A Prefeitura conclui nos próximos dias o trabalho de demolição de três imóveis que colocavam casas vizinhas em risco na Estrada da Saudade. A ação, coordenada pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil, foi determinada depois que técnicos constataram que as construções tinham estrutura precária e representavam ameaça a moradores da região e também às pessoas que diariamente circulavam pelo local. Os moradores dos três imóveis foram atendidos pela Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac) e já estão recebendo o Aluguel Social.

“A demolição destes imóveis é fundamental para dar segurança à população. As famílias já tinham sido removidas e agora, com a demolição, impedimos que essas moradias voltem a ser ocupadas. Por isso, para deixar Petrópolis mais segura, é importante que as pessoas contribuam e não construam em áreas de risco”, afirmou o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão.

Com essas três demolições da servidão Ernesto Felipe Schiffler já são 23 os imóveis desmontados pela empresa especializada contratada pela Prefeitura em novembro. Pelo contrato, a empresa ficou encarregada de demolir 1.840 metros quadrados de construções já condenadas pela Defesa Civil. As três casas da Estrada da Saudade somam 397 metros quadrados, totalizando 1.427 metros quadrados de imóveis demolidos pelo contrato. Antes desse conjunto de demolições, a Prefeitura já havia desmontado 12 imóveis, o que totaliza 35 demolições de imóveis condenados em um ano.

A comunidade do Ventura, na Estrada da Saudade, conta com um Núcleo Comunitário de Defesa Civil (Nudec), medida fundamental para a prevenção de desastres das chuvas. Na noite de quarta-feira (22/1), na igreja do pastor Róbson, cerca de 20 moradores da região foram capacitados pela Prefeitura para atuar como voluntários da Defesa Civil. Com esse, já são 45 Nudecs em Petrópolis criados pelo atual governo, o que traz mais segurança ao município. Os moradores aprendem as noções básicas de Defesa Civil e o que fazer para reduzir riscos de tragédias naturais.

O curso foi ministrado pelo diretor administrativo da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Gileno Alves, que é instrutor da Defesa Civil nacional, estadual e municipal, além de diretor da Escola Estadual de Defesa Civil. “É importante que os moradores sempre participem dos cursos gratuitos de capacitação da Defesa Civil. Com essa formação, o morador fica mais atento e passa a atuar de forma mais preventiva, não jogando lixo nas encostas, colocando calhas no telhado e deixando pronto um kit de emergência, com documentos e materiais de higiene pessoal, para sair de casa imediatamente no caso de fortes chuvas”, disse Gileno, lembrando que os Nudecs são um elo da Defesa Civil com as comunidades.

O presidente da Associação de Moradores da Comunidade Cristã de Themístocles, Paulo Roberto Corrêa de Souza, foi capacitado como voluntário da Defesa Civil no Nudec da Estrada da Saudade em novembro. Mesmo assim, fez questão de participar do Nudec do Ventura. O objetivo, segundo ele, é estar cada vez mais preparado para ajudar a comunidade a enfrentar as fortes chuvas.

“A nossa intenção é essa: ganhar sabedoria e aprender a salvar vidas com a conscientização dos moradores”, disse Paulo, que mora há 55 anos na região. Petrópolis conta hoje com 45 Nudecs: 24 de Maio, Amazonas, Bairro Esperança, Bairro Mauá, Bataillard, Bela Vista, Bingen, Boa Vista, Capela, Castelânea, Caxambu, Chácara Flora, Chapa 4, Cremerie, Dr. Thouzet, Duarte da Silveira, Duques, Espírito Santo, Estrada da Saudade, Euclides da Cunha, Fazenda Inglesa, Ferroviários, Floresta, Florido, Gulf, Independência, João Xavier, Montese, Morin, Morro do Gavião, Mosela, Oficina, Pedras Brancas, Pica-Pau, Presidente Sodré, Rio de Janeiro, Rocio, São João Batista, São Sebastião, Sargento Boening, Serrinha, Siméria, Taquara, Ventura e  Vila Felipe.

Criados pela Prefeitura desde 2013, esses 45 Nudecs continuarão passando por capacitação em 2014, para que os moradores fiquem cada vez mais preparados para as fortes chuvas comuns do verão. Além disso, o prefeito Rubens Bomtempo quer neste ano aumentar o número de Nudecs e de voluntários da Defesa Civil nos núcleos já criados.

