A Secretaria de Assistência Social – SAS fechou com saldo positivo a primeira semana do CRAS Volante, em Cascatinha. Sessenta e sete pessoas foram atendidas pela equipe da SAS, que vai ficar nove dias na sede da Associação de Defesa dos Mananciais do Alcobaça (Adma). No local, os moradores podem verificar benefícios como o Bolsa Família, BPC, o "ID" Jovem e o Cartão Imperial, em mais esta ação do programa Acelera Petrópolis.

Com a implantação do CRAS Volante, a equipe da Secretaria de Assistência Social tem o objetivo de oferecer os serviços de recadastramento e atualização de seus dados junto ao CadÚnico mais próximo das comunidades. Isso evita que os beneficiários tenham que se deslocar de uma região para outra. Este é o caso da dona de casa Andréia Bernardo Dias, de 49 anos, que mora no Alcobacinha.

"Eu precisava resolver logo a atualização do Bolsa Família e quando soube que o CRAS estava aqui pertinho, vim logo. Isso cria uma facilidade enorme para a gente, que não precisa ir ao Centro. Aqui é bem mais tranquilo", disse Andréia.

O CRAS Volante já percorreu neste ano as comunidades do Vicenzo Rivetti, Roseiral, Jardim Salvador, Meio da Serra, Caxambu e Floresta, contabilizando 521 atendimentos.

O Cras Volante estará em Cascatinha até o próximo dia 17 e o público pode se dirigir ao local de 9h às 16h. A secretária de Assistência Social destacou a importância do serviço. “Estando mais perto das comunidades, estamos facilitando a vida de nossos usuários nesses tempos de pandemia”, disse, lembrando que todos os protocolos de prevenção a covid-19 estão sendo seguidos e no local estão sendo disponibilizadas máscaras e álcool gel.

O projeto Nossa Loja, criado através de uma parceria entre os Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher – Comdim e Economia Popular Solidária, será lançado neste fim de semana, na Feira da Ecosol, na Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), no Centro. O objetivo é arrecadar e doar roupas e acessórios para pessoas carentes.

Uma barraca será disponibilizada para receber as doações das peças que serão oferecidas gratuitamente para quem não têm condições de comprar. “O Projeto Nossa Loja, está sendo criado nesse momento ímpar de nossas vidas para ajudar os diversos desafios encontrados na rua: fome, frio, violência, falta de oportunidade, desemprego, entre outros”, explica a presidente do Comdim.

Para humanizar ainda mais o processo de doação, o projeto permite a escolha da roupa doada. "Assim daremos a essas pessoas a sensação de liberdade e aquecendo suas escolhas. Para muitos, esta será a primeira experiência de escolher, de verdade, a roupa que irá usar”, completa.

Contribuir para a formação de adolescentes atendidos pelo Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS) é o que visam os órgãos do governo municipal no acompanhamento de jovens em cumprimento de medidas socieducativas, encaminhados pelo Juizado da Infância e Juventude. Atualmente 27 dos 45 jovens, com idade entre 15 e 17 anos inseridos na rede, são atendidos pelo serviço de Assistência Social e desempenham atividades em diferentes áreas de governo. O trabalho tem sido garantido pelas equipes das secretarias de Defesa Civil e Ações Voluntárias, de Desenvolvimento, pela Coordenadoria de Bem-Estar Animal (Cobea), Gabinete da Cidadania, Casa dos Conselhos, unidades do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), Procon e na Casa Santos Dumont.

Além dos equipamentos de governo, a Secretaria de Assistência Social tem buscado parcerias com representantes da sociedade civil para o desenvolvimento de ações nas próprias comunidades onde os jovens residem. A medida visa oferecer ocupações por meio de atividades socioeducativas. “Esse é um trabalho de grande relevância que nossas equipes de governo têm conseguido desenvolver em conjunto. Todos atuando para garantir o melhor encaminhamento dos nossos jovens, que encontram uma oportunidade de melhor formação”, destacou o prefeito Hingo Hammes.

Desde julho, a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias recebe dois jovens que, uma vez por semana, comparecem para desempenhar alguma tarefa relacionada à atividade do órgão. “Recebemos inicialmente esses dois jovens e temos acompanhado a evolução de perto. Nossa intenção não é apenas oferecer uma atividade, temos a preocupação em identificar tarefas adequadas ao potencial de cada um e percebemos a boa aceitação dos jovens, que podem a partir dessa experiência passar a ter outra perspectiva de vida. Esse é um serviço de extrema necessidade e importância que precisamos exercer na sociedade”, destacou o secretário de Defesa Civil, o tenente coronel Gil Kempers.

