Com 87% das ocorrências atendidas, equipes da Defesa Civil seguem em atuação diária por todas as localidades atingidas

Mais de 9 mil laudos de vistorias estão concluídos pela Secretaria de Defesa Civil de Petrópolis. Esse número representa 87% dos mais de 10,4 mil Registros de Ocorrências (RO) cadastrados desde o dia 15 de fevereiro, incluindo os dos desastres da chuva de março. Nos últimos 80 dias, as equipes de engenheiros, geólogos, tecnólogos e geógrafos do município trabalham diariamente com reforço no efetivo, para garantir celeridade no atendimento a todos os casos registrados em áreas de cerca de 60 localidades no município.

Diariamente, os 30 profissionais da Defesa Civil do município, se distribuem na realização de vistorias, elaboração de laudos e análises de áreas de risco. Nesta quinta-feira (5), 22 equipes vistoriaram 15 localidades, entre as quais o Floresta, Morin, Alto da Serra, Castelânea, São Sebastião, Quitandinha, Nogueira, Bingen, Centro, Siméria, Meio da Serra, Vila Felipe, Sargento Boening, Coronel Veiga e Valparaíso. Além das vistorias, as equipes contam ainda com o apoio do Departamento de Recursos Minerais (DRM), no suporte para a avaliação de áreas afetadas, com a demarcação de 277 polígonos de risco remanescentes.

“Estamos com nossas equipes técnicas inteiramente voltadas para o atendimento célere de todos os registros de ocorrências. Diariamente estamos em atuação nas áreas afetadas e vamos continuar com esse trabalho intensificado, inclusive aos fins de semana, para concluir todos os atendimentos referentes às chuvas”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers.

A maior parte das ocorrências foi por deslizamentos. Dos registros, mais de 7,9 mil foram por deslocamentos de massa e blocos de rocha. Ao todo, mais de 6,5 mil imóveis foram interditados. Os laudos técnicos podem ser retirados em atendimento na sede da Defesa Civil, que fica na Rua Buarque de Macedo, 128 – Morin ou solicitados por meio de cadastro no site https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/. O pedido para a realização de vistoria pode ser feito pelos telefones 199 ou pelo 2246-9281 e ainda por atendimento presencial na secretaria.

Trabalho visa avaliar quais as melhores alternativas de prevenção podem ser adotadas em áreas de risco na cidade

As equipes da Secretaria de Defesa Civil do município acompanharam, nesta quinta-feira (5), inspeção por áreas afetadas pelas chuvas de fevereiro e março. A ação ofereceu suporte ao trabalho da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Japan Internacional Cooperation Agency - JICA) e dos técnicos da Defesa Civil Nacional, por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), que estão na cidade para análise dos danos causados pelos desastres das chuvas. Engenheiros, geólogos, geógrafos e técnicos analisaram o perfil das ocorrências registradas nas localidades da 24 de Maio, Rua Teresa, Morro dos Ferroviários, Vila Felipe e Caxambu.

A medida visa buscar soluções e recursos para a aplicação de projetos de recuperação de áreas e estabelecimento de medidas de prevenção em áreas de risco. A partir da análise de território, os especialistas da JICA buscam oferecer cooperação técnica para projetos de prevenção que podem ser adotados nas localidades. Um dos objetivos é avaliar a aplicação do projeto SABO, para a instalação de barreiras que retêm o fluxo de detritos em áreas com risco de deslizamento e podem minimizar os danos às edificações.

“Essa é mais uma importante cooperação para o município e estamos bastante otimistas com mais essa parceria técnica para garantir não só a recuperação, mas medidas de prevenção a desastres”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

O trabalho das equipes do Ministério do Desenvolvimento Regional complementa as ações iniciais realizadas na cidade após os desastres e, a partir do acordo de cooperação técnica com a JICA se avaliam medidas eficazes para as áreas afetadas. “Nesse momento conseguimos entender a extensão dos danos e entender um pouco mais o fenômeno que deflagrou o desastre com o movimento de massa. A partir de agora temos outras perspectivas de avaliação junto com as equipes do município, em parceria com os especialistas do Japão”, pontuou o diretor do Departamento de Obras do MDR, Paulo Falcão.

