Comdep segue colocando as peças adquiridas em fevereiro e tem cerca de 80 equipamentos que serão realocadas em outros bairros.

A prefeitura está concluindo o trabalho de instalação de lixeiras. Em duas semanas, 192 já foram colocadas em praças, pontos turísticos e diversas ruas do Centro. Além disso, cerca de 80 das que foram retiradas pela Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep), responsável pela montagem dos equipamentos, já estão sendo preparadas para irem para os bairros.

Nesta quinta-feira (30.03), o camelódromo da Praça Clementina de Jesus ganhou nove lixeiras. A Rua da Imperatriz  e a Avenida Tiradentes receberão outras 19. Já a Rua Dom Pedro teve instalação de mais uma.

Também já foram colocadas lixeiras na Rua do Imperador (39 equipamentos), 16 de Março (31), Praça da Liberdade (28), Palácio de Cristal (17), Praça da Inconfidência (12), Praça Dom Pedro (nove), Praça dos Expedicionários (sete) Praça Visconde Mauá (seis), Praça Alcindo Sodré (seis), Museu Imperial (seis), Praça Princesa Isabel (três), Rua Alencar Lima (três) e Rua Epitácio Pessoa (dois).

“A colocação das lixeiras vão continuar durante o mês de abril. Depois de colocar todas as do Centro, vamos partir para os bairros, privilegiando principalmente os locais que não possuem. Por lá, serão reaproveitadas as lixeiras removidas e que estão em bom estado. Elas estão sendo lavadas, limpas e adesivadas”, disse o presidente da Comdep, Wagner Silva.

A instalação é realizada por um funcionário que utiliza um alicate específico para o serviço e conta com um ajudante. Elas são presas com uma fita metálica e presilhas de aço. Cada peça comporta até 15 litros de lixo e foram adquiridas em fevereiro com um custo total de R$ 22 mil. Primeiro, foram removidas as que estavam danificadas – essas serão destinadas para reciclagem e os materiais serão usados para confecção de outros produtos. As demais serão reaproveitadas. 

O início do plantio de 160 cerejeiras nos jardins ao redor do antigo Hotel Quitandinha foi marcado por uma solenidade realizada no local último sábado (21/09). O prefeito Rubens Bomtempo participou do evento e lembrou das primeiras espécies plantadas em 1995 e que agora também vão receber cuidado redobrado. “Quando estas primeiras mudas foram plantadas, há 18 anos, o município, que na época tinha à frente o prefeito Sérgio Fadel, recebeu com alegria o presente da comunidade japonesa. Em meus dois mandatos anteriores, a manutenção das cerejeiras era feita de forma rigorosa, mas o trabalho não foi levado adiante e muitas acabaram se deteriorando. Estamos retomando esse cuidado com a natureza para garantir que todas continuem florescendo por muitos anos”, salientou.

O secretário de Meio Ambiente Almir Schmidt, o presidente da Comdep, Hélio Dias, e o representante da Águas do Imperador Alberto Costa, também participaram do evento, ao lado do cônsul adjunto do Japão no Rio de Janeiro, Hajime Kimura e do presidente da Associação Nikkei de Petrópolis, Kiyoshi Ami. “A cerejeira é a flor símbolo do Japão. Só temos a agradecer ao prefeito pelo apoio e divulgação da cultura japonesa”, disse o cônsul adjunto.

As primeiras mudas de cerejeiras foram plantadas em 1995 em comemoração aos 100 Anos de Amizade Japão-Brasil. Segundo Kiyoshi Ami, na ocasião, Petrópolis foi escolhida para o plantio porque a primeira Representação Diplomática do Japão no Brasil foi instalada em Petrópolis, ainda no ano de 1897, na Rua 7 de abril. Além disso, o clima da cidade é adequado para a espécie. A maioria delas foi plantada no entorno do Hotel Quitandinha e outras foram levadas para os jardins do Museu Imperial e Palácio Rio Negro.

Além disso, outras 145 foram recuperadas e instaladas nos bairros pela Comdep


O planejamento de instalação de lixeiras de poste segue sendo executado pela Comdep. Em seis meses, a cidade ganhou 437 novas coletoras pequenas e outras 145 foram recuperadas e reutilizadas nos bairros. Hoje, Petrópolis conta com 582 lixeiras, que contribuem para manter a cidade mais limpa.


Apenas em junho, houve a instalação de 78 lixeiras nas UPA Centro e Cascatinha, Praça Pasteur, Polo de Moda do Bingen, Pedro do Rio, praças da Mosela, lago e Praça de Nogueira, Bonsucesso, Praça de Corrêas, Rua Visconde de Uruguai e próximo ao Terra Santa. Nesta semana, a Praça de Cascatinha ganhou mais cinco coletoras e outras duas foram colocadas próximo ao Extra do Quitandinha.


Outros locais que ganharam lixeiras, por exemplo, foram a Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, Praça da Inconfidência, Praça Dom Pedro, entorno do Museu Imperial, Parque Municipal de Itaipava, camelódromo da Praça Clementina de Jesus, Rua 16 de Março e terminais de Corrêas e Itaipava.

Elas são presas aos postes com uma fita metálica e presilhas de aço. Cada peça comporta até 15 quilos de lixo. Elas foram preparadas com a nova identidade visual da prefeitura e o contato da Comdep: 2292-9500.


Esses equipamentos começaram a ser colocados para substituir as quebradas ou que sofreram vandalismo (queimadas, pichadas ou furtadas) e precisaram ser recolhidas. No Centro, a quantidade quase dobrou, passando de 180 para 350. Todas as coletoras do Centro foram retiradas e as que estavam em bom estado foram limpas, adesivadas e acabaram reposicionadas nos distritos – principalmente onde não existia antes.


Além delas, a cidade ainda conta com quase 1,2 mil coletoras de plástico rígido, que comportam até uma tonelada de lixo. Cerca de 250 delas foram instaladas pela Força Ambiental no primeiro semestre.

Secretaria de Serviços faz limpeza na Pedro Elmer

 Cinco toneladas de mato foram retiradas da praça e da Rua Pedro Elmer e do entorno, no Itamarati. A capina, roçada e remoção do entulho teve início na segunda-feira (05.06), realizada pela Secretaria de Serviços, que coordenou o trabalho de 11 funcionários da Força Ambiental. Também foram utilizados dois caminhões pequenos e roçadeiras.A limpeza será concluída nesta quinta (08.06), quando será realizada a pintura do local.

Moradora da travessa Francisco Framback, Jéssica Muller diz que agora poderá levar o filho de dois anos para brincar na praça.  “Agora vou poder meu filho para cá. Antes, eu ficava com medo de ter cobra ou algum outro animal perigoso”, afirma

A capina e roçada também alcançou a quadra esportiva que fica ao lado e foi realizada em ruas próximas da praça. Nesta quinta, pontes, meios-fios beirada de postes e corrimãos. Para esse serviço, será utilizado um saco de 20 kg de cal.

Desde que foi criada, em abril, a Secretaria de Serviços tem realizado a limpeza de vários locais, como Secretário, Pedro Ivo, Araras, Siméria, Estrada da Saudade, Itaipava, Pedro do Rio, Cascatinha, Posse, Boa Vista, Vila Rica, Dr. Thouzet, Campo do Serrano e Cemitério Municipal. Todos esses locais foram limpos por funcionários e com maquinário da Força Ambiental.

 

Só do Siméria, em apenas dois dias, quinta e sexta-feira (17 e 18.01), a Comdep retirou das ruas 70 toneladas de entulho. Todo o tipo de material está sendo descartado irregularmente na cidade: caixas d’água, eletrodomésticos, colchões e restos de obras. Há dificuldades de flagrante destes descartes e o entulho compromete a limpeza na cidade. Só nos primeiros dias deste ano, são 35 bairros com retirada de entulho, somando 4,3 mil toneladas e 360 viagens de caminhão.

Esta limpeza é mais difícil porque envolve trator e caminhão e porque são volumes pesados. A aplicação das multas também é difícil porque é preciso haver um flagrante, um registro em foto de alguém que tenha visto o descarte irregular.

No Siméria, o trabalho ocorreu em diversos pontos das ruas Manoel Francisco de Paula e Presidente Sodré. Foram feitas seis viagens de caminhão para remover todo entulho descartado de forma irregular.

O Código de Posturas proíbe o despejo de restos de obras, mato, móveis e eletrodomésticos velhos sobre ruas e calçadas. A destinação correta é levar para o aterro de Pedro do Rio. Quem é flagrado cometendo a irregularidade é intimado a fazer a remoção imediata do entulho e pode ser multado em R$ 800. Ainda assim, é difícil conseguir flagrar a irregularidade – é possível fazer denúncias tanto junto à Comdep (2292-9500) quanto com a Fiscalização de Posturas (2246-9042).

A Comdep e a SSOP mantém esse serviço direto com sete equipes para atender os bairros e distritos. Mas é preciso a colaboração dos moradores. No Siméria foi necessário fazer seis viagens, em outros locais é necessário ainda mais. Algumas ruas são estreitas, o que dificulta o acesso de tratores e caminhões. Por isso a participação dos moradores é fundamental para deixar os bairros limpos.

A presidente da Associação de Moradores do Siméria, Jenifer Nascimento, diz que a presença da Comdep no bairro é frequente, tanto com coleta de entulho quanto com capina e roçada. A Companhia já tinha ido ao bairro no dia 8 e fez a capina em nove dias por lá só esse ano.

“Não temos do que reclamar, tem sempre limpeza no bairro. Capina e entulho são frequentes. A população questiona ter dificuldades e acaba descartando os entulhos nas lixeiras de qualquer forma, porque é muito mais fácil descartar o entulho na lixeira do que pagar um serviço a parte para fazer. Mas não adianta eles virem aqui sempre se os moradores não mantiverem o local limpo”, acredita.

Quem tem dificuldade pode pedir a coleta gratuita pelo Disque Entulho. Os agendamentos podem ser feitos pelo 2243-7822. São coletados até 20 sacos de 25 kg cada. Desde a reativação do serviço, já foram feitas mais de 5 mil coletas gratuitas. O Disque Entulho tem rotas fixas de segunda a sexta, mas também atende outros locais de acordo com a disponibilidade.

Neste ano, já foram atendidas ruas de Alto da Serra, Araras, Bairro da Glória, Bairro Mauá,Bingen, Bonfim, Bonsucesso, Carangola,Castelânea,Castelo São Manoel, Caxambu, Centro, Chácara Flora, Duarte da Silveira, Duques, Estrada da Saudade, Fazenda Inglesa, Independência, Itaipava, Meio da Serra,Morin,Mosela,Neylor, Nogueira, Quarteirão Brasileiro,Quarteirão Ingelheim, Quitandinha, Retiro, São Sebastião, Sargento Boening,Valparaíso, Vila Felipe, Vila Militar e Vila Rica.

Nesta sexta, o trabalho o ocorreu nas ruas Infante Dom Henrique, Travessa Fragoso, Dr. Thouzet, Chapa 4, São Norberto, 29 de Junho, Fabrício de Mattos, Bingen, Duarte da Silveira, Capela, Galdino Pimentel e no Castelo São Manoel.

Nos últimos dias, a Força Ambiental coletou 444 toneladas/dia de lixo; normalmente, são 272 toneladas diariamente

A empresa já opera com 23 máquinas e vai trazer mais sete compactadores pequenos para atuar em locais de difícil acesso

Com lixo acumulado nas ruas desde antes do Natal, a coleta na cidade cresceu 63% por dia desde dia 09 quando uma nova empresa, contratada emergencialmente, passou a operar. A previsão é de regularizar a coleta em toda a cidade na próxima semana.

“O caos deixado pela administração anterior na questão da coleta de lixo está sendo resolvido pelo governo Bernardo Rossi e em pouco tempo. É um recorde a coleta alcançar este volume”, aponta o presidente da Comdep, Wagner Silva.

 Nesta semana, a empresa contratada emergencialmente para fazer o serviço, após a Locar  interromper o trabalho alegando dívida de mais de R$ 11 milhões acumulada pelo último governo, recolheu 63% de lixo a mais por dia em média. O ápice foi o último sábado (07.01), quando foram retiradas 630 toneladas de resíduos da cidade.

Normalmente, são recolhidos em torno de 272 toneladas de lixo diariamente em Petrópolis. Porém, apenas entre segunda (09.01) e quinta (12.01), a Força Ambiental coletou em média 444 toneladas/dia. O esforço maior aconteceu durante o final de semana, quando 1.050 toneladas foram retiradas das caçambas da cidade e levadas para o transbordo de lixo, às margens da BR-040. Ao longo dessa semana, foram mais 1.778 toneladas.

A PDCA Serviços, que transporta o lixo do transbordo para o aterro sanitário de Pedro do Rio, fez 51 viagens de carretas carregadas de resíduos nesse período de atuação.

Após a contratação emergencial das duas empresas para fazer o recolhimento e o transporte do resíduo domiciliar, respectivamente, 85% do serviço já foi normalizado. As maiores dificuldades são as partes mais altas ou de difícil acesso para os caminhões grandes, como morros ou locais com ruas estreitas.

Temporariamente, a Força Ambiental alugou três caminhões pequenos para realizar a coleta nesses locais. Na próxima quarta (18.01), a empresa já vai contar três compactadores de pequeno porte próprios. Uma semana depois, serão mais quatro. Dessa forma, a empresa vai atuar com uma frota de 30 caminhões rodando a cidade. Ao todo, mais de 200 pessoas foram contratadas para o serviço.

“ Um desafio que está sendo cumprido colocar a coleta em dia. Isso libera a Comdep para realizar o recolhimento de entulho. Quatro caminhões e duas máquinas estão sendo utilizados para esse serviço”, completa Wagner Silva.   

Nova empresa contratada emergencialmente passou por 24 locais nesta segunda e estará em mais 22 nesta terça

Com lixo, em muitos locais, acumulado desde o Natal, o governo Bernardo Rossi estima colocar em ordem o serviço até o final desta semana. Alegando dívida de R$ 11 milhões deixada pela administração anterior, a Locar paralisou o serviço na quarta-feira. “Além do caos financeiro, com caixa zerado, a herança de dívidas da administração anterior nos ocasionou problemas como esse, do lixo, que é de saúde pública, mas estamos resolvendo pontualmente todas as situações colocando nossa casa em ordem, nossa cidade em dia”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

As empresas Força Ambiental Ltda. e PDCA Servidos, contratadas de maneira emergencial na sexta-feira (06.01), atuam na cidade desde o mesmo dia da assinatura do contrato e estabeleceram um cronograma para atender a demanda de recolhimento de lixo. Nesta segunda-feira (09.01), 24 locais foram atendidos pelas equipes da nova empresa, entre os que recebem coleta diariamente e a cada dois dias.

A Força Ambiental está operando neste momento com 18 caminhões e 90 funcionários, e espera contratar mais 20 profissionais para completar as equipes e colocar todos os 22 caminhões coletores em circulação. A previsão é que até o final da semana a situação do recolhimento de resíduos esteja normalizada.

Os bairros com atendimento diário são: Quissamã, Estrada da Saudade, 24 de Maio, Independência, União e Indústria (Itaipava até a Posse) e Centro (à noite).

Nesta segunda, ocorreu a passagem dos caminhões pelas seguintes localidades: Castelânea, São Sebastião, Siméria, Bingen, Duarte da Silveira, Dias de Oliveira, João Xavier, Castrioto, Quarteirão Inglenheim, Mosela e adjacências, Corrêas e adjacências, Serra Velha, BR-040, Nogueira e adjacências, Araras, Fazenda Inglesa e Secretário.

Para esta terça, o cronograma de recolhimento seguirá pelos bairros a seguir: Roseiral, Carangola, Jardim Salvador, Caxambu, Floresta, Provisória, Humberto Rovigatti, Loteamento Samambaia, Corrêas, Castelo São Manuel, Estrada de Teresópolis, Vale do Cuiabá, Madame Machado, Santa Mônica, Estrada das Arcas e Pedro do Rio – além dos locais onde a coleta passa todos os dias.

Além disso, a Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) realizou coleta de lixo em caçambas metálicas de grande porte nas ruas São Norberto (Valparaíso), dos Ferroviários (Alto da Serra) e Oswero do Carmo Villaça (Morro da Oficina). A Comdep também iniciou retirada de entulho. Pela manhã, o serviço foi feito no São Sebastião. À noite, o trabalho acontecerá na Provisória. O recolhimento do entulho terá sequência nesta terça-feira (10.01).

“A coleta já está entregue à empresa contratada e a Comdep segue dando apoio e realizando o recolhimento em locais mais estreitos onde eles ainda não conseguem chegar por causa do caminhão pequeno, são oito veículos que entram em operação até quinta-feira. Até o final da semana estará funcionando com normalidade.”, garantiu o diretor-presidente da Comdep, Wagner Silva.

A moradora de um dos locais atendidos nessa segunda-feira, Ana Santos, que reside no Sargento Boening, destaca o maior problema que a falta de coleta pode acarretar.

“Saí pela manhã e, quando voltei, na hora do almoço, já tinham recolhido o lixo. Acho importante que a coleta esteja voltando ao normal, esse lixo espalhado pela rua é perigoso para nossa saúde”, ressalta a moradora.

Veículo de maior porte começa a operar na segunda (18.09), reforçando trabalho já feito por outros dois carros 

A coleta seletiva no município vai ganhar o reforço de mais um caminhão a partir da próxima segunda-feira (18.09). O terceiro veículo do serviço tem o dobro da capacidade dos outros dois: quatro toneladas por viagem. O início da operação do caminhão acontecerá pelo Bingen, na via principal. Os menores continuarão a ser usados nas ruas paralelas. Em outubro, a Comdep passará a usar também um carro que comporta até 500 kg de materiais. Esse veículo vai atender os locais de difícil acesso.

Com o uso do caminhão maior apenas nas vias principais, o serviço poderá ser otimizado, já que os veículos menores poderão ser concentrados em outras áreas. A Comdep conseguiu reorganizar a utilização da frota para integrar esse caminhão no serviço. A coleta “porta a porta” acontece hoje em dia em seis bairros: Bingen, Mosela, Valparaíso, Morin, Alto da Serra e Castrioto. O novo veículo também vai poder atuar na Estrada União & Indústria.

Hoje, quase 25 toneladas de lixo reciclável são coletadas na cidade por semana, quantidade que poderá aumentar agora. Todo esse lixo é dividido entre as quatro cooperativas da cidade.

A “Deus da Guerra”, que atua no Centro de Reciclagem da Comdep em Cascatinha (e que foi regularizada e capacitada pela empresa), processa cerca de 1,3 tonelada por semana. As cooperativas Esperança (Quarteirão Italiano), Dos Amigos (Nogueira) e Rainha do Céu (Duarte da Silveira) separam aproximadamente cinco toneladas. Cada uma comercializa os resíduos que recebem por semana e podem receber mais de acordo com a capacidade de trabalho delas. O restante é selecionado pela própria Companhia.

A chegada de mais um caminhão é outra medida dentro da reestruturação da coleta seletiva no município, que começou a ser implementada em maio. Antes, os resíduos eram divididos entre Cascatinha e Carangola, o que não era econômico. A Comdep decidiu concentrar todo serviço no primeiro local, que é mais amplo, e deslocou os funcionários e o maquinário da outra unidade. Desde então, o Centro de Reciclagem se tornou um ambiente mais limpo e organizado.

Em junho, foi criada uma “incubadora de cooperativas de reciclagem de lixo”, projeto da Comdep para desenvolver grupos que queiram atuar na área da seleção, separação e comercialização de resíduos sólidos coletados. A Deus na Guerra foi a primeira integrante. Ela já trabalha em Cascatinha, mas não era formalizada. Agora, ela já possui CNPJ e existe formalmente. Com isso, os trabalhadores podem contribuir com o INSS e garantir aposentadoria, por exemplo. Eles também estão recebendo capacitação profissional com aulas no próprio Centro de Reciclagem ministradas pela Comdep. 

Em reunião na manhã desta quarta-feira (5/2) com o presidente da Comdep, Hélio Dias, o prefeito Rubens Bomtempo determinou a extinção das coletoras de lixo abertas em Petrópolis. Com a medida, novas lixeiras do tipo contêiner ou semienterrada, ambas com tampa, serão instaladas em todo o município, inibindo a proliferação de insetos e roedores, reduzindo o odor e melhorando a aparência da cidade.

Uma reunião com a Locar, empresa que presta o serviço de coleta de lixo no município, também será agendada para a próxima semana. O objetivo é definir um plano de metas e um cronograma para a instalação das novas coletoras. “Nós já temos lixeiras semienterradas instaladas em Araras e em Nogueira. A partir da próxima semana vamos expandir para a Mosela e em seguida para Itaipava. Petrópolis vai dar um grande passo ao extinguir todas as lixeiras abertas”, frisou Bomtempo.

Durante a reunião, o prefeito anunciou que irá avaliar o número de funcionários para o recolhimento porta a porta. “A Locar vem fazendo um serviço satisfatório de coleta do lixo doméstico e nós vamos melhorar acrescentando mão de obra”, disse. Um projeto de lei também será enviado à Câmara prevendo punição para o despejo irregular de lixo nas ruas.

“É muito importante que as pessoas participem e respeitem os horários de coleta, depositando o lixo nas coletoras um pouco antes da passagem do caminhão, até mesmo para diminuir a exposição do lixo a animais e vetores de doenças”, enfatizou Hélio Dias, acrescentando que os contêineres ainda têm a vantagem de reduzir o odor e o contato dos coletores com os resíduos, pois estes são erguidos mecanicamente para a remoção do material.

O prefeito Rubens Bomtempo fez hoje (21/1) a primeira visita à sede da Locar Saneamento Ambiental, que acaba de assumir a coleta de lixo do município. Bomtempo se reuniu com os funcionários, conversou com a direção da empresa e conheceu a frota de veículos que desde sábado está sendo utilizada na limpeza da cidade. A previsão é que o serviço esteja normalizado num prazo máximo de 30 dias.

Construir uma relação transparente e mostrar que o respeito ao trabalhador deve estar acima de tudo, foram os principais objetivos do encontro. Bomtempo pediu o apoio dos trabalhadores para retomar a credibilidade e a confiança dos petropolitanos no serviço de coleta de lixo. "A população vai se habituar novamente a deixar o lixo somente nos dias e horários que o caminhão da coleta passar no seu bairro, retomando um hábito que se perdeu devido à irregularidade na prestação do serviço durante o governo anterior," disse Bomtempo aos trabalhadores.

Bomtempo lembrou que a empresa que atuou na cidade nos últimos anos não tinha qualquer tipo de compromisso com o povo petropolitano e tampouco com os funcionários, que eram desrespeitados. "A empresa não teve a preocupação em deixar uma marca positiva na cidade. Temos que reconstruir isso, mostrando que a bagunça e a falta de compromisso com a população acabaram".

O presidente da Comdep, Hélio Dias, também participou do encontro, que aconteceu às 7h da manhã na sede da empresa, na Rua Coronel Veiga. Ele agradeceu o empenho dos trabalhadores, que numa operação especial realizada no domingo, retiraram mais de 90 toneladas de lixo e entulho das ruas da cidade. Reafirmando o compromisso e respeito do Prefeito com os funcionários, Hélio Dias aproveitou para fazer algumas orientações e pedir o uso permanente dos equipamentos necessários para garantir a saúde e segurança do pessoal. O uso dos equipamentos, desde os mais simples, como os chapéus, está previsto na legislação, mas não era uma exigência da antiga empresa que atuava em Petrópolis.

O supervisor técnico da empresa Locar, Augusto Lima, disse que ao percorrer a cidade nos últimos dias constatou a falta de qualidade no serviço que vinha sendo prestado. "Pelo volume de lixo que encontramos, a impressão que temos é que o serviço estava praticamente abandonado. Agora estamos buscando regularizar a situação e nossa expectativa é conquistar a confiança da população num curto espaço de tempo",disse o supervisor, ao lado do gerente da empresa, Tiago Lima.

Diariamente, são coletadas 250 toneladas de lixo em 60 bairros do Município, somando mais de quatro mil ruas, vilas e servidões.


Pagina 5 de 44

Notícias por data

« Fevereiro 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

turispetro

iluminacao

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo