Apresentações acontecem nas fachadas na Câmara Municipal e UCP

Uma história com altos e baixos, dúvidas, incertezas e muita magia que ensina as crianças e faz os adultos refletirem. A narrativa criada especialmente para a programação do Natal Imperial deste ano faz sucesso e caiu no gosto dos petropolitanos e dos turistas que visitam a cidade. As apresentações acontecem na fachada da Câmara Municipal todas as sextas, sábados e domingos, às 20h, 20h30, 21h, 21h30 e 21h45, no mês de dezembro.

O espetáculo mostra a história de uma menina pobre que vendia balas nas ruas. Um dia, ela sofreu um esbarrão e deixou toda a mercadoria cair. Desanimada com o ocorrido, a jovem estava pegando todo o material do chão quando encontrou a carteira do homem que havia trombado com ela. Na dúvida se deveria ou não devolver, a pequena vendedora se colocou no lugar daquele senhor e resolveu procurar por ele. A menina só não contava que o dono do objeto era o Papai Noel e que, a partir daquele momento, ela iria entrar em um mundo mágico.

 No gramado da Praça Visconde de Mauá, em frente à Câmara, as pessoas se reúnem para acompanhar a apresentação. A empresária carioca Marcela de Castro da Silva trouxe a filha Ana Vitória de Castro, de 7 anos, para assistir o espetáculo. "Viemos acompanhar a programação de Natal e me indicaram esse filme. É importante que as crianças vejam histórias assim para que cresçam conscientes. Acaba servindo para a gente também. A cidade está linda e esse espírito natalino é contagiante", comentou.

Até o final do Natal Imperial, a projeção acontece também no prédio da Universidade Católica de Petrópolis (UCP) nos mesmos dias e horários. Todas as apresentações são gratuitas.

Programação deste fim de semana

Neste fim de semana, quem não conseguiu assistir ao primeiro desfile da Parada Iluminada este ano terá duas oportunidades. O espetáculo que transforma a Rua do Imperador em passarela para contar a história de Natal acontece tanto no sábado (15.12), às 21h, quanto no domingo (16.12), às 20h. São mais de 300 pessoas, entre adultos e crianças, que ajudam a resgatar o espírito de Natal. A iluminação com mais de 6 milhões de micro lâmpadas na cidade, toda decoração temática e uma trilha sonora exclusiva transportam o público para um mundo de sonhos e fantasia. O evento é gratuito.

Exposição contará com participação de 19 escolas.

Na próxima segunda-feira (18.09), às 9h, será aberta a VII Exposição Bíblica das escolas da rede municipal de ensino no Centro de Cultura Raul de Leoni. A mostra contará com a participação de 19 escolas.

Os estudantes pesquisaram e fizeram trabalhos lindos e eles poderão ser visitados no Centro de Cultura. Essa é uma iniciativa muito importante na rede municipal de Educação porque valoriza e incentiva o ensino religioso.

Os trabalhos contaram com a participação de cerca de 470 estudantes. As obras ficarão em exposição até o dia 29 de setembro e poderão ser visitadas de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. A abertura da exposição contará com uma apresentação especial dos alunos da Escola Santa Luiza de Marillac.

O objetivo da exposição é expressar através das artes visuais passagens bíblicas relacionadas ao tema defesa da vida.

"Esse tipo de trabalho tem como efeito positivo a oportunidade de integração dos alunos na produção de uma maquete que representa a escola na exposição. Além disso, eles conheceram os ensinamentos bíblicos que são exemplo de respeito à natureza e de defesa da vida”, explicou Cristiane Noel, integrante da Divisão de Ensino Religioso da Secretaria de Educação.

Com a escolha de Petrópolis como tema de seu desfile em 2019, a Vila Isabel escolheu – depois de uma longa noite de disputa na sexta-feira (29.09) – o samba-enredo que vai a contar a história da Cidade Imperial na Marquês de Sapucaí. A composição assinada por André Diniz, Evandro Bocão, Professor Wladimir, Júlio Alves, Marcelo Valência, Dedé Augusto e Ivan Ribeiro foi a vencedora. André Diniz, que consagrou-se campeão de samba pela 17ª vez, já é conhecido na cidade por ter sido professor em duas escolas petropolitanas.