Municípios como Teresópolis e Nova Friburgo já estão recebendo projetos estruturais com foco na prevenção de desastres. A partir da análise de campo realizada nesta quinta-feira (5) o especialista da JICA, Hideto Ochi destaca que, assim como as cidades vizinhas, Petrópolis apresenta características de movimento de massa específicas. “O nosso projeto tem foco no fluxo de detritos e pensamos no que pode ser possível a partir do tipo de evento que vimos por aqui. Pretendemos estudar essa área. Muitas localidades tiveram deslizamentos planares e precisam de obras em encostas. No que estiver ao nosso alcance, vamos ajudá-los a fazer esse plano de intervenções”, destacou o representante da JICA.

As equipes da Defesa Civil oferecem todo o suporte técnico para que os trabalhos tenham andamento. Além do acompanhamento com análise in loco nas áreas afetadas, todo o conteúdo técnico produzido desde o dia 15 de fevereiro, será disponibilizado para que as equipes façam os estudos necessários. “Estamos com nossas equipes empenhadas nesse trabalho de cooperação para que possamos evoluir em medidas de prevenção a partir do desenvolvimento de obras estruturantes que vão ajudar a mitigar riscos”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente coronel Gil Kempers.

Parceria entre município e governo do Japão pode ampliar mecanismos voltados para a identificação de riscos

A Prefeitura recebeu as equipes técnicas da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Japan Internacional Cooperation Agency - JICA) e do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR) com o foco no estabelecimento de novo acordo de cooperação técnica para a implantação de medidas de prevenção a desastres no município. Em encontro realizado na tarde desta quarta-feira (4), com a participação das equipes das Secretarias de Defesa Civil e Obras, além da Coordenadoria Especial de Articulação Institucional, foi apresentado um novo projeto, o SABO, voltado para a mitigação de desastres no Japão e que pode ser implantado no Brasil. A iniciativa visa a construção de barreiras para conter deslizamentos em áreas de risco.

Para a realização do estudo técnico voltado para a implantação do projeto, as equipes da JICA e MDR vão permanecer na cidade para percorrer as áreas mais impactadas pelas chuvas de fevereiro e março. A proposta é avaliar os locais afetados para entender o tipo de ocorrência registrada, em maioria por conta de deslocamento de terra, e estudar os melhores mecanismos de prevenção para cada localidade. Inicialmente, entre os pontos a serem analisados estão os casos de maior gravidade registados nas regiões do Caxambu, 24 de Maio e Alto da Serra.

“Estamos enfrentando a maior tragédia da história na nossa cidade e estamos muito esperançosos em fortalecer nossos vínculos novamente, pois precisamos lidar com essa realidade que antes não existia. Precisamos considerar esse novo padrão de chuva que afeta a nossa região e esse é um grande desafio”, pontuou o prefeito Rubens Bomtempo. Com a iniciativa, o município retoma o diálogo institucional com o Japão. “Essa é uma importante iniciativa para que se garantam ações e políticas públicas de médio e longo prazo”, complementou Bomtempo, destacando que o novo projeto tem muito a contribuir na implantação de soluções estruturais para a cidade.

Projeto Sabo cria barreiras em locais com mais risco a movimento de terra

O projeto, que já está sendo implantado nos municípios de Teresópolis e Nova Friburgo, visa o estabelecimento de medidas para a redução de danos em áreas de risco. A ideia é replicar nos territórios avaliados estruturas como às adotadas no Japão, tendo em vista a semelhança das ameaças naturais que ocorrem no país. Por meio de barreiras permeáveis, feitas com tubos de aço e as não permeáveis, construídas com concreto, se objetiva reter o fluxo de detritos, sem impedir a fluidez da água. A medida diminui os danos que podem ser causados às edificações.

“Esses desastres acontecem há muitos anos no Brasil e há medidas robustas para a contenção. A nossa expectativa é que a nossa análise favoreça nos projetos de reconstrução da cidade. Conforme análise do material e da topografia de cada localidade, pode-se começar a pensar na construção dessas estruturas. Acreditamos que possamos mostrar nossa experiência e que algo seja útil para as obras na cidade”, destacou Hideto Ochi, chefe da equipe da JICA no projeto SABO.

Cooperação técnica para a prevenção de desastres

Esta será a segunda vez em que Petrópolis e Japão atuam, por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional, para se estabelecer a cooperação técnica necessária para a prevenção de desastres. Para o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers é importante ampliar o conhecimento entre demais setores da gestão pública, para se entender as dificuldades que possibilitem mudanças e avanços para a gestão pública.

“Esse é o momento de fazer a virada e estamos começando muito bem com essa visão de trazer um conhecimento tão específico e peculiar para nossa cidade. É a primeira vez que pensamos em prevenção com obras estruturantes. Sempre se pensou em reconstrução, mas podemos avançar muito com obras com foco na prevenção. Esse é um trabalho que pode mudar de forma eficiente a gestão do desastre no país”, pontuou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers.

O coordenador especial de Articulação Institucional, Rafael Simão que foi um dos articuladores para mais essa a parceria entre o município e a Jica, destacou ainda a importância das ações realizadas anteriormente para o fortalecimento da cidade no que tange ações de prevenção e mitigação de riscos. “Que todo esse programa intersetorial possa estabelecer força necessária para reconstrução da cidade e tornar a cidade mais resiliente, com ações a médio e longo prazo”, considerou.

Projeto Gides possibilitou a identificação de riscos

Durante o encontro o prefeito lembrou de parcerias anteriores com o do Projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides), implementado entre os anos de 2014 e 2017 no município. Na ocasião, Petrópolis teve participação direta no projeto, executado pelo MDR, partir de treinamento e capacitação de equipes; de estudo de território para a identificação de áreas de maior riso a deslizamento; implantação de sistema de alerta e alarme; e estruturação de obras e planejamento. “Em 2014 estivemos no Japão a convite da Jica, fizemos o curso e conhecemos experiências em termo de prevenção e resposta a desastres. Agora queremos conhecer esse novo projeto para tentar contribuir para a implantação de soluções estruturais”, destacou o prefeito.

Ao longo desta quarta (4) pode haver registro de ventos de intensidade moderada, com rajadas fortes

Para esta quarta-feira (4/5), a previsão é de céu parcialmente nublado a nublado, com possibilidade de pancadas de chuva moderada a forte no período da tarde, podendo ganhar intensidade entre a noite até a manhã de quinta (5/5). De acordo com o Boletim Meteorológico da Defesa Civil, o município poderá ter registro de ventos moderados, com rajadas fortes no período. A temperatura pode variar entre a mínima de 16°C e 28°C.

A Defesa Civil segue no acompanhamento das condições do tempo para o município, que pode sofrer alterações ao longo do período, e atualizações serão enviadas se necessário.

O acompanhamento diário da previsão do tempo pode ser feito pelo Boletim Meteorológico, acessado pelo link https://bit.ly/3vmRgZ2 e disponível no site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Para receber os avisos por SMS, basta cadastrar o CEP por meio de mensagem de texto para o número 40199. O acesso aos avisos também é possível por meio de grupos por aplicativo, através do link https://t.me/defesacivilpetropolis.

Por meio da Secretaria de Defesa Civil, município recebe iniciativa voltada a estruturar cidades para a prevenção e enfrentamento de desastres

Com a participação de representantes de diferentes setores da gestão municipal, do Estado e entidades representativas, o governo municipal abriu nesta terça-feira (3/5), pela manhã, o evento Construindo Cidades Resilientes (Making Cities Resilient - MCR2030). A iniciativa, promovida por meio da Secretaria de Defesa Civil em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU), tem como foco preparar a cidade para ampliar os mecanismos de prevenção e enfrentamento aos desastres socioambientais.

