaria de Assistência Social entrou em contato previamente com as pessoas, marcando a entrega do cartão para esta quarta-feira. “O Estado nos envia os cartões, realizamos a conferência e, a partir disso, estamos marcando as entregas. Importante que todos saibam que o cartão já é entregue carregado. Agradeço a equipe da Secretaria de Assistência Social pela preparação, suporte e atendimento das pessoas”, confirmou o secretário de Assistência Social.

O secretário estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos reforça a importância do SuperaRJ. “É dever do poder público ajudar o cidadão. Em Petrópolis, graças ao apoio da prefeitura, estamos conseguindo organizar essas entregas em grupo, com organização, escalonamento, respeitando os protocolos de segurança. Posso dizer que, hoje, Petrópolis já é referência nesse atendimento. O cartão garante um Natal mais digno para essas famílias”, explica.

Umbelina Vivente recebeu o cartão. Desempregada, agradeceu o suporte. “Não tenho palavras. Esperava por uma ajuda e nem acreditei quando recebi a ligação. Só Deus sabe o quanto vai me ajudar nesse momento”, disse.

Regina Cristina de Sá também ficou agradecida. “É, de fato, o melhor momento para uma graça dessas. Estou desempregada e meu marido vive com pequenos trabalhos, então, toda ajuda é muito bem recebida”.

Como funciona o Supera:

O valor do benefício é de, no mínimo, R$ 280,00 (duzentos e oitenta reais) com adicional de R$ 50,00 (cinquenta reais) por filho menor de idade, limitado a 2 (dois) filhos, podendo chegar no valor máximo de R$ 380,00 (trezentos e oitenta reais).


Importante destacar que as famílias que são beneficiárias de outras programas de transferência de renda, como o Auxílio Brasil e Auxílio Emergencial, não têm direito ao auxilio do Supera RJ, que prioriza famílias desassistidas por programas sociais.

A Secretaria de Assistência Social está entrando em contato com as pessoas que devem receber o cartão. Quem tiver dúvidas sobre o cartão SuperaRJ pode procurar um dos nove CRAS do município (https://petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/cras-centro-de-referencia-de-assistencia-social.html ) ou ligar para o call center do SuperaRJ, no telefone 0800 071 7474. A página oficial do programa (www.superarj.rj.gov.br) contém a discrição de quem pode e quem não pode receber o cartão.

Alegria e muita diversão marcaram a confraternização da equipe do Programa Criança Feliz da Secretaria de Assistência Social, realizada no Clube Petropolitano, nessa quinta-feira (09) com as 55 crianças atendidas pelo projeto, cujas famílias são cadastradas no Centro e Referência em Assistência Social (CRAS) do Centro.

Aproximadamente 100 pessoas participaram da ação, entre cuidadores e irmãos das crianças assistidas – todos os protocolos de segurança sanitária foram respeitados. As crianças participaram de atividades pedagógicas, ganharam lanche e brinquedos.

“Foi uma confraternização simbólica para celebrar o Natal dos pequenos que são atendidos pelo programa”, disse o secretário de Assistência Social. Outras confraternizações estão ocorrendo em regiões polos do programa.

“Um momento diferente para as crianças. O programa é muito bacana, com orientações e dicas valiosas para as famílias”, disse Cristina Monteiro, mãe de Ana Clara de dois anos e moradora da 24 de Maio.

Sobre o Programa Criança Feliz:

Apoio integral a gestantes e crianças por meio de visitas domiciliares realizadas por uma equipe especializada da Secretaria de Assistência Social, formada por 14 visitadoras e duas supervisoras. Esse é o objetivo do Programa Criança Feliz que, em outubro, retomou as visitas domiciliares presenciais, chegando a 443 beneficiários, um aumento de 23,5% no comparativo com os números de setembro, quando 339 pessoas foram atendidas. O programa faz a visitação da gestante e das crianças até que elas completem três anos de idade, estendendo-se para os seis anos nos casos de crianças que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“A iniciativa é importantíssima porque os profissionais habilitados tiram as dúvidas das famílias e as orientam para garantir tanto uma gestação tranquila quanto o desenvolvimento das crianças, a partir de cuidados e atividades específicas. Faz toda a diferença na rotina familiar”, disse o governo interino.