Por meio do CREAS, a Secretaria de Assistência Social realiza o acompanhamento dos jovens por um período de até seis meses. Maior parte dos encaminhamentos para o serviço social é em decorrência da prática de ato infracional.

Um dos jovens que está em atendimento na Defesa Civil, tem 15 anos de idade e constantemente é motivado a buscar novas experiências. Nos últimos dois meses ele já exerceu diferentes funções e para ele, essa vivência tem ajudado a mudar sua perspectiva de vida. “Para mim sido muito bom. Estou aprendendo coisas novas e penso em completar meus estudos e ter uma profissão”, destacou o jovem, que se alegra em dizer que a mudança de comportamento se estende inclusive ao convívio com sua família. “Gosto de ajudar minha mãe e coisas que faço aqui levo para a minha casa”, conta.

Para a assistente social, Juliana Souza as parcerias com órgão do poder público ou com entidades, contribuem para a consolidação do atendimento. “Identificamos na Defesa Civil mais um local para que os adolescentes pudessem cumprir a medida com a prestação de serviços à comunidade, de forma a facilitar o desenvolvimento de suas potencialidades, responsabilização, construção e reconstrução de projetos de vida”, pontua a profissional.

A Secretária de Assistência Social, Rosane Borsato, reforça que o trabalho pela busca de parcerias para o encaminhamento dos jovens é constante. “Nosso objetivo é oferecer aos jovens uma gama de atividades que sejam atrativas para eles e contribuam para a formação enquanto cidadãos. Nossas equipes fazem acompanhamento com toda a família para garantir que os jovens tenham o encaminhamento adequado e não voltem a cometer infrações, para que realmente vislumbrem a possibilidade de mudança nas suas perspectivas de vida”, pontua a secretária.

A Secretaria de Desenvolvimento é mais um dos órgãos de governo que recebe os jovens em cumprimento de medida socioeducativa. “Temos acompanhado esses jovens desde o início da gestão. Buscamos inseri-los nas atividades administrativas de forma que participem efetivamente da rotina da secretaria. Temos alcançado boa adesão e é muito gratificante observar a mudança de conduta desses adolescentes durante o tempo que estão sob nossa responsabilidade”, enfatizou o secretário Marcelo Soares.

O Conselho Municipal de Assistência Social de Petrópolis – CMAS, composto pela sociedade civil e governo Municipal, realizou a eleição e posse da nova diretoria da entidade. Rosangela Stumpf, do projeto Sadias, representando a sociedade civil, foi eleita a nova presidente do conselho.

A votação, para o biênio 2021/2023, ocorreu durante reunião realizada na manhã desta quarta-feira (01), de forma online, e também elegeu seus novos conselheiros, como a Associação Casa da Cidadania, Ong Raízes do Ofício, Comunidade Jesus Menino, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE e Centro de Defesa dos Direitos Humanos - CDDH.

“Os conselhos municipais são ferramentas importantes para as discussões e debates voltados para a criação de políticas sólidas para toda a sociedade, principalmente, na área da assistência social. Neste momento, a presidência está com a sociedade civil e temos a certeza que será bem conduzida”, disse o governo interino.

Ao assumir a presidência, Rosângela Stumpf, disse que pretende ampliar o próximo edital do CMAS, para os termos de parceria firmado com as instituições. O objetivo é garantir o acesso das entidades. “Além disso, vamos dar continuidade ao trabalho democrático que já vinha sendo realizado, inclusive pelo atual governo. Queremos discutir no conselho, de fato, as políticas públicas de assistência social”, frisa, lembrando a importância de uma assistente social à frente da Secretaria de Assistência Social, como vem se dando atualmente.

“A posse dos novos Conselheiros hoje teve como destaque o processo democrático na condução do pleito. A sociedade civil assume a presidência, como previsto no regimento, com o compromisso de seguir avançando no fortalecimento da política de assistência no município”, ressaltou a secretária de assistência social.

Além de Rosângela Stumpf, a mesa diretora para o biênio 2021/2023 será composta por Simone de Almeida, como vice-presidente, representando a Secretaria de Assistência Social, Carlos Jorge Guimarães, como primeiro secretário, representando a Associação Casa da Cidadania e Katia Paim, como segunda secretária, representando a Secretaria de Saúde.

Uma série de palestras marcaram o encerramento da Semana de Luta da População em Situação de Rua, realizada pela Prefeitura, através da Secretaria de Assistência Social e do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop). A programação foi elaborada em alusão ao Dia Nacional da Luta da População em Situação de Rua, celebrado em 19 de agosto.

“A programação incluiu ações que possuem o propósito de garantia dos direitos das pessoas em situação de rua, incluindo saúde, segurança, educação, trabalho, autocuidados e cidadania. As atividades visam informar as pessoas sobre seus direitos e garantias de acesso a proteção social”, explica o governo interino.

