Os cerca de 450 voluntários dos 46 Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) criados pela Prefeitura desde 2013 continuam passando por cursos de capacitação. Na última quinta-feira (10/4), os participantes dos Nudecs do Quitandinha e do Amazonas, criados em 2013, tiveram um curso sobre o Sistema de Alerta e Alarme. O diretor administrativo da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Gileno Alves, tirou dúvidas dos moradores sobre o acionamento das sirenes e a abertura dos pontos de apoio.

O curso foi realizado na Escola Municipal Governador Marcello Alencar, no Espírito Santo. Gileno explicou aos moradores que a Secretaria de Proteção e Defesa Civil acompanha a chuva pelos 74 pluviômetros instalados no município. Quando os índices em algum bairro atingem o protocolo pré-determinado pela secretaria, as sirenes são acionadas pela Defesa Civil remotamente, pela internet. Nesse caso, os moradores devem sair imediatamente de casa e procurar locais seguros: pontos de apoio ou casas de amigos ou parentes que não fiquem em áreas de risco.

São 24 pontos de apoio em Petrópolis: locais, como escolas e igrejas, sinalizados com placas pela Prefeitura. Os responsáveis por esses espaços são orientados pela Defesa Civil a sempre abrir as unidades em caso de chuvas fortes.

Os moradores elogiaram a medida da Defesa Civil, que busca conscientizar cada vez mais os moradores sobre medidas de prevenção de desastres das chuvas: "Achei bem legal essa palestra da Defesa Civil. Foi a primeira vez que participei e pretendo participar de outras. É importante a comunidade estar presente, afinal nós é que seremos beneficiados com esse conhecimento. É a nossa vida. Eu costumava me trancar em casa com meus netos quando a chuva apertava, agora já sei que tenho que prestar atenção no que está acontecendo lá fora, ficar ligada nas sirenes e, se ficar mais forte, correr para o ponto de apoio. Estou muito feliz em saber que a Defesa Civil está perto da gente, assim como o pessoal do Nudec e das UPCs. O povo tem que participar mais das ações", disse a aposentada Efigênia Santos, de 68 anos, moradora da Rua Maranhão, no Quitandinha.

Estudantes da Escola Municipal Governador Marcello Alencar, no Espírito Santo, acompanharam nesta quinta-feira (10/4) o teste mensal das sirenes realizado pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil. Duas alunas do 9º ano do ensino fundamental acionaram as sirenes remotamente, pela internet, e os demais puderam acompanhar o processo. A iniciativa da Prefeitura busca aproximar cada vez mais a Defesa Civil das comunidades e dos jovens, para que a população se conscientize dos riscos relacionados às chuvas e se previna de desastres naturais.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, participou do teste, que acontece todo dia 10, às 10h. Ele explicou que o exercício mensal de acionamento das sirenes foi levado para a Escola Municipal Governador Marcello Alencar para que os jovens se envolvam nas ações de Defesa Civil e ajudem a conscientizar os pais.

“A melhor forma de termos uma cidade mais segura é investir nos jovens. O adulto é muito difícil de mudar. No Japão, as crianças sabem o que fazer se acontecer algo, como terremotos, por exemplo. A nossa intenção é que cada jovem fale com os pais sobre a importância de sair de casa quando a sirene for acionada, da necessidade de colocar calha no telhado, de não jogar lixo no chão para não entupir bueiros, entre outras medidas simples”, disse o secretário Rafael Simão.

A escola fica no Quitandinha, região com alto índice pluviométrico. Por isso, a determinação do prefeito Rubens Bomtempo é que sempre sejam realizadas ações de prevenção no bairro. Em 2013, a Prefeitura criou Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) no Amazonas, Espírito Santo e Rio de Janeiro, capacitando moradores dessas comunidades para que atuem como voluntários da Defesa Civil.

A diretora da escola, Bianca Lutz, elogiou a ação da Defesa Civil e lembrou os perigos das chuvas, já que uma comunidade próxima foi atingida em março de 2013. “Nós sentimos na pele o que aconteceu no ano passado. Nós perdemos dois alunos da escola, um de cinco anos e outro de nove. Por isso que sempre conversamos sobre a importância de participar dessas ações, porque moramos em um bairro com grande incidência de chuva”.

O objetivo do teste mensal é avaliar o funcionamento das 18 sirenes do Sistema de Alerta e Alarme para que possíveis falhas sejam comunicadas à empresa responsável pela manutenção. Nesta quinta-feira, somente a sirene do Amazonas apresentou falhas no acionamento remoto. A empresa responsável pela manutenção fez no mesmo dia os reparos necessários, e o equipamento já funciona normalmente. No acionamento manual, realizado pelos agentes das Unidades de Proteção Comunitária (UPCs), todas funcionaram perfeitamente.