A Vila Isabel inteira está muito envolvida nesta homenagem a Petrópolis. É uma emoção sem igual ouvir a cidade cantada em um samba enredo e apresentada em um desfile.

A letra é um “viva” à Princesa Isabel e as maravilhas de Petrópolis, fala das cores, dos sons, do Império, das águas cristalinas, dos “Pedros”, do cassino e muito mais. Já na boca dos componentes da escola, o samba vai embalar o desfile que tem como enredo: “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a cidade de Pedro”. A escolha aconteceu na quadra da escola, que estava lotada.

“Eu sabia que tínhamos uma boa margem de vantagem com esse samba, mas foi um processo um pouco angustiante por que também estava envolvido no samba da Grande Rio. Também não fizemos uma boa gravação e isso acabou diminuindo a nossa distância para os outros sambas. Recuperamos o espaço com as apresentações que fizemos na quadra, sobretudo nas últimas duas semanas”, explicou André Diniz, que teve um problema de pressão arterial e não pôde participar do evento.

Segundo o presidente da Vila Isabel, Fernando Fernandes, foi uma escolha difícil, pois o nível estava alto entre os três sambas finalistas. “Fomos muito exigentes. E ainda contratamos um técnico que conhece a Vila Isabel para fazer uma análise dos três sambas”, disse. No total, segundo a escola, foram 18 sambas inscritos.

A festa para a escolha do “hino”, aconteceu em uma noite de muito samba, com a quadra da escola, em Vila Isabel, cheia do início ao fim. O público se divertiu ao som da escola mirim Herdeiros da Vila e também de obras de antigos desfiles, na voz do intérprete Tinga, que retorna este ano à Vila Isabel. Mas a quadra ferveu mesmo com a disputa. “Todos os sambas estavam bons, de grande categoria. Gostei muito do tema Petrópolis. Eu amo samba, estou adorando a festa”, destacou a dona de casa Rosa Silva, moradora da comunidade.

Segunda a desfilar na segunda-feira de folia, a escola já começa seus ensaios na próxima quinta-feira, dia 4 de outubro, a partir 20h, na quadra da azul e branco, no Rio. No lançamento das fantasias em Petrópolis, a agremiação anunciou que também vai realizar ensaios na Cidade Imperial. “Essa integração entre a escola e Petrópolis vai continuar. Até o Carnaval ainda teremos muitas ações em conjunto na cidade. Estamos muito felizes com essa homenagem da Vila Isabel e o samba escolhido para o desfile representa bem parte de nossa cultura. Temos certeza de que Petrópolis dará sorte à escola”, explica o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Leonardo Randolfo.

Confira a letra do samba campeão:

Compositores: André Diniz, Evandro Bocão, Professor Wladimir, Júlio Alves, Marcelo Valência, Dedé Augusto e Ivan Ribeiro

VILA

TE EMPRESTO MEU NOME

FONTE DE TANTA NOBREZA

POR DEUS E TODOS OS SANTOS

HONRE A TUA GRANDEZA

E SUBINDO PERTINHO DO CÉU

A NÉVOA FORMAVA UM VÉU

LEMBREI DE MEU PAI, MINHA FORTALEZA

ESCULPIDA EM PEDRAS, PEDROS

TERRA DOS COROADOS

OS SEUS GUARDIÕES

PROTETORES DE RARO ESPLENDOR

NAS FLORES E ESTRELAS

NAS CORES E SONS

LUAR DO IMPERADOR

 

MEU OLHAR LACRIMEJOU

EM ÁGUAS TÃO CRISTALINAS

UMA CIDADE DIVINA

BORDADA EM NOBRE METAL

A JÓIA IMPERIAL

 