De acordo com a secretária de Assistência Social, seguindo a programação, coordenadores dos equipamentos da assistência social estiveram na Unidade de Atendimento Temporário (Unat), no Retiro, onde realizaram palestras sobre o funcionamento dos sistemas de proteção social para os usuários da unidade. “Além disso, realizamos uma roda de bate papo com assistentes sociais e psicólogos, que ouviram de pessoas com risco de vulnerabilidade social sobre seus dramas pessoais e suas expectativas de vida”, explica a secretária.

O Dia Nacional da Luta da População em Situação de Rua, foi instituído em memória à maior chacina contra a população em situação de rua da cidade de São Paulo, conhecida como “Massacre da Sé”, em 2004. Na ocasião, dez pessoas foram atacadas enquanto dormiam na Praça da Sé, na capital paulista.

Alimentos e óleo de soja foram doados à Paróquia do Rosário, e vão beneficiar famílias carentes do Caxambu e da 24 de Maio

Nesta sexta-feira (13/8), a Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo de Petrópolis realizou a entrega dos donativos arrecadados com o passaporte da Estrada Real para a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, que destina os alimentos para famílias carentes das comunidades do Caxambu e 24 de Maio (Capela de São Charbel, São Pio X, Santa Isabel, Nossa Senhora da Penha e São Paulo Apóstolo). Ao todo, foram entregues 73,5 quilos de alimentos e 900 ml de óleo de soja.

A Estrada Real surgiu no século XVII com a instituição pela Coroa Portuguesa dos caminhos oficiais para transporte do ouro e dos diamantes mineiros até os portos no Rio de Janeiro. São mais de 1.630 quilômetros de extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Hoje a estrada compõe a maior rota turística do país com quatro caminhos. Petrópolis esta incluída no Caminho Novo, que tem 595 quilômetros e passa ainda pelas cidades de Ouro Preto, Juiz de Fora e Paraíba do Sul.

Na cidade, o Centro de Informação Turistica (CIT) localizado na Praça da Liberdade está cadastrado para distribuir o passaporte e efetuar o carimbo, através de parceria firmada há alguns anos entre a Prefeitura e o Instituto Estrada Real. Os visitantes que percorrem os quatro caminhos da Estrada Real podem fazer seu cadastro no site e durante o percurso, ir carimbando o passaporte pelas cidades que passam.

Esse trabalho é acompanhado pelo Observatório Regional do Turismo (ORT), instrumento da Turispetro responsável por avaliar e monitorar os indicadores do desempenho do Turismo em Petrópolis para dar suporte ao planejamento, estruturação, captação de recursos, de investimentos e promoção do município como destino turístico.

O passaporte só é entregue mediante o cadastro no site e doação de um quilo de alimento não perecível que, todos os meses, a Secretaria de Turismo de Petrópolis doa para alguma instituição da cidade que realiza trabalhos sociais.


O projeto “Todos Juntos, Ninguém Sozinho”, entrega 40 cestas básicas para pessoas em situação de vulnerabilidade social em Araras no próximo sábado (07/08). A ação, realizada em parceria com a prefeitura através da secretaria de Meio Ambiente, vai atender famílias que vivem na localidade de Santa Luzia, região indicada pela equipe da Reserva Biológica de Araras (REBIO/Araras) como uma área vulnerável. Além disso, o projeto irá cadastrar os beneficiados para que a assistência seja continuada. A iniciativa também conta com o apoio da Subbip INEA.

“O projeto vem realizando esse apoio ao longo do último ano para dar suporte às famílias que foram severamente afetadas pela pandemia. Com o aumento da demanda de pedidos e a observância de que nem todos possuem acesso à internet, pensamos nessa ação para ampliar a rede de apoio", explica a idealizadora do projeto.

Grande parte das doações veio através de doações de cestas básicas do projeto “Mesa Brasil”, do SESC Petrópolis. Também foram coletados alimentos em diversos pontos do município. "Queremos mais informações das áreas em que vamos atuar e para isso firmamos parcerias com órgãos do município", conta a idealizadora.

O secretário de Meio Ambiente ressaltou a iniciativa. "A proposta de ajuda continuada é muito interessante. Por ser tratar de um grupo organizado, com a presença de advogados, assistentes, entre outros profissionais, será possível realizar essa ação. A prefeitura é parceira da iniciativa e quer estar cada vez mais próxima de projetos como esse", disse.

