Distribuição de cestas de alimentos e kits de higiene

A vontade de ajudar famílias nesse período de distanciamento social foi o que motivou um grupo de professores, funcionários e integrantes da associação escolar da EM Dr. Paula Buarque a criar um movimento de distribuição de cestas básicas e kits de higiene. Aproximadamente 30 cestas já foram entregues na região de Itaipava.

“Fizemos um levantamento das famílias mais necessitadas, através de funcionários que vivem no entorno, com os membros da associação escolar moradora da comunidade também. Então ligamos, perguntamos se estão precisando e fazemos a doação. É uma iniciativa da associação escolar, com ajuda da comunidade e dos professores. Todas as doações são bem recebidas e nós prestamos conta de tudo”, explica o diretor da EM Dr. Paula Buarque, Felipe Braga.

Quinze famílias estão recebendo ajuda. Além dos produtos não perecíveis, também foram entregues kits de higiene com materiais como sabão em pó, detergente, papel higiênico, pasta de dente, desinfetante, água sanitária e absorvente.

Felipe explica ainda que todos os profissionais que atuam na escola, ajudaram. “Todos foram muito sensíveis a causa”. O trabalho conta com suporte e auxilio do diretor adjunto, Carlos Roberto Tavares e a orientadora pedagógica, Simone Mattos.

Quem quiser auxiliar, pode entrar em contato com a direção da escola através do Whatsapp: 2222-6445.

Capacitação de voluntários também segue sendo feito em reuniões online

Mesmo neste período de isolamento social, as capacitações de pessoas interessadas em participar do serviço Família Acolhedora, da Secretaria de Assistência Social, continuam, só que pela internet. O serviço tem como objetivo oferecer um lar para crianças em risco social. Atualmente, cinco famílias estão sendo capacitadas de forma remota e outras cinco se inscreveram através do link disponibilizado no site da prefeitura (http://www.petropolis.rj.gov.br/) e farão parte de uma nova turma.

Os interessados em participar também podem fazer contato pelo telefone (24) 22494319 ou pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O Serviço Família Acolhedora funciona como uma alternativa aos abrigos. As crianças e adolescentes que, por decisão judicial, precisam ser afastadas de suas famílias, podem ser encaminhadas para o acolhimento de uma família, de forma temporária. O objetivo é fazer com que os menores mantenham a referência da convivência em família.

Para o Dr. Vicente Mauro, este é um serviço importante em Petrópolis. “É muito importante nós termos o equipamento aberto em pleno funcionamento na cidade porque as crianças e adolescentes que acabam tendo que ser acolhidos já estão em uma situação de vulnerabilidade. E quanto mais nós pudermos minimizar os danos que são causados para esses menores melhor será. É lógico que nas instituições de acolhimento o trabalho feito é sempre um trabalho sério, onde as equipes técnicas procuram fazer o melhor. Mas, de qualquer forma, nada substitui um lar. E é nesse contexto que a família acolhedora se torna tão importante”, frisa.

As crianças ou adolescentes (de 0 a 18 anos incompletos) são direcionados para as Famílias Acolhedoras a partir da avaliação do perfil social de ambas as partes. O encaminhamento é feito pela Vara da Infância, Juventude e do Idoso, que ao receber uma criança em risco social identifica a necessidade de afastamento do lar de origem, e aciona o serviço para verificar a disponibilidade de família apta a acolher o menor.  Durante o período de acolhimento, os menores mantêm contato com a família biológica por meio de visitas realizadas na sede do serviço, em sala reservada. Todo o trabalho é acompanhado e orientado por psicólogas e assistentes sociais.

“No período de pandemia, as visitas foram suspensas, a não ser em caso de muita emergência. E o trabalho se configurou de uma outra maneira, teve que ser por acesso remoto, por meio de vídeo conferência, reuniões por WhatsApp e outros aplicativos, ou mensagens. Tivemos que remodelar o nosso atendimento”, destaca a coordenadora do programa Família Acolhedora, Graciele Vanzan.

“Outra parte importante é a captação das famílias. São famílias voluntárias. E a gente precisa chegar até essas pessoas. Isso ficou prejudicado por conta do isolamento social, porque fazíamos palestras, etc. Então passamos a utilizar mais as nossas redes sociais”, completa ela, que também participou da reunião, que contou ainda com a diretora do Departamento de Proteção Social Especial, Kátia Piva.

