O projeto Petrópolis em Serenata deste mês chega à Comunidade do Gulf, na quinta-feira (23.08), a partir de 19h. Desta vez, o homenageado é o compositor e poeta Hermes Fontes. Os seresteiros e seresteiras começam a percorrer o bairro cantando e encantando os moradores a partir do número 259 da Rua Armando Fragas Nogueira. O grupo também passa pelas ruas João Macedo e Alcebiades Lopes.

Os músicos se reúnem mensalmente para levar música aos bairros de Petrópolis. Sempre homenageando nomes que têm relação com o estilo apresentado por eles ou com a localidade da apresentação. O projeto conta com instrumentistas, cantores, além de um grupo de apoio. Ao longo de 17 anos, já foram mais de 400 apresentações. Na edição deste mês, o saudoso Hermes Fontes será homenageado, com canções como “Luar de Paquetá”.

“Retornar mais uma vez a esta bucólica comunidade, que sempre recebeu o nosso projeto de braços e corações abertos, é motivo de muita emoção”, frisa o coordenador do Petrópolis em Serenata, José Lacerda.

Em caso de chuva, a serenata acontece dentro do Centro Comunitário do Divino Espírito Santo. As próximas edições do projeto acontecem no Morin, no dia 27 de setembro, e na Mosela, em 25 de outubro.O projeto itinerante leva, uma vez por mês, música às mais diversas localidades de Petrópolis. Eles circulam entoando clássicos do cancioneiro popular. O projeto tem como objetivo resgatar este estilo musical antigo, comum nas cidades do interior e também em Petrópolis.

“É muito importante que a gente fomente cultura nos quatro cantos da cidade. E projetos como esse nos ajudam a descentralizar as ações e proporcionar esse contato com a música em todos os distritos”, destaca Leonardo Randolfo, diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), parceiro no projeto.

O Parque Municipal, em Itaipava, recebe, a partir desta quarta-feira (19.09) até domingo (23) a 33ª Exposição Estadual do Cavalo Mangalarga Machador do Rio de Janeiro. Com entrada gratuita, o evento traz para a cidade exposição e competições com cerca de 400 animais e 250 criadores vindos de diversos estados do país, além de um “Leilão de Elite”, com transmissão ao vivo, com a expectativa de movimentar R$ 3,5 milhões. Além de ser um dos mais importantes eventos da raça no estado, a Exposição também deverá movimentar a economia local e encher hotéis da região.

Realizado pela Associação dos Criadores do Cavalo Mangalarga Machador do Estado do Rio, com parceria da prefeitura, através da Turispetro, a escolha de Petrópolis para a realização do evento vem das condições favoráveis na cidade, como a estrutura do Parque Municipal, que tradicionalmente recebe exposições de animais, além da infraestrutura no entorno, com restaurantes, comércio e hotéis.

O cuidador do haras Ecila, da cidade Itanhandu, em Minas Gerais, Moacir Andrade, está entre estes visitantes e explicou que o haras onde trabalha trouxe quatro animais para a competição. Ele elogiou o espaço do parque.

"A gente roda várias cidades, mas aqui em Petrópolis o espaço do Parque Municipal é excelente. Mais confortável para os cavalos e também para a nossa equipe. O clima é bastante ameno, o que também contribui para a adaptação dos animais. Chegamos um dia antes por causa do estresse causado pela viagem para os cavalos. Com um dia de antecedência, eles ficam prontos para competirem”, explica ele, que está pela segunda vez em Petrópolis.

            Ao longo do evento, haverá campeonato de marcha, campeonato de morfologia e provas hípicas, que podem ser acompanhadas pelo público. O ponto alto será o leilão, no sábado (22.09), às 18h30. “É um leilão muito importante para a raça. Temos a expectativa de arrecadar mais R$ 3 milhões”, destaca o organizador do evento, Marcelo Sarzedas

Quarta, 05 Setembro 2018 - 18:43

Pontos turísticos de portas abertas no feriado

O feriado de Independência deverá movimentar Petrópolis com a chegada de turistas, que vão encontrar a maioria dos atrativos da cidade de portas abertas. Museus, Palácio de Cristal, parques naturais, igrejas e restaurantes funcionarão normalmente durante o período de folga prolongada, de sexta-feira (07.09) a domingo (09.09). Já para quem prefere o circuito de compras, a Feirinha de Itaipava abre todos os dias, assim como os shoppings do distrito, e a Rua Teresa está autorizada a funcionar tanto no feriado, quanto no domingo, com funcionamento normal no sábado.

