Equipes da Secretaria de Assistência Social (SAS) visitaram durante a manhã de hoje (03.01) 44 casas atingidas por um alagamento ocasionado pelo transbordamento do Rio Piabanha na comunidade de Olaria, em Corrêas. Nenhum morador ficou ferido ou desabrigado. A SAS fez a entrega de cestas básicas e kits de limpeza, além do cadastramento para a doação de kits de móveis e eletrodomésticos para famílias carentes que tiveram perdas materiais. Na manhã deste sábado (04.01) uma equipe da Secretaria de Saúde ficará lotada no CRAS Corrêas para oferecer vacinas antitetânicas e prestar orientações sobre doenças.

Durante todo o dia, cerca de 30 agentes do SSOP ajudaram na limpeza das casas de Olaria e retiraram a lama e entulho das ruas com a ajuda de uma retroescavadeira e um caminhão.

A equipe da Secretaria de Saúde, formada por 15 profissionais, ficará lotada no CRAS Corrêas para fazer vacinação antitetânica para quem ainda não está imunizado e orientar sobre doenças transmissíveis pela lama e água suja. O atendimento será das 8h às 13h.

Entre as pessoas que perderam móveis na comunidade Olaria está Ilma Soares da Silva, de 67 anos, moradora da casa 34. A água estragou alguns móveis da residência e a senhora foi cadastrada pela SAS e está recebendo toda a assistência necessária. Na casa de Alex Back, a água também chegou com muita lama e foram perdidos cama e colchão. Logo pela manhã, uma equipe da SAS esteve na moradia para prestar assistência.

Outras equipes da SAS percorreram demais pontos onde foram registradas as ocorrências para prestar a assistência.

Ao todo, 20 técnicos nossos atuam no atendimento desde o fim da tarde de quinta-feira (02.01) quando foram registradas interdições de seis apartamentos na Rua Vereador Carlos Canedo, em Pedro do Rio. As equipes da SAS e da Saúde continuam em plantão para o caso de novas ocorrências provocadas pelas chuvas.

Desde o mês de março do ano passado, 1.206 crianças da rede municipal de ensino participaram das palestras de conscientização sobre violência doméstica, ministradas pela delegada da 106ªDP, Juliana Ziehe, com o projeto “Minha Aurora” ” criado pela Polícia Civil, em parceria com a prefeitura de Petrópolis, através do Gabinete da Cidadania.

A iniciativa do Projeto Minha Aurora criou um novo modelo de atendimento de saúde e social a vítimas de estupro e tem um trabalho educativo de orientação sobre como identificar e agir em casos de abuso sexual. Ao mesmo tempo, os novos equipamentos do Posto Regional de Polícia Técnico-Científica (PRPTC) vão auxiliar a Polícia Civil a dar uma resposta mais rápida – velocidade no resultado do exame que comprova o abuso sexual -  nas investigações desses crimes. As ações de conscientização já passaram por dez escolas municipais, com o apoio do Gabinete da Cidadania.

“ O ano de 2019 foi muito importante, pois implementamos o projeto Minha Aurora em parceria com a prefeitura realizando diversas palestras nos colégios municipais. Distribuímos cartilhas para prevenção do crime de estupro e tiramos dúvidas das crianças e adolescentes que são as maiores vítimas deste crime. Aproximamos a população da polícia civil, através das informações e conseguimos atingir nosso objetivo. Ano que vem os trabalhos continuarão”, destacou a delegada da 106ª Delegacia de Polícia, Juliana Ziehe.

Durante quase todo ano letivo, os alunos puderam ter mais conhecimento sobre crimes cibernéticos, violência doméstica, abuso sexual e estupro, bulying, lei Maria da Penha entre outros. O grupo recebe informações também sobre a ampla rede de atendimento que a cidade oferece para este tipo de caso. A vítima possui assistência na rede de saúde; no Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM); Sala Violeta no fórum de Itaipava, além da sala Lilás que já está em fase de finalização.

A inclusão obrigatória da delegacia de Polícia no fluxo de informações nos casos investigados de abuso sexual em crianças e adolescentes é uma das ações previstas no projeto de lei aprovado nessa semana, na Câmara de Vereadores, que visa acelerar as investigações de abuso sexual no município. O projeto valoriza, ainda, o trabalho realizado pelo NAPE-IJ - Núcleo de Atendimento Psicológico Especializado - em Petrópolis, salientando a importância do contato direto entre o NAPE e a polícia Civil.