Terça, 21 Janeiro 2014 - 08:15

Prefeitura instala pluviômetro na Luiz Winter

A Prefeitura, por meio da secretaria de Proteção e Defesa Civil, instalou um pluviômetro semiautomático na Rua Luiz Winter, no Bingen, nesta segunda-feira (20/1). O equipamento foi colocado no telhado da casa da moradora Juracir do Amaral, responsável pela Igreja São João Batista e coordenadora do Núcleo Comunitário de Defesa Civil (Nudec) da região. No caso de chuvas, a moradora acompanhará os índices pluviométricos dentro de casa, onde está o visor, e informará os números registrados à Defesa Civil. Se houver necessidade, o órgão enviará agentes ao local.

O projeto faz parte de um pacote de medidas do prefeito Rubens Bomtempo para deixar a comunidade de Luiz Winter mais segura no período de fortes chuvas. No dia 7, cerca de 40 moradores e agentes de saúde da região foram capacitados pela Defesa Civil com a criação do Nudec da comunidade São João Batista. O próximo passo no local será a implantação de um ponto de apoio, para onde os moradores da comunidade deverão ir em caso de chuvas fortes.

O pluviômetro semiautomático é do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), ligado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação.  Desde agosto, a Prefeitura instalou 27 pluviômetros automáticos e 13 semiautomáticos do Cemaden, totalizando 66 equipamentos em um ano, mais que o dobro do que o encontrado pela atual administração municipal em 2013.  

O secretário de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel Rafael Simão, destacou a importância dos pluviômetros para deixar as comunidades de Petrópolis mais seguras.“É importante a comunidade ficar atenta à percepção de risco, principalmente em relação à vulnerabilidade. Temos que aprender com o exemplo do Japão, devido ao fato de os moradores saberem conviver com os riscos”, disse Rafael Simão.

Para Juracir do Amaral, o pluviômetro semiautomático instalado na sua casa dará mais segurança à comunidade. A família dela foi orientada pela Defesa Civil sobre o funcionamento do equipamento. “A minha casa fica no meio da comunidade, então é um ponto estratégico. Não achei difícil o funcionamento do pluviômetro. Caso chova forte, vou ligar para a Defesa Civil avisando, e também para os moradores. Aqui, todo mundo me conhece. Em 2002, quando houve deslizamento por aqui, eu acompanhava a chuva pelo pluviômetro caseiro feito com garrafa Pet. Naquela noite, quando vi a água chegando ao grau máximo de milímetros, liguei para um, liguei para outro, para todo mundo na comunidade”, disse a moradora.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, vai criar mais dois Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) este mês: um no Ventura e outro na comunidade Oswaldo Cruz. Com esses, Petrópolis contará, ainda em janeiro, com um total de 46 Nudecs. Hoje já são cerca de 400 voluntários capacitados para atuar como um elo entre a Defesa Civil e a comunidade nos trabalhos de prevenção de desastres naturais.

A comunidade do Ventura receberá o curso de capacitação em dois dias: na segunda e na quarta-feira da semana que vem (20 e 22/1), das 19h às 21h, na Igreja do pastor Róbson, na Rua Maurício Cardoso de Mello, 1.900. Já a comunidade Oswaldo Cruz terá o curso no dia 26 de janeiro, um domingo, de 8h30 as 12h, na sede do Pró-Menor, na Rua Nossa Senhora Aparecida, 167, antes da Escola de Samba Unidos da Oswaldo Cruz.

O curso dará noções de Defesa Civil aos moradores, para que eles saibam como contribuir para a prevenção de desastres naturais e o que fazer no caso de fortes chuvas. Essa é mais uma medida do prefeito Rubens Bomtempo para a prevenção de tragédias em Petrópolis. Os interessados devem se inscrever pelo telefone 2246-9163 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Petrópolis conta hoje com 44 Nudecs: 24 de Maio, Amazonas, Bairro Esperança, Bairro Mauá, Bataillard, Bela Vista, Bingen, Boa Vista, Capela, Castelânea, Caxambu, Chácara Flora, Chapa 4, Cremerie, Dr. Thouzet, Duarte da Silveira, Duques, Espírito Santo, Estrada da Saudade, Euclides da Cunha, Fazenda Inglesa, Ferroviários, Floresta, Florido, Gulf, Independência, João Xavier, Montese, Morin, Morro do Gavião, Mosela, Oficina, Pedras Brancas, Pica-Pau, Presidente Sodré, Rio de Janeiro, Rocio, São João Batista, São Sebastião, Sargento Boening, Serrinha, Siméria, Taquara e  Vila Felipe.