“Já estamos com muitos hotéis lotados para o feriado. Nossa expectativa é de receber muitos visitantes de cidades próximas, como do Rio de Janeiro, que aproveitam esses três dias de folga para relaxar em Petrópolis. Por isso, vamos estar com os atrativos funcionando normalmente, além de toda rede hoteleira e gastronômica a todo vapor”, destaca o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

Entre os museus, a antiga casa de veraneio de Dom Pedro II, o Museu Imperial, abre durante todo o fim de semana, de 10h30 às 18h, sendo que a bilheteria funciona de 10h às 17h. No feriado e no sábado tem Sarau Imperial, às 18h30, assim como o Som & Luz, às 20h. Outro imóvel histórico na cidade, o Museu Casa de Santos Dumont também estará pronto para receber os turistas e petropolitanos durante a folga. Ele abre de 9h às 17h30, sendo que a bilheteria fecha às 17h. Outros museus também estão na lista, como o Museu Casa do Colono, funcionando de 8h30 às 16h; e os museus de Cera e de Porcelana, de 10 às 17h na sexta e no domingo, e de 10h às 18h no sábado.

Outro atrativo dos mais procurados na cidade, o Palácio de Cristal vai abrir de 9h às 21h na sexta e no sábado, e de 9h às 18h no domingo. No fim de semana, o local recebe o Petrópolis Beer Festival, um festival de cerveja artesanal, de 06 a 08 de setembro, e ainda atrações do Dançar por Dançar, com mostras de danças, oficinas. Além disso, atrativos como Casa da Ipiranga, Centro Cultural Estação Nogueira, Casa Stefan Zweig, La Grande Vallée (“Casa do Pequeno Príncipe”), Palácio Amarelo, Palácio Rio Negro, Palácio Quitandinha, Trono de Fátima, igrejas, como a Catedral São Pedro de Alcântara, entre outros, também estarão de portas abertas durante todo o feriadão.

Parques naturais também devem ficar movimentados

Quem preferir passar o feriado junto à natureza também pode optar por um dos parques naturais da cidade. No Centro Histórico, a recomendação é pelo Parque Natural Municipal Padre Quinha (Parque da Ipiranga), que funciona durante todo feriadão, de 8h às 17h. Já no Independência, o Parque Cremerie abre de 8h às 17h. No Bonfim, a entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos abre de 8h às 17h. E, em Itaipava, o Parque Municipal vai funcionar todos os dias a partir de 7h, sendo que o local também recebe a segunda edição da Oktoberfest Imperial, um evento de gastronomia e cerveja, com atrações culturais.

Polos de moda são opção no feriadão

A Feirinha de Itaipava, umas das principais atrações do circuito de compras de Petrópolis, vai funcionar durante todo feriado prolongado, de 10h às 19h. Shoppings do distrito também abrem normalmente. Já a Rua Teresa abre no sábado, de 9h às 18h, e na sexta e no domingo o comércio está autorizado a funcionar, até às 16h, ficando facultativo para cada loja. Nos shoppings do Centro Histórico, o funcionamento no sábado será normal, de 9h às 19h, e na sexta e no domingo é facultativo. Já os mercados funcionam normalmente.

O Quarteto de Cordas da Universidade Federal Fluminense se apresenta nesta quinta-feira (27.09), às 20h, no Theatro D. Pedro. Com entrada gratuita, o grupo propõe uma viagem pela música apresentando um repertório híbrido, começando no Império Austro Húngaro de Mozart, passando pela brasilidade de Ernst Mahle, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Pixinguinha, chegando ao compositor e bandoneonista argentino Ástor Piazzolla.