Os moradores do Vale do Cuiabá, Comunidade da Boa Esperança, Gentio, Madame Machado e Benfica podem se tornar voluntários da Defesa Civil neste sábado (12/4). De 8h as 12h, a Prefeitura criará o Núcleo Comunitário de Defesa Civil (Nudecs) na região, capacitando os moradores deixarem as suas comunidades mais seguras. Eles aprenderão noções básicas de prevenção de desastres das chuvas e o que fazer em uma situação de tragédia. Para participar, basta comparecer na Escola Municipal Paula Buarque, na Estrada Philuvio Cerqueira, s/n.

Os participantes aprenderão noções básicas de Defesa Civil, medidas simples para deixar a casa mais segura, o que fazer se começar a chover forte e como montar um pluviômetro caseiro. “A ideia do Nudec é fazer com que a comunidade participe mais do processo de prevenção. Petrópolis somente será um local mais seguro com a ajuda da população”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão.

Com o curso deste sábado, já serão 51 comunidades de Petrópolis com Nudecs, todos criados pelo governo Rubens Bomtempo. Hoje o município conta com cerca de 450 voluntários capacitados pela Defesa Civil para atuar na prevenção de desastres. As comunidades que possuem Nudecs são: 24 de Maio, Amazonas, Bairro Esperança, Bairro Mauá, Bataillard, Bela Vista, Bingen, Boa Vista, Capela, Castelânea, Caxambu, Chácara Flora, Chapa 4, Cremerie, Dr. Thouzet, Duarte da Silveira, Duques, Espírito Santo, Estrada da Saudade, Euclides da Cunha, Fazenda Inglesa, Ferroviários, Floresta, Florido, Gulf, Independência, João Xavier, Montese, Morin, Morro do Gavião, Mosela, Oficina, Oswaldo Cruz, Pedras Brancas, Pica-Pau, Presidente Sodré, Rio de Janeiro, Rocio, São João Batista, São Sebastião, Sargento Boening, Serrinha, Siméria, Taquara, Ventura e  Vila Felipe.
 
Serviço:Nudecs do Vale do Cuiabá, Comunidade da Boa Esperança, Gentio, Madame Machado e Benfica
Local: Escola Municipal Paula Buarque, Estrada Philuvio Cerqueira, s/n
Quando: sábado (12/4), de 8h as 12h
Mais informações: pelo telefone 2246-9163

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil coordenou, na noite de segunda-feira (31/3), a retirada de um ônibus que saiu da pista ficando com a parte da frente dentro do rio que corta a Rua Professor Stroele, no Quarteirão Brasileiro. O acidente foi causado por óleo na pista, e ninguém ficou ferido. O Plano de Contingência de Petrópolis, apresentado pelo prefeito Rubens Bomtempo em dezembro, foi utilizado, e a Defesa Civil acionou Comdep, Guarda Civil, CPTrans e Secretaria de Obras, para que via pudesse ser liberada ao tráfego. A retirada do veículo foi realizada pela empresa de transporte. O Corpo de Bombeiros também participou da ação.

O acidente aconteceu por volta das 20h. Quatro agentes da Defesa Civil chegaram prontamente ao local e isolaram a área. A Guarda Civil espalhou serragem na área onde havia óleo. Em seguida, a Comdep e a Secretaria de Obras colocaram pó de pedra na via, para minimizar o risco de novos acidentes. A CPTrans sinalizou a via, que foi liberada para o trânsito ainda na noite de segunda-feira. Toda a ação terminou por volta das 23h.

Segunda, 24 Março 2014 - 10:09

Boletim da Defesa Civil – 18h

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil segue de prontidão em função das chuvas deste fim de semana. Todas as ocorrências estão sendo prontamente atendidas. Na tarde deste domingo (23/3), a Defesa Civil interditou uma casa na Rua Felipe Camarão, no Retiro, construída próximo ao rio da região. Com as chuvas desta madrugada, a ação das águas descalçou o imóvel, deixando a casa em risco. Os moradores foram orientados a ficar em casa de amigos e parentes. Nesta segunda-feira (24/3), a Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac) fará o atendimento da família moradora do imóvel.

Também na tarde deste domingo, foram registradas quedas de árvore na Rua Felipe Camarão, no Retiro, e na Rua Hermogênio Silva, no Pic Nic. Ninguém ficou ferido e nada foi atingido. No Retiro, a Defesa Civil foi imediatamente ao local, removeu a árvore e desinterditou a via. No Pic
Nic, a Defesa Civil seguiu o Plano de Contingência de Petrópolis e acionou o Corpo de Bombeiros para a remoção. As duas vias já estão liberadas para o trânsito.