PETRÓPOLIS NASCE COM AR DE VERSALHES

ADORNA A IMENSIDÃO

A LUZ ASSENTOU O DORMENTE

FEZ INCANDESCENTE A IMIGRAÇÃO

NO BAILE DE CRISTAL O TOM FOI REDENTOR

EM NOITE IMORTAL

FIZ NASCER UM NOVO DIA

LIBERDADE ENFIM RAIOU

NÃO VI A SORTE VOAR AO SABOR DO CASSINO

“SEGUNDO O DOM” QUE TECEU O DESTINO

MEU SANGUE AZUL NO BRANCO DESSE PAVILHÃO

O MORRO DESCE EM PROVA DE AMOR

ENCONTRO DA GRATIDÃO

 

VIVA A PRINCESA,

O TAMBOR QUE SE NÃO CALA

E O CANTO DO POVO MAIS FIEL

ECOA MEU SAMBA NO ALTO DA SERRA

NA PASSARELA COM OS HERDEIROS DE ISABEL

A visita de uma comissão da escola de samba Vila Isabel à cidade no último fim de semana revelou detalhes do que está por vir na avenida em 2019. No texto base do samba-enredo, apresentado pelo carnavalesco Edson Pereira ao diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo, a escola mostra que vai exaltar a “imponência” de Petrópolis, seguindo a “imperialidade” da própria escola, que leva o nome da Princesa Isabel e tem a coroa como símbolo. A visita, que passou pelos principais atrativos turísticos do município durante o feriadão de Corpus Christ, serviu para buscar in loco as referências da história de Petrópolis.

“Criamos uma interação direta com ações da escola e da prefeitura para que a cidade se reconheça no desfile. O enredo envolve tudo de melhor da cidade, de uma forma poética. O projeto já está na fase de conclusão, mas a visita era o que estava faltando para fecharmos”, destaca o carnavalesco, que esteve na cidade junto com outras quatro pessoas da equipe da Vila Isabel. Ao longo do ano, outras visitas devem acontecer na cidade.

Sentir o clima do município e conhecer pessoalmente parte da nossa história vai servir para finalizar detalhes do que o público vai ver na Sapucaí durante o desfile da escola, que tem como tema: "Em nome do pai, do filho e dos santos, a vila canta a cidade de Pedro". O Museu Imperial esteve entre os pontos turísticos que mais receberam os olhares atentos do grupo, que tiveram a atenção voltada, principalmente, para as carruagens, as ordens imperiais, o dragão (um dos símbolos do Império), entre outros.

“A visita da escola foi ótima, mostra a preocupação deles com o rigor e a pesquisa para o projeto e a representação da cidade. Na passagem da comissão pelo Museu, mostramos ornamentos, elementos, que vão inspirá-los a produzir o desfile”, frisa o diretor do Museu Imperial, professor Maurício Vicente.

No texto do enredo, que traz um trecho do hino de Petrópolis: “Quem pensa que é feliz em outra terra é porque ainda não viveu aqui”, a escola mostra que pretende resgatar o império da coroa de Vila Isabel, exaltando a história e os corações do “bairro de Noel”, promovendo um encontro com outra coroa, “da Casa Real, destinada a criar uma Cidade Imperial”. O enredo também deverá homenagear os negros e negras que fizeram parte dessa história, que começa com os Pedros – personagens que estão no título do enredo: Dom Pedro I, Dom Pedro II e os dois santos, um que é o padroeiro de Petrópolis e o outro, “cujas águas sempre abençoaram alguns dos desfiles da Vila Isabel”.

O texto fala da Serra da Estrela; dos primeiros habitantes da cidade; das trilhas para as minas; da casa de veraneio da família real; da Catedral São Pedro de Alcântara; dos imigrantes; do Palácio Quitandinha; e até os avanços que o município conquistou ao longo dos anos, como o Laboratório Nacional de Computação Científica, mostrando o futuro da cidade com a ciência e a tecnologia.