Com o objetivo de difundir a música de concerto, a instituição, através do seu Centro de Artes, percorre com seus grupos de música de câmara diversos municípios do estado do Rio de Janeiro e neste mês chegou a vez da Cidade Imperial. Atualmente, a formação do quarteto conta com os músicos Tomaz Soares (1º violino), Ubiratã Rodrigues (2º violino), Nayran Pessanha (licenciado), Jessé Pereira (violista convidado) e David Chew.

Criado em 1984, o Quarteto de Cordas da UFF busca, desde então, divulgar a música de concerto e realizar um trabalho de pesquisa acerca dos repertórios para formação de público, integrando projetos na própria UFF, realizando workshops e masterclasses em outras universidades públicas e se apresentando em espaços culturais, salas de concerto e teatros de Niterói e do estado do Rio. A instituição é a única universidade pública brasileira a ter em seu quadro funcional um quarteto de cordas com mais de 30 anos de existência.

“Temos ficado muito felizes com as atrações do Theatro D. Pedro, recebendo em seu palco espetáculos de qualidade, como será esse belíssimo concerto do Quarteto de Cordas da UFF. Além disso, a entrada franca é fundamental para garantir que a cultura chegue a todos”, destaca o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Leonardo Randolfo.

No programa do concerto estão obras como “EineKleineNachtmusik” ou “Uma Pequena Serenata Noturna”, de Mozart; “Carinhoso”, de Alfredo da Rocha Vianna Filho; “Eu sei que vou te amar”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, entre outras.

Serviço

Quarteto de Cordas da UFF

Theatro D. Pedro

27 de setembro de 2018, 20h

Entrada Franca

A quase uma hora - de carro - do Centro Histórico, os moradores do Quilombo da Tapera, no Vale da Boa Esperança, em Itaipava, não vão precisar percorrer nem cinco minutos para viajarem para outras terras ou embarcarem nas mais diversas histórias. O efeito transformador que vem junto com a chegada da literatura deverá, agora, ficar mais próximo das 13 famílias do local, descendentes de escravos. Um projeto para a instalação de uma biblioteca comunitária, no centro de convivência da comunidade, feito de pau a pique, começa a virar realidade com o cadastro da nova instituição no Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio. A aproximação do sistema com a comunidade foi feita através do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE)

Na última semana, bibliotecárias do programa estadual, representantes do Instituto e do Gabinete da Cidadania visitaram o local e levaram caixas com doações dos mais diversos livros. A comissão foi recebida por um grupo de mulheres, representantes dos quilombolas, que estão ansiosas pela inauguração da biblioteca e têm buscado angariar donativos para pôr o projeto em prática. A ideia é tornar do lugar, que já conta com algumas atividades e eventos da comunidade, um ponto de leitura, além de receber ações culturais, como contação de histórias para as crianças e projetos voltados para os idosos.

A comunidade, que hoje conta com cerca de 60 pessoas, começou a ser formada em 1847, quando duas escravas da antiga Fazenda Santo Antônio receberam por doação do dono um pedaço de terra. Hoje, a tataraneta de uma delas, Eva Lucia Casciano, diretora cultural da comunidade, é quem lidera o projeto para a instalação da biblioteca. “A leitura é transformadora. As pessoas ficam mais seguras, conseguem pensar por conta própria. A criação da biblioteca já era uma antiga vontade nossa, porque também será um espaço onde vamos falar mais sobre a nossa cultura. E ainda vai ajudar as pessoas mais velhas, que não tiveram a oportunidade de estudar”, explica ela.

Em 2011, ano em que comunidade foi reconhecida pela Fundação dos Palmares como Quilombola, as casas foram destruídas, meses antes, pela tragédia com as chuvas que devastou o Vale do Cuiabá. Por conta disso, as famílias precisaram ser levadas para outro local, mas que também faz parte do terreno doado às duas escravas. Hoje, as famílias em um local de difícil acesso, no final de um condomínio, no Vale da Boa Esperança. Com a biblioteca, os moradores terão mais oportunidades de contato com a cultura.