O apoio às gestantes e a família começa desde a preparação para o nascimento do bebê até os cuidados perinatais. Mas o serviço não para por aí. A equipe técnica também fornece orientação sobre proteção e educação e informações e esclarecimentos sobre o acesso às políticas e aos serviços públicos de que necessitem.

“Por meio do atendimento específico o programa fortalece os vínculos familiares, propondo principalmente brincadeiras e atividades de comunicação, incentivando o desenvolvimento de habilidades motoras, cognitivas, de linguagem e socioemocionais das crianças, além do fortalecimento de vínculo do cuidador principal e a criança”, informa o secretário de Assistência Social.

A média de atendimentos do programa neste ano, de janeiro a outubro, chegou a 330 beneficiários, totalizando 1.720 atendimentos durante todo esse período.

A Prefeitura de Petrópolis entregou nesta quinta-feira (02/12) 144 novos cartões do programa “Cartão Imperial” para famílias petropolitanas. A ação, promovida pela Secretaria de Assistência Social, ocorreu no Clube Petropolitano e teve como objetivo dar continuidade ao fortalecimento ao programa de Segurança Alimentar e Nutricional do município. Desde o início do ano, 282 novos cartões foram entregues. Atualmente, cerca de 4 mil famílias petropolitanas recebem o benefício.

O cartão é recarregado mensalmente com o valor de R$ 70. “O objetivo é o dar auxílio a famílias em situação de vulnerabilidade social e insegurança nutricional. Faz diferença. Sabemos o quanto é importante esse suporte para aqueles que estão precisando”, afirmou o governo interino.

O cartão é destinado para a compra de alimentos, que podem ser adquiridos em mais de 170 estabelecimentos comerciais da cidade. O subsídio também é direcionado às famílias que possuem integrantes com deficiência ou portadores de doenças crônicas. Esses devem apresentar laudo ou comprovante de acompanhamento médico para ter acesso ao benefício. Para ser incluída no programa, a família deve estar registrada no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

“A Secretaria de Assistência Social mantém um acompanhamento de todos os trâmites do programa. As pessoas que tiverem dúvidas ou quiserem informações podem procurar auxílio em dos nove CRAS do município. Agradeço ao governo interino pelo apoio e à equipe da Secretaria de Assistência Social pelo empenho”, afirma o secretário de Assistência Social.

“Sabemos que para muitas pessoas a situação não está fácil e o programa realmente ajuda. Parabéns à prefeitura pela iniciativa”, afirmou o vereador Júnior Coruja.

Paloma Leite é mãe de Gabriel de um ano e oito meses. “Não estou trabalhando e realmente o cartão chegou em boa hora. Vai ajudar mesmo. Estou grata”.

Monalisa Gomes, mãe de cinco filhos, explicou que recebeu todas as informações sobre o cartão através do Programa Criança Feliz. “Tenho todo o suporte e foi através dessa ajuda que consegui a inscrição. Vai ajudar. Tenho as crianças e toda ajuda faz diferença”.

Para verificaras regras do programa e solicitar a inclusão, as pessoas devem procurar a Secretaria de Assistência Social ou um dos nove CRAS em funcionamento na cidade, apresentar documento de Identidade e CPF, comprovante de residência, carteira de trabalho ou comprovante de renda, certidão de nascimento dos filhos menores, comprovante de escolaridade e carteira de vacinação dos menores de 10 anos. A lista com o endereço dos CRAS pode ser acessada no endereço eletrônico: https://petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/cras-centro-de-referencia-de-assistencia-social.html

Sexta, 03 Dezembro 2021 - 10:34

CRAS Quitandinha será reformado

Reforma estrutural completa incluindo telhado, troca de pisos e pintura geral são as revitalizações que serão realizadas no CRAS Quitandinha pela Secretaria de Assistência Social. O objetivo é garantir mais conforto para servidores e para a população que é atendida no local. A previsão é de que a reforma comece nessa semana e, por isso, a partir desta quinta-feira (02/12) os atendimentos da unidade serão transferidos, temporariamente, para um novo endereço: Avenida Ayrton Senna, próximo ao número 545, localizado no pórtico do Quitandinha.

“A reforma necessária e fará diferença para todos que buscam atendimento nesse equipamento público”, afirmou o governo interino.

O atendimento no novo endereço ocorrerá de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. A equipe do CRAS também estará quinzenalmente na Igreja de São José, localizado na Rua Vassouras, nº 2, no Quitandinha – dando suporte à população, especialmente, para realização de cadastramento das famílias no Cadastro Único (CadÚnico) para programas sociais.

“Toda a estrutura de atendimento será mantida para garantir o pleno suporte à população”, garante o secretário de Assistência Social.

A Secretaria de Assistência Social vai disponibilizar, no novo local de atendimento, todos os recursos necessários - máscaras e álcool em gel - para o cumprimento dos protocolos de segurança. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones: (24) 2019-5865/ (24) 2019-4717.

Capacitação ofertada no novo espaço da Central de Libras da Secretaria de Assistência Social

Cinquenta e dois servidores municipais participaram da aula inaugural do curso de Libras, realizada nessa terça-feira (30/11) na Central de Libras, que fica na Avenida Dom Pedro. Os encontros, que ocorrerão sempre às terças-feiras, das 9h às 10h30, seguirão até 15 de março de 2022.

“Agradeço os servidores das mais diversas secretarias que fizeram questão de se inscrever nesse curso. A intenção do Executivo é ampliar o acesso da população aos equipamentos públicos”, afirmou o governo interino.

Responsável pelo curso, o pedagogo e intérprete de Libras disse que a primeira aula foi muio positiva. “Público dedicado. Pessoas de secretarias diferentes, como educação e saúde, todos muito empenhados em aprender”.

Michele Cirino, servidora da área técnica da Saúde, ressaltou que o curso é uma necessidade. “Temos que pensar em equidade. Todos devem ter acesso à informação e o poder público deve oferecer esse serviço. Sempre penso que posso um dia precisar ajudar uma pessoa e quero poder fazer isso com segurança e facilidade”, contou Michele ressaltando a importância da iniciativa do poder público. “Percebo que a prefeitura está mais atenta a esse tipo de informação, promovendo mais acesso e incentivo a esse tipo de curso. Isso é imprescindível”.

O secretário de Assistência Social ressalta que o curso é uma das ações do novo espaço da Central da Libras que também passou a contar com sala para atendimento reservado, gravação de vídeos e atendimento via whatsapp.

“Novos cursos de aperfeiçoamento e técnicos serão formulados também para a comunidade surda, tudo para garantir o pleno atendimento da população”, contou o secretário de Assistência Social.

Central de Libras

Vale destacar que na Central de Libras, portadores de deficiência auditiva têm acompanhamento específico com profissionais que os auxiliam tanto no encaminhamento para os programas sociais, quanto na marcação de consultas médicas, solicitação de emissão de documentos pessoais e consulta de benefícios. A Central de Libras também pode ser acionada para outras ações junto às unidades de saúde ou audiências judiciais, além de serviço junto às delegacias e interpretação em atendimento médico.

Após o horário de atendimento presencial na Central, a Secretaria de Assistência Social disponibiliza o serviço de plantão, 24 horas via atendimento por mensagens. Se for necessário, o técnico/interprete vai de encontro ao solicitante para ajudá-lo: o atendimento presencial ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h; o serviço de plantão, online é através do whatsapp (24) 99883-3461.

A reorganização do CRAS Centro, com reforço nas equipes e ampliação no horário de atendimento, garantiu um aumento de 260% nos atendimentos diários na unidade. Agora, o equipamento, na Avenida Dom Pedro, nº 340, funciona das 7h às 20h, de segunda a sexta-feira.