A Defesa Civil continua orientando os moradores de áreas de risco a deixarem sempre pronto o kit de emergência com: documentos (fechados dentro de sacos plásticos); remédios; capas e guarda-chuvas; roupas e calçados apropriados (sem salto e que não escorreguem); água e alimentos rápidos e frios (sanduíche e biscoitos); material de higiene (escova e pasta de dente, papel higiênico, absorvente, etc.); lanterna; mamadeira e fralda. No caso de começar a chover forte, os moradores de área de risco devem pegar o kit, sair imediatamente de casa e procurar locais seguros.

Domingo, 23 Março 2014 - 12:01

Boletim da Defesa Civil – 11h

A Prefeitura permaneceu de prontidão nesta madrugada (23/3) devido às fortes chuvas que caíram em Petrópolis. Equipes da Secretaria de Proteção  e Defesa Civil registraram o alto índice de chuvas no primeiro distrito – 118 milímetros no Independência em duas horas –, mas não houve ocorrências graves em Petrópolis: nenhuma casa atingida por deslizamentos e nenhum ferido.

Às 2h23, as duas sirenes do Independência – Taquara e Rua Ó – foram acionadas automaticamente, alertando os moradores de áreas de risco para que passassem a noite em locais seguros, como casas de amigos e parentes, ou nos dois pontos de apoio sinalizados pela Prefeitura: Núcleo de Guarda Comunitária e Escola do Alto Independência.

O prefeito Rubens Bomtempo acompanhou o trabalho e coordenou as ações da Secretaria de Proteção e Defesa Civil durante a madrugada.

Já na manhã deste domingo (23/3), funcionários da Comdep estavam na Rua Coronel Veiga limpando a via, onde o Rio Quitandinha chegou a transbordar.

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil continua orientando os moradores a ficarem atentos, devido à continuidade das chuvas neste domingo, embora em menor intensidade. No caso de chuvas fortes, moradores de áreas de risco devem sair de casa imediatamente e procurar locais seguros.

O prefeito Rubens Bomtempo e o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, apresentaram ontem em reunião do Comitê de Ações Emergenciais propostas de medidas de prevenção para Petrópolis com base na viagem que fizeram ao Japão no fim de fevereiro. O encontro, aberto à imprensa, foi realizado na manhã desta terça-feira (18/3). Entre as sugestões levadas pelo prefeito e o secretário estão a divulgação e instalação de mapas nas comunidades de risco indicando os pontos de apoio, a sirene e a Unidade de Proteção Comunitária (UPC) da região; a criação de mais UPCs, atendendo as áreas de risco; e a criação do programa “Escola Amiga da Defesa Civil”, para incentivar medidas de prevenção entre os alunos.

As cerca de 20 propostas da Prefeitura são diretrizes, que serão aprofundadas com a participação da sociedade civil para que possam ser implantadas. Também foi sugerida a criação de uma lei de prevenção de risco de desastres, um manual de emergência e outras normas, espelhadas no conhecimento adquirido naquele país.

“O nosso primeiro passo será aprofundar essas propostas. Depois, ainda neste ano, queremos ampliar a nossa rede de pluviômetros e do Sistema de Alerta e Alarme, incrementar o nosso convênio com o estado para a operação mútua das UPCs e trabalhar no desenvolvimento da cultura de prevenção porque, depois que você ganha, dificilmente você perde. Também queremos construir o maior número possível de casas. Para isso, precisamos que vocês (imprensa e Comitê de Ações Emergenciais) nos ajudem a mobilizar a Caixa Econômica Federal (CEF) e as empreiteiras. Porque o que cabia à Prefeitura, nós já fizemos. Já compramos os terrenos, fizemos o chamamento público, licitação. Garantimos a contrapartida da Prefeitura, ou seja, a urbanização dessas áreas”, disse o prefeito.

Bomtempo e Simão foram ao Japão entre os dias 22 de fevereiro e 8 de março, como parte do convênio entre o governo brasileiro e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica). A parceira, iniciada em outubro de 2013, terá quatro anos de duração. Técnicos japoneses já estiveram em Petrópolis nos últimos meses para conhecer as principais áreas de risco do município. Os objetivos da parceria são o fortalecimento da cultura de prevenção em Petrópolis, Nova Friburgo (RJ) e Blumenau (SC) e o compartilhamento, entre os dois países, de experiências e tecnologias de monitoramento, prevenção e alerta.

O prefeito falou sobre as visitas ao vice-ministro de Terras, Infraestrutura, Transporte e Turismo do Japão, Sasaki Motoi, à estação meteorológica, à Prefeitura de Hiroshima, ao laboratório de pesquisas de desastres, ao simulador de terremoto de Tóquio, entre outras atividades, em que puderam conhecer o sistema de alerta e alarme, a legislação e os parques fluviais daquele país.

