A previsão é de tempo estável na cidade para esta quarta-feira (27), que terá céu claro, com poucas nuvens, sem registro de chuva. De acordo com Boletim Meteorológico da Defesa Civil, as condições do tempo permanecem até quinta-feira (28). A equipe de monitoramento da Defesa Civil segue no acompanhamento e qualquer alteração na previsão, novos informes serão enviados.

O Boletim Meteorológico é atualizado diariamente e pode ser acessado pelo link https://bit.ly/3vmRgZ2 e fica disponível no site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Para receber os avisos por SMS, basta cadastrar o CEP por meio de mensagem de texto para o número 40199. O acesso aos avisos também é possível por meio de grupos por aplicativo, através do link https://t.me/defesacivilpetropolis.

Atendimentos médicos das unidades ainda estão sendo feitos no HMNSE e Centro de Saúde

A Prefeitura, por meio de equipe especializada com acompanhamento da Defesa Civil, removeu 40 toneladas de pedra do Centro de Especialidades Maria Célia Machado - que funciona ao lado da UPA Centro.

As duas unidades estão interditadas por conta de deslizamento com queda de árvore e instabilidade em toda a encosta nos fundos dos prédios.

A interdição permanece até que os trabalhos de desobstrução, limpeza e obras de contenção para a área sejam concluídos.

Os casos de emergência estão sendo encaminhados para o Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE).

Pacientes de especialidades estão sendo atendidos no Centro de Saúde, na rua Santos Dumont.

Agentes da Defesa Civil acompanharam todo o trabalho, para a avaliação de riscos no local e sinalização sobre a atividade na via principal, que funciona parcialmente.

O trabalho de retirada das pedras e escombros do local teve início nesta segunda-feira (25).

Mais de 3 mil toneladas de pedras removidas

Além dos trabalhos na UPA Centro, as equipes especializadas em desmonte e remoção de pedras, também atuaram nos últimos dias na retirada de escombros de construções no Vila Felipe.

Com as últimas remoções realizadas, o município já soma a retirada de mais de 3,2 mil toneladas de pedras em áreas afetadas.

A matriz de responsabilidade estabelece que parte das rochas devem ser retiradas pelo município e outra parte (incluída aí o complexo da Rua Nova e da 24 de Maio) foi assumida pelo Governo do Estado.

A Defesa Civil já concluiu 78% das mais de 10 mil ocorrências solicitadas. Esse número representa a finalização de mais de 7,8 mil laudos de vistorias. O trabalho ininterrupto garantiu o encaminhamento quase que da totalidade das ocorrências registradas em função das chuvas deste ano. Nesta segunda-feira (25), 20 equipes técnicas atuaram por 19 localidades.

As equipes atenderam nesta segunda (25), os pedidos de vistorias nas regiões do Quitandinha, Vila Militar, Vila Felipe, Valparaíso, Centro, Samambaia, Alto Independência, Siméria, Castelânea, Alto da Serra, Fazenda Inglesa, Retiro, Lopes Trovão, Itaipava, Quissamã, Sargento Boening, Chácara Flora, Bingen e São Sebastião.

Até o momento, de todas as vistorias realizadas, as equipes registraram mais de 5,9 mil interdições. A maior parte das ocorrências foi por deslizamentos, com mais de 7,8 mil registros.  Desses, 37% dos casos afetaram diretamente imóveis em localidades de cerca de 60 regiões.  

No momento, os engenheiros, geógrafos e técnicos da Defesa Civil atuam nos atendimentos pontuais a residências afetadas de forma direta ou que estão em áreas de risco.

As solicitações de vistorias podem ser feitas pelo 199 ou em atendimento presencial na sede da Defesa Civil, localizada na Rua Buarque de Macedo, 128 – Centro. Os laudos de vistorias podem ser requeridos podem ser requeridos pelos mesmos canais ou ainda, pelo site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Equipes ampliam área de monitoramento para reforçar a segurança e permitir ações preventivas na localidade

A Secretaria de Defesa Civil reforçou o monitoramento das pedras da 24 de Maio. Nesta quarta-feira (20), mais dois sensores de movimento de rocha foram instalados em outras duas pedras no local e o sensor que já funcionava, passou por atualização. Os equipamentos vão ampliar a vigilância da área para identificar qualquer oscilação ou vibração em todo o entorno. Os sensores acusam não só alteração na posição das pedras, como também podem captar o deslizamento de terra no entorno. A transmissão dos dados coletados pelos sensores é feita de forma constante para o Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis (CIMOP).

O funcionamento do sistema foi constatado a partir do primeiro sensor, instalado no dia 17 de março, que emitiu alertas de segurança durante a chuva do dia 20 do mesmo mês. Os sensores complementam o sistema de monitoramento e alertas do município, que já conta com pluviômetros, estações geotécnicas, Sistema de Alerta e Alarmes (sirenes) e mecanismos de comunicação por SMS, canais de televisão por assinatura e emissão de avisos e boletins meteorológicos.