Criados pela Prefeitura desde 2013, esses 44 Nudecs continuarão passando por capacitação, para que os moradores de áreas fiquem cada vez mais preparados para as fortes chuvas comuns do verão. Além disso, o prefeito Rubens Bomtempo quer neste ano aumentar o número de Nudecs e de voluntários da Defesa Civil.

“Todo morador de área de risco tem que saber o que fazer para deixar a casa mais segura, de como se proteger no caso de chuvas. Muitas pessoas, quando chove forte, se protegem dentro de casa, o que é errado. As pessoas devem sair de casa e ir para locais seguros, como pontos de apoio ou casas de amigos ou parentes que não fiquem em áreas de risco”, orienta o diretor administrador da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Gileno Alves.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, realizou na manhã desta sexta-feira (10/1) mais um teste de sirenes do Sistema de Alerta e Alarme. Além de identificar as falhas no sistema, o exercício é fundamental para que os moradores de áreas de risco se familiarizem com o som dos alertas. O diretor operacional da Defesa Civil, Ramon Camilo, lembra que o teste também funciona como um treinamento para os agentes da secretaria.

“O teste também é importante para que todos os agentes da Defesa Civil tenham conhecimento de onde estão localizados as sirenes e os pontos de apoio, para que, em um momento de fortes chuvas, o atendimento às comunidades seja ágil. Assim, não haverá dúvidas sobre o acionamento dos equipamentos e sobre o local para onde serão levados os moradores de áreas de risco”, disse Ramon Camilo.

Das 18 sirenes instaladas em Petrópolis, 14 foram acionadas à distância, pela internet, e 13 manualmente. A Defesa Civil já comunicou os problemas técnicos nos demais equipamentos à empresa responsável pela manutenção, que tomará as providências necessárias até a semana que vem.

O exercício foi considerado positivo, uma vez que em setembro, apenas cinco puderam ser acionadas à distância. Na ocasião, o restante teve que ser acionado manualmente. O avanço foi possível por causa dos testes realizados pela Prefeitura e pela troca da empresa contratada pelo governo estadual para a manutenção das sirenes. Os técnicos dessa empresa acompanharam o teste desta sexta-feira.

A sirene do Dr. Thouzet não participou do exercício de acionamento, pois foi retirada na semana passada da casa onde estava instalada a pedido do morador. Até semana que vem, o equipamento será instalado em novo ponto, perto da Associação de Moradores do bairro.

Como frisou o secretário Rafael Simão, o Sistema de Alerta e Alarme é a melhor ferramenta que a Defesa Civil possui em Petrópolis de prevenção de tragédias das chuvas a curto prazo. As sirenes, quando acionadas, alertam para o risco iminente de deslizamento generalizado na comunidade.

“Quando a sirene toca, já é para o morador ter saído de casa. Quem mora em área de risco sabe quando está chovendo forte, até pelo barulho da chuva no telhado. Então não é para esperar a sirene tocar. A sirene é o último aviso, informando que quem ainda não saiu de casa deve sair imediatamente”, disse o secretário Rafael Simão.

As 18 sirenes estão instaladas em dez comunidades: no Quitandinha, Ferroviários, Vila Felipe, João Xavier, Sargento Boening, São Sebastião, Siméria, Independência, Dr. Thouzet e 24 de Maio. Há um total de 24 pontos de apoio nessas regiões. Mas esses pontos são apenas uma das opções. A Defesa Civil também orienta que moradores de áreas de risco se dirijam para casas de parentes ou amigos que fiquem em locais seguros.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, realizará nesta sexta-feira (10/1) o teste mensal das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme. Às 10h, os 18 conjuntos de sirenes instalados em Petrópolis serão acionados remotamente, da sede da Defesa Civil pela internet, e manualmente, com agentes nos locais usando chaves.

A medida é fundamental para detectar e corrigir possíveis falhas nos equipamentos. Com os testes mensais realizados ao longo de 2013, a Prefeitura conseguiu que todas as sirenes estivessem funcionando no fim do ano – tanto remota, quando manualmente –, o que não acontecia em 2012.