O projeto “Todos Juntos, Ninguém Sozinho” já ajudou mais de 200 famílias, em mais de 45 localidades na cidade de Petrópolis. O projeto arrecada doações e há diversos pontos de coleta na cidade. As entregas acontecem, em média, quinzenalmente. Mais informações no Instagram: @todosjuntosninguemsozinho.

erminou no domingo (1) a 13ª Conferência Municipal de Assistência Social, que abordou o tema “Assistência Social: Direito do povo e dever do Estado, com financiamento público, para enfrentar as desigualdades e garantir proteção social”. O evento, que durou três dias, contou com presença de diversos profissionais da área, secretários e representantes de instituições e, ainda, de várias autoridades da justiça, da segurança pública e beneficiários da política de Assistência Social.

O principal objetivo da Conferência Municipal da Assistência foi avaliar e propor diretrizes para o aperfeiçoamento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) na perspectiva da valorização dos trabalhadores e da qualificação dos serviços, programas, projetos e benefícios e eleger delegados para a Conferência Estadual de Assistência Social.

Os conferencistas debateram e apresentaram reivindicação no sentido de promover melhorias nas políticas de Assistência Social no município. Os temas foram organizados em cinco eixos, com assuntos relacionados a financiamento público na assistência social, oferta de serviços e acesso às políticas públicas, práticas dos equipamentos da Ação Social durante a pandemia e o trabalho interligado com outros setores relativos às políticas públicas.

No domingo, foram eleitos os quatro delegados da sociedade civil, que representarão Petrópolis na Conferência Estadual de Assistência Social, marcado para setembro. Os eleitos foram a APPO, Ong Raízes do Ofício, Associação Oficina de Jesus e Comunidade Jesus Menino. O relatório final dos três dias de trabalho será divulgado ainda nesta semana pela comissão organizadora.

A secretária de assistência social fez uma avaliação positiva do encontro e diz que a sociedade como um todo entende a importância do trabalho com a população mais vulnerável.

“A Conferência é sempre um marco no trabalho da assistência. Esta, especialmente, por ter sido toda de forma online, marcou pela intensa participação dos inscritos e pelo engajamento de todos os participantes. A representatividade foi o destaque principal e a presença de usuários colaborando na elaboração das propostas e se destacando na mesa de abertura por sua fala livre e contundente, foi genuinamente gratificante”, finalizou.

Depois do Vicenzo Rivetti e Atílio Maroti, chegou a vez das comunidades do Alemão e Vale do Carangola, receberem parte das duas toneladas de laranjas e tangerinas doadas à Prefeitura por um produtor rural do Bonfim. As equipes da Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil e Coordenadoria Especial de Articulação Institucional do governo municipal realizaram a distribuição na tarde desta quinta-feira (15).

A Líder comunitária do Vale do Carangola agradeceu o gesto do produtor rural e destacou que muitas famílias carentes vivem na região. “São centenas de famílias que precisam desse carinho e uma sacola de frutas faz uma grande diferença, pois muitos não têm condições de comprar. É um gesto simples, mas ver a alegria das crianças também nos enche de esperança em um futuro melhor”, disse.

Com o lema “Não podemos abraçar, mas podemos aquecer”, quase 2 mil doações foram recebidas na campanha do agasalho, realizada pela Prefeitura, por meio da Coordenadoria Especial de Articulações Institucionais e Gabinete da Cidadania. As peças já começaram a serem destinadas às instituições do município. Foram arrecadadas roupas, cobertores, toalhas, material de higiene pessoal e latas de leite infantil. A previsão é de que todo o material seja entregue até a próxima sexta-feira (16).

A ação também teve o apoio da Secretaria de Assistência Social, CPTrans e Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias.

“Mais uma vez, a população mostrou o espírito de solidariedade. Mesmo após o fim da campanha, as doações continuam chegando. Estamos passando por um inverno bastante rigoroso e esse envolvimento da cidade é fundamental. Graças à união de todos, estamos chegando a quem realmente necessita”, disse o governo interino.

As doações estão sendo entregues ao Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), Casa da Cidadania e aos moradores em situação de rua, através do Núcleo de Integração Social (NIS) e Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop). Das mais de 1,9 mil peças recebidas, até esta terça-feira (13), cerca de 1.195 itens já tinham sido entregues. Latas de leite infantil também foram recebidas e encaminhadas aos projetos sociais “Obra do Berço” e “Saúde da Criança”, da Igreja Sagrado Coração de Jesus.

“A participação das pessoas nos deixou muito felizes. Não imaginamos que, mesmo com o término da campanha, as pessoas continuariam trazendo doações para os pontos de arrecadação. O povo petropolitano aderiu à campanha com muito amor e carinho, demonstrando exatamente o que é “fazer o bem sem olhar a quem”. Estamos orgulhosos”, disse a coordenadora do Gabinete da Cidadania.

Pagina 9 de 84