As famílias prejudicadas pelas chuvas de março e que já realizaram o recadastramento do Programa Aluguel Social receberão o benefício nesta quarta-feira (6/11). A agência imperial da Caixa Econômica Federal (CEF) funcionará em horário especial, estando aberta a partir das 8h. O pagamento será realizado na “boca do caixa”. A agência imperial da Caixa fica na Rua do Imperador, 153. Os beneficiários do aluguel social precisam apenas levar documento de identidade com foto.

“Após um entendimento entre o prefeito Rubens Bomtempo e o governador Sérgio Cabral, conseguimos esse recadastramento, o que possibilitou que todas as famílias a partir de novembro façam parte do cadastro do aluguel social do estado”, disse o secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), Jorge Maia.

Recadastramento até esta terça-feira

As cerca de 40 famílias que ainda não fizeram o recadastramento têm até esta terça-feira (5/11) para regularizar a situação e receber o benefício ainda em novembro. A medida abrange apenas as famílias que recebem por meio de cartão pelo Banco do Brasil. O recadastramento é necessário por conta da transferência do pagamento, que nos primeiros seis meses vinha sendo realizado pelo governo federal. Agora a responsabilidade passou para o governo do Estado.

“Conforme compromisso assumido pelo prefeito Rubens Bomtempo em novembro, a Prefeitura está custeando o pagamento para que haja o tempo necessário para a migração do cadastro da união para o governo estadual. A Setrac demonstra o seu compromisso e sua responsabilidade com as famílias petropolitanas que neste momento precisam da ajuda do município”, disse o secretário Jorge Maia.

O recadastramento só pode ser feito pelos titulares dos cartões das famílias atendidas pelo programa. Esses devem comparecer no posto de atendimento munidos de documento de identidade com foto, CPF, Título de Eleitor, Carteira Profissional, Certidão de Nascimento ou Casamento, comprovante de residência e o número do NIS.

Os titulares dos cartões devem comparecer na Casa do Trabalhador, na Rua Dom Pedro, 253, de 9h as 16h. Mais informações pelo telefone 2245-3302.

Uma garrafa de cerveja para cada quilo de alimento doado. É assim que a Ambev vai realizar uma ação de arrecadação de alimentos no município amanhã (25/9). A iniciativa acontece em dois drive-thrus, em Corrêas e em Itaipava, das 9h às 16h, para arrecadar alimentos não perecíveis. A ação conta com o apoio da prefeitura da Petrópolis, assim como da Rota Cervejeira e algumas cervejarias locais como Brewpoint, Colonus e Doutor Duranz.

Os pontos de coletas irão funcionar em dois locais: na Estrada União Indústria, número 11500, próximo ao Bramil em Itaipava; e na Rua Castro Alves, altura do número 100, próximo ao Armazém do Grão, em Corrêas. A expectativa dos organizadores é receber quatro toneladas de alimentos que serão doados para as instituições parceiras da Ambev, como por exemplo, a Todos Juntos e Ninguém Sozinho.

Os interessados só poderão acessar ao local dentro de veículos motorizados, sob o protocolo de segurança estabelecido pela prefeitura. Além disso, os consumidores devem levar um quilo de alimento não perecível para cada cerveja que desejam trocar, sendo limitado ao máximo de quatro garrafas por pessoa.

A cerveja será entregue em temperatura ambiente, para que o consumidor possa aproveitá-la somente em casa, e documento de identidade original com foto será exigido no momento da troca da cerveja para garantir a maioridade dos participantes.

O Carnaval nem começou, mas os cerca de 200 ambulantes autorizados a trabalhar nos dias de folia já começaram a comemorar. Durante reunião realizada na última segunda-feira (24/2) na sede da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), eles foram oficialmente informados sobre mudanças na sua forma de atuação: todos trabalharão em barracas padronizadas, que serão montadas pela Prefeitura, e terão identificação especial, com crachás, de forma a desestimular a venda irregular de produtos.