O trabalho desenvolvido visa a criação de um plano de resiliência local voltado para o fortalecimento de políticas públicas em Defesa Civil. Durante a abertura do evento, o prefeito lembrou da criação da Secretaria de Defesa Civil no município, ocorrida durante sua gestão anterior no ano de 2013.

O prefeito Rubens Bomtempo destacou a importância do trabalho integrado com todas as frentes do governo, que contribuiu para a recuperação da cidade após as chuvas deste ano. Em 20 dias após as chuvas de fevereiro, a cidade já tinha a acessibilidade restabelecida e passados quase 80 dias, aproximadamente 9 mil ocorrências já foram atendidas a partir de trabalho intensificado das equipes da Defesa Civil do município. Em todo o período, mais de 10,3 mil Registros de Ocorrências já foram recebidos pelo órgão.

“Viemos de uma época em que era necessária a criação de políticas públicas para o enfrentamento de desastres. Buscamos conhecimento, pesquisamos muito para estruturar a nossa cidade. Hoje estamos retomando essa discussão para a criação de mecanismos para tornar a nossa cidade cada vez mais resiliente”, pontuou o prefeito Rubens Bomtempo, lembrando que é a partir de trabalho de troca de conhecimento entre diferentes entidades, que o município conseguiu se estruturar no passado e vai se fortalecer agora.

O Secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers ressaltou a importância do trabalho integrado e o planejamento, envolvendo diferentes frentes de trabalho, para o alcance de um processo que resulte em mudança, com foco na prevenção de desastres. “Esse trabalho é fundamental para que possamos evoluir nossos protocolos de prevenção e enfrentamento a desastres. Com os recentes episódios verificamos que houve uma mudança no padrão da chuva e com isso, pode ser que criemos novas as formas de emissão de alertas”, pontuou o secretário, destacando que, assim como o estabelecimento de mecanismos, também se faz cada vez mais necessária a maior participação da população no entendimento do processo de prevenção e enfrentamento a desastres.

Evento insere diferentes setores no processo de prevenção e enfrentamento de desastres

Com a participação de representantes de diferentes setores do governo, a iniciativa desenvolvida pela ONU busca o estabelecimento de plano de resiliência que envolva diferentes setores, com o objetivo de tornar a cidade ainda mais preparada. De acordo com a coordenadora regional para Américas e Caribe, da iniciativa Construindo Cidades Resilientes 2030 das Nações Unidas, Adriana Campelo, a proposta é contribuir para que as cidades possam não só ter condições de atuar em situação de riscos, mas principalmente, se tornar mais prósperas e contar com maiores estruturas para a preservação de vidas.

“O que estamos fazendo aqui é um plano de resiliência, que integra vários setores da comunidade, para preparar as cidades às adaptações climáticas e construirmos cidades mais resilientes. O que se começa a fazer aqui hoje é um plano de trabalho, de atuação no curto prazo com o olhar para o longo prazo”, destaca Campelo, reforçando que Petrópolis é uma cidade que tem grande experiência em ações de prevenção a desastres.

Além da Defesa Civil, o evento contou com a participações e profissionais atuantes em áreas da gestão pública como Desenvolvimento Econômico; Meio Ambiente; Educação; Cultura; Coordenadoria Especial de Articulação Institucional; Obras; Saúde; Serviços, Segurança e Ordem Pública e ainda, representantes do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e da Secretaria de Defesa Civil do Estado.

Para amanhã (3/5) não haverá chuva, mas pode haver rajadas de vento forte no período da noite

Para os próximos dias, um sistema de baixa pressão e a passagem de frente fria influenciarão nas condições do tempo no município, principalmente no período da noite. De acordo com o Boletim Meteorológico da Defesa Civil, nesta terça-feira (3/5), não há previsão de chuva durante o dia, mas há indicativos que apontam para o aumento da intensidade do vento no fim da tarde, podendo ser moderado a forte. A temperatura pode variar entre a mínima de 15°C e máxima de 27°C.

Para a quarta-feira (4), o município ainda poderá ter registro de ventos moderados, com rajadas fortes, ao longo do dia. Para a noite, há previsão de pancadas de chuva moderada a forte. Essas condições se estendem para a madrugada de quinta-feira (5), que pode ter chuva moderada a forte até o período da manhã, com perda da intensidade ao longo do dia. Na sexta-feira (6), o dia pode ser sem chuva.

A Defesa Civil segue no acompanhamento das condições do tempo para o município, que pode sofrer alterações ao longo do período e atualizações serão enviadas se necessário.

O acompanhamento diário da previsão do tempo pode ser feito pelo Boletim Meteorológico, acessado pelo link https://bit.ly/3vmRgZ2 e disponível no site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Para receber os avisos por SMS, basta cadastrar o CEP por meio de mensagem de texto para o número 40199. O acesso aos avisos também é possível por meio de grupos por aplicativo, através do link https://t.me/defesacivilpetropolis.

Em evento com entidades representativas, município aprimora conhecimentos para a redução do risco de desastres

Por uma cidade mais resiliente. É com esse foco que a Prefeitura, por meio da Secretaria de Defesa Civil de Petrópolis, se junta aos demais representantes do setor de todo o Estado, no evento Construindo Cidades Resilientes (Making Cities Resilient - MCR2030). A iniciativa realizada em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU) teve o primeiro encontro nesta segunda-feira (2/5), no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no Rio de Janeiro. Na ocasião foram apresentados mecanismos voltados para a redução do risco de desastres.

O evento será seguido de dois encontros. Após o primeiro desta segunda (2), com os representantes de Defesa Civil de todo o Estado e o segundo, que será realizado amanhã (3/5), quando haverá continuidade da ação em Petrópolis. Neste, a Prefeitura reunirá representantes de demais pastas de governo: Obras, Saúde, Educação, Meio Ambiente, Assistência Social, Coordenadoria Especial de Articulação Intersetorial, Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Cultura. Ainda participarão representantes do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e Secretaria Estadual de Defesa Civil. A proposta é de que todas as áreas estejam alinhadas e preparadas para a adoção de medidas necessárias e imediatas para a recuperação da cidade em caso de situações de emergência.

A iniciativa MCR2030 visa o alcance da resiliência local por meio do compartilhamento de conhecimento e experiências entre cidades, além do estabelecimento de redes de aprendizagem mútua, articulação entre governos e construção de parcerias. A ação visa apoiar cidades a reduzir riscos de desastres e construir resiliência urbana. A proposta é de que até 2030, as cidades desenvolvam mecanismos para que se tornem inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis.

“Vamos atualizar nosso conhecimento sobre o tema. Percebemos a necessidade de levar esse conhecimento para os demais setores do governo, tendo em vista que diversas áreas atuam em conjunto numa situação de emergência, de forma a garantir o atendimento à população eficaz e a recuperação célere da cidade”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers.

A Secretaria de Defesa Civil enviou nesta sexta-feira (29), às 16h10, aviso por SMS e por grupos de comunicação por aplicativo para alertar a previsão de pancadas de chuva moderada nas próximas horas. A aproximação de frente fria pelo oceano modifica as condições do tempo no município e entre a noite de hoje (29), madrugada e manhã de sábado (30), a chuva pode ganhar intensidade, chegando a ser forte de forma localizada. No meio da tarde, o município começou a apresentar instabilidade no tempo e, de acordo com o Sistema de Alertas de Cheia do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), a cidade pode apresentar elevação dos rios em função da chuva.

A Defesa Civil está com as equipes operacionais de sobreaviso e reforçará o efetivo para o suporte no atendimento a ocorrências se necessário. O monitoramento das condições meteorológicas para o município é mantido de forma constante e novos alertas podem ser emitidos no período. É importante que a população esteja atenta às atualizações sobre as condições do tempo que podem ser feitas a qualquer momento.