O Núcleo de Atendimento Psicológico Especializado é mantido pela Secretaria de Assistência Social. Desde 2017, o NAPE já atendeu mais de 600 casos.

O Nape-IJ realiza a Escuta Qualificada nos casos de suspeita de abuso sexual. Para informar a população sobre a importância de denunciar casos de abuso à crianças e adolescentes, o Nape criou uma cartilha, onde são divulgados os telefones para denúncia anônima, que podem ser feitas pelos Disque 100 e 180, além dos telefones das unidades da 105ª DP 2291-0816 e 99250-0697 e 106ª DP no 2222-7094 e 98816-3939.

Concessionária de fornecimento de água do município não pode mais cobrar taxa de religação para os usuários do Cadastro Único (CAD) da Assistência Social. A lei nº 7.832 foi sancionada pelo prefeito no Diário Oficial da última quinta-feira (19.12).

Segundo a determinação, no caso de corte de fornecimento por atraso no pagamento do débito que originou o corte, a concessionaria tem que restabelecer o fornecimento de água sem qualquer ônus ao consumidor no prazo máximo de 24 horas, após a quitação do débito.

A lei determina, ainda, que as concessionarias deverão informar ao consumidor sobre a gratuidade do serviço de religação em suas respectivas faturas de cobrança e em seus sítios eletrônicos.

Em caso de descumprimento da lei, as concessionarias poderão ser acionadas judicialmente conforme medidas previstas no Código de Defesa do Consumidor

Equipes da prefeitura e da Legião da Boa Vontade (LBV) entregaram 150 cestas básicas para famílias em vulnerabilidade social nesta quinta-feira (18.12). A distribuição também contou com o apoio de voluntários da Cruz Vermelha e da Academia Gracie Barra de Itaipava. Parte desse material doado foi arrecadado dentro do Natal Solidário, campanha das secretarias de Defesa Civil e Ações Voluntárias e de Assistência Social que arrecadou 800 quilos de alimentos em 23 dias. O trabalho solidário é mais uma ação do eixo humanitário do Plano Verão 2020.

Cada cesta básica pesa 20 quilos e conta com 15 variedades de alimentos. Entre os donativos estão arroz, açúcar, macarrão, feijão, café e óleo. As famílias agradeceram a iniciativa do governo municipal em parceria com a LBV. "Uma doação como essa parece pequena, mas faz toda a diferença no meu Natal e da minha família. Eu agradeço em meu nome e do restante das pessoas que serão beneficiadas", disse a aposentada Juraci Maria Veiga, a primeira a receber os alimentos.

A LBV, entidade brasileira de assistência social, mantém uma campanha nacional permanente de Natal, que arrecada mais de 50 mil toneladas de alimentos por ano. “Em Petrópolis, conseguimos 150 famílias com esse trabalho em conjunto. O nosso objetivo para o próximo ano é atender ainda mais famílias com esse trabalho”, destaca Bruno Bergkirchnner, da LBV.

Neste ano, a Defesa Civil já realizou a campanha do agasalho, que arrecadou cerca de duas mil peças de frio. Dentro dessa ação, também aconteceu a Festa Julina solidária, encerrando o trabalho de inverno. Os agentes doaram sangue no Banco de Sangue Santa Teresa, além da entrega materiais de cama, mesa e banho, muletas, andadores, cadeiras de roda e uma cama para o Sanatório Oswaldo Cruz (SOC).

Desde 2017, a Defesa Civil já promoveu campanhas do agasalho com mais de seis mil peças de frio entregues para instituições de acolhimento; arrecadou chocolates colaborando com a Páscoa da Sociedade Pestalozzi; distribuiu rosas em lares de idosos no Dia das Mães, organizou a doação cinco campanhas no Banco de Sangue Santa Teresa, além de entregar fraldas no Dia das Crianças para a Creche Santo Antônio, da Paróquia de Santo Antônio e Santo Agostinho em Nogueira.    