“Além de facilitar o trabalho dos ambulantes, a padronização vai ajudar na fiscalização, permitindo a identificação de quem está legalizado e autorizado a trabalhar nos dias de carnaval”, destacou o secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Jorge Maia. Os ambulantes irão trabalhar em barracas: cerca de 80 serão instaladas em seis bairros (Itamarati, Corrêas, Cascatinha, Praça Pasteur, Alto da Serra e Mosela). Cada ambulante interessado em trabalhar no Carnaval teve que fazer um cadastro na Setrac e a escolha foi feita com base na vulnerabilidade social de cada um.

Além da padronização do serviço, os ambulantes foram informados, durante a reunião, sobre os cuidados que devem ter. Não podem vender bebidas alcoólicas para menores, devem estar atentos às orientações sobre carga e descarga dos produtos e não devem comercializar garrafas ou outras embalagens de vidro. “A CPTrans vai estar atuando em toda a cidade para impedir o estacionamento irregular, por isso pedimos a colaboração dos ambulantes para que não haja problemas no trânsito. O Juizado da Criança e do Adolescente também estará realizando operações”, alertou Jorge Maia.

Durante a reunião também foi anunciadaa criação do Certificado de Ouro, que será concedido aos 10 “melhores” ambulantes. A avaliação será feita pelas equipes da Setrac, que levarão em conta a atuação do trabalhador durante os dias de folia. “Com esses certificados especiais, os ambulantes terão prioridade em outros eventos promovidos pela Prefeitura. A concessão deste documento é um estímulo para o trabalhador atender bem o público e respeitar as normas e orientações dadas pela secretaria e pela Fundação de Cultura e Turismo”, comentou o secretário.

Os ambulantes aprovaram as mudanças. “Esta é uma das melhores épocas do ano para a gente. Costumamos aumentar muito o volume de vendas. O carnaval nos distritos é tradicional e, por isso, as expectativas são as melhores possíveis”, disse Jacques Anderson Fernandes. Para Jerônimo de Jesus, a padronização das barracas e o uso de crachás também vão contribuir para um faturamento maior. “Vai facilitar o nosso trabalho e impedir a concorrência ilegal”, disse.

Nova titular do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher convocou demais membros a formular uma política pública sobre o assunto

A coordenadora do Gabinete da Cidadania, Ana Maria Rattes, assumiu nesta terça-feira (12.12) a presidência do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim) e ficará no cargo até 2019. Na posse, ela convocou as demais conselheiras a uma maior participação para formular um Plano Municipal dos Direitos da Mulher, criando uma polícia pública sobre o assunto em Petrópolis.

Ana Maria Rattes quer que este Plano trate de seis eixos: saúde e sexualidade, educação e cultura, participação, enfrentamento à violência, igualdade de gêneros e luta contra preconceitos.

“É um momento de renovação do Comdim. A presidência estava com a sociedade civil e agora volta para o governo. Minha intenção é fortalecer o Comdim, formulando políticas de valorização da mulher e tonando o conselho mais participativo. Espero poder avançar na questão da representatividade”, disse a nova presidente do Comdim.

O Comdim é um órgão de caráter permanente, com competência propositiva, consultiva, fiscalizadora, normativa e deliberativa, no que se refere às matérias pertinentes aos Direitos das Mulheres.

Na solenidade, também tomaram posse as 16 integrantes do conselho, que é paritário – são oito representantes da prefeitura e oito da sociedade civil organizada. Fazem parte do colegiado representantes das associações de moradores de Contorno, Comunidade Santa Edwiges e Rua Presidente Sodré, da Associação em Defesa dos Contribuintes da Previdência Social de Petrópolis, da Associação de Mulheres e Mães das Comunidades de Petrópolis, da Mitra Diocesana e da Associação Petropolitana de Pacientes Oncológicos (APPO).

Durante o evento, o governo se à disposição para contribuir no avanço pela ratificação dos direitos da mulher.

As pautas femininas tiveram avanço no governo Bernardo Rossi. Em março, foi efetivado a utilização do mamógrafo e, até outubro, foram realizados 7.350 exames. Petrópolis também zerou a fila de espera por reconstrução mamária com 250 procedimentos feitos este ano. Até novembro, mais de 13,4 mil mulheres coletaram material para exame preventivo – 50% mais do que todo ano passado.