“A Biblioteca Municipal já é cadastrada no Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, então tive a ideia de fazer essa ponte entre a comunidade e a secretaria de estado para que a biblioteca comunitária deles também seja. E sempre que a comunidade precisar estaremos a disposição para ir ao local e ajudar com a biblioteca”, frisa a bibliotecária Maria Luísa Rocha Melo, há 24 anos à frente da Biblioteca Municipal Gabriela Mistral.

Segundo a bibliotecária Barbara Aguiar, do Sistema, essa é a primeira vez que elas visitam uma comunidade Quilombola. “É uma experiência nova pra nós. É diferente por conta da cultura que precisa ser aflorada aqui. E elas querem isso pra comunidade, isso é muito importante. Nós prestamos assessoria para todas as bibliotecas públicas do estado. Aqui em Petrópolis, mostramos pra comunidade como colocar a biblioteca em prática e trouxemos uma doação de 400 livros de literatura geral”, explicou.

“É muito importante vermos essa vontade da comunidade de fomentar cultura, de buscar por isso. Nós, do poder público, precisamos apoiar e incentivar essas ações. E a leitura é algo que precisa estar ao alcance de todos. É a melhor maneira de adquirir conhecimento”, destaca o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo.

A instituição apresentou possibilidades de profissionalizar e melhorar o mercado local

Mais de dez cursos profissionalizantes nas áreas de turismo, eventos, hotelaria e hospitalidade foram apresentados pelo Senac-RJ, durante a reunião do Conselho Municipal de Turismo (Comtur) que aconteceu nesta segunda-feira (01.10) na Casa da Educação. Na ocasião, também foi apresentada a participação de membros do conselho no Festival do Imigrante na Argentina, além das discussões de ações do Comtur visando melhorias para melhor atender ao município.

Representando o Senac-RJ, Marília Hills, mostrou detalhes e novidades sobre as novas vagas disponíveis na instituição e também das atualidades do mercado. “Oferecemos esta ampla programação de cursos para essas áreas, com o objetivo de que haja um crescimento no turismo do município, além de serviços qualificados”, contou Marília. A agenda completa dos cursos está disponível no site www.rj.senac.br.

Os participantes também ressaltaram os cursos profissionalizantes gratuitos oferecidos pela Faetec Petrópolis, com inscrições até a próxima quinta-feira (04.10) através do site http://www.faetec.rj.gov.br.

Em seguida, Marcos Carneiro apresentou sua experiência no Festival do Imigrante que aconteceu no mês de setembro em El Dorado, na Argentina, onde realizou uma palestra sobre Petrópolis, explanando as questões germânicas, desde a história até os dias de hoje, com a Bauernfest. De acordo com Marcos, o evento contou com 23 palestras todas sobre a influência alemã, com um rico conteúdo cultural. “As pessoas ficaram encantadas com a magnitude que a Bauernfest tem no país. Conseguimos parcerias e ver de perto como são produzidos os eventos germânicos em vários outros lugares do mundo”, contou Marcos.

“Conseguimos abordar aspectos importantes para o turismo local e principalmente conhecer as possibilidades de qualificar os serviços oferecidos no município. O Comtur sempre tem o objetivo de discutir e trocar idéias para melhorar o turismo na cidade trazendo também melhorias para os empresários” ressaltou o presidente do Comtur Marcelo Florêncio.

Mais de 30 pessoas participaram da reunião do Conselho Municipal de Turismo (Comtur) nesta segunda-feira (03.09) na Casa da Educação. No encontro foram apresentados os argumentos do Instituto Histórico de Petrópolis (IHP) para a permanência das vitórias na cidade. Também foram discutidas ações do Comtur, como a criação dos grupos de trabalho para melhor atender ao município.

A professora Vera Abad ministrou a palestra representando o IHP, onde apresentou vários slides com os dados históricos, defendendo que não seja encerrada a atividade da charrete, questão que será decidida no plebiscito no próximo mês. “Trago aqui a opinião do IHP, todas as informações têm base em dados. As vitórias fazem parte da paisagem de Petrópolis desde sempre. Queremos preservar a tradição”, relatou Vera Abad.