“Temos certeza que a história da cidade será muito bem contada, de uma forma lúdica, através desse samba-enredo da Vila Isabel. A prefeitura vem se colocado à disposição para aproximar cada vez mais a escola da cidade. Essa integração é fundamental. A visita deles foi ótima e conhecer, pessoalmente, um pedacinho da nossa história, da nossa cultura, vai contribuir muito para que eles finalizem o projeto”, frisa Leonardo Randolfo, lembrando que o desfile não terá aporte do dinheiro público do município.

Além do Museu Imperial, a comissão também conheceu o Museu Casa do Colono, onde recebeu informações sobre a história da colonização da cidade; o Palácio Quitandinha, com as histórias de quanto ele funcionou como cassino; a Catedral São Pedro de Alcântara, onde participaram também de uma visita guiada; além de outros pontos de Petrópolis, como a Rua Teresa, a Rua do Imperador, entre outros.

Desfile não conta com aporte do dinheiro público do município 

"Em nome do pai, do filho e dos santos, a vila canta a cidade de Pedro". Lançado oficialmente com evento domingo (06.05), em sua quadra, este é o samba-enredo da escola Vila Isabel para o Carnaval de 2019, que tem como tema a cidade de Petrópolis. Sem aporte do dinheiro público do município, com desfile patrocinado pela iniciativa privada, uma das escolas de samba mais tradicionais do Rio vai promover o encontro da Vila Isabel com o período do Império, usando a história de Petrópolis. A realeza ainda vai dividir espaço com a religiosidade, já que o enredo vai falar dos três pedros: D. Pedro I, D. Pedro II e São Pedro de Alcântara, padroeiro do município. Com a quadra lotada, em Vila Isabel, os componentes da escola aprovaram o tema. 

O evento abriu o calendário de eventos da escola. É uma honra para Petrópolis ser homenageada dessa forma. Estamos muito felizes com a escolha do enredo. Ainda mais um enredo da Vila Isabel, essa escola tão especial, que tem tudo a ver com Petrópolis. Eles vão apresentar a cidade para o mundo, no maior Carnaval do planeta. E o município só tem a ganhar, as pessoas vão querer correr para a Serra para ver de perto nossas belezas. E o melhor, o desfile não vai custar nada aos cofres públicos do município”, frisa. 

Os detalhes sobre o que o público vai ver na Sapucaí no ano que vem ainda não foram divulgados, mas a imagem com o tema do samba-enredo revela não só São Pedro de Alcântara e D. Pedro, como a princesa Isabel. O carnavalesco Edson Pereira explicou que a escola vai fazer o máximo para que o petropolitano se reconheça e reconheça a sua história na avenida diante do desfile, que também será um resgate da essência da escola. 

“Pro momento que a Vila Isabel vive hoje, nós precisávamos de um enredo que tivesse a essência da escola. Então estamos fazendo isso como se fosse o encontro da Vila Isabel com o Império, e esse Império se encontra em Petrópolis. E a gente está fazendo tudo isso com muito carinho, não só com essa coisa imperial, como com a religiosidade, que é uma coisa muito forte, singular entre os dois temas. Estou tirando proveito de tudo isso e colocando a cidade de Pedro em evidência”, afirma o carnavalesco. 

A meta da escola, segundo o presidente, Fernando Fernandes, é interagir com Petrópolis. “Vamos traçar ações conjuntas para levar à cidade ensaios e apresentações”. 

A festa de lançamento contou com apresentações dos grupos Deita e Rola, Clareou, além de participações das escolas campeãs deste ano Beija-flor, do Grupo Especial, e Viradouro, do Grupo de Acesso, que foram homenageadas pela Vila Isabel. Além, claro, da apresentação da bateria da escola, mostrando uma prévia da animação para o próximo Carnaval. 

Turismo ganha com enredo 

Os desfiles do Carnaval do Rio são acompanhados por quase 500 mil pessoas, além da transmissão ao vivo para todos os estados do Brasil e mais de 100 países. A festa tem uma movimentação de R$ 3 bilhões apenas na capital, que chega a receber 1 milhão de turistas. A poucos quilômetros de distância do Rio, essa é uma oportunidade de Petrópolis pegar uma carona no sucesso do maior Carnaval de todo o planeta. A escolha do samba-enredo deverá alavancar o turismo na cidade e dar visibilidade ao município, com uma mídia espontânea, sem qualquer gasto aos cofres públicos. 