No enfrentamento à violência, o Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram) fez 370 atendimentos. Um dos meios para isso foi a reintegração do Ônibus Lilás, em agosto, que serve como um posto móvel de acolhimento a vítimas. Há um mês, a CPTrans e o Setranpetro iniciaram uma campanha para estimular mulheres a denunciarem casos de violência sexual sofrido nos ônibus. A campanha “Meu corpo não é público” tem o objetivo de orientar vítimas e testemunhas sobre os canais para denúncia e como fazer e de mostrar aos agressores que o abuso sexual é crime.

Formação do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim)

Anna Maria Rattes (Presidente); Elsie Elen Loureiro de Carvalho (Gabinete do Prefeito); Gisele Esch Bach Cunha (Controladoria Geral); Marilda EmelLicht (Secretaria de Saúde); Catharina Dell’orto (Procuradoria Geral); Tânia Regina Maltez (Secretaria de Educação); Denise Quintela (Secretaria de Assistência Social); Cléo de Marco (Cram); Angela Maria de Oliveira Alcântara (Fórum das Associação de Moradores de Petrópolis); Ana Maria Dias Ramos (Associação de Moradores e Amigos da Comunidade do Contorno); Zilda Damião de Freitas (Associação de Moradores e Amigos da Comunidade Santa Edwiges); Marise Brand (Associação de Moradores da Rua Presidente Sodré e Adjacências); Luciana Périco (Associação em Defesa dos Contribuintes da Previdência Social de Petrópolis); Cintia Maria da Silva (Associação de Mulheres e Mães das Comunidades de Petrópolis);Maria Auxiliadora Pires Ribeiro (Mitra Diocesana); e Ana Cristina Mattos (APPO).

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setrac), vai promover nesta sexta-feira, dia 18 de julho, das 13h às 18h, um grande arraiá para a terceira idade. O evento será realizado no Clube de Pedro do Rio (Estrada União e Indústria, 19.574), com entrada franca. A expectativa é que o evento, promovido pela primeira vez na região, tenha a participação de cerca de 300 pessoas.  

Os artesãos de Petrópolis terão, na próxima semana, a oportunidade de se cadastrar no Programa do Artesanato Brasileiro, iniciativa que envolve Prefeitura, governos do estado e federal. Com o cadastro, o poder público terá um levantamento mais preciso sobre os artesãos da cidade para a realização de políticas voltadas para o setor. Haverá ainda palestras para a categoria sobre o programa.

Já foram realizadas cerca de 100 pré-inscrições. As inscrições serão realizadas no evento, na segunda e na terça-feira (9 e 10/11), na Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta, na sede da Prefeitura. Para se cadastrar, é necessário levar duas fotos 3x4 e as cópias do comprovante de residência, do CPF e de identidade. O artesão deverá apresentar também duas ou mais peças já produzidas e algumas inacabadas para a finalização no ato do cadastro, para comprovação técnica.

“É uma ação para fomentar a economia da cidade. É uma mão de obra importante para Petrópolis, que gera emprego e renda. Para fomentar o setor, é preciso que o poder público, nas suas três esferas, tenha um cadastro oficial, para sabermos quantos são os artesãos em Petrópolis. Esse é o primeiro passo. A partir daí, teremos base para novas políticas”, disse a secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), Fernanda Ferreira.

O evento é promovido pela Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac) e pelo Programa do Artesanato do Estado do Rio de Janeiro, para o cadastro no Programa do Artesanato Brasileiro, que é federal.

Os artesãos de Petrópolis ganharam uma nova feira para comercializar seus produtos. O espaço, inaugurado neste sábado (6) pelo prefeito Rubens Bomtempo, funciona no Palácio Sérgio Fadel, na Avenida Koeler. Além de incrementar a economia solidária, a iniciativa busca oferecer um novo atrativo para os turistas que visitam a cidade. São 13 novos expositores, que estarão atendendo o público todos os sábados, entre 10h e 17h.