Durante o encontro, Vera mostrou o envolvimento das charretes em todo contexto histórico no município e até em outros países. Segundo a professora, as outras regiões ligam às vitórias a algo que mexa com a fantasia do turista, remetendo a atração à princesas e príncipes. “Precisamos ter o foco no valor das charretes que fazem parte da história e cultura da cidade. Essa atmosfera imperial que atrai os turistas. São símbolos que Petrópolis possui como as pontes vermelhas e a torre da Catedral. As charretes são um apelo turístico que várias cidades do mundo têm. Precisamos dar infraestrutura para os charreteiros e não acabar com eles. O plebiscito não é para cuidar dos animais e sim para encerrar a atividade”, contou a professora.

“As questões que foram apresentadas pela professora Vera representando o IHP, foram bem discutidas pelo conselho, onde cada participante conseguiu expor seu ponto de vista, além de sugerir ações de melhoria para a questão das vitórias”, disse o presidente do Comtur Marcelo Florêncio.

Durante a Reforma Protestante, no século XVI, a música ganhou destaque na cultura alemã e passou a ser usada como ferramenta de instrução e edificação da igreja. E é por isso que atrações musicais não poderiam faltar na programação da Semana da Língua Alemã, que acontece entre os dias 05 e 14 de abril. Já estão confirmados um concerto do Coral dos Canarinhos só com obras em alemão, na Igreja do Sagrado, e um concerto barroco alemão de órgão na Igreja Luterana. A Semana, que está em sua 4ª edição no país, será realizada pela primeira vez em Petrópolis.

O evento vai contar ainda com palestras, apresentação de grupos folclóricos, exposição de trajes típicos, contação de histórias, entre outras atividades, todas gratuitas.

O concerto dos Canarinhos acontece no dia 12 de abril, às 20h. E o de órgão será realizado no dia seguinte, 13, às 19h. Os dois terão entrada gratuita e a expectativa é de encher as igrejas. “A música está muito ligada à cultura alemã. A Reforma Protestante levou a música para dentro das igrejas. Podemos dizer que isso, na época, foi até um ‘escândalo’. É muito importante termos essas apresentações durante a Semana da Língua Alemã”, explica o diretor de eventos da AGFAP, Marcos Carneiro.

Em todo país, a Semana vai contar com 550 eventos, partindo da ideia de que uma língua abre portas para entender melhor a cultura de outros países. A realização é das Embaixadas da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e Suíça – em cooperação com seus consulados e parceiros culturais no Brasil. Em Petrópolis, o evento será aberto no Palácio de Cristal, mas a será lançado oficialmente no dia 16 de março, aniversário do município, com um jantar de comida típica alemã no Clube Magnólia (informações sobre reservas podem ser obtidas através do telefone: 24-22423965).

O evento em Petrópolis, que é apoiado pela prefeitura, através da Turispetro, é organizado pela Federação dos Centros de Cultura Alemã do Brasil (FECAB), o Clube 29 de junho, o Instituto Bingen, e a Associação dos Grupos Folclóricos de Petrópolis (AGFAP).

Petrópolis viveu, em seis dias de festa, a cultura italiana com a Serra Serata, que terminou neste domingo (23.09), com o Palácio de Cristal lotado, inclusive com centenas de turistas. Foram apresentações musicais, com shows como da italiana Mafalda Minnozzi, teatro, dança, além, claro, da gastronomia típica, que foi um dos pontos altos do evento. A prefeitura estima que mais de 15 mil pessoas tenham passado pela Festa Italiana de Petrópolis, com o movimento maior no fim de semana. Fora da alta temporada, hotéis e pousadas do Centro registraram uma ocupação de cerca de 75%, de sexta a domingo.

