O Procon Petrópolis recebeu na última semana a visita técnica do Procon de Juiz de Fora (MG). A equipe veio para receber orientações da autarquia petropolitana quanto ao novo sistema que será utilizado pelos órgãos de defesa do consumidor no Brasil, por determinação do Ministério da Justiça.

“O atual sistema será substituído pelo Pró Consumidor. Ficamos muito felizes em poder contribuir com o Procon de Juiz de Fora. O diálogo entre as cidades é muito importante. Agradeço ao Eduardo Floriano, superintendente da autarquia mineira, que confiou em nosso trabalho”, disse Fafá Badia, coordenador do Procon Petrópolis.

Petrópolis foi uma das primeiras cidades a implementar o sistema Pró Consumidor no Procon municipal, ainda no ano passado. A nova ferramenta do Ministério da Justiça acrescenta recursos que agilizam o atendimento ao público e é integrado com a base de dados da Receita Federal.

“A nova ferramenta também auxilia para um contato rápido entre o Procon e a empresa reclamada”, explica Badia. “O sistema foi efetivado após capacitação dos técnicos de atendimento e operadores gerais”, concluiu.

Clientes esperavam até duas horas em filas para serem atendidos

O Procon Petrópolis autuou duas agências de um mesmo banco localizadas na Rua do Imperador. A decisão foi tomada após fiscalização na tarde desta terça-feira (26) constatar a espera de clientes na fila por até duas horas, do lado de fora, embaixo do sol. A instituição financeira também será multada e o valor deve ultrapassar os R$ 500 mil.

“Não existe mais a obrigação de distanciamento e, mesmo assim, os clientes estavam do lado de fora das agências, sem acesso às senhas, aguardando por até duas horas. Além disso, constatamos que apenas 30% dos terminais eletrônicos estavam em funcionamento”, afirmou o coordenador do Procon, Fafá Badia.

Por lei municipal, os atendimentos em agências bancárias devem ser realizados, no máximo, em 15 minutos em dias normais. Em vésperas de feriados ou após feriados prolongados, não pode ultrapassar 30 minutos. A última regra ainda é prevista em lei estadual.

“Continuamos a cobrar que as agências de Petrópolis cumpram a legislação municipal e estadual, em respeito ao cliente. No caso do banco fiscalizado hoje, as multas vão aumentar, já que ainda não estão surtindo o efeito esperado”, disse Badia.

Concessionária acordou manter dois funcionários na sede da autarquia, para agilizar atendimento de clientes

O Procon Petrópolis se reuniu nesta segunda-feira (18) com representantes da Enel Distribuição Rio para discutir melhorias no atendimento aos clientes petropolitanos. No encontro, a concessionária de energia acordou enviar dois funcionários para a sede da autarquia, de modo a atender as demandas dos cidadãos com mais agilidade.

“Foi um encontro produtivo. Além dos funcionários na sede do Procon, a empresa se comprometeu a buscar um novo imóvel para atendimento ao público, sem escadas e próximo ao ponto de ônibus”, explicou o coordenador Fafá Badia.

Na semana passada, após diversas reclamações relacionadas ao atendimento da empresa, o Procon decidiu multá-la em R$ 1 milhão. Nesta reunião de segunda-feira, foi explicado os problemas que levaram à multa e, mais uma vez, a autarquia buscou soluções. “Continuamos a trabalhar e buscar melhorias para os consumidores petropolitanos”, disse Badia.

O Procon Petrópolis notificou nesta quinta-feira (07) um shopping localizado na Rua do Imperador pelas condições do banheiro público. O estabelecimento deverá providenciar a limpeza dos espaços em até 48 horas. Caso a determinação não seja atendida, a autarquia aplicará multa.

“O artigo oitavo do Código de Defesa do Consumidor aponta para um dever legal de o fornecedor evitar que a saúde ou segurança do consumidor sejam colocadas em risco. Após denúncias de consumidores, a fiscalização foi ao local e constatou os banheiros em péssimo estado de conservação e limpeza, além de possuírem iluminação deficiente”, explicou o coordenador do Procon, Fafá Badia.

O Procon Petrópolis retomou nesta quinta-feira (24) os atendimentos na sede da autarquia. O prédio precisou passar por limpeza após as chuvas de domingo (20). Além dos atendimentos na Rua Doutor Moreira da Fonseca, nº 33, o órgão também intensificou a fiscalização a dois bancos, um na Rua do Imperador e outro na Paulo Barbosa, que foram multados, devido à demora no atendimento aos clientes.

Em um dos locais, a espera superou duas horas e meia com mais de 60 pessoas na fila, debaixo do sol. A legislação municipal determina que as agências bancárias devem realizar o atendimento em até 15 minutos, com exceção de véspera e pós feriado. O coordenador do Procon, Fafá Badia, lembra que os bancos não podem alegar que estão só com uma agência em funcionamento, pois é um risco de negócio. “Há poderio econômico para providenciar o que for necessário para atender bem o cliente”, disse.