“Esta reorganização garante que todos os que procuram atendimento sejam atendidos num espaço menor de tempo. A demanda existe e é importante que tenhamos capacidade para atender o mais rapidamente possível este público”, disse o governo interino.

De acordo com a Secretaria de Assistência Social, após a reorganização, já houve dias em que 90 pessoas foram atendidas. O secretário de Assistência Social lembra que o município também promoveu mutirões para reduzir o tempo de espera por atendimento. Agora, a intenção é garantir que todo o público seja atendido mais rapidamente com uma rotina diária, com mais pessoal e horário ampliado.

“O CRAS Centro é o mais procurado. Daí a reestruturação. Estamos aqui para atender a população, seja esclarecendo dúvidas, orientando, agindo na atualização ou inserção dos dados em programas que garantem auxílio. A Secretaria de Assistência Social seguirá empenhada em fazer o que for necessário para acelerar os atendimentos. A projeção é que, em dois meses, novembro e dezembro vamos garantir mais de 3 mil atendimentos”, disse o secretário de Assistência Social.

Vale destacar que novos telefones do CRAS Centro também estão à disposição para esclarecer as dúvidas da população: (24)2019-4717 e (24)2019-5865. Nesse primeiro momento, a ampliação no horário de atendimento ocorrerá no CRAS Centro. Os demais oito CRAS distribuídos no município continuarão seguindo o horário de 8h às 17h. A lista completa dos CRAS com endereço pode ser conferida no link:
https://petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/cras-centro-de-referencia-de-assistencia-social.html

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social realizou nessa sexta-feira (26/11) a entrega de 20 Carteiras do Idoso. O documento permite viajar de forma gratuita ou com 50% de desconto no valor das passagens interestaduais de ônibus e é direcionado a idosos com mais de 60 anos que recebem até dois salários mínimos e não possuem meios de comprovação de renda. Em outubro, outras 38 carteiras foram entregues pela SAS.

“Ação importante e que faz a diferença na vida dessas pessoas. Quem tiver dúvidas sobre a aquisição das carteiras pode procurar auxílio em um dos nove Centros de Referência em Assistência Social, CRAS, do município”, afirma o governo interino.

De acordo com o governo federal, para solicitar a carteira é preciso ter o Número de Identificação Social (NIS), o número de credenciamento no Cadastro Único para programas sociais do governo federal. Caso a pessoa ainda não possua o NIS, é possível fazê-lo em um CRAS - Centro de Referência de Assistência Social ou em um posto do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS.

“Caso o idoso já tenha o NIS, basta solicitar a carteira no próprio CRAS. A entrega também é realizada no próprio CRAS, onde foi feito o pedido”, reforçou o secretário de Assistência Social.

Importante destacar que, para o uso do bilhete de viagem do idoso, a solicitação deve ser feita diretamente nos guichês das empresas, com a carteira e um documento de identidade com foto. O pedido deve ser feito com antecedência.

“Rita de Cácia Andrade, 67 anos, recebeu a carteirinha. “Ajuda muito. Fico muito feliz com esse auxílio, faz toda diferença para mim”, contou.

Equipamento também conta com novos números de telefone: (24) 2019-4717 e (24) 2019-5865.

Para dar ainda mais celeridade aos atendimentos da Secretaria de Assistência Social, a Prefeitura ampliou o horário de funcionamento do CRAS Centro, que funciona na Avenida Dom Pedro, nº 340: agora, o atendimento é das 7h às 20h, de segunda a sexta-feira. Novos telefones também estão à disposição para auxílio da população: (24)2019-4717 e (24)2019-5865.

Antes, o horário de funcionamento era de 8h às 17h. “A ação proporcionará mais agilidade nos atendimentos, facilitando a vida de quem precisa atualizar seus dados ou fazer a sua inscrição no CadÚnico, por exemplo. Também estamos fazendo mutirões e ações do CRAS Volante nos bairros, justamente para garantir o suporte necessário para a população”, disse o governo interino.

