Comunidade recebeu ações de limpeza, manutenção viária e desobstrução de ralos

A comunidade Vila São José recebeu nesta quinta-feira (05.07) a 26ª edição do mutirão de serviços da prefeitura. Comdep e Secretaria de Obras promoveram os trabalhos de limpeza, manutenção viária e desobstrução de ralos. O prefeito Bernardo Rossi esteve no local e ainda esteve na quadra, uma das que será reformada com recursos federais, e percorreu a comunidade para ouvir outras reivindicações dos moradores.

A Comdep já vinha realizando trabalhos de capina e remoção de entulho na Vila São José nas últimas semanas, mas reforçou os serviços com 15 funcionários, dois caminhões e uma retroescavadeira.

Já a Secretaria de Obras fez manutenção viária em um trecho da Rua Eli Luiz Noel com seis toneladas de asfalto, trabalho feito por seis homens, um caminhão e um rolo compressor. Em outra parte, houve manutenção de calçamento, com duas equipes reposicionando paralelos próximo à quadra esportiva, serviço de 11 homens e um caminhão. Ainda houve desobstrução de ralos, feito de forma manual e também com ajuda de um caminhão sugador.

A prefeitura está conseguindo ir a cada vez mais locais e acelerar os serviços que já feitos normalmente. E os mutirões também são uma oportunidade de vir até a comunidade e ouvir dos moradores o que é preciso fazer para promover ainda mais melhorias.

O Departamento de Iluminação Pública, por exemplo, fez levantamento de pontos que precisam de reparos na comunidade. Um dos locais é no entorno da quadra, que será feito para permitir o local seja utilizado também à noite. A quadra é uma das que passará por reforma com recursos federais liberados pelo Ministério do Esporte – o equipamento esportivo vai ganhar novo piso, em concreto.

A Vila São José também está em processo de regularização fundiária de 170 famílias. O Departamento de Habitação e Regularização Fundiária concluiu o trabalho de levantamento topográfico e reuniu todas as áreas – de diferentes propriedades – em uma única planta. Agora, o processo entra na fase de elaboração das escrituras para serem entregues aos moradores.

Os serviços realizados nesta quinta-feira agradaram moradores da Vila São José, que destacaram a importância de ter a prefeitura como parceira.

“Nós estamos resgatando o que perdemos ao longo do tempo, seja em esporte, educação, segurança. É fundamental que a prefeitura esteja aqui para fazer isso pela comunidade”, afirmou o presidente da Associação de Moradores, Carlos Pacheco.

“Veio todo mundo aqui para um ótimo serviço por nós. O diálogo é muito importante para conseguir essas melhorias”, destacou o morador Luiz Fernando Barduíno.

Desde o ano passado, já receberam o mutirão de serviços Mosela, Posse, Independência, Madame Machado, Siméria (em duas oportunidades cada bairro), Bairro da Glória, Nogueira, Secretário, Alto da Serra, Quitandinha, Estrada da Saudade, Bonfim, Morin, Meio da Serra, João Xavier, Vila Rica, 24 de Maio, Duques e Bela Vista, além da Vila São José, dessa vez.

A Vila São José recebeu os serviços de higienização e desinfecção nesta terça-feira (02.06), uma parceria entre a prefeitura e a Águas do Imperador. A ação está entre as medidas preventivas para evitar a proliferação do coronavírus em Petrópolis. Desde o início da pandemia, o serviço já percorreu mais de 600 quilômetros de ruas.

Para o trabalho de higiene, desta vez, o caminhão da Águas do Imperador utilizou oito mil litros de água e hipoclorito de sódio, um tipo de alvejante, que elimina vírus e bactérias. Ao todo, até o momento, a concessionária usou mais de um milhão e meio de litros deste produto de limpeza por toda a cidade.

“Essa já é a segunda vez que eles passam aqui, acho o serviço muito importante para a comunidade”, explica a moradora Leda Lopes.