É uma determinação do prefeito Rubens Bomtempo que a Defesa Civil invista cada vez mais em prevenção de desastres das chuvas. Para isso, o Sistema de Alerta e Alarme é a melhor ferramenta que Petrópolis possui a curto prazo. Os alertas não são dados quando vai chover, mas sim quando há risco de deslizamento generalizado na comunidade. Quando as sirenes soam, os moradores devem se dirigir para locais seguros, como casas de amigos e parentes que não ficam em áreas de risco, ou para pontos de apoio definidos pela Defesa Civil.

As 18 sirenes estão instaladas em dez comunidades: no Quitandinha, Ferroviários, Vila Felipe, João Xavier, Sargento Boening, São Sebastião, Siméria, Independência, Dr. Thouzet e 24 de Maio. Há um total de 24 pontos de apoio nessas regiões.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, coordenará o teste desta sexta-feira. Ele lembra que os moradores não devem esperar as sirenes serem acionadas para sair de casa. “Quando a sirene toca, já é para o morador ter saído de casa. Quem mora em área de risco sabe quando está chovendo forte, até pelo barulho da chuva no telhado. Então não é para esperar a sirene tocar. A sirene é o último aviso, informando que quem ainda não saiu de casa deve sair imediatamente”, disse o secretário Rafael Simão.

A comunidade São João Batista, no bairro Duarte da Silveira, foi a primeira a receber, em 2014, um Núcleo Comunitário de Defesa Civil (Nudec). Cerca de 40 pessoas da região participaram do curso de capacitação na manhã desta terça-feira (7/1), no salão da Igreja São João Batista, na Rua Luiz Winter. O Nudec será um elo entre a comunidade e a Defesa Civil nos trabalhos de prevenção de desastres naturais e nos primeiros socorros no caso de novas tragédias das chuvas.

Já são 44 Nudecs em Petrópolis, totalizando mais de 400 voluntários formados. Neste ano, a Prefeitura, por meio da Defesa Civil, criará mais núcleos e capacitará mais moradores nos Nudecs instalados em 2013. O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, frisa que a capacitação é contínua, já que sempre haverá reuniões, palestras, cursos e treinamentos para que os moradores estejam cada vez mais preparados para evitar desastres na comunidade.

“A ideia do Nudec é fazer com que a comunidade participe mais do processo de prevenção. Se não tivermos a cultura da prevenção, fica muito complicado. Uma obra de contenção é muito cara, às vezes R$ 1 milhão só para uma obra. Se todo mundo fizer um pouquinho, teremos uma cidade mais resiliente. A Defesa Civil acredita que Petrópolis só será um local mais seguro com a ajuda da comunidade. É uma ordem do prefeito Rubens Bomtempo investir em prevenção”, disse o secretário Rafael Simão, citando a capacidade de o município dar resposta a fortes chuvas, chamada de resiliência.

Ao fim da formação, os voluntários elegeram o coordenador e o subcoordenador do Nudec da São João Batista. Responsável pela Igreja São João Batista, Juracir do Amaral será a coordenadora do núcleo. Ela afirmou que a criação do Nudec é fundamental para deixar a comunidade mais segura. “Acho importante ter essa formação, porque faz com que os moradores fiquem mais atentos. Veio bastante gente fazer o curso”, disse.

O diretor administrativo da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Gileno Alves, ministrou o curso e passou para os participantes noções básicas do que fazer para a prevenção de desastres, como não jogar lixo nas encostas, nas ruas ou nos rios. Também foi reforçada a importância de se colocar calha nos telhados, para evitar que a água que cai na casa encharque o terreno do imóvel.

O vento de grandes proporções e a pancada de chuva na região de Corrêas na sexta-feira (3/1) geraram, neste fim de semana, um total de 50 ocorrências na Secretaria de Proteção e Defesa Civil: todas já atendidas e nenhuma com gravidade. A Prefeitura garantiu, mais uma vez, uma rápida resposta aos eventos naturais comuns no verão em Petrópolis.

Já na sexta-feira, o Plano de Contingência do município foi acionado pela Defesa Civil e outros órgãos foram chamados: as concessionárias Ampla e OI-Telemar, a Comdep e o Corpo de Bombeiros. Assim, a Comdep começou na mesma noite a limpeza e a retirada de árvores e galhos que caíram no pátio do Hospital Alcides Carneiro (HAC) e em ruas próximas. O trabalho envolveu 55 homens, continuou no sábado e nesta segunda-feira (6/11).

