Sexta, 11 Janeiro 2013 - 10:54

Defesa Civil aciona sirenes para simulação

A Coordenadoria de Defesa Civil acionou na manhã desta quinta-feira (10/1) as 18 sirenes instaladas na cidade para alertar às pessoas que vivem em áreas de risco sobre ocorrências de chuvas fortes. A iniciativa faz parte de uma série de simulações para preparar as comunidades para as situações de emergência.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Rafael Simão, as simulações são simultâneas nas 10 comunidades onde os sistemas de alerta foram instalados e acontecem todo dia 10 de cada mês, às 10h: “Queremos não só testar a eficácia do sistema como também mobilizar a população para participar deste exercício. Infelizmente, a adesão ainda é muito baixa, o que dificulta muito que a simulação aconteça o mais próximo possível da realidade”.

Simão destacou ainda que a atual administração está revendo todo o Sistema Municipal de Defesa Civil e que realiza estudos para implementar novas formas de acionamento das sirenes que garantam mais agilidade no apoio às pessoas que precisam deixar as áreas de risco. Além disso, estão previstas a instalação de dez Unidades de Proteção Comunitária para apoiar os trabalhos de evacuação das áreas.

O Sistema de Alerta e Alarme por Sirenes é formado por líderes comunitários, agentes comunitários de saúde, e integrantes de outros programas municipais

Atualmente, as sirenes são acionadas remotamente por meio de sensores de fibra ótica e internet 3G pela Coordenadoria de Defesa Civil de Petrópolis, ou manualmente nas comunidades em caso de queda de energia elétrica ou conexão, quando existe risco de deslizamento de barreiras ou outras situações adversas, oriundas de condições atmosféricas extremas.

Em seguida, inicia-se o procedimento de desocupação das áreas de risco com o deslocamento temporário dos moradores para os pontos de apoio, locais onde as famílias podem permanecer em segurança até que a situação se estabilize e a avaliação dos imóveis seja feita e a área liberada.

O sistema de acionamento das sirenes é um instrumento de alerta que não substitui a observação da comunidade e o bom senso. O morador que identificar sinais de instabilidade na moradia ou em seu entorno deve procurar local seguro.

Quinta, 10 Janeiro 2013 - 14:23

Coronel Simão passa o comando do 15º GBM

O tenente-coronel Bombeiro Rafael Simão deixou hoje (09/01) o comando do 15º GBM para se dedicar integralmente à Coordenadoria de Defesa Civil do município. Em seu lugar assume o tenente-coronel Igor da Rocha Cunha, garantindo que irá desenvolver um trabalho em parceria com o órgão municipal. O Comando de Bombeiro de Área da Região Serrana, que estava sob a responsabilidade do coronel Souza Viana, também tem novo comandante: o coronel Luiz Emmanoel Palência Barbosa.

A cerimônia aconteceu às 10h, na sede do 15º GBM e cerca de 100 pessoas participaram da cerimônia entre elas o vice-prefeito Luiz Fernando Vaz, representando o prefeito Rubens Bomtempo, e parte do secretariado do governo municipal, como o coronel Calixto Barbosa, da Secretaria de Segurança; Gilmar de Oliveira, presidente da CPTrans e o O comandante da Guarda Civil, Dirceu de Araújo, também participou da solenidade. O coronel Joelson, representou o coronel Sérgio Simões, secretário de Estado de Defesa Civil.

Rafael Simão permaneceu à frente do 15º GBM por pouco mais de um ano e seis meses. “É uma grande satisfação ter Rafael Simão na Defesa Civil. Desde os primeiros momentos da campanha eleitoral, nosso prefeito já expressava preocupação com as catástofres climáticas que da cidade. Por isso criou a Secretaria de Defesa Civil e a entregou nas mãos de uma pessoa extremamente competente, experiente e dedicada como o Simão”, disse o vice-prefeito.

Em seu discurso de despedida, Simão destacou que existe uma parceria firmada entre o governo do Estado e o município, que se uniram para fortalecer a Defesa Civil. Para o tenente-coronel, a cidade já havia percebido a necessidade e apenas aguardava o momento que um prefeito “arrojado e empreendedor como o nosso” criasse a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil. “É um ato de reconhecimento da importância de termos um órgão municipal forte e preparado para enfrentar os grandes desafios e ameaças que afligem o município. Estou honrado com o convite para ser o primeiro Secretário a assumir essa pasta”.

Sábado, 05 Janeiro 2013 - 11:01

Boletim Defesa Civil

O número de ocorrências e pedidos de vistorias registrados pela Defesa Civil de Petrópolis diminuiu consideravelmente nas últimas 24 horas. Entre a tarde de sexta-feira e manhã de hoje, o órgão recebeu apenas 14 chamados e a tendência é que continue diminuindo. Isso porque, os índices pluviométricos também baixaram e a previsão do CPTEC/Inpe, é de sol entre poucos nuvens para os próximos dias. Hoje, por exemplo, as temperaturas devem ficar entre 17ºC e 26ºC. Para segunda-feira, existe uma pequena de chuva pela tarde. O município saiu do estado de atenção e agora permanece apenas em estado de vigilância. Os maiores índices pluviométricos foram marcados no Centro, que em 24 horas acumulou 53 milímetros de chuva e no Vale do Cuiabá, que no mesmo período chegou a marca de 52mm. Ao todo, 99 ocorrências foram registradas pela Defesa Civil entre a noite de quarta-feira e manhã de ontem. Existem desalojados apenas na Comunidade do Vai Quem Quer, que liga a Rua Vital Brasil ao Siméria. No local, oito famílias permanecem na casa de parentes. O índice pluviométrico do Independência, que chegou a 198mm na noite de quinta-feira, baixou para apenas 16.5mm. Não chove em Petrópolis desde a noite de sexta-feira.

Sexta, 04 Janeiro 2013 - 14:11

Boletim Defesa Civil

A Coordenadoria de Defesa Civil de Petrópolis registrou 66 ocorrências devido às fortes chuvas que atingem a cidade desde a madrugada de quinta-feira. A queda de um muro na Rua Custódio Ferreira da Costa, no bairro São Sebastião, foi a última solicitação recebida pelo órgão, na noite do dia 3/01.

Apesar da chuva ter se estendido por toda a madrugada, ocorrências não foram registradas no município. Nesta sexta-feira, os primeiros contatos com a Defesa Civil começaram apenas às 7h18 da manhã, todos referentes a pedidos de vistoria. Não ocorreram novos deslizamentos de terra.

Até agora, as ocorrências mais graves foram registradas no Siméria, onde duas casas foram destruídas por deslizamentos de terra, e uma parcialmente danificada. Outras três  residências ficaram interditadas, deixando oito famílias desalojadas.

O maior índice pluviométrico foi de 87 milímetros, nas últimas 24 horas, foi marcado na região do Morin. No Independência, o índice  que era de 198mm, caiu para apenas 82.2 milímetros, enquanto no Bonfim, chegou a marca de 78 mm.

As famílias que estavam nos pontos de apoio do Independência e do Morin já retornaram para suas casas. No Siméria, oito famílias estão desalojadas e permanecem na casa de parentes.

Quinta, 03 Janeiro 2013 - 09:58

Boletim Defesa Civil

A Coordenadoria de Defesa Civil de Petrópolis registrou 22 ocorrências devido às fortes chuvas que atingiram a cidade na madrugada desta quinta-feira (3/1). No bairro Siméria, duas casas foram destruídas por deslizamentos de terra, três foram parcialmente danificadas e outras três interditadas, deixando nove famílias desalojadas.

O prefeito Rubens Bomtempo, que ontem decretou estado de calamidade pública na saúde, chegou às 4h30 na Defesa Civil para comandar pessoalmente as operações. Ele anunciou que a prioridade é restabelecer os acessoas das regiões mais atingidas e já solicitou dez caminhões da Comdep e equipes de limpeza para a retirada do lixo, entulho e das barreiras.

“Encontramos a cidade completamente abandonada. O lixo tomou conta das ruas causando o entupimento de ralos e bueiros, além de ter agravado os deslizamentos de terra. O mais importante nesse momento é liberar os acessos interditados e restabelecer a ordem pública”, disse o prefeito Rubens Bomtempo, que já havia convocado ao tomar posse a primeira reunião do Comitê de Ações Emergenciais para a tarde desta quinta-feira.

O maior índice pluviométrico foi de 138 milímetros, registrado na região do Siméria e Alto Independência, onde uma família foi para o ponto de apoio após o alerta da Defesa Civil. A rua Coronel Veiga, o Centro e o Bingen tiveram pontos de alagamento. Por conta de deslizamentos de terra, as ruas Vital Brasil e Manoel Francisco de Paula, no Siméria, foram interditadas. 

Pagina 140 de 140