Defesa Civil reuniu representantes de Nudecs, que receberam certificados e kits

Fortalecer a cultura da prevenção e ampliar ainda mais as ações para tornar Petrópolis mais resiliente: com este foco, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, realizou uma série de atividades nesta terça-feira (29/11). Durante o evento, realizado no Instituto Teológico Franciscano, o fortalecimento dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) foi uma das principais pautas.

Os representantes dos Nudecs receberam, além de certificados de formação, kits para ampliarem a capacidade de trabalho. Os representantes dos núcleos terão novos coletes, capacetes, lanternas, camisas e megafones. “Hoje é o Dia Municipal de Redução de Risco de Desastre. O Plano de Contingência para o verão 2022/2023 foi planejado para fazer com que Petrópolis seja uma cidade cada vez mais resiliente e preparada”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

O evento contou com a presença do diretor-geral da Defesa Civil estadual, coronel Albino Lourenço, que ressaltou: uma cidade resiliente começa com a ação de cada cidadão. “Na presente data, devemos pensar nas ações que cada pessoa pode e deve fazer em situação de emergência, onde a população tem que ter em mente a premissa: como posso auxiliar a tomada de decisão para prevenção de desastres no município em que resido? Encontrando assim, como resposta, ações de prevenção de risco”, disse.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers, destacou a importância de estimular a cultura de prevenção e redução de desastres no município. “Esta data é para fomentar a cultura de prevenção e redução de desastres no município. Iniciativas como este evento, contribuem para incentivar isso em cada pessoa”, disse.

Também foram homenageados os parceiros e apoiadores do processo de fortalecimento dos Nudecs: o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH); Cáritas do Brasil; Cáritas Alemanha; Plataforma Abrace uma Causa.

Defesa Civil orientou os comerciantes para que possam se preparar em casos de chuvas forte e inundações, evitando assim possíveis perdas e danos em suas lojas

A equipe da Defesa Civil apresentou aos comerciantes do Centro Histórico, nesta segunda-feira (28/11), o Protocolo de Inundação. Os agentes orientaram sobre como os lojistas devem proceder em casos de chuvas fortes e inundações. O evento ocorreu no Centro de Cultura Raul de Leoni.

"Estamos consolidando e ampliando as ações de proteção e resiliência, e isso inclui os lojistas, que merecem a nossa atenção, pois são atores importantes para o desenvolvimento do município. Este é mais um passo em prol de uma cidade mais resiliente", disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Ainda como parte da ações, a partir de agora, os lojistas contam com um canal direto com a Defesa Civil. Eles vão receber informes da Defesa Civil direcionados sobre a área, para que possam se preparar para qualquer ocorrência, evitando assim possíveis perdas e danos em suas lojas.

“Esta é uma ação de suma importância não só para os lojistas, mas também para a equipe da Defesa Civil como um todo. Para a equipe técnica, é imprescindível saber que os lojistas estão cientes de como agir nessas situações, pois eles [comerciantes] serão os replicadores para turistas e transeuntes. Ou seja, tocou a sirene, o que fazer? É saber que tem um tempo resposta até que a água chegue até o Centro. Este tempo resposta foi definido através do estudo da equipe técnica da Defesa Civil.", disse o Secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers.
O Protocolo de Inundação é uma ação que integra o Plano de Contingência para as chuvas de verão 2022/2023, com o objetivo de construir uma cidade cada vez mais resiliente.
"Esse treinamento para os lojistas do Centro Histórico traz realmente maior capacidade para nós, comerciantes, para atuarmos em meio ao caos. Saber o que fazer e quanto tempo temos para agir tem uma significância enorme para o comerciante, que em situações de enchentes, sabe que pode perder toda sua mercadoria, todo o seu ganha pão. Isso é uma preocupação a mais pra gente, e com certeza estando treinado e ciente do tempo de ação, nos sentimos amparados em um momento de tanta tensão", disse Gisele Carvalho, lojista do Centro Histórico.