Além das ruas atendidas pela concessionária, a Comdep também realiza o serviço de limpeza. A empresa utiliza água, sabão e cloro para a higienização nos bairros. Na madrugada desta terça-feira, o trabalho foi feito nos terminais rodoviários (Corrêas e Itaipava), em frente aos mercados Extra e Bramil e ainda em frente à UPA de Itaipava.

A prefeitura também atua na desinfecção e assepsia de prédios públicos, hospitais, unidades de saúde, pontos de apoio para pessoas com sintomas de Covid-19, Centro de Saúde e veículos da prefeitura, das secretarias de Saúde e Educação, e frota das forças de segurança.

Quarta, 25 Janeiro 2017 - 18:53

Volta do Disque-entulho está sendo preparada

Descarte de entulho vai ser fiscalizado e punido com multas.

A empresa de lixo contratada de em caráter emergencial – Força Ambiental – irá auxiliar a Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) no recolhimento do entulho na cidade. O serviço terá reforço em diversos bairros, principalmente nos de maior densidade populacional. Também serão aplicadas multas a quem promover o descarte irregular nas vias, que varia de R$ 200 a R$ 800 por infração, considerada grave pelo Código de Posturas. As denúncias podem ser feitas pelo telefone 2292-9500.

Outra ação para eliminar o material das ruas é a reativação do serviço Disque-Entulho. O serviço foi abandonado pela gestão anterior em agosto de 2013, com a prerrogativa de ser dispendioso para os cofres públicos. Com a nova administração, o sistema voltará a atender à população. A estrutura interna para recebimento das demandas e externa, com o serviço de recolhimento e destinação propriamente, está em fase final de formatação.

Com o retorno do serviço, a prefeitura intensificará a fiscalização e pode aumentar, com projeto de lei, os valores das multas. Mesmo com força-tarefa nas últimas semanas para limpar a cidade depois de a empresa Locar ter rescindido o contrato unilateralmente, o despejo de entulho foi verificado em locais que acabaram de ser limpos. Descarte de móveis, eletrodomésticos e restos de obras em meio ao lixo orgânico impede que caminhões compactadores possam recolher os detritos que não pode ser processados nos veículos.

A fiscalização vai estar nas ruas para punir o descarte irregular. “Vamos oferecer novamente o Disque-entulho que sempre funcionou de forma satisfatória. A conscientização da população também deve ser pontuada, para que o descarte irregular não prejudique as pessoas. O recolhimento vai ser feito em datas pré-agendadas e obedecendo a uma fila de chegada de pedidos”, disse Wagner Silva, diretor-presidente da Comdep.

Mutirões de recolhimento de diversos tipos de material estão sendo praticados. A Comdep utiliza sete caminhões e duas retroescavadeiras, que promoveram a retirada de 6.464 mil toneladas de entulho das vias. Apesar dos esforços, em muitos bairros o que se constata é o despejo irregular recorrente feito por moradores e empresas que, após a limpeza dos locais, voltam a colocar todo o tipo material ao lado das caçambas, como geladeiras, fogões, televisões, além de móveis como sofás, camas, colchões e armários.

“O entulho gerado precisa ser descartado de forma consciente, para podermos ter uma cidade mais limpa”, ressalta Wagner Silva.

Caminhão despejou lixo de madrugada na porta do Cemitério

No bairro Valparaíso, na entrada superior do Cemitério Municipal, um veículo utilitário não identificado, despejou detritos de obras na madrugada desta quarta-feira (25.01). O veículo foi flagrado pelo funcionário de uma funerária que fica no local, mas ele não conseguiu identificar o carro. A mesma situação ocorre em vários pontos da cidade.

“Ontem foi tudo limpo. Mas, mal o caminhão da Comdep sai, já aparece essas kombis e enchem isso tudo de entulho. É direto e reto isso. Incomoda a gente, porque é poeira que sobe, colocam fogo. Dá até para ver que tem uma placa queimada. Isso é todo dia, eles costumam vir de madrugada ou bem cedo”, diz o agente funerário Luís Carlos de Oliveira.

Um pouco mais acima, na entrada da Comunidade Oswaldo Cruz, mais despejo de entulho. Estes, domésticos: restos de armário e outros móveis colocados ao lado de lixeiras.

Uma média de 5 mil toneladas de entulho despejado irregularmente é recolhida todos os meses pela Prefeitura em toda a cidade, mesmo tendo retomado com o Disque-entulho, um serviço gratuito de coleta.  E tem de tudo: restos de obras, lixo verde, móveis e eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos. Nesta terça-feira (04.12), a equipe de vistoria de limpeza se surpreendeu com um descarte inusitado: um barco foi deixado na Rua Madre Francisca Pia, no Campo do Serrano, uma área nobre com casas de classe média e classe média alta.

Também nesta terça-feira (04.12) equipes de coleta se depararam com uma grande quantidade de entulho na Rua Bernardo Proença. E foram necessários tratores, caminhões e muitos homens para limpar os locais.

As duas situações geraram vídeos: o do barco, feito por uma pessoa que passava pelo local e, o segundo, de um próprio funcionário da Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP). Fabiano Castilho gravou o vídeo indignado: “a gente limpa esse local toda a semana e vem caminhões descarregar entulho à noite”, relatou.

A SSOP está organizando ação efetiva para punir despejo de entulho.

O resto de barco foi deixado em um local onde a remoção de entulho é feita semanalmente. A última vez foi no dia 30 de novembro. Cada vez que os funcionários passam por lá, são cerca de seis a oito toneladas removidas.

 O Disque-entulho teve ampla campanha de divulgação, assim como o descarte correto do lixo.

Os funcionários que fazem a coleta relatam que encontram muitos sofás e armários jogados fora. Mas também é comum achar pneus, peças de automóveis, animais mortos, vasos sanitários, colchões e até caixa d’água. Ainda são achadas muitas televisões de tubo, jogadas fora depois que a família compra uma mais moderna.

Esse material é recolhido pela prefeitura em duas frentes de trabalho. Por um lado, a Comdep realiza o serviço com maquinário e funcionários próprios. Além disso, a Secretaria de Serviços coordena o trabalho feito pela Força Ambiental, responsável também pela coleta de lixo na cidade.

O despejo dos resíduos volumosos é proibido pelo Código de Posturas. O entulho tem que ser levado para o aterro de Pedro do Rio. Quem for flagrado cometendo a irregularidade é intimado a fazer a remoção imediata e fica sujeito a multa de R$ 800. Para denunciar, há dois caminhos: é possível informar a irregularidade para a Fiscalização de Posturas pelo telefone 2246-9042; ou então falar direto com a Comdep, pelo 2292-9500. São cerca de 250 notificações e multas aplicadas por ano só por essa prática.

Quem tem dificuldade de fazer o descarte correto conta com um serviço gratuito oferecido pela Comdep: é o Disque Entulho, que faz a coleta a partir de agendamento pelo telefone 2243-7822. É possível fazer o recolhimento de 20 sacos de até 25 kg. O programa tem rotas fixas, mas atende também outros bairros de acordo com a disponibilidade das equipes.

Desde o ano passado, a Comdep vem buscando medidas que ajudem a coibir a irregularidade. A empresa já instalou canteiros de jardim em locais como Siméria, Vila Militar, Quarteirão Brasileiro, Rua Espírito Santo (Quitandinha), Corrêas e Rua Fabrício de Mattos.

Outra forma de coibir a prática foi com a instalação de placas indicando a proibição do descarte de entulho, serviço feito esse ano em locais como Samambaia, Corrêas, Estrada da Saudade, Bataillard, Retiro, Centro, Quarteirão Ingelheim, Itamarati, Mosela, Pedras Brancas e Sargento Boening. Esse ano, instalou telas para isolar alguns locais onde o despejo é constante, como na João Xavier (Duarte da Silveira), no Pedras Brancas (Mosela) e no Sargento Boening (Castelânea).

Pagina 44 de 44