A Secretaria de Assistência Social firmou uma nova parceria com a Mitra para uma casa que vai acolher idosos em vulnerabilidade social e pessoas em situação de rua que precisem ficar em quarentena neste período de pandemia do coronavírus. O espaço, que não terá o endereço divulgado para preservar os usuários, conta com capacidade para atender 65 pessoas simultaneamente. Além da equipe técnica, que acompanha os moradores 24 horas por dia, a casa foi equipada e segue todas as recomendações do Ministério da Saúde. O investimento está sendo feito com verba destinada pelo Ministério da Cidadania.

O imóvel, que já está em funcionamento e, atualmente, acolhe três pessoas, conta com três alas distintas: uma para idosos referenciados pelos Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social); outra para a população em situação de rua que necessitem de isolamento por conta da fragilidade na saúde; e uma classificada como “de emergência” para pessoas que testaram positivo para o coronavírus.

“As pessoas que estão ou virão pra cá são pessoas que não têm para onde ir neste período tão difícil que estamos passando. A casa vai proporcionar um pouco de conforto para eles e com toda a assistência necessária”, explica o prefeito Bernardo Rossi. “Só temos a agradecer por essa parceria em um momento de muita necessidade. Temos que nos unir pra gente vencer esse vírus. Vamos vencer esse vírus o quanto antes, mas enquanto isso vamos ajudar a quem mais necessita”, completa o bispo diocesano de Petrópolis, Dom Gregório Paixão.

A casa vai receber pessoas através do Centro Pop (Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua) e idosos indicados pelo Cras que se enquadrem no perfil estipulado pela Secretaria de Assistência Social. O local terá alimentação para os usuários, sala de enfermagem e também acompanhamento da Secretaria de Saúde.

A segunda etapa da campanha “#Petrópolis no combate ao coronavírus. Seja Solidário” – que começou no último dia 13 – já arrecadou mais três toneladas de alimentos. A Secretaria de Assistência Social entregou 190 cestas básicas a famílias em vulnerabilidade social. No total, desde o início da ação (no fim de março), foram 1.259 cestas, com o total de 21 toneladas de alimentos doados. A campanha é uma parceria entre a prefeitura, o Covida (Grupo Remir) e a Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO).

Os atendimentos para as famílias necessitadas estão sendo feito pelos números: 08000242526/ 2233-8108/ 2233-8110. Todas as solicitações passam por análise de técnicos da Secretaria de Assistência ou visita domiciliar. O Ministério Público também vem acompanhando o trabalho da campanha.

As doações continuam sendo recebidas nos pontos de coleta, espalhados por mercados, farmácias e petshops. Estão sendo recolhidos alimentos, produtos de higiene pessoal e ração para os animais. E elas também podem ser feitas em dinheiro, através da conta da APPO: Banco Itaú, agência 9244, conta corrente 24940-6, CNPJ: 36.548.949/0001-78. Uma porcentagem das doações fica para ajuda dos pacientes oncológicos e outra é revertida em compras para as famílias em vulnerabilidade social

Durante a campanha, novos parceiros têm surgido, como a Pizzaria Sottile’s, o Armazém do Grão e a DIB, além da sociedade civil. Os pontos de coleta estão nos seguintes estabelecimentos: Armazém do Grão; Terê Frutas; DIB; Megadelli e Grandelli; Super Market; Super Bingen; Super Serra; Mercado Delei; Empório Multimix; Multimix; Xodó de Minas; Super Bingen; Rede Economia; Tá no Gosto, Bread Fruit, Green Fruit e Petro Verde.

Pessoas em situação de rua puderam participar de uma ação da equipe de abordagem social do Centro Pop (Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua) em parceria com a instituição Mateus 25.35 e a equipe do Banho Solidário, nesta quarta-feira (20.05), em Itaipava. O trabalho ofereceu banho para cerca de 30 pessoas e seus animais de estimação em um ônibus adaptado que ficou estacionado durante toda a manhã no Hortomercado Municipal José Carneiro Dias.

A ação também distribuiu alimentação, kits de lanche doados pelo CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos), kits com luvas e máscaras, e orientações sobre os cuidados para combater a covid 19. O trabalho, que aconteceu durante toda a manhã e o início da tarde, é realizado todas as quartas-feiras.

Outra medida adotada no NIS, que conta com dormitórios para as pessoas em situação de rua, foram as tendas da Defesa Civil destinadas para os acolhidos recentes, sendo encaminhados para o dormitório após descarte de qualquer suspeita de contaminação. Pessoas em situação de rua que precisem de isolamento também podem contar com um local específico para a quarentena.