O monitoramento dos sensores agora é constante. Os aparelhos a todo momento passam informações sobre a posição das pedras. A qualquer vibração ou movimentação é emitido sinal na central de comando por meio de sinal de rádio, disparando alertas e informando quantos graus de movimentação ocorreram. O sistema conta com monitoramento em tempo real, por 24 horas, pelos 360 graus. Na 24 de Maio, os equipamentos estão programados para enviar disparos de alerta a partir de movimentos acima de cinco graus.

Sensores complementam sistema de monitoramento e alerta da Defesa Civil

Os sensores são os novos equipamentos que passam a integrar o sistema de monitoramento, alerta e alarme da Defesa Civil para os dias de chuva forte no município. A cidade conta ainda com um conjunto de 50 aparelhos pluviométricos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), distribuídos pelos cinco distritos. O município ainda possui cinco estações geotécnicas, que mostram o impacto da infiltração da chuva no solo.

A partir dos índices pluviométricos são avaliados os protocolos para o acionamento do Sistema de Alerta e Alarme por sirenes, que indicam os riscos de escorregamento pelas localidades. O município possui 20 conjuntos de sirenes.

Atualmente os aparelhos sonoros funcionam nas localidades da 24 de Maio (Morro do Estado); 24 de Maio (Rua Nova); Dr. Thouzet; Alto da Serra – Ferroviários; Sargento Boening; Vila Felipe – Campinho; Vila Felipe - Chácara Flora; Independência - Rua O; Independência – Taquara; João Xavier; Quitandinha – Amazonas; Quitandinha – Ceará; Quitandinha – Duques; Quitandinha - Espírito Santo; Quitandinha - Rio de Janeiro; São Sebastião - Vital Brazil; São Sebastião - Adão Brand; Independência – Siméria; Itaipava – Gentio e Vale do Cuiabá – Buraco do Sapo.

Número de ocorrências atendidas no período é maior do que foi registrado em todo ano de 2021

A Secretaria de Defesa Civil concluiu nesta terça-feira (19) mais de 7 mil laudos de vistorias em áreas afetadas pelas chuvas de fevereiro e março. Esse número representa 71,1% dos mais de 9,9 mil Registros de Ocorrências (RO) cadastrados nos últimos dois meses. Nesse período, foram realizados, em média, 150 atendimentos por dia para vistoriar cerca de 60 localidades atingidas.

O total de laudos concluídos nos últimos dois meses é quatro vezes maior do que o registrado em todo o ano de 2021. Ano passado foram atendidas cerca de 1,6 mil ocorrências. O resultado de atendimentos deste ano é fruto de trabalho intensificado, com equipes reforçadas atuando de domingo a domingo, em todas as localidades atingidas.

Nesta terça-feira (19), 20 equipes seguiram na realização das vistorias e percorreram as localidades Centro, Estrada da Saudade, Cascatinha, Alto da Serra, Vila Felipe, Sargento Boening, Siméria, Bairro Castrioto, Independência, Chácara Flora, 24 de Maio, Quitandinha, Corrêas, São Sebastião, Morin e Meio da Serra.

No último fim de semana - prolongado por conta do feriado de semana santa - as equipes concluíram em três dias mais de 540 vistorias e percorreram mais de 30 localidades. Nesta semana, que também é impactada pelos feriados dos dias 21 e 23, as equipes seguirão trabalhando para agilizar a conclusão de todas as demandas em função das chuvas. Em média, foram finalizadas nos últimos dois meses, mais de 1.700 ocorrências por semana.

Até o momento, mais de 5,3 mil imóveis foram interditados pelas ocorrências, que foram em sua maioria por deslizamentos, afetando 2,8 mil construções. Do total de registros, 2,6 mil vistorias estão em andamento.

A retirada dos laudos dos Registros de Ocorrência (RO) pode ser feita presencialmente na sede da Defesa Civil - na Rua Buarque de Macedo e ainda - por meio do site da secretaria https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/, por onde o solicitante pode requerer o RO Digital. Pelo site, é possível consultar a disponibilidade do RO e o pedido documento é feito a partir de cadastro na página eletrônica.

Desde o dia 22 de fevereiro, equipes especializadas já retiraram 3,2 mil toneladas de pedra em áreas afetadas na cidade

As equipes da Secretaria de Defesa Civil atuaram em apoio ao trabalho de desmonte de rochas concluído nesta terça-feira (19), na Rua Teresa, na servidão Dr. Hélio Amado, 1515. Na localidade, um complexo de rochas de mais 500 metros cúbicos - equivalente a 1350 toneladas de pedra – foi retirado. Devido a complexidade de atuação por conta da quantidade de pedras, a operação foi realizada aos poucos. Desde o último sábado (16) as equipes trabalham na remoção do material. Foi necessário o isolamento e sinalização da área, que como medida de segurança, precisou ser evacuada em até 50 metros do entorno.