Criado neste ano pela Prefeitura, conselho decidirá uso de fundo de R$ 1,5 milhão

Petrópolis teve na última semana um grande marco na história da cultura da prevenção de desastres das chuvas da cidade: a primeira reunião do Conselho Municipal de Defesa Civil.

Poder público, sociedade civil e representantes de instituições envolvidas com o tema juntos, na Casa de Educação Visconde de Mauá, debatendo políticas públicas para a Defesa Civil da cidade.

“Aqui é um espaço de participação popular. Um espaço para buscarmos juntos soluções para a questão das chuvas na cidade. Juntos, buscaremos que todos os cidadãos incorporem a cultura da prevenção. Acho que poderemos criar, no conselho, uma câmara técnica para discutir a questão da resiliência nas escolas. Temos que pensar também na presença das agentes comunitárias de saúde e de endemia no conselho, que são agentes que têm muita capilaridade na cidade. E quanto aos Nudecs (Núcleos Comunitários de Defesa Civil), eles precisam ser cada vez mais instrumentalizados”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Presença das comunidades no conselho

O Conselho Municipal de Defesa Civil foi criado pela Prefeitura neste ano. Entre as atribuições do conselho será decidir o uso dos recursos do Fundo Municipal de Defesa Civil – regulamentado pela Prefeitura também neste ano.

Para todo o ano de 2022, a gestão anterior do município definiu um orçamento de cerca de R$ 200 mil para a Secretaria de Defesa Civil. Já para 2023, a atual gestão está orçando, somente para o Fundo de Defesa Civil, R$ 1,5 milhão – recursos que terão o uso decididos pelo Conselho Municipal de Defesa Civil.

O presidente do conselho é o secretário de Defesa Civil, Gil Kempers. A vice-presidente é a diretora do Nudec (Núcleo Comunitário de Defesa Civil) do Vale do Cuiabá, Cristina Rosário.

“Estou muito feliz de fazer parte do conselho. Eu sou sobrevivente das chuvas de 2008 e hoje sou coordenadora de um Nudec, que é formado por 12 mulheres, e trabalho para salvar vidas. Agradeço o prefeito por ter abraçado a todos nós, a comunidade”, disse Cristina.

Evolução da Defesa Civil desde 2001

A procuradora de Justiça do Ministério Público estadual Denise Tarin participou da primeira reunião do conselho. Ela falou sobre a importância do conselho para a cidade e sobre a evolução da Defesa Civil desde 2001, quando o prefeito Rubens Bomtempo assumiu o seu primeiro mandato.

“Estar hoje aqui é para mim uma celebração. Porque eu busco o Conselho de Defesa Civil mesmo quando não tínhamos sequer estrutura física. O prefeito, quando chegou, (a Defesa Civil) era uma salinha ao lado da sala do prefeito, que funcionava como uma coordenação de dois. Não tinha imóvel, não tinha telefone, não tinha carro, não tinha agente, não tinha nada. Era essa a história antes de 2001”, disse a procuradora.

Desde então, a Defesa Civil: deixou de ser uma coordenadoria e passou a ser uma secretaria; ganhou sede própria; fez parceria com o Japão na prevenção de desastres das chuvas; teve o trabalho reconhecido pela ONU; e está com um inédito concurso para agentes previsto para os próximos meses; entre outras conquistas.

Defesa Civil orientou moradores sobre as rotas de fuga, sinalizadas através do mapeamento participativo

A equipe da Defesa Civil realizou, neste sábado (26/11), o roteiro apresentou aos moradores da Estrada do Gentio e Benfica, o roteiro do Simulado de Evacuação de Comunidade. O objetivo foi orientar os moradores sobre as rotas de fuga que foram sinalizadas através do mapeamento participativo - ou seja, com a participação da própria comunidade local.