“No Carnaval, todos os olhos estão voltados pro Rio, pra Sapucaí. Poder mostrar a cidade para tantas pessoas, não só daqui, como de todo mundo, vai trazer uma visibilidade enorme para o município.Vamos conseguir levar nossa cultura e nossas belezas para o mundo, sem nenhum gasto ao município. Nossa economia vai colher os frutos a curto prazo. As pessoas vão querer conhecer a cidade, ver de perto essa história que será contada na avenida”, explicou o secretário da Turispetro, Marcelo Valente. 

Já para o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo, essa será, também, uma grande oportunidade de mostrarmos a cultura e a história de Petrópolis. “Estaremos no maior show da terra. E vamos mostrar nossa história, as pessoas vão conhecer melhor nossa cultura. A escola tem tudo a ver com Petrópolis, com os símbolos marcantes da cidade, presentes também na história da Vila”, disse. 

Com o enredo “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a Cidade de Pedro”, escola é a segunda a desfilar na segunda-feira de Carnaval

O verde aveludado e imponente da carruagem de Dom Pedro II – que atualmente está exposta no Museu Imperial – deu lugar ao azul marcante da Unidos de Vila Isabel no carro inspirado na berlinda de aparato que vai ser o responsável por abrir o desfile da branco e azul na Sapucaí, na segunda-feira de Carnaval. A escola, que escolheu a Cidade Imperial para o enredo de 2019, já está na reta final dos preparativos, com os sete carros que estarão na avenida recebendo os últimos detalhes, e fantasias já sendo entregues para a comunidade. Com o barracão a todo vapor, o trabalho vai retratar, com riquezas de detalhes, a história de Petrópolis, mas não apenas a história famosa com a Família Imperial, como também vai falar das belezas naturais, da luta dos escravos, o progresso com as fábricas, as festas, a influência de outras culturas e muito mais.

No barracão o trabalho não para, dia e noite, para que tudo seja perfeito no dia do desfile. A escola, que vai estar com mais de 3 mil componentes na avenida, com o enredo “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a Cidade de Pedro”, está confiante no título de campeã em 2019 e Petrópolis trouxe a história perfeita para que o carnavalesco Edson Pereira usasse toda a sua imaginação para transformar tudo em arte. “Eu acredito que a Vila vai fazer um grande Carnaval e que Petrópolis vai estar bem representada dentro do que a gente vai fazer plasticamente. Acredito 100% nisso porque a gente está fazendo um trabalho visando esse tipo de reconhecimento do petropolitano”, frisa o carnavalesco.

A cidade do samba está a todo vapor com a preparação para o Carnaval e dentro do barracão da Vila já é possível notar a Cidade Imperial em cada detalhe. O petropolitano vai conseguir identificar, além da carruagem de D. Pedro II, também a Catedral São Pedro de Alcântara, a colonização alemã, as fábricas que ajudaram no desenvolvimento da cidade, o Palácio Quitandinha, o Palácio de Cristal, entre outros. Entre os destaques também está o carro alegórico que vai falar sobre a luta dos negros e o empoderamento da mulher – ele vai trazer, no dia do desfile, a família da vereadora Marielle Franco, feminista e defensora dos direitos humanos que foi assassinada a tiros no Rio de Janeiro, no ano passado.

“A gente trabalha todos os dias e até tarde. O barracão não para, está a pleno vapor nessa reta final”, explica Cesar Carvalho, que trabalha na construção dos carros alegóricos. “Gostei do tema Petrópolis, está ficando muito bonito. Fazemos sempre com muito capricho”, completa Bruno de Freitas, também do barracão.