Durante o lançamento da Feira de Artesanato, o prefeito Rubens Bomtempo elogiou o trabalho desenvolvido pelos artesãos, que participaram de cursos de capacitação promovidos pela Prefeitura. “Com este espaço, a sede do governo municipal se torna um lugar cada vez mais democrático, fortalecendo a economia solidária. Os expositores agregam valor à nossa cidade, e nós reconhecemos este esforço e a qualidade. Tenho a certeza que a abertura desta Feira é uma conquista que vai se consolidar. Parabéns a todos!”, disse o prefeito, que foi homenageado pelos artesãos.

A secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), Fernanda Ferreira, lembrou que a atual gestão fortaleceu o diálogo com os setores produtivos. “São mais de 100 pessoas que atuam na economia solidária em Petrópolis. Antes do atual governo, eles não tinham espaço para se reunir na Setrac. Agora, respeitamos, ouvimos e abrimos espaços para estes trabalhadores, porque sabemos da importância que eles têm para a cidade. Ter uma feira de artesanato do grupo de economia solidária voltada para os turistas era um sonho que estamos realizando”, afirmou.

Para a presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis (FCTP), Drica Madeira, a nova Feira de Artesanato é uma demonstração do comprometimento da Prefeitura com a população. “Colocar o trabalho da economia solidária dentro deste prédio é emblemático, e mostra o tamanho da importância que o artesanato tem para a cidade. A cultura e o turismo da nossa cidade ficam muito felizes com este novo espaço”, destacou.

Segundo o representante do Fórum de Economia Solidária de Petrópolis, Marcelo Xavier, o diálogo entre poder público e os artesãos é produtivo. “As coisas começaram a clarear com a parceria que tivemos neste governo, com muitos avanços e conquistas – como a abertura da Feira de Artesanato da Avenida Koeler”, ressaltou, destacando a importância do fomento à economia solidária.

A secretária-chefe de Gabinete, Luciane Bomtempo, também comemorou o lançamento da Feira. “Este é um sonho que foi acalentado em 2013, com a idéia de democratizar a sede da Prefeitura. Me emociona ver o trabalho do artesanato sendo colocado aqui no Palácio Sérgio Fadel, em um local rodeado de pontos turísticos importantes da cidade. Podem contar com todo o nosso apoio para fazer com que este espaço seja permanente.”, afirmou.

O líder do governo na Câmara Municipal, vereador Thiago Damaceno, também participou do encontro. “Parabenizo a Prefeitura e todos os artesãos. Tenho certeza que este será um projeto de grande sucesso para a cidade, valorizando cada vez mais a nossa cultura e o nosso turismo”, destacou.

A expectativa dos vendedores é grande. “Precisávamos de um espaço, e esta região do Centro recebe muitos turistas. Além de ampliar o campo de trabalho para nós, cada barraca oferece mercadorias de diferentes tipos. Tenho a certeza que isso irá atrair petropolitanos e visitantes”, disse o artesão Sandro Ribas, da Associação Raízes do Ofício. “Antes deste governo, nunca tínhamos recebido apoio para poder desenvolver o nosso trabalho e, com o advento do Fórum e a articulação com a Setrac, conquistamos o nosso espaço”, disse a artesã Beatriz Siqueira, da Associação Solidária Serra das Artes.

Conselho Municipal da Economia Solidária – Além da inauguração da Feira de Artesanato, a economia solidária pode ganhar um importante instrumento para se organizar e se desenvolver em Petrópolis: o prefeito Rubens Bomtempo assinou projeto de lei criando o Conselho Municipal da Economia Solidária. O texto será enviado para a Câmara Municipal. “Os conselhos democratizam a gestão e dão o norte para o direcionamento das políticas públicas, e queremos que isso seja feito também com a economia solidária”, disse Bomtempo.