“Ninguém melhor do que os próprios moradores da comunidade para mapear a região e construírem, junto com o governo, as políticas públicas necessárias para sirva nossa cidade seja cada vez mais resiliente. Nossa prioridade é fazer de Petrópolis uma cidade mais segura e estimular as noções de prevenção e proteção”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

A líder do Núcleo Comunitário de Defesa Civil (Nudec) do Vale do Cuiabá, Cristina Rosário, tambem destacou o papel que a comunidade tem neste processo. “É um prazer muito grande saber que minha comunidade abraça a ideia de trabalhar em conjunto para um bem maior, que é salvar vidas. Fico muito feliz em fazer parte de tudo isso. A ação de hoje é muito importante para fortalecer o papel da comunidade quando for preciso auxiliar uns aos outros para salvar vidas." , disse Cristina Rosário.

Durante o simulado, os moradores da região da Estrada do Gentio, com o apoio do Nudec Vale do Cuiabá e adjacências percorreram o trecho Estrada do Gentio, Travessa Oscar Ferreira de Mello e Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues, a fim de testar a rota de fuga designada para a Escola Municipal Paula Buarque que é o ponto de apoio local.

"Esta é uma ação de suma importância não só para os Núcleos de Defesa Comunitários, mas também para a equipe da Defesa Civil como um todo. Realizar um simulado de evacuação de comunidade, que contém ações e planejamento desenvolvimentos pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil, ações que integram o Plano de Contingência para as chuvas de verão 2022/2023, e ter o apoio da comunidade, é ter a certeza de que estamos trabalhando em prol de uma cidade cada vez mais resiliente., disse o Secretário de Proteção e Defesa Civil, Gil Kempers.


Mais recursos (um orçamento 7 vezes maior), mais participação popular e mais planejamento na preparação de Petrópolis para as fortes chuvas do verão. Três grandes ações da Prefeitura, promovidas na noite de segunda-feira (7), garantirão esse novo patamar da Defesa Civil já para o próximo verão.

São elas: a posse do Conselho de Defesa Civil, a instituição do Fundo de Defesa Civil e o lançamento do Plano de Contingência de 2023. Essas três ações foram realizadas no evento “Petrópolis Resiliente”, no Instituto Teológico Franciscano, na Rua Coronel Veiga.

Para 2022, a gestão anterior orçou cerca de R$ 200 mil para a Secretaria de Defesa Civil. Já para 2023, a atual gestão está orçando, somente para o Fundo de Defesa Civil, R$ 1,5 milhão.

"Em menos de 1 ano desde que assumimos a Prefeitura, estamos construindo uma Defesa Civil muito melhor do que a que encontramos em dezembro de 2021. Uma Defesa Civil que terá um fundo anual de R$ 1,5 milhão. E o uso desse recurso será decidido pelo conselho, que estamos empossando hoje", disse o prefeito Rubens Bomtempo, que ainda anunciou mais viaturas para a Defesa Civil, uma sede nova (na Rua Teresa) e a ampliação do Cimop (Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis).

Além do prefeito, participaram do evento: secretários de governo, representantes sociedade civil organizada, representantes de instituições envolvidas na resposta às chuvas (Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, SOS Serra), membros dos Nudecs (Núcleos Comunitários de Defesa Civil) e vereadores (Fred Procópio, Mauro Peralta e Domingos Protetor).

No evento, foram homenageadas com o Selo Solidário da Prefeitura as instituições que ajudaram as famílias atingidas pelas chuvas de fevereiro e março.

Protocolo de Inundações

O Plano de Contingência define o que cada a cada órgão e a cada instituição na resposta às chuvas na cidade. Neste plano para 2023, está incluído o Protocolo de Inundações, produzido em conjunto com os motoristas de ônibus, para que todos saibam o que fazer no caso de uma inundação no Rio Quitandinha entre a Ponte Fones e o Obelisco.

Para colocar em prática esse protocolo, o secretário de Defesa Civil, Gil Kempers, anunciou durante o evento: a implantação de um sistema de sirenes na Rua Coronel Veiga e no Centro; e a instalação de cancelas eletrônicas em 3 pontos (Ponte Fones, Duas Pontes e UPA Centro).