Fortalecer as relações familiares e comunitárias além de promover maior integração e troca de experiência entre os participantes valorizando a convivência coletiva. Este é o objetivo do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, desenvolvido nas unidades do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), da Secretaria Municipal de Assistência Social. O serviço, no entanto, vai além: trazer sentido de vida para muitos dos usuários.

O Serviço de Convivência é um dos principais trabalhos desenvolvidos pelos CRAS e atende principalmente idosos, mulheres e crianças. Com encontros semanais ou quinzenais, o fortalecimento dos grupos é feito por meio de palestras, oficinas, atividades lúdicas, esportivas, passeios, cinema, entre outras atividades – complementando os trabalhos técnicos desenvolvido pelos centros de referência.

“O serviço atua de forma preventiva, visando evitar o rompimento de vínculos e a superação das vulnerabilidades sociais”, explicou Rodrigo Lopes, diretor do Departamento de Proteção Social Básica da Secretaria de Assistência Social.

Para a aposentada, Dora Barbosa, de 68 anos, que frequenta o grupo de idosos do CRAS Centro, os encontros semanais têm reflexos positivos inclusive para sua saúde. Foi no CRAS que ela conseguiu superar a depressão. “Foi aqui que tive ajuda para enfrentar a depressão, que recebi as orientações que precisava. Venho de uma a duas vezes por semana e gosto de tudo que faço aqui”, contou. 

É raro o dia que Célia Storti dos Reis, 68 anos, não aparece nos encontros. “Se eu não venho, os colegas logo acham que adoeci. Toda segunda e quarta-feira participo dos grupos de idosos e de mulheres. Adoro fazer os trabalhos manuais”, contou. As terapias desenvolvidas por psicólogo do CRAS também são um diferencial para a vida da aposentada. “Participo das terapias de treinamento para a memória e estou melhorando muito. Estava muito esquecida”, revelou.  

No CRAS Centro, o Serviço de Convivência tem 45 usuários participantes dos grupos de Idosos, Mulheres e Crianças e Adolescentes.

O CRAS executa serviços de proteção social básica, organiza e coordena a rede de serviços socioassistenciais locais da política de assistência social e é responsável pela oferta do Programa de Atenção Integral às Famílias. As equipes do CRAS também prestam informações e orientações à população de sua área de abrangência, bem como se articulam com a rede de proteção local no que se refere aos direitos de cidadania, mantendo ativo um serviço de vigilância da exclusão social na produção, sistematização e divulgação de indicadores da área de abrangência do CRAS.

Unidades do CRAS:

CRAS CENTRO – Rua Dr. Nelson Sá Earp, 39 – Centro.

CRAS QUITANDINHA – Rua Alagoas S/N – Quitandinha

CRAS RETIRO –  Rua Hermogênio Silva, 238 - Retiro

CRAS VALE DO CARANGOLA – Rua Waldemar Vieira Afonso, 19 – Carangola

CRAS CORRÊAS – Rua Vigário Corrêas, 443 – Corrêas

CRAS ITAIPAVA – Est. União e Indústria, 11860 – Itaipava

CRAS MADAME MACHADO – Rua Geraldo Lourenço Dias,

CRAS POSSE – Est. União e Indústria – Posse (ao lado do CIEP)

CRAS ALTO INDEPÊNDENCIA - Rua José Lino Pai, S/N – Alto Independência (ao lado da UBS)

O Restaurante Popular Regina de Lourdes Vieira terá cardápios especiais neste fim de ano e até o Papai Noel já confirmou presença. O serviço é mantido em Petrópolis pela prefeitura por meio da Secretaria de Assistência Social. Diariamente, são oferecidos no local 1 mil almoços ao preço de R$ 1, além de 500 cafés da manhã e lanches da tarde por R$ 0,50.

O almoço especial de Natal será servido no dia 20 de dezembro, com a presença do Papai Noel.  Neste dia, o cardápio contará com pernil ao vinho, frango crocante, farofa doce e Rabanada. No mesmo dia, das 17h às 19h, o espaço também receberá o Baile dos Idosos.

Já no dia 27 de dezembro, o restaurante oferecerá o almoço de Ano Novo. Filé de peixe ao molho de limão, filé de frango ao molho especial, batata duquese e pudim de coco com calda de ameixa para a sobremesa prometem agradar.