“Eles nos olham com muito respeito. Deixaram claro que o projeto é nosso, a responsabilidade é nossa, e eles vão nos apoiar. Não vão nos apresentar uma proposta pronta baseada na realidade deles”, disse Bomtempo.

Em maio, dois técnicos da Prefeitura irão ao Japão para nova troca de experiências: a engenheira Ana Maria Zanetti, da Secretaria de Habitação, e o geólogo Yuri Garin, da Secretaria de Proteção e Defesa Civil.

O aniversário de Petrópolis, comemorado no último domingo (16/3) com atividades da Prefeitura ao longo do dia, contou também com ações de prevenção da Secretaria de Proteção e Defesa Civil. Agentes estiveram no Centro da cidade distribuindo panfletos informativos, com dicas simples de como o morador pode deixar sua casa mais segura e reduzir os riscos de deslizamentos e de inundação no período de chuvas.

A panfletagem foi realizada na Praça Dom Pedro, junto a pedestres, motoristas e passageiros dos ônibus que passavam pelo local. Nas cartilhas, a população é orientada a colocar calha nos telhados, buscar sempre a autorização da Prefeitura antes de construir, não jogar lixo em encostas, rios e ruas, procurar locais seguros no caso de chuvas fortes e buscar orientação de um profissional técnico antes de construir ou reformar, entre outras dicas.

O material é fruto de uma parceria da Defesa Civil de Petrópolis com a Secretaria Nacional de Defesa Civil, vinculada ao Ministério da Integração Nacional. O material, produzido a partir de texto escrito por agente da cidade, foi encaminhado também para outros municípios da Região Serrana atingidos pelas chuvas nos últimos anos: Nova Friburgo, Teresópolis, São José do Vale do Rio Preto, Bom Jardim, Sumidouro e Areal. Petrópolis recebeu 25 mil cartilhas sobre deslizamentos, 25 mil cartilhas sobre inundações, 15 mil panfletos com dez dicas de prevenção e 15 mil calendários, totalizando 80 mil itens.

As cartilhas e panfletos continuarão sendo distribuídas nos próximos meses, em campanhas de orientação da Defesa Civil e também nos 46 Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) formados pelo governo Bomtempo.

Uma equipe da Defesa Civil de São José do Vale do Rio Preto visitou nesta quinta-feira (13/3) a sede da Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Petrópolis, na Rua Buarque de Macedo, no Centro. O motivo da visita foi conhecer o Centro de Operações (Ceop). No local, que funciona 24 horas por dia, incluindo fins de semana e feriados, agentes recebem as ocorrências do 199, acompanham as previsões do tempo e as chuvas pelos pluviômetros automáticos e semiautomáticos instalados no município e também pelas câmeras de segurança da Prefeitura.

A Secretaria de Defesa Civil e Ordem Pública da cidade vizinha está montando o sistema de atendimento ao público 24 horas. Para aprender com a experiência de Petrópolis, oito agentes e operadores de São José conheceram o sistema de registro de ocorrências e conversaram com o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, com diretores e agentes da secretaria.
“Não faria sentido começarmos do zero a montar esse sistema, já que Petrópolis já faz um trabalho de excelência nesse sentido. Viemos aqui aprender com a expertise de vocês, para ampliar a nossa visão sobre a legislação de Defesa Civil e melhorar a nossa operação”, disse o diretor operacional de São José do Vale do Rio Preto, tenente-coronel Remo.

No Ceop, os agentes do município vizinho acompanharam o registro de ocorrência e puderam utilizar o sistema usado pelo órgão de Petrópolis. “É muito bonita essa humildade em vir aqui nos escutar, aprender com nossas experiências. Fico muito feliz em ver a Defesa Civil de São José do Vale do Rio Preto crescendo, porque, com isso, todo o sistema cresce”, disse o secretário Rafael Simão.

Uma estrutura que representava risco iminente para uma casa na Rua Nanci Costa, no bairro Duarte da Silveira, foi demolida nesta quarta-feira (12/3) pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil. Técnicos da secretaria informaram que a fundação de uma moradia, que já havia sido demolida, começou a ceder nos últimos dias deixando moradores que vivem próximos ao local apreensivos. A ação da Defesa Civil levou mais segurança à região, já que o deslizamento de toda a estrutura poderia acontecer a qualquer momento.

A derrubada da construção foi realizada por agentes da Defesa Civil e funcionários da Comdep. Com o desmonte, a casa que ficava abaixo da estrutura não precisou ser interditada pela Defesa Civil - somente durante a operação que os moradores foram retirados de casa preventivamente.

Nesta quinta-feira (13/3), a Defesa Civil notificou o proprietário da área demolida a realizar no terreno as intervenções necessárias para que a segurança do local seja garantida. O responsável deverá retirar em sete dias o restante da estrutura e o entulho. O prazo estipulado para que o proprietário inicie as obras de proteção da encosta é de 15 dias.