“Garantindo assim que a via permaneça fechada, e os veículos não se desloquem para esses locais em uma situação de risco. Nesta semana, começaremos a pintura e a colocação de placas na via, para que seja visual. O cidadão ao passar pela Coronel Veiga, pelo Centro Histórico, vai ver quais são as ilhas de segurança, e ele vai se acostumar com isso. Eu posso estar fazendo uma compra no Centro da cidade. Tocou a sirene? Eu tenho que me deslocar para um local seguro e permanecer nele até a desmobilização”, disse Kempers.

Fundo terá R$ 100 mil para investimento em prevenção, metade do orçamento herdado pela atual gestão para este ano

A Prefeitura de Petrópolis realiza, nesta segunda-feira (7/11), o "Petrópolis Resiliente". O evento, que será realizado no Instituto Teológico Franciscano (ITF, na Rua Coronel Veiga), contará com a apresentação do Plano de Contingência para o verão. Além disso, os integrantes do Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil serão empossados.

O Fundo Municipal de Proteção e Defesa Civil, regulamentado pela atual gestão, também será apresentado. A previsão de receita para o Fundo é de R$ 100 mil mensais. Este valor representa a metade de todo o orçamento previsto para a Defesa Civil em 2022, feito pelo governo anterior e herdado pela atual gestão - que assumiu no dia 18 de dezembro do ano passado.

"As catástrofes climáticas de fevereiro e março exigem um novo padrão para o combate aos desastres. Sempre tratamos disso como prioridade, e um símbolo disso é a criação da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, em 2013. Agora, estamos criando novos mecanismos para tornar a cidade cada vez mais resiliente", disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O secretário de Defesa Civil, Gil Kempers, destacou que as diretrizes do Plano de Contingência serão debatidas e deliberadas pelo Conselho. “Um plano de ação como o que estamos montando fica mais completo quando ouvimos os moradores, que estão na ponta e entendem a realidade; os técnicos, que têm conhecimento necessário para evitar os desastres; enfim, toda a sociedade”, disse, destacando que a primeira reunião do Conselho irá discutir o plano.

O secretário de Proteção e Defesa Civil destacou que o município fará, ainda, uma grande campanha para que os petropolitanos se cadastrem no sistema de alerta por mensagem de texto (SMS), por meio do número 40199. "Muitas pessoas ainda não conhecem o sistema, que é fundamental para prevenir desastres", disse. Kempers também destacou outras ações, como o cadastramento de comerciantes da Rua do Imperador para o informe sobre alertas.

Serviço
Evento: Petrópolis Resiliente
Data: 7/11/2022, às 19h
Local: Instituto Teológico Franciscano - Rua Coronel Veiga, 550

Boletim meteorológico da Defesa Civil mantém previsão de tempo com instabilidade para esta quinta-feira (3) e continuidade da chuva de forma fraca a moderada, porém abaixo do volume dos últimos dias. Com isso, a tendência é de diminuição dos acumulados nas últimas 24h.

Quarta, 02 Novembro 2022 - 15:58

Pontos de apoio são desmobilizados

Todos os pontos de apoio abertos nesta quarta-feira (2/11), em função da chuva no primeiro distrito, foram desmobilizados e terão aulas normalmente nesta quinta-feira (3).

Tendo em vista a chuva ocorrida no município nas últimas 24 horas, a Defesa Civil abriu na manhã desta quarta-feira pontos de apoio para os bairros Quitandinha, São Sebastião, Vila Felipe, Independência e Chácara Flora. Nestes locais foram atingidos os acumulados pluviométricos superiores a 120 mm, o que aumentou o risco geológico nas regiões.

A Defesa Civil segue monitorando as condições de tempo e poderá emitir atualizações e informativos a qualquer momento. Cadastre seu CEP através do envio de uma mensagem de texto para 40199 e acompanhe o portal oficial da Prefeitura de Petrópolis. Em caso de emergência, ligue 199.

Novo conselho, aberto à participação da sociedade, vai apoiar a política municipal de Defesa Civil, contando com fundo financeiro formado por arrecadação de multas e outros repasses.

A Prefeitura deu início ao programa Escola Resiliente. Estudantes, professores e outros funcionários vão aprender e praticar ações de Defesa Civil para saber como agir em emergências.

Pagina 1 de 141