A Serra Serata contou com sete barracas de alimentação – com massas, doces italianos, vinho, entre outros, além de uma com o artesanato local. Enquanto as atrações culturais aconteciam no interior do Palácio, nos jardins uma gôndola com o seu gondoleiro fazia o público entrar no clima da festa. Quem prestigiou o evento disse ter aprovado. “Adoro a cultura italiana meus avós eram da Itália. Chegamos na cidade, eu e o meu marido, ficamos sabendo da festa e logo viemos, está muito legal”, explica a analista judiciária Juraci Souza, moradora de Vitória, no Espírito Santo.

Entre as atrações culturais, os destaques ficaram por conta de shows, como da italiana Mafalda Minnozzi; do cantor Renato Gabbiani, com suas interpretações de canções italianas; tributos a Laura Pausini e Eros Ramazzotti, entre outras.

Abertura oficial da Semana da Pátria 2018

A prefeitura fez uma homenagem aos pracinhas petropolitanos durante a solenidade que marca oficialmente o início das comemorações em homenagem ao Dia da Independência do Brasil – nessa sexta-feira (31.08) na Praça dos Expedicionários.É o momento em que se reafirma o orgulho pela história do país e se relembra no monumento dos Pracinhas que petropolitanos lutaram pelo Brasil e merecem todo o reconhecimento. É um momento importante, quando se enaltece o civismo. Petrópolis enviou para a guerra 204 pracinhas e cada um deles têm a sua marca registrada na história do país.

Ao som do Hino do Brasil, foram hasteadas as bandeiras do Brasil, do Estado do Rio de Janeiro e de Petrópolis. Na ocasião,  a prefeitura colocou junto com a Guarda de Honra da Guarda Civil e o tenente-coronel Ronald Mandim, comandante do 32º Batalhão de Infantaria Leve Montanha, uma coroa de flores no monumento que homenageia aos pracinhas petropolitanos.

“Essa é uma cerimônia importante quando lembrando daqueles que lutaram pelo nosso país. Todas as crianças devem conhecer essa parte importante da história. Ainda hoje estamos no processo de construção da nossa independência e as comemorações durante a Semana da Pátria reafirmam o nosso compromisso com a nossa Pátria. O amor e orgulho que temos pelo Brasil e por Petrópolis”, afirmou o comandante do 32º Batalhão de Infantaria Leve Montanha.

Na ocasião, o professor Joaquim Eloy, do Instituto Histórico de Petrópolis, agradeceu a prefeitura pela realização da abertura da Semana da Pátria na Praça dos Expedicionários.

“Essa é uma homenagem a todos que lutaram pelo nosso país. Parabenizo a prefeitura por fazer pelo segundo ano consecutivo essa homenagem nesse monumento que foi erguido pela sociedade petropolitana em homenagem aos nossos pracinhas. Sem dúvidas todos aqueles que lutaram o fizeram de forma digna e merecem essa homenagem. O monumento homenageia os cinco pracinhas petropolitanos que morreram na guerra e foi erguido por Luis Afonso de Miranda, Alberto Becker, Paulo Gerônimo dos Santos e pelo meu pai, Joaquim Gomes dos Santos”, contou.

A cerimônia também contou com a participação de secretários municipais, vereadores e autoridades civis e militares.

Programação especial: desfile no Parque Municipal e no Centro Histórico

A programação em homenagem ao Dia da Independência, contará com desfile no Parque Municipal, em Itaipava, no dia 2 de setembro (domingo), às 9h e o tradicional desfile no Centro Histórico no dia 7 de setembro.

Nos distritos o momento cívico acontece no próximo domingo (02.09) no Parque de Exposições, em Itaipava. O evento contará com participação de 800 pessoas, entre alunos de escolas municipais, bandas marciais, escoteiros e Bombeiros Civis.

Já o tradicional desfile no dia 7 de setembro está marcado para começar às 9h com o desfile das tropas militares. Aproximadamente 1.250 pessoas participarão do desfile. A concentração dos participantes acontecerá às 8h15 na Rua Barão de Teffé com adjacências do Bosque, Rua Epitácio Pessoa e Rua D. Pedro I. O trajeto do desfile será a Rua do Imperador – lado par – na altura do Colégio D. Pedro II, com a dispersão próximo à Lanchonete Tony’s.

Pagina 6 de 244