“O que percebemos é que os problemas estão se avolumando. As gerências e os funcionários já não conseguem absorver a quantidade de consumidores. Tem que haver uma solução a nível de instituição, compreendendo que o público que utiliza os serviços deste banco, não possui, em sua grande maioria, acesso de forma virtual. São pessoas que necessitam do atendimento físico e muitas vezes com o auxílio de um funcionário”, explicou Badia.

Além das agências, o órgão também fiscalizou uma correspondência bancária, na Rua do Imperador. No local, foram observadas irregularidades, como o desrespeito à prioridade de idosos e falta de alvará de localização. As informações foram repassadas à Secretaria de Fazenda.

O funcionamento da sede do Procon será de segunda a sexta, das 9h às 17h. O contato, para denúncias e orientações, também pode ser feito por email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e pelos telefones: 2246-8469, 2246-8470, 2246-8471, 2246-8472, 2246-8473, 2246-8474, 2246-8475, 2246-8476 e 2246-8477.

O Procon Petrópolis está fazendo um levantamento de preços nos postos de combustíveis da cidade para verificar se houve aumento de preço “antecipado”. O coordenador do Procon, Fafá Badia explica que se for comprovada a venda de combustível que estava no estoque antigo com o preço reajustado, o posto será multado.

“Recebemos denúncias de que alguns postos reajustaram seus preços ainda nessa madrugada. O aumento antecipado, ou seja, aquele que repassa ao consumidor um reajuste ainda não suportado pelo comerciante, é considerado abusivo. O Procon Petrópolis já está atento a isso e está percorrendo os postos para verificar os preços praticados”, explicou Fafá Badia.

Segundo o coordenador do Procon Petrópolis, a partir de segunda-feira (14), a fiscalização vai exigir a apresentação das notas fiscais de semanas passadas e as eventuais notas fiscais posteriores para constatar se houve preço “antecipado” ou não. “O consumidor que, por acaso, tiver registros dos preços praticados na quinta-feira com aumento, podem fazer a denúncia no Procon”, ressaltou Fafá Badia. O reajuste dos combustíveis foi anunciado pela Petrobrás na quinta-feira (10) e passaria a valer na sexta-feira (11).

O Procon Petrópolis fica localizado na Rua Doutor Moreira da Fonseca, nº 33, no Centro da Cidade, das 9h às 17h. O contato também pode ser feito por email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e pelo telefone (24) 2246-8477.

O Procon Petrópolis intimou, nesta quinta-feira (03), a empresa Oi para que a mesma restabeleça os serviços de telefonia e internet no bairro Caxambu no prazo de 24 horas. A ação veio após fiscalização na região, atendendo a denúncias que moradores encaminharam para a autarquia. Em caso de descumprimento, o órgão pode aplicar multa de acordo com o potencial econômico da empresa.

“No local, verificamos que outras empresas de telefonia e internet já tinham efetuado os reparos necessários. A Oi, no entanto, ainda não retornou com seus serviços. Por isso, estamos cobrando que a empresa tome as providências necessárias para o atendimento dos clientes daquele bairro”, explicou o coordenador do Procon, Fafá Badia.

Badia ainda afirma que moradores atingidos também pode procurar o Procon individualmente. “Caso nos procurem, nós registramos a reclamação e encaminhamos o consumidor para o Judiciário”, disse.

Atividades na sede do órgão foram prejudicadas pelo alagamento, mas devem retornar na próxima semana

O Procon Petrópolis terá atendimento especial com a van da autarquia nesta sexta-feira (25) na Praça Dom Pedro, das 12h às 16h. O serviço visa atender aos consumidores neste período de paralisação dos atendimentos na sede do órgão, que foi atingida pelos alagamentos do último dia 15. As atividades no imóvel retornam na próxima semana.

“Além de pessoas físicas, a equipe também prestará orientações a pequenos empresários, quanto a negociação junto às concessionárias de serviços públicos e aos bancos. Esperamos a limpeza da via e a orientação da CPTrans e demais órgãos em relação a liberação das vias, para que as equipes de resgate não tivessem problemas”, explicou o coordenador do Procon, Fafá Badia.

Já na próxima semana, o Procon pretende retornar com os atendimentos na sede, localizada na Rua Doutor Moreira da Fonseca, nº 33. Por lá, as atividades foram paralisadas após alagamentos no primeiro andar, que resultaram na perda de equipamentos.

“No mais, estamos atendendo e recebemos denúncias pela nossa página, principalmente em relação a aumentos abusivos de preços. Essas denúncias, no entanto, não foram confirmadas até o momento, até porque não há crise de abastecimento”, disse Badia.