O cardápio oferecido durante todo o ano tem a supervisão de nutricionista e é elaborado a partir de critérios de qualidade e de valor nutricional. O almoço é a refeição mais procurada no restaurante, chegando a 1 mil por dia. Para o café da manhã e o lanche da tarde, o restaurante chega a receber até 500 pessoas em cada turno.

Por meio do Restaurante Popular, a Secretaria de Assistência Social também oferece almoço à população em situação de rua. As pessoas cadastradas no Centro POP ganham tickets para se alimentarem no local gratuitamente.

O Restaurante Popular Regina de Lurdes Vieira funciona de segunda a sexta-feira, no Terminal Rodoviário Imperatriz Leopoldina, no Centro. O café da manhã é servido de 8h às 9h30; almoço a partir das 10h30, até esgotarem as mil refeições, e os 500 lanches da tarde são servidos das 15h30 às 16h30.

Cerca de 150 funcionários da Secretaria de Assistência Social passaram por treinamento para atendimento à população em casos de ocorrências de desastres naturais. Foram três dias de capacitação das equipes que atuarão diretamente nos casos de calamidades.

 O treinamento foi realizado pela Secretaria de Assistência Social no auditório do Centro de Moda da Rua Teresa. Em casos de desastres naturais, as equipes estão preparadas para realizar tanto o atendimento residencial como em alojamentos provisórios, realizando o cadastramento da população atendida, promovendo a inserção das vítimas de calamidades na rede socioassistencial e possibilitando o acesso, quando necessário, aos benefícios sociais ofertados nestes tipos de situações.

“O treinamento tem como principal objetivo promover um atendimento rápido, humanizado e eficaz à população. Os funcionários receberam instruções sobre como agir em situações de desastre. Estamos entrando em um período de fortes chuvas e precisamos de uma equipe integrada e preparada para enfrentar situações adversas”, comentou o diretor de Proteção Social Básica, Rodrigo Lopes.

O treinamento foi ministrado pelos próprios técnicos da secretaria com experiência em situação de calamidade. A capacitação contou ainda com simulados de atendimento, de organização da equipe, afim de ter conhecimento sobre como agir em situações extremas.

A última edição deste ano das ações sociais coordenadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social será neste sábado (07.12) no posto de saúde da comunidade Boa Vista, na região do Cascatinha (Rua Henrique João da Cruz, 300). Diversos serviços serão oferecidos aos moradores por meio da parceria entre as secretarias de governo, prestadores de serviços, órgãos públicos e a associação de moradores. A Ação Social acontecerá das 9h às 14h.

Em mais esta edição, a comunidade terá acesso a serviços de saúde, como aferição de glicose e pressão arterial; orientações nutricionais; teste rápido para o HIV e doenças sexualmente transmissíveis; informações e acesso ao Cadastro Único (CadÚnico); informações sobre os programas sociais desenvolvidos no município,como o Criança Feliz; assistência jurídica; entre outros. 

Na Ação Social no Boa Vista, também estão confirmadas as presenças do Detran, que irá oferecer a 1ª Carteira de Identidade e da Águas do Imperador, que atenderá solicitações e prestará informações sobre parcelamentos. Ação terá ainda animação para as crianças da comunidade, com a participação do grupo Tindolelê.

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), participa da Campanha do “Laço Branco”, com uma ação de conscientização, nesta sexta-feira (06.12), a partir das 9h, na Praça Alcindo Sodré, no Centro da cidade. A equipe do Cram, que é subordinado ao Gabinete da Cidadania, irá distribuir panfletos informativos, além da presença do ônibus lilás – uma ferramenta itinerante que leva o serviço do órgão aos bairros mais distantes.

A campanha do “Laço Branco” é uma lembrança da morte de 14 mulheres no dia 6 de dezembro de 1989, em Montreal, no Canadá. Um homem de 25 anos invadiu uma sala de aula de uma escola politécnica e assassinou as mulheres por ter a ideia que mulheres não poderiam cursar engenharia, um curso segundo ele, tradicionalmente dirigido ao público masculino. O assassino se matou em seguida. A partir daí o “Laço Branco” tem o objetivo de mobilizar e sensibilizar os homens de todo o mundo, pelo fim da violência contra mulher.

Pagina 14 de 83