A Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, realizou nesta terça-feira (10/12) o primeiro simulado de evacuação no Vale do Cuiabá. Cerca de 60 pessoas, incluindo estudantes da Escola Municipal Dr. Theodoro Machado, participaram da atividade. Uma viatura da Defesa Civil circulou pela região com o equipamento de som simulando uma sirene. Essa é mais uma medida de prevenção de tragédias das chuvas.

O Vale do Cuiabá vem recebendo atenção especial do prefeito Rubens Bomtempo desde o início do governo. Já no começo do ano, Bomtempo criou a Secretaria de Proteção e Defesa Civil, sensibilizado pelo desastre de 12 de janeiro de 2011 na região. Nesta semana, a Prefeitura assumiu as despesas da pavimentação de mais de dois quilômetros da estrada Ministro Salgado Filho, depois de o Ministério das Cidades não liberar os recursos do convênio totalmente mal formatado e abandonado pelo governo passado.

A intenção do simulado desta terça-feira é que os moradores do Vale do Cuiabá e adjacências se familiarizem com o som do alerta para que, em caso de deslizamentos ou inundações, atendam ao chamado no momento do incidente, reduzindo assim o risco de vítimas. Um ponto de apoio foi instalado no campo de futebol do clube Boa Esperança, onde uma barraca da Defesa Civil foi montada. Se chover forte na região, os moradores de áreas de risco deverão ir para casas de amigos ou parentes que fiquem em locais seguros ou para o ponto de apoio.

As atividades da Defesa Civil nesta terça-feira na região, atingida pelo desastre das chuvas de janeiro de 2011, foram em parceria com a Secretaria do Estado do Ambiente (SEA), por meio do programa Mãos À Obra. O secretário de Proteção e Defesa Civil de Petrópolis, Rafael Simão, e o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, acompanharam as ações. Além do carro emitindo o alerta, a Defesa Civil realizou o planejamento das ações, cadastrou os participantes e entregou camisas. Já o estado formou 27 monitores do Mãos À Obra e entregou kits de emergência aos moradores, para que eles guardem documentos e remédios para assim poder deixar as casas com rapidez em caso de fortes chuvas.

“A Defesa Civil é um sistema. Para compor esse sistema, existem órgãos municipais, estaduais e a sociedade civil. Precisamos de pessoas da própria comunidade que vão colaborar na evacuação de pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos e deficientes físicos. Esses voluntários vão saber onde estão essas pessoas. A Prefeitura formou neste ano quase 400 voluntários da Defesa Civil em 40 comunidades, e quem ganha com isso é Petrópolis”, disse o secretário Rafael Simão, destacando a importância dos 40 Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs) para a prevenção de desastres naturais no município.

Também nesta terça-feira, como acontece todo dia 10, a Defesa Civil fez o teste mensal das 18 sirenes do Sistema de Alerta e Alarme instaladas em Petrópolis. Tanto o acionamento remoto quanto o manual funcionaram perfeitamente nas 18 sirenes. As sirenes estão instaladas em dez bairros: Quitandinha, Ferroviários, Vila Felipe, João Xavier, Sargento Boening, São Sebastião, Siméria, Independência, Dr. Thouzet e 24 de Maio. Os alertas não são dados quando vai chover, mas sim quando há risco de deslizamento na comunidade.

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil participou do IV Simpósio de Desastres Naturais, realizado na última quarta-feira (4/12), na Ilha do Fundão (RJ). O evento integrou o 14° Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia Ambiental (CBGE), realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), de 1 a 6 de dezembro. A convenção reuniu representantes do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; do Centro Nacional de Monitoramento de Desastres (CENAD) - Ministério da Integração Nacional e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) - Secretaria de  Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo.

O tema geral do congresso foi Políticas Públicas, Planejamento e Tecnologias em prol do Desenvolvimento Socioeconômico. O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão foi convidado a ministrar a palestra Execução de Resposta e Recuperação nos Municípios. “Foi uma honra poder participar do congresso e conhecer brilhantes trabalhos desenvolvidos no Brasil. E ainda, apresentar todos os investimentos e ações que o prefeito Rubens Bomtempo vem realizando na área da Defesa Civil, de prevenção e conscientização”, ressaltou o secretário.