Com os telefones fixos indisponíveis, os consumidores podem entrar em contato com o Procon pela página no Facebook: https://www.facebook.com/ProconPetropolis/

O Procon participou, nesta sexta-feira (4), de ação voltada à orientação dos consumidores na Praça Dom Pedro. O trabalho foi feito em parceria com a Comissão de Defesa do Consumidor (Codecon) da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), que também realiza atendimentos com uma van no local. A Casa Legislativa realiza as atividades de forma itinerante no Estado do Rio de Janeiro.

“Tanto o Procon como a Codecon possuem as mesmas competências. Essas ações aqui na praça são importantíssimas para que possamos garantir o direito do consumidor”, afirmou Badia.

As equipes atenderam a população das 10h às 17h desta sexta-feira e retornam neste sábado (5), das 10h às 15h. Além de tirar dúvidas, o órgão também registrou reclamações, que foram inseridas posteriormente no sistema do órgão.

"Neste primeiro dia, já realizamos cerca de 30 atendimentos. A maioria foi relacionada a uma empresa de telefonia, concessionária de energia e cartões de crédito. O objetivo é estar perto da população e atender as dúvidas", explicou o coordenador do Procon Petrópolis, Fafá Badia.

Além da ação externa, o Procon mantém o atendimento na sede do órgão, na Rua Doutor Moreira da Fonseca, nº 33, das 9h às 17h. O contato também pode ser feito por email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e pelos telefones: 2246-8469, 2246-8470, 2246-8471, 2246-8472, 2246-8473, 2246-8474, 2246-8475, 2246-8476 e 2246-8477.

Departamento reforça que pesquisar pode gerar uma economia de mais de 50% no momento da compra

Quem tem filhos em idade escolar sabe o quanto o mês de janeiro é aguardado. Com a proximidade do retorno às aulas começa a busca pelos itens da lista de material. Um levantamento feito pelo Procon Petrópolis, nesta quinta-feira (27.01) mostra que a variação de preço na cidade de alguns itens da lista supera os 300%. "Existe uma diferença considerável para um mesmo material em uma papelaria “A” para uma papelaria “B”", reforça Fafá Badia, coordenador do Procon Petrópolis.

Entre os itens que apresentaram as maiores variações está o apontador. Em um dos estabelecimentos pesquisados, a unidade da marca ‘x’ custa R$1,35, em outro estabelecimento o valor de um modelo similar é de R$6. Ainda falando de marcas diferentes de um mesmo produto, os fiscais encontraram o item ‘tesoura sem ponta’ com valores de R$2,90 em um local e de R$10 em outro.

Quando avaliamos a diferença dos preços de produtos do mesmo fabricante, encontramos diferenças de 185%. É o caso dos cadernos de capa dura de uma matéria. Em uma papelaria custa R$14 e em outra loja chega a R$39.90. Diante dessa diferença de preços, o coordenador do Procon orienta os consumidores a pesquisarem bastante. “Pesquisando você nota a diferença entre os valores cobrados por produtos que têm a mesma função e com isso opta pela opção mais em conta. Essa atitude pode gerar uma economia de até 50% no valor final da compra. Outra orientação importante é que o consumidor evite algumas "pegadinhas" na hora da compra.”

Algumas dicas importantes:

• Procure não levar seus filhos às compras. O poder de “persuasão” dos pequeninos pode te levar a comprar produtos mais caros;
• Evite os produtos (sobretudo mochilas, estojos) de marcas ou personagens famosos. São mercadorias produzidas sob licença e, com certeza, com preços muito mais salgados;
• Não aceite lista de materiais que apontem um fornecedor ou fabricante “específico” para determinados materiais.

Compras on-line:

• Com a pandemia, as compras “on-line” têm se intensificado e os meios de pagamento se diversificado. Os preços tendem a ser mais baixos em ambientes virtuais, mas, trazem os seus riscos;
• Neste modelo de compras, busque se certificar da origem do site (utilize sites de controle e pesquisa como o Reclame aqui);
• Veja se o beneficiário do boleto emitido é, de fato, o fornecedor;
• E preste atenção nos prazos de entrega, para não ficar sem o produto no dia em que as aulas recomeçarem. Lembre-se!!! Os produtos comprados a distância (internet) possuem uma legislação específica e permitem a devolução em até 7 dias após a chegada (direito de arrependimento).

O coordenador do Procon Petrópolis reforça que a unidade está à disposição para esclarecer e agir imediatamente em casos de abuso. "Sob qualquer desconfiança, acionem o Procon para esclarecimentos." Os telefones do Procon Petrópolis para denúncias são:

Unidade Centro - (24) 2246-8470 / (24) 2246-8471 / (24) 2246-8472 / (24) 2246-8473 / (24) 2246-8474 / (24) 2246-8475 / (24) 2246-8476 / (24) 2246-8477

Unidade Itaipava - (24) 2222-1418 / (24) 2222-7448 / (24) 2222-7337

WhatsApp Denúncia - (24) 98857-5837

Pagina 2 de 62