Mesmo com a queda de árvores na fiação da rede elétrica, os atendimentos no Hospital Alcides Carneiro não foram interrompidos e nenhum paciente foi prejudicado. Durante a noite de sexta-feira, a unidade utilizou geradores. Naquela madrugada, o fornecimento de energia foi normalizado. Duas pessoas foram atingidas por queda de galhos de árvores, sem gravidade. Elas foram prontamente atendidas e liberadas no mesmo dia.

No bairro da Glória, foram cerca de 50 casas destelhadas. Uma teve que ser interditada pela Defesa Civil, por ser uma construção precária e pela falta de manutenção. Nas demais, a Defesa Civil distribuiu lona para os moradores.

Neste verão, a população deve ficar atenta e seguir as orientações da Secretaria de Proteção e Defesa Civil. No caso de chuvas fortes, os moradores de áreas de risco devem sair imediatamente de suas casas e procurar locais seguros, como pontos de apoio ou casas de amigos e parentes que não fiquem em áreas de risco. Para a prevenção de desastres naturais, é preciso que a população não jogue lixo nos rios, ruas ou encostas. No sinal de qualquer instabilidade no imóvel ou no terreno, o morador deve ligar para a Defesa Civil, no 199, solicitando uma vistoria preventiva. O telefonema e o serviço são gratuitos.

Sábado, 04 Janeiro 2014 - 12:27

Boletim da Defesa Civil - 04/01 - 12h

As chuvas e os ventos fortes que duraram cerca de 10 minutos do fim da tarde dessa sexta-feira (3/1) geraram um total de 21 ocorrências na Secretaria de Proteção e Defesa Civil, todas prontamente atendidas. Uma casa no Bairro da Glória, destelhada pelo vento, será interditada por ser uma construção precária e por falta de manutenção. Neste sábado (4/1) a Defesa Civil atendeu mais dez ocorrências de pedidos de vistoria preventiva na região.

A energia elétrica no Hospital Alcides Carneiro (HAC) foi restabelecida no início da madrugada de hoje e não houve interrupção de atendimento médico. Em resposta rápida da Prefeitura, desde ontem a limpeza e a retirada das árvores e dos galhos que atingiram o pátio da unidade tiveram início imediato. Hoje uma equipe de 55 homens da Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) dá continuidade ao trabalho. Estão sendo utilizados sete caminhões, dois trucks, uma pá mecânica, uma retroescavadeira e dois caminhões com carroceria.

Há previsão de pancadas de chuvas isoladas para o fim de semana e a Defesa Civil continua orientando a população para que durante todo o verão fique atenta às condições climáticas. Qualquer sinal de instabilidade no terreno ou imóvel, o morador deve ligar para 199, o serviço é gratuito.

O primeiro Núcleo Comunitário de Defesa Civil (Nudec) de 2014 vai iniciar sua formação na terça-feira (7/01), com a capacitação de moradores do bairro Duarte da Silveira para a prevenção de desastres de chuvas será. Esta é mais uma medida da Prefeitura para reduzir os riscos de tragédias em Petrópolis. O curso será realizado das 8h às 12h, no salão da Igreja São João Batista, na Rua Luiz Winter, sem número. Os interessados devem se inscrever pelo telefone 2246-9163 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

O curso dará noções de Defesa Civil aos moradores, para que eles saibam como contribuir para a prevenção de desastres naturais e o que fazer no caso de fortes chuvas. “Todo morador de área de risco tem que saber o que fazer para deixar a casa mais segura, de como se proteger no caso de chuvas. Muitas pessoas, quando chove forte, se protegem dentro de casa, o que é errado. As pessoas devem sair de casa e ir para locais seguros, como pontos de apoio ou casas de amigos ou parentes que não fiquem em áreas de risco”, orientou o diretor administrador da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, Gileno Alves.

Com esse curso, a Prefeitura prepara ainda mais a cidade para as chuvas de verão. O governo municipal capacitou em 2013 cerca de 400 agentes comunitários voluntários, que serão um elo entre a comunidade e a Defesa Civil. A formação é contínua. Já são 43 comunidades com Nudecs. Em novembro, moradores do Duarte da Silveira foram capacitados, mas a formação do dia 7 de janeiro possibilitará que a comunidade tenha mais voluntários, deixando a região mais segura.