O simpósio contou com mesas redondas que abordaram os desafios da geologia no Brasil, experiências estaduais na gestão dos riscos de desastres e políticas públicas de gestão de riscos de desastres naturais. “O evento possibilitou a troca de conhecimentos. Tudo isso agrega valor. Além de ter sido o reconhecimento do trabalho realizado por toda a nossa equipe”, afirmou Simão.

Três construções localizadas em áreas de alto risco na Rua João Balter, no Quarteirão Brasileiro, começaram a ser demolidas na manhã desta quarta-feira (4/12). Os imóveis representavam risco elevado para os moradores, pois apresentavam paredes e colunas com grandes rachaduras e sinais de que a estrutura das construções já estava comprometida. A ação faz parte do programa de demolição de construções irregulares, coordenada pela secretaria de Proteção e Defesa Civil.

Segundo o diretor operacional da Defesa Civil, Ramon Camilo, esses imóveis apresentaram risco geotécnico. “Estamos realizando essas demolições para garantir a segurança da população. Esses imóveis estão com estruturas abaladas e apresentam baixo padrão construtivo”, explicou.

Os três imóveis foram atingidos pelas chuvas de março. Em cada um morava uma pessoa, sendo que duas já estão sendo contempladas pelo aluguel social. “O secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Jorge Maia, foi incansável no convencimento para que as duas senhoras que moravam nessas casas pudessem sair e aceitar o aluguel social”, afirmou o assessor jurídico da Defesa Civil, Marcelo Voigt.

Para realizar a demolição da terceira casa, cujo morador não foi encontrado e não pleiteou o aluguel social, a Defesa Civil contou com o apoio da Polícia Militar.  A casa teve que ser arrombada. Para tanto, foi apresentado um mandado de intimação da 2ª Vara Federal de Petrópolis. Os móveis foram levados para o Departamento de Suprimento de Patrimônio (Desup), da Secretaria de Administração, localizado na Rua da Imperatriz, 264. O proprietário tem até 90 dias para reaver seus pertences. Para mais informações, o telefone do Desup é 2246-8457.

Com a proximidade do verão, a Defesa Civil reforça as orientações à população para reduzir os riscos de novos desastres naturais em Petrópolis. A proposta é que poder público e comunidades atuem juntos na prevenção. Para isso, é fundamental que moradores de áreas de risco sigam as orientações das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme e deixem suas casas quando há risco de deslizamentos.

São 18 conjuntos de sirenes instalados em dez bairros de Petrópolis: Quitandinha, Ferroviários, Vila Felipe, João Xavier, Sargento Boening, São Sebastião, Siméria, Independência, Dr. Thouzet e 24 de Maio. O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, frisa que as sirenes, quando acionadas, alertam para o risco iminente de deslizamento generalizado na comunidade.

“Quando a sirene toca, já é para o morador ter saído de casa. Quem mora em área de risco sabe quando está chovendo forte, até pelo barulho da chuva no telhado. Então não é para esperar a sirene tocar. A sirene é o último aviso, informando que quem ainda não saiu de casa deve sair imediatamente”, disse o secretário Rafael Simão.

Nas 18 comunidades onde há sirenes, estão sinalizados os pontos de apoio: locais para onde os moradores devem ir no caso de chuvas fortes. Mas os pontos de apoio são apenas uma das opções. A Defesa Civil também orienta que moradores de áreas de risco se dirijam para casas de parentes ou amigos que fiquem em locais seguros. Como frisou o secretário Rafael Simão, o Sistema de Alerta e Alarme é a melhor ferramenta que a Defesa Civil possui em Petrópolis de prevenção de tragédias das chuvas a curto prazo.

O prefeito Rubens Bomtempo participou na última quinta-feira (28/11), no Rio, do lançamento do Plano Estadual de Proteção e Defesa Civil. O evento, realizado no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, contou com a presença do governador Sérgio Cabral, do vice-governador, Luiz Fernando Pezão, do ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, e de prefeitos e secretários de Defesa Civil dos municípios do estado do Rio.