Petrópolis em cada detalhe

Um dos carros alegóricos mais emocionantes considerados pela escola está o último, que vai encerrar o Carnaval da Vila. Segundo o carnavalesco, ele traz a história da libertação dos escravos, o que está ligado com a história da escola. “Traz os negros acendendo uma luz do dormente da libertação e transforma o baile do Palácio de Cristal, que foi feito para os nobres, em um baile feito para os negros”, explica Edson.

Em um outro carro, a Vila vai mostrar um pouco das culturas que influenciaram a cidade e dos imigrantes que chegaram para trabalhar nas fábricas, como os italianos. Um carro direcionado ao progresso da cidade, que fala também da cerveja e dos alemães. Há ainda outro que retrata o Hotel Quitandinha, com a criação do prédio para ser um cassino. Ele faz um link com os concursos de beleza e o cinema, com vinda de personalidades. Um universo mais abrangente que exporta Petrópolis para o mundo.

Entre os que devem chamar a atenção do público também está o carro que alcança 12 metros de altura, representando os índios coroados. Ao todo são sete carros alegóricos, sendo que o abre alas conta com três carros juntos.

Desde a escolha do tema, a prefeitura vem apoiando institucionalmente a Vila Isabel, com as informações necessárias sobre a cidade e acompanhando os trabalhos da escola. A ideia também é fazer com que os petropolitanos torçam junto pela agremiação.

Enredo 2019 da Vila Isabel, Petrópolis começa a ganhar forma nas alegorias e fantasias que a escola de samba vai apresentar ao mundo no Carnaval do ano que vem.  A cidade, escolhida para ser enredo da agremiação, uma das mais tradicionais, vai se identificar em cada detalhe dos carros e fantasias que a escola está preparando para mostrar a história do município. E serão dois lançamentos dos ‘protótipos’, como o mundo do samba se refere às fantasias que as alas irão levar para a avenida: um em Petrópolis e um no Rio. Na serra, vai ser dia 06 de setembro, no Palácio Quitandinha antecedido pela festa de apresentação, na quadra da escola, no dia 18 de agosto.

Com barracão já a pleno vapor e 200 pessoas atuando na confecção de fantasias, adereços e carros alegóricos, a Vila Isabel quer fazer a diferença com muita atenção e riqueza de detalhes que remetem a Petrópolis e ao Império, desfile que tem como  tema: "Em nome do pai, do filho e dos santos, a vila canta a cidade de Pedro". Os protótipos já foram antecipados para a comissão, de Petrópolis, que acompanha a evolução da construção do enredo.

“Queremos o título de 2019 e estamos trabalhando com bastante antecedência para poder contemplar os detalhes, vai ser um desfile que fará a diferença”, prevê o presidente da escola, Fernando Fernandes. O barracão, sob o comando do carnavalesco Edson Pereira, trabalha feliz na execução das fantasias.  Ana Aparecida e Simone dos Santos, costureiras na escola, estão entusiasmadas com as roupas. “É uma satisfação imensa ajudar a construir o enredo”, conta Ana. Para Simone, a fantasia da ala das baianas é uma das mais bonitas que já produziu. “não canso de apreciar a que já está pronta, é maravilhosa”.

“Vamos fazer um passeio pela história da cidade que é a história do Brasil, vindo desde o Império até a República. É um enredo rico em cultura e um prazer imenso transformar a Sapucaí em um palco em que contamos sobre uma cidade e uma época que fazem parte de nossas raízes”, afirma Edson Pereira.

Ocorrerão eventos integrando a Vila Isabel e Petrópolis para que todos possam participar da construção do desfile e acompanhar também passo a passo esta homenagem.

Com 13 escolas disputando o título no grupo especial, o carnaval do Rio é transmitido para todo o Brasil e mais de 100 países. São 500mil pessoas no sambódromo em todos os dias e desfiles de todos os grupos, uma movimentação de R$ 3 bilhões apenas na capital que chega a receber 1 milhão de turistas.