O secretário de Assistência Social reforça a importância do trabalho. “Fizemos um levantamento e diagnosticamos a necessidade de ampliação no horário do atendimento do CRAS Centro para acelerar os agendamentos e viabilizar o acesso das famílias no PAIF - Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – que também é oferecido em todos os Centros de Referência em Assistência Social e, também, para melhor identificar a inclusão ou atualização cadastral das famílias no Cadastro Único. Novos telefones também já estão disponíveis, reforçando a marcação do atendimento”, explica.

Para o cumprimento do horário, a equipe do CRAS vai se dividir em dois turnos. “Garantindo também que o servidor tenha qualidade e conforto no local”, acrescenta o secretário de Assistência Social. Importante destacar que, nesse primeiro momento, a ampliação no horário de atendimento ocorrerá no CRAS Centro. Os demais oito CRAS distribuídos no município continuarão seguindo o horário de 8h às 17h. A lista completa dos CRAS com endereço pode ser conferida no link:
https://petropolis.rj.gov.br/pmp/index.php/cras-centro-de-referencia-de-assistencia-social.html 

Central de Libras no CRAS Centro

No CRAS Centro, em um local anexo, também funciona o novo espaço da Central de Libras, onde portadores de deficiência auditiva têm acompanhamento específico com profissionais que os auxiliam tanto no encaminhamento para os programas sociais, quanto na marcação de consultas médicas, solicitação de emissão de documentos pessoais, consulta de benefícios e auxílio em qualquer situação onde necessite de um intérprete. O serviço da Central funciona, agora, 24 horas: o atendimento presencial ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, já após esse horário, a central disponibiliza o serviço de plantão, online, através do whatsapp (24)99883-3461.

A Central de Libras também pode ser acionada para outras ações junto às unidades de saúde ou audiências judiciais, além de serviço junto às delegacias e interpretação em atendimento médico. A Central está com inscrições abertas para curso de libras, direcionado aos servidores municipais. As inscrições podem ser realizadas pelo telefone (24)99883-3461 ou pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

A Prefeitura, por meio do Centro de Referência em Atendimento à Mulher - CRAM está lançando duas importantes cartilhas para orientação e conscientização de homens e mulheres sobre violência doméstica. O material começará a ser distribuído a partir do próximo dia 25, durante a programação dos 16 Dias de Ativismo Contra a Violência de Gênero.

 
“Com a Lei Maria da Penha e todos os projetos desenvolvidos para as mulheres, percebemos que além de oferecer proteção às vítimas, também é necessário um trabalho preventivo junto ao público masculino. Mostrar, de forma bem didática e clara todos os tipos de violência, que nem sempre é a física”, explica o governo interino.
 
Para a coordenadora do Centro de Referência em Atendimento à Mulher – CRAM, o machismo está enraizado na cultura contemporânea, mas há formas de transformar essa realidade. Além da distribuição das cartilhas, a ideia é promover debates e rodas de conversa ainda aproveitando as ações do Novembro Azul.
 
No caso da cartilha do homem, ela é destinada a todos que conhecem alguém ou que de alguma forma se envolveram em uma situação de violência doméstica ou intrafamiliar e, também, para os que não entendem a violência em todas as suas formas. “Precisamos trazer os homens para a conversa, não para reduzir sua responsabilidade, mas porque eles precisam fazer parte e podem ser agentes transformadores. Estamos focando na prevenção”, afirma a coordenadora do CRAM.
 
Já a Cartilha do Cram é destinada, especificamente, ao público feminino. Isso porque, as equipes do equipamento já perceberam que a maioria das mulheres vítimas não sabem que estão sofrendo violência, por deduzirem que somente existe na forma física. “Elas só conseguem identificar depois de explicarmos cada um dos tipos de agressões. Essa cartilha vai garantir que elas tenham esse conhecimento. Entendemos que não adianta ter leis e equipamentos se não há informação. As mulheres precisam saber quem procurar, ter os telefones necessários e entenderem quando estão vivenciando uma relação abusiva”, frisa a coordenadora do CRAM.
Pagina 1 de 80