O governo do estado apresentou as medidas que vem tomando na prevenção e na resposta a desastres em parcerias com os municípios. Durante a apresentação do plano, o comandante do Corpo de Bombeiros e secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, citou Petrópolis como exemplo a ser seguido pelos demais municípios na prevenção de desastres naturais: além da iniciativa de criar os Nudecs (Núcleos comunitários com voluntários da comunidade), a Prefeitura criou uma gratificação adicional para agentes de saúde que atuam na prevenção, realizando o acompanhamento das chuvas, por meio de pluviômetros caseiros, cadastrando moradores de áreas de risco e participando dos cursos de capacitação da Defesa Civil.

“O prefeito Rubens Bomtempo criou uma gratificação adicional para os agentes de saúde. Com isso, criou um pequeno exército de prevenção de tragédias. Só temos uma chance de prevenção de desastres naturais, que é a comunidade reagir proativamente, ser capaz de autoproteção”, disse Simões.

Acompanharam o prefeito no evento no Rio os secretários de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), Jorge Maia, e de Ciência e Tecnologia, Airton Coelho. O Plano Estadual de Proteção e Defesa Civil define as competências de cada órgão na resposta e na prevenção de desastres naturais nos 92 municípios fluminenses. Além desse documento, Petrópolis vai contar, já no próximo verão, com o Plano Municipal de Contingência, em fase final de elaboração pela Prefeitura, que também define o que caberá a cada órgão em caso de tragédia das chuvas no município.

Estudantes e servidores de dez escolas municipais participaram nesta sexta-feira (29/11), Dia Municipal de Redução de Riscos de Desastres, de treinamentos de evacuação. A iniciativa uniu Prefeitura, Estado e União, já que também se comemora o Dia Estadual de Redução de Riscos nesta data. Os alunos de cada unidade foram treinados para deixar as salas de aula e a ir para a quadra da escola em poucos minutos, para assim estarem preparados no caso de incêndios, deslizamentos ou inundações.

A Prefeitura participou das atividades por meio das secretarias de Proteção e Defesa Civil e de Educação. As secretarias estadual e nacional de Defesa Civil também acompanharam as ações. O secretário de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel Rafael Simão, lembrou que prevenção de riscos de desastres deve ser feita em parceria pelo poder públicos e população.

“Para fazer Defesa Civil, tem que começar nas escolas, para as crianças aprenderem sobre prevenção desde cedo, começando assim uma mudança de comportamento em Petrópolis. Se cada um fizer um pouco, podemos ter uma cidade mais segura”, disse o secretário.

Os treinamentos foram realizados em dez escolas municipais: Dr. Rubens de Castro Bomtempo (Vila Felipe), Prefeito Jamil Sabrá (Rua Coronel Veiga), Governador Marcello Alencar (Quitandinha), Odette Fonseca (Duques), Stefan Zweig (Quitandinha), Vereador José Fernandes da Silva (Alto da Serra), Paroquial Bom Jesus (Dr. Thouzet), Clemente Fernandes (24 de Maio), Ana Mohammad (Castelânea) e João Paulo II (São Sebastião).

Outros treinamentos de evacuação foram realizados pelo Corpo de Bombeiros no Fórum, na Avenida Barão do Rio Branco; no Senac, na Rua Alfredo Pachá, no Centro; e na empresa GE Celma, no Bingen.

Na Escola Municipal Dr. Rubens de Castro Bomtempo, na Vila Felipe, os alunos deixaram as salas de aula e foram para a quadra da unidade em dois minutos e 14 segundos. A diretora da escola, Eliane Soares, afirmou que o resultado foi positivo, garantindo mais segurança para os estudantes na escola e em casa. Na unidade, há 900 estudantes do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, e participaram da atividade 401 alunos do turno da manhã.
“Se precisarem, esses alunos vão fazer a diferença nas escolas, na comunidade. É um ensinamento que eles vão levar para a vida deles”, disse a diretora.