No total, 17 toneladas de alimentos foram doados.
Campanha começa hoje (13) sua segunda fase

Mais de mil cestas básicas já foram recebidas por famílias em vulnerabilidade social e que tiveram a renda comprometida por conta do isolamento social para prevenir a covid-19. No total, foram 17 toneladas de alimentos entregues pela campanha “#Petrópolis no combate ao coronavírus. Seja Solidário” desde que ela foi lançada, no fim de março. A ação é uma parceria entre a prefeitura, o Covida (Grupo Remir) e a Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO).

As doações continuam sendo recebidas nos pontos de coleta, espalhados por mercados, farmácias e petshops. Estão sendo recolhidos alimentos, produtos de higiene pessoal e ração para os animais. E elas também podem ser feitas em dinheiro, através da conta da APPO: Banco Itaú, agência 9244, conta corrente 24940-6, CNPJ: 36.548.949/0001-78. Os números de atendimento são: 08000242526 /2233-8108 /2233-8110. Uma porcentagem das doações fica para ajuda dos pacientes oncológicos e outra é revertida em compras para as famílias em vulnerabilidade social.

“Começamos o trabalho e dois, três dias depois tudo já estava funcionando. Me emociona muito saber que mil famílias já foram alcançadas”, destaca Edelto dos Santos Antunes, um dos membros do Covida.

Todas as solicitações das pessoas necessitadas que chegam até a Secretaria passam pela análise de uma equipe de técnicos, que avalia e faz um cadastro geral das famílias. O trabalho vem sendo acompanhado pelo Ministério Público.

Vale ressaltar que é importante também a doação de ração para os animais.

Durante a campanha, novos parceiros têm surgido, como a Pizzaria Sottile’s, o Armazém do Grão e a DIB, além da sociedade civil. Os pontos de coleta estão nos seguintes estabelecimentos: Armazém do Grão; Terê Frutas; DIB; Megadelli e Grandelli; Super Market; Super Bingen; Super Serra; Mercado Delei; Empório Multimix; Multimix; Xodó de Minas; Super Bingen; Rede Economia; Tá no Gosto, Bread Fruit, Green Fruit e Petro Verde.

 

Conjuntos foram produzidos por duas aposentadas da cidade

Em meio à pandemia, a solidariedade também ganha destaque em Petrópolis. Nesta terça-feira (12.05), a Secretaria de Assistência Social fez a entrega de conjuntos com roupinhas e sapatinhos para mães de recém nascidos e grávidas que estão na maternidade do Hospital Alcides Carneiro. Tudo foi doado por duas aposentadas da cidade. Gertrudes Forte e Maria José Gonçalves não só doaram, como também foram elas que produziram todas as roupas. No total, 18 mães e 6 grávidas receberam 45 itens, entre conjuntos e sapatinhos.

“Eu me sinto muito bem fazendo os casaquinhos. Deus me dá forças e minha cabeça está boa, então faço os casaquinhos e sapatinhos com muito prazer. Quando estou fazendo pra doar eu fico tão feliz de estar ajudando uma criancinha, aquecendo o pezinho delas”, explica Maria José.

As doações foram entregues à Secretaria de Assistência Social, que fez a distribuição entre as mães e as mulheres que aguardam para ter bebê no Hospital Alcides Carneiro. A ação foi acompanhada também pela supervisora do Criança Feliz, a psicóloga Márcia Grotz, que vai incluir as mães e grávidas no programa.

 

Petrópolis recebeu esta semana o Certificado da Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa. Essa é a primeira das cinco fases do programa - do Governo Federal -, que reconhece os esforços realizados pelo município para a realização de ações que visem a garantia dos diretos das pessoas com mais de 60 anos e a melhoria de sua qualidade de vida. A Cidade Imperial já conta com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e acompanhamento dos idosos em situação de vulnerabilidade social através da Secretaria de Assistência Social.

O próximo passo agora é a elaboração de um Plano Municipal da Estratégia, que vai criar políticas públicas para a terceira idade.  A “Estratégia” conta com um conjunto de iniciativas que têm por objetivo melhorar a convivência de pessoas com mais de 60 anos e evitar seu isolamento. O programa é uma forma de estimular os municípios a promover a integração dos diversos setores da sociedade para torná-los mais amigáveis aos idosos.