Consumo desenfreado de álcool e outras drogas aumenta os casos de agressão à mulher

Campanha foi idealizada pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher

Carnaval é tempo de alegria, descontração e muita diversão, mas deve ser também época de respeito e responsabilidade. Pensando nisso, o Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher (Comdim) idealizou a campanha #DiversãoSemAgressão, que será realizada pelo Gabinete da Cidadania e pelo Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram), com apoio de blocos carnavalescos e outras frentes ligadas ao Carnaval da cidade. Um dos principais objetivos da campanha é minimizar brigas e abusos, cujos números crescem muito durante esta época, principalmente devido ao aumento no consumo de álcool e outras drogas (lícitas e ilícitas).

A campanha, entretanto, não tem como foco fazer que as pessoas evitem o consumo do álcool, mas sim que o façam com consciência, sem violência e com muito respeito. O carnaval da cidade, que este ano volta a contar com apoio do poder público, levará diversão e conscientização à população dos distritos. Com adesão de grandes blocos, a campanha pretende mobilizar toda a cidade.

“Nossa ideia é que as pessoas possam curtir o carnaval sem que ninguém sofra por isso. Nos casos atendidos pelo Cram, vemos que muitas vezes a agressão sofrida está ligada ao consumo de álcool ou de outras drogas. Como no carnaval o consumo destes entorpecentes tende a aumentar, precisamos promover o uso consciente, sem que aconteçam brigas ou agressões de qualquer tipo”, declara Anna Maria Rattes, presidente do Comdim e diretora do Gabinete da Cidadania.

Para o idealizador do bloco “Vai dar M”, Eduardo Moreira, abordar temas polêmicos como este em épocas festivas é de grande importância, e por isso o bloco aderiu imediatamente à campanha. Além disso, o tema da edição de 2018 do bloco, que neste ano terá Anna Maria Rattes como madrinha, é “Não à violência à mulher”.

“Queremos deixar claro que carnaval não é só folia, e por isso precisamos falar sobre estes assuntos. Infelizmente, a violência à mulher é uma realidade muito viva em nosso cotidiano, e não podemos ficar alheios a isso. Aderimos imediatamente à campanha, pois é algo muito positivo para todos. A prefeitura está de parabéns pela ação”, destaca Eduardo Moreira, organizador do bloco “Vai dar M”.

Em reunião com o prefeito Bernardo Rossi, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes Leonardo Randolfo e líderes de blocos carnavalescos da cidade, a presidente do Comdim Anna Maria Rattes apresentou a campanha, que foi imediatamente abraçada pelos presentes. Assim, a ideia de um carnaval diferente, em que todos possam se divertir com tranquilidade, principalmente a mulher, será implantada em Petrópolis.

Duas equipes da Secretaria de Assistência Social (SAS) visitaram nesta segunda-feira (06.01) moradores da Posse que tiveram suas casas invadidas pelas águas durante a noite deste domingo (05), quando um temporal causou danos no distrito. Desde a última quinta-feira (02), a SAS vem prestando informações e apoio às famílias atingidas pelas chuvas de verão. Todos os funcionários do órgão estão treinados para atender em situações de emergência.

Com 179 ocorrências atendidas pela Defesa Civil, imóveis interditados e casas alagadas, a equipe da SAS vem trabalhando incessantemente, atendendo os casos comunicados pela Defesa Civil e também por meio de busca ativa. Quase 80 famílias já receberam visita de equipes da SAS, sendo 44 somente na comunidade Olaria, em Corrêas, onde foi registrado um alagamento devido ao transbordamento do Rio Piabanha.

As equipes da Assistência Social iniciaram o atendimento às famílias atingidas pelas chuvas ainda na quinta-feira, quando foram registrados 200 milímetros de chuvas em apenas quatro horas. Até o momento, 15 famílias ficaram desalojadas e estão em casas de parentes, sendo acompanhadas pela secretaria. A SAS contabilizou a distribuição de cerca de 45 cestas básicas, 10 kits de higiene pessoal e 35 kits de limpeza.

“No caso de Pedro do Rio, onde um prédio com seis moradias foi interditado, as famílias pagavam aluguel. As famílias estão em casa de parentes e neste caso, faremos o acompanhamento até que elas voltem a morar em local com segurança”, explicou o diretor da SAS,Rodrigo Lopes.