Os geólogos, engenheiros e arquitetos da Secretaria de Proteção e Defesa Civil passaram, na terça-feira e na quarta-feira (26 e 27/11), por uma capacitação para reduzir o risco de vítimas nos atendimentos a ocorrências. O diretor de projetos da secretaria, o engenheiro civil Robson Gaiofatto, ministrou o curso “Estruturas colapsadas”, para que os técnicos da Defesa Civil tenham mais segurança ao atender as comunidades atingidas por fortes chuvas.
“A proposta é fornecer dados para que nossos técnicos saibam interpretar o comportamento de estruturas danificadas e assim minimizarmos ao máximo a ocorrência de vítimas durante os atendimentos”, disse Robson.
O curso foi uma oportunidade de aperfeiçoamento dos técnicos da Defesa Civil. O diretor Robson Gaiofatto tem mestrado, doutorado e pós-doutorado na área de estruturas. Ele mostrou casos de estruturas que apresentam patologias, com indícios de colapso a curto, médio ou longo prazo. Com essas aulas, os técnicos da Defesa Civil poderão identificar com ainda mais precisão quando é possível entrar em construções atingidas por fortes chuvas.
A capacitação dos técnicos da Defesa Civil é mais uma medida da Prefeitura para a redução do risco de desastres naturais em Petrópolis. Desde o início do ano, os geólogos e os engenheiros da secretaria vêm participando de cursos de aprimoramento, assim como outros setores da Prefeitura. Em outubro, a Defesa Civil realizou o 1º Curso de Práticas Operacionais, para os servidores públicos que atuam após desastres das chuvas. Os moradores de comunidades também vêm passando por capacitação para se tornarem voluntários da Defesa Civil: neste ano foram criados Núcleos Comunitários da Defesa Civil (Nudecs) em 33 comunidades, e mais 30 serão criados no próximo fim de semana.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, realizará ações de prevenção nesta sexta-feira (29/11), Dia Municipal de Redução de Desastres. As atividades contam com a participação de todas as secretarias municipais e da Secretaria de Estado da Defesa Civil. Em dez escolas municipais, haverá exercícios de evacuação, para que servidores e estudantes saibam como agir no caso de incêndios, inundações ou deslizamentos.
Os treinamentos serão realizados em dez escolas municipais: Dr. Rubens de Castro Bomtempo (Vila Felipe), Prefeito Jamil Sabrá (Rua Coronel Veiga), Governador Marcello Alencar (Quitandinha), Odette Fonseca (Duques), Stefan Zweig (Quitandinha), Vereador José Fernandes da Silva (Alto da Serra), Paroquial Bom Jesus (Dr. Thouzet), Clemente Fernandes (24 de Maio), Ana Mohammad (Castelânea) e João Paulo II (São Sebastião).
“Estamos convidando a população para formar uma grande rede de preevenção. Que cada um faça uma ação para a redução de riscos na sexta-feira, como não jogar lixo nas encostas, tirar remédios e produtos de limpeza do alcance de crianças. É fundamental também colocar o saco de lixo momentos antes de o caminhão passar. Se colocar depois, um cachorro de rua pode abrir, espalhando o lixo pela rua, entupindo assim bueiros e gerando inundações”, disse o secretário de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel Rafael Simão. “As atividades de sexta-feira são para mostrar que Petrópolis tem condições de ser um local mais seguro. Contamos com a ajuda das comunidades, e que todo dia seja um dia de prevenção”, reforçou.
Também haverá atividades de evacuação: no Fórum Desembargador Felisberto Ribeiro Monteiro Neto, na Avenida Barão do Rio Branco, 2001, Quarteirão Brasileiro; no Senac, na Rua Alfredo Pachá, 126, no Centro; e no GE Celma, na Rua Alice Herve, 356, no Bingen.

Terça, 26 Novembro 2013 - 17:31

Boletim da Defesa Civil – 17h30

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil informa que as chuvas da tarde desta terça-feira (26/11) não ocasionaram ocorrências graves em Petrópolis. O Rio Quitandinha chegou a transbordar na altura da Rua Coronel Veiga, mas já voltou ao normal. As demais ocorrências recebidas até o momento foram de pedidos de vistoria preventiva. O maior índice pluviométrico registrado foi no Bingen, onde choveu 68,8 milímetros em uma hora. A sirene no bairro Dr. Thouzet foi acionada, e os moradores orientados a procurar locais seguros, como pontos de apoio e casas de amigos ou parentes que não morem em áreas de risco.