Com mais essa operação no Alto da Serra, as equipes somam 3,2 mil toneladas de pedras retiradas das áreas afetadas pelas chuvas. Para a realização do desmonte, na parte alta da servidão, o tráfego na via principal precisou ser interrompido para garantir a segurança da ação. Equipes de geólogos da Defesa Civil acompanham os trabalhos desde o último sábado para a avaliação do local e realização dos desmontes de forma segura.

O desmonte de rocha já foi realizado em outras áreas da Rua Teresa e Alto da Serra pelas equipes que estão na cidade desde o dia 22 de fevereiro. Além dessas, a detonação de pedras já foi feita nas localidades do Caxambu, Rua Primeiro de Maio, Saldanha Marinho, Morro da Oficina, Vila Felipe, Rua Uruguai, Rua Barão de Águas Claras, Rua Dr. Thouzet e São Sebastião.

O desmonte de rocha feito ao longo dos últimos dois meses, tem garantido a desobstrução de vias de áreas afetadas, além de retirar pedras de áreas que ainda apresentam riscos. Para a retirada das rochas de pequeno, médio e grande porte é utilizada técnica de baixo impacto, que oferece segurança não apenas aos operadores, mas para a população do entorno.

É adotado um procedimento com uso de corrente elétrica de baixa voltagem, que provoca a queima do produto a partir de uma reação exotérmica. A técnica utilizada não causa vibrações e não provoca o lançamento de fragmentos. Apesar da segurança que o próprio método oferece, ainda é feito o isolamento de 50 metros do local de trabalho

A previsão é de maior estabilidade nas condições do tempo para esta terça (19) e quarta-feira (20), que serão dias com menos nebulosidade e sem registro de chuva. De acordo com o Boletim Meteorológico da Defesa Civil, os dias terão temperatura com variação entre 10°C e 23°C. As equipes de monitoramento seguem acompanhando as mudanças nas condições do tempo e a qualquer alteração, novos informes podem ser emitidos.

O Boletim Meteorológico é atualizado diariamente e pode ser acessado pelo link https://bit.ly/3vmRgZ2. O informe também fica disponível no site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

As mudanças nas condições do tempo ainda podem ser comunicadas por SMS. Para receber os informes basta cadastrar o CEP por meio de mensagem de texto para o número 40199. O acesso aos avisos também é possível por meio de grupos por aplicativo, através do link https://t.me/defesacivilpetropolis.

Secretaria de Defesa Civil atendeu em dois meses, um número quatro vezes maior da média de um ano inteiro

A Secretaria de Defesa Civil concluiu o atendimento de 66,5% das ocorrências registradas em função das chuvas de fevereiro e março. Ao todo, mais de 6,5 mil das cerca de 9,8 mil ocorrências cadastradas, estão com as vistorias concluídas. Esse número, alcançado nos últimos dois meses de trabalho, representa o quádruplo de vistorias que as equipes costumam fazer ao longo de um ano. Em 2021, a secretaria registrou cerca de 1,6 mil atendimentos em 12 meses. Com o número elevado de registros, principalmente pelas localidades do primeiro distrito, a secretaria atua com reforço das equipes. No momento, 30 profissionais entre engenheiros, geólogos, geógrafos e técnicos concluem, em média, 150 laudos por dia.

Desde o dia 15 de fevereiro, a secretaria conta com o suporte das equipes do Departamento de Recursos Minerais do Estado (DRM) para a demarcação dos polígonos de risco remanescentes. Foram identificadas 226 áreas de maior sensibilidade, suscetíveis a novas ocorrências em 51 regiões. A partir das vistorias pontuais, em imóveis de cada localidade, as equipes técnicas atuam na reavaliação dos polígonos, seja para ampliar ou reduzir as áreas de risco.

Até o momento, foram estabelecidas mais de 5 mil interdições, entre provisórias ou permanentes em imóveis nas localidades afetadas. Para as construções em que são identificadas possibilidades de intervenções de segurança, os técnicos fazem as recomendações para a recuperação dos pontos afetados, de forma que os proprietários possam retornar para suas casas. No entanto, para os imóveis afetados em suas estruturas de forma irrecuperável, ou que ofereçam risco para imóveis do entorno ou logradouros, a interdição permanente é executada, podendo haver a recomendação de demolição.

A Secretaria de Defesa Civil trabalha no levantamento dos imóveis para os quais será recomendada a demolição. Até o momento, 137 construções estão com as estruturas inteiramente abaladas e precisarão demolidas nas regiões do Alto da Serra, Quitandinha, Caxambu, São Sebastião, Chácara Flora, Siméria, Bingen, Bairro da Glória, Provisória, Mosela, Morin, Estrada da Saudade e Castelânea.