Treinamento para atendimento emergencial

Em dezembro de 2019, todos os funcionários da Secretaria de Assistência Social, sendo técnicos ou administrativos, passaram por capacitação para agir em situações de chuvas fortes na cidade.

Nestas ações, a equipe de Assistência Social faz o cadastrado das vítimas para terem acesso aos serviços oferecidos imediatos além de inserir as famílias na rede socioassistencial para que tenham acesso, - quando for necessário, a benefícios eventuais.

Moradores da 24 de Maio, Caxambu e Morin devem procurar o CRAS Centro

A prefeitura está convocando os moradores do São Sebastião, Castelânea, Valparaíso (Chapa 4), Mosela e Bataillard a realizarem o recadastramento do Cartão Imperial. A atualização começou nesta segunda-feira (19.03), no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Centro localizado na Rua Dr. Sá Earp, nº 39, de segunda-feira a sexta-feira, de 9 às 16h. Ao todo, 290 famílias precisarão atualizar os dados para manutenção do benefício.

Por ser regiões muito populosas, o processo foi dividido em ordem alfabética para realizar a atualização dos dados até abril. A meta da prefeitura é manter ativo o benefício dos que comprovarem a situação de vulnerabilidade social, de insegurança alimentar e/ou nutricional para manter o recebimento de R$ 70 mensais.

A secretária de Assistência Social, Denise Quintella anuncia que as convocações dos beneficiados estão sendo realizadas junto aos Centros Comunitários, unidades de Saúde e igrejas da região.

“No ano passado realizamos o processo por ordem alfabética e tivemos bons resultados no atendimento que ocorreu de forma mais organizada, mas nós temos ciência de que nem todos poderão ir às datas estabelecidas, então quem não puder comparecer no dia determinado poderá realizar a atualização em outro dia”, reforça Denise Quintella.

Denise Quintella informa que as famílias que não se recadastrarem terão inicialmente o benefício bloqueado por 30 dias. Atualmente, o município conta com 4.129 pessoas com os cadastros atualizados e 1.501 usuários já foram desligados do programa por não comprovarem a situação de vulnerabilidade social, de insegurança alimentar e/ou nutricional.

“O desligamento não é automático. Primeiro o benefício é bloqueado, então a família que não conseguir sacar o valor do benefício deve procurar atendimento no CRAS mais próximo de sua residência ou o atendimento junto à Secretaria localizada no Centro Administrativo da prefeitura na Avenida Barão do Rio Branco para avaliar o cadastro”, afirma Denise Quintella.

Como se recadastrar?

O recadastramento do Cartão Imperial garante o recebimento do benefício aos atendidos que estejam dentro dos critérios do programa, ou seja, que comprovem situação de vulnerabilidade social e estejam devidamente cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Caso a família não atualize os dados, o benefício é inicialmente bloqueado para que a pessoa entre em contato com a Secretaria de Assistência Social para regularizar o cadastro.

A Secretaria de Assistência Social disponibiliza uma equipe para convocar as famílias por telefone. Para fazer o recadastramento, o usuário deve levar documento de identificação, CPF, comprovante de residência, carteira de trabalho ou comprovante de renda, certidão de nascimento dos filhos menores, comprovante de escolaridade e carteira de vacinação dos menores de 10 anos. 

Pessoas com deficiência ou portadores de doença crônica devem apresentar laudo ou comprovante de acompanhamento médico. Em casos de dúvidas, os moradores podem entrar em contato pelos telefones (24) 2233-8109 e 2233-8110.

O recadastramento seguirá de acordo com o cronograma:

19/03 a 21/03 – Letra A

22/03 e 23/03 – Letras B, C e D

26/03 e 27/03 – Letra E, F e G

28/03 – Letra H e I

02/04 – Letras J e K

03/04 e 04/04 – Letra L

05/04 a 11/04 – Letra M, N e O

12/04 e 13/04 – Letra P, Q e R

16/04 a 18/04 – Letra S, T e U

19/04 e 20/04 – Letras V, W, X, Y, Z

Pagina 8 de 77