O município recebeu o certificado “Adesão”, que é o primeiro selo concedido pelo Ministério do Desenvolvimento Social dentro das cinco fases da Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa. “Trata-se de um avanço muito importante do município para a promoção do envelhecimento saudável, ativo, sustentável e cidadão de sua população idosa”, diz um trecho do certificado recebido pela prefeitura.

“Petrópolis já é favorável aos idosos, como por causa da segurança, da rede hospitalar, da acessibilidade em pontos turísticos, por exemplo. O município já preenche os pressupostos necessários para o certificado e vem avançando nas políticas públicas para os idosos”, explica Rodrigo Lopes, Diretor do Departamento de Proteção Social Básica da Secretaria de Assistência Social.

Cerca de 2 toneladas de alimentos foram arrecadadas – em apenas uma hora e meia - durante a campanha “Chope do Bem”, da Associação de Microcervejarias de Petrópolis (AMP), que aconteceu na manhã desta quinta-feira (07.05) em dois pontos da cidade: Itaipava e Quitandinha. Em sistema de drive thru, a cada três quilos de alimentos doados o motorista levava pra casa um litro de chope artesanal. A iniciativa, que conta com o apoio das secretarias de Assistência Social e Desenvolvimento Econômico, tem o objetivo de ajudar famílias em vulnerabilidade social que tiveram a renda comprometida neste período de pandemia.

Todos os alimentos irão para instituições de caridade e também para cestas básicas que serão entregues pela Assistência às famílias cadastradas. Todas são acompanhadas pelas equipes da secretaria e passam por uma análise antes de serem incluídas em um cadastro geral. As famílias também estão sendo assistidas pela campanha “#Petrópolis no combate ao coronavírus. Seja Solidário”, que já entregou 871 cestas básicas desde o fim de março, um total de 14.8 toneladas de alimentos.

Desta vez, 20 cervejarias da cidade decidiram, também, mostrar o quanto são solidárias neste momento. Foram distribuídos 600 litros de chope. “A associação resolveu ajudar os menos favorecidos que estão sofrendo com a covid-19. E as pessoas se mostram muito solidárias, colaboraram bastante. Se a gente pode fazer alguma coisa, a gente tem que fazer”, frisa o cervejeiro Paulo Ratto, da Brassaria Matriz. “Algumas pessoas levaram até a mais do que precisava. No Quitandinha, trocamos tudo em 35 minutos”, completa o presidente da AMP, José Renato Romão.

Os postos de troca foram montados no estacionamento do Hortomercado José Carneiro Dias, em Itaipava, e no Palácio Quitandinha. Os motoristas entregam as doações e pegavam na hora o seu litro de chope artesanal, fabricado pelas cervejarias locais.

A Secretaria de Assistência Social já assinou o Termo de Aceite para o recebimento do repasse emergencial de recursos federais para a execução de ações socioassistenciais no município. O Ministério da Cidadania vai destinar R$ 2.009.700,00 que deverão ser usados em três frentes: na compra de Equipamento de Proteção Individual (EPI) para os profissionais das unidades da SAS; reforço na alimentação para idosos e deficientes; e acolhimento para pessoas que necessitam ser alojadas ou remanejadas, como pessoas em situação de rua. A expectativa é de que o recurso seja recebido nos próximos dias.

A medida tem o objetivo de aumentar a capacidade de resposta no atendimento às famílias e às pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social. 

O município vai usar o recurso dentro de um plano de ação. No caso dos EPIs, eles serão destinados para os profissionais das unidades de atendimento da SAS (420). Os valores repassados são referentes a três meses do valor de referência para cada trabalhador.

Para o reforço da alimentação, os alimentos serão prioritariamente ricos em proteína, para pessoas idosas e com deficiências no Serviço de Acolhimento Institucional e em atendimento no Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência, Idosas e suas Famílias. Os valores repassados serão referentes a seis meses do valor de referência para cada pessoa atendida.

Já o recurso para o acolhimento será usado na garantia de cofinanciamento de ações da assistência social visando a emergência em decorrência da Covid-19, para pessoas que necessitem ser alojadas ou remanejadas do seu atual local de acolhimento, conforme orientação do Ministério da Saúde sobre distanciamento social; ou pessoas que se encontrem em situação de rua, desabrigados, desalojados ou em situação de imigração. Os valores repassados são referentes a seis meses do valor de referência por vaga.

Pagina 11 de 82