Os interessados em se tornar voluntários da Defesa Civil terão nova oportunidade de se capacitar no próximo fim de semana. No sábado e no domingo (30/11 e 1/12), mais 30 comunidades de Petrópolis passarão a contar com Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs). Hoje já são mais de 300 voluntários em 33 Nudecs. Eles atuam como um elo entre as comunidades e a Defesa Civil, agindo na prevenção de desastres naturais e no primeiro atendimento no caso de fortes chuvas.

As inscrições devem ser feitas pelo telefone 2246-9163 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até a próxima sexta-feira (29/11). As aulas serão no sábado (30/11), de 9h as 16h, e no domingo (1/12), de 9h as 12h. Serão formados Nudecs em 30 comunidades no próximo fim de semana: Boa Esperança, Vale do Cuiabá, Madame Machado, Gentio, Benfica, Estrada das Arcas, Montese, Florido, Estrada da Saudade, Boa Vista, Itamarati, Quissamã, Cascatinha, Floresta, Bairro Esperança, Bela Vista, Alto da Derrubada, Comunidade São Francisco de Assis, Moinho Preto, Caxambu, Vale do Carangola, Vila Manzini, São Geraldo, Fazenda Inglesa, Rocio, Max Manoel Molter, Atílio Marotti, João de Deus, Siméria e Presidente Sodré.

Nas comunidades onde não houver 30 inscrições, não haverá Nudecs. A criação dos 30 núcleos será dividida em dez endereços. A listagem está disponível no site da Defesa Civil
(www.petropolis.rj.gov.br/dfc) e no Facebook (Defesa Civil de Petrópolis).A capacitação desses agentes é mais uma medida da Prefeitura para preparar a cidade para as chuvas de verão. A meta da Prefeitura de criar 50 Nudecs até o fim do ano deverá ser superada já neste fim de semana, chegando a mais de 60 núcleos formados. A formação é contínua, e a intenção da Defesa Civil é capacitar cada vez mais voluntários nos Nudecs já criados.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel Rafael Simão, lembra que poder público e a sociedade devem caminhar juntos para que Petrópolis não sofra mais com tragédias das chuvas. “Sabemos o esforço que é para o morador de uma comunidade deixar de passar o sábado e o domingo com a família. Mas sabemos também que, no dia em que esse voluntário da Defesa Civil salvar uma pessoa, ele verá que esse curso de capacitação valeu a pena, valeu todo o esforço”, disse o secretário Simão.

ENDEREÇOS DOS NUDECS:
Nudecs: Boa Esperança, Vale do Cuiabá, Madame Machado, Gentio, Benfica e Estrada das Arcas
Escola Municipal Theodoro Machado
Estrada Ministro Salgado Filho, s/nº, Boa Esperança

Nudecs: Montese, Florido, Estrada da Saudade e Boa Vista
Escola Fábrica do Saber
Rua Machado Fagundes, 269, Estrada da Saudade

Nudecs: Itamarati, Quissamã e Cascatinha
Ciep Maestro Guerra Peixe
Rua Bernardo Proença, 809, Cascatinha

Nudecs: Floresta, Bairro Esperança e Bela Vista
Escola Professor Joaquim Deister
Rua Dr. João Glass Veiga, s/nº, Floresta

Nudecs: Alto da Derrubada, Comunidade São Francisco de Assis e Moinho Preto
Escola São Francisco de Assis
Rua João Xavier, s/nº

Nudec do Caxambu
Escola Municipal Senador Mário Martins
Rua Flávio Cavalcanti, s/nº, Caxambu

Nudecs: Vale do Carangola, Vila Manzini e São Geraldo
Escola Municipal Dom Manoel Pedro da Cunha Cintra
Rua Dr. Jacob Bordignon, s/nº, Carangola

Nudecs: Fazenda Inglesa e Rocio
Escola Municipal João Kopke
Estrada Fazenda Inglesa, s/nº, Fazenda Inglesa

Nudecs: Max Manoel Molter, Atílio Marotti e João de Deus
Escola Municipal Rotary
Avenida Barão do Rio Branco, 1.967, Centro

Nudecs: Siméria e Presidente Sodré
Escola Municipal Rosalina Nicolay
Rua Presidente Sodré, 1.026, Siméria