Para amanhã, sábado (30), a Defesa Civil antecipa que a previsão é de aumento da nebulosidade e declínio da temperatura. A previsão é de que a máxima chegue a 23°C, com chuva fraca a ocasionalmente moderada, de forma isolada ao longo do dia. Para domingo (1/5) não há indicativos de chuva para a cidade.

Para receber os avisos por SMS, basta cadastrar o CEP por meio de mensagem de texto para o número 40199. O acesso aos avisos também é possível por meio de grupos por aplicativo, através do link https://t.me/defesacivilpetropolis.

O acompanhamento da previsão do tempo pode ser feito pelo Boletim Meteorológico,  acessado pelo link https://bit.ly/3vmRgZ2 e disponível no site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Passagem de frente fria muda as condições do tempo na cidade, que pode ter leve declínio na temperatura

Para esta sexta-feira (29) pode haver mudança no tempo no município. De acordo com o Boletim Meteorológico da Defesa Civil, amanhã, o dia terá de céu com poucas nuvens, com previsão de chuva fraca a ocasionalmente moderada, no período da noite. Segundo informativo do INMET, haverá aumento na intensidade dos ventos, podendo ser moderado com rajadas fortes nos períodos da tarde e noite. A temperatura pode variar entre a mínima de 14°C e máxima de 28°C.

A mudança nas condições meteorológicas é provada por passagem de frente fria pelo oceano, que vai influenciar o tempo ao longo deste sábado (30). Haverá aumento da nebulosidade a partir da madrugada de sábado, com declínio da temperatura. A previsão é de que a máxima chegue a 23°C, com chuva fraca a ocasionalmente moderada, de forma isolada ao longo do dia. Para domingo (1/5) não há indicativos de chuva para a cidade.

A Defesa Civil segue no acompanhamento das condições do tempo para o município e atualizações serão enviadas se necessário.

O acompanhamento diário da previsão do tempo pode ser feito pelo Boletim Meteorológico, acessado pelo link https://bit.ly/3vmRgZ2 e disponível no site da Defesa Civil https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/.

Para receber os avisos por SMS, basta cadastrar o CEP por meio de mensagem de texto para o número 40199. O acesso aos avisos também é possível por meio de grupos por aplicativo, através do link https://t.me/defesacivilpetropolis.

A Prefeitura, por meio da Defesa Civil, já concluiu mais de 8,1 mil laudos de vistorias que já estão disponíveis para a retirada na sede da unidade, na Rua Buarque de Macedo, 128 – Centro ou solicitados direto no site https://www.petropolis.rj.gov.br/dfc/. Esse é o resultado do trabalho da equipe de geólogos, engenheiros, geógrafos e tecnólogos que atua desde o dia 16 de fevereiro, na avaliação de locais de risco e conclusão de laudos de áreas afetadas.

Desde o dia 15 de fevereiro, a Defesa Civil já registrou mais de 10,2 mil ocorrências em diferentes áreas de cerca de 60 regiões da cidade. Desse total, mais de 1,9 mil estão em andamento, com laudos em elaboração pelas equipes técnicas. A maior parte dos casos foi por deslizamentos, que somam mais 7,8 mil casos, desses, mais de 2,8 mil atingiram imóveis. Até o momento, mais de 6 mil construções em áreas afetadas estão com laudo de interdição.

Nesta quarta (27), 22 equipes realizaram vistorias em 23 localidades: Posse, Alto da Serra, Vila Militar, Valparaíso, Quitandinha, Siméria, Bingen, Retiro, Centro, Corrêas, Bairro Castrioto, São Sebastião, Rua Teresa, Sargento Boening, Itaipava, Fazenda Inglesa, Araras, Vila Felipe, Vila Militar, Mosela, Chácara Flora e Saldanha Marinho.

As equipes atuam diariamente por todas as regiões para a conclusão dos chamados. A Defesa Civil mantém o reforço da equipe e trabalho intensificado, inclusive aos fins de semana, para oferecer celeridade no processo de conclusão dos laudos.

Pagina 4 de 141