A escola de samba Vila Isabel – que homenageia Petrópolis no desfile de 2019 -  vai entregar 150 fantasias à Liga dos Blocos e Escolas de Samba de Petrópolis (Libesp) para que sejam distribuídas para o segmento. A informação foi confirmada nesta terça-feira (04.09), em reunião com os representantes de escolas e blocos da cidade. Na ocasião, o prefeito ainda garantiu que também serão entregues 400 convites para a festa de lançamento dos protótipos – o modelo das fantasias, que será realizada no dia 21 de setembro, no Palácio Quitandinha. 

O objetivo é fazer com que a comunidade do samba na Cidade Imperial se envolva com o desfile da Vila Isabel, que levará para a avenida o enredo “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos. A Vila canta a Cidade de Pedro”, contando a história de Petrópolis para o mundo. Será uma justa homenagem ao município e não tem porquê o segmento de samba não estar a frente disso. Esse desfile será muito importante e vai trazer para a cidade diversas pautas positivas relacionadas ao samba. Mas a prefeitura quer que tudo isso chegue lá na ponta, que vá até as comunidades, que envolva a todos.

Desde que surgiu a possibilidade da agremiação falar sobre Petrópolis em seu enredo, o município veio fortalecendo as relações com a escola. Apesar de não haver investimento dos cofres públicos da cidade, o governo vem auxiliando a escola em, por exemplo, pesquisas e ações em conjunto. Para o presidente da Libesp, Mestre Ivo, a união é fundamental. “É o momento de a gente se unir. É importante que, a gente, do samba, aproveite isso. E queremos levar esse movimento para as comunidades”, explica.

A Vila Isabel vai ser a segunda escola a desfilar, na segunda-feira de Carnaval. Parte do que servirá para contar a história de Petrópolis, desde a época do Império até os avanços nas novas tecnologias, serão apresentadas este mês, no dia 21, com o lançamento dos protótipos – como o mundo do samba se refere às fantasias. 

“A escola tem grandes possibilidades de voltar ao Desfile das Campeãs com esse enredo homenageando Petrópolis. Vai ser muito importante para a cidade ver sua cultura representada na avenida. E queremos que a cidade se envolva. A escola já avisou que está de portas abertas para receber os petropolitanos”, destaca o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo.

Seresteiros vão embalar a comunidade nesta quinta-feira (25.05), às 19h          

O Petrópolis em Serenata está de volta e começa nesta quinta-feira (25.05) a levar as belas composições do cancioneiro popular às comunidades do município. A Vila Operária de Cascatinha será a primeira a receber o grupo de seresteiros, às 19h, em uma homenagem a Silvio Caldas. Os músicos apresentarão canções como Chão de Estrelas, Deus da minha rua, Cabelos cor de prata, Serenata, Noite cheia de estrelas, entre tantas outras que vão embalar a noite dos petropolitanos no bairro. A apresentação é gratuita.

Criado há 16 anos, o Petrópolis em Serenata nasceu com o objetivo de resgatar a serenata, um estilo musical antigo muito comum nas cidades do interior e também em Petrópolis. O projeto itinerante leva uma vez por mês a música aos bairros, comunidades e distritos de Petrópolis. Os seresteiros percorrem as ruas da cidade cantando e encantando os moradores da localidade escolhida.

“Nosso foco é resgatar e preservar esse estilo musical, que é a verdadeira poesia musicada. As pessoas gostam muito, os mais antigos e também os mais jovens que ficam curiosos com esse estilo”, comenta José Lacerda, coordenador do projeto e idealizador junto com César Olímpio.

Além do resgate e valorização da serenata, o projeto homenageia a cada edição os grandes compositores desse estilo. Nesta primeira apresentação, que marca o retorno do projeto à programação cultural  petropolitana, Silvio Caldas será o grande destaque da noite. Cantor e compositor que teve uma das mais longas carreiras artísticas no Brasil, Silvio Caldas foi considerado pela crítica e pelo público um dos quatro grandes cantores da chamada “Era do Rádio”.

Nesta quinta, as canções que marcaram a “geração do rádio” serão interpretadas pelo grupo de seresteiros do Petrópolis em Serenata formado por Alberto Magalhães, Geralda Nascimento, Sergio Luiz, Zilda Helena, Badeco (cavaquinho), Carlos Gil (violão seis cordas) e José de Araújo (violao sete cordas). 

Um novo Centro de Cultura Raul de Leoni abre as portas nesta quarta-feira (30/3): as obras de reforma do espaço, que agora conta com paredes internas cobertas por obras feitas por artistas locais com grafite, retratando aspectos culturais da cidade, e novos equipamentos urbanos na área externa, serão inauguradas. Para comemorar as mudanças, a Prefeitura, por meio da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis (FCTP), promove, a partir das 19h, o primeiro Viradão Cultural da cidade, que terá 24 horas de atividades de música, dança, exposição e sessões de cinema.

Nesta quarta-feira (30), o Viradão Cultural começa com o show do DJ Marcelinho da Lua (às 19h). O Centro de Cultura será inaugurado com uma projeção gráfica na fachada do prédio (mapping), às 20h. Depois, às 21h, será a vez da apresentação da Tribo de Gonzaga. À noite, as atividades serão mantidas apenas na área interna, com exposições, exibição de vídeos, recital de poesias e uma apresentação intimista do espetáculo En’Canta Noel, com músicas e histórias de Noel Rosa.

Durante a quinta-feira (31), a programação prevê atividades tanto na área externa quanto na área interna do Centro de Cultura, com shows, exibição de filmes, cine debates e exposições. A programação conta, ainda, com sarau e serenata, apresentação de corais e contação de histórias. A Praça Visconde de Mauá será palco de atividades como meditação, ioga, alongamento, zumba e também o “Dia do Desapego” (momento de trocar coisas que você não quer mais).

“Este é um momento de transformação e democratização da cultura de Petrópolis. Tenho a certeza que as pessoas irão se apropriar do espaço, que, por muitos anos, ficou desarticulado do restante do processo de construção da cultura na nossa cidade. Ver esta ideia saindo do papel me deixa extremamente feliz”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

“Estamos oferecendo ao público opções culturais e de lazer diversificadas. Este é um momento especial, em que estamos não apenas mobilizando e buscando unir ainda mais a classe artística da nossa cidade, mas também propondo uma nova forma de ocupar espaços públicos”, afirmou a presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, Drica Madeira.
 

PROGRAMAÇÃO DE INAUGURAÇÃO:

19h – DJ Marcelinho da Lua

20h – Mapping + Inauguração

21h – Tribo de Gonzaga

22h – Vernissages:

Mulheres Negras – Bea Corradi (Galeria Van Dijk); Exposição Coletiva Múltiplo Feminino - Rane Bessa, Raquel Vargas, Gabriela Barenco. Curadoria: Anívio Laranja (Espaço Alternativo); Uma história viva – fotos arquivo (Galeria Djanira); Coletânea de Artistas Plásticos - Peróla Bonfati, Anderson Ramalho, Marcelo Lago e Fernanda Lago (Galeria Aloisio Magalhães)


Centro de Cultura – Sala de Cinema Humberto Mauro

0h às 4h – Exibição de filmes sobre a ditadura

12h – Curtas metragens (cine debate)

14h – Coletivo AMAPÔ (cine debate)


Centro de Cultura - Teatro Afonso Arinos

1h30 – Peça teatral

3h – Apresentação de dança

11h30 – Apresentação de dança de rua

15h – Teatro infantil


Praça Visconde de Mauá – Gramado

7h30 – Aulão de Ioga: Meditação - Ioga –Alongamento com Geovana Paraízo

9h – Zumba – Erika Fonseca

15h – Dia do desapego


Centro de Cultura – área de convivência

0h – Em’Canta Noel

1h30 – Sarau

17h – Roda CDC


Centro de Cultura - escadaria interna

13h – Princesas de Petrópolis

18h30 – Coral CDDH


Centro de Cultura – Biblioteca Gabriela Mistral

9h às 11h – Contação de Histórias


Praça Visconde de Mauá – palco externo

15h – Voz e Violão