Defesa Civil mantém força tarefa para concluir vistorias

Até o momento, de todo o período, faltam cerca de 3,2 mil Registros de Ocorrência (RO) a serem concluídos. A vistoria em imóveis é feita a partir de solicitação pelo número de telefone 199 ou ainda 2246-9281. O atendimento também pode ser feito presencialmente na sede da Defesa Civil. Da mesma forma podem ser feitas as solicitações para a retirada dos laudos de vistorias, que também é possível por meio do site da secretaria https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Do total de mais de 6,5 mil laudos concluídos, cerca de 1,5 mil foram retirados na secretaria, seja na forma impressa ou digital, o que é possível também pelo site. Na página oficial da secretaria, o solicitante pode consultar se o laudo está pronto e, estando o documento disponível, o requerimento pode ser feito apenas com um cadastro no site. O documento é disponibilizado para a impressão do solicitante, sem precisar que o mesmo se desloque até a secretaria.

Muro apresenta danos estruturais; Defesa Civil e Secretaria de Obras realizam nova avaliação

As equipes das secretarias de Obras e Defesa Civil realizaram nova avaliação de imóvel na Rua Quissamã, na altura do número 1072, onde um muro apresenta danos estruturais, com risco de desabamento. O proprietário, que já havia sido notificado, recebeu novamente as equipes para recomendações de obras de contenção que precisam ser feitas.

Com cerca de 4 metros de altura, o muro tem várias fissuras, trincas e rachaduras e pode afetar a ligação entre o Centro e o segundo distrito, nos dois sentidos da via. Por se tratar de intervenção em propriedade particular, a Prefeitura atua na orientação e acompanhamento da realização das obras. Além de ter notificado o proprietário, a Prefeitura avalia outras medidas de segurança cabíveis para o local.

Tendo em vista a intervenção considerada de grande porte, mesmo sendo em imóvel privado, os órgãos públicos acompanham a situação de perto para garantir a segurança na localidade. A depender da obra a ser realizada, pode haver interferência no tráfego de veículos na via principal e ainda pode ser necessário o isolamento e restrição de passagem de pedestres. As equipes técnicas continuam acompanhando a situação para que seja adotada a melhor solução para o caso.

A noite desta quinta-feira (14) ainda será com possibilidade de chuva moderada a forte, de acordo com o Boletim Meteorológico da Secretaria de Defesa Civil. Um novo aviso por SMS e grupos de comunicação por aplicativo foi enviado, às 17h02, para alertar a previsão de chuva intensa para esta noite e madrugada desta sexta-feira. Assim, nas primeiras horas do feriado de amanhã, dia 15, ainda poderá haver registros de chuva intensa. As condições do tempo são influenciadas pela passagem de frente fria pela Região Sudeste, que ainda pode provocar ventos de alta intensidade.

Nessas condições, ainda poderá haver declínio na temperatura. Entre hoje e amanhã a máxima varia entre 18°C e 23°C. No fim de semana, a queda na temperatura permanece. No sábado e domingo, a máxima prevista é de 21°C.

Para o feriado, nesta sexta-feira (15), a tendência é de haver diminuição da intensidade da chuva, passando a ser fraca a moderada. No sábado (16), o dia ainda será instável, com registros de chuva fraca de forma isolada. Para domingo (17) e segunda (18), não há previsão de chuva, e o tempo começa a apresentar maior estabilidade.

As equipes da Defesa Civil estão de sobreaviso para a necessidade de aumento de efetivo para o atendimento a ocorrências em função da chuva. O monitoramento das condições do tempo segue de forma constante e novos alertas podem ser enviados ao longo do período de instabilidade no município.

A Defesa Civil orienta que a população fique atenta aos novos informes que podem ser emitidos a qualquer momento. Para receber os avisos por SMS é preciso cadastrar o CEP através do envio de mensagem de texto para o número 40199. O conteúdo pode ser acompanhado também pelo aplicativo, acessado no link  https://t.me/defesacivilpetropolis.

O Boletim Meteorológico atualiza a previsão do tempo para a cidade diariamente e é acessado através do link: https://bit.ly/3vmRgZ2.

Primeiro distrito registra maior acumulado na manhã desta quinta-feira (14)

Com a chuva que afetou a cidade na manhã desta quinta-feira (14), o primeiro distrito foi o que registrou maior acumulado pluviométrico, com 50,5 milímetros em 24 horas. Nas demais localidades os registros foram:
2º Distrito - 40.1 mm/24h
3º Distrito - 28.25 mm/24h
4° Distrito - 38.4 mm/24h
5° Distrito - 12.39 mm/24